sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Deixem o Tucano em Paz

Edição de Artigos de Sexta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

No Brasil, as chamadas autoridades adotam procedimento sui generis quando pretendem justificar o próprio comportamento criminoso. Diante de montanhas de provas, negam tudo. Jamais admitem a prática de ilicitudes.

A coisa funciona assim: efetuada a denúncia, os envolvidos afirmam tratar-se de perseguição política, mera armação de adversários. Ninguém é punido e a vida continua na mesma bandalha, como se nada tivesse acontecido.

Tempo depois, no vai-e-vem de novas denúncias e coleta de depoimentos, a questão ressurge. Aí, os acusados usam e abusam da alegação de ser fato requentado. E seguem adiante na certeza de que ficarão impunes.

Parece fazer um século que o dito publicitário mineiro Marcos Valério emergiu no cenário político, surfando na onda do mensalão. Foi quando 40 pessoas do governo Dom Luiz Inácio (PT-SP) foram denunciadas por “formação de quadrilha”.

O ex-ministro Zé Dirceu (Casa Civil) findou indiciado como chefe da quadrilha. Sua ex-excelência perdeu o cargo, mas não a pose: continuou a se reunir com o presidente da República, tendo papel importante em muitas áreas do governo.

Agora, eis que na noite de corrupção que dominou de forma definitiva o país, os gatos pardos do PSDB são acusados de delito semelhante, no desvio de uma montanha de recursos financeiros do Estado de Minas Gerais.

O PSDB, como se sabe, é “ferrenho” opositor do PT e tem primado pela total honestidade desde que passou a faixa presidencial para Dom Luiz Inácio, em 2003. Mas ficaram refugos de fatos passados que não desceram abaixo na pressão da água e que começam a causar indisfarçável desconforto.

O procurador-geral da República, Antônio Fernando Barros e Silva de Souza, denunciou agora ao Supremo Tribunal Federal (STF), 15 figuras envolvidas com o governo (1995-99), do atual senador mineiro Eduardo Azeredo (PSDB), por peculato e lavagem de dinheiro.

De imediato, correligionários fizeram sua defesa, da mesma forma que petistas defenderam os seus (no mensalão), apesar das provas colhidas pela Procuradoria Geral da República. E lá reaparece Marcos Valério, tal qual boneco de cera sorridente.

Até mesmo o governador Teotônio Vilela Filho (PSDB-AL), veio dizer em público que “confia piamente em Azeredo”, embora não tenha aparecido ninguém que garantisse confiar “piamente” no governador.

O foco da acusação está centrado em Walfrido dos Mares Guia, hoje no PTB, que achou por bem apresentar carta de demissão ao presidente e deixar o Ministério de Relações Institucionais.

Até o ex-presidente FHC (1995-2003) apareceu para explicar que o caso Azeredo não é igual ao mensalão petista, e que existem desvios e desvios, sendo uns mais aceitáveis que outros.

De tudo isso, resta imensa tristeza por conta da completa desmoralização que o PSDB quer impor a um dos mais belos pássaros da fauna brasileira, o tucano. Que teria essa ave piciforme, do gênero Ramphastos, a ver com a pouca vergonha praticada por seres que em nada se assemelham a uma penosa?

É preciso que se aprove uma lei proibindo a exposição de animais inocentes como símbolos de legendas políticas, antes que os temas se confundam. Para que não se decida pela punição de irracionais que nada sabem do comportamento de vivaldinos que tomam suas cores emprestadas. O pássaro merece um mínimo de respeito, sim senhor!

Márcio Accioly é Jornalista.

3 comentários:

Eraldo Angelo disse...

Caro Márcio. Pouca gente sabe, mas o coitado do tucano é na ralidade uma ave daninha e predadora. Como come de tudo, adora surrupiar ninhos de outras aves, devorando seus filhotinhos. Assim, por exemplo, onde existem tucanos os sabiás desaparecem. Bom, quando o PSDB escolheu o tucano como símbolo do partido, provavelmente sabiam das características dessa ave e, portanto, posso concluir que sabiam o que estavam fazendo. Daninho, surrupiador, predador ...

Anônimo disse...

Desde Tomé de Souza até Dom Luiz Inácio de Garanhuns, o Brasil sempre foi governado por ladrões, e sempre o ladrão atual diz que rouba porque o anterior também roubava, e o anterior diz que roubava porque seu antecessor idem e por aí vai, até chegar em Tomé de Souza....Se bem que suspeito que no caso do Brasil, como a roubalheira é endêmica, já os Guaranis, Tupios, Caétes, etc eram ladrões assumidos e juramentados....

RÔ disse...

Caro Eraldo Angelo e caro Márcio, sempre achei que a geopolítica do Golbery funcionou muito bem com o tucanato e como FHC, curtindo seu exílio às margens do Sena, como alternativa confiável da população para a continuação dos "mesmos". Vejam Sarney, Jobim e outros recém chegados, mas não tanto como Gilberto Miranda, Renan etc.
Tive amigos mortos pela Revolução e outros que se auto-exilaram nos sertões, sem água encanada, sem luz e plantando para comer. Mas FHC, não, é muito chique. Assim como o mensalão do seu partido é mais chique que o do PT, mas igual, porque é tudo combinado e tudo já foi previsto pelo profeta Golbery.
Assim eu acho, não tenho provas, mas tenho certeza no meu foro íntimo, que não é o Foro do Chávez.
Tudo para que a latrocracia governe a serviço da máfia dos Rotschild e das monarcas "véias".