quarta-feira, 28 de novembro de 2007

O Brasil roubado sem reação do seu povo

Edição de Artigos de Quarta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

Não se sabe bem que nova indumentária o ministro Nelson Jobim (Defesa), irá utilizar desta vez. É possível que sua excelência se arme até com borduna, adornado com cocar e outros apetrechos indígenas. Mas, certamente, não deverá abrir mão de vistoso cachimbo da paz, no caso de bem sucedido. O que se tem como inegável é que a situação requer paciência e apurada reflexão.

As Forças Armadas se mostram muito preocupadas com a situação das reservas indígenas no estado de Roraima, com a iminência de retirada dos não-índios da Raposa/Serra do Sol. O secretário de Política, Estratégia e Assuntos Internacionais, general de Exército José Benedito Barros Moreira, defende a integração entre índios e não-índios para evitar o que classifica como “retrocesso”.

Barros Moreira, que esteve recentemente na Região Amazônica, visitando pelotões de fronteira (e observando “iniciativas realizadas em convênio com o Programa Calha Norte”), disse acompanhar “com preocupação qualquer tipo de situação que possa trazer antagonismo social dentro do país”.

A Amazônia tem 11 mil km de fronteiras internacionais, “quase que totalmente ocupados por reservas indígenas”. O que mais chama a atenção nessas reservas é o fato de estarem situadas em locais que abrigam as maiores jazidas de minerais raros do planeta.

Na Raposa/Serra do Sol, por exemplo, situa-se a segunda maior reserva brasileira de nióbio. Em artigo no Alerta Total (15/10/07 – Perdemos Roraima?), a jornalista Rebecca Santoro informou ser o nióbio “um mineral praticamente imprescindível à indústria aeronáutica, à aeroespacial e à de tubos para a construção de gasodutos”.

E disse existir, dentro das reservas, “laboratórios experimentais, muito bem aparelhados, sem mencionar a ação de contrabandistas e de traficantes de drogas e de armas”. O artigo merece ser relido (http://alertatotal.blogspot.com/2007/10/perdemos-roraima.html).

No Congresso Nacional, o deputado federal Márcio Junqueira (DEM-RR), repercutiu o posicionamento do general Barros Moreira, apontando o perigo de fragmentação do território brasileiro, “se não houver revisão dessa política suicida e entreguista por parte de vários governos”.

Junqueira condena com veemência a retirada que se pretende promover dos arrozeiros da região, “especialmente agora que Roraima se tornou pólo de exportação e o produto espécie de arrimo de nossa atividade econômica”.

O deputado, que vem sendo continuamente ameaçado de morte por conta da defesa da integridade territorial do país, comunga com o posicionamento do general Barros Moreira que acha ser necessária a preservação da cultura indígena, mas integrando o índio aos valores culturais nacionais.

O Exército Brasileiro não está disposto a participar da retirada dos produtores de arroz da Reserva Indígena Raposa/Serra do Sol. “Este é um problema muito sério”, segundo o comandante militar da Amazônia, general Augusto Heleno Pereira. A reserva foi criada na gestão FHC, em portaria assinada pelo então ministro da Justiça, Renan Calheiros (PMDB-AL).

FHC, que não tem perdido a oportunidade de fustigar seu sucessor, Dom Luiz Inácio (PT-SP), trabalhou com esmero pela alienação de importantes nacos do Brasil. Ele também quis entregar a Base de Lançamentos de Alcântara, no Maranhão, mas não conseguiu concretizar em função da grande reação que levantou.

O ex-presidente, que gosta de se gabar de falar milhares de línguas e ser recebido por reis e rainhas, não gosta, no entanto de assumir questões polêmicas: além de não se referir ao assunto da reserva e da Base de Lançamentos, ele também não assumiu um filho que teve com a jornalista Miriam Dutra (Rede Globo), a quem mandou para verdadeiro exílio na Espanha, em 1993.

Coitado de quem imaginou que Dom Luiz Inácio fosse dar um basta à questão de segregação dos índios. Ele cuidou de dar seqüência ao mesmo tipo de ação política de seu antecessor.

Certa feita, ao governador de Roraima, Ottomar de Sousa Pinto (PSDB), o atual presidente declarou estar de “saco cheio com pressões internacionais recebidas”. E homologou a reserva.

Márcio Accioly é Jornalista.

3 comentários:

Anônimo disse...

O MENDIGO QUEIMADO, OS DIREITOS HUMANOS E AS ONG's

Gozado...antes de ontem saiu uma notícia que um excluído social (mantra petista),
um mendigo, havia sido queimado vivo em São Paulo. As ONG's e as Associações
de "direitos humanos", todas chupins socialistas petistas ficaram de prontidão...Se,
por acaso, o criminoso fosse alguém das "zelites", da "burguesia" branca e
podre, elles fariam passeatas, manifestações, ficariam histéricos, iriam
no enterro do excluído social queimado, até a ONU iria expressar seu repúdio e blá e blá e blá..
...Mas...como descobriu-se que
o criminoso era um outro exclúido social, outro mendigo, nada de manifestação,
nada de passeata, ninguém no enterro do pobre infeliz..Estranho, né???Elles
estão pouco ligando para o mendigo morto. Estão preocupados apenas em saber
quem matou o mendigo...O mendigo morto é apenas algo a ser usado (ou não)
prá faturar..

bastilha disse...

do reajabrasil


A denúncia de hoje é de uma gravidade imensa. Trata-se de dois vídeos EXCLUSIVOS DO NOTALATINA, contendo entrevista de um ex-espião cubano desertor, que vive hoje exilado na Flórida. Nessa entrevista ele conta como a Venezuela tem TUDO monitorado através da embaixada de Cuba; porque Chávez comprou tantos submarinos; como e porque foram doutrinados mais de 5.000 jovens só na Venezuela e outros crimes igualmente graves.Não existe mais privacidade de internet nem de contatos telefônicos na vida daqueles que se opõem à implantação do comunismo na Venezuela, e é neste país que o sr. da Silva tem o cinismo de afirmar que existe "excesso de democracia".
Insisto: assistam essa entrevista porque ela tem muito a ver com o Brasil! Peço que me ajudem a divulgar amplamente esta denúncia porque a mídia nacional não informa NADA sobre tamanha gravidade com sérias repercussões para nós brasileiros, principalmente com a possiblidade de Chávez - e não a Venezuela, INSISTO neste ponto - ser admitido como membro pleno do Mercosul, mas não esqueçam de dar os créditos ao Notalatina.

Fiquem com Deus e até a próxima!

G. Salgueiro

http://www.youtube.com/watch?v=ULqSIdMfL0M&feature=related

Anônimo disse...

As Árvores e o Machado

Um homem foi à floresta e pediu às árvores que estas lhe doassem um cabo para o seu machado. O conselho das árvores concordou com o seu pedido e deu a ele uma jovem árvore para este fim.

Logo que o homem colocou o novo cabo no machado, começou furiosamente a usá-lo e em pouco tempo havia derrubado com seus potentes golpes, as maiores e mais nobres árvores da floresta.

Um velho Carvalho, lamenta quando a destruição dos seus companheiros já está bem adiantada, e diz a um Cedro seu vizinho:

--- O primeiro passo significou a perdição de todas nós. Tivéssemos respeitado os direitos daquela jovem árvore, ainda teríamos os nossos próprios e o direito de ficarmos de pé por muitos anos.

"Moral" da História:
Quem menospreza ou discrimina seu semelhante, não deve se surpreender se um dia lhe fizerem a mesma coisa.

Autor: Esopo