terça-feira, 23 de maio de 2006

Ministro da Justiça (que não existe) garante que Lula não soube do encontro secreto com Dantas na casa de senador aliado de Alckmin

Edição de Terça-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Resumo no ar às 8h e Edição completa a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Está tudo dominado! Só um ignorante é capaz de acreditar na tese da “ignorância” do presidente Lula da Silva em relação ao escandaloso encontro secreto, na semana passada, entre o ministro da Justiça que não existe, Márcio Thomaz Bastos, e o banqueiro Daniel Dantas, do Banco Opportunity. A suspeita reunião informal, na calada da opinião pública, ocorreu no dia 17, na casa do Senador Heráclito Fortes (PFL-PI), que é um dos coordenadores da campanha presidencial de Geraldo Alckmin, e, teoricamente, seria adversário do ministro e do governo do PT.

O encontro entre Bastos e Dantas, para fumar o cachimbo da paz, foi motivado depois de uma reportagem publicada na revista Veja sobre o dossiê que Dantas montou contra o governo Lula, revelando supostas contas bancárias, no exterior, do presidente e de seus auxiliares mais próximos. O Ministro Bastos confirmou ontem que o encontro “foi a pedido do banqueiro”. Bastos alegou que Lula não sabia do encontro (aliás, ele é o presidente que nunca sabe de nada). O experiente advogado criminal Bastos alegou que o encontro foi absolutamente “impessoal”, tanto que levou um senador (a casa era do político) e dois deputados com ele.

O ministro das Relações Institucionais e também advogado, Tarso Genro, ainda inventou a criativa tese de que seu colega Márcio Thomaz Bastos cumpriu “missão institucional” ao se reunir com Dantas, que será ouvido ainda esta semana pela Polícia Federal, que o investiga. O ministro da Justiça que não existe declarou ter dito ao banqueiro que a Polícia Federal vai investigar o caso de maneira “impessoal e séria”, “até as últimas conseqüências, como sempre tem feito”. Bastos voltou a repetir que não interfere na PF, apenas lhe dá um rumo, sem pretender controlá-la. O ministro da Justiça fez questão de frisar que o presidente Lula não foi avisado previamente do evento.

De acordo com Thomaz Bastos, Dantas entregou-lhe carta na qual negava reportagem da revista Veja da semana passada: dizia que nunca havia investigado existência de contas bancárias do presidente Lula e outras autoridades de seu governo no exterior nem passado informações a nenhum órgão de imprensa. Assim, Daniel Dantas se transformou em mais um defensor do governo que o procurador-geral da República denunciou estar sendo dominado por uma “organização criminosa”.

E o encontro entre Bastos e Dantas, na casa de um dos tocadores da campanha tucano-pefelista à Presidência da República, é mais uma evidência de que a situação e sua pretensa oposição fazem apenas um jogo de cena ao cidadão-eleitor. No final das contas (e quantas contas devem ser feitas e acertadas nas reuniões secretas da honestíssima classe política brasileira), todos parecem fazer parte da mesma organização.

Talvez, só o sempre inocente presidente Lula não saiba disso, porque ele nunca sabe de nada, como se pudesse ser um ignorante em relação ao seu próprio governo e que ainda sonha com a reeleição que não pode ainda declarar publicamente, pois a hora legal não chegou. Só existe um problema: acreditar nessa hipótese improvável é o mesmo que acreditar que Márcio Thomaz Bastos é o ministro da Justiça em um País onde a Justiça não existe - pois aqui inexiste a democracia, que é a segurança plena do Direito.

Ministro blindado

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República conclui que o ministro da Justiça que não existe, Márcio Thomaz Bastos, não desrespeitou a ética ao indicar o advogado criminalista Arnaldo Malheiros Filho para defender o ex-titular da Fazenda Antonio Palocci no caso da violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo Santos Costa.

Para a comissão, ao levar Malheiros à casa funcional de Palocci em Brasília, Thomaz Bastos não infringiu o artigo terceiro do Código de Conduta da Alta Administração Federal, como alegou o deputado Rodrigo Maia, líder do PFL na Câmara, na representação movida contra o ministro da Justiça.

Para o pefelista, filho do Imperador Ceasar Maia, o encontro com o ministro Palocci “tinha por objetivo oferecer-lhe serviço jurídico especializado para que enfrentasse adequadamente as questões que, inclusive, levaram ao seu indiciamento pelo Departamento da Polícia Federal”, o que iria de encontro ao referido artigo, que determina que, "no exercício de suas funções, as autoridades públicas deverão pautar-se pelos padrões da ética, sobretudo no que diz respeito à integridade, à moralidade, à clareza de posições e ao decoro, com vistas a motivar o respeito e a confiança do público em geral”.

Só falta, agora, o Papa Bento 16 canonizar nosso Ministro da Justiça que não existe...

Tudo do mesmo jeito de sempre

O Tribunal Superior Eleitoral deve decidir hoje à noite se as novas normas eleitorais, contidas em lei recentemente sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, valerão nestas eleições.

O presidente do TSE, Marco Aurélio de Mello, sinalizou que o tribunal deverá rejeitar a aplicação da lei, que trata de propaganda, prestação de contas e pesquisa eleitoral, neste ano.

A nova lei, entre outras regras, proíbe a divulgação de pesquisas de intenção de voto nos 15 dias anteriores às eleições.

A regra é clara

Os ministros irão examinar se o artigo 16 da Constituição impede a aplicação das regras neste ano.

O artigo preceitua: “A lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor na data de sua publicação, não se aplicando à eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência”.

A tendência do TSE é considerar a proibição inconstitucional, levando em conta decisões anteriores.

Deus já deve estar de saco cheio...

Rompido com a Igreja Católica, já que a cúpula da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil faz oposição ao seu governo, o presidente Lula recebeu ontem cerca de 100 lideranças evangélicas no Palácio do Planalto. E fez média com a platéia:

A igreja evangélica é um braço que ajuda o governo sem ganhar nada por isso”.

Aproveitou para orar, disse ser um “homem de fé” e que vê “a mão de Deus” nas ações de seu governo.

Reza, Lula!

Depois de ouvir a oração puxada pela ministra do Meio Ambiente, a evangélica Marina Silva, Lula não pediu apoio explícito aos pastores.

Mas deixou claro que quer manter a parceria com as igrejas em projetos destinados aos pobres e que Deus tem “dado força para superar as dificuldades” políticas.

Em discurso improvisado, o presidente disse às lideranças que o tempo “é curto” e que “gostaria de continuar trabalhando pelo Brasil”.

Coisas do Companheiro Sarney

A ala governista do PMDB, que é contrária à candidatura própria à Presidência, se mobiliza para tentar evitar que a pré-candidatura do senador Pedro Simon ganhe força.

O senador José Sarney (PMDB-AP) tentará demover o senador gaúcho do projeto de disputar a Presidência. Os dois devem conversar hoje.

Ex-ministro do governo Sarney, Simon deve ouvir que não terá apoio dos governistas.

Reação em cadeia

Com a desistência do ex-presidente Itamar Franco à sua pré-candidatura à Presidência da República, anunciada ontem, em Minas, aliados do senador Pedro Simon (PMDB-RS) começam hoje as articulações para tentar viabilizar o nome do senador gaúcho como concorrente ao Palácio do Planalto.

Mas a missão será quase impossível.

A improvável candidatura Simon consumiu ontem a maior parte das conversas entre pemedebistas que foram a Nova York assistir à homenagem 'homem do ano' a Roger Agnelli, presidente da Vale do Rio Doce.

Da ala governista do partido, estavam lá Sarney, o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), e o líder do partido no Senado, Ney Suassuna (PB).

Todos contra o franciscano Simon...

Humildade petista

O PT inaugura hoje com coquetel uma nova sede nacional em Brasília, que foi reformada por R$ 250 mil.

O escritório tem 600 metros quadrados, maior que o anterior, mas custará menos.

O partido pagará R$ 7 mil de aluguel e R$ 3.150 de condomínio — uma economia de R$ 1.850 em relação aos R$ 12 mil pagos hoje por uma sede de 210 metros quadrados.

A nova sede fica numa área central da capital, o Setor de Rádio e Televisão Sul. Tem auditório para cem pessoas e três salas de reuniões. Vai abrigar as secretarias nacionais e o Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE).

O presidente do PT, Ricardo Berzoini, informou que o comando político da campanha da reeleição de Lula deverá ser concentrado em Brasília, e a sede nacional de São Paulo cuidará da logística.

Pizza suprema

O Supremo Tribunal Federal (STF) arquivou ontem processo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso contra o ex-ministro da Integração Nacional Ciro Gomes.

Ciro era acusado de ter cometido difamação e injúria contra FHC, em entrevistas aos jornais Folha de S. Paulo e O Globo, em junho de 2005.

O ex-ministro Ciro, que já foi tucano, dissera que FHC “não possui preocupação com a ética” e que seu governo “foi entreguista e contemporizador com a ladroagem”.

O pedido de inquérito foi arquivado porque Ciro foi exonerado do cargo de ministro e perdeu, assim, o foro privilegiado.

Manobra de pízzaiolo

A decisão de investigar o segundo-secretário da Câmara, deputado Nilton Capixaba (PTB-RO), pelo envolvimento do parlamentar com a máfia dos sanguessugas ficará a cargo do corregedor da Câmara, Ciro Nogueira (PP-PI).

A transferência da responsabilidade foi feita ontem pelo presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

Capixaba foi citado nas investigações da Polícia Federal como um dos principais integrantes do esquema, mas o seu nome não constou da primeira lista de 16 investigados.

Na leitura dos aliados de Capixaba, do forno de Ciro, ele não sairá queimado...

Jacarandá ou compensado?

O deputado licenciado José Janene (PP-PR), que há mais de sete meses resiste a depor no Conselho de Ética da Câmara sob a alegação de que sofre de uma cardiopatia grave, comparece a eventos sociais e políticos no Paraná como se não tivesse qualquer problema de saúde.

Numa dessas aparições, em abril, Janene foi homenageado com um almoço árabe na cidade de Cambará, no interior do estado.

O parlamentar tirou fotos com políticos da região e amigos, contou piadas sobre turcos e aproveitou o cardápio, à base de carneiro assado e kafta, famosas iguarias da cozinha árabe. Naquele mesmo período, Janene alegava ao Conselho de Ética que não poderia comparecer para ser notificado por causa da doença.

Suas aparições sociais estão agora se constituindo em provas contra ele no processo de cassação de seu mandato no Conselho de Ética.

Palocci aos leões

O presidente da Leão Ambiental no período entre 2003 e 2004, Wilney Barquete, foi indiciado ontem pelos crimes de falsidade ideológica, peculato e lavagem de dinheiro, no inquérito que apura o esquema de fraude nos contratos de limpeza urbana da prefeitura de Ribeirão Preto (SP).

Barquete já havia sido indiciado por formação de quadrilha no primeiro inquérito do lixo.

O delegado seccional, Benedito Antônio Valencise, afirmou que o ex-presidente da Leão Ambiental participou do esquema de fraude e desvio de dinheiro público.

Pensador do esquema

O delegado Benedito Antônio Valencise avalia que Barquete ainda era um dos “cérebros” da empresa dentro do esquema com funcionários públicos.

Além de Barquete, já foram indiciados nesse inquérito Luciana Alecrim (ex-funcionária do Daerp), Antônio Palocci (ex-ministro e ex-prefeito de Ribeirão Preto), Gilberto Maggioni (ex-sucessor de Palocci) e Nelson Collela (ex-chefe da Casa Civil de Maggioni).

Outros depoimentos e indiciamentos do mesmo inquérito deverão ocorrer nos próximos dias. Para terror do Grande Irmão Palocci, que anda sumido da mídia, por estratégia definida por seus defensores.

Candidato do PCC, não!

O deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) defendeu ontem a retirada do nome do advogado José Cláudio Bravos da lista de pré-candidatos a deputado estadual pelo partido por São Paulo.

O presidente nacional do PV, José Luiz Penna disse que foi criada uma Comissão de Ética para analisar a situação de Bravos, que confessou que sua candidatura tem o apoio da facção criminosa PCC que comandou atentados contra a polícia.

Ex-presidente da OAB em Marília (SP) e pai de um ex-agente penitenciário, Bravos afirmou que tem o apoio da facção desde que comandou um protesto com parentes de presos em frente à Secretaria de Administração Penitenciária, ano passado.

Gabeira adverte que o PV não pode servir de instrumento para a quadrilha.

Planos políticos da Organização Criminosa

Segundo investigações da polícia, a facção criminosa PCC tem um projeto de eleger políticos para defender seus interesses.

O advogado Anselmo Neves Maia (guardem BEM este nome), que já cumpriu pena de cinco anos e defende líderes da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), será candidato a deputado federal por São Paulo no ano que vem.

Maia não nega ser o candidato do PCC e admite que os presos financiarão sua campanha.

O pré-candidato revela que estuda propostas de oito partidos.

Quem tem medo do Marcola?

O presidente da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo (PC do B-SP), vetou o depoimento do líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Camacho, o Marcola, nas dependências da Casa.

O requerimento para que o criminoso seja ouvido foi aprovado pela CPI do Tráfico de Armas no início do mês. Argumento de Aldo:

“Sou responsável pela segurança dos servidores, dos deputados, dos visitantes e das pessoas que circulam pela Câmara. Determinei que este depoimento não será colhido aqui”.

O presidente da Câmara já comunicou ao presidente da CPI, deputado Moroni Torgan (PFL-CE), que o depoimento de Marcola não será na Câmara.

Pode ser na cadeia, lugar onde deveriam estar muitos políticos da atual safra, e talvez não tenha vaga para tantos, onde os bandidos vivem em regime permanente de congresso, para ser um instrumento do governo do crime organizado.

Expliquem-se senhores

A CPI do Tráfico de Armas ameaça pôr frente a frente hoje, às 14h, os dois advogados ligados à principal facção criminosa de São Paulo e o técnico de som da Câmara Arthur Vinícius Silva.

Ele confessou semana passada ter vendido a eles por R$ 200 gravações de uma sessão secreta da comissão.

A acareação acontecerá se os advogados Sérgio Wesley da Cunha e Maria Cristina de Souza Rachado continuarem a negar o suborno a Arthur Vinícius.

Importadores de armas

O PCC, que teria 640 mil membros (sendo que 140 mil são presos distribuídos em todo o estado) é uma das maiores importadoras de armas no País.

A maior conexão da facção criminosa paulista com o tráfico de armas é feita por apenas um homem e as armas são importadas do Paraguai.

A revelação foi no depoimento dos delegados Godofredo Bittencourt Filho e Rui Ferraz Fontes à CPI do Tráfico de Armas, em Brasília.

MST agindo

Mil e duzentos trabalhadores sem-terra ocuparam, ontem de manhã, a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Fortaleza.

Sem prazo para deixar o prédio, eles exigem o cumprimento do plano nacional de reforma agrária, a desapropriação de terras ocupadas por 27 acampamentos no Estado, a renegociação das dívidas e a liberação de obras de infra-estrutura para os assentamentos.

O ato faz parte da Jornada Nacional de Luta, desencadeada em todo o País pelo Movimento dos Sem-Terra (MST), que deve prosseguir até o fim da semana. Ontem foram deflagradas ações em pelo menos outros três Estados.

Surfando no terrorismo

No primeiro programa partidário em que apareceu como pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, exibido ontem no rádio e na TV, o senador Aloizio Mercadante contou com um depoimento de cerca de um minuto do presidente Lula para tentar aumentar a popularidade no Estado.

A crise de segurança em São Paulo foi o tema central do programa. Em meio a manchetes e imagens congeladas sobre os dias de pânico e terror em São Paulo, Mercadante apresentou suas propostas para o setor e criticou a gestão do PSDB.

O PT também criticou o ex-prefeito José Serra por ter se afastado da prefeitura.

Oposição contra-ataca

Em resposta, a Executiva Estadual do PSDB criticou o uso político-eleitoral da tragédia e acusou Mercadante de ter adotado uma postura mesquinha diante da crise, fazendo propaganda eleitoral ilegal no horário destinado ao partido.

Escolhido pelo PFL para ser candidato a vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin à Presidência, o senador José Jorge (PE) atacou ontem o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seu provável adversário nas eleições de outubro.

Segurança também é responsabilidade da União. O crime organizado caminha pelo país inteiro. Por exemplo, em Pernambuco, às vezes os grandes assaltos são praticados por bandidos que vêm de outros Estados. É uma questão nacional que o governo Lula, infelizmente, não enfrentou”.

José Jorge condenou que o petista foi um fracasso total na área da segurança pública.

Bronca dos magistrados

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) — mais influente entidade da toga, que reúne 14 mil juízes no País —, ligou ontem o avanço do crime organizado ao abrandamento das leis, à política de segurança equivocada, à impunidade e à caótica administração penitenciária.

Rodrigo Collaço, presidente da AMB, juiz estadual em Santa Catarina, repudiou acusações de que os juízes têm parcela de responsabilidade pela tensão nos presídios, onde a população carcerária protesta contra a morosidade judicial.

No Brasil as pessoas não têm a dimensão da função de cada setor e cada poder. Muitos acham que as penitenciárias são administradas pelo Judiciário e também atribuem à Justiça o desgaste da polícia. A lentidão contribui de fato para o aumento da criminalidade, mas não sei se é o fator determinante. As rebeliões foram comandadas por condenados sem direito à progressão de regime. É preciso reconhecer, no entanto, como um erro muito grave assumirmos posição defensiva. É fundamental nos unirmos para encontrarmos soluções”.

Rodrigo Collaço avalia que o Brasil percorre caminho contrário ao não combater facções criminosas como prioridade política, e listou pelo menos 7 causas do fortalecimento do crime: inadequada legislação penal e de execução penal, que datam das décadas de 40 e 80; ausência de segurança nos presídios; administração penitenciária caótica; inexistência de prisões federais, cuja construção está prevista há 22 anos conforme a Lei 7.210; falta de política preventiva eficaz de combate à violência; inoperância na fiscalização das fronteiras para coibir ingresso de armas e drogas no território brasileiro; ausência de políticas sociais articuladas para oferecer, aos jovens e suas famílias, educação, trabalho, lazer e oportunidades.

Recado das águias

Questionado sobre a situação na Venezuela e na Bolívia, o presidente dos EUA, George W. Bush, afirmou ontem estar “preocupado com a erosão da democracia” nos dois países sul-americanos.

Lembrou que o direito de propriedade tem de ser assegurado, assim como ativos de investidores.

Bush foi além: “Eu lembrarei as pessoas que intervir nas eleições de outras nações para conseguir objetivos a médio prazo não é interesse da vizinhança”.

A declaração de Bush foi uma crítica clara ao mandatário venezuelano, Hugo Chávez, que disse apoiar Ollanta Humala na disputa presidencial peruana e Daniel Ortega no pleito nicaragüense.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.
Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:

jorgeserrao@gbl.com.br

Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total

http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

2 comentários:

luis afonso disse...

PrezadoJorge:

Seu blog é absolutamente fundamental em meio uma mídia completamente encharcada de lulismo, socialismo e revolucionários de plantão - sempre prontos a maquiar a verdade.
parabéns de um assíduo leitor.

Anônimo disse...

What a great site here