sexta-feira, 19 de maio de 2006

Lula decide processar a Veja, e manda abafar CPIs dos Sanguessugas e do Okamotto que podem respingar em seu governo

Edição de Sexta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Resumo no ar às 8h e Edição completa a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

O presidente Lula quer seu caminho livre de denúncias comprometedoras até a reeleição. Por isso decidiu processar a revista Veja pela reportagem desta semana que o apresenta como um dos titulares de uma conta no exterior. Lula teria 38 mil e 500 euros depositados em paraíso fiscal. Assessorado pela ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, o presidente também avalia se é melhor entrar com a ação imediatamente ou aguardar a investigação da Polícia Federal sobre a existência de contas no exterior de vários titulares do governo.

Para Lula, reportagem foi “mentirosa”, “leviana”, “criminosa” e “irresponsável”. Por isso, em princípio, ele pretende mover ações por dano moral, calúnia e difamação, reclamando até direito de resposta. O presidente avalia duas possibilidades. Ou contrata um advogado particular e processa a publicação como pessoa física ou, caso considere que a figura do presidente da República foi desrespeitada, recorre à Advocacia-Geral da União (AGU). O presidente ainda não sabe se vai acionar a revista ou os repórteres — Marcio Aith e Fábio Portela — que assinaram o texto ou se vai levar todos à Justiça.

Mas o governo ainda teme uma ação do senador Almeida Lima (PMDB-SE), que protocolou um novo pedido de criação de CPI para investigar o pagamento de uma dívida do presidente Lula com o PT pelo procurador e amigo pessoal Paulo Okamotto, atualmente presidente do Sebrae. Almeida Lima obteve 41 assinaturas no documento, 14 a mais que o mínimo necessário, em sua segunda tentativa de criar a comissão de investigação. Na primeira, ele havia proposto investigar, além do pagamento da dívida por Okamotto, outros quatro temas, mas o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), mandou arquivar a solicitação argumentando que não havia fato determinado que justificasse a iniciativa.

Outro temor do Planalto é que a CPI dos Sanguessusas acabe respingando no governo. Por isso o senador Tião Viana (PT-AC) já foi acionado e entrou com uma ação para impedir a investigação das denúncias de envolvimento de parlamentares no esquema de compra superfaturada de ambulâncias com recursos do Orçamento da União. O senador Tião avalia que a oposição vai querer usar a CPI para desgastar a relação da base aliada com o governo, já que pertence a ala governista a maioria dos 283 deputados suspeitos de receber propinas para apresentar emendar que facilitassem a compra de ambulâncias superfaturadas.

Lula versus agricultores

No momento em que produtores rurais promovem uma série de protestos em todo o país, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que, entre os representantes de fazendeiros, há “cretinices” e ações “oportunistas”.

O presidente colocou ontem em xeque a renegociação das dívidas dos produtores rurais:

Nem sei se vamos renegociar dívida com todo mundo. Isso é o que a imprensa está dizendo por aí. 'Essa é a primeira vez que fechamos um acordo com agricultores antes dos grandes fazendeiros. O pessoal da agricultura empresarial e do agronegócio vai querer os mesmos benefícios que vamos dar a vocês, vai virar uma chantagem”.

As declarações do presidente foram dadas ontem à noite a integrantes da Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura), durante reunião no Palácio do Planalto.

É por tais declarações que o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, já avisou que não fica em um eventual segundo governo “nem que a vaca tussa”.

Delúbio agendado

O presidente da CPI dos Bingos, Efraim Morais (PFL-PB), marcou o depoimento do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares para a próxima terça-feira, dia 23.

O objetivo da audiência é fazer com que Delúbio dê explicações sobre o suposto achaque que o PT teria feito ao banqueiro Daniel Dantas, dono do grupo Opportunity, para que fossem feitas doações a campanhas do partido.

A convocação de Delúbio estava aprovada desde março passado, a fim de que ele explicasse se o PT recebeu recursos de empresários de casas de bingo para a campanha de Lula em 2002.

Nova motivação

A CPI dos Bingos resolveu convocar Delúbio agora devido à entrevista de Daniel Dantas à revista Veja.

Segundo o banqueiro, em julho de 2003, Carlos Rodenburg — empresário e na época sócio dele — foi procurado por Delúbio Soares para que o Opportunity doasse entre US$ 40 milhões e US$ 50 milhões ao partido. Dantas revelou à Veja:

Foi uma sugestão de que, se déssemos uma quantia expressiva ao partido, eles poderiam nos ajudar a resolver as dificuldades que estávamos tendo com o governo”.

Rodenburg, ex-sócio do Opportunity, confirmou à Folha ter recebido em 2003 de Delúbio Soares, então tesoureiro do PT, um pedido para contribuir com o partido.

O dinheiro foi solicitado uns quatro meses depois de os petistas terem assumido o governo e era de algo entre US$ 40 milhões e US$ 50 milhões.

Proteção suprema

A CPI dos Bingos acumula sua terceira derrota no Supremo Tribunal Federal (STF) na batalha para tentar quebrar os sigilos bancário, fiscal e telefônico do empresário Roberto Carlos da Silva Kurzweil.

O amigão de Antônio Palocci é acusado de ter participado da operação de transporte de dólares do governo cubano para a campanha presidencial do PT em 2002.

O ministro Cezar Peluso concedeu liminar nesta quinta ao mandado de segurança apresentado pela defesa de Kurzweil contra o pedido da comissão.

Erro triplo

Mesmo sendo o terceiro pedido apresentado pela CPI dos Bingos para ter acesso aos dados do empresário, faltou no requerimento a chamada “limitação temporal” das informações.

Na decisão favorável a Kurzweil, o ministro do STF fez questão de lembrar que a CPI já havia cometido o erro duas vezes, e não se furtou de errar mais uma:

A menos que as informações provem outra coisa, admira, pois, que, ciente e advertida de tão clara exigência de ordem constitucional, não cuidasse a comissão de, nos novos atos, objeto deste mandado de segurança, sanar tão grave e irremissível defeito, que compromete a legitimidade da transferência de sigilos pretendida, sem que sobre pretexto para afetar que esta Corte embarace ou impeça investigações lícitas da CPI”.

CPI dos Sanguessugas

O deputado Raul Jungmann (PPS-PE) entrega hoje o requerimento para as Presidências da Câmara e do Senado pedindo a criação da CPI mista dos Sanguessugas.

O objetivo é investigar o envolvimento de parlamentares na compra superfaturada de ambulâncias com recursos de emendas.

Junto com o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), Jungmann colheu 190 assinaturas de deputados (19 a mais que o necessário) e 29 de senadores (2 a mais).

ACM dá recado

Se Renan Calheiros arquivar CPÌ dos Sanguessugas, é porque o nome dele também está envolvido no escândalo”.

A advertência é do sempre bondoso Senador Antônio Carlos Magalhães.

O cacique baiano do PFL adverte que, se Renan barrar mais esta CPI, vai entrar para a história como o engavetador do senado.

Haja prece, Rosinha

O fundo de pensão Prece se recusou a fornecer documentos sobre suas movimentações financeiras ao TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Rio.

Com base na negativa e na advertência do BC (Banco Central) sobre a suspeita de desvio de dinheiro do fundo para uso político no governo Rosinha Matheus (PMDB), o tribunal decidiu realizar uma inspeção extraordinária no Prece.

Além da inspeção extra, a falta da documentação fez o TCE recorrer à Justiça contra o fundo.

O tribunal de contas já tem indícios de que pelo menos R$ 300 milhões podem ter sido desviados desde que Rosinha assumiu o governo, em janeiro de 2003.

O Prece é o fundo dos servidores da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgoto), empresa de saneamento do governo do Estado.

Ação contra amigos

O TCE decidiu também pedir à governadora o afastamento da direção do Prece.

Ao Ministério Público pediu que inicie uma ação criminal contra o fundo.

O Prece uniu petistas e aliados do pré-candidato do PMDB à Presidência Anthony Garotinho na CPI dos Correios.

A inusitada aliança resultou na derrubada de proposta da quebra dos sigilos do fundo.
Garotinho designou políticos de sua confiança, como os deputados federais Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Carlos Willian (PTC-MG), para, nos bastidores da CPI, agirem pela não-aprovação da abertura das contas do Prece.

Itamar vem para o senado

O ex-presidente Itamar Franco vai anunciar na segunda-feira sua candidatura ao senado por Minas Gerais.

Essa será a posição oficial em relação a sua pré-candidatura à Presidência da República pelo PMDB.

Itamar quer abrir mão da candidatura (que nunca foi levada a sério por este blog) para apoiar uma chapa única do partido, encabeçada pelo senador Pedro Simon (RS), caso ela seja realmente confirmada.

Leituras da candidatura Simon

Tão certo da reeleição, o presidente Lula vê com bons olhos a candidatura de Pedro Simon.

Acha que a entrada do senador gaúcho na disputa só vai facilitar as coisas, na eventual polarização com o PSDB.

Lula aposta que Simon tira votos de Geraldo Alckmin, o que pode garantir a vitória reeleitoral do PT já no primeiro turno.

Leitura das pesquisas

Mas o feitiço pode virar contra os feiticeiros.

O Imperador do Rio, Ceasar Maia, um especialista em análises de pesquisas, adverte que existem pré-condições para o nome de Pedro Simon emplacar como alternativa a Lula/Alckmin:
Pesquisas telefônicas indicam que há em torno de 40% dos eleitores -que procuram uma alternativa a disjuntiva Lula/Alckmin. Não surgindo, terão que optar neste sistema binário. Surgindo, poderia vir a ser um tercius. É neste vácuo que há espaço para o crescimento de uma candidatura com forte base regional e de perfil socìal e democrático. O senador Pedro Simon se enquadra neste perfil”.

Atrás do empate no Nordeste

O candidato do PSDB ao Planalto, Geraldo Alckmin, aprovou o nome do senador José Jorge (PE) como indicado pelo PFL para vice na chapa tucano-pefelista para as eleições presidenciais deste ano.

José Jorge afirmou que pretende usar a sua naturalidade para puxar votos para Geraldo Alckmin no Nordeste.

Para o senador pefelista, o desafio é fazer com que Alckmin seja mais conhecido.

O presidente Lula já foi candidato cinco vezes e Alckmin é candidato a presidente pela primeira vez. Todo mundo conhece Lula, mas 50% não conhece Alckmin”.

PCC e máfia dos concursos

Além de controlar praticamente todos os 140 mil presos no estado de São Paulo e comandar um exército de 500 mil homens fora dos presídios, a facção criminosa Primeiro Comando da Capital mantém conexões com a máfia dos concursos em Brasília.

A informação é confirmada pela Polícia Civil do Distrito Federal.

Gravações telefônicas feitas pela corporação flagraram integrantes do PCC encomendando o gabarito do concurso para agente penitenciário.

Para completar, o PCC planeja eleger deputados federais este ano.

Números da guerra

Na maior guerra urbana já deflagrada em São Paulo por causa do confronto entre o crime organizado e policiais, o número de mortos no estado não pára de crescer.

Nos últimos sete dias, 152 pessoas foram assassinadas, sendo 107 suspeitas de participar da organização criminosa que mudou a rotina de 40 milhões de paulistas.

A polícia, que teve 41 policiais assassinados desde a última sexta-feira, assume que 107 pessoas foram mortas em confronto com suas tropas, mas mantém em sigilo a lista com os nomes dos mortos suspeitos.

O governo de São Paulo diz que só vai divulgar os nomes dos supostos bandidos mortos depois que tiver aberto todos os inquéritos policiais que investigarão os crimes cometidos por eles.

Nos três primeiros meses do ano, segundo registro do governo paulista, as polícias Civil e Militar mataram 117 pessoas em confronto no estado.

Marcola será ouvido

O presidente da CPI do Tráfico de Armas, deputado Moroni Torgan (PFL-CE), pretende marcar na próxima semana o local em que será ouvido o líder da facção criminosa do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Willians Herba Camacho, o Marcola.

O requerimento que autoriza a convocação de Marcola foi aprovado no último dia 3, antes da explosão da violência em São Paulo.

A audiência com o criminoso poderá ser na Câmara ou na penitenciária de Presidente Bernardes (SP), onde ele está preso.

Cabrini revela sua façanha

Embora as autoridades penitenciárias de São Paulo afirmem que o criminoso esteja incomunicável, no presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes, a Band divulgou conversa que o jornalista Roberto Cabrini teria tido com Marcola por telefone.

O repórter explicou que, “através de membros do PCC que estão fora dos presídios”, teve “acesso a reuniões da cúpula da organização criminosa, reuniões feitas por meio da telefonia celular” e que foi colocado em contato com o comandante da organização.

Durante a noite de quarta-feira, eles nos deram acesso ao líder Marcola, cuja voz foi identificada por pessoas próximas a ele, incluindo os advogados dele”.

Entrevista irreal?

O governador de São Paulo, Cláudio Lembo (PFL), não acredita até agora na veracidade da suposta entrevista concedida pelo líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Camacho, o Marcola, à TV Bandeirantes.

Lembo insistiu que o criminoso está incomunicável - segundo seu secretário de Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa.

“Segundo o secretário Nagashi, a entrevista é irreal, portanto, devo compreender que meu secretário está correto e que houve algum problema na captação desta voz”.

O que disse “Marcola”

Falando pelo celular, de dentro da penitenciária de segurança máxima de Presidente Bernardes (SP). Marcola admitiu que novas ações poderão ser realizadas no Estado de São Paulo e negou que tenha feito um acordo com o governo paulista para interromper a onda violência.

Confirmou que a facção criminosa é a responsável pelos ataques ocorridos nos últimos dias em São Paulo.

Marcola explicou que os ataques foram planejados na própria sexta-feira da semana passada, primeiro dia dos atentados, e que a intenção foi chamar a atenção da imprensa e da população para a defesa dos direitos dos presos.

Questionado sobre a morte de policiais, o líder do PCC classificou os assassinatos de oportunistas. Marcola garante que não ordenou esses crimes.

Bloqueio de celulares

O superintendente de Radiofreqüência da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Edílson Ribeiro Santos, afirmou que o bloqueio dos sinais de celulares em penitenciárias irá afetar também os moradores das regiões vizinhas.

O juiz Alex Tadeu Monteiro Zilenovski, do Departamento de Inquéritos Policiais (Dipo), determinou, que as operadoras de celular e a Anatel preparem um plano para suspender os sinais nas proximidades de seis prisões do Estado de São Paulo: Avaré, Presidente Venceslau, Iaras, Araraquara, São Vicente e Franco da Rocha.

Apesar de alertar para os problemas que a medida causará para usuários vizinhos dos presídios, o representante da Anatel avaliou que o bloqueio é tecnicamente possível.

Caminho do cemitério

Depois de quase uma semana de ataques promovidos pelo Primeiro Comando da Capital (PCC), o governador de São Paulo, Cláudio Lembo, confessou ontem seu desejo: que o tempo “passe rápido” até dezembro, mês em que termina seu breve mandato à frente do governo paulista.

Deus há de me ajudar que o tempo passe depressa. É uma honra governar São Paulo, mas você há de admitir que esta honra teve um custo emocional muito grande. Eu acho que, na minha idade, meu melhor lugar é a caminho do cemitério, a pé. Eu moro bem pertinho do cemitério por isso eu posso ir a pé”.

O governador, de 71 anos, mora perto do cemitério Araçá, em São Paulo.

Ouvindo advogados

O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que integra a CPI do Tráfico de Armas, informou que os advogados do PCC Sérgio Wesley da Cunha e Maria Cecília de Souza Rachado serão ouvidos pela comissão na próxima terça-feira.

Cunha e Maria Cecília seriam os compradores da cópia dos depoimentos do diretor do Deic de São Paulo, Godofredo Bittencourt Filho, e do delegado Rui Ferraz, em sessão secreta da CPI, na qual foi revelado que os líderes do PCC seriam transferidos para um presídio de segurança máxima.

Teriam pagado R$ 200 pela fita ao ex-funcionário de empresa que presta serviços à Câmara, Artur Pilastres Silva, que já confessou o negócio.

Secretários processados

A Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar de São Paulo entrará, ainda nesta quinta-feira, com uma ação de responsabilidade criminal na Procuradoria Geral de Justiça contra os secretários estaduais de Segurança, Saulo de Castro Abreu Filho, e da Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa.

De acordo com a associação, o objetivo da ação é apurar a responsabilidade dos secretários nas mortes dos policiais durantes os ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC), desde sexta-feira.

Processando a mídia

A Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo informou que irá processar as redes de TV Record e Bandeirantes pela veiculação de entrevistas com supostos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC).

A Polícia Civil já instaurou inquérito para apurar se houve delito de apologia de crime ou criminoso por parte das duas emissoras.

Em nota divulgada à imprensa, a Secretaria repudiou a “forma criminosa e irresponsável” com que as duas emissoras colocaram no ar “falsas gravações” com líderes do grupo criminoso.

A veiculação de conversas com integrantes de facções criminosas serve tão-somente para inflamar o ânimo sensacionalista assustando a sociedade e prejudicando as investigações realizadas pelas autoridades competentes”.

Atentado a jornal

Pelo menos quatro homens, todos encapuzados, armados de espingarda calibre 12 e pistolas, invadiram às 4 horas da madrugada de quinta-feira a gráfica do jornal Imprensa Livre, no centro de São Sebastião, litoral norte do Estado de São Paulo.

Os funcionários do jornal, que é distribuído em Caraguatatuba, Ubatuba e no Litoral Norte, foram obrigados a deitar no chão. Igor Veltman, editor-chefe do jornal, relatou o susto:

"Eles mandaram que todos nós deitássemos no chão e queimaram a máquina impressora, a edição inteira e a guilhotina. Enquanto ateavam fogo diziam que não deveríamos mais noticiar nada sobre o PCC".

PF versus Janene

A Polícia Federal encontrou indícios de que deputado José Janene (PP-PR) usou o dinheiro recebido do esquema do mensalão para a compra de imóveis.

O ex-líder do PP na Câmara comprou uma propriedade rural, dois terrenos num condomínio de luxo, além de ter construído uma casa de mil metros quadrados no local, tudo com dinheiro do esquema operado por Marcos Valério de Souza Fernandes. A casa, segundo a PF, é avaliada em mais de R$ 2 milhões.

A CPI dos Correios apurou que Janene recebeu R$ 4,1 milhões do esquema.

Nove mandatos de busca e apreensão foram cumpridos ontem pela PF – cinco em Londrina (PR), onde Janene reside, três em São Paulo e um em Barueri (SP).

Foram apreendidos documentos e computadores no escritório do deputado e na residência de dois de seus funcionários.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

Um comentário:

Anônimo disse...

Keep up the good work film editing schools