terça-feira, 18 de outubro de 2005

Oposição questionará José Serra por uso das verbas da “indústria das multas” de trânsito

Edição de Quarta-feira do http://alertatotal.blogspot.com

O prefeito paulistano José Serra, hoje favorito do PSDB nas pesquisas vindas do ninho tucano para disputar a eleição presidencial contra Lula, sofrerá duros ataques da oposição (e do chamado “fogo amigo” dentro de seu partido), por causa da gigantesca indústria das multas de trânsito que sua administração está montando na capital paulista.

Em pleno ano eleitoral de 2006, a Prefeitura de São Paulo espera arrecadar R$ 550 milhões 962 mil em multas de trânsito. Esta previsão oficial consta do Orçamento para o ano que vem. Serra será questionado na aplicação da receita das multas de trânsito. Isto porque tais recursos, vindos do bolso dos pretensos maus motoristas, entram nos cofres do município sob o título contábil de “receitas extra-orçamentárias”.

O detalhe curioso e pouco conhecido de tais receitas das multas é que elas não ficam passíveis de fiscalização direta pelos conselhos ou “tribunais” de contas. Opositores temem que o administrador público, no caso o prefeito José Serra, empregue o dinheiro das multas para outras atividades não relacionadas à educação para o trânsito ou sinalização.

Vários municípios brasileiros vêm fazendo um uso obscuro das verbas arrecadadas com as multas de trânsito. As Prefeituras tornam pública a contabilidade destes recursos, como seria o ideal previsto pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

“Tribunais” ou conselhos de contas espalhados pelo Brasil começam a investigar se o dinheiro das multas está servindo a esquemas paralelos de lavagem de dinheiro, em operações que envolvem fornecedores de prefeituras que, por coincidência, se transformam em financiadores legais e ocultos de campanhas eleitorais.

O esquema seria semelhante ao do Mensalão, que vem sendo investigado por CPIs.

Glock Brasil em operação

Um atento leitor do Alerta Total enviou por e-mail a confirmação de que a maior empresa de segurança da América Latina está mesmo em formação no Brasil. Na Fapesp, embora não esteja no ar, já existe reserva de domínio, desde 20 de janeiro deste ano, para o endereço eletrônico www.glockbrasil.com.br.

O registro aparece em nome de Glock do Brasil S.A., CNPJ: 006.275.981/0001-66, Inscrição Estadual: 117.001.497.118. Responsável: Franco Giaffone. O endereço da empresa é na Rua Tabapuã, 422, Cj. 93/Sala 1, Itaim, São Paulo, Capital. De acordo com a inscrição no CNPJ, a empresa foi registrada em maio do ano passado. De acordo com o Cadastro público do Estado de São Paulo (SINTEGRA-SP), a empresa esta habilitada desde Março deste ano (2005), embora sua criação tenha sido em 23 de outubro de 2004.

Remember!

O Alerta Total divulgou na segunda-feira que o filho do presidente Lula, o jovem empresário Fábio Luiz da Silva, de 28 anos, será um dos sócios minoritários da maior empresa de segurança do Brasil, que está sendo constituída. Um outro sócio ilustre da poderosa organização, que terá sedes operacionais no Rio de Janeiro São Paulo e Campinas (SP), é o vice-presidente das Organizações Globo, João Roberto Marinho, que já detém os direitos de comercialização, no Brasil, de um avançado sistema de segurança alemão. Em princípio, o principal controlador da mega empresa será a austríaca Glock, uma das maiores fabricantes de armas do mundo.

Coisa Russa

O Alerta Total informou que o governo brasileiro fecharia ontem um acordo, em Moscou, para que os russos utilizem a Base de Lançamentos de Alcântara, no Maranhão. A operação envolverá recursos da ordem de US$ 25 milhões. As negociações com os russos começaram em janeiro de 2003. Mas o grande negócio do setor aeroespecial, cobiçado pelos russos, é o programa do Satélite Geoestacionário Brasileiro (SGB), cujo custo poderá chegar a US$ 1,5 bilhão.

Em troca do acordo, empresários russos se comprometem a fazer investimentos diretos no Brasil. Também já se comprometerem, informalmente, com assessores diretos do Presidente Lula a colaborar, dentro da lei, com a campanha eleitoral do PT no ano que vem. Na opinião dos empresários russos, o governo Lula não pode ir para o espaço... Mas o acordo com os russos terá de ser aprovado pelo Congresso Nacional, o que não deverá ser fácil, na véspera de ano eleitoral.
O governo ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto.

Tio Sam na bronca!

O governo norte-americano não gostou nada do acordo com os russos. Os EUA também têm interesse na Base de Alcântara.

Além dos negócios com Hugo Chavez, Lula pode ter arranjado mais um motivo para a Casa Branca lhe atacar...

Sonho realizado de Lula

Acompanhado da primeira-dama, Marisa Letícia, o Presidente Lula fez um passeio que não estava previsto na agenda de trabalho na Rússia. Em Moscou, o casal visitou a Praça Vermelha e o túmulo de Lênin, o líder da Revolução de 1917. Segundo o Presidente, foi a realização de um antigo sonho.

Saia justa no Secretário!

A Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro promoverá nesta quinta-feira, por iniciativa do deputado Paulo Ramos, uma audiência pública para tratar da lavratura de termo circunstanciado pela PM, em São Gonçalo. A corporação foi proibida pela Secretaria de Segurança de adotar este procedimento inovador nos registros criminais.

O Comandante do 7º BPM foi convidado. Mas não se sabe se o Secretário de Segurança, Delegado Marcelo Itagiba, permitirá que ele compareça.

Serra versus democracia direta

O site da OAB-SP já reúne o apoio de 6 mil eleitores dispostos a pressionar a Câmara Municipal de São Paulo para que derrube o veto do Prefeito José Serra (PSDB) contra a lei que permite aos eleitores convocar plebiscitos e referendos, por iniciativa popular ou por requerimento de 1/3 dos membros da casa legislativa.

José Serra justificou sua decisão de prefeito contra a democracia direta alegando razões jurídicas e custos. Serra teme o risco de um excesso de consultas populares interferindo na administração municipal e no trabalho do poder executivo.

Não há previsão de data para a apreciação de derrubada do veto.

Maquiagem da Marta

O Ministério Público do Estado de São Paulo apresentou à Justiça ação de responsabilidade por ato de improbidade administrativa contra a ex-prefeita Marta Suplicy e os ex-secretários Luiz Tarcísio Ferreira (Negócios Jurídicos) e Luiz Carlos Fernandes Afonso (Finanças).

Os promotores denunciaram que Marta e seus secretários "maquiaram as contas da Prefeitura". A administração petista não teria deixado recursos em caixa para o pagamento de compromissos assumidos até o final de 2004. Os pagamentos foram suspensos entre outubro e dezembro do ano passado.

As contas da prefeitura foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Município (TCM) por maioria de votos. Apenas o conselheiro Edson Simões rejeitou as contas da gestão da ex-prefeita. Segundo o MP, no entanto, a administração petista cancelou o pagamento de prestações de serviços efetivamente realizadas.

De acordo com o texto do Ministério Público, de uma amostra, 96% do que foi cancelado referem-se a obras e serviços efetivamente realizados, "portanto, empenhos indevidamente cancelados".

Preço a ser pago

Com a denúncia do MP, ex-prefeita Marta Suplicy engrossou a lista de petistas que podem perder os direitos políticos e que, portanto, correm o risco de ficar inelegíveis na campanha de 2006.

Quem deve estar rindo à toa é o Senador Aloísio Mercadante, adversário direto de Marta dentro do PT para conquistar o direito de disputar o governo do Estado pela legenda petista.

Contas petistas desaprovadas

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo desaprovou por unanimidade as contas do diretório estadual do PT apresentadas no balanço de 2000. A Justiça Eleitoral determinou ainda a suspensão do repasse das cotas do fundo partidário por um ano.

"A prestação de contas inicialmente apresentada padecia de incontáveis omissões, faltando não só a documentação de suporte das receitas do fundo partidário, das contribuições de filiados e das transferências recebidas, como também, entre outras, a documentação comprobatória de despesas com aluguéis, pagamento de empregados, material promocional e telecomunicações". Foi o que escreveu o juiz relator, Eduardo Muylaert.

Segundo o TRE, entre as irregularidades encontradas, estão a falta de identificação de receitas e doações, irregularidade na compra e venda de veículos e falta de origem de R$ 89 mil. Faltam também, de acordo com o TRE, assinaturas nas transferências de diretórios municipais no valor de R$ 47 mil.

O PT vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE)...

A vez do Zeca do PT

A Justiça de Mato Grosso do Sul determinou a quebra dos sigilos bancário, telefônico e fiscal do governador do Estado, José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, dos irmãos dele, Ozório Miranda dos Santos e Heitor Miranda dos Santos, do deputado federal Vander Loubet (PT) e de outras sete pessoas e cinco empresas. Todos são suspeitos de envolvimento em supostas irregularidades na licitação que concedeu à família do governador, por 30 anos, a administração do terminal fluvial de Porto Murtinho.

Família de Delmonte depõe

A família do legista Carlos Delmonte Printes, morto na semana passada, será ouvida pelo promotor e pelo delegado encarregados do caso nesta quarta-feira. A companheira que esteve com ele até o dia da morte e sua ex-mulher, além do filho Guilherme, a quem ele entregou a carta com suas últimas recomendações, serão interrogados.

O promotor Marcelo Milani diz que notou uma variação de letra e vai pedir um exame grafotécnico do documento para ter certeza de que o legista é mesmo o autor do texto.

O Ministério Publico recebeu a informação de que, poucos dias antes de morrer, Delmonte teria retirado do escritório particular e da sua sala no IML laudos importantes. Não se sabe onde os papéis estão.

O legista, que não concluiu um questionário do MP sobre a necropsia no corpo do prefeito Celso Daniel, morto em janeiro de 2002, também estava trabalhando no assassinato de Toninho do PT, prefeito de Campinas, que foi morto a tiros em setembro de 2001, afirmou Milani.

Delmonte estaria analisando as circunstâncias da morte de um dos homens que teriam atirado em Toninho do PT, de acordo com o promotor, mas esse laudo também não teria sido entregue.

Um vice de olho vivo

O vice-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PFL), não acredita que José Serra (PSDB) renuncie à administração da capital para disputar a Presidência da República no próximo ano. Mas afirma que, se isso ocorrer e couber a ele comandar a maior cidade do país, terá "uma responsabilidade muito grande como prefeito.

Kassab, que já foi vereador, deputado estadual, deputado federal e secretário de Planejamento no início da gestão Pitta (1997), diz ter participação ativa na gestão da cidade. No momento, ele comanda a comissão que prepara portaria para desburocratizar a criação de empresas.

Serra nas nuvens

Em pesquisa do Ibope divulgada na semana passada, Serra mais uma vez apareceu como único candidato que venceria o Presidente Lula (PT) em um eventual segundo turno.

O tucano não consegue esconder, em público, seu prazer de disputar a cadeira de Lula.

O Vice de qualquer um

Cesar Maia nega de público. Mas tucanos e pefelistas confirmam nos bastidores que o Prefeito do Rio será o candidato a vice na chapa tucana. Seja quem for o candidato a Presidente. O Alerta Total confirma que já há um acordo fechado com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

A Prefeitura do Rio, a partir de abril ou junho do ano que vem, ficará com o tucano Otávio Leite. Trata-se de um presentão político, às vésperas dos Jogos Panamericanos de 2007.

Garotinho dá a largada

O ex-governador do Rio Anthony Garotinho formaliza nesta quarta-feira a sua pré-candidatura à presidência da República pelo PMDB. Ele será o primeiro peemedebista a se inscrever para concorrer às prévias que o partido vai realizar no início de março do ano que vem para eleger o candidato da legenda em 2006.

Garotinho, de 45 anos, atualmente é secretário de Governo e de Coordenação do Rio, função que acumula com a presidência regional do PMDB. Ex-secretário de Segurança Pública (2003-2004), ele foi prefeito de Campos por duas vezes (1989-1992/1997-1998), deputado estadual (1987-1988) e secretário de Agricultura, Abastecimento e Pesca no governo Brizola (1993). Deixou o Governo do Estado (1999-2002) para concorrer à presidência da República pelo PSB.

Lembrete: No primeiro turno das eleições 2002, Garotinho obteve mais de 15 milhões de votos, ficando em terceiro lugar.

Candidatura amadurecendo

Apesar da oposição do grupo do senador José Sarney, o ex-governador do Rio, Antony Garotinho, ainda mantém chances de conseguir a chance de disputar as prévias do PMDB para a Presidência da República. A avaliação é de dois diferentes caciques peemedebistas ouvidos pelo Alerta Total.

Garotinho vai se defrontar, no partido, com Germano Rigotto, governador do Rio Grande do Sul. A briga promete ser de gente grande...

Plano B do G

Caso Garotinho não consiga legenda para a Presidência da República, no PMDB, já tem um plano B montado. Vem candidato a deputado federal. Sua mulher Rosinha disputará o Senado e sua filha Clarissa tenta uma vaga de deputada federal. A idéia é puxar votos e eleger uma forte bancada.

Garotinho apoiará Sérgio Cabral para governador. E vai convencer o presidente da Assembléia Legislativa, Jorge Picciani, a desistir de disputar o Senado, concorrendo, novamente, à reeleição no Legislativo fluminense.

Chega de nepotismo!

O Conselho Nacional de Justiça aprovou ontem o texto da resolução que proíbe a prática de nepotismo no Poder Judiciário. A decisão do CNJ determina a exoneração de ocupantes de cargos em comissão ou de função gratificada no prazo de 90 dias, a contar da publicação da resolução no Diário da Justiça.

A resolução também proíbe a contratação de pessoas ou a prestação de serviços por cônjuge, companheiro ou parente em até o terceiro grau de magistrados, de servidores ou de assessores.O Conselho classifica como nepotismo o exercício de cargo em comissão ou de função gratificada por cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, de magistrados ou de servidores com atribuições de direção ou de assessoramento.

A proibição já havia sido votada pelo Conselho Nacional de Justiça no dia 27 de setembro por maioria. A lei tornou nulas as nomeações de parentes anteriores à Lei 9.421/96, que criou as carreiras dos servidores do Poder Judiciário.

Dirceu em apuros!

Depois de mais de duas horas de leitura, o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) pediu em seu parecer de 50 páginas a cassação do deputado e ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu (PT-SP).

Rebateu cada um dos argumentos de Dirceu e afirmou que as investigações das CPIs dos Correios e do Mensalão já confirmaram a existência de um esquema de repasses de recursos irregulares para deputados da base aliada ao governo.

O amor remunerado

Júlio Delgado constatou que “a Câmara dos Deputados, inegavelmente, curvou-se a um esquema de corrupção ardilosamente arquitetado com o intuito de manipular a atuação de bancadas e partidos”.

Para evitar o debate sobre se os pagamentos eram mensais ou não, Delgado usou uma expressão inesquecível e irônica. “Temos de ter a coragem de reconhecer e admitir que este esquema de ‘governabilidade de amor remunerado’ só alcançaria êxito em ambiente promíscuo”.

Voto de má fé?

Foi assim que o deputado José Dirceu (PT-SP) definiu o parecer do relator de seu processo de cassação no Conselho de Ética, deputado Júlio Delgado (PSB-MG). De acordo com Dirceu, o documento “omitiu documentos e depoimentos” para incriminá-lo.

O petista alegou que não foi provada a sua culpa, foi decretada. “Eu não sabia [do esquema do mensalão], tinha que saber, por isto sou culpado”.

Em 48 horas, Dirceu promete apresentar um “contra-voto” no qual contestará pontualmente todas as alegações feitas por Delgado para recomendar a sua cassação.

Datas para detonação

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, Ricardo Izar (PTB-SP), contestou a avaliação do deputado José Dirceu (PT-SP) de que o relatório do seu processo de cassação não traz “provas” de que soubesse do mensalão. Segundo Izar, o voto de Júlio Delgado (PSB-MG) foi “muito bem feito, muito consistente, com detalhes, com minúcias” e, além disso, “traz todas as provas necessárias” contra Dirceu.

O presidente do Conselho avisa que o documento será votado na sexta-feira — a menos que o Supremo Tribunal Federal o impeça — e encaminhado à Mesa da Câmara na segunda-feira, o que permitirá que seja levado a plenário na quarta-feira da semana que vem.

Não sou corrupto!

Ao fazer sua defesa no Conselho de Ética, o deputado federal José Dirceu (PT-SP) negou que seja corrupto. ”Sempre lutei contra a corrupção. Não fujo à minha responsabilidade política. Muitos fugiram. Mas não sou responsável pelos atos que a direção nacional ou dirigentes do PT tomaram”.

Convento de Lula

Na passagem triunfal pela Rússia, o Presidente Lula tratou a crise que escandaliza o país como algo que faz parte da normalidade da política. Lula ressalvou que, “se não tivesse problema, não teria política”.

O Presidente acrescentou que, sem política, tudo seria resolvido “num convento”. Declarou que o país vive uma situação “engraçada, em que se joga suspeição sobre todo mundo, apesar de muito pouca coisa ser provada”.

Especialistas em sobrepreço

Em depoimento ontem na CPI do Mensalão, o presidente do Citibank, Gustavo Marín, e o procurador do banco e presidente do Conselho de Administração da Brasil Telecom, Sérgio Spinelli, defenderam a negociação feita com os fundos de pensão para obter o controle da empresa de telefonia.

Spinelli declarou que o acordo entre o Citibank e a Previ (Banco do Brasil), a Funcef (Caixa) e a Petros (Petrobras) gerou um ganho inicial de R$ 682 milhões para as três instituições, que passaram a ser o direito de venda conjunta da sua participação na Brasil Telecom e recebimento de 100% do prêmio de venda. Sem esse acerto, segundo ele, os fundos teriam um prejuízo de ordem de R$ 2 bilhões, porque ficariam de fora do controle da empresa.

Marín, por sua vez, afirmou que, se tivesse na posição dos fundos na época, “faria o acordo correndo”. A CPI convocou os dois para depor a fim de investigar os investimentos dos fundos, que administram nada menos do que R$ 140 bilhões. O contrato entre Previ, Funcef e Petros e o Citibank teria embutido um sobrepreço de 240% e foi contestado na Justiça e no Tribunal de Contas da União, e a CPI quer esclarecer as razões que teriam levado as instituições a pagar mais para concretizar o negócio.

Percepção da Corrupção

A Transparência Internacional (TI) divulgou relatório em Londres, nesta terça-feira, mostrando que a percepção de corrupção no Brasil aumentou nos primeiros anos do governo Lula. Numa escala de 0 a 10, sendo 10 a melhor menção, a nota do Brasil caiu de 3,9 para 3,7.

A queda, apesar de pequena, é representativa porque o presidente Lula e o PT sempre se disseram dispostos a combater a corrupção. Pesa, também, o fato de que o estudo foi fechado em junho, quando o escândalo do mensalão havia apenas começado. A nota menor derrubou o Brasil no ranking global da corrupção. O país caiu da 59ª para a 62ª posição, ficando atrás de Belize, Colômbia, Tailândia, Trinidad e Tobago, Cuba e Chile.

No levantamento, a TI considera que notas inferiores a cinco são indícios de sérios níveis de corrupção. Em entrevista à revista Veja desta semana, o presidente da TI, Peter Eigen, se disse “muito desapontado” com o Presidente Lula por causa dos escândalos.

Menos corruptos

Na pesquisa da Transparência Internacional, entre os países onde menos se percebe a corrupção figuram a Islândia, a Finlândia e a Nova Zelândia.

Nossa rival eterna, a Argentina obteve uma pontuação ruim e ocupa 97ª posição entre os lugares onde mais se percebe corrupção, ao lado de países como Moçambique e Madagascar.

Anti-corruptos até na web

Para dificultar a ação de jogadores desleais, praticantes do jogo on line Gun Bound, criaram a campanha 'No Hack', que traz dicas de como detectar os players que fazem uso de meios ilícitos para se dar bem nas partidas.

Atualmente, para se dar bem nas disputas de jogos on line, alguns jogadores fazem uso de programas espiões e tiram vantagens dos jogadores bem intencionados.

Geral da PF no Espinheiro

A Polícia Federal divulga nesta quarta-feira o resultado de uma operação de busca e apreensão no Instituto de Planejamento e Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico e Científico, no bairro do Espinheiro, em Pernambuco. Os federais correm atrás de provas de fraudes em concursos públicos.

Servidores tiveram suas bolsas e documentos revistados no pente fino. O Ipad pernambucano divulgou uma nota alegando que a iniciativa da PF deve-se a um mandado da Justiça Federal em Brasília, onde contratos promovidos pelo Centro de Seleção e Promoção de Eventos da UnB estariam sob suspeita.

Sumiço de crianças

O "I Seminário Estadual Projeto Caminho de Volta", promovido pela USP, divulga nesta quarta-feira, a partir das 9h, um estudo sobre as causas do desaparecimento infanto-juvenil no Brasil e no exterior.O trabalho foi promovido pelo Projeto Caminho de Volta: Busca de Crianças Desaparecidas no Estado de São Paulo. Implantado pela Faculdade de Medicina da USP em 2004, o Projeto auxilia a Polícia Civil na localização e identificação das crianças desaparecidas, por meio de um Banco de DNA. A divulgação do estudo será no Teatro da Faculdade de Medicina da USP - Av. Dr. Arnaldo, 455 - Cerqueira César.

Preço da discriminação

O Laboratório Bioquímico de Análises Clínicas Jardim Paulista foi condenado a pagar uma indenização de R$ 15 mil a um ex-funcionário demitido por ser homossexual. Juízes da 6ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-SP) decidiram que uma empresa não pode dispensar um trabalhador por causa de sua opção sexual.

O trabalhador entrou com processo na 19ª Vara do Trabalho de São Paulo, reclamando indenização por danos morais. Ele sustentou que teria sido demitido por determinação da chefe da área de bioquímica do laboratório, que não permitiria o trabalho de homossexuais em seu setor. O reclamante afirmou, ainda, que a notícia de sua dispensa correu a empresa "como um rastilho de pólvora", violando sua "intimidade, imagem e vida privada".

Guerra ao Beira-Mar

O prefeito em exercício de Florianópolis, Marcílio Ávila, dá um prazo de 48 horas para que o traficante Fernandinho Beira-Mar seja transferido de Santa Catarina para qualquer lugar...

O Vice-prefeito entregou ontem à superintendente regional da Polícia Federal (PF), Marian Ibrahim, um documento de interdição das celas do prédio da Beira-Mar Norte, onde o traficante está detido há 12 dias. Ávila lembra que o Plano Diretor da cidade não permite a instalação de carceragens no endereço da PF, apenas prédios públicos.

Se Beira-Mar ficar em Florianópolis, a OAB catarinense também pretende processar o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, por crime de responsabilidade.

Maluf continua onde está

A 1ª turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, em São Paulo, negou pedido de habeas corpus para o ex-prefeito Paulo Maluf, que está preso na Superintedência da Polícia Federal em São Paulo desde o dia 10 de setembro.

A desembargadora Vesna Kolmar, relatora do processo de Maluf, decidiu manter a prisão determinada pela juíza Silvia Maria Rocha, da 2ª Vara Criminal da Justiça Federal em São Paulo, porque considerou que a movimentação financeira superior a US$ 160 milhões e a possibilidade de que, solto, o ex-prefeito possa prejudicar a coleta de provas foram motivos suficientes para justificar a detenção.

Mais uma na conta dele?

Antes de a CPI dos Correios fechar a sessão de depoimento de Alberto Youssef, na tarde de ontem, o doleiro confirmou que fez uma operação na Suíça, em favor do ex-prefeito Paulo Maluf.

O doleiro só não soube informar precisamente, o valor e a data da operação. Segundo ele, foi algo entre US$ 1 milhão e US$ 2 milhões, em 1996 ou 1997. A Polícia Federal e o Ministério Público vasculharam os sigilos bancários de Youssef e encontraram apenas um político entre seus clientes: Maluf.

O doleiro, no entanto, disse que, quando fez a operação, não sabia que o beneficiário era o ex-prefeito.

Nega Tudo!

O doleiro Alberto Youssef também negou que tenha operado para o empresário Marcos Valério de Souza, operador do mensalão, para Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, e para o partido.

Sobre as acusações de outro doleiro, Antonio Oliveira Claramunt, o Toninho da Barcelona, de que Youssef seria o “homem da Bonus-Banval”, a corretora que estaria envolvida no esquema de repasses do valerioduto a políticos, o operador de Maluf saiu pela tengente:

“Para mim é uma novidade isso”...

Freio na propaganda de bebida

O Senado pretende instruir três projetos de lei que tratam da propaganda de bebidas alcoólicas nos veículos de comunicação. Por isso, a Comissão de Educação do Senado Federal realiza nesta quarta-feira pela manhã, uma audiência pública em que serão ouvidos os principais interessados ou afetados pelo assunto:

Gilberto Leifert, presidente do Conselho Nacional de Auto-Reguamentação Publicitária (Conar); o diretor do Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindicerv), Luiz Eduardo Osório; o pesquisador em alcoolismo da Unifesp, Ronaldo Laranjeira; um representante do comissão de marketing publicitário da ABTA, Marcelo Cataldi; o coordenador de Saúde Mental do Ministério da Saúde, Pedro Gabriel Delgado; o presidente da União Brasileira de Vitvinicultores, Danilo Cavagni; e o vice-presidente da Associação Brasileira de Radiodifusão (Abra), Frederico Nogueira.

Dossiê Vlado

Representantes de entidades de direitos humanos participam nesta quarta-feira de um encontro no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, a partir das 19 horas, no qual será lançada a sexta edição do "Dossiê Herzog - Prisão, Tortura e Morte no Brasil", de autoria de Fernando Pacheco Jordão.O encontro faz parte da semana "Vlado - 30 Anos de Vida Eterna".

Até 25 de outubro, acontece uma série de eventos em homenagem aos 30 anos da morte do jornalista Vladimir Herzog, assassinado no dia 25 de outubro de 1975, nas dependências do DOI-Codi.Nesta quarta-feira, estão previstos uma sessão solene na Câmara Municipal de São Paulo, um concerto da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e a abertura do 4º Encontro de Jornalismo da Metodista, com o tema "Herzog, 30 anos depois... O que mudou no Jornalismo?".

Na sexta, às 10h 30min, ocorrerá um ato simbólico em frente ao Presídio Tiradentes. No sábado, será inaugurada a exposição "Arte e Direitos Humanos (celas do Deops)", realizada nas antigas dependências do Deops.No domingo, um Ato Inter-religioso reúne representantes de diversas religiões na Catedral da Sé, às 16 horas.

O Fórum Coral Mundial participa do ato reunindo mais de mil vozes no concerto "Pax e Direitos Humanos". No dia 24, haverá sessão solene na Assembléia Legislativa e uma solenidade na Universidade São Judas Tadeu.

Finalmente, dia 25, uma mesa-redonda sobre Vladimir Herzog acontece no Departamento de História da USP e, à noite, será feita a entrega do XXVII Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog, quando serão homenageados cidadãos cuja vida foi dedicada à causa dos Direitos Humanos.

Que beleza!

A organização do Fashion Rio confirmou as datas da edição outono-inverno do principal evento do calendário de moda carioca, que vai acontecer de 10 a 15 de janeiro de 2006.

O Museu de Arte Moderna também continua sediando os desfiles e o Fashion Busines, a feira de negócios. Na última edição, em junho deste ano, a organização chegou a cogitar a transferência dos desfiles do MAM.

As datas da edição primavera-verão também já foram escolhidas: de 1 a 9 de junho de 2006.

Retratos do Golfe

São Paulo é a sede da inédita exposição Retratos do Golfe, no Cultural Blue Life (Avenida Brasil, 298 - SP). As artistas plásticas Beatriz de Carvalho, Cláudia Vasconcellos, Gisleine Betti Marques e Nice Terni, e os fotógrafos J.B. Salgado, Rubens Chiri, Solange Macedo e Zeca Resendes, estarão expondo seus trabalhos numa mostra que retrata o golfe com toda sua técnica, feitos e tacadas geniais.

Por bem ou por mal?

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, anunciou que a MP do Bem 2 poderá incluir a correção da tabela do Imposto de Renda, uma demanda apresentada pelas centrais sindicais.

Neste ano, a tabela foi corrigida em 10%, após um imbróglio político criado pelo Ministério da Fazenda, que pretendia compensar as perdas fiscais da medida com uma pancada tributária nas empresas prestadoras de serviços e nos trabalhadores terceirizados. A jogada foi barrada pelo Congresso.

O ministro deixou claro que a correção da tabela pode até sair, mas que não haverá redução da alíquota máxima do Imposto de Renda de 27,5% para 25%. A redução chegou a ser prevista no Orçamento, mas, depois, o governo alegou que se tratou de um erro.

Nuvem negra?

Se o Comitê de Política Monetária do Banco Central não baixar os juros em meio por cento na reunião desta quarta-feira, é sinal de que há algo muito mais grave por vir no horizonte externo.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramações, ilogios ou revelações bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Façam comentários clicando no link abaixo.
Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.