sexta-feira, 26 de maio de 2006

Pesquisa sigilosa para partidos confirma que eleitor percebe que o Brasil é “governado pelos interesses do crime organizado”

Edição de Sexta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Resumo no ar às 8h e Edição completa a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Exclusivo - O eleitorado brasileiro tem a impressão de que o Brasil está sendo governado pelos interesses da organização criminosa. Este é o resultado de mais uma pesquisa qualitativa encomendada por partidos políticos, para consumo estratégico eleitoral e não para ser divulgada ao público, feita por um instituto gaúcho, na semana de 15 a 20 de maio, ouvindo 3.700 pessoas de todas as classes, em todos os estados e com margem de erro de 3 a 4 pontos percentuais. Os marketeiros dos principais partidos de oposição se debruçam, preocupados, sobre os números que comprovam a insatisfação dos brasileiros com a classe política.

Indagados se “acham que o País está entregue ao crime organizado”, os cidadãos responderam “sim”: 64% na região Sul, 87% no Sudeste, 55% no Nordeste e apenas 25% na região Norte (onde se confirma ser maior a desinformação sobre os escândalos de corrupção, relacionados com a violência). Perguntados se acham que “dentro do Congresso Nacional existem pessoas trabalhando para o PCC ou outras facções criminosas de lavagem de dinheiro, narcotráfico ou contrabandistas de armas”, 68% responderam que “sim” – sendo que a maioria só aceitou responder, pedindo para não ser identificada, por medo da resposta. O restante preferiu não responder ou não soube avaliar o problema.

Os eleitores ouvidos pelos pesquisadores também confirmaram a impressão geral de que as instituições, nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, estão comprometidas com a corrupção. Indagados sobre o que acham do Congresso, 88,8% dos entrevistados classificaram o Senado e a Câmara dos deputados de “corruptos”. Outros 96,5% também avaliam que existe corrupção na Justiça e nada menos que 99,9% dos ouvidos (quase a “unanimidade burra” de Nelson Rodrigues) consideram que “existe impunidade no Brasil”.

Lula se deu bem!

Na pesquisa feita pelos partidos de oposição, ficou evidenciada a vantagem do presidente Lula na preferência do eleitorado.

E o motivo apontado pelos eleitores ouvidos é curioso: “falta de opção”.

Indagados “por que você está votando no Lula?”, 42% responderam que “o PT e Lula são a única opção”.

Susto para a oposição

Provocados a justificar tal resposta, 64,7% dos que preferem Lula rejeitam Geraldo Alckmin “por causa dos oito anos de governo Fernando Henrique Cardoso”.

Novamente induzidos a justificar tal resposta, 64,7% dos entrevistados acham que “o governo FHC montou toda a estrutura de corrupção que agora está sendo herdada pelo governo Lula”.

Diante desse quadro, 60% dos entrevistados avaliaram que não acreditam que Alckmin consiga virar o jogo e se recuperar com a propaganda eleitoral.

Os marketeiros tucanos terão muito com o que se preocupar, diante desses dados...

Outra provocação

Os pesquisadores resolveram cutucar, com vara curta de advogado do diabo, os eleitores do presidente Lula.

Perguntaram: “Sabendo que o presidente Lula e o PT estão envolvidos em corrupção, por que votam nele?”

A resposta foi a mesma da questão anterior: a impressão de que os petistas estão usando envolvidos em um esquema que já foi montado em governos anteriores.

Ainda tem muito eleitor indefinido...

Os pesquisadores fizeram outra provocação: “Mesmo sabendo de todos os problemas de corrupção que acontecem no Brasil, você votaria no Lula?

43 por cento responderam que votariam por falta de opção.

23 por cento votariam em branco, por se negar a dar voto a Lula e ao PT.

O resto não votaria nele porque acha que ele é corrupto e vai buscar outro candidato, ainda não definido.

Ou seja, ainda existe 44% do eleitorado sem definição precisa de candidato. A dificuldade apontada pelo eleitor está em achar uma “alternativa”.

Nova chance reeleitoral?

Os pesquisadores indagaram: “O que acha de dar uma nova oportunidade a Lula na Presidência?”

73% admitem que dariam uma chance a Lula.

O restante afirmou não saber ou indicou que pode anular o voto.

Fator Heloísa Helena

A pesquisa sigilosa encomendada pelos partidos de oposição perguntou:

“Você acha que a senadora Heloísa Helena pode ser presidente do Brasil?”

45% responderam que não conhecem a senadora.

Aos 65% que responderam que sabem quem ela é, foi indagado: “Você votaria nela?”

34% responderam “sim”. 24% não votariam, e o restante afirmaram que ainda não a conhecem direito.

Efeito INSS

Os marketeiros eleitorais deveriam se ligar mais no poder de formador e propagador de opinião dos velhinhos, aposentados e pensionistas do INSS.

A maior bronca dos entrevistados foi em relação à Previdência Social no Brasil.

Dos 3.700 ouvidos na pesquisa, apenas 1 considerou que o INSS presta um bom serviço.

O restante quase unânime reafirmou que a previdência não respeita aposentados e segurados, que se consideram mal tratados.

Os organizadores da pesquisa, que promoveram uma idêntica em 1998 (ouvindo 2.300 pessoas), lembraram que, naquela época, a rejeição ao INSS era de 72,7%.

O 99,9% de rejeição de agora assustou os pesquisadores. Da mesma forma que a impressão geral do eleitorado sobre o setor de Saúde: 98,9% acharam que a saúde pública está falida no Brasil.

Exército investiga terrorismo político

O serviço de inteligência do Exército investiga um fato abafadíssimo em Brasília: Um Palio, na cidade satélite de Ceilândia, foi apreendido com 18 quilos de dinamite.

O carro estava sendo preparado para explodir no estacionamento do Congresso.

Na quarta-feira dia 24, a Agência Brasileira de Inteligência enviou um alerta ao Congresso de que vários deputados receberiam ou estariam recebendo ameaças, principalmente aqueles que fizeram declarações na mídia criticando o crime organizado, pelos problemas ocorridos em São Paulo.

A Abin recomenda medidas de segurança reforçada aos senadores e deputados, e pede sigilo sobre tais informações.

Outra ameaça confirmada

O deputado Raul Jungmann (PPS-PE), integrante da CPI do Tráfico de Armas da Câmara, revelou ontem que uma testemunha da comissão telefonou para a Secretaria da CPI alertando para que o presidente da comissão, deputado Moroni Torgan (PFL-CE), tenha cuidado, porque sua vida estaria em perigo.

Jungmann informou que a testemunha pediu que o delegado da Polícia Federal, José Antonio Dornelles, que acompanha os trabalhos da comissão, e o secretário da CPI, Manoel Alvim, “tomem cuidado com a vida de Moroni”.

Jungmann contou que se trata de uma testemunha que já colaborou com a CPI no passado e que pertence ou pertenceu ao crime organizado.

É bom levar a sério...

Para Jungmann, ameaças ao presidente da CPI são ameaças ao Congresso.

Não vamos permitir que nos acovardem nem que executem a ameaça”.

O delegado Antônio Dornelles acha que tal ameaça deve mesmo ser levada a sério...

Viva a suprema impunidade!

O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, se recusa a decretar a prisão preventiva do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, um sujeito surpreendentemente blindado judicialmente.

O pedido foi apresentado pelo procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, que denunciou 40 membros da “organização criminosa” que operava o esquema do Mensalão.

"Não adianta eu decretar a prisão, e o plenário revogar".

Foi o que alegou o ministro Joaquim Barbosa, opinando que a prisão de Valério criaria dificuldades processuais.

STF também alivia o Zé

Completam-se 56 dias que o procurador-geral da República encaminhou ao Supremo Tribunal Federal o inquérito do mensalão, denunciando o PT por formação de quadrilha, apontando José Dirceu como chefe do esquema e pedindo a prisão, entre outros, do ex-ministro e do empresário Marcos Valério.

José Dirceu não só está livre como não foi sequer notificado pelo Supremo.

O motivo, segundo Joaquim Barbosa, é que o ex-ministro da Casa Civil não mora mais em Brasília.

Custo Presidiário

A ONG Contas Abertas chama a atenção: Manter um presidiário no Brasil onera os cofres da União em aproximadamente R$ 18 mil por ano.

De acordo com estimativas do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), cada presidiário custa em média, de R$ 1.000 a R$ 2.000 por mês.

O DEPEM estima que existam hoje, 361 mil e 400 presos em delegacias e penitenciárias de todo o Brasil.

Se cada detento custa em média, de R$ 1.000 a R$ 2.000 por mês, manter a população prisional do país gera um custo mensal de aproximadamente R$ 542 milhões e 100 mil reais por mês e R$ 6 bilhões e 500 mil reais por ano.

Comparando com o estudante...

O gasto com presos equivale a mais de quatro salários mínimos, fixados em R$ 350,00.

Um estudante das instituições públicas no país custa a metade desse valor gasto com um preso.

Pesquisa feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) indica que um estudante universitário custa aproximadamente, R$ 790 por mês e R$ 9.488,00 por ano.

Ação suprema sobre os sanguessugas

Três partidos de oposição que defendem a criação de uma CPI para investigar fraudes na liberação de emendas para compra de ambulâncias ameaçam entrar semana que vem com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal para assegurar a instalação da comissão.

O pedido de abertura da CPI foi entregue na quinta-feira da semana passada à Mesa do Congresso.

PV, PPS e PSOL vão aguardar apenas o prazo de cinco sessões expirar para ajuizar a ação no STF.

Vencido o prazo e se, de fato, os presidentes da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), não instalarem a comissão, como tudo indica, os oposicionistas vão recorrer à Justiça.

Tal elogio só podia vir dele...

O ministro da Justiça (que não existe), Márcio Thomaz Bastos, elogiou a decisão do Congresso de não investigar as denúncias sobre o envolvimento de parlamentares na máfia dos sanguessugas e de encaminhar o inquérito para a Procuradoria Geral da República:

Eu acho que foi uma solução acertada, porque fazer uma investigação desse vulto na Câmara dos Deputados seria difícil de viabilizar em termos concretos. A minha proposta inicial foi exatamente essa que foi adotada agora pela Câmara”.

Os presidentes da Câmara, Aldo Rebelo (PC do B-SP), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), alegam que o Congresso não tem estrutura para investigar todos os parlamentares citados.

Afirmam também dificuldades legais para quebrar sigilos bancários, fiscais e telefônicos dos envolvidos.

Que trabalheira, PF

Até o fim de ontem, mais de cem agentes da Polícia Federal só tinham conseguido levar de volta à prisão 29 dos 44 presos pela Operação Sanguessuga - liberados pelo juiz federal Jefferson Schneider, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região.

Embora o Supremo Tribunal Federal tenha revogado a decisão do TRF e determinado que os suspeitos de envolvimento com a máfia das ambulâncias continuassem na cadeia, 15 ainda não foram reconduzidos à carceragem da PF.

O setor de inteligência da PF e policiais de portos, aeroportos e postos de fronteira também estão empenhados em prender os procurados.

Foragido ilustre

O ex-deputado federal Ronivon Santiago (PP-AC) já é considerado um foragido da Polícia Federal em Mato Grosso.

Ele está sendo procurado desde a quarta-feira, quando teve sua prisão preventiva revalidada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O ex-parlamentar é acusado de receber propina para apresentar emendas prevendo a aquisição de ambulâncias no esquema descoberto durante a Operação Sanguessuga.

O ex-deputado Bispo Carlos Alberto Rodrigues se apresentou espontaneamente e está recolhido na Superintendência da PF em Brasília.

Dantas confirma que vem

O banqueiro Daniel Dantas, diretor do grupo Opportunity, confirmou ontem que vai à Comissão de Constituição e Justiça do Senado no dia 7 de junho para prestar esclarecimentos sobre as denúncias atribuídas a ele contra o PT e o governo.

A CCJ aprovou anteontem convite para audiência pública com o banqueiro, sua irmã Verônica Dantas e o presidente do Citibank, Gustavo Marin.

O requerimento para a audiência foi apresentado pelos líderes do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), e do PFL, José Agripino Maia (RN).

O que ele terá de explicar

O objetivo é esclarecer as denúncias de que Daniel Dantas teria uma lista de supostas contas de autoridades do governo brasileiro no exterior, publicadas pela revista Veja.

O banqueiro nega ter sido fonte da reportagem.

Ele também terá que confirmar se o grupo Opportunity teria sido alvo de um pedido de dinheiro para o PT em troca do apoio do governo na sua disputa com os fundos de pensão pelo controle da Brasil Telecom.

Mulher de Burati agendada

A CPI dos Bingos ouvirá na próxima terça-feira o depoimento de Elza Gonçalves Buratti.

Ela é ex-mulher de Rogério Buratti, que foi assessor da prefeitura de Ribeirão Preto (SP) na gestão Antonio Palocci.

Os integrantes da comissão querem ouvir a ex-mulher de Buratti sobre o esquema de propinas montado na prefeitura na época que mandava por lá o ex-ministro da Fazenda e ex-coordenador informal de campanha do PT, e hoje candidato a deputado federal, em busca da imunidade parlamentar e do foro privilegiado no STF.

Não foi ele

O ex-policial civil João Arcanjo Ribeiro, conhecido como Comendador Arcanjo, reafirmou ontem, em depoimento no Ministério Público de Santo André, que não participou do assassinato do prefeito da cidade Celso Daniel (PT).

Arcanjo foi interrogado pelos promotores Roberto Wider e Adriana Ribeiro Soares de Morais, em Cuiabá (MT), onde está preso.

Em depoimento na CPI dos Bingos no dia 9 de maio, ele já havia negado envolvimento na morte do prefeito petista.

O MP investiga se o ex-policial era sócio de suspeitos de mandar matar Daniel.

Palavrão só gera advertência

O deputado Jorge Bittar (PT-RJ) deverá ser punido pela Corregedoria da Câmara com apenas uma advertência verbal, por ter xingado o senador Delcídio Amaral (PT-MS) de “filho da puta” na última sessão da CPI dos Correios, no dia 6 de abril.

A punição é a mesma aplicada à deputada Angela Guadagnin (SP), por ter dançado no plenário para comemorar a absolvição do deputado João Magno (PT-MG), um dos mensaleiros.

O relatório da Corregedoria já está pronto e deverá ser apresentado à Mesa Diretora da Câmara na próxima semana.

O senador Delcídio também entrou com representação no Ministério Público Federal contra o companheiro Bittar, mas a ação ainda não foi concluída.

Não pode chamar deputado de ladrão...

Não se pode afirmar que a Câmara dos Deputados é uma espécie de “escola de malandros”.

A CPI do Tráfico de Armas prendeu e obrigou o advogado Sérgio Weslei da Cunha a assinar um termo comprometendo-se a comparecer à Polícia Federal para responder ao processo de desacato a autoridade.

O advogado foi punido porque respondeu, com ironia, a um comentário do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que disse que o ilustre causídico havia aprendido rápido com a malandragem a dar evasivas.

O advogado retrucou: “A gente aprende rápido aqui”.

Reação corporativa imediata

Como o deputado Alberto Fraga (PFL-DF) interpretou que o “aqui” se referia à Câmara dos Deputados, ficou revoltado:

Você merece um par de algemas. Você é bandido”.

O presidente da CPI, deputado Moroni Torgan (PLF-CE), suspendeu a sessão para escutar a gravação do trecho.

Quando a sessão foi retomada, Cunha foi algemado e recebeu voz de prisão, por ferir o Código Penal, que prevê prisão por desacato a funcionário público no exercício da função.

Advogada do PCC negou tudo

A advogada Maria Cristina de Souza Rachado reafirmou ontem, em acareação na CPI do Tráfico de Armas, que devolveu ao ex-operador de áudio da Câmara Artur Vinícius Pilastre Silva a cópia, um CD com depoimentos sigilosos dados à comissão por policiais de São Paulo.

Maria Cristinao também negou ter pagado R$ 200 para que Artur Vinícius fizesse a cópia dos depoimentos.

O técnico de som, entretanto, insistiu que recebeu o dinheiro como um “sinal” e que receberia outro montante depois.

Maria Cristina é uma das advogadas do líder da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Camacho, o Marcola.

Prendam eles

O presidente da CPI do Tráfico de Armas, deputado Moroni Torgan (PFL-CE), cobrou da Justiça Federal a prisão preventiva dos advogados Sérgio Weslei da Cunha e Maria Cristina de Souza Rachado.

Os dois são acusados de transmitir à organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) declarações sigilosas feitas por delegados da Polícia de São Paulo à CPI.

O pedido de prisão dos dois advogados foi feito na semana passada, mas a Justiça ainda não se pronunciou.

Comissão de ética neles

Os advogados Sérgio Weslei da Cunha e Maria Cristina de Souza Rachado devem se apresentar no dia 19 de junho ao Tribunal de Ética e Disciplina da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil.

Mas procedimento ético-disciplinar da OAB pode demorar quatro meses para ser concluído.

A punição para os advogados vai de suspensão temporária até a expulsão da Ordem.

Números mortais

A Secretaria de Segurança Pública entregou ontem à noite — no limite do prazo de 72 horas determinado pelo Ministério Público Estadual — a lista com os nomes das 186 pessoas mortas a tiros em São Paulo nos ataques comandados pela maior facção criminosa do estado.

Nesse relatório constam cópias dos boletins de ocorrência e laudos preliminares dos peritos do Instituto de Criminalística de todos os 79 mortos suspeitos de participar da quadrilha chefiada por Marcos Camacho, o Marcola, assim como dos 31 nomes de bandidos mortos em confrontos com a polícia mas contabilizados como mortes fora do confronto entre policiais e bandidos da facção que age nos presídios.

O documento inclui ainda a situação em que morreram 42 agentes de segurança pública, entre policiais militares, civis, agentes penitenciários e guardas metropolitanos e mais quatro cidadãos comuns vítimas de tiroteio que se somariam à contabilidade do governo paulista.

Além disso, a Secretaria de Segurança encaminhou informações sobre 18 presos mortos durante rebeliões em presídios e de 12 jovens assassinados em chacinas no período.

Dança das pesquisas RJ

No Rio, o Datafolha mostra que o senador Sérgio Cabral (PMDB) lidera a disputa pelo Palácio das Laranjeiras, com 35% das intenções de voto.

O senador Marcelo Crivella (PRB) vem em segundo, com 18%.

A deputada federal Denise Frossard (PPS) vem em terceiro, com 10%, seguida pelo colega Eduardo Paes (PSDB), com 4%. Vladimir Palmeira (PT), Eider Dantas (PFL) e Milton Temer (PSOL) contam com 2% cada um.

Já Wanderley Martins (PL) e Carlos Lupi (PDT) estão empatados em 1%.

Votariam em branco ou nulo 13%. Os indecisos são 12%.

O Datafolha ouviu 1.215 pessoas, em 33 municípios, nos dias 23 e 24. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, e a pesquisa foi registrada no TRE-RJ sob o número 29331/2006.

Outra versão

Uma pesquisa realizada pelo instituto IBPS, entre 8 e 11 de maio, no Estado do Rio de Janeiro, indica que o senador Marcelo Crivella (PRB) lidera entre os que já sabem em quem vão votar para governador: ele reúne 35 pontos percentuais.

Crivella é seguido do senador Sérgio Cabral (PMDB) com 27, a deputada Denise Frossard (PPS) com 21, o deputado Eduardo Paes (PSDB) tem 5%, o ex-deputado Vladimir Palmeira (PT) 4%, o ex-deputado Milton Temer (PSOL) 2 e Carlos Lupi (PDT) 1%.

Foram entrevistados 1.104 eleitores, dos quais 56% ainda não sabem em quem vão votar. A pesquisa foi registrada no TER-RJ nº 27727/200 e no TSE com o nº 5889/2006.

Terceira pesquisa sobre o RJ

O GPP - entre os dias 20 e 21 de maio - ouviu 1.307 eleitores sobre a eleição estadual:

Governador : Sergio Cabral 26%. Crivella 20%. Denise Frossard 10%. Jorge Roberto 5%. Eduardo 3%. Eider e Wladimir 2%. Milton Temer 1%.Senador: Jandira Feghali 27%. Dornelles 23%. Rodrigo Maia 10%. Sirkis 5%. Eliomar 3%.

Nenhum/nulo/não sabe/não respondeu: 32%.

Dança das pesquisas SP

O candidato do PSDB ao governo de São Paulo, José Serra, continua liderando as intenções de voto para as eleições de outubro.

O Datafolha mostra que Serra lidera a corrida eleitoral com 52% dos votos, enquanto o candidato petista, Aloizio Mercadante, aparece com 15%. O ex-governador de São Paulo Orestes Quércia aparece neste cenário com 9% das intenções.

Na pesquisa anterior, divulgada no dia 7 de abril, Serra tinha 59% das intenções, enquanto Mercadante aparecia com 14% e Quércia com 12%. Em um segundo cenário elaborado pelo Datafolha, sem candidato do PMDB, Serra aparece com 56% dos votos contra 17% de Mercadante.

Eventual segundo turno paulista

A vantagem do candidato tucano ao governo de São Paulo, José Serra, na disputa em primeiro turno também se repete nas simulações de segundo turno.

Numa disputa entre Serra e o senador petista Aloizio Mercadante, o tucano teria 62% das intenções de voto, contra 23% de Mercadante.

Se o adversário de Serra no segundo turno fosse o ex-governador Orestes Quércia (PMDB), Serra ficaria com 63% dos votos, enquanto o peemedebista teria 18%.

A margem de erro da pesquisa Datafolha em SP é de dois pontos percentuais. O levantamento foi feito entre os dias 23 e 24 de maio.

Dança das pesquisas MG

O Datafolha pesquisou as intenções de votos dos eleitores mineiros, que devem reeleger o atual governador do Estado, Aécio Neves (PSDB), já no primeiro turno.

O tucano tem 70% da preferência do eleitorado e uma taxa de rejeição abaixo de 10%.

O petista Nilmário Miranda ficou em segundo lugar, com 6%. Tarcísio Delgado (PMDB) obteve 3%, e Rosane Cordeiro (PCO), 2%. Jorge Periquito (Prona) e Guilherme Dumont (PV) não pontuaram.

Os votos brancos e nulos somaram 8% do total, e outros 8% não souberam responder.

O levantamento foi realizado nos dias 23 e 24 de maio e ouviu 1.236 eleitores em 57 municípios.

O número do registro no TRE-MG é 27739/2006. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para cima ou para baixo.

Kassab mal na fita

A primeira pesquisa Datafolha sobre o novo prefeito de São Paulo mostra que só 10% dos eleitores paulistanos o consideram Gilberto Kassab (PFL) ótimo ou bom.

O prefeito Gilberto Kassab não conseguiu herdar os índices de aprovação de José Serra (PSDB), o seu antecessor no cargo.

Serra tinha 42% de aprovação em pesquisa realizada nos dias 6 e 7 de abril, a última avaliação feita antes que deixasse o cargo.

Kassab assumiu a prefeitura em 31 de março, quando Serra deixou a função para concorrer ao governo de São Paulo.

Nenhum prefeito obteve avaliação tão baixa em início de governo desde que o Datafolha iniciou esse tipo de levantamento, há 20 anos.

Rosinha se dá bem

Apesar dos escândalos do ONGduto, a governadora do Rio, Rosinha Matheus (PMDB), é avaliada como ruim ou péssima por 34% dos eleitores e como ótima ou boa por 30%.

Para 34% do eleitorado fluminense, seu governo é regular. Sua nota média é 5,2.

Rosinha tem força no interior, onde seu índice de ótimo ou bom chega a 37%, entre os mais pobres (40%) e entre os com pouca escolaridade (38%).

Na capital, o índice de ruim ou péssimo chega a 45%, contra 23% de ótimo ou bom.

Prefeito de BH melhor ainda

O Datafolha revela que, após quatro anos e sete meses no comando da Prefeitura de Belo Horizonte, o prefeito Fernando Pimentel (PT) é considerado ótimo ou bom para 64% dos belo-horizontinos.

O PT comanda a prefeitura da capital mineira desde 1993.

Pimentel assumiu por acaso. Era o vice do então prefeito Célio de Castro (PT), que se afastou definitivamente do cargo por motivo de doença, em 2001.

Pesquisa presidencial GPP

O GPP - entre os dias 20 e 21 de maio - ouviu 1.307 eleitores sobre a eleição presidencial:1 – Em quem votaria para presidente?

Lula 35%. Garotinho 18%. Heloisa Helena 12%. Alckmin 12%. Freire 3%. Cristóvam 1%.

2. Que imagem você tem de Lula hoje?

Positiva 45%. Negativa 44%.3. Você conhece o candidato a presidente Geraldo Alckmin?

Conhece bem 12%. Conhece só de ouvir falar 56%. Não conhece 32%.

4. Só para quem ouviu falar ou conhece bem Alckmin:

Imagem Positiva 51%. Imagem Negativa 19%.5. Só para quem conhece e tem imagem positiva (são 34%):

Lula 31%. Alckmin 30%. Garotinho 13%. Heloisa Helena 13%,...

Política e motivação!

O GPP - entre os dias 20 e 21 de maio – também ouviu 1.307 eleitores sobre a eleição política e motivação:

1. Quanta atenção normalmente você presta nas noticias políticas de tv, rádio e jornais?

Muita 41%. Mais ou Menos 31%. Pouca 27%.

2. Qual seu interesse por política?

Muito Interesse 31%, Mais ou Menos 24%. Pouco Interesse 44%.

3. Com que freqüência você conversa sobre política com seus amigos e sua família?

Com muita freqüência 21%. Com alguma freqüência 20%. Raramente 39%. Nunca 21%.

4. No Brasil sempre vai existir corrupção entre os politicos.

Concordo Totalmente 65%. Concordo em parte 18%. Discordo em parte 8%. Discordo Totalmente 8%.

Haja paciência

O presidente nacional do PT, deputado Ricardo Berzoini, ainda não desistiu de atrair o PMDB para a campanha do presidente Lula.

Estamos em meio a um trabalho de paciência e determinação”.

Berzoini avalia que o quadro das negociações partidárias ainda não está claro, e é preciso aguardar mais algumas semanas para avaliar melhor a situação.

Novela do PMDB

A Executiva Nacional do PMDB decidiu ontem, por 10 votos a 5, adiar a convenção do partido para o dia 29 de junho, tornado praticamente inviável a homologação de candidatura própria para disputar as eleições presidenciais.

Fica morta a tese da candidatura própria, uma vez que as candidaturas precisam estar homologadas na Justiça até o dia 30.

Como, até o dia 29, as convenções estaduais já terão ocorrido, as alianças estaduais já estarão sacramentadas, e os defensores da candidatura própria ao Palácio do Planalto já estarão derrotados antes mesmo do início da convenção nacional.

Inicialmente, a convenção estava marcada para o dia 11 de junho, conforme edital publicado pelo próprio partido, ontem, no Diário Oficial.

Triste capítulo político

A decisão da Executiva adiando a convenção foi mais um capítulo triste da ligação do PMDB com os interesses do governo Lula.

A novela começou ontem com a publicação do edital sobre a convenção.

Por volta das 11h, o senador Pedro Simon (RS) oficializou sua intenção de disputar o Palácio do Planalto pelo partido, tendo como vice o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho.

Poucas horas depois, os governistas José Sarney, Renan Calheiros e Ney Suassuna conseguem, na Executiva, adiar a convenção.

Vendendo a alma do partido

O senador Pedro Simon (RS) bateu pesado no presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e no senador José Sarney (PMDB-AP), aliados do Planalto e contrários a uma candidatura própria.

Eles estão querendo vender a alma do partido. Peguem qualquer facção do PT que eu duvido que ela tenha metade dos cargos que tem o Sarney e o Renan. O Renan é uma ave que pula de galho em galho. Veio do PC do B, foi homem forte do Fernando Collor de Mello, foi ministro do governo FHC. Agora, ele e Sarney são os homens de confiança de Lula”.

Os defensores da candidatura própria do PMDB prometem levar a briga à Justiça.

Palavras do Imperador

O Imperador do Rio de Janeiro, avae César Maia (PFL), criticou a estratégia de campanha do candidato tucano Geraldo Alckmin.

Maia cobrou também do PSDB uma parceira mais sólida com o PFL, detonando:

O PFL não aceita mais a composição que fez no governo Fernando Henrique. Ou seja, de entrar na garupa. Viabilizar as eleições, ganhar uns dois ministérios, não sei quantos diretorias, um espaçozinho aqui e ser traído”.

Cesar Maia afirma que o PFL quer participar com o PSDB da formulação da campanha e do governo.

E advertiu que manterá críticas públicas ao PSDB, enquanto continuar tomando conhecimento de decisões de campanha dos tucanos pelos jornais.

Lula bateu no teto

Cesar Maia considerou a pesquisa CNT-Sensus, que aponta que Lula conseguiria ganhar a disputa no primeiro turno, como positiva.

Na opinião do prefeito carioca, os dados mostram que Lula bateu no teto.

É impossível que quando Alckmin seja conhecido pelo conjunto dos eleitores ele não mude de patamar para, na hipótese mais pessimista, mais 5 pontos. Lula está com gordura, produto do desconhecimento relativo dos demais candidatos e por sua exposição ser dupla, como presidente e candidato”.

Cesar Maia condena e classifica de equivocada a estratégia do presidente do PSDB, Tasso Jereissati, de tentar estabelecer aliança com o PPS, do deputado Roberto Freire (PE).

O Imperador argumenta que, para Alckmin, quanto mais candidatos à Presidência houver, melhor, pois aumentam as chances de um segundo turno.

Concordando com Maia

O senador José Jorge (PFL-PE), vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin, concorda com o imperador.

Quanto mais candidatos na disputa à Presidência da República, melhor para a aliança PSDB-PFL.

José Jorge concorda com a tese, mas ressalta que, para PSDB e PFL, será melhor que o PMDB não lance candidato próprio.

Quanto mais candidato, melhor. Mas isso tem que ser analisado com mais detalhes. Por exemplo, se o PMDB não tiver candidato, é melhor. Já o PPS e o PDT, é melhor que tenham”.

Discordando de Maia

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), classifica de “bobagem” crítica do prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia (PFL), à estratégia adotada na campanha do tucano Geraldo Alckmin.

Maia questiona a falta de um comando unificado para a campanha do candidato da aliança PFL-PSDB. Aécio discorda e alfineta:

Quem quer ganhar uma eleição trabalha para convergir. Esses que permanentemente ficam externando essas frustrações acabam saindo do jogo ou fazendo um papel marginal dentro do processo. E acabam não tendo, no final, importância alguma”.

Para o governador mineiro, a aliança PFL-PSDB só sairá vitoriosa das eleições de outubro se a lideranças dos dois partidos colocarem “o projeto nacional acima dos eventuais descontentamentos, ou eventuais frustrações pessoais”.

ACM recorre ao Imperador

“Cesar, por favor, quero uma reunião o mais rápido possível sobre candidatura Alckmin”.

Foi o pedido, ontem, do senador Antônio Carlos Magalhães a Cesar Maia.

O cacique baiano está preocupado, porque avaliam nos bastidores, que só um fato novo pode dar um jeito na candidatura Alckmin, e o PFL está emparedado, porque não tem condições de fechar um acordo político com o PT e com o PMDB.

Gastos de publicidade

A ONG Contas Abertas faz as contas e revela: Do início do ano para cá, o governo Lula gastou com propaganda R$ 11 milhões e 200 mil reais a mais do que nos cinco primeiros meses de 2005 (valor liquidado).

Embora tenha aumentado, a despesa ainda é inferior a de Fernando Henrique Cardoso, nos primeiros meses de 2002, que também foi ano de eleição.

Até agora, R$ 69 milhões já foram aplicados em publicidade dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, quantia essa que é superior a dos demais anos não eleitorais.

Desse valor, a maior parte, R$ 56 milhões e 200 mil reais, se refere à publicidade de utilidade pública e institucional.

FHC gastou bem mais

A ONG Contas Abertas adverte que o aumento dos gastos em ano eleitoral, no entanto, não é exclusividade da atual gestão petista.

Dados extraídos do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) demonstram que os governos, independente do partido político, geralmente, aceleram ou antecipam os gastos com publicidade às vésperas das eleições.

De janeiro a maio de 2002, último ano do governo Fernando Henrique, por exemplo, os gastos com publicidade governamental mais do que dobraram em relação ao ano anterior.

Mesmo considerando valores correntes (moeda da época), as despesas de FHC com propaganda nos cinco primeiros meses do ano eleitoral superam em R$ 55 milhões e 900 mil reais a quantia gasta por Lula até agora.

Os números das despesas com publicidade

Confira os gastos da União com publicidade, considerando os meses de janeiro até maio, em diferentes anos:

FHC 2001 – R$ 56.705.271,70
FHC 2002 – R$ 124.891.649,00
Lula 2003 – R$ 36.863.900,07
Lula 2004 – R$ 54.693.996,08
Lula 2005 – R$ 57.868.346,80
Lula 2006 – R$ 69.031.841,05

Mega-Fusão aprovada

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica aprovou ontem, com restrições e imposições, a fusão entre as operadoras de TV paga por satélite Sky e DirecTV.

Cinco integrantes do Cade que participaram do julgamento votaram em favor do relatório apresentado pelo conselheiro Luiz Carlos Delorme Prado. Outros dois não votaram alegando impedimento.

Em seu voto, o relator recomendou restrições à atuação da nova empresa, repetindo o que aconteceu nos Estados Unidos na aquisição da DirecTV Group pela News Corporation, empresa que passou a deter o controle da Sky e da DirecTV no Brasil.

Argumento da concorrência

O Cade argumentou que as restrições têm por objetivo manter a concorrência no mercado brasileiro.

Entre as restrições propostas por Prado está a padronização dos preços de pacotes de conteúdo aos assinantes em todo o território nacional.

O Cade determinou restrições às empresas ligadas à Sky Brasil, nome que deverá ser adotado pela nova companhia.

As restrições

A News Corp, por exemplo, ficará impedida de contratar com exclusividade os direitos de transmissão dos campeonatos de futebol Brasileiro, Libertadores da América e Copa do Brasil, além dos campeonatos estaduais do Rio de Janeiro e São Paulo.

A Globo Par, suas afiliadas ou empresas ligadas ao grupo Globo e Net Brasil deverão se abster de vetar a transmissão de conteúdo nacional.

Os programadores que atualmente fornecem conteúdo às duas empresas tiveram preservado pelo Cade o direito de ter seus produtos mantidos na grade da nova empresa pelo período de três anos.

Atendendo ao MST

A Petrobras estuda investir mais de US$ 20 milhões na construção de uma usina de refino de biodiesel de 100 mil toneladas por ano e de ao menos três esmagadoras de grãos para a produção de óleo no Estado de São Paulo.

O financiamento para as obras seria feito pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e tanto as esmagadoras, quando o cultivo do grão, ficariam sob responsabilidade de pequenos produtores e trabalhadores rurais assentados.

A proposta prevê que as esmagadoras do óleo fiquem espalhadas pelo Estado, prioritariamente em regiões com alto índice de assentados do MST, como o Pontal do Paranapanema.

Ficou definido que a matéria-prima para o óleo e o biodiesel seja o girassol.

Pelos cálculos iniciais, seriam beneficiados 13 mil assentados, sem contar com os pequenos produtores rurais não necessariamente ligados ao Movimento dos Sem Terra.

A Petrobras manifestou o interesse de construir a usina em Araraquara (SP), cujo prefeito, Edinho Silva (PT), ligado ao MST.

Nos EUA, o bicho pega...

Um júri norte-americano decidiu ontem que o ex-presidente-executivo da Enron Jeffrey Skilling é culpado de 19 acusações criminais, mais de quatro anos depois de a empresa de energia ter entrado em colapso em meio a um enorme escândalo financeiro.

Skilling, de 52 anos, foi condenado por uma acusação de conspiração, 17 acusações de fraude e de falso testemunho e uma acusação de negociação com informação privilegiada. A pena pode chegar a até 185 anos de prisão.

O fundador da Enron, Kenneth Lay foi julgado culpado em todas as dez acusações de fraude bancária, incluindo uma de declarações falsas que pesava contra ele em um caso separado, relacionado a suas finanças pessoais.

Em um outro julgamento, o juiz distrital da corte de Houston (Texas), Sim Lake, considerou Lay culpado em quatro acusações de fraude e declarações falsas.

O pronunciamento final das sentenças deve ser feito no início de setembro.

Prisão de donos da RedeTV!

A Justiça determinou a prisão do presidente e do vice-presidente da Rede TV!, Amílcare Dallevo e Marcelo de Carvalho Fragali.

A decisão da juíza Patrícia Almeida Ramos é referente ao processo pelo não pagamento de uma dívida trabalhista a João Henrique Schiller, ex-diretor da emissora e da antiga TV Manchete.

Os dois não deverão ir para a cadeia, no entanto, porque já teria sido concedido um habeas corpus preventivo aos empresários.

Em decisão de 9 de agosto de 2005, a juíza havia condenado os dirigentes ao pagamento de 30% do faturamento bruto da Rede TV!, valor equivalente aos salários atrasados de Schiller, estimado em R$ 3 milhões.

O valor deveria ser descontado diretamente das contas de Amílcare Dallevo e Marcelo de Carvalho Fragali, já que não há uma conta corrente em nome da empresa.

Momento rico?

O presidente Lula aproveitou ontem a entrevista concedida ao lado do colega francês, Jacques Chirac, no Palácio da Alvorada, em Brasília, para afirmar que a América Latina “vive um momento político muito rico”, de construção da democracia, que contrasta com o cenário de autoritarismo que imperava na região há pouco tempo.

Questionado sobre o movimento nacionalista que brota em alguns países da região, como a Bolívia, Lula respondeu que nossa democracia é recente.

Se tivéssemos tido uma Revolução Francesa há 200 e poucos anos, quem sabe tivéssemos mais forte a nossa democracia, mas não tivemos”.

Adeus às armas aparente

Lula acha que o fortalecimento das instituições está ocorrendo agora.

Para as pessoas que têm dúvidas, é importante saber que, há menos de uma década atrás, ou, em alguns países, há 20 anos, nós vivíamos aqui com quase todos os países subordinados a regimes autoritários, com grupos que acreditavam na luta armada como solução para os problemas da política”.

De acordo com Lula, fazendo um discurso embromador do Foro de São Paulo, tudo mudou:

E o que aconteceu de 90 para cá? Todos os grupos, com exceção das Farc (Forças Armadas Revolucionárias), na Colômbia, resolveram abandonar a luta armada e entrar na disputa democrática. É importante lembrar que até o presidente Chávez tentou um golpe de Estado, não conseguiu e depois ganhou as eleições pela via democrática”.

O presidente Lula avalia que “temos que aprender a viver com determinadas turbulências que só existem quando há democracia”.

Argumentos falsos

Os argumentos do presidente Lula não conferem com a realidade institucional brasileira atual.

Todas as instituições estão contaminadas pela corrupção das organizações criminosas que dominam o poder político no País.

Por aqui não temos e nunca tivemos democracia, que é a segurança do direito. Em nosso País vigoram a injustiça, a impunidade e a total insegurança e desrespeito às regras estabelecidas.

Além disso, os recentes ataques de guerrilha urbana, realizados por membros do PCC, mas orientados por outros movimentos políticos de cunho pretensamente revolucionário - que acreditam na violência e no poder das armas – desmentem a noção lulista de que as soluções políticas não são buscadas via fuzil.

A quem o presidente tenta enganar com o seu discurso falsamente democrático?

Esforço inútil

A economia do governo para o pagamento de juros atingiu R$ 19 bilhões e 600 milhões reais no mês passado, a maior em 15 anos.

No ano, porém, o superávit primário acumula R$ 40 bilhões e 400 milhões de reais, resultado 8,2% menor do que o verificado em igual período do ano passado.

Descontados os gastos com juros, o esforço revela-se insuficiente para impedir o déficit de R$ 16 bilhões e 600 milhões de reais nos quatro primeiros meses do ano.

Ou seja, foi inútil o aperto promovido em conjunto pela União, Estados, municípios e empresas estatais para o pagamento apenas de juros – e não o principal - de suas dívidas.

A dívida pública interna é de R$ 1 trilhão e 16 bilhões de reais (51% do PIB).

Fogo amigo econômico

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, adverte que as medidas cambiais em estudo no governo independem da situação de turbulência momentânea, mas serão postas em prática apenas se houver necessidade.

São medidas que só melhoram a legislação brasileira cambial, que modernizam a legislação, portanto não há nenhum problema em adotá-las, desde que com cautela. Só serão postas em prática, evidentemente, em se havendo necessidade. Se não houver necessidade, você não vai chover no molhado, não vai pô-las em prática”.

Detalhe: o poderoso Henrique Meireles é contra mexer na banda cambial, o que já gera um atrito entre ele e Mantega na equipe econômica.

Medo da pressão do campo

Para tentar reverter a crise na agricultura, o governo decidiu renegociar até R$ 10 bilhões e 600 milhões em dívidas dos produtores rurais, reduzir os juros cobrados em algumas linhas de investimento e adiar por 180 dias o registro de inadimplentes na dívida ativa da União.

O governo também resolveu aumentar em R$ 2 bilhões o volume de recursos destinados aos financiamentos para capital de giro com dinheiro do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e também o prazo desses empréstimos.

Além disso, o pacote de socorro ao setor anunciado ontem no final da tarde com a presença de três ministros (Fazenda, Agricultura e Planejamento), incluiu R$ 50 bilhões em créditos para a nova safra e outros R$ 10 bilhões para a agricultura familiar.

Lula quer conter a reação de agricultores, que têm feito protestos, fechando estradas. A idéia de Lula é amortecer o setor rural, em revolta e oposição aberta ao governo.

Combatendo a exclusão escolar

A Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude de Leopoldina/MG expediu Ofício Circular a todas as escolas municipais e estaduais, requisitando informações precisas sobre todos os alunos (as) matriculados no início do ano, que tenham sido transferidos da escola ou estejam infreqüentes por mais de 20 dias.

A decisão foi do promotor de Justiça Dr. Sérgio Soares da Silveira, que apenas cumpre o Art. 201 da Lei 8069/1990.

Se todos os promotores seguissem seu exemplo de ações no sentido de assegurar o acesso das crianças e dos adolescentes à educação, seria um grande passo para a melhoria da Educação nacional” – comenta nossa leitora Glória Ribeiro em seu blog http://gloria.reis.blog.uol.com.br/

Curso gratuito e importantíssimo

Nos dias 29 a 31 de maio, a Assembléia Legislativa de São Paulo promoverá o curso “Processo Legislativo”, com o objetivo de esclarecer a sociedade civil, sobre a tramitação de projetos, a atuação das comissões e quais as melhores formas e momentos para darem suas sugestões.

Munidos das ferramentas e de conhecimento sobre o processo, espera-se que os cidadãos passem a interagir com o legislativo do Estado, com maior assiduidade e eficiência.

A abertura do curso será no dia 29 de maio, segunda-feira, às 14 horas, no Instituto Legislativo Paulista, com a presença do deputado Rodrigo Garcia, presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo.

Quem quiser participar pode buscar informações nos telefones: 3886-6288, 3886-6289, com a Juliana Multini.

Luzes para o Masp

O Ministério Público abriu inquérito para investigar se o acervo do Museu de Arte de São Paulo, o Masp, corre risco de dano e segurança, porque a instituição está funcionando à base de geradores, por conta do corte de energia realizado pela Eletropaulo na última terça.

A iniciativa foi do promotor de Justiça do Meio Ambiente, Luis Roberto Proença.

Entre as áreas de responsabilidade da Promotoria do Meio Ambiente estão o patrimônio artístico e o cultural.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:

jorgeserrao@gbl.com.br

Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

Um comentário:

Anônimo disse...

segue link no Linkk para você votar na sua notícia

http://www.linkk.com.br/story/O-Brasil-governado-pelos-interesses-do-crime-organizado/