terça-feira, 6 de novembro de 2007

Decadência dos EUA: exportadores já iniciam movimento para substituir o Dólar pelo Euro nos contratos

Edição de Terça-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Por causa da artificial e induzida desvalorização do dólar frente ao Real, a bela Gisele Bündchen, quem diria, pode virar símbolo de uma tendência de negócios das grandes exportadoras do Brasil. Seguindo o exemplo da “modelo mais rica do mundo”, algumas empresas já estudam como trocar o Dólar pelo Euro em seus contratos. Atualmente, menos de 10% dos contratos de exportação no Brasil são fechados em outras moedas que não o dólar.

A troca do Dólar pelo Euro é um sinal simbólico de decadência da economia norte-americana. Faz parte do projeto da City de Londres e dos controladores do bloco econômico europeu no processo de consolidação da hegemonia mundial dos negócios. A guerra econômica não declarada da City contra os Estados Unidos da América atinge a moeda norte-americana e o seu sistema de crédito.

Os efeitos do câmbio sobrevalorizado serão mais pronunciados até o fim do ano. Por enquanto, o comércio exterior brasileiro se manteve forte no primeiro semestre do ano, apesar do câmbio desfavorável. Isto porque as principais responsáveis pelas exportações brasileiras são as grandes empresas. Elas respondem por 89% do total exportado pelo Brasil.

Apesar de menos vulneráveis à conjuntura econômica, elas não estão ilesas aos seus impactos. Ao primeiro sinal de enfraquecimento, tais empresas serão “assimiladas” por investidores internacionais. As empresas terão de rever suas estratégias de exportação para não sofrerem redução de ganhos por causa do câmbio.

A irmã e agente da top model, Patrícia Bündchen, revelou à agência Bloomberg a estratégia de Gisele. "Estamos dando preferência a euros em contratos iniciando agora". Até junho deste ano, Gisele acumulou um faturamento de US$ 30 milhões.

Viva o comunismo capitalista

A estatal chinesa de petróleo se tornou a primeira empresa do mundo a ser avaliada em US$ 1 trilhão.

O valor de mercado da petrolífera chinesa supera o das americanas Exxon Mobil Corp. e General Electric Co. somados.

As ações da PetroChina Co. quase triplicaram de valor em seu primeiro dia de negociação, ontem, na Bolsa de Valores de Xangai – totalmente controlada pela City de Londres

A petrolífera chinesa contabiliza apenas 25 % da receita da americana.

Aumentinho no gás

O poderoso Lula prometeu que seu governo vai garantir o abastecimento para quem instalou "um tamborzinho" de gás no carro.

Lula avisou que negociará com a Bolívia para elevar a oferta do insumo.

Enquanto Lula e o índio Moralles não se entendem, o GNV subirá 40%, até o fim do mês, nas bombas dos postos.

Fim dos incentivos

Lula vai acabar com os incentivos para quem quiser colocar kit de gás natural nos carros.

O governo pretende manter a isenção de IPVA para os veículos.

Mas se o dono do carro o vender, perderia o direito à isenção – conforme a nova regra em estudo.

Ultimato aceito

Lula viaja para a Bolívia no dia 12 de dezembro acompanhado de um grupo de empresários.

Terá de negociar pessoalmente com seu companheiro do Foro de São Paulo Evo Moralles os novos investimentos da Petrobras no país vizinho, que nacionalizou duas refinarias da estatal brasileira.

O índio boliviano mandou avisar que só conversaria pessoalmente com Lula, e que não aceitava tratar com intermediários (no caso, o presidente da Petrobrás, Sérgio Gabrielli).

Reassumindo

Após quase um mês de afastamento, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) reassumiu ontem o mandato.

Tudo ocorreu de maneira discreta, sem aparato de segurança e sem dar entrevistas.

A prioridade de Renan agora é evitar a cassação – coisa que ele sabe ser uma missão quase impossível.

Desejo é uma ordem

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, abrir o mercado nacional de aviação para ampliar a concorrência, o que poderá até incluir o acesso às grandes empresas estrangeiras.

Jobim reclamou ontem que as grandes empresas de aviação são as maiores culpadas pelos problemas no setor.

Segundo Jobim, elas seguem operando no limite de capacidade e driblam restrições impostas pelo governo.

Jobim acusa as companhias de "esgarçarem a malha aérea".

Problema do problema

O ministro Nelson Jobim, reconheceu que a fiscalização dos aviões particulares e táxis aéreos no país não é eficaz.

"A fiscalização existe. A eficácia dessa fiscalização é que é o problema".

No domingo, um jatinho Learjet caiu sobre uma casa após decolar do Campo de Marte, matando oito pessoas.

Incompetência

O governo reduziu à metade a verba destinada à fiscalização da aviação civil, apesar da crise no setor aéreo que se arrasta há mais de um ano, com caos em aeroportos e tragédias com centenas de mortes.

A verba para inspeção de aviões que fazem as rotas comerciais caiu para R$ 9,3 milhões este ano.

Era de R$ 17,2 milhões (em 2006)

Pior ainda

A crise é mais grave na aviação geral, que engloba jatos executivos, empresas de táxi aéreo e helicópteros.

A Anac só tem 210 fiscais para cuidar de 11.300 aeronaves.

O mais grave é que a agência prioriza a aviação comercial.

Autoridades protegidas

"O Campo de Marte é vedado para aviões que transportem autoridades".

O aviso foi dado ontem pelo brigadeiro Ramon Borges Cardoso, diretor do Decea (Departamento de Controle de Espaço Aéreo) da Aeronáutica.

Segundo ele, a explicação é que "há um rigor maior [na segurança de vôo] para as autoridades".

Para proteger as autoridades, os limites e parâmetros para permitir vôos e decolagens são mais restritivos.

Sobe correndo

Os passageiros do vôo 3813 da TAM, que seguia de Palmas para São Paulo, ficaram apavorados com manobra do piloto.

Ao suspeitar de possível colisão, ele subiu seis mil pés de altitude.

Melhor o susto que mais um acidente aéreo.

Guerra da Folha de pagamento

O governo federal poderá anunciar até o final de dezembro a realização de um leilão para o pagamento dos 25 milhões de benefícios do INSS.

O ministro da Previdência, Luiz Marinho, ameaça que a licitação poderá ocorrer caso fracassem as negociações com a Febraban e os 25 bancos que hoje pagam pensões, seguros e aposentadorias.

Os bancos obtêm uma receita de R$ 230 milhões por ano para realizar o serviço.

A polêmica

O governo entende que a folha é um ativo e que deveria receber - e não pagar - por isso.

A Febraban afirma que a folha de pagamento do INSS não pode ser tratada como um ativo.

Da mesma forma como Estados e municípios fizeram com suas obrigações salariais.

O céu é o limite

O Bradesco comemora o maior lucro registrado por um banco brasileiro em todos os tempos.

Foi um lucro líquido ajustado de R$ 5 bilhões e 356 de reais entre janeiro e setembro deste ano.

O valor foi 78% superior ao do mesmo período do ano passado.

Grito de guerra

O presidente do Bradesco, Márcio Cypriano, advertiu ontem que a ofensiva do Banco Santander, que está adquirindo as atividades do ABN Amro, não assusta.

"Não temos medo. Nosso banco foi fundado durante a guerra em uma cidade de interior e hoje é o maior do País".

Pelo menos 25% do Bradesco pertencem a investidores estrangeiros – o que justifica não ter medo da concorrência vinda de fora.

Conversinha fiada

O PSDB no Senado ameaça recuar do apoio à prorrogação da CPMF.

Os tucanos reclamam da demora do governo em detalhar a compensação tributária e falta de clareza sobre o terceiro mandato de Lula.

Mas, na verdade, o PSDB negocia em sigilo outras medidas de interesse dos governadores tucanos.

Leia o artigo de Maria Lucia Barbosa: PSDB, CPMF e Traição

Seis por meia dúzia

O governo avalia duas opções para a isenção da CPMF.

Na primeira, quem ganha até R$ 1.642 não pagaria contribuição.

Quem recebe acima disso teria abatimento no IR.

Na segunda, ficariam isentos os eu ganham até R$ 2,5 mil sem abatimento para os demais.

Insensatez

O presidente Lula da Silva classificou de "insensatez pura" e "falta de sensibilidade política" a discussão de uma proposta de um terceiro mandato consecutivo para ele, defendida por alguns parlamentares da base aliada ao governo.

"Acho que é insensato qualquer pessoa ficar discutindo um terceiro mandato. Neste momento, o Brasil não está precisando discutir 2010, 2014 ou 2020. O Brasil está precisando discutir o bom momento que está vivendo. E a gente deve cumprir o que a gente se comprometeu com o povo, o que está no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento da economia) e tudo aquilo que vai ser feito na educação e na tecnologia. Fora isso, é insensatez pura, falta de sensibilidade política".

O presidente promete cobrar do PT a definição de uma posição sobre esse assunto.

Perto da degola

O Supremo Tribunal Federal indicou ontem que não aceitará que a renúncia do ex-deputado Ronaldo Cunha Lima (PSDB-PB) sirva de manobra jurídica para impedir a eventual condenação por tentativa de homicídio.

O STF o submeterá a julgamento, já que quatro dos 11 ministros votaram a favor de levar o processo ao fim, independentemente da renúncia.

A decisão final (que pode ocorrer amanhã) foi adiada por causa de um pedido de vista da ministra Cármen Lúcia.

Império do papel

Alguns cartórios não estão aceitando protesto de títulos com base em nota fiscal eletrônica (NF-e).

Os burocratas exigem a comprovação de que o serviço foi prestado, o que tem que ser feito em papel.

Esta burocracia pode anular os efeitos esperados com a criação da NF-e.

Filho genérico?

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária concedeu registro de remédio genérico a seis tipos de pílula anticoncepcional.

Dois laboratórios estão autorizados a fabricar os genéricos.

Os anticoncepcionais serão vendidos à preços mais baixos que os remédios de marca.

Tomara que os genéricos tenham qualidade, para evitar o nascimento indesejado de muito filho genérico...

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

2 comentários:

bastilha disse...

A humilhação dos militares e o governo Lula

Antonio Milton Moraes

Senhores,

Quero deixar bem transparente que estou do lado dos militares, apesar de hoje estar na vida civil. Acho que a atual remuneração é um acinte e é provocativa.

Fico surpreso de que a categoria dos militares, tão instruidos, tão preparados por anos e anos de caserna, tão bem supridos de informações sigilosas que nós da vida civil não temos, ainda não tenham percebido que essa é a real intenção de nossos governantes, e desse esquema fazem parte até a cúpula militar do Ministerio da Defesa. Eles acham sim que os militares HOJE é uma tropa sem lideranças, sem vigor, sem revide e continuarão pisando em todos os que ficarem à sua frente, tal qual um rôlo compressor. A prova cabal disso é a constante mudança de generais por civis em Ministerios onde a função é puramente militar, até por questões de segurança nacional. Aliás, onde está sendo aplicada a Doutrina da ESG sobre segurança Nacional ?

Na verdade somos todos omissos. Civis e Militares. Da Reserva e da Ativa. Estamos tal qual os judeus do Campo de Concentração de Auschwitz que formavam filas para tomarem banho a cada 15 dias e na verdade estavam indo para um banho , sim, de Cianureto de Potassio. Nós achamos que esses que nos governam ficarão preocupados com a nossa colocação de soldo militar justo e perfeito para todos os militares, mas terão soldo e salários apenas aqueles que jogarem do time da Presidencia, digo , do Ditador que ai vem, iguialzinho ao senhor Hugo Chaves, que agora invade nossas fronteiras para impingir um Regime Bolivariano.

E faço um alerta, não tentem, de forma mal planejada tentar impedir essas providencias, porque com os nossos soldados leais nos quartéis operando meio periodo para economizar o rancho, já que não há verba para tal e a massa de militantes do MST, Pastoral da Terra etc ,sendo acionada pelos comunas de plantão, não teremos como impedir essa rapida movimentação de milhões nas ruas e no campo ocupe o espaço brasileiro com forter derramamento de sangue. Aliás, está faltando derramarmos um pouco de sangue para que nossos culhões voltem à superficie.

Ou acordamos agora ou teremos que acompanhar nossos filhos e netos nas tarefas escolares utilizando os livros de Antonio Gramnsci, autor dos famosos Cadernos do Carcere, a Biblia do sr. Marco Aurelio Garcia, sr. Jose Dirceu e sr. Luis Dulcci. E também de alguns otários do Ministerio da Defesa.

Desculpem-me pela sinceridade. Basta de palavras sôltas nas telas de computadores. Ou kostramos nossa cara ou teremos que ficar quietinhos por muitos anos, ccriando uma resistencia tipo " maquis de la Resistence Française ".

Fraternalmente e com muito orgulho,

Antonio Milton Moraes, Ten R2 Inf., 2 BC Turma de 1964


ternuma.com.br

wcuraca@ig.com.br disse...

"...algumas empresas já estudam como trocar o Euro pelo Dólar em seus contratos."

Favor verificar a frase acima copiada do primeiro parágrafo, pois acredito que a ordem das moedas no texto foi trocado, deixando o objetivo da matéria um pouco confuso. O correto não seria nesta frase "...trocar o Dólar pelo Euro?"

Atenciosamente,

William C de Sousa