quarta-feira, 24 de maio de 2006

Daniel Dantas usa informações sobre nomes de 40 mil correntistas vips no exterior, obtidas com “crackers”, para pressionar políticos

Edição de Quarta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Resumo no ar às 8h e Edição completa a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Exclusivo – Documentos reais bem guardados em cofres no exterior - contendo nomes e informações completas sobre os donos de 40 mil contas correntes em bancos situados em Paraísos fiscais nos Estados Unidos, na Europa ou na Ásia – transformam o banqueiro Daniel Dantas no maior "terrorista político" brasileiro da atualidade. O controlador do banco Opportunity usa tais informações bancárias internacionais como escudo de blindagem e bomba atômica pronta para explodir um escândalo, na hora de negociar seus interesses pessoais e de seus empreendimentos com políticos e o governo brasileiro.

Daniel Dantas deu o recado que sabe de tudo e da oculta vida financeira internacional de toda a classe política e empresarial brasileira, na reunião secreta do último dia 17, com o ministro da Justiça (que não existe), Márcio Thomaz Bastos, na residência do Senador Heráclito Fortes (PFL-PI), que é um dos coordenadores da campanha presidencial do tucano Geraldo Alckmin. O trunfo de Daniel Dantas são informações coletadas pela empresa de inteligência Kroll Associates, que usou os maiores crackers (invasores de computadores) para invadir os sistemas de bancos e obter os valiosos nomes de brasileiros vips que têm muito dinheiro guardado ou escondido lá fora.

Publicamente, Dantas nega tudo, porque seu silêncio vale muito mais que ouro no País governado pela Organização Criminosa. Mas, nos bastidores dos podres poderes da República, o banqueiro usa o poder da informação a seu favor. Seu poder de pressão sobre a corrompida classe política lhe garante vitórias inesperadas, como a obtida ontem na CPI dos Bingos. A comissão derrubou o requerimento que pedia sua convocação. O pedido foi rejeitado por seis votos a cinco. Quem votou a favor do dono do Opportunity sabe por que não deveria perder tal oportunidade de mostrar lealdade a quem tem tanto poder de fogo.

As informações privilegiadas de Dantas são seu seguro de vida integral. De agora em diante, nada será investigado do que foi divulgado na edição da semana passada da revista Veja – que usou Dantas como fonte da reportagem sobre a suposta existência de contas no exterior de autoridades do governo, incluindo o presidente Lula. A CPI aproveitou o embalo da salvação de Dantas para também rejeitar os requerimentos de convocação do empresário Marcos Valério de Souza Fernandes, do ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso e do secretário de Direito Econômico, Daniel Goldberg.

Dirceu sabia de tudo...

O ex-secretário de Habitação de Mauá (SP) Ativo Ovando Júnior disse ao Ministério Público Estadual que o ex-ministro José Dirceu sabia da cobrança de propina em Santo André (SP).

Com o depoimento, o Ministério Público Estadual espera derrubar no Supremo Tribunal Federal o veto à investigação do envolvimento de Dirceu no caso, que pode ter sido um dos motivadores do assassinato do prefeito petista Celso Daniel, em 2002.

A retomada Caso Celso Daniel, o mais famoso cadáver insepulto da República da Organização Criminosa, é a maior preocupação da cúpula do PT, depois do escândalo dos Bingos. Até quando o escândalo será abafado, só Deus sabe...

Pesquisa na cadeia

Nada menos 85 por cento do sistema penitenciário está a favor do governo Lula, por estar ao lado dos mais oprimidos.

Pesquisa feita por uma ONG internacional de Direitos Humanos faz uma revelação surpreendente.

Preso não tem direito a voto, mas a organização criminosa manda os familiares deles votarem.

Novo Valerioduto

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) denunciou ontem que a liberação “imoral” de R$ 890 milhões em créditos extraordinários para o Ministério das Cidades inaugurou o “novo valerioduto” do governo Lula.

ACM ameaçou liderar um movimento para obstruir a pauta de votações no Senado até que as suspeitas de irregularidade de sejam apuradas. O bondoso ACM detonou:

Isso vai ser a maior imoralidade. Estou querendo fazer um favor ao governo e impedir mais um novo valerioduto”.

ACM revelou que, antes mesmo da aprovação da medida provisória que destinou o dinheiro para o Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social, 99,7% dos recursos já estavam empenhados pela Caixa Econômica Federal (CEF), que já havia recebido ofícios do ministério sobre os beneficiários e os empenhos para 235 convênios.

A verdade é que temos em marcha um novo escândalo. Ou isso ou então estamos diante da proeza da eficiência em um governo que até agora mostrava paralisia”.

Pressionado por ACM – que o vem criticando por engavetar pedidos de investigações contra o governo -, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que pedirá ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas da União (TCU) que investiguem o destino do dinheiro.

Como o dinheiro público some

Dois terços da verba repassada pelo governo federal aos municípios somem em operações irregulares.

Dos R$ 100 bilhões anuais, as administrações locais perdem R$ 66 bilhões em operações irregulares.

Os desvios do dinheiro público foram constatados pela Controladoria Geral da República e divulgados pelo ministro do Controle e da Transparência, Jorge Hage, que escancara:

"Estamos abrindo a tampa do esgoto da corrupção”.

Um dos responsáveis pela desarticulação da máfia das ambulâncias, o ex-juiz Hage, espécie de xerife do governo Lula, anuncia ao Jornal do Brasil de hoje.

Motivo da reclamação presidencial

O governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), explicou que o presidente Lula só criticou a lei eleitoral porque falta planejamento à sua gestão.

O tucano explica que Lula não aceita as restrições estabelecidas pela legislação aos repasses de verbas federais a Estados e municípios nos três meses que antecedem as eleições porque não consegue distribuir adequadamente gastos e investimentos.

O que falta ao governo federal é planejamento. Quando ele não planeja, ele fica com o problema que está hoje: no último momento quer gastar e não consegue gastar. Eu acho que é uma lei preventiva. Eu não vejo problemas nela”.

O governador mineiro lembra que enfrenta as mesmas limitações impostas ao presidente, mas, na sua avaliação, uma das características do governo Lula é a lentidão, razão pela qual um mecanismo preventivo vira um problema.

Quem te chamou de ladrão?

O presidente Lula, mais uma vez, se comparou ontem ao ex-presidente Juscelino Kubitschek, que ficou mais conhecido depois da minissérie da Rede Globo, JK.

O Juscelino Kubitschek, que hoje é tido como o mais importante presidente da história do país, é uma pena que vocês todos não tivessem nascido para ver como é que foi o mandato do Juscelino Kubitschek. Ele era chamado de ladrão todo dia, ele era provocado todo santo dia e ele não perdia a calma. As ofensas que faziam a ele, eles fazem pior a mim".

Será que o presidente ouviu alguma coisa nas manifestações de domingo pelas ruas do País?

Novo engavetamento

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), vai determinar o arquivamento do segundo pedido de criação de uma CPI para investigar o presidente Lula e o presidente do Sebrae, Paulo Okamotto.

Renan argumentará que a Constituição veda que o presidente da República, na vigência de seu mandato, seja responsabilizado por atos “estranhos ao exercício de suas funções”.

Graças ao poder engavetador do governista Renan Calheiros, falhou a segunda tentativa do senador Almeida Lima (PMDB-SE) de criar uma comissão para investigar o pagamento da dívida de R$ 29 mil e 400 reais do presidente Lula feito presidente do Sebrae.

Na primeira vez, o requerimento de Almeida Lima foi arquivado porque não haveria fato determinado que justificasse a criação da CPI.

Reflexão do Gabeira

Um trecho do artigo do deputado federal Fernando Gabeira, do Partido Verde, criticando o crime organizado que domina o Congresso e a República, é um retrato justo e perfeito da conjuntura política atual:

“Enquanto não se desvendar o elo entre as quadrilhas que queimam ônibus,metralham policiais, fuzilam inocentes e os bandidos que nos cercam, poucosvão sentir a humilhação que sinto. E quando falo de vínculo não me refiroa advogados, emissários ou mesmo um ou outro deputado que possa estar ligadoao crime organizado. Refiro-me ao plano simbólico tão bem expresso na célebrefrase carioca: está tudo dominado”.

"O tudo dominado revela-se não apenas em números mas também em encenaçõesfalsas, pequenas omissões, um rígido controle da agenda para que venha àtona o debate dos verdadeiros problemas do País”.

"Aqui as matracas, os 'treisoitões', as bananas de dinamite transfiguram-seem questões de ordem, permita-me um aparte, regimentos internos. Aqui eali, no Planalto, onde instalamos um governo destinado precisamente a mudartudo isso e que, no fim das contas, apenas exacerbou o processo, degradando-see nos degradando”.

Ainda bem, Gabeira, que o povo já está acordando e saindo às ruas, como no último final de semana, para exigir o fim do governo do crime organizado no Brasil.

Será que vem mais pizza?

O relator da CPI dos Bingos, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), promete apresentar no dia 7 de junho o relatório final dos trabalhos da comissão.

Até lá, a CPI não deve aprovar novos requerimentos de convocação de depoentes.

Na sessão de ontem, os governistas conseguiram derrubar diversos requerimentos que pediam a convocação de ilustres e poderosas figuras, como o banqueiro Daniel Dantas, do empresário Marcos Valério de Souza e do ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso.

Preparando a Impunidade Parlamentar

A CPI dos Bingos aprovou apenas a convocação da ex-mulher de Rogério Buratti.

Elza Gonçalves Buratti pode complicar, um pouco, a vida do ex-marido (que a trocou por uma das meninas de Jeany Mary Córner) e de Antônio Palocci Filho – que anda meio sumido do noticiário.

O ex-ministro anda em silêncio obsequiso, orientado por seus advogados, preparando o lançamento de sua candidatura a Deputado Federal.

Palocci espera contar com a ajuda dos eleitores para conseguir, de volta, o foro privilegiado para ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal.

Delúbio é um gênio

Em seu depoimento ontem na CPI dos Bingos, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares usou um argumento genial para negar, pela enésima vez, a existência de caixa dois no Partido dos Trabalhadores, e justificar a grana que o PT pegou emprestada nos bancos Rural e BMG, com o aval do carequinha Marcos Valério:

O dinheiro que nós pegamos é um dinheiro contabilizado para pagar despesa não contabilizada. Isso é diferente de caixa dois, que todos aqui sabem como funciona”.

Mas quando foi indagado por um dos senadores da comissão sobre o funcionamento do caixa dois, o ex-tesoureiro desconversou:

Eu não sei!”.

Delúbio deu a resposta mentirosa ao senador com aquele sorrisinho cínico de sempre...

Nada a acrescentar

O depoimento de Delúbio Soares nada acrescentou ao que havia dito em outras CPIs.

Sobre a última denúncia envolvendo seu nome, de que teria pedido, em nome do PT, US$ 50 milhões de dólares a Daniel Dantas, para que o governo Lula facilitasse os negócios como banqueiro, Delúbio afirmou que isso nunca aconteceu.

Delúbio negou todas as acusações que lhe são imputadas, até de uso de caixa dois pelo partido na campanha de 2002 do presidente Lula.

Delúbio afirmou desconhecer empréstimos de bingos para a campanha do presidente Lula

Insinceridades irritantes

O depoimento do ex-tesoureiro do PT provocou irritação nos parlamentares da oposição. O senador José Agripino Maia (PFL-RN) ficou pau da vida com Delúbio:

O depoimento não teve nenhum compromisso com a verdade. Foi mais um festival de insinceridades”.

Para o relator da comissão, Garibaldi Alves (PMDB-RN), o depoimento de Delúbio não acrescentou nada às investigações, mas o petista teria entrado em contradição ao tratar dos empréstimos feitos ao PT.

A Senadora Heloísa Helena (PSOL-AL) observou que Delúbio mentiu sobre o assunto, já que seria impossível tomar um empréstimo para o PT sem autorização de pelo menos quatro pessoas: os ex-presidentes do partido, José Genoino, José Dirceu, Lula da Silva, e o ex-secretário-geral do PT, Sílvio Pereira, o Silvinho.

Tá tudo dominado!

O ex-deputado Carlos Rodrigues (PL-RJ), conhecido como Bispo Rodrigues (da Igreja Universal do Reino de Deus), conseguiu habeas corpus para deixar a prisão.

Ele foi um dos detidos pela Operação Sanguessuga da Polícia Federal, suspeito de envolvimento com a máfia das ambulâncias.

Mas o bispo e outros 43 sanguessugas foram salvos porque o Tribunal Regional Federal da 1ª região declinou da competência para julgar parlamentares federais que teriam participado do esquema de compra superfaturada de ambulâncias com dinheiro do Orçamento da União.

Pressão pela CPI

A incumbência de julgar os sanguessugas caberá ao Supremo Tribunal Federal, que deverá processar e julgar todos os inquéritos do caso.

Como todos os procedimentos investigatórios em curso na 2ª Vara de Mato Grosso serão remetidos ao STF, Bispo Rodrigues e outros 43 suspeitos de envolvimento na fraude serão soltos.

Inconformado com a sentença do TRF, um grupo de deputados aumentou a pressão pela abertura da CPI dos Sanguessugas.

Tá tudo dominado mesmo!

Como parte da Operação Castores, que investiga uma quadrilha acusada de fraudar licitações da Itaipu Binacional e de outras estatais do setor elétrico, a Polícia Federal prendeu ontem, em Brasília, o assessor legislativo José Roberto Parquier, que trabalha no gabinete do senador Waldir Raupp (PMDB-RO).

Também foi preso Luiz Geraldo Tourinho Costa, engenheiro da Eletronorte.

Ambos fariam parte da quadrilha suspeita de falsificar documentos públicos e estelionatos que teriam sido cometidos por funcionários contratados pelas estatais em Brasília, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

As investigações que resultaram nos mandados de prisão começaram em 2005.

A PF suspeita do envolvimento de diretores da multinacional Alston, que teriam oferecido propinas para facilitar a liberação de pagamentos e a redução de multas.

Tirando criminosos da internet

Representantes do Congresso brasileiro acertaram ontem com a Google suspender das páginas do Orkut as comunidades consideradas criminosas pela Polícia Federal.

Cinco comunidades serão suspensas das páginas do Orkut em 24 horas: a que pede o assassinato do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a que promete explodir o Congresso Nacional, uma de pedofilia infantil sobre crianças de zero a um ano de idade, outra que ensina técnicas de terrorismo e uma supostamente criada pela organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), responsável pela onda violência e rebeliões prisionais em São Paulo semana passada.

Como os servidores do Orkut estão hospedados nos EUA, as autoridades brasileiras dependem da cooperação da companhia para flagrar criminosos.

PCC fora do ar

O PCC se organiza na internet para comprar armas, acertar ações contra policiais.

Muitos policiais mortos em São Paulo têm suas fotos estampadas na comunidade.

A retirada do ar da comunidade do PCC vai dificultar a ação do grupo, que age como outros grupos terroristas, ligados a políticos: usam a Internet para disseminação de ações de informações de terror, além de usar a rede para comunicações rápidas sobre os negócios do crime.

Quem financia a Tia?

A advogada Maria Cristina de Souza Rachado revelou ontem, em depoimento à CPI do Tráfico de Armas, que recebe mensalmente R$ 2 mil pela defesa do líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Camacho, o Marcola.

O pagamento é feito por uma tia do criminoso, conhecida como Maria Aparecida.

A advogada disse que não pode revelar em público o nome completo da tia de Marcola por uma questão de segurança.

De acordo com Maria Cristina, a tia de Marcola trabalha como ambulante em São Paulo e faz o pagamento mensal dos honorários da advogada em dinheiro.

Ela também não sabia de nada...

No início da sessão, Maria Cristina disse que não sabia que Marcola pertencia ao PCC.

A deputada Laura Carneiro (PFL-RJ) ficou irritada com a manobra da advogada e detonou.

Não nos faça de idiota e diga que não sabe que ele faz parte de uma organização criminosa”.

Maria Cristina aproveitou a fala para fazer uma cena. Chorou e disse estar sendo injustiçada, porque a chamaram das piores coisas, de bandida e de pilantra, o que ela afirmou não ser.

Comprar o áudio por R$ 200 foi legal...

Também depondo na CPI, o advogado Sérgio Wesley da Cunha, suspeito de ter comprado o áudio de uma sessão secreta da CPI do Tráfico de Armas, voltou a negar que tenha alguma ligação com a organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

O advogado Sérgio Wesley da Cunha entregou aos integrantes da CPI do Tráfico das Armas a cópia que obteve do áudio da sessão secreta da comissão, adquirida do técnico de som que prestava serviço à Câmara dos Deputados.

Cunha considerou “absolutamente lícita” a obtenção do CD com a gravação da sessão.

O PCC também não sabia de nada...

O advogado Sérgio Cunha negou ter repassado o conteúdo para integrantes da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Cunha argumentou que pediu o áudio para melhorar a defesa de seu cliente Leandro Lima de Carvalho, acusado de tentar libertar da prisão o líder do PCC, Marcos Camacho, o Marcola. O cliente de Cunha foi ouvido pela CPI em 10 de maio.

O advogado afirmou ter certeza de que o áudio não teve nenhum papel na onda de violência e rebeliões em presídios promovidas pelo PCC em São Paulo.

Advogados não se entendem

Os advogados Maria Cristina de Souza Rachado e Sérgio Wesley da Cunha não conseguem firmar uma versão única para o episódio da obtenção de cópias de áudio de uma sessão secreta da CPI do Tráfico de Armas.

Na acareação entre os dois advogados, Cunha negou que tivesse abordado o técnico de som para pedir a cópia dos depoimentos.

Questionado pelos deputados se a abordagem havia sido feita por Maria Cristina, Cunha disse apenas que não iria acusar ninguém.

Maria Cristina, por sua vez, afirmou que foi o colega que procurou o técnico para conseguir o CD com as gravações.

A advogada alegou que chegou a avisar Cunha sobre o risco da situação, que, segundo ela, “seria uma roubada”.

Onde ouvirão Marcola?

A CPI do Tráfico de Armas decidiu que tomará o depoimento do líder da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Camacho, o Marcola, no Fórum da Barra Funda, na capital paulista.

A data do depoimento ainda não foi marcada pelo presidente da CPI, deputado Moroni Torgan (PFL-CE).

A maioria dos integrantes da comissão entendeu que um eventual comparecimento de Marcola ao Congresso para prestar depoimento seria um palco ao bandido, num depoimento que seria transmitido pela TV Câmara para todo o País, inclusive para os presídios.

A presença de Marcola nas dependências da Câmara foi vetada pelo presidente da Casa, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

Cadê a listinha?

Em vez de divulgar a lista dos 109 suspeitos mortos em confronto com a polícia, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo apresentou ontem novos números informando que são 79 os criminosos mortos pela polícia nos ataques da facção criminosa contra bases policiais e prédios públicos na semana passada.

Outras 31 mortes ocorreram nas ações policiais em atos criminosos sem ligação com os ataques e classificados pelo comandante da Polícia Militar, coronel Elizeu Eclair Teixeira Borges, de “resistências normais, provenientes de roubos a padarias, casas ou bancos”.

Depois de pressionada pelo Ministério Público Estadual e pelo Federal e por entidades de direitos humanos, a secretaria passou de 109 para 110 o total de suspeitos mortos pela polícia, mas reduziu a 79 o número de mortos por causa dos ataques que pararam São Paulo.

Pela nova classificação, dos 79 mortos nos ataques dos criminosos, 62 morreram em “confronto imediato” com policiais.

Números que batem

Relatório com informações detalhadas sobre as 130 pessoas mortas a tiros entre os últimos dias 12 e 19, período em que foram feitos ataques do crime organizado em massa em São Paulo, será entregue hoje pelo Conselho Regional de Medicina (CRM-SP).

Com base em depoimentos de parentes de mortos ao longo dos ataques em São Paulo, o Movimento Nacional de Direitos Humanos estima que cerca de 30 eram inocentes e teriam sido assassinadas numa possível onda de extermínio deflagrada por policiais.

O número praticamente coincide com a diferença de 31 nomes entre os que até ontem teriam participado da facção que praticou atentados (110) e o novo total de suspeitos (79), segundo o governo.

O Movimento de Direitos Humanos, que faz parte da comissão criada especialmente para acompanhar as investigações no âmbito criminal, juntamente com o Ministério Público Federal, o Conselho Regional de Medicina e a Defensoria Pública, tenta saber se esses homicídios foram praticados por policiais ou por grupos que teriam se aproveitado da série de ataques para praticar execução em massa.

Mortes investigadas

A Ouvidoria de Polícia de São Paulo investiga 61 mortes de civis atribuídas a policiais civis e militares em 41 ações nas últimas duas semanas.

O motivo das investigações é a suspeita de abusos e arbitrariedades supostamente cometidos por policiais na reação aos ataques desencadeados pelo crime organizado. Esses mortos, segundo a polícia, tinham ligações com o crime.

A Ouvidoria investiga também a possibilidade de grupos de extermínio integrados por policiais terem assassinado outros 12 jovens com idades entre 17 e 29 anos. Essas vítimas não tinham passagens pela polícia.

Coincidências em 41 casos

Segundo os boletins de ocorrência em poder da Ouvidoria, em todas as 41 ações a história é a mesma: policiais foram atacados por criminosos armados e reagiram aos ataques, matando os inimigos em legítima defesa.

Em todos os casos, segundo os boletins, foram aprendidos armamentos com as vítimas.

A Ouvidoria quer saber se os relatos dos boletins correspondem à verdade, já que em muitos casos as famílias das vítimas contestam a versão da polícia e dizem que houve execução.

O ouvidor da Polícia de São Paulo, Antonio Funari Filho, admite que pode ter havido excessos.

Greve penitenciária

Guardas de presídios vinculados ao Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo (Sindasp) entraram em greve ontem.

Eles reivindicam melhores condições de trabalho, extensão do abono salarial e a demissão do secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa.

Pedem ainda autorização para o porte de arma fora do local de trabalho. Segundo o sindicato, sete mil agentes aderiram à paralisação em 50 unidades prisionais.

A Secretaria de Administração Penitenciária informou, no entanto, que apenas oito das 144 unidades foram afetadas parcialmente pela paralisação e não disse quantos dos 20.280 agentes estão parados.

Conivência investigada

O Conselho Penitenciário do Estado decidiu ontem criar um grupo para investigar a conivência dos agentes que atuam nessas unidades com o crime organizado.

O conselho pretende apurar denúncias de que funcionários de penitenciárias fazem vistas grossas nas revistas, permitindo que os presos tenham acesso a celulares e armas.

A partir da próxima semana uma comissão formada por 12 pessoas ainda visitará os 27 Centros de Detenção Provisória (CDPs) da capital paulista para elaborar, dentro de um ano, um raio-x do sistema prisional.

Reunidos a portas fechadas, os integrantes do conselho resolveram ainda criar uma comissão executiva para fazer interlocução com o governo paulista em situações de crise, como a que foi provocada pela onda de atentados provocada por líderes de uma facção criminosa presos em diferentes unidades prisionais do estado.

Recado da Anistia Internacional

A Anistia Internacional divulgou mundialmente ontem seu relatório anual sobre a aplicação dos direitos humanos em 150 países investigados por seus pesquisadores em 2005.

No capítulo sobre o Brasil, a entidade faz um alerta sobre a segurança pública, que ganha fortes contornos por causa da onda de terror provocada pela facção criminosa em São Paulo e pela reação da polícia, ocorridas após a produção do relatório.

A Anistia Internacional critica as condições das prisões no Brasil, destacando a violência entre os prisioneiros, os motins freqüentes, o aumento da população carcerária e os abusos dos policiais, além do desrespeito aos padrões internacionais de proteção dos detentos.

Apelo aos brasileiros

Ao divulgar o relatório, a entidade fez um apelo para que os brasileiros cobrem soluções dos governantes diante do terror, comandado de dentro das prisões.

Recomenda que os cidadãos não aceitem retrocessos nos direitos humanos num momento em que o país acaba de conquistar uma vaga no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas e precisará dar um bom exemplo ao mundo.

O documento da Anistia Internacional reclama que faltaram iniciativas dos governos para as necessárias reformas na segurança pública no País.

Recado para Lula

O documento da Anistia Internacional dá uma detonada no presidente Lula:

O presidente Lula disse que a culpa pela violência em São Paulo não é dos governantes, mas da sociedade. Discordamos. Os governos devem fazer as mudanças que prometem e precisam ser responsabilizados. O que aconteceu foi uma explosão graças aos desmandos de governos e de um contínuo desrespeito aos direitos humanos”.

Foi o que disse o britânico Tim Cahill, do escritório da Anistia para o Brasil em Londres.

O capítulo brasileiro destaca que pobres e excluídos continuam a ter seus direitos violados e cobra promessas de Lula e dos governos estaduais.

Situação feia em Mato Grosso do Sul

O Mato Grosso do Sul solicitou a presença da Força Nacional de Segurança para reforçar a vigilância de presídios e auxiliar no policiamento urbano.

O governador do Estado, Zeca do PT, entregou o pedido oficial de ajuda ao ministro da Justiça (que não existe), Márcio Thomaz Bastos.

Na semana passada, ocorreram rebeliões em quatro presídios, os de Campo Grande, de Dourados, de Três Lagoas e de Corumbá.

O governo chegou a decretar situação de emergência e afirmou que havia um colapso do sistema penitenciário. As cadeias foram depredadas e a secretária de Segurança Pública do Estado teme que haja fuga de prisioneiros.

Perdido no espaço

O ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, garantiu ontem que a crise política não prejudicou o Brasil.

A crise não foi ruim para o País. Na minha opinião houve exageros, erros do governo e do partido nesse período. Mas o proveito que temos de tirar é promover a solidez das instituições democráticas”.

Para o ministro, outro exemplo de que a crise não prejudicou o Brasil é a pouca repercussão dela na avaliação do presidente Lula nas pesquisas de opinião.

No entender do ministro, “a crise já dá sinais de esgotamento, pelo tipo de abordagem que a imprensa vem fazendo”.

Novas regras eleitorais

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu ontem aplicar neste ano quase integralmente a lei que instituiu novas regras eleitorais para arrecadação, gastos, prestação de contas e propaganda de candidatos.

Foi adiada a aplicação de apenas três pontos da lei, entre os quais o que proíbe a divulgação de pesquisas eleitorais nos 15 dias que antecedem as eleições e no dia da votação.

Os ministros consideraram que essa proibição violaria o princípio constitucional do direito à informação (artigo 220).

Também não valerá neste ano a norma que prevê a aprovação, pelo Congresso, até o dia 10 de junho, de lei específica fixando o limite de gastos de campanha para os cargos em disputa.

O terceiro item que não vigorará neste ano é o cálculo do tempo de TV de cada partido com base na bancada eleita, não a existente no início da legislatura, em fevereiro

Astronauta rumo às urnas?

O Via Fanzine, de Pepe Chaves, informa: O tenente-coronel-aviador Marcos César Pontes entrou para a Reserva da Força Aérea Brasileira (FAB), pouco após cumprir missão espacial pela Agência Aérea Brasileira (AEB) em parceria com a NASA.

Oficialmente, nem a FAB nem a AEB se manifestaram sobre a transferência de Pontes para a Reserva.

Sabe-se, porém, que o tenente-coronel, tinha planos de continuar em Houston (EUA), desenvolvendo trabalhos na NASA.

Mas Pontes almeja seguir carreira política, podendo se candidatar a deputado federal pelo Estado de São Paulo nas eleições desse ano.

Batendo nos adversários

O presidente Lula resolveu atacar ontem seus adversários, mas sem cita-los nominalmente.

Durante visita ao trecho da ferrovia Norte-Sul entre as cidades de Arguaína e Aguiarnópolis, no Tocantins, Lula disse que o país ainda está repleto de políticos que não gostam de “pobre”:

Neste País, tem um tipo de político que não gosta de pobre, tem um tipo de político que não respeita os trabalhadores, que acha que a gente dar dinheiro para a pessoa comprar arroz e feijão para comer é assistencialismo”.

Adversários genéricos

Durante todo o discurso, o presidente tratou os adversários apenas por um genérico “eles”, a quem acusou de apostarem no fracasso do País.

Tem um tipo de político no Brasil que, por mais experiência que tenha, por mais mandatos que tenha, por mais cargos que tenha exercido, está sempre torcendo para que as coisas não dêem certo no Brasil, para ver se eles voltam. Vocês acompanham a política, vocês vêem televisão, vocês ouvem rádio, lêem jornal e vocês percebem claramente que há neste país um conjunto de pessoas que torce para o país não dar certo”.

Punição para o apedeuta

O PSDB entrou ontem com um recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para tentar reverter uma decisão tomada por um ministro da Corte contrária a ação movida pelos tucanos contra o presidente Lula.

Os tucanos insistem que o presidente da República, em discursos proferidos no dia 21 de janeiro, no Acre, teria ferido a lei eleitoral.

O ministro Marcelo Ribeiro, em sua decisão, avaliou que o presidente Lula não fez em nenhum dos discursos proferidos naquele dia qualquer alusão à sua possível candidatura nas eleições de outubro.

O recurso dos tucanos deverá ser julgado pelo plenário do TSE.

Batendo no Lula

Lula gosta dos pobres, mas trabalha para os ricos”.

Foi assim que o pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, respondeu à declaração do presidente Lula de que existem no Brasil políticos que não gostam de pobres e torcem para tudo dar errado a fim de que sejam reconduzidos ao poder.

Alckmin passou a terça-feira no Rio Grande do Sul, onde tomou café da manhã com líderes do setor rural e parlamentares do PSDB, PP, e PFL e, à tarde, visitou a 14ª Feira Nacional do Arros (Fenarroz).

Nova ação judicial

O PSDB também entrará na Justiça Eleitoral contra a propaganda eleitoral apresentada pelo PT na segunda-feira.

Tucanos avaliam que o partido de Lula violou a lei porque fez propaganda eleitoral antes do permitido.

Eles também criticam a “exploração da violência” ocorrida em São Paulo para fins eleitorais.

No programa petista, o senador e candidato ao governo do Estado, Aloizio Mercadante, criticou o governo paulista e apresentou dados que provariam o suposto investimento do governo Lula na segurança pública e a inatividade de governo tucanos.

Atrás do Imperador

O senador José Jorge (PFL-PE), vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin, terá um encontro com o prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia (PFL), na sexta-feira, na capital fluminense.

A idéia partiu do tucano Alckmin, que espera que José Jorge possa trabalhar dentro do PFL para fortalecer a aliança com os tucanos.

Depois do encontro com Maia, o senador pernambucano irá para Santa Catarina, onde participará do primeiro evento ao lado de Alckmin.

A formalização da aliança PSDB-PFL está marcada para uma solenidade na próxima segunda-feira, em Recife (PE).

Pressão do campo

Agricultores paulistas, baianos e sul-mato-grossenses voltaram a promover manifestações em seus Estados nesta terça-feira para pressionar o governo Lula a estabelecer uma política de preços mínimos, a reduzir a carga tributária do setor e a rever a política cambial.

Os produtores rurais mantiveram a estratégia de interromper o tráfego de rodovias federais, desobedecendo a decisão da Justiça federal que proibiu os bloqueios de estradas.

No Mato Grosso do Sul, houve interrupção da passagem de carros entre cidades ou suspensão do tráfego por períodos de uma hora.

Em São Paulo, os agricultores espalharam tratores em algumas vias e provocaram muita confusão. Na Bahia, as máquinas estacionadas nas pistas resultaram em grandes congestionamentos.

Teoria da invasão

A vice-chanceler da Venezuela para assuntos da América do Norte, Maripili Hernández, avisou que “mais cedo ou mais tarde” os EUA invadirão o país sul-americano para se apropriarem das “reservas comprovadas de petróleo mais importantes do planeta”.

A diplomata de Hugo Chávez advertiu que a invasão “não será para hoje, para amanhã ou para o mês que vem”, mas que acontecerá porque os americanos precisam do petróleo venezuelano para manter seu “nível de vida com esses níveis de consumo”.

Maripili também criticou a declaração do presidente dos EUA, George W. Bush, que disse na segunda-feira “estar preocupado com a erosão da democracia” na Venezuela e na Bolívia.

Para ela, a afirmação é “muito engraçada, porém, mais engraçado é que ele Bush diga que não é bom que os países se metam nas eleições de outros país, pois parece que ele está fazendo uma autocrítica”.

Esquerda que a Condie gosta...

A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, mandou mais um recado ontem ao presidente da Venezuela.

Condie advertiu que o que preocupa Washington na América Latina não são os governos de esquerda, mas “os governos que governam de maneira irresponsável”.

Segundo ela, o panorama político da região é misto: “Há governos de esquerda com os quais nos sentimos muito confortáveis. Com o governo do Brasil temos excelentes relações. Com o governo do Chile, temos excelentes relações, e esses são governos de esquerda. Não gostaria de colocar os governos de Brasil e Chile na mesma categoria que um governo como o da Venezuela”.

Rice lembrou que tanto o presidente Lula quanto a presidente Michelle Bachelet “foram democraticamente eleitos” e “governam de maneira democrática”, com “políticas econômicas abertas”.

Medo dos chineses

Um relatório do Pentágono, entregue ao Congresso dos EUA sobre os investimentos militares da China, revela que as lideranças de Pequim não explicaram satisfatoriamente sua expansão na área e seus objetivos a longo prazo.

Segundo o documento, “o mundo tem pouco conhecimento das motivações chinesas” para decidir modernizar suas forças e os investimentos do governo de Pequim na área militar são duas ou três vezes maiores do que divulgados.

O relatório informa que “vários aspectos do desenvolvimento militar da China surpreenderam os analistas americanos, incluindo o ritmo e o alcance da modernização de suas forças estratégicas”.

O termo “forças estratégicas” é uma referência a armas nucleares de longo alcance. Ainda de acordo com o estudo do Pentágono, os militares chineses estão investindo para mudar o seu Exército, “tornando-o mais moderno, capaz de lutar conflitos de curta duração e muito intensos contra adversários que possuem alta tecnologia”.

Novo homem da águia por aqui

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, designou ontem como novo embaixador americano no Brasil Clifford Sobel, um dos principais arrecadadores de fundos para campanhas políticas republicanas.

Sobel foi embaixador dos EUA na Holanda entre 2001 e 2005. Sua indicação para ocupar a embaixada no Brasil ainda terá de ser aprovada pelo Senado norte-americano.

Em 2004, Sobel e sua esposa Barbara reuniram mais de US$ 300 mil para a campanha presidencial de Bush.

Brigando com o Chávez

O Ministério das Relações Exteriores orientou um grupo de companhias brasileiras a recusar o convite feito pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, a compor uma missão empresarial na Bolívia.

Para o Itamaraty, Chávez ultrapassou os limites, pois sua iniciativa significa coerção, em especial sobre empreiteiras que conduzem obras de infra-estrutura na Venezuela.

Os amigos do Foro de São Paulo começam a brigar entre si...

Dinheiro fugindo do Brasil

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrou nova saída expressiva de capital externo no dia 19 de maio, de R$ 287 milhões mil reais, depois da fuga de R$ 570 milhões no pregão anterior.

O saldo negativo acumulado em maio aumentou para R$ 907 milhões 784 mil.

Mas neste ano de 2006, o fluxo de capitais permanece positivo em R$ 2 bilhões 317 mil reais.

Leitura de Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva jurou ontem que não haverá mudanças no câmbio nem na política econômica, seja por causa das eleições, seja por causa das variações do mercado financeiro.

"Enganam-se aqueles que pensam que vamos abrir mão da nossa responsabilidade fiscal. Eu digo sempre o seguinte: não haverá processo eleitoral que me faça fazer que não haja seriedade no controle fiscal".

Avisou que o câmbio continuará flutuante, pois a economia brasileira está "tranqüila".

Lula creditou as recentes oscilações do dólar e da Bolsa a turbulências externas.

Solução para a Varig

A Comissão de Infra-Estrutura do Senado realizou uma reunião a portas fechadas na noite de ontem para avaliar a situação da Varig, considerada ainda mais grave depois que o BNDES recusou o empréstimo-ponte para três empresas que estavam interessadas em obter financiamento para participar do leilão da companhia aérea.

Precisam-se de pelo menos US$ 50 milhões para levar a Varig até o leilão.

O dinheiro pagaria dívidas de leasing com empresas americanas que ameaçam retomar duas aeronaves por falta de pagamento.

Mas se nenhuma fonte federal liberar os recursos, empresas estatais credoras da Varig poderão transformar em ações da companhia aérea os créditos que têm contra a empresa.

Outra possibilidade seria acelerar o pagamento de precatórios judiciais de ações ganhas pela Varig contra governos estaduais.

Que vergonha!

Dono do mais importante acervo de arte moderna da América Latina, com mais de 7.000 obras de artistas como Vincent van Gogh, Claude Monet e Pablo Picasso, o Museu de Arte de São Paulo, o Masp, teve seu fornecimento de energia elétrica cortado às 7h de ontem pela Eletropaulo devido à falta de pagamento de uma dívida com a concessionária de energia.

O Masp passa por crise financeira que ontem afetou sua infra-estrutura.

Com uma dívida com a Eletropaulo de R$ 3 milhões e 470 mil, acumulados em um período de sete anos de inadimplência, a administração e a reserva técnica só funcionaram graças a geradores de energia movidos a diesel, segundo nota distribuída pela diretoria do Masp.

Imprensando a Imprensa

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) pediu ao Brasil que garanta a segurança dos jornalistas e dos meios de comunicação, após o incêndio na sede do jornal "Imprensa Livre", de São Sebastião, no litoral norte do estado de São Paulo.

No último dia 18, quatro encapuzados, armados com escopetas e pistolas, invadiram a sede do jornal. Segundo declarações à imprensa do editor-chefe do "Imprensa Livre", Igor Verltan, os agressores, supostamente ligados ao crime organizado, "ordenaram que todos se retirássemos e queimaram a impressora".

"Enquanto incendiavam tudo, diziam que não devíamos informar mais nada sobre o PCC".

O presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação da SIP, Gonzalo Marroquín, pediu às autoridades que "iniciem imediatamente uma investigação até levar os culpados à Justiça".

Osama é quem sabe de tudo

Em fita de áudio divulgada em um site da internet, o líder da organização terrorista Al Qaeda, Osama bin Laden, afirmou que o franco-marroquino Zacarias Moussaoui não teve nenhum envolvimento nas operações para os atentados de 11 de Setembro.

A autenticidade da fita ainda não foi comprovada, mas ela colocada em uma página da internet usada freqüentemente por integrantes da Al Qaeda.

Na gravação, o saudita avisou que Osama Bin Laden foi quem, pessoalmente, coordenou as tarefas dos 19 terroristas que seqüestraram os aviões em 2001.

No início deste mês, a Justiça americana condenou Moussaoui à pena de prisão perpétua por ligação com os ataques às cidades americanas.

Olho vivo...

O senado recebeu uma denúncia gravíssima contra uma operadora de celulares, que vem manipulando contas de clientes e arranjando débitos de anos passados, que o consumidor não pode comprovar.

Os senadores estudam como podem acionar a operadora, que está mandando para o SPC os nomes de vários clientes que não entram na armação.

Se a operadora não tomar cuidado, o caso pode virar uma CPI...

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:

jorgeserrao@gbl.com.br

Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total

http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

Nenhum comentário: