quarta-feira, 7 de novembro de 2007

“Investidores” estrangeiros usam recursos da quitação da divida externa para comprar empresas no Brasil

Edição de Quarta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

O desgoverno entreguista de Lula comemora o fato de o Banco Central (do banqueiro Henrique Meirelles) e a Secretaria do Tesouro Nacional virem recomprando dívida externa desde a gestão de Antônio Palocci Filho no Ministério da Fazenda. Não existem motivos para comemoração. A medida agrada à Oligarquia Financeira Transnacional –os grandes bancos que controlam a economia brasileira. É com este capital gerado pela suposta quitação das dívidas que os “investidores” inundam o mercado brasileiro para lucrar com os juros altos ou adquirir as empresas nacionais. O próprio Brasil financia a entrega de sua economia.

A previsão do mercado é de que entrem no Brasil US$ 30 bilhões de dólares, até o fim do ano, para investimento em ações e renda fixa. Se a previsão for correta, o valor ingressado será o dobro de 2006. Segundo a Bovespa, até outubro, os estrangeiros contribuíram com 74,6% do total das ofertas públicas iniciais de ações (IPOs). Houve um “ingresso” de R$ 33 bilhões e 255 milhões de reais. Na verdade, são recursos que (em grande parte) saem pelo Tesouro Nacional daqui (via pagamento da dívida eterna) e voltam com os pretensos investidores que lucram com os juros altos, e as isenções de Imposto de Renda, IOF e CPMF.

Eis a explicação para que as reservas cambiais do Brasil se multiplicassem por 10 durante o governo Lula. Hoje as reservas chegam a US$ 170 bilhões. A previsão é de somem US$ 200 bilhões até o mês que vem. Tudo graças às compras do Banco Central, sob o pretenso argumento de conter a queda do dólar. O negócio é desvantajoso para o País. A cada compra de dólares, o Banco Central tem de emitir títulos públicos para retirar do mercado os reais injetados nessa compra, para os quais paga os juros básicos da taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) hoje de 11,25% ao ano. O Brasil tem um prejuízo anual de US$ 5 bilhões por ano na operação.

As reservas brasileiras são preponderantemente aplicadas em títulos do Tesouro dos Estados Unidos. Em tese, o Brasil estaria “emprestando” dinheiro para os EUA. Só que tal operação ocorre com o Federal Reserve (que é um Banco Central privado). O FED é controlado pelos maiores bancos da City de Londres e dos EUA, liderados pelos banqueiros Rothschild, Morgan e Rockefeller. O Brasil tem um baixo retorno financeiro por tais “empréstimos”. Recebe o equivalente ao que pagam os títulos do Tesouro norte-americano, entre 4,5% e 5,0% ao ano. Desta forma, o Brasil é “credor líquido dos Estados Unidos” só na conversa para o Boi dormir no Palácio da Alvorada.

Por isso, o Banco Central não tem o menor interesse em impedir uma apreciação forte do câmbio no curto prazo. Ao contrário, a autoridade monetária brasileira quer ampliar a compra de dólares no mercado à vista ou futuro. A percepção de que os juros básicos brasileiros ainda estão altos e tenderão a cair tem impulsionado o fluxo externo de recursos para as ofertas públicas iniciais de ações (IPOs) e títulos de dívida do governo federal. Ontem, o dólar caiu a R$ 1,736. Foi a menor cotação desde 24 de março de 2000. Já acumula “desvalorização” de 18,76% ao ano.

A regra é clara

A taxa de juros reais não pode, no longo prazo, superar a taxa média de criação de riquezas.

Eis é a armadilha embutida nas taxas de juros reais elevadas.

Se o BC quisesse provocar uma desvalorização significativa do real, seria necessária uma redução muito forte da Selic.

Rabo do cachorro

Mas desvalorizar agora o Real seria incompatível com o cumprimento da meta de inflação.

Como o Brasil adota o regime de metas de inflação, a política monetária deve ter como objetivo o cumprimento da meta de inflação.

Logo, a política monetária brasileira parece um cachorro louco correndo atrás do próprio rabo.

Marketagem

A Light foi autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica a cortar 5,3% da tarifa de energia na capital e em mais de 30 municípios do Estado.

A economia será sentida na conta de dezembro dos consumidores, pois a concessionária fluminense começa a aplicar os novos valores a partir de hoje.

A redução só foi possível graças à desvalorização do dólar que tornou mais barata a produção da hidrelétrica de Itaipu.

Já estão fazendo o “marketing” das vantagens do real valorizado e do dólar em baixa...

Cultura da propina

A Polícia Federal prendeu ontem, em Brasília, quatro empresários e uma servidora pública Adriana Barros Ferraz, coordenadora de análise de projetos do Ministério da Cultura.

Todos acusados de montar um esquema de cobrança de propina para garantir a aprovação, no Ministério da Cultura, de projetos com incentivos fiscais previstos na Lei Rouanet.

Eles responderão por corrupção passiva e ativa e formação de quadrilha (pena total de até 15 anos de prisão, se condenados).

Beneficiados que se cuidem

O teor de escutas telefônicas feitas pela PF indica que as pessoas presas atuaram no interesse de ao menos 20 projetos que tramitaram ou tramitam na Cultura, atrás de financiamento pela Lei Rouanet.

A lei de incentivo cultural garante ao investidor abater o valor destinado aos projetos (até 4% do Imposto de Renda devido).

A denúncia foi encaminhada à Polícia Federal pelo próprio ministério.

Mas se os beneficiados abrirem a boca de verdade, pode sobrar para muita gente importante que ganhou sua comissão pela aprovação dos projetos.

Remessas ilegais

A PF prendeu ontem três executivos dos bancos suíços UBS, AIG Private Bank e Clariden sob acusação de remeter dólares ilegalmente a partir do Brasil.

De acordo com as investigações, o grupo causou prejuízo de pelo menos R$ 1 bilhão à Receita Federal.

Resta saber se os 19 presos vão abrir a boca e denunciar outros envolvidos no esquema...

O esquema

Executivos dos bancos recomendavam a clientes interessados em mandar dinheiro para contas numeradas na Suíça que procurassem a doleira Claudine Spiero.

Ela providenciava remessas para o exterior sem comunicação ao Banco Central. Claudine e outros doleiros envolvidos no esquema movimentavam cerca de US$ 7 bilhões por mês.

A lista de empresas que recorreram aos serviços da quadrilha incluiria a rede de lojas de bolsas Le Postiche e a indústria de móveis Ornare.

A Globo não gostou...

Amanhã, a Oi (ex-Telemar) lança o serviço de televisão pelo celular e também de IPTV, a TV por protocolo de internet, nos Estados onde já atua.

A Oi oferecer vídeos sob demanda no início do próximo ano, começando pelo Rio, para gradativamente chegar aos demais 13 Estados de sua concessão.

A Oi vai lançar seu serviço celular em São Paulo no primeiro semestre de 2008.

A Rede Globo não quer a concorrência das teles no mercado de televisão – nem pelo celular e nem pela Internet.

Três - é demais!

O poderoso Lula mandou anunciar que o PT e o governo não desejam um terceiro mandato para ele.

Lula se reuniu com o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), o presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), e o deputado Devanir Ribeiro (PT-SP), um dos articuladores do movimento, para cobrar o fim do debate sobre o tema.

Foi o desespero do Chefão, depois que líderes de dez partidos, governistas e oposicionistas, lançaram manifesto rechaçando nova reeleição para presidente, governadores e prefeitos.

Brigando pela vaga

O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), avisou ontem que não trabalha para ser o candidato do partido à sucessão do presidente Lula em 2010.

Mas também não descarta a possibilidade.

O baiano avisou que sua prioridade é captar R$ 12 bilhões para projetos de infraestrutura no estado.

Intrigas da CPMF

Os 13 senadores tucanos decidiram por unanimidade recusar o conjunto de medidas apresentadas ontem pelo ministro Guido Mantega, da Fazenda para a aprovação da CPMF até 2011.

A proposta de renúncia fiscal de R$ 4 bilhões em troca da prorrogação da CPMF, feita pelo ministro Guido Mantega, irritou o PSDB.

Primeiro porque a avaliação de que o corte de impostos com o pacote foi pequeno.

Segundo pelo fato de o abatimento da CPMF ocorrer por meio do IR (Imposto de Renda), o que afetaria o caixa dos Estados e municípios.

Na marra

O líder do PMDB no Senado, Valdir Raupp, avisou que os partidos aliados conseguirão aprovar a prorrogação assim mesmo, sem os tucanos.

O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati, ainda tentou reabrir as negociações com abancada.

Mas a maior parte dos senadores recusou a idéia, temendo maior desgaste político de compactuar com o governo Lula.

O DEM já fechou questão e vota contra a prorrogação da CPMF.

Briga no ar

O ministro Nelson Jobim (Defesa) botou a cobra na mesa na reunião da Agência Nacional de Aviação Civil.

O genérico de quatro estrelas anunciou que pretende punir com perda de rotas as empresas que cancelaram vôos de forma sistemática.

Foi o recado direto para a BRA, acusada de ter sido protegida pelo ex-presidente da ANAC, Milton Zuanazzi, desafeto de Jobim.

No chão

Não foi á toa que a BRA anunciou a suspensão dos serviços a partir de hoje e demitiu ontem seus 1.100 funcionários.

A BRA justificou a decisão de interromper as operações por falta de dinheiro para pagar fornecedores e honrar compromissos.

A empresa precisava de cerca de US$ 30 milhões para voltar a operar no azul.

Os donos de 64 mil bilhetes emitidos pela companhia terão que recorrer a outras empresas para tentar o endosso.

Bancos na estrada

A OHL Brasil, vencedora de cinco dos sete lotes de rodovias federais, informou ontem que, no primeiro ano, terá de fazer empréstimo-ponte com bancos particulares para financiar as obras.

“Só a partir de 2009 tomaremos recursos do BNDES".

Foi o que avisou o diretor-administrativo e financeiro da OHL, Francisco Leonardo.

Quem financiou?

O vice-presidente da OHL Felipe Ezequerra negou que a empresa tenha utilizado subsídios do governo espanhol para vencer o leilão no Brasil.

A empresa promete investir R$ 4 bilhões e 150 milhões de reais nos próximos cinco anos em obras de infra-estrutura nos 2,01 mil quilômetros que passará a administrar até 2032.

Os espanhóis apostam que as cinco estradas da OHL, incluindo as movimentadas Regis Bittencourt, que liga São Paulo a Curitiba, e a Fernão Dias, entre São Paulo e Belo Horizonte, terão uma demanda triplicada, de pouco mais de 400 milhões de veículos em 2009 para 1,2 bilhão de veículos em 2032.

A Zona é livre

O governo brasileiro estuda a instalação de zonas de livre comércio no Amapá e Roraima, que fazem fronteira com outros países.

A Amazônia Legal receberá pelo menos R$ 7,3 bilhões em saneamento e habitação até 2010.

Foram as principais promessas da reunião entre representantes de ministérios e de governos estaduais no Palácio do Planalto, para tratar do investimentos e das ações do PAC - Programa de Aceleração do Crescimento entre janeiro e agosto deste ano, na região Amazônica.

Amazônia fatiada

Para facilitar a implementação de projetos e o acompanhamento das obras do PAC na região, o governo dividiu a Amazônia Brasileira em sete áreas de acordo com as diferentes características ou necessidades.

São elas: Fronteira Ocidental, Marajó, Araguaia–Tocantins, Arco da Embocadura (no Maranhão), Sul-Matogrossense, Sudoeste da Amazônia, e BR-163.

Roubo de ouro

Depois de instaurar 20 inquéritos, realizar 22 prisões e apreender 87 dragas, além de armas, frascos de mercúrio e ouro extraído irregularmente no Rio Madeira, em Rondônia, a Polícia Federal anunciou o fim da ação, batizada de Operação Iara.

A rota do ouro extraído ilegalmente começava em Rondônia e ia até a Bolívia

Mas o superintendente regional em exercício da Polícia Federal em Rondônia, Marcelo Rezende, ressalvou que em curto espaço de tempo ela poderá ser retomada, caso haja necessidade, e entrar em uma segunda fase.

A medida da PF teve como principal objetivo o combate ao garimpo ilegal de ouro no leito do Rio Madeira, que corta os estados de Rondônia e Amazonas.

Indenização pesada

O "Grupo Tortura Nunca Mais" foi condenado a pagar R$ 47 mil, por danos morais, a quatro policiais federais, por apontá-los como torturadores em sua página na internet.

O processo está em fase de execução (pagamento) desde maio de 2007.

A entidade tem feito shows e busca doações para pagar a indenização.

Mentira nunca mais

A ONG veiculou um texto, em seu site, acusando o delegado da PF, Roberto Jaureguiber Prel Junior, e os agentes, Luiz Oswaldo Vargas de Aguiar, Luiz Amado Machado e Anísio Pereira dos Santos, como torturadores.

Eles foram acusados de tortura pelo funcionário da Petrobras, Carlos Abel Dutra Garcia, que disse ter sido agredido em 1996.

A Justiça entendeu que não houve provas e proferiu sentença em favor dos policiais.

Jogada lucrativa

A Agência Nacional de Telecomunicações tirou das companhias telefônicas a obrigação de instalar orelhões em pequenas cidades.

A Anatel fixou, em seu lugar, a meta de garantir o acesso à banda larga para 3.570 municípios em todo o país, até 2010.

As teles gostaram, porque banda larga dá muito mais retorno financeiro para eles que os orelhões.

Empreiteiras agradecem

O presidente Lula assina segunda-feira com o governador Sérgio Cabral convênio para a realização das obras do Arco Rodoviário.

A nova estrada vai desafogar o tráfego na Avenida Brasil e na Ponte Rio-Niterói, além de facilitar o transporte da produção do Estado.

Serão investidos R$ 850 milhões para alegria dos empreiteiros e dos políticos em véspera de ano eleitoral.

Noite de Circo

O ator Marcos Frota será uma das atrações de hoje à noite do "Circomunicando" - evento organizado pelos alunos do terceiro ano de comunicação do Campus de Marte da Uniban, em Santana, São Paulo, a partir das 19 horas.

Além de Frota, os alunos da Academia Brasileira do Circo e os profissionais do Circo Spacial fazem uma apresentação especial.

Marlene Querubim, presidente da Academia Brasileira de Circo, também dará uma palestra.

“Novo âncora”

O humorístico mexicano Chavez substituiu, com bom desempenho, o telejornal SBT Manchetes.

Deu cinco pontos de Ibope contra os três de média dados pelo programa apresentado por Carlos Nascimento e Cynthia Benini – que agora dividem a bancada do Jornal do SBT – Edição Noite.

O SBT Manchetes ficou pouco mais de um mês no ar, e foi mais uma vítima da falta de paciência de Silvio Santos com o Jornalismo.

Do jeito que a coisa vai, nossos gênios televisivos (escravos do ilusório Ibope) vão impor a morte de William Bonner, Fátima Bernardes, Celso Freitas, Adriana Araújo, Marcos Humell e Luciana Liviero, para colocar no lugar deles os âncoras Chaves e Chiquinha, Batman e Mulher Maravilha, Tom e Jerry, ou o Pica Pau, só porque sai mais barato e, pretensamente, dá mais audiência.

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

Um comentário:

henriquelawpes disse...

PARABENS JORGE, HA' MUITOS ANOS ATRAS LIA O PASQUIN MAS VIROU PORCARIA, E AGORA QUE FELICIDADE TER ENCONTRADO COISA BOA QUANTO OS SEU UTILISSIMO BLOG.

Continue firme por favor!
Henrique