quinta-feira, 31 de agosto de 2006

Professor brasileiro denuncia ao embaixador norte-americano a omissão do ministro Bastos no combate ao cartel do oxigênio

Edição de Quinta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Edição em áudio a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Exclusivo – “O Brasil está, deliberadamente, descumprindo o Acordo de Cooperação firmado com os Estados Unidos para combater cartéis. O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, se nega a notificar autoridades norte-americanas sobre as investigações que aqui estão sendo realizadas contra o “Cartel do Oxigênio” que encarece os custos hospitalares no País. Trata-se de um esquema de organização criminosa, cujos integrantes também atuam no mercado da América no Norte”.

A denúncia é do Professor de Lógica Matemática João Batista Pereira Vinhosa, que enviou uma carta ao Embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Clifford Sobel. Este brasileiro do município de Itaperuna, no Noroeste do Estado do Rio de Janeiro, pede às autoridades de Defesa da Concorrência nos EUA, no Departamento de Justiça e na Comissão Federal de Comércio, que investiguem os abusos da empresa White Martins. A OAB já denunciou o escândalo ao presidente Lula, que passou a bola para o Ministério da Justiça.

João Batista Vinhosa denuncia que o Ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos – que comanda a área responsável por zelar pelo fiel cumprimento do Acordo – não se manifestou sobre o assunto, nem mesmo diante de um categórico documento a ele repassado pelo Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato. O cidadão Vinhosa destaca que o ministro Thomaz Bastos conhece profundamente o quanto a empresa White Martins (líder do cartel) tem prejudicado o consumidor brasileiro. Vinhosa lembra que, “na condição de advogado da White Martins, nosso atual Ministro da Justiça fracassou ao alegar que a mesma agia honestamente nas licitações realizadas por nossos hospitais públicos”.

No documento ao Embaixador norte-americano, João Batista Vinhosa destaca que a empresa norte-americana Praxair Inc. é proprietária da totalidade das ações da White Martins, líder no setor de Oxigênio no Brasil. O cidadão denuncia: “O remanejamento de executivos entre as empresas é um forte indício de procedimentos comerciais idênticos. Logo, lícito torna-se inferir que o consumidor de seu país esteja sendo explorado da mesma maneira que o consumidor brasileiro”.

Na carta, enviada ontem, o brasileiro coloca o dedo na ferida: “Apesar das graves conseqüências que poderão advir deste fato (falência do Acordo, abalo da confiança entre as partes e inibição de futuras parcerias), as autoridades de nosso tão corrupto país têm agido de maneira preocupante, colocando em risco os últimos resquícios de credibilidade moral que ainda temos. Parece até que descumprir acordo não prejudica a reputação do país, com reflexos, inclusive, sobre uma das maiores pretensões de nossa política externa, que é ter assento no Conselho de Segurança da ONU”.

Vitória no Exército

João Batista Vinhosa tem obtido vitórias em sua guerra quase solitária contra o cartel do oxigênio e demais gases no Brasil.

Baseado em documentos a mim encaminhados pelo Exército Brasileiro, Vinhosa denunciou ao Tribunal de Contas da União o superfaturamento de Gases Medicinais praticado pela empresa White Martins contra o Hospital Central do Exército (HCE).

Demorou três anos, mas no dia 5 de julho deste ano, o TCU julgou o processo e fixou em R$ 6.618.085,28 o valor a ser devolvido aos Cofres Públicos.

“Considerando que o TCU já havia aprovado as contas denunciadas, essa teria sido mais uma gatunagem contra hospital público que teria ficado impune, caso o Exército Brasileiro tivesse dificultado o acesso aos documentos por mim solicitados. No entanto, o Exército encaminhou-me pelo correio tudo que eu solicitei pelo correio, agindo com absoluta transparência e evitando a usual burocracia, eficiente escudo da corrupção”.

Na opinião de João Vinhosa, vale a pena lutar até o fim para deixar as coisas corretas na administração pública.

Derrota parcial em Macaé

Se demorou, mas venceu no caso do Exército, João Batista Vinhosa se transformou em vítima de um processo judicial por denunciar “ilicitudes nas aquisições de Gases Medicinais” realizadas pelo Hospital Público de Macaé (HPM), na região Norte Fluminense.

Procedi com o HPM da mesma maneira que procedi com o HCE: solicitei, por correspondência, cópia dos documentos que ampararam as aquisições realizadas pelo HPM. Fracassei, apesar de minha insistência. Mas por causa da matéria publicada no jornal Diário da Costa do Sol do dia 20/12/05 sob o título “Empresário denuncia fraudes no Hospital Público de Macaé”, a Fundação Municipal Hospitalar de Macaé (FMHM), mantenedora do HPM, contra mim moveu uma ação judicial na qual pede uma indenização de R$ 100.000,00 por danos morais”.

No dia 21 de agosto, João Vinhosa enviou uma carta ao prefeito de Macaé, Riverton Mussi, pedindo que sejam liberados os documentos (da mesma forma como fez o Exército Brasileiro) para que ele possa provar, na Justiça, o escândalo que está denunciando.

João Batista Vinhosa ainda lança um desafio:

Provado, de maneira incontestável, que está se tentando obter a condenação de um inocente, a moralidade administrativa recomenda que a FMHM desista da ação indenizatória e processe as empresas que fraudaram a pesquisa de preços”.

Pressa em sair do governo

Na Ilha da Fantasia, cercada de políticos honestos por todos os lados e encravada no Planalto Central, ainda é um mistério o mais novo motivo para que o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, esteja “demissionário” pela enésima vez.

Bastos, que gostaria de deixar o governo Lula imediatamente, garante que não fica no ministério, a partir de 1º de Janeiro, caso o Presidente consiga se reeleger – como tudo indica que possa acontecer, de acordo com as pesquisas de opinião.

Thomaz Bastos quer retornar ao seu lucrativo escritório de advocacia – tão logo a “quarentena” do governo permita -, e voltar a ter momentos felizes de lazer, curtindo sua amada Carmem Miranda – a pequena notável cantora da qual ele se considera um dos maiores fãs no Brasil.

Protegendo o PT ou o PCC?

Não será surpresa se o jornal O Estado de São Paulo fizer um duro ataque à campanha estadual tucana ou contra seu candidato, em São Paulo.

A direção do Estadão está injuriada com uma postura de José Serra, que está atrapalhando o andamento de uma reportagem sobre um tema politicamente explosivo.

José Serra proibiu o Secretário de Segurança Pública Saulo Abreu de Castro de conceder qualquer entrevista ou fornecer o conteúdo de escutas telefônicas legais, autorizadas pela Justiça, que revelam conversas entre membros da facção criminosa Primeiro Comando do Capital e alguns dirigentes e famosos filiados ao Partido dos Trabalhadores, que têm interesses e negócios comuns na área de transporte (leia-se vans ou peruas).

José Serra teria alegado a Saulo que a divulgação só pode acontecer (se acontecer) depois da eleição.

Resta saber a quem deseja preservar, com o segredo de um fato grave, o ex-ministro da Saúde e ex-prefeito de São Paulo (que não cumpriu a promessa de ficar ao fim do mandato) – provável próximo governador do Estado em que atua o PCC (que faz aniversário hoje).

Aniversário do PCC

Os paulistas têm um péssimo motivo para comemorar.

A organização criminosa Primeiro Comando da Capital, especializada em terceirizar ataques terroristas e de guerrilha urbana com fins políticos, celebra hoje sua data de fundação.

Também conhecida, nas cadeias, pelo código 15.3.3 (número que representa as posições das letras PCC no alfabeto), o bando já está comemorando desde a madrugada de terça para quarta-feira, com novos ataques que aterrorizam São Paulo, e recebem destaque total na mídia – para alegria dos bandidos e dos seus verdadeiros controladores.

Sob o comando de seu “chefe” Marcola, o PCC promete azucrinar a vida dos paulistas... Ninguém merece...

Aniversário da Confraria do Garoto

Os cariocas têm um bom motivo para comemorar. Confraria do Garoto, sob o comando do Xerife Nelson Couto, comemora hoje seu aniversário e o 31º Encontro Anual da Ordem dos Eméritos Cariocas da Gema.

A big festa acontece no "espaço oficial da Confraria" na calçada ao lado Teatro Municipal nesta quinta-feira, dia 31, as 13h, na Av. 13 de Maio, 13, no Centro do Rio de Janeiro.

O evento terá como "enredo" VIVA PAMPLONA”, em homenagem ao carnavalesco e jornalista Fernando Pamplona.

A Imperatriz Leopoldinense, acompanhada de Rosa Magalhães e Mocidade Independente, vai "rodar a bahiana" no Centro.

Ao seu lado estarão Haroldo Costa, Mestre Louro, Sabiá, um dos fundadores do Salgueiro, Velha Guarda, Raízes da Tijuca, Hans Donner e sua esposa Valéria Valenssa (também homenageada), o locutor relâmpago Ernani Pires Ferreira, José Carlos Araújo (o verdadeiro Garotinho), o Cel. Marcos Silva, Ruy Castro, Kate Lyra (tão boazinha!), Ricardo Cravo Albin. fundador do M.I.S., Ricardo Macieira, Secretário "Múltiplo", Izabelita dos Patins, Elias Nacif, Agência France Press, Evandro Teixeira, o Prof. Carlos Lessa, a trocadora do ônibus 350 -Angela Cruz e seus "passageiros", a filha de Ary Barroso (Dona Mariuza), Gigi da Mangueira, a Miss Brasil da Terceira Idade, o gari Renato Sorriso, Dercy Gonçalves e cariocas "gente boa" e adotivos, que tornam o Rio mais alegre e mais humano.

Todos serão recebidos com toque de clarins, tapete vermelho, pétalas de rosas, garçons com luvas de pelica e muita arruda-macho.

Frei Clarêncio Neotti, guardião do Convento Santo Antonio, dará o batismo aos presentes.

Cadáver politicamente insepulto

O jornalista Carlos Chagas antecipou em sua coluna da Tribuna da Imprensa, no último dia 26, e vale a pena ficar esperto.

O caso Celso Daniel receberá profundos acréscimos no sentido da demonstração de que o prefeito de Santo André foi mesmo assassinado por interesses ligados ao PT e ao sistema de arrecadação de recursos do partido.

Uma testemunha-chave dispõe-se a abrir os bastidores da questão até hoje inconclusa, envolvendo dirigentes petistas daqueles idos e detalhes de uma operação tão cruel quanto desastrada.

Razões do assassinato

Carlos Chagas adverte que, na versão que pode vir à tona, Celso Daniel foi assassinado porque preparava amplo dossiê da roubalheira promovida por membros da cúpula do PT, envolvendo a sua e outras prefeituras geridas pelo partido e empresas aquinhoadas com concessões e contratos de prestação de serviços.

O ex-prefeito de Santo André chegou a ser torturado e friamente executado, depois de dois dias de cativeiro.

A novidade está no aparecimento de provas, não apenas testemunhais sobre o crime que tira os petistas do sério.

Movimento internacional pró-Dirceu

Foi aprovado ontem o lançamento de um movimento internacional pela anistia e reabilitação do ex- Ministro José Dirceu, considerado vítima de “um golpe moralista da burguesia fascista”.

A deflagração oficial da campanha deve começar com um patético apelo de Fidel Castro, ainda no leito do hospital, em favor do revolucionário Dirceu.

A iniciativa pró-Zé foi debatida ontem na reunião paralela da auto-denominada “esquerda tradicional” à fundação da Comunidade Sul-americana de Nações (imaginada por Hugo Chaves para substituir o Mercosul).

De volta ao governo?

O representante do Brasil no encontro, o assessor internacional de Lula, Marco Aurélio Garcia informou que a volta de Dirceu ao Governo será a primeira providência de Lula caso seja reeleito, situação que considera garantida.

Garcia informará aos aliados que já está tudo esquematizado, pronto um ante-projeto de lei e estabelecidas as devidas combinações com setores pluripartidários para o retorno de Dirceu.

O Alerta Total já antecipou que, no próximo mandato, José Dirceu será “Secretário particular do Presidente Lula”.

Só que, ao contrário do que desejam alguns petistas, o “posto” não seria ocupado “no governo”, mas sim em uma secretaria montada pelo PT, que já está ajeitando um imóvel alugado ao lado da sede do partido, em Brasília, para acomodar o Super Zé.

Geraldo grampeado

Nos bastidores da campanha eleitoral, circulava ontem a revelação de que todos os passos do Picolé de Chuchu foram mapeados por seus adversários, através de suas conversas telefônicas.

Agora, Geraldo Alckmin quer saber quem foi que grampeou seus telefones ilegalmente.

O tucano não quer mais saber de falar ao celular – pelo menos algum assunto que tenha alguma importância.

Nóis erremos, mas acertemos!

Na nota “Lobby do Jeep indestrutívelAlerta Total de ontem errou na grafia da empresa norte-americana que ofereceu seus super jeeps blindados para segurança pública no Rio de Janeiro, São Paulo e também para o Exército.

É “Hummer” – e não Hamer (como redigimos, e se pronuncia) – o carrinho que têm alto poder de destruição e segurança para os ocupantes.

No entanto, é certa a informação de que a empresa pensa em vender 1.200 viaturas, cada uma custando o valor subsidiado de US$ 45 mil dólares – quando na verdade custam US$ 60 mil dólares.

Nosso redator, que tem uma escolaridade digna de um Presidente da República, confundiu a pronúncia da marca do super-jeep com a grafia.

O leitor que nos fez o alerta sobre o erro dá a dica para que você conheça mais detalhes sobre o super-carro em http://www.hummer.com

O direito de botar a boca no trombone

Não é cabível a instauração de ação penal ou civil contra congressista por suas opiniões palavras ou votos, no exercício de suas funções, quer sejam manifestadas na tribuna do Congresso ou reproduzidas nos meios de comunicação.

Com este entendimento, o ministro Celso de Mello confirmou a posição que consagra a inviolabilidade do mandato parlamentar em matéria de opinião.

Foi assim que o STF rejeitou o pedido de interpelação feito pelo deputado Henrique Fontana (PT-RS) contra o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA).

Problema pessoal

Como o pedido de interpelação é um passo prévio para a abertura de ação penal - e não cabe a ação penal -, “torna-se juridicamente inviável a própria formulação do pedido de explicações”.

Henrique Fontana entrou no Supremo Tribunal Federal com pedido de interpelação contra ACM, que da tribuna do Senado, o teria acusado e ao seu partido de estar associado à invasão do Congresso por um grupo de sem terra.

Fontana acusa o bondoso ACM de ter proferido uma série de inverdades e de acusações, ofendendo-o na honra pessoal.

O Poderoso trator paraibano

Um de nossos agentes secretos espalhados no Nordeste brasileiro revela: Além de comerem o dinheiro das ambulâncias, os deputados federais, atolados até o pescoço com o caso das sanguessugas, também foram por demais generosos na compra de tratores para os mais diversos segmentos do Estado da Paraíba.

Nosso agente destaca o trabalho tratoral do grandalhão Carlos Dunga (PTB-PB), atual candidato a primeiro suplente de senador na chapa do tucano Cícero Lucena, que apresentou várias emendas ao orçamento da União para a aquisição das máquinas:

Emenda nº 35290002/2001 no valor de R$ 220.000,00 para o município Juareizinho (PB)
Emenda nº 35290003/2001 no valor de R$ 220.000,00 para o município Paulista (PB)
Emenda nº 35290004/2001 no valor de R$ 220.000,00 para o município Itaporanga (PB)
Emenda nº 35290005/2001 no valor de R$ 135.000,00 para o município Catolé da Rocha (PB)
Emenda nº 35290006/2001 no valor de R$ 70.000,00 para o município Barra de São Miguel (PB)
Emenda nº 35290007/2001 no valor de R$ 105.000,00 para o município de Garrotes (PB)
Emenda nº 35290008/2001 no valor de R$ 70.000,00 para o município de Serra Branca (PB)
Emenda nº 35290009/2001 no valor de R$ 50.000,00 para o município de Serra Redonda (PB)
Emenda nº 35290010/2001 no valor de R$ 50.000,00 para o município de Cabaceiras (PB)
Emenda nº 35290011/2001 no valor de R$ 50.000,00 para o município de Emas (PB)
Emenda nº 35290011/2002 no valor de R$ 90.000,00 para o município de Caturité (PB)
Emenda nº 35290019/2002 no valor de R$ 100.000,00 para o município de Santa Rita (PB)
Emenda nº 35290002/2005 no valor de R$ 1.460.000,00 para o estado da Paraíba
Emenda nº 35290010/2006 no valor de R$ 500.000,00 para o estado da Paraíba

Carlos Dunga é candidato a primeiro suplente de senador na chapa do tucano Cícero Lucena.

Salários de Marajá

Após 18 anos de tentativas, o Brasil ainda não conseguiu determinar um limite para os salários e aposentadorias do serviço público.

No Executivo federal, existem 129 funcionários que recebem, por mês acima, do limite em vigor para a União (de R$ 24 mil e 500 reais, que é o valor de um salário de Ministro do Supremo Tribunal Federal).

Os “marajás” estão principalmente nas universidades, onde a maior remuneração chega a R$ 38 mil e 270 reais.

Culpa da Justiça?

Ninguém consegue aplicar o teto porque a Justiça tem sido generosa com os servidores que recorrem a ela.

Prevalece no Judiciário o entendimento de que a garantia constitucional da irredutibilidade de vencimentos se sobrepõe ao teto, também criado pela Constituição de 1988.

Até 1998, o maior obstáculo era a interpretação de que vantagens pessoais, como gratificações, principal motivo dos altos salários, não se sujeitavam ao limite.

A Emenda 19 atacou o problema, mas também não funcionou porque amarrou a vigência da nova regra a uma lei de iniciativa comum dos chefes dos Três Poderes da União que nunca foi proposta.

A Emenda 41, de 2003, veio para corrigir os defeitos da 19, mas sua implementação esbarrou na questão da irredutibilidade.

O recente recuo do Supremo Tribunal Federal (STF), ao rever o corte feito em 2004 nas aposentadorias de quatro de seus ex-ministros, abriu caminho para que outros tribunais, principalmente nos Estados, deixassem de se enquadrar nas duas resoluções baixadas em março deste ano pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), guardião do limite remuneratório no Judiciário.

O empreguismo paralamentar

A Câmara dos Deputados conta com 15 mil e 600 funcionários na ativa.

Mas apenas 3.579 são efetivos (contratados mediante concurso público).

Nos gabinetes, estão lotados 9.821 secretários parlamentares, com salários entre R$ 300 e R$ 4 mil, que são de livre nomeação.

Além desse quadro, existem mais 2.266 CNEs (Cargos de Natureza Especial), espalhados principalmente pelos cargos da Mesa Diretora e pelas lideranças partidárias, mais órgãos técnicos.

Todos são cargos de livre nomeação, e seus ocupantes podem ser demitidos a qualquer momento.

Driblando sempre a lei

Os CNEs foram criados para suprir uma carência de pessoal na Câmara, enquanto não havia concurso público.

As seleções públicas começaram, as contratações ocorreram, mas os parlamentares continuaram se valendo dos cargos para empregar quem bem entendem.

Seiscentos cargos de confiança criados para assessorar órgãos técnicos da Câmara dos Deputados estão loteados politicamente entre 149 deputados e 24 ex-parlamentares — números que correspondem a um terço da Casa.

Super-salários

Com salários entre R$ 1.900 e R$ 8.200, esses assessores estão efetivamente acomodados nos gabinetes dos deputados, nos cargos da Mesa Diretora, nas lideranças partidárias e até nos escritórios dos deputados nos seus estados de origem

Existem cargos ocupados por parentes de parlamentares, sem contar os funcionários fantasmas.

Somados, os cargos resultam numa despesa extra mensal de R$ 1 milhão e 600 mil reais — ou R$ 20 milhões por ano.

Tempo de Resistência

Quem quiser ver, na telinha, Denize Crispim, José Dirceu, Franklin Martins e Leopoldo Paulino como “artistas de cinema” deve se ligar hoje (31 de agosto) no Programa DOC Brasil, que será exibido a partir das 23h 40min na TV Cultura da Rede Brasil ou na Tv Thathi/ Canal 33 UHF ou 22 Net.

É um filme de André Ristum, com roteiro de Ícaro Martins, baseado no livro Tempo de Resistência e nos depoimentos dos companheiros que lutaram contra o Golpe Militar e a Ditadura articulada pelos Estados Unidos e a elite brasileira entreguista” – conforme destaca a propaganda do evento.

Na sinopse, aparecem como destaques: “O contra-ataque da direita, incluindo estudantes ligados ao CCC e a perseguição aos integrantes dos movimentos de oposição. O Congresso da UNE, em Ibiúna, SP. A atuação da ALN, FALN, UPR, MR-8 e os vários grupos de esquerda.Foi acompanhada a terceira etapa do Golpe, com o progressivo fechamento do cerco aos integrantes dos movimentos de resistência à ditadura. Os Atos Institucionais e a escalada de violência. O surgimento da guerrilha e sua repressão, fazendo várias vítimas que caíram lutando ou nas sessões de tortura. As crescentes derrotas das organizações revolucionárias, com as prisões ou o exílio de seus integrantes”.

Site a Verdade Sufocada

Apresentando uma versão bem diferente do filme em que Dirceu e companhia são estrelas, o Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, autor do livro A Verdade Sufocada, acaba de lançar a página da Internet da publicação.

“Nele serão colocados pequenos trechos do livro "A Verdade Sufocada - A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça-, tão boicotado pela maioria da mídia. No site você também pode ler trechos do livro " Rompendo o silêncio”, publicado em 1987, e realizar download gratuito do mesmo. Visite-o. Mande sua opinião colabore. Mande sugestões, artigos”.

O site é: http://www.averdadesufocada.com/

Boa sugestão de matéria

Sugestão do jornalista Magnho José, especialista na cobertura e análise do noticiário de jogos no Brasil, depois de uma polêmica reportagem criticando os bingos:

O Globo deveria pautar reportagem com os desdobramentos das investigações do Ministério Público Federal, sobre a promoção "Seleção do Faustão", realizada durante a Copa do Mundo pela TV Globo. A Globosat utilizou uma brecha na legislação para realizar um sorteio de prêmios”.

Segundo a Folha de SP, a arrecadação superou R$ 80 milhões, sem que houvesse fiscalização de qualquer órgão federal sobre a lisura do sorteio e da entrega dos prêmios, além de não ter havido nenhuma contrapartida social.

Assalto oculto ao nosso bolso

O consumidor brasileiro é o maior prejudicado pelos impostos camuflados aplicados contra empresas e bancos.

Um dos setores vítimas da carga tributária – e que penaliza diretamente o bolso da população – é o setor de energia elétrica.

Os impostos ocultos contribuíram para que as tarifas pagas pelos consumidores aumentassem, em média, 250% nos últimos dez anos.

Um levantamento da consultoria PriceWaterhouseCoopers - divulgado pelo Instituto Acende Brasil - mostra que o setor elétrico é campeão em pagamento de tributos no Brasil, em comparação com todos os outros países pesquisados.

Cláudio Sales, presidente do Acende Brasil, critica que “utilizar as empresas de energia elétrica como coletoras de impostos foi a forma que o governo encontrou de terceirizar suas responsabilidades".

Bancos sofrem; nós pagamos!

Os impostos ocultos afetam o setor financeiro, e o bolso de quem pega dinheiro emprestado ou tem conta corrente com tarifas altíssimas.

Por causa dos recolhimentos compulsórios ao Banco Central, os bancos não podem emprestar todos os recursos disponíveis.

O custo para o tomador de crédito é de uma taxa anual de 29,40%, depois que os bancos são obrigados a recolher compulsórios. Pagar CPMF, Imposto de Renda, Pis, Cofins e Imposto sobre Operações Financeiras – o IOF.

Impostura do governo

O valor do imposto oculto é superior ao total de crédito oferecido à indústria, ou ao total do crédito rural e habitacional juntos.

Em junho, o total de recolhimentos compulsórios no Banco Central do Brasil era de R$ 155 bilhões.

Segundo Roberto Luis Troster, economista-chefe da Febraban, baixar o custo do crédito interessa aos bancos e à nação.

Aliás, baixar os impostos e eliminar a tributação oculta também interessa ao bolso dos consumidores brasileiros.

Na cidade sem meu carro

Hoje começa, no Rio de Janeiro, a primeira celebração de um Movimento internacional em defesa do meio ambiente e da qualidade de vida nas cidades, que acontece anualmente no dia 22 de setembro.

Trata-se da Jornada "Na Cidade Sem Meu Carro", que tem uma programação curiosa – e de fazer inveja a qualquer paulista -, a partir das 18 horas.

Será o Desafio Intermodal, uma espécie de "Corrida urbana" ponto a ponto, na hora do rush, utilizando diferentes modais de transporte: Bicicletas, Ônibus, Carro, Taxi, Metrô, Patins.

Um grande desafio

A largada acontece Central do Brasil às 18h. Cada participante sairá da Central do Brasil e deverá chegar a Praça Antero de Quental passando obrigatoriamente pela Estação do Metrô da Siqueira Campos em Copacabana.

Todos devem respeitar as leis de trânsito e as regras de segurança de cada modal utilizado.
Além disso, o motorista do automóvel particular e da bicicleta deverá estar com seu veículo estacionado na largada e deverá estacioná-lo para chegar ao ponto de encontro final como pedestre.

Serão computados dados como tempo de viagem, despesas, emissão de poluentes entre outros.
Neste dia, será iniciada a distribuição de folhetos convidando o cidadão a deixar seu carro em casa no dia 22.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br
Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

quarta-feira, 30 de agosto de 2006

ACM xinga Lula de “indigno”, “mentiroso” e “ladrão”, mas Presidente afirma que não guarda lixo embaixo do tapete

Edição de Quarta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Edição em áudio a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

A campanha eleitoral desceu ontem ao nível do esgoto, onde metaforicamente habitam os ratos que roubam a nação. O senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) subiu à tribuna do Senado e chamou o Presidente da República de “indigno”, “mentiroso” e “ladrão”, pregando que o lugar dele era “na cadeia”. Um pouco mais polido no discurso, o Senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) criticou que Lula está incutindo nos brasileiros mais pobres o que classificou de três nefestos tipos de cultura: a cultura do não trabalho, a cultura da corrupção e a cultura da mentira.

No Senado, ACM e Tasso seguiram a mesma balada crítica e ofensiva iniciada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, na hora de um almoço para arrecadar fundos de campanha para o candidato tucano Geraldo Alckmin, em São Paulo. Ao discursar sobre a questão ética, FHC defendeu que era preciso transformar em votos a indignação com o governo Lula. Em alusão direta ao presidente Lula, na tradução dos presentes, FHC esbravejou que "lugar de ladrão é na cadeia".

No Senado, Lula apanhou sem defesa. Nenhum petista entrou na guerra verbal para falar a seu favor. Mas a crítica de FHC foi respondida, duramente, pelo Ministro das Relações Institucionais. Tarso Genro atacou que as palavras de FHC contra o governo Lula refletem a postura de um ex-presidente abandonado, em desespero pela liderança do petista na campanha eleitoral e que não respeita a liturgia do cargo.

Tarso bateu firme em FHC, lembrando que Alckmin não o cita na campanha e que o PSDB não lhe defende porque FHC não chama voto: "É um desrespeito interferir na campanha desta maneira para tentar incendiar a campanha, despolitizar o debate e desqualificar o processo democrático. O ex-presidente perde a liturgia do cargo e parte para agressões incendiárias. Esta postura não é compatível com um ex-presidente da República e denota, na verdade, um presidente que foi abandonado por seus aliados".

A resposta discreta de Lula

Após o lançamento oficial de seu programa de governo, o presidente Lula da Silva aproveitou para responder às duras críticas, argumentando que, em seu governo, "não tem lixo debate do tapete, doa a quem doer".

Lula fez referência aos escândalos de corrupção e irregularidades no PT ocorridas nos últimos quatro anos.

Em ação bem combinada de marketing, Tarso Genro também empregou o termo “limpeza” no ataque-resposta à FHC:

"Há uma concordância com uma das frases do ex-presidente FHC ('lugar de ladrão é na cadeia'). Tanto é verdade que o governo do presidente Lula, no trabalho da Controladora e da Polícia Federal, está fazendo uma limpeza na corrupção sistêmica do Brasil, inclusive, na maioria dos casos, originária do governo anterior".

Pau nos artistas

O senador Almeida Lima (PMDB-SE) criticou o compositor Wagner Tiso e o ator Paulo Betti por defenderem o Partido dos Trabalhadores em relação a atos de corrupção contra o governo denunciados e apurados em comissões parlamentares de inquérito (CPIs).

“Como diz a jornalista Dora Kramer, esses senhores estão para a classe artística como que os 'mensaleiros' e 'sanguessugas' estão para a classe política. Eles representam a escumalha, o que há de pior”.

Além de citar nota da coluna de Dora Kramer no jornal O Estado de S. Paulo, Almeida Lima lembrou ter escrito artigo justamente sobre o engajamento da classe intelectual, incluindo artistas, numa campanha de moralidade e civismo, conclamandoa classe que denominou como "elite" a reverter o declínio ideológico que atingiu o meio político do país.

Batendo no defensor dos Zé

O senador Almeida Lima citou ainda artigo do jornalista Diogo Mainardi, intitulado "O Mensalão das Artes" para manifestar sua indignação com artistas que apóiam atos do governo.

No artigo, Mainardi se refere ao ator José de Abreu como "lulista" e defensor dos atos do governo, por ter sido beneficiado com um patrocínio da Eletrobrás para um espetáculo teatral do qual é protagonista.

Mainardi conclama a população a boicotar José de Abreu, "assim como o povo dos Estados Unidos boicotou Mel Gibson por anti-semitismo".

O que comentaram os artistas

Wagner Tiso teria declarado: "não estou preocupado com a ética do PT nem com qualquer ética; acho que o PT fez o jogo que tem de fazer para governar o país".

Paulo Betti teria justificado atos irregulares do partido do governo argumentando "serem inevitáveis na política".

José de Abreu, no encontro com “intelectuais” na casa do ministro Gilberto Gil, no Rio de Janeiro, lançou um brinde a Zé Dirceu, Zé Genoíno e outros Zes que seriam vítimas de ataques injustos da oposição.

ACM pega pesado

Ignorando os índices das pesquisas de intenção de voto, que indicam uma preferência por Lula de mais de 60% dos baianos, botou a boca no trombone:

O povo da Bahia não gosta de ladroeira. Mas eles estão limpando os cofres. Eles são catedráticos em arrombamentos. Não há governo que tenha roubado tanto na história do País”.

O senador César Borges (PFL-BA), do grupo de ACM, na mesma linha de guerra psicológica contra o governo, reclamou que Lula distribui dinheiro para “comprar consciências”, em alusão aos programas assistenciais do governo.

Coronel Lula?

O senador Tasso Jereissati protestou que Lula está revivendo no Nordeste uma prática de 30 anos atrás.

A exemplo do que faziam os coronéis políticos de antigamente, Tasso reclamou que o presidente está distribuindo dinheiro em troca de votos.

É o renascimento da indústria da seca, com a distribuição de dinheiro em época eleitoral. Lembro de um coronel que, na minha terra, dizia que esperava que Deus lhe concedesse a graça de uma seca antes da eleição, para que ele pudesse distribuir dinheiro e assegurar a vitória. A mesma coisa está sendo feita agora”.

Crítica ao assistencialismo

Tasso criticou o fato de Lula ter “dobrado” o número de benefícios do Bolsa Família entre junho e julho, e a concessão de créditos pelo Pronaf, que é concedido a “juros negativos”.

O sujeito é cadastrado pelos sindicatos locais e recebe R$ 1.000, para pagar, depois de dois anos, R$ 700”.

Segundo o senador tucano, o dinheiro, que deveria ser aplicado em pequenas propriedades rurais, estaria “indo para o consumo”.

As três culturas de Lula

O presidente do PSDB disse que Lula está incutindo na cabeça dos brasileiros mais pobres e humildes três “nefastos” tipos de cultura:

1) a "cultura do não-trabalho", difundida por meio da distribuição de dinheiro das bolsas assistenciais e da falsa ilusão de crédito fácil do empréstimo consignado;

2) a cultura da corrupção, reforçada pelo “falso argumento” de que todos os políticos, todos partidos e todos os governos roubam;

3) a cultura da mentira. “O presidente vai à televisão e mente. Depois, se desmente. No dia seguinte, mente de novo, e se desmente...”.

O julgamento de Lula

Deixando tantas críticas de lado, o presidente Lula da Silva já prevê que, se reeleito, o segundo mandato será mais fácil e com mais qualidade que o primeiro, pois acredita que realizações do seu governo proporcionam base para o crescimento.

"O povo vai compreender o que o governo fez neste primeiro mandato. O esforço que foi feito para se ampliar a distribuição de renda e o êxito que tivemos na estabilidade da economia. Governar um País do tamanho do Brasil não é uma tarefa fácil. Não resolveremos todos os problemas em quatro ou oito anos. Quero ser julgado no último dia do governo. Estamos colhendo o que plantamos, o que regamos e que muitos diziam que era uma planta morta".

Ao fazer uma análise de seu primeiro mandato, o presidente chega à conclusão que ainda há muito a fazer, mas que sempre se pergunta se "haveria tempo para tudo ser feito”.

Lula pediu uma "outra chance ao povo brasileiro para melhorar o que foi bom e para arrumar o que não saiu tão bem".

No apelo dele: "O País não pode perder esta chance".

Vida a impunidade

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta quarta-feira, por seis votos a um, arquivar a consulta feita pelo deputado Miro Teixeira (PDT-RJ).

O deputado queria saber quais instrumentos jurídicos poderiam ser utilizados a fim de impugnar mandatos para candidatos eleitos em outubro próximo.

Mas a consulta foi apresentada no dia 18 de julho e o Código Eleitoral (Lei 4737/65) impede que o tribunal responda a consultas feitas após o início do período eleitoral, no dia 6 de julho.

Segundo os ministros do TSE, não deu para apreciar porque a consulta foi apresentada fora do prazo estabelecido pela legislação.

Vai curtir Carmem Miranda

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, está demissionário.

Tanto que ontem ele já avisou que não deve seguir na Pasta, independente do resultado das eleições.

Durante a abertura do 12º Seminário Internacional de Ciências Criminais, em São Paulo, o ministro disse que este será o último ano que participará do evento com o cargo atual."Acho que o trabalho foi muito gratificante. Lançamos as bases de novas instituições no Brasil, que estão fortes como nunca. Quatro anos é o bastante".

Bastos está doido para retornar à paz de seu lar, a fim de curtir suas músicas raras de Carmem Miranda, cantora da qual é fã incondicional.

O “controlador” na campanha

Um especialista em despesas de campanha, que espiona a movimentação do PT, calcula que o Partido dos Trabalhadores já gastou, até agora, US$ 80 milhões de dólares na campanha.

A milionária campanha de Lula vem sendo ajudada, há um mês, por George Soros, e vários investidores estrangeiros que bancam a campanha do PT.

O megainvestidor mandou, recentemente, seus analistas ao Palácio do Planalto, para dar uma ajuda ao PT.

Soros é um dos homens fortes que representam os interesses da City de Londres, que é a apoiadora oficial dos governos sustentados pelo Foro de São Paulo na América Latina.

PT Azul

Além de ter o apoio dos bilionários de sangue azul da Europa, o Partido dos Trabalhadores deve sair da campanha eleitoral fora do vermelho e com recursos para quitar suas dívidas com os bancos.

Especialistas estimam que a campanha petista deve chegar ao final com gastos de R$ 300 milhões de reais.

A ajuda dos “sangue azul” deve ajudar o partido, no vermelho, a voltar ao azul.

O que o TSE não vê

Só o marketeiro João Santana, em parceria com Duda Mendonça, estaria levando R$ 60 milhões na campanha.

Eles investem boa parte do dinheiro do marketing fazendo muita propaganda subliminar, com comunicadores.

Os alvos são principalmente no Nordeste, burlando o controle eleitoral.

Problemas para o PT

Em depoimento à Justiça Criminal de Santo André (SP), o empresário de ônibus João Antônio Setti Braga, ex-sócio do consórcio de transporte público Expresso Nova Santo André, confirmou a existência de um esquema de propina montado durante a gestão do PT na cidade.

Braga revelou à juíza auxiliar da 1ª Vara Criminal de Santo André, Daniela Duarte, que recebeu ordens para pagar um valor designado como "custo político", mensalmente, para poder operar na cidade.

O empresário afirmou que, após se revoltar contra a cobrança e contra a administração do consórcio chegou a perder linhas de ônibus.

Os líderes do esquema, segundo o Ministério Público, seriam o ex-secretário municipal Klinger Luiz de Oliveira Souza (PT), o empresário Ronan Maria Pinto e o ex-segurança Sérgio Gomes da Silva - também acusado de ser o mandante do assassinato do prefeito da cidade, Celso Daniel (PT).

A contadora confirma

Outra testemunha, a contadora Gislene Valeriano da Silva, responsável pelas contas do Expresso Nova Santo André, também foi ouvida.

Segundo ela, representantes das empresas entregavam, uma vez por mês, envelopes com dinheiro que totalizavam de R$ 100 mil a R$ 120 mil.

A contadora afirmou que, após conferir os valores, repassava o montante a Irineu Nicolino Martin Bianco, apontado como empregado de Ronan.

Os valores, ainda de acordo com Gislene, nunca entraram no registro contábil do consórcio.
PT nega tudo

As investigações sobre a suposta cobrança de propina em Santo André começaram em junho de 2002, após denúncia do Ministério Público.

Para o MP, o dinheiro ilícito arrecadado ajudou a financiar campanhas eleitorais do PT.

O partido rejeita de forma veemente a acusação.

Ex-ministro complicado

Em depoimento à Polícia Federal sobre a Operação Vampiro, oempresário Laerte de Arruda Correa Júnior, acusado de envolvimento emirregularidades em compras do Ministério da Saúde, diz que há uma"organização criminosa" atuando no órgão.

Ele fez referência à"República de Pernambuco", que visava saldar dívidas de campanhaderrotada do então ministro Humberto Costa (PT-PE) ao governo doEstado em 2002.

Neste ano, Humberto Costa novamente é o candidato doPT ao governo de Pernambuco.

Segundo Correa Júnior, Costa teria levado para o ministério três "operadores" com o objetivo deconseguir verba para pagar uma dívida de campanha de R$ 3 milhões.

Promessa ao Exército

Se Lula vencer a reeleição, como espera, já prometeu às Forças Armadas um reaparelhamento total.

Tudo indica que isso ocorra com aparelhos russos, de mais fácil manutenção e com pagamento mais tranqüilo, pois o financiamento é mais fácil que os dos norte-americanos.

O presidente Lula já recebeu vários dirigentes de empresas de armamentos russos interessados no “negócio”.

O investimento prometido por Lula para o Exército, Marinha e Aeronáutica será de US$ 200 e 250 milhões de dólares.

Lobby do Jeep indestrutível

A empresa automotiva Hamer USA ofereceu seus super jeeps blindados para segurança pública no Rio de Janeiro, São Paulo e também para o Exército.

Os jeeps Hamer têm alto poder de destruição e segurança para os ocupantes.

A empresa pensa em vender 1.200 viaturas, cada uma custando o valor subsidiado de US$ 45 mil dólares – quando na verdade custam US$ 60 mil dólares.

Campanha pelo Fico

O comandante do Exército, General Francisco de Albuquerque, faz tudo para continuar em seu posto, no segundo mandato de Lula, apostando no prometido reaparelhamento da força.

O general prefere se sacrificar por mais quatro anos no governo, em vez de curtir as belezas de sua mansão particular na exagerada cidadezinha de Itu, no interior paulista.

No gosto do Planalto, suas chances de ficar são muito grandes.

Revolta das legiões

A cerimônia do Dia do Soldado, sexta-feira passada, no Comando Militar do Nordeste, teve uma inovação.

Por ordem do 4 estrelas, General de Exército Eron, ao invés de ser lida a Ordem do Dia do Comandante do Exército foi anunciado e lido um texto do ex-ministro Jarbas Passarinho.

Ainda comentado que, se alguém quisesse ler a Ordem do Dia do Comandante do Exército, ela estava publicada em todos os Boletins Internos das Organizações Militares.

"PCC" de novo?

A cúpula da Segurança Pública deve se reunir com o Exército hoje para acertar ações na área de inteligência e definir estratégias contra o crime organizado, que voltou a infernizar São Paulo com ações de guerrilha urbana.

Devem participar o Comando Militar do Sudeste e o Centro de Informações do Exército (CIE).

O PCC adiantou o plano de voltar a atacar em 31 de agosto, data da fundação da organização criminosa.

A nova onda de atentados seguiu o mesmo padrão das anteriores: os alvos foram a polícia e os bancos.

Parabéns, numerólogos do PCC

Para o promotor André Luís Felício, do Grupo de Atuação Especial Regional para Prevenção e Repressão ao Crime Organizado (Gaerco) de Presidente Prudente, o novo levante tem relação com o aniversário de fundação do PCC, comemorado amanhã.

Felício lembra que, tradicionalmente, as ações da facção ocorrem sempre um dia antes das datas emblemáticas.

Foi assim em março de 2003, quando criminosos assassinaram o juiz Antônio José Machado Dias.

O crime ocorreu no dia 14, véspera do 15.3.3 (código da facção que representa as posições das letras PCC no alfabeto).

Motivação geral

A suspeita é que tudo tenha sido causado pela transferência de 76 presos do Centro de Readaptação Penitenciária (CRP) de Presidente Bernardes para Avaré feita ontem pela Secretaria da Administração Penitenciária.

Na região metropolitana de São Paulo, o primeiro ataque atingiu um carro estacionado na frente de uma base Polícia Militar em São Bernardo do Campo.

A segunda ação ocorreu às 21h30, quando um homem encapuzado ateou fogo em quatro caixas eletrônicos do Unibanco no Brooklin, zona sul.

Depois, bandidos atacaram uma agência bancária no bairro Sumaré, zona oeste. O fogo foi apagado antes de destruir a agência.

Chamem o Exército?

Mesmo depois de passada a terceira onda de ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC) e de o governador de São Paulo Cláudio Lembo ter afirmado que não pretende pedir o apoio do Exército, 87% dos brasileiros querem as tropas para ajudar no combate à facção criminosa.

No Sudeste, o porcentual de chamamento ao Exército chega a 83%.

Para quem se assustou com a quantidade dos que responderam desejar os militares fora dos quartéis, é bom saber que o índice alcançado no Sudeste, região onde a crise de segurança relacionada ao crime organizado é mais aguda, é o menor do País.

Visão do Norte-Nordeste

O apoio à intervenção das Forças Armadas é ainda maior no Nordeste e no Norte/Centro-Oeste.
No primeiro o desejo de ver os militares da Força Terrestre combatendo os bandidos alcança 93% da população, enquanto que na segunda região esse desejo chegou a 92%.

Esse desejo pelo Exército nas ruas está por trás da manobra do governo federal de oferecer 10 mil homens do Exército para o governo do São Paulo, depois que o PCC atacou pela terceira vez no ano no Estado.

Fiscais do Propinoduto

Quem precisar de uma assessoria especial na área de recursos fazendários, para pagar menos impostos, deve procurar os fiscais que foram demitidos do Estado do Rio no escândalo do propinoduto.

Eles estão soltinhos da silva e dando consultoria em uma luxuosa sala no prédio empresarial mais caro do Rio, que é o Rio Branco 1.

Quando eles foram punidos, 10 por cento do que se arrecadava sumia e não entrava nos cofres do Estado. Agora, são 13 por cento.

Ninguém estranhe se a Polícia Federal fizer uma visitinha para tomar um café com os gênios das soluções tributárias.

Faça licitação, Rosinha

O decreto da governadora Rosinha Garotinho, que prorrogou autorizações para vans e kombis operarem nas linhas intermunicipais do estado do Rio, foi suspenso pela 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça.

Com isso, cerca de oito mil vans que operam linhas intermunicipais no estado voltam a ficar em situação irregular.

O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), José Graciosa, havia considerado ilegal o decreto assinado pela governadora, que estendia para 3.300 as permissões temporárias de vans e Kombis intermunicipais, criando 600 licenças novas.

Para Graciosa, só uma licitação pública pode organizar o setor.

Viva o nepotismo

A Ação Declaratória de Constitucionalidade 12, que vedou o nepotismo no Poder Judiciário, não vale para o Legislativo e o Executivo.

Quem bateu o martelo foi o ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal, ao arquivar a Reclamação ajuizada pelo Ministério Público do Maranhão.

O MP maranhense pretendia que todos os parentes até o terceiro grau do prefeito e do vice-prefeito, dos secretários e dos vereadores ocupantes de cargos de confiança ou contratados pelo município de Governador Edison Lobão (MA) fossem demitidos.

O MP questionou decisão do Tribunal de Justiça do Maranhão, que cassou liminar que permitia as demissões.

Barbárie na Nicarágua

O Movimento Autônomo de Mulheres da Nicarágua denuncia a escalada de assassinatos contra crianças mulheres adolescentes e adultas.

Em comunicado, a entidade acusa o filho do prefeito do município de Condega de integrar uma gangue que participou na violação múltipla de uma adolescente de 14 anos.

Além disso, representantes da Delegacia da Mulher e da Infância de Estelí e do Ministério da Família de Condega, junto com funcionárias da municipalidade, deram um tratamento viciado ao caso.

Ilegalidades gritantes

O Movimento afirma que ambas funcionárias atuaram de forma incorreta ao deslocar a adolescente de sua casa sem a devida autorização.

As duas obrigaram-na a se despir com fins desconhecidos.

Também a forçaram a reconstituir os fatos na presença de seus agressores.

E também a suportar duas perícias médicas, retendo-a durante, aproximadamente, oito horas, sem conhecimento de seus tutores.

Já pensou se coisas horríveis assim acontecessem no Brasil?

Super-Bebê

Isabel Vitória dos Santos Ribeiro é a atração do quarto seis do Hospital Rocha Faria, no Rio de Janeiro.

A super-bebê tem três dias de vida e inacreditáveis 6,360 quilos e 65 centímetros.

Ela e a mãe, a dona-de-casa Elisa Maia dos Santos Ribeiro, de 36 anos, passam bem e terão alta hoje.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

terça-feira, 29 de agosto de 2006

Senado vai investigar denúncia de tráfico de influência de filho e compadre do presidente da República na venda da Varig

Edição de Terça-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Edição em áudio a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Exclusivo – Um documento restrito, enviado a alguns senadores por ex-funcionários da Varig, denuncia a participação de aliados e parentes do Presidente da República na negociação de venda e pós-venda da companhia aérea. Os citados no dossiê são o filho caçula do presidente Lula, Luiz Cláudio – que é padrinho de Valesca, filha do advogado Roberto Teixeira, que é compadre de Lula e advogado do novo presidente da Varig, Marco Antônio Audi, em mais de 20 processos a que o empresário responde judicialmente.

O tráfico de influência no governo federal, para viabilizar o negócio da nova Varig, é sugerido no documento pela inédita rapidez com que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social está liberando ao empresário Marco Antônio Audi um empréstimo de R$ 1 bilhão e 700 milhões para comprar 50 aviões da Embraer. De dia para noite, Audi desembolsou R$ 838 mil e 800 reais para quitar dívida com INSS, para ter direito a receber a ajuda do BNDES.

O documento ao Senado indaga sobre o real motivo que levou os dirigentes da Air Canadá a promoverem, recentemente, uma audiência privada com o presidente da República. O sigiloso encontro aconteceu no apartamento de Lula, em São Bernardo do Campo. Os canadenses, através da holding Ace Aviation, tentam negociar a compra de 10% das ações da Varig. O dossiê também considera muita coincidência que o advogado e consultor José Dirceu de Oliveira e Silva tenha viajado três vezes para o Canadá, antes do leilão da Varig, no dia 20 de julho.

A coincidência fica ainda maior porque o advogado do novo controlador da Varig é o compadre do presidente Lula. Nos últimos anos, o advogado Roberto Teixeira tem se especializado em resolver pleitos de companhias aéreas junto ao governo. Foi ele quem cuidou dos casos VASP e Transbrasil. Em raras declarações públicas, Teixeira nega qualquer tráfico de influência, e ressalta que não é funcionário do governo Lula.

A Varig foi adquirida pelo fundo norte-americano Matlin Patterson, em sociedade com a Volo do Brasil (dona da VarigLog). A Ace quer abocanhar 10% da Varig em poder do fundo. O dossiê enviado ao Senado revela que o fundo Matlin Petterson enviou ao Brasil R$ 89 milhões e 900 mil, entre março e julho de 2006, para garantir que venceria o leilão da Varig. O documento também manifesta estranheza com o fato de a VarigLog e o fundo Matlin terem comprado a Varig, mas o operador de mercado financeiro Luiz Eduardo Gallo tenha ficado com as rotas e concessões de espaço de aeroporto em seu nome.

Nos bastidores, o governo já sofre pressões da TAM e da GOL, que sugerem “favorecimentos” na venda da Varig.

Sob suspeita

O Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias entregou à Procuradoria Geral da República acusações sobre o passado de Audi, e documentos que consideram suspeitos os recursos para a compra da Varig.

Audi é investigado no Coaf por suspeita de lavagem de dinheiro.

O dossiê enviado ao Senado indaga como um empresário com tantos problemas consegue liberar, tão rapidamente, um empréstimo no BNDES para comprar 50 aviões?

Venda complicada

Por ser uma empresa estrangeira, a entrada da Air Canada no capital da Varig depende de uma avaliação da Anac – a Agência Nacional de Aviação.

Juntas, Matlin Patterson e Air Canada não poderão ter mais de 20% do controle da nova Varig.

A assinatura do acordo fica condicionada à emissão, pela Anac, do Certificado de Homologação de Empresa de Transporte Aéreo (Cheta) para a nova Varig poder operar.

Sem o certificado, a venda da Varig perde a validade e a falência pode ser decretada.

Já está lá dentro

Representantes da Air Canada prestam hoje consultoria para a nova Varig para avaliação do programa de milhagem da companhia, o Smiles, e também para definir a nova frota da companhia aérea.

A Air Canada, que negocia a compra de 10% de participação na nova Varig, pode transferir parte de sua frota de Boeings, provavelmente os modelos 767-200, para a companhia.A empresa aérea canadense deve tirar de operação 13 aviões até o final do ano, e algumas dessas aeronaves poderiam ser encaminhadas à Varig.

A Air Canada pode também ceder lugar à empresa na lista de entregas do avião Embraer 190.

A VarigLog, nova dona da Varig, já entregou ao BNDES uma carta-consulta para o pedido de financiamento para a compra de 50 aeronaves da Embraer.

Vampiragem denunciada

Relatório da Polícia Federal mostra que o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares ligou nove vezes para o lobista Laerte de Arruda Corrêa Júnior, um dos principais integrantes da máfia dos vampiros, suspeita de desviar R$ 2 bilhões do Ministério da Saúde.

A PF informa que Laerte recebeu R$ 120 mil para facilitar o pagamento de uma dívida de R$ 15 milhões do ministério.

Parte desse dinheiro seria destinada a campanhas políticas de Delúbio.

Acusado de ser um dos operadores do mensalão, Delúbio foi indiciado pela PF por corrupção no caso dos vampiros.

Novela Volks

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) suspendeu a liberação de financiamento de R$ 497 milhões à Volkswagen, até que a montadora finalize a negociação com empregados sobre um plano de reestruturação.

Na semana passada, a Volkswagen ameaçou fechar a unidade de Anchieta, em São Bernardo do Campo, sua mais antiga fábrica no país, caso as negociações com funcionários no processo de reestruturação não evoluíssem.

A relação da direção da Volks com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, e Demian Fiocca, presidente do BNDES, não andam boas.

Depois de carta sigilosa da Volks para os senadores, a empresa quer um acordo que seja bom para ambas as partes.

Volks quer sair fora

Em reunião com dirigentes do sindicato do ABC, a Volks confirma que pode fechar a fábrica mais antiga do País, em São Bernardo do Campo, caso não haja acordo com trabalhadores para reestruturação da empresa.

São cinco mil trabalhadores sob risco de perder o emprego, dos 12 mil empregados que a fábrica da Volks tem no total.

O executivo de negociações trabalhistas e corporativas, Milton Júnior, deixou vazar documentos revelando que o governo e alguns senadores sabiam que havia mesmo a intenção de desativar a fábrica do ABC.

Grande negócio

As empreiteiras estão comemorando antecipadamente.

O ministro Luiz Marinho, do Trabalho, submeterá hoje ao Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) a proposta, já aprovada pelo presidente Lula da Silva, de aplicar até R$ 5 bilhões do fundo em obras de infra-estrutura.

Como não está prevista na legislação do FGTS, a destinação dos recursos terá que ser aprovada pelo Congresso.

Jogo errado da imprensa

Um dos maiores especialistas na cobertura dos negócios da jogatina no Brasil, o jornalista Magnho José, faz uma crítica às distorções criadas com a divulgação pelos jornais de grande circulação das teses dos procuradores do Ministério Público contras os Bingos, sem as devidas comprovações e julgamentos pelo judiciário.

Magnho lembra que “beira à indecência” a informação que os bingos do Rio de Janeiro arrecadam R$ 1 bilhão por ano, e derruba a tese com números:

Para que os 47 bingos do Rio arrecadem R$ 1 bi por ano é necessário que cada casa arrecade R$ 22 milhões por ano, ou seja, um faturamento médio de R$ 1,8 milhão por mês.

Para que isso fosse possível, cada bingo teria que faturar R$ 60 mil reais por dia. Ou seja, será necessário que 3 mil pessoas apostem e percam R$ 20,00 todos os dias do ano.

Estamos então falando de um exército anual de 1.095.000 apostadores.

Além disso, a reportagem ao não informar se o valor R$ 1 bi é a arrecadação líquida ou bruta cria nova distorção, pois apresenta o valor arrecadado como lucro dos bingos. Para transformar essa afirmação em verdadeira, será necessário aumentar o exército de pessoas que freqüentam os bingos ou o valor das apostas de cada visitante, pois um bingo tem despesas com tributos, salários, custos fixos e pagamento do percentual de 7% da entidade esportiva”.

Outro delírio

Também não é verdade que uma máquina de videobingo fature, em média, R$ 3 mil por dia.

Mais uma vez, o Ministério Público age com má fé contra os bingos e utiliza o jornal para propagar uma informação sem comprovação.

Magnho recomenda que O Globo aprofunde na apuração desta tese furada.

Gasto com bolsa família

O desembolso com o programa Bolsa-Família deu um salto de 60% em apenas um mês, saindo de R$ 597 milhões e 700 mil reais (em junho) para R$ 952 milhões e 400 mil reais (em julho).

O período coincidiu com a melhora da avaliação do presidente Lula da Silva, candidato à reeleição, apontada pelos institutos de pesquisa.

No Nordeste, região de maior popularidade de Lula e onde ele obtém maiores intenções de voto, o aumento em julho foi ainda maior, atingindo 93% - de R$ 245 milhões e 800 mil para R$ 473 milhões e 800 mil reais.

Boa explicação para o fenônemo Lula

A Folha de São Paulo observa que o casamento do ano eleitoral com a expansão do assistencialismo pode explicar o bom desempenho do presidente Lula nas pesquisas de intenção eleitoral, assim como a boa avaliação do seu governo.

Os gastos com o Bolsa-Família estão crescendo justamente no período imediatamente anterior à eleição, como explica o economista Mansueto Almeida, assessor do presidente do PSDB, Tasso Jereissati, em trabalho realizado a partir de dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi).

Até julho, os benefícios do Bolsa-Família consumiram R$ 4 bilhões e 300 mil reais, faltando aproximadamente R$ 4 bilhões para serem despendidos até o fim do ano.

Até junho, porém, a média mensal era de R$ 577 milhões.

Lula blindado

O PSOL e a deputada do partido, Maria José da Conceição Maninha, do Distrito Federal, não conseguiram a cassação do registro da candidatura do presidente Lula da Silva à reeleição e a declaração de sua inelegibilidade por suposta prática de abuso do poder econômico.

O PSOL alegou que o presidente Lula se utiliza "dos veículos da Presidência da República para participar de eventos, solenidades e compromissos outros, quase sempre nos mesmos dias, nas mesmas cidades e nos mesmos estados onde terá compromissos de candidato e eventos de campanha", com o fim de reduzir os gastos da campanha.

O corregedor-geral do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Cesar Asfor Rocha, negou o pedido da legenda.

O ministro entendeu que os representantes “sugerem apenas a possibilidade de que tais gastos estariam sendo realizados concomitantes ou 'casados' com atividades oficiais do candidato, o que poderia fazer dispensar o necessário reembolso de tais dispêndios ...”.

Mas, segundo o relator, esse argumento, em uma primeira análise, própria do juízo liminar, "não bastaria para autorizar imediata reprimenda pela Justiça Eleitoral".

Fraude eleitoral à vista

O engenheiro Amilcar Brunazo Filho, autor do livro “FRAUDES e DEFESAS no Voto Eletrônico”, recebeu uma carta do Presidente da Microbase, fornecedor do Software VirtuOS que estará carregado em mais de 2/3 das urnas eletrônicas nas próximas eleições.

Nesta carta aberta a deputados e à imprensa, o presidente da Microbase confirma o que sempre tem sido divulgado pelo Fórum do Voto-E e pelo PDT, desde as eleições de 2000.

Nas suas palavras: "o Sistema VirtuOS “nunca” foi auditado, nem pelo TSE, nem pelos Partidos Políticos, nem muito menos por qualquer órgão independente contratado".

Inverdade do TSE

Segundo Amilcar Brunazo, tal declaração confirma que é falsa a afirmação do TSE de que os sistemas ficam todos a disposição para análise dos partidos durante seis meses antes das eleições.

A própria carta do TSE à Microbase revela que a Justiça eleitoral apenas pretendia dispor aos partidos a sistema VirtuOS no exato dia em que se iniciará a compilação dos sistemas em 04/09/2006. E nem isto será feito. Com este comunicado da Microbase, cai mais uma máscara da Justiça Eleitoral. É mais uma mentira deste órgão, sobre a transparência do processo eleitoral, que é desmascarada”.

Aguardemos que o TSE se pronuncie sobre o grave assunto.

Barrados no baile

Pelo menos 1.535 políticos tiveram o registro de sua candidatura negado pelo Tribunal Regional Eleitoral de seu estado, mas ainda podem recorrer.

Desses, 532 entraram com recursos no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que tem até 20 de setembro para julgá-los.

Os 1.535 candidatos com registro negado representam 7,4% dos 20.705 políticos que disputam as eleições, incluídos vices e suplentes.

Outros 791 renunciaram e oito morreram. O partido pode substituí-los.

Os dados foram divulgados ontem pelo TSE, com base em informações dos tribunais regionais.

O levantamento exclui o TRE do Rio de Janeiro, que não dispunha do balanço.

Enfim, investigados

O presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto (PMDB-MA), abriu ontem processos por quebra de decoro parlamentar contra os senadores Ney Suassuna (PMDB-PB), Magno Malta (PL-ES) e Serys Slhessarenko (PT-MT).

Acusados pela CPI dos Sanguessugas de envolvimento com a máfia das ambulâncias, os três senadores não garantem mais direito a disputar nova eleição se renunciarem.

Os três são suspeitos de receber propina em troca de emendas para a compra de ambulâncias.

Mas eles ganharam um prazo de cinco sessões para se defender, e o conselho espera concluir os processos até o dia 24 de setembro.

Os primeiros

Eles são os primeiros senadores processados pelo Conselho de Ética desde o início da série de escândalos envolvendo o Congresso, inaugurada com o mensalão, em 2005.

Em março, o Conselho recusou denúncia contra Eduardo Azeredo (PSDB-MG) por receber recursos de caixa dois do empresário Marcos Valério.

A CPI dos Sanguessugas também começou a investigar o senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT).

Para depois da eleição

Aviso aos eleitores que têm carro, moto, caminhão e etc.

A Petrobrás não descarta a hipótese de elevar os preços dos combustíveis caso o barril de petróleo continue subindo e se estabilize acima dos US$ 75.

A senha para o aumento chama-se: “depois de primeiro de outubro”...

Teses do Lula Vermelho

Tratando sua reeleição como praticamente certa, o presidente candidato Lula da Silva avisou ontem aos 60 “intelectuais” de seu partido que está voltando "mais forte do que antes".

"Política a gente faz com quem a gente tem, não com quem a gente a gente quer. Esse é o jogo real da política e precisou ser feito por quatro anos para que nós pudéssemos chegar hoje numa situação altamente confortável do ponto de vista econômico, político e social. Todo mundo achava que nós tínhamos acabado e de repente descobrem que a gente não só não tinha acabado, como ressurgimos mais fortes do que éramos".

Lula justificou as alianças do primeiro mandato - marcadas pelo escândalo do mensalão- e defendeu o pragmatismo nas alianças políticas.

Cadê o PT?

Mesmo defendendo as alianças, Lula advertiu aos intelectuais que o PT "sempre terá um papel" em seu governo.

O candidato desdenhou as críticas a sua propaganda eleitoral, que privilegia a figura do candidato em detrimento dos símbolos e cores do PT.

"A imprensa me cobra: cadê o vermelho do PT? O vermelho sou eu, ora!".

O poder da identificação

Depois de se definir como "vermelho", Lula ressaltou que pela primeira vez a população mais pobre sente-se dona do governo no Brasil.

"O fenômeno novo na política brasileira não é o fato de o Lula estar subindo nas pesquisas, é o fato de que uma parcela significativa dos pobres se acha importante e se sentem iguais ao presidente da República. Eles já não falam no governo do Lula, eles falam: nós governamos este País".

Lula sinalizou para os intelectuais, alguns dos quais haviam se afastado do PT e do governo, que pretende "dar o próximo passo" em um segundo mandato, mas não explicitou para onde.

Uma boa deixa

Lula aproveitou o fato de a filósofa Marilena Chauí e do escritor Artur Poerner terem mencionado, antes dele, que a origem da maior parte de intenções de voto na reeleição está nas camadas mais pobres da sociedade e na região Nordeste do país

"Os chamados formadores de opinião já não detêm mais a verdade absoluta. Hoje não são os setores médios que determinam o voto da empregada doméstica e do porteiro do prédio. O pobre agora está achando que ele pode".

O presidente evitou entrar no debate macroeconômico, proposto pelo economista Paulo Nogueira Batista, que pediu a substituição dos "jogadores do time adversário" no Banco Central.

Lula pediu ao presidente do PT, Ricardo Berzoini, para providenciar um encontro exclusivamente com economistas.

Uma boa desculpa para não cavucar...

Lula esclareceu que a análise correta da "correlação de forças" - no jargão tradicional das correntes marxistas - levou o PT a lançar a "Carta ao Povo Brasileiro", em 2002, comprometendo-se com a estabilidade econômica e permitiu sua própria sobrevivência.

"Nós não fizemos uma revolução no Brasil, nós ganhamos uma eleição, que se consolidou quando fizemos a Carta ao Povo Brasileiro. A pergunta que se faz hoje é por que sobrevivemos e como sobrevivemos. Quantos presidentes chegariam aonde nós estamos hoje, com a aceitação que o governo tem, depois de sofrermos - sofrermos, não, passarmos - tudo que passamos? Outros caíram, outros foram obrigados a se afastar e eu, que era contra a reeleição, estou disputando numa situação muito mais favorável do que quando fui eleito".

O presidente candidato esclareceu que, em 2002, aceitou uma processo de "transição pacífica" do governo do PSDB por que, se tivesse "cavucado e devassado" o passado, não teria tido condições de governar o país.

Próximo governo

"O nome do segundo mandato, como disse o presidente Lula, será desenvolvimento com distribuição de renda e educação de qualidade. Será uma etapa de crescimento acelerado e aprofundamento da democracia".

A promessa é do coordenador da campanha, Marco Aurélio Garcia.

Segundo ele, um dos fatores mais importantes para obter índices maiores de crescimento do PIB é a queda da taxa de juros.

Garcia antecipou que programa trará seis compromissos para o segundo mandato: além do crescimento maior da economia, o combate à exclusão social, aprofundamento das políticas públicas de educação e saúde; reforma do estado com reforma política; garantias para a segurança do cidadão, e política externa soberana.

Juros do Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou em discurso para intelectuais de esquerda, que "os juros vão cair e o câmbio vai se ajustar", mas não entrou em detalhes.

Em reunião da coordenação política da campanha, em Brasília, a queda da taxa de juros foi considerada como condição para uma folga na política fiscal e liberação de investimentos, segundo o ex-ministro Roberto Amaral, representante do PSB.

Lula alegou que o Banco Central "nem sempre tem todos os instrumentos para cumprir a meta de inflação".

Promessa a Nogueira Batista

"Paulinho, os juros vão cair, o câmbio vai se ajustar, a economia vai crescer e os projetos de investimento mais importantes já estão encaminhados".

Foi o argumento que usou para defender sua equipe, que havia sido criticada pelo economista Paulo Nogueira Batista.

O economista havia repetido suas críticas à política monetária do governo Lula, que considerou "desnecessariamente restritiva".

Lembrou que o Brasil tem uma taxa de inflação semelhante à dos Estados Unidos e juros reais "dez vezes mais altos".

Recado dos radicais

O líder do MST, João Pedro Stédile, prevê um quadro político turbulento em um eventual segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ele avalia que, se Lula mantiver o modelo neoliberal dos três últimos anos de governo, perderá seu principal ativo político - o povo - e ficará refém de um Congresso hostil.

Stédile explica que a onda de protestos não buscará a desestabilização do governo e que as mudanças só acontecerão sob a pressão das ruas.

"Teremos um caldeirão social prestes a eclodir, em algum momento, em luta social no segundo mandato. Nós queremos a retomada das lutas sociais e da mobilização de massa. Nós, do MST, participamos desse caldeirão para que o governo abandone as medidas neoliberais que adotou e adote medidas que reconduzam a um outro projeto de desenvolvimento nacional".

Lula rendido por quem?

Na avaliação de Stédile, distante de sua base popular, o presidente ficaria rendido às "forças de direita eleitas em maioria no Congresso e nos Estados", que manteriam a corda do impeachment no pescoço do presidente.

"Eles vão segurar o processo de impeachment na gaveta do Congresso. Cada vez que Lula ameaçar com algo mais contundente, eles puxam a gaveta e mostram o impeachment, que é um processo puramente político, que não precisa de provas materiais. Será uma ameaça permanente. Isso seria uma barbárie. Por isso, faremos a mobilização popular, pois queremos que Lula, pressionado, se reaproxime de nós".

A receita de Stédile para libertar Lula da clausura política prevista pelo líder do MST é simples: ouvir o clamor das ruas.

O presidente, segundo ele, precisa mudar a estrutura produtiva do país e fazer uma reforma agrária massiva.

"Lula tem sensibilidade social e é fruto desse meio. Com as pressões, ele mudaria ou, pelo menos, se manteria aliado dos movimentos sociais".

Ressentimento com Lula

Em relação à reforma agrária, o MST guarda o ressentimento de uma mudança prometida, mas que não veio.

Stédile reclamou que Lula não teve "coragem" de fazer a distribuição de terras aos pobres, e acentuou a concentração de renda nas mãos dos ricos.

"O governo nem conseguiu atingir as metas de assentar 400 mil famílias em quatro anos. Eles dizem que assentaram 280 mil famílias até agora. Não é verdadeiro. Eles assentaram, no máximo, 150 mil famílias, metade delas do MST. No cálculo dos movimentos, deve ter hoje, em todo país, umas 140 mil famílias acampadas, a maioria delas acampadas desde o início do governo, esperando há três anos debaixo da lona preta, porque eles foram acampar, inclusive, pela motivação de que, com Lula, a reforma saísse".

Crítica ao bolsa família

Quanto aos programas sociais de Lula, como o Bolsa Família, motivo de orgulho do presidente, o líder do MST é crítico.

Stédile desdenha que eles não passam de uma "ilusão", de medidas paliativas para compensação social.

A reforma agrária, segundo ele, teria sido mais eficaz na promoção de mudanças estruturais.

"A reforma agrária faz parte do capitalismo, ninguém espera chegar ao socialismo com ela".

Mais discurso radical

Stédile pinta um quadro turbulento para os próximos quatro anos e garante que a cruzada popular por mudanças já começou.

Há alguns meses, ele chegou a fazer uma avaliação eleitoral polêmica, ao menos para alguém que sempre foi aliado do PT.

Queria um Lula vencedor, mas somente no segundo turno. Agora, já não sustenta essa convicção.

"Hoje, a 30 dias da eleição, eu já tenho dúvida. Eu torcia por um segundo turno para ter um contraditório. Como não tem debate de projetos, temos uma campanha medíocre. Alguns têm dito que, se vai para segundo turno, Lula ficaria ainda mais refém das forças conservadoras".

Laranja na disputa

O líder do MST ironiza que o candidato tucano à presidência não pode ser chamado de Chuchu.

"Geraldo Alckmin não tem nenhum carisma eleitoral para derrotar Lula. Então, a burguesia o jogou como laranja nestas eleições, como kamikaze, boi de piranha, porque se eles quisessem de fato disputar eleitoralmente com Lula, teriam botado José Serra, que também não teria chance, mas chegaria mais perto".

Já candidata do PSOL, Heloísa Helena, dona de um discurso com vários pontos de contato com a visão de mundo de Stédile, é vista por ele como uma representante sem base e sem projeto:

"Ela é um grilo falante, que só sabe denunciar, denunciar, mas que não espelha a classe trabalhadora do Brasil. Eu tinha expectativa que outras forças sociais, como o PMDB nacionalista, tivessem colocado candidato, que fosse o Itamar Franco, porque isso provocaria um debate em torno de projetos. Mas o PMDB não conseguiu botar candidato, se esfacelou".

Solução para o sistema prisional

Depois de ficar oito dias preso, sendo solto ontem à tarde, o dirigente nacional do MST e maior liderança em Pernambuco, Jaime Amorim, puxou para o MST e movimentos sociais a solução para o sistema prisional do País.

"Agora se fala em segurança máxima, mas isso não vai resolver o problema porque os presídios nesse País são uma fábrica de produzir mais delinqüência. Creio que a sociedade brasileira organizada tem que assumir a tarefa de resolver esses problemas no País".

Amorim foi libertado ontem à tarde por decisão do ministro do STJ Nilson Naves, que considerou ilegal a sua prisão temporária - decretada pelo juiz da 5ª Vara Criminal do Recife, Joaquim Lafayete Neto.

O líder dos sem-terra ficou no Centro de Observação e Triagem (Cotel), no município metropolitano de Abreu e Lima.

Estão faltando outras siglas

A Polícia Civil apreendeu ontem na favela Beira-Mar, em Duque de Caxias (Baixada Fluminense, região metropolitana do Rio), 52 bombas de fabricação caseira pintadas com as siglas das facções criminosas PCC (Primeiro Comando da Capital), de São Paulo, e CV (Comando Vermelho), do Rio.

A comunidade é reduto de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, um dos principais traficantes do país, atualmente preso na penitenciária federal de Catanduvas, no Paraná.

Segundo a polícia paraguaia, a quadrilha de Beira-Mar se aliou a membros do PCC que atuam na fronteira com o Brasil e, juntos, estão intermediando a entrada de armas no país.

Outro grande arsenal

No início do mês, um arsenal com 234 armas pesadas, entre fuzis, pistolas e submetralhadoras e cerca de 50 mil munições, foi interceptado em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Mato Grosso do Sul.

O armamento pertenceria a Beira-Mar e ao PCC.

Responsável pela operação, o delegado Ronaldo de Oliveira, do Serviço de Entorpecentes da Baixada Fluminense, afirmou que as armas encontradas na Beira-Mar têm poder para destruir paredes e serviriam apenas para defender a favela de ataques de grupos rivais ou de operações da polícia.

Cidadãos amedrontados

Nada menos de 35% dos paulistas já foram vítimas de um assalto. É o que revela pesquisa Estado/Ibope feita no estado de São Paulo.

De cada dez entrevistados, oito conhecem alguém que já foi vítima de violência.

A pesquisa mostra ainda que, do total de vítimas, uma em cada três não prestou queixa à polícia.

Os mais jovens, os moradores da periferia e os mais pobres são os que menos costumam registrar o episódio em alguma delegacia.

Cristovam na berlinda

O candidato do PDT à Presidência da República, Cristovam Buarque, reconheceu ontem que sua campanha não empolgou o eleitorado e disse que, se houver segundo turno, apoiará o candidato indicado pelo PDT.

Mas ele não afastou até a possibilidade de apoiar a candidatura de Lula, apesar das divergências que o levaram a deixar o PT em 2005.

"Se o PDT decidir apoiar Lula, eu não tenho nenhum constrangimento pessoal para isso".

O candidato, que foi ministro da Educação de Lula e deixou o PT após as denúncias de corrupção envolvendo o partido, teceu alguns elogios ao presidente durante a sabatina, mas não deixou de questionar a conduta de Lula.

"Se eu negar que Lula é um líder carismático, eu estarei escondendo a verdade. Mas eu acho que ele foi omisso ou conivente com a corrupção ao redor dele".

Avestruz na cabeça

Após driblar a Justiça de Goiás por 30 dias, o ex-sócio majoritário da Avestruz Master, Jerson Maciel da Silva, foi preso ontem, em São Paulo, pela Polícia Federal.

Em Goiânia, foram presos Jerson Maciel da Silva Júnior, um dos filhos do empresário, e o ex-executivo da empresa Emerson Ramos Corrêa.

A Avestruz quebrou em novembro do ano passado e 59.300 pessoas que adquiriram cotas na criação de avestruz perderam o total de R$ 1 bilhão 730 mil reais.

Invasão estrangeira

O projeto do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), de US$ 6 bilhões e 500 milhões de reais, poderá ter sócios estrangeiros.

Foi o que admitiu, pela primeira vez, a Petrobrás, sócia do empreendimento.

O motivo é a falta de fôlego de empresas nacionais para investir.

Mas a entrada de estrangeiros está condicionada a contrapartidas.

Ferrando a Petrobrás

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) decidiu quebrar de vez a hegemonia da Petrobrás.

Em decisão histórica, estabelecida no edital para a 8ª Rodada de Licitações, a ANP limitou o número de ofertas de cada empresa para a concessão de áreas exploratórias.

A medida atinge em cheio a estatal, sempre acostumada a dominar os leilões.

Para a Petrobrás, "a restrição é prejudicial ao setor e ao País na medida em que pode influenciar negativamente a produção de petróleo e gás".

Deu mole para o índio

O presidente da Bolívia, Evo Moarles, demitiu o presidente da companhia estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos, Jorge Alvarado.

Ele foi acusado de infringir a nacionalização do setor.

Índios guaranis ameaçaram ontem tomar a tubulação de gás e petróleo em Chaco, para interromper a produção e as exportações para o Brasil.

Dia de combate ao fumo

Hoje, dia 29 de agosto, comemora-se mais um Dia Nacional de Combate ao Tabaco.

A Associação Brasileiro de Odontologia solicita o empenho dos colegas na orientação de seus pacientes sobre os males causados pelo vício de fumar.

A entidade lembra que este compromisso com a redução do câncer bucal e luta contra o cigarro exige um engajamento diário e sem trégua.

Números horríveis

Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) 200 mil mortes por ano são decorrentes do tabagismo no Brasil.

O tabaco também é um dos principais fatores de risco para o câncer bucal que, pela Estimativa de Incidência de Câncer no Brasil, registrará mais de 13 mil novos casos em 2006.

Uma importante ferramenta para ajudar nesta tarefa é o Guia Tabaco ou Saúde Bucal, elaborado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em conjunto com a Federação Dentária Internacional (FDI).

A ABO disponibiliza em seu site (http://www.abo.org.br/) um link para o documento.

A página do Instituto Nacional de Combate ao Câncer (Inca) também apresenta informações importantes, que merecem ser compartilhadas com os pacientes.

O endereço é www.inca.gov.br.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

segunda-feira, 28 de agosto de 2006

Aldo Rebelo será obrigado, por lei, a fazer a leitura do pedido de impeachment de Lula, na Câmara, na segunda-feira que vem

Edição de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Ouça também o Alerta Total no seu computador.
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal
Edição em áudio a partir de Meio-dia.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Exatamente daqui a uma semana, na segunda-feira que vem, dia 4 de setembro, quando a Câmara volta a ter sessões, a partir das 14 horas, o deputado Aldo Rebelo (PC do B), mesmo a contragosto, será obrigado a cumprir a lei e fazer a leitura da mais recente representação que pede a abertura de processo, por crime de responsabilidade, contra o Presidente da República. O pedido de impeachment de Lula da Silva e de José Alencar foi apresentado, como cidadã, pela empresária Ana Prudente, que é candidata a senadora por São Paulo, pelo PTC (Partido Trabalhista Cristão).

Ana Prudente deu entrada na representação contra Lula e Alencar na última quarta-feira, dia 23 de agosto, em Brasília. O documento foi protocolado na Presidência da Câmara, e na Procuradoria Geral da República. Conforme reza a Lei 1079/50, artigo 19, citado no requerimento de abertura do processo contra Lula e Alencar, um pedido desta natureza, obrigatoriamente, deverá ser lido na sessão seguinte da Câmara. Devido ao “recesso” instituído pelos próprios deputados – sempre mais preocupados com suas reeleições para manter o “emprego” do que com o trabalho de legislar - só haverá sessão na Câmara a partir da semana que vem.

As bases para o pedido do impedimento de Lula e Alencar são as revelações do livro “Do Golpe ao Planalto – Uma vida de repórter” (São Paulo: Companhia das Letras, 2006). Nas páginas 222 e 223, o jornalista Ricardo Kotscho, ex-assessor de imprensa da Presidência, confirma a ligação de Lula e do vice com o sistema originário de aliciamento da base aliada para o governo, que ganhou o apelido de “mensalão”. No argumento aos deputados, para que aceitem a representação contra o Presidente e seu vice, Ana Prudente manifesta o descontentamento geral dos cidadãos conscientes e esclarecidos contra a corrupção da classe política:

“O cenário político de que Vossas Excelências tanto necessitam está posto diante de vossos olhos há tempos, no momento em que um povo cordato, honesto e trabalhador está submetido à representação de um corrupto incorrigível e mentiroso contumaz que submete a nação brasileira ao maior estelionato político de nossa história. Afirmar que não há momento político para que se tomem providências no sentido de resguardar a pátria brasileira e garantir um futuro justo e democrático ao povo brasileiro é o mesmo que afirmar que somos todos tão corruptos e desonestos quanto nosso mandatário maior”.

O novo DIP com Lula?

O novo governo do presidente Lula quer imitar o ditador Getúlio Vargas, que nos tempos do Estado Novo (nas décadas de 30 e 40 do século passado) mantinha o famigerado DIP – Departamento de Imprensa e Propaganda, que tinha o objetivo de controlar (e censurar) o conteúdo da mídia da época em que a televisão ainda era um projeto de ficção científica, e a internet nem entrava nesta categoria.

O próximo mandato de Lula, que já se considera reeleito, pretende adotar medidas "vigorosas" para regular e "democratizar" os meios de comunicação.

Segundo texto em discussão na campanha petista, tais medidas incluem mudanças na legislação para assegurar mais "equilíbrio e proporção" na cobertura de mídia eletrônica, incentivos econômicos para a formação de jornais e revistas independentes e a criação de conselhos populares que teriam poder sobre as atuais e futuras concessões de rádio e TV.

A coordenação de tudo ficaria a cargo da nova Secretaria Especial de Democratização da Comunicação, subordinada à Presidência da República.

Futuro Secretário particular de Lula

Não se espantem se José Dirceu de Oliveira e Silva, a partir de primeiro de janeiro, virar secretário particular de Lula.

Mas não vai ser nomeado para cargo formal no novo governo, embora nada tenha sido provado contra ele até hoje.

Os petistas já estão alugando uma sala ao lado da sede do partido, em Brasília, e o espaço será destinado às grandes articulações (leia-se lobbies) comandadas por Dirceu.

Que conversa foi essa?

Um super-amigo de José Dirceu esteve, na quarta-feira da semana passada, conversando 40 minutos com Lula.

Roberto Marques saiu cheio de documentos do Palácio do Planalto.

Bob, como é mais conhecido, é funcionário concursado da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo há quase 20 anos.

Aos quatro ventos, ele confirma que é amigo de Dieceu, mas nega que seja assessor ou secretário oculto do Super-Zé.

Telefonema amigo

Humberto Costa recebeu no sábado telefonema de solidariedade do presidente Lula.

Conversaram por mais hora, e Humberto ficou emocionado com as palavras do amigo.

Dez minutos depois, quem ligou foi José Dirceu, que prometeu baixar esta semana em Pernambuco, para lhe prestar solidariedade publicamente.

A máquina do Planalto vai jogar tudo para tentar salvar Humberto Costa, que hoje é o candidato mais fragilizado do PT, porém ainda com chances de se eleger, apesar das denúncias que pesam contra ele no escândalo dos sanguessugas e do indiciamento por acusação de envolvimento com a máfia dos vampiros do Ministério da Saúde.

Lula comemorando

Uma pesquisa para consumo interno de partidos de oposição, para não ser divulgada ao público, confirma que o presidente Lula já pode apostar em sua reeleição.

O levantamento, que custou uma fortuna, ouviu 17 mil pessoas em todo o Brasil, para tirar as seguintes conclusões, em números:

Lula conta com 52% de pessoas ouvidas com a intenção consolidada de votar nele, novamente, para presidente da República.

Geraldo Alckmin tem 55% de rejeição no Nordeste.

Heloísa Helena já começa a ter um freio em seu crescimento, e deve obter de 10 a 15 milhões de votos, contra 19 a 20 milhões de votos de Alckmin, e o resto do presidente Lula.

Inofensividade de Alckmin

O jornalista Luiz Gonzales, responsável pelo marketing da campanha tucana, anda reclamando nos bastidores que já advertiu Geraldo Alckmin, várias vezes, para bater no Mensalão e nos Sanguessugas.

Mas o assessor lamenta que Geraldo não escute estes conselhos.

Gonzáles considera que o grande problema da atual campanha é a acomodação do povo não politizado, que não enxerga opção de candidatos contra o atual presidente.

Nas classes mais pobres, graças aos programas Bolsa Família e etc, Lula é praticamente imbatível.

HH subindo

A bico pequeno, a cúpula tucana - que já deu ordens para reduzir os investimentos na campanha de Alckmin - ainda teme o crescimento da candidatura de Heloísa Helena.

A Helô continua subindo, mas com pouco tempo e campanha pobre, ela não decola tão alto.

Mas os tucanos admitem que há o risco de que a Helô passe Alckmin nas pesquisas, em até três pontos percentuais, até o dia 15 de setembro.

Especuladores comemoram

Os investidores externos festejam a possibilidade de Lula ganhar no primeiro turno, mantendo o Banco Central ortodoxo e prudente como funciona no Brasil.

A opinião é do mega-investidor George Soros.

Apesar do ano eleitoral, o dólar e os juros estão em baixa e não há temores sobre o futuro da economia.

Os investidores avaliam que os fundamentos econômicos estão mais sólidos, e não enxergam o risco de ruptura na condução da política monetária.

Desastre Lembo

O sempre bondoso senador Antonio Carlos Magalhães acha que o governador de São Paulo, Cláudio Lembo, anda falando demais e prejudicando, ainda mais, a campanha de Geraldo Alckmin.

Se ele ficasse calado, prestaria um serviço melhor a São Paulo e ao partido. Ele fala sem conhecimento de causa, até porque ele não é do ramo. Ele é um vice-governador que chegou por acaso, ele mesmo disse. Agora, poderia ser mais sensato e não prejudicar o governador a quem ele serviu”.

Além de criticar Lembo, seu companheiro de PFL, ACM não entende por que o PSDB e o PFL poupam tanto o presidente Lula.

O baiano avalia que só pode ser por causa do envolvimento de parlamentares dos dois partidos no escândalo dos sanguessugas, o que os deixa com telhado de vidro.

O jogo vai ficar ruim

O Ministério Público federal anunciou que vai abrir uma outra ação civil (ou fazer um aditamento à que já está em curso) para fechar os novos bingos inaugurados no Estado do Rio.

As casas de jogo alegam ter liminares concedidas tanto pela Justiça federal quanto pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, que por lei não tem jurisdição sobre o Rio.

Um dos alvos da denúncia é um bingo ligado a uma entidade esportiva de Bauru, no interior de São Paulo.

Jogando com o Casal Garotinho

Os empresários do jogo são mesmo muito caridosos e preocupados com os problemas sociais.

Os donos de bingos do Rio doaram, no ano passado, R$ 1 milhão e 500 mil reais para financiar projetos da ONG Vida Obra Social.

A entidade é ligada ao governo do estado, comandado por Rosinha Garotinho.

Detonando candidaturas

Chegam esta semana ao Tribunal Superior Eleitoral os recursos apresentados por advogados de centenas de candidatos que tiveram seus registros negados Brasil afora.

Um balanço preliminar feito em 17 Estados mostra que, dos 13.531 pedidos de registro de candidaturas, 1.203 - pouco menos de 9% - foram rejeitados.

O presidente do TSE, Marco Aurélio Mello adverte que, ao contrário do que ocorreu em outras eleições, o tribunal vai apertar o cerco a candidatos com pendências contábeis ou denúncias em seus currículos.

Lista que só cresce

O empresário Luiz Antônio Vedoin, cujas denúncias de suborno geraram o escândalo das sanguessugas e ajudaram a manchar ainda mais a imagem do Congresso Nacional, deu entrevista à revista "Época" em que inclui na lista de parlamentares do esquema de ambulâncias superfaturadas o presidente do Conselho de Ética da Câmara, Ricardo Izar (PTB_SP), o corregedor Ciro Nogueira (PP-PI), o líder do PTB, José Múcio Monteiro (PE) e o ex-corregedor Luiz Piauhylino (PSB-PE).

Os quatro negam envolvimento no esquema, que movimentou cerca de R$ 110 milhões do Orçamento na compra de ambulâncias superfaturadas em 600 municípios de 24 estados.

Da lista inicial, a CPI dos Sanguessugas investiga 72 parlamentares, mas o número pode crescer, pois a “operação abafa” não está funcionando.

Tucano apavorado

Tudo indica que o esquema do mensalão, inaugurado pelo PSDB na campanha para governador de Minas Gerais, vai ser motivo de denúncia do Ministério Público contra o senador e ex-governador mineiro Eduardo Azeredo.

Ele deve ser denunciado por peculato, junto com o publicitário Marcos Valério (que iniciou o esquema do mensalão, ainda no governo de FHC) e o tesoureiro da campanha do PSDB naquela época Cláudio Mourão.

Peculato é o crime que o funcionário público pratica ao se apropriar de bens ou de dinheiro do erário se aproveitando de suas funções no serviço público.

Azeredo já reconheceu de antemão a culpa ao declarar que o dinheiro recebido do esquema não foi contabilizado no controle financeiro da sua campanha eleitoral para governador de Minas.

Constituintes incompetentes

Comentários do professor Adriano Benayon ao grupo de discussão Mãos Limpas sobre matéria publicada sexta-feira no Alerta Total:

“Embora Serrão diga "constituintes criaram brechas legais ..." (e não, os constituintes), deve ficar claro que possivelmente a maioria dos constituintes tenha apenas comido mosca, dormido no ponto, inclusive porque a fraude foi cometida num momento em que se atropelavam os trabalhos, a toque de caixa, naqueles lances de correr com as votações, depois de a Constituinte se haver atrasado em seus trabalhos, em relação às expectativas de prazos”.

“Não há dúvida de que é muito estranho ninguém na Constituinte haver denunciado o acréscimo espúrio ao texto que havia sido votado em 1º Turno. Realmente, é difícil de acreditar que não houve mais perpetradores, além dos dois cujas rubricas estão na página do requerimento em que houve a adulteração do texto (a 2ª página desse requerimento, que está mostrada nos links e pode ser vista por todos na internet). A tradição oral diz que havia deputados constituintes da área econômica conduzindo a manobra”.

“Provavelmente a grande maioria dos constituintes não estava sabendo da trama, mas não deve ser desculpada em relação à pouca competência para notar a fraude (todos tinham assessores e, além disso, deveriam eles mesmos ter lido o que estavam votando no 2º turno, com o texto adulterado). Menos ainda deve ser desculpada a omissão de um ou outro que tenha percebido o acréscimo e tenha ficado calado por temor de represálias ou de desagradar o sistema de poder beneficiado com a falcatrua”.

Em suma, como se mostra no anexo abaixo indicado, só há duas rubricas na página do requerimento em que foi feita a adição espúria:

http://paginas.terra.com.br/educacao/adrianobenayon/fraudeac_files/anexo_5.html#1

Prova dos nove

As provas da fraude cometida em 1988, no texto da Constituição, para privilegiar as despesas com o "serviço da dívida pública" podem ser encontradas nos links:

http://www.adrianobenayon5655.can.br/

http://paginas.terra.com.br/educacao/adrianobenayon/

Adriano Benayon denuncia que a conseqüência desse delito - o qual denota bem a ilegitimidade de tudo que está aí - foi, nestes quase 18 anos, o gasto de trilhões de reais em juros e amortizações da dívida, que nada mais é senão juros capitalizados.

Prejuízos bilionários

Adriano Benayon ressalta que as demais taxas de juros (pagas pelas pessoas jurídicas e físicas) são múltiplos da taxa de juros dos títulos públicos.

Por isso a despesa atual no Brasil com juros pagos e capitalizados chega a R$ 500 bilhões por ano.

O dano acumulado, para o País, chega a dezenas de trilhões de reais, contando-se:

1) os trilhões de reais que se deixou de reinvestir na economia produtiva a cada ano, durante os 18 anos;

2) o desemprego e o sofrimento causado a milhões de brasileiros sujeitos à miséria ou a, na melhor das hipóteses, salários vis ou inadequados;

3) outros trilhões de reais não investidos por falta de perspectivas de demanda nos mercados, porque o poder aquisitivo dos brasileiros foi achatado e arrasado.

Grande perda

Está sendo velado na Catedral da Sé, em São Paulo, o corpo de Dom Luciano Pedro Mendes de Almeida, aos 75 anos, arcebispo de Mariana (MG) e ex-presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

Ainda hoje o corpo deverá ser levado de volta a Minas Gerais, para ser enterrado em Mariana, cidade que o adotou.

Ele sofreu falência múltipla de órgãos e faleceu ontem no Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da USP, onde estava internado para tratamento de um câncer no fígado, tendo passado os últimos dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), sedado e respirando com aparelhos.

Breve histórico

Dom Luciano nasceu no Rio de Janeiro. Em 1965, entrou para a ordem religiosa de Santo Inácio (dos jesuítas) e doutorou-se em Filosofia.

Onze anos depois, sagrou-se bispo e foi trabalhar na Arquidiocese de São Paulo, onde ficou até 1988.

Lá, ele auxiliou Dom Evaristo Arns na criação de abrigos para menores abandonados.

Ele presidiu a CNBB de 1987 a 1994. Foi também secretário-geral de 1979 a 1987 e vice-presidente do Celam (Conselho Episcopal Latino-Americano), de 1995 a 1998.

Em Minas Gerais, não interrompeu seu trabalho social e dedicou seus últimos anos a percorrer hospitais para socorrer os necessitados.

Livro de Lula

Não anda fazendo qualquer sucesso, na Argentina, a primeira biografia latinomamericana de Lula, "A esquerda no divã".

Seu autor, o jornalista Ceferino Reato considera "Lula é incrível", mas as denúncias de corrupção em seu governo deterioraram sua liderança, abrindo espaço para a de Hugo Cháves".

O biógrafo conta também que Lula gosta de viagens, uísques, churrascos e futebol e que "se aplicou botox para parecer mais jovem".

Livro do Chavez do bem

Com o título de "Sem querer, querendo", o comediante mexicano Roberto Gómez Bolamos, de 77 anos, lançará um livro autobiográfico no México esta semana.

"Sem querer, querendo" era a frase utilizada por Chaves, um garoto pobre de um típico bairro mexicano, para justificar suas travessuras, que divertiram e continuam a divertir várias gerações de latino-americanos.

A obra destaca Chapolin, que como Chaves foi levado ao ar há 36 anos, é uma espécie de herói ingênuo e medroso, magro e vestido de vermelho, que tem antenas "para detectar a presença do inimigo".

O lançamento da autobiografia de Bolaños, que já publicou outros livros, ocorre dias depois de o serviço postal do México homenageá-lo emitindo selos postais com a imagem dos seus personagens

Bolaños é casado com a atriz Florinda Meza, que interpretava a "Dona Florinda" no programa. O comediante tem seis filhos de seu primeiro casamento e 12 netos.

Piada contra Chávez

A chamada terceira via para combater Hugo Chávez, na Venezuela, é, literalmente, uma piada.

Chama Benjamin Rausseo, o "conde de Guácharo", um dos humoristas mais famosos do país, e que se tornou, na semana passada, o candidato oficial do Piedra (Partido Independente Eleitoral de Resposta Avançada), com o objetivo de impedir a reeleição do atual presidente, o favorito do pleito de dezembro."Para conseguir tirar o Chávez, fazia falta um negrinho de cabelo ruim como eu".

Esse é um dos motes de campanha mais repetidos por Rausseo.

Aposta em 0,25%

São poucos os analistas financeiros que apostam na continuidade do corte de meio ponto percentual, diante da redução dos riscos inflacionários, da apreciação do câmbio e do modesto crescimento da economia.

O Comitê de Política Monetária do Banco Central, que se reúne esta semana, deve limitar a redução a 0,25 ponto percentual, para 14,5% ao ano.

Os sinais de que isso deve acontecer são a necessidade de um período para avaliação dos efeitos de quase um ano de afrouxamento da política monetária, o tom conservador da ata da última reunião e a atenção à meta de inflação para 2007.

Super-endividados

Consumidores que devem até 40 vezes sua renda mensal estão na categoria dos superendividados.

Uma pesquisa da Fecomércio-SP mostra que eles são vítimas das facilidades do crédito e que muitos já não têm dinheiro nem para comer.

Por isso, o Procon-SP vai seguir o exemplo de Rio e Rio Grande do Sul e oferecerá ajuda para a negociação dos débitos.

Ao mestre, com carinho

A Confraria do Garoto, sob o comando do Xerife Nelson Couto, comemora seu aniversário e o 31º Encontro Anual da Ordem dos Eméritos Cariocas da Gema.

A big festa acontece no "espaço oficial da Confraria" na calçada ao lado Teatro Municipal na quinta-feira, dia 31, as 13h, na Av. 13 de Maio, 13, no Centro do Rio de Janeiro.

O evento terá como "enredo" VIVA PAMPLONA!

A Imperatriz Leopoldinense, acompanhada de Rosa Magalhães e Mocidade Independente, vão "rodar a bahiana" no Centro.

Ao seu lado estarão Haroldo Costa, Mestre Louro, Sabiá, um dos fundadores do Salgueiro, Velha Guarda, Raízes da Tijuca, Hans Donner e sua esposa Valéria Valenssa (também homenageada), o locutor relâmpago Ernani Pires Ferreira, José Carlos Araújo (o verdadeiro Garotinho), o Cel. Marcos Silva, Ruy Castro, Kate Lyra (tão boazinha!), Ricardo Cravo Albin. fundador do M.I.S., Ricardo Macieira, Secretário "Múltiplo", Izabelita dos Patins, Elias Nacif, Agência France Press, Evandro Teixeira, o Prof. Carlos Lessa, a trocadora do ônibus 350 -Angela Cruz e seus "passageiros", a filha de Ary Barroso (Dona Mariuza), Gigi da Mangueira, a Miss Brasil da Terceira Idade, o gari Renato Sorriso, Dercy Gonçalves e cariocas "gente boa" e adotivos, que tornam o Rio mais alegre e mais humano.

Todos serão recebidos com toque de clarins, tapete vermelho, pétalas de rosas, garçons com luvas de pelica e muita arruda-macho.

Frei Clarêncio Neotti, guardião do Convento Santo Antonio, dará o batismo aos presentes.

Quem foi Pamplona

Mestre dos mestres, Fernando Pamplona, nasceu em 1926, ano que o São Cristovão foi campeão carioca ( 1ª e única vez) e iniciou suas atividades em 1950 (ano da nefanda Copa Mundial no Maracanâ).

Pamplona era fotografo da revista CARTAZ (do rádio) que trazia na capa a escandalosa ELVIRA PAGÃ.

Trabalhou ao lado de Mario Lago (editor), Nestor de Holanda, Max Nunes (ainda vivo e no JÔ), Heron Domingues, Antonio Maria, Helio Tys, Miguel Gustavo (prá frente Brasil!), Pedro Bloch, Orestes Barbosa e outros.

Foi vitorioso no Teatro Municipal como cenógrafo e no Salgueiro nem se fala.

Lançou Chica da Silva (Isabel Valença) em outra polêmica.

Foi com ele que Joãosinho Trinta, deu seus primeiros passos para a fama.

Homem íntegro, de caráter linear, amigo como poucos, Pamplona foi também um dos fundadores da Ordem dos Eméritos Cariocas da Gema, que agora o exalta com uma festa pública.

Vida que segue...

Novas informações a qualquer momento.

Recramasões, ilogius ou revelasões bomba para:
jorgeserrao@gbl.com.br

Faça comentários clicando no link abaixo.

Ouça as informações clicando no link da rádio (podcast) Alerta Total:
http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal/

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.