sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Gênios, sábios, entreguistas e Ladrões

Edição de Artigos de Sexta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

O ex-presidente FHC (1995-2003), segundo alguns de seus admiradores, fala mais de 12 mil línguas (sem contar os dialetos), e é capaz de redigir ofícios em todas elas sem cometer erro ou equívoco. Millôr Fernandes diz que depois de Phd, só FHC.

Ninguém duvidaria ou duvidará jamais da sapiência de sua ex-excelência, situado entre os simples mortais já num plano majestático. Até porque, para avaliar sua pronúncia e vocabulário em tantos idiomas, seria necessária a presença de nativo qualificado em cada qual.

Ou isso, ou a participação de ser humano apto a similar desempenho em cada um desses idiomas, fato praticamente impossível de acontecer.

Aliás, talvez haja, no Brasil, apenas uma possibilidade de se estabelecer confronto com o ex-presidente (considerado o rei da sociologia), colocando-se sua quase divindade frente a frente com o humorista Jô Soares, igualmente poliglota.

Há quem jure, inclusive, que o gordo comediante aprendeu sânscrito em 15 dias. Para tanto, teria se valido de um desses cursos em que o sujeito liga o gravador e vai dormir, deixando as palavras entrarem pelos ouvidos e se alojarem nos escaninhos da memória, ficando ali para sempre insculpidas.

Também seria bobagem ficar assistindo essa espécie de duelo verbal entre gênios privilegiados, pois se a testemunha não entende nada do que dizem como poderia avaliar se o desempenho é bom ou sofrível?

O que se percebe é que colocar tantas palavras estranhas dentro da cachola não tem produzido nada de positivo, ou que sirva à coletividade. Sem contar que FHC (PSDB) é tido como homem culto, erudito que já teria lido mais de 456 mil livros dentre milhões que parece possuir em sua biblioteca.

Sua ex-excelência criticou Dom Luiz Inácio (PT-SP) por sua notória ignorância, o que não é nenhuma novidade, reclamando do atual presidente por este não saber falar bem a própria língua. Contentado na crítica, esqueceu um filho tido com a jornalista Miriam Dutra (Rede Globo), o qual nunca assumiu.

O menino, hoje adolescente, foi mandado para a cidade de Barcelona, na Espanha, numa espécie de exílio juntamente com a mãe para que não causassem nenhum embaraço ao pai relapso que buscava, dessa forma, evitar problemas antes de disputar e vencer a eleição presidencial de 1994.

O rapaz não fala bem o português, apesar de brasileiro, pois foi educado em espanhol. Há alguns meses, o filho bastardo de FHC foi assaltado na Espanha e chegou a ser ferido, mas não se tem notícia de que o pai tenha saído em seu socorro ou prestado alguma assistência de natureza afetiva.

De maneira que, em terra de cego, já diz velho adágio, “quem tem um olho é rei”. E sua ex-excelência tem reinado com tranqüilidade sem ser cobrado, como seria de se esperar, por ter praticado crime de lesa-pátria ao tempo em que ocupava a Presidência, na doação desenfreada que fez do patrimônio público nacional.

O fato é que o país exibe hoje um nível de miséria e violência que impede a circulação livre por praticamente toda sua área urbana. Apesar disso, FHC e Dom Luiz Inácio arranjam sempre motivo para esgrimir de forma improdutiva, tirando o foco daquilo que de fato interessa.

O país, corroído pela incúria e roubalheira não passa, na visão das “autoridades” e ex, de mero joguete na luta ensandecida pelo poder. Os homens públicos parecem ter perdido completamente a dimensão da realidade em que se vive.

Márcio Accioly é Jornalista.

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Rigor seletivo? Nova operação contra fiscais corruptos e sonegadores no RJ só pega peixes pequenos

Edição de Quinta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

A Operação Propina S/A, que suspeita da sonegação fiscal de R$ 1 bilhão de reais contra os cofres públicos do Estado do Rio de Janeiro, não vai atingir “peixes grandes”. Novamente, a exemplo do que ocorreu no escândalo do Propinoduto de 2002 (esquema que nunca foi interrompido, de verdade), só os fiscais da Secretaria de Fazenda deverão ser punidos. Os bandidos acima deles, como sempre, ficarão impunes e sem identificação. Afinal, dá para acreditar que os fiscais corruptos recebiam, sozinhos, uma espécie de “mensalão” pago por 78 empresas achacadas, sem repassar nada para poderosos no andar de cima do esquema?

O esquema atual de sonegação, parcialmente desbaratado ontem, seria três vezes maior que o comandado pelo propinoduto de anos atrás, sob o comando do fiscal Rodrigo Silveirinha. Agora, foi apanhado como líder do esquema o fiscal de renda estadual Francisco da Cunha Gomes. Conhecido como Chico Olho de Boi, ele foi subsecretário de Análise Tributária do governo Rosinha Garotinho. No passado, Olho de Boi chegou a suceder Silveirinha, por três dias, na chefia da Inspetoria de Contribuintes de Grande Porte, órgão da Secretaria Estadual de Fazenda. Mas foi exonerado três dias depois, porque era sócio de uma empresa e nessa situação não poderia ocupar o cargo público.

O esquema comia 20% do valor sonegado. Os corruptos servidores públicos recebiam propinas em até dez vezes em cartões de crédito. Onze fiscais serão denunciados pelos crimes de formação de quadrilha, sonegação, corrupção e lavagem de dinheiro. Outros 20 empresários, contadores e colaboradores terão o mesmo destino?. No propinoduto, os empresários corruptores não foram punidos. Apenas os fiscais dançaram. Mas há quem jure, nos bastidores da Secretaria da Receita Fluminense, que o esquema nunca parou. Em setembro, relatório da CPI da Arrecadação, na Assembléia Legislativa do Rio (Alerj) apontou prejuízo de R$ 1,4 bi com sonegação no estado do Rio.

Biela Propina

Em um telefonema gravado com autorização da Justiça, Francisco orienta um empresário a negociar com os fiscais o valor da propina, chamada de biela.

Francisco: - Você começa com 120 bielas, tá? Eles vão querer comprar um número maior de bielas.
Empresário: - Entendi.
Francisco: - Não passa do limite de 140 bielas.
Empresário: - Certo.
Francisco: - A gente combina um fornecimento de bielas em quatro vezes.

Vai ou não vai?

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou ontem, por 17 votos a 3, o envio ao plenário do parecer do senador Jefferson Péres (PDT-AM) que recomenda a cassação do mandato do presidente licenciado da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), por quebra de decoro parlamentar.

Da lista de denúncias contra Renan, esse é o terceiro processo no qual é acusado de usar "laranjas" para comprar rádios em Alagoas.

Renan Calheiros nega que tenha cometido qualquer pecado.

Festa global?

Traficantes do morro do Cantagalo, em Ipanema, prometem não criar problemas para a visita que o chefão mor do Brasil fará amanhã no Espaço Criança Esperança, para 800 convidados – sendo 600 moradores das comunidades próximas.

Apesar disso, por segurança, a única via de acesso de carros à parte alta da favela, a Rua Saint Roman, que depois se torna Estrada do Cantagalo, ficará interditada das 17h de hoje até as 11h30 de amanhã, quando deve terminar a visita do poderoso Lula para a cerimônia de lançamento das obras de urbanização do Complexo do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)..

Nesse período, os moradores só entrarão na comunidade a pé ou de mototáxi.

R$ 350 milhões? É pouco ou “são pouco”?

A nova TV pública ainda não entrou no ar, mas a bancada governista na Câmara já se articula para ampliar os recursos destinados à emissora.

O relator da medida provisória que cria a TV Brasil, Walter Pinheiro (PT-BA), vai propor o repasse de verbas adicionais do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel).

No texto enviado ao Congresso, o governo previa o uso de R$ 350 milhões anuais do Orçamento da União.

Para o parlamentar, a soma - equivalente ao orçamento da TV Bandeirantes - não seria suficiente para manter as operações da nova emissora.

Novo Big Brother

O site Notalatina exibe dois vídeos contendo entrevista de um ex-espião cubano desertor, que vive hoje exilado na Flórida.

O trabalho mostra como toca a banda do Foro de São Paulo.

,http://www.youtube.com/watch?v=ULqSIdMfL0M&feature=related

Novo mercado

As ações da Bolsa Mercantil & de Futuros (BM&F) serão negociadas pelo valor máximo de R$ 20 fixado pelo coordenador-líder da oferta, o banco BBI.

Com a negociação de mais de 299 milhões de papéis, o que inclui um lote adicional de 15% dos papéis inicialmente oferecidos, a empresa deve levantar R$ 5,9 bilhões.

A estréia da BM&F na Bovespa acontece amanhã, com a 90ª empresa a compor o mais alto grau de governança corporativa, o Novo Mercado.

Ignorância brasileira

Uma pesquisa do Instituto Ipsos revela que o brasileiro não sabe onde fica o Brasil no mapa mundi.

A pesquisa entrevistou mil pessoas em 70 cidades do Brasil.

Metade dos entrevistados acertou a resposta.

Onde fica mesmo o Brasil?

2% apontaram para a área da Argentina.

2% para a região do Congo, na África.

15% apontaram outros países.

E quase 30 por cento não souberam ou não opinaram.

http://www.youtube.com/watch?v=adRBD8xxuEQ

Livro do General

O general Francisco Torres de Mello, coordenador do Grupo Guararapes, convida para o lançamento de seu livro “Um Comando de Polícia Militar”.

Na obra, o general relata os três anos e seis meses que comandou a grande Polícia Militar de São Paulo, Polícia que é uma honra para o BRASIL.

Será nesta sexta-feira, dia 30, a partir das 10 horas, na Associação dos Oficiais Militares da Reserva e Reformados do Estado do Ceará, em Fortaleza.

Salve o Corinthians...

Ontem, o Alan Kardec do Vasco foi carrasco do Timão com seu golzinho.

Agora, seria bom os corinthianos apelarem para outro Alan Kardec.

Precisará de força sobrenatural para vencer o Grêmio, no Sul.

E torcer para o Goiás tropeçar diante do Inter, no Serra Dourada.

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

O Brasil ascende na escala de guerra civil

Edição de Artigos de Quinta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Jorge Serrão

Está acontecendo impressionante arranjo migratório no território brasileiro, o qual mereceria atenção por parte de nossas autoridades, tivéssemos nos principais postos de comando pessoas com vocação mínima para a administração pública.

O grande problema dos dirigentes nacionais, desde sempre, parece ser essa incrível capacidade de nada perceber, conforme demonstram e admitem. Especialmente quando flagrados em conluios com desvios e malfeitos.

O próprio presidente da República, Dom Luiz Inácio (PT-SP), vê-se incorporado ao folclore, já que nunca vê nada nem sabe de coisa alguma em redor. Mas existem fatos gravíssimos, à vista de todos, clamando urgentíssimas providências.

Pois bem: nesse novo arranjo migratório, a Capital Federal recebe interminável fluxo de pessoas, as quais dentro de pouco tempo irão se constituir em ameaça ao seu ecossistema. A cidade não tem como abrigar tão vasto número de recém-chegados.

Gente forçada a deixar cidades de origem, fugindo da violência e atraída pelo canto de sereia da possibilidade de emprego. Como se Brasília, paraíso da burocracia, fosse espécie de refúgio, meca do capitalismo tupiniquim, onde a proximidade do poder central atuasse como panacéia na cura de todos os malefícios sociais.

Nos 26 Estados de nossa inexistente Federação, a vida está se tornando um inferno. Em algumas capitais (tais como Recife, Belém e Maceió), os índices de criminalidade transformam indefesas populações em reféns da marginalidade. A violência está se espalhando por todas as capitais.

O despreparo de governantes e administradores, grande parte acusada de crimes e desmandos, reforça, no clima de impunidade explícita, sentimento de abandono que fomenta desespero e arrasta o país inteiro para guerra civil que parece inevitável.

Em Recife, como em outras capitais, existem pontos de aluguel de armas para os que praticam assaltos. Em bairros da periferia, é facílimo alugar armas de pequeno, médio ou grosso calibre (em determinados “pontos”), dependendo do “serviço” a ser executado.

Esses fatos vêm sendo constantemente denunciados pela imprensa, mas não se tomam providências. Seja quem for o governante, parte-se para permanente oba-oba, como se os problemas estivessem equacionados e a solução a caminho.

Colocam-se panos quentes em cima, até que novo desastre aconteça. Como no caso do Estádio da Fonte Nova (BA), onde morreram sete pessoas no último domingo (25), vítimas de desabamento ocorrido. Há dois anos que as precárias condições vinham sendo denunciadas, mas não houve quem tomasse conhecimento.

O Ministério Público da Bahia, de acordo com a promotora de Justiça do Consumidor, Joseane Suzart, vinha tentando a interdição do Estádio desde janeiro de 2006. Agora, finalmente, será interditado.

Foi preciso que ruísse para que o governador Jacques Wagner (PT-BA) dissesse não saber de nada e, depois, informar que pretende demolir o restante para a construção de um novo, olhos postos na Copa do Mundo que deverá acontecer no Brasil em 2014.

Mas haverá mesmo Copa do Mundo no Brasil? Como iremos sobreviver até lá? Alugando armas, também, para enfrentar bandidos bem equipados que circulam livremente nas ruas? E os marginais dentro da máquina do Estado, que transmitem a impressão de absolutos?

O crime, a miséria, o descrédito do aparelho estatal, são fatores que contribuem para visível desarrumação do quadro social, deixando a população completamente aturdida com relação ao seu próprio rumo. Será a guerra civil inevitável?

Márcio Accioly é Jornalista.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

O Brasil roubado sem reação do seu povo

Edição de Artigos de Quarta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

Não se sabe bem que nova indumentária o ministro Nelson Jobim (Defesa), irá utilizar desta vez. É possível que sua excelência se arme até com borduna, adornado com cocar e outros apetrechos indígenas. Mas, certamente, não deverá abrir mão de vistoso cachimbo da paz, no caso de bem sucedido. O que se tem como inegável é que a situação requer paciência e apurada reflexão.

As Forças Armadas se mostram muito preocupadas com a situação das reservas indígenas no estado de Roraima, com a iminência de retirada dos não-índios da Raposa/Serra do Sol. O secretário de Política, Estratégia e Assuntos Internacionais, general de Exército José Benedito Barros Moreira, defende a integração entre índios e não-índios para evitar o que classifica como “retrocesso”.

Barros Moreira, que esteve recentemente na Região Amazônica, visitando pelotões de fronteira (e observando “iniciativas realizadas em convênio com o Programa Calha Norte”), disse acompanhar “com preocupação qualquer tipo de situação que possa trazer antagonismo social dentro do país”.

A Amazônia tem 11 mil km de fronteiras internacionais, “quase que totalmente ocupados por reservas indígenas”. O que mais chama a atenção nessas reservas é o fato de estarem situadas em locais que abrigam as maiores jazidas de minerais raros do planeta.

Na Raposa/Serra do Sol, por exemplo, situa-se a segunda maior reserva brasileira de nióbio. Em artigo no Alerta Total (15/10/07 – Perdemos Roraima?), a jornalista Rebecca Santoro informou ser o nióbio “um mineral praticamente imprescindível à indústria aeronáutica, à aeroespacial e à de tubos para a construção de gasodutos”.

E disse existir, dentro das reservas, “laboratórios experimentais, muito bem aparelhados, sem mencionar a ação de contrabandistas e de traficantes de drogas e de armas”. O artigo merece ser relido (http://alertatotal.blogspot.com/2007/10/perdemos-roraima.html).

No Congresso Nacional, o deputado federal Márcio Junqueira (DEM-RR), repercutiu o posicionamento do general Barros Moreira, apontando o perigo de fragmentação do território brasileiro, “se não houver revisão dessa política suicida e entreguista por parte de vários governos”.

Junqueira condena com veemência a retirada que se pretende promover dos arrozeiros da região, “especialmente agora que Roraima se tornou pólo de exportação e o produto espécie de arrimo de nossa atividade econômica”.

O deputado, que vem sendo continuamente ameaçado de morte por conta da defesa da integridade territorial do país, comunga com o posicionamento do general Barros Moreira que acha ser necessária a preservação da cultura indígena, mas integrando o índio aos valores culturais nacionais.

O Exército Brasileiro não está disposto a participar da retirada dos produtores de arroz da Reserva Indígena Raposa/Serra do Sol. “Este é um problema muito sério”, segundo o comandante militar da Amazônia, general Augusto Heleno Pereira. A reserva foi criada na gestão FHC, em portaria assinada pelo então ministro da Justiça, Renan Calheiros (PMDB-AL).

FHC, que não tem perdido a oportunidade de fustigar seu sucessor, Dom Luiz Inácio (PT-SP), trabalhou com esmero pela alienação de importantes nacos do Brasil. Ele também quis entregar a Base de Lançamentos de Alcântara, no Maranhão, mas não conseguiu concretizar em função da grande reação que levantou.

O ex-presidente, que gosta de se gabar de falar milhares de línguas e ser recebido por reis e rainhas, não gosta, no entanto de assumir questões polêmicas: além de não se referir ao assunto da reserva e da Base de Lançamentos, ele também não assumiu um filho que teve com a jornalista Miriam Dutra (Rede Globo), a quem mandou para verdadeiro exílio na Espanha, em 1993.

Coitado de quem imaginou que Dom Luiz Inácio fosse dar um basta à questão de segregação dos índios. Ele cuidou de dar seqüência ao mesmo tipo de ação política de seu antecessor.

Certa feita, ao governador de Roraima, Ottomar de Sousa Pinto (PSDB), o atual presidente declarou estar de “saco cheio com pressões internacionais recebidas”. E homologou a reserva.

Márcio Accioly é Jornalista.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Jobim empurra com a barriga o reaparelhamento das Forças Armadas, mas promete melhores salários

Edição de Terça-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Mesmo diante das ameaças geopolíticas regionais imediatas, que os militares só assumem nos bastidores, mas nunca publicamente, o Ministério da Defesa resolve empurrar com a barriga (do genérico Nelson Jobim) o urgente reaparelhamento das Forças Armadas brasileiras. Ontem, Nelson Jobim, o ministro da defesa (até de Renan Calheiros), avisou aos oficiais generais das três forças que o aparelhamento da Marinha, da Aeronáutica e do Exército só ocorrerá depois da conclusão do plano estratégico de defesa nacional. A ordem é esperar. E PT saudações, com o PMDB comendo o desgoverno pelas beiradas.

A previsão é que o plano fique pronto no meio do ano que vem. Só será apresentado ao comandante em chefe Lula da Silva no ainda distante dia 7 de setembro de 2008. Jobim coordenada a elaboração do plano junto com o Ministério Extraordinário de Assuntos Estratégicos. A sociedade brasileira não foi convidada a participar da elaboração do plano. Acadêmicos e especialistas em assuntos estratégicos reclamam por ficarem de fora do debate do tema “Defesa Nacional” – que não pode ser monopólio dos militares e muito menos dos mal intencionados burocratas de Brasília – maioria deles que ainda encara as Forças Armadas como adversárias ideológicas.

Ontem, na solenidade de promoção de oficiais das Forças Armadas, Jobim ainda soltou uma pérola em seu discurso que só a falecida velhinha de Taubaté seria capaz de acreditar: “O presidente quer nossas Forças Armadas orgulhosas dos armamentos, tudo para servir ao País. Queremos militares altivos, bem-equipados, treinados e motivados profissionalmente”. Jobim reiterou que com a área econômica reajuste dos salários dos militares. Jobim pediu aos oficiais promovidos "sabedoria, prudência, sacrifícios, lealdade e dedicação integral ao cumprimento das missões que lhes forem concedidas".

CPI do que não existe

Os deputados oposicionistas que integram a Comissão do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara se mobilizaram para obter 171 adesões necessárias à criação da CPI do Desmatamento da Amazônia.

O problema que a CPI terá de investigar o que não existe.

O desmatamento da Amazônia é um dos mitos lançados pelos movimentos ecológicos internacionais para impedir que o Brasil ocupe efetivamente a região, alvo da proposta de “internacionalização”.

Marinha competente

O Almirante Roberto Gama e Silva informa que, ao contrário do divulgado pela mídia mundial, na realidade, o primeiro navio que chegou à área do recente naufrágio na Antártida foi o NApOc ARY RONGEL da Marinha do Brasil.

A equipe de resgate chegou ao barco Explores, que afundava, na aeronave orgânica, um Esquilo Bi-Turbina do HU-1

Foi o helicóptero brasileiro que vetorou os navios ENDEAVOUR (National Geografic) e NORD NORGE, para o local onde estavam concentradas as balsas com os sobreviventes, em local de mar revolto, com ondas próximas dos cinco metros.

É essa Marinha que precisa de verbas para cumprir sua missão. Nossa Armada não merece ser a “Raínha da Sucata” como opera atualmente.

Intentona censurada

Quartéis do Exército lembram hoje, discretamente, a Intentona Comunista de 1935.

Ano passado, o então ministro da Defesa Waldir Pires censurou artigo de Boris Casoy sobre a Intentona Comunista, na revista Informe Defesa, publicação do Ministério da Defesa.

Releia o artigo que Boris revolveu republicar este ano, no Jornal do Brasil: A intentona e a censura do ministro

E leia também o artigo de Aluisio Madruga: Como matar militares dormindo

As empreiteiras agradecem

Depois da porta arrombada, e de algumas mortes de pobres torcedores, o governo petista vem com a fechadura boa para os empreiteiros.

Para fugir da responsabilidade de seu governo pelo acidente que deixou sete mortos, com a queda prevista de um trecho mal conservado das arquibancadas condenadas do Estádio da Fonte Nova, o governador baiano Jaques Wagner (PT) vem com a idéia salvadora.

Demolir a Fonte Nova e construir um novo estádio que serviria para a Copa de 2014.

As grandes construtoras, generosas financiadoras de campanhas eleitorais, agradecem, antecipadamente, pela boa idéia do baiano petista.

Dane-se o torcedor

Enquanto a Bahia enterrava os mortos da Fonte Nova, o Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia fez alerta sobre os riscos nos estádios brasileiros.

Pelo menos 80% dos principais estádios do país precisam de reformas estruturais.

O maior problema são as infiltrações, que provocam desgaste do concreto.

A pesquisa vê o estádio baiano como o pior dos 27 avaliados e inclui na lista negra o Mineirão (MG), o Olímpico (RS) e o Couto Pereira (PR).

Abortando o aborto

O lobby católico este mesmo funcionando no Congresso Nacional.

O relator do projeto que descriminaliza o aborto, deputado Jorge Mudalen (DEM-SP), apresentou parecer contra a prática.

A avaliação saiu antes mesmo da última audiência pública sobre o tema, dia 5, na Câmara.

Lula-Tri

Depois de ouvir ontem a platéia bem ensaiada de militantes dos movimentos Pró-moradia e favelas gritar “um, dois, três, Lula outra vez, o vaidoso Chefão comentou no discurso:

“Uma coisa que tenho em mente é que a passagem pelo governo, tanto para o homem quanto para a mulher, tem data de entrada e data de saída. Mas os compromissos de luta sâo para toda a vida. Sei que quando terminar a presidência, aconteça o que acontecer, vamos estar juntos em muitos outros trabalhos para melhorar a vida do povo brasileiro”.

E o Palácio do Planalto ainda nega que exista movimento pelo terceiro mandato...

João Ubaldo adverte

"O golpe a ser dado pelo apetite imoderado do presidente é nítido e claro, só não vê quem não quer. Para elle não há diferença em parlamentarismo, presidencialismo, socialismo, comunismo, fascismo, nazismo, democracia, caudilhismo, peronismo, chavismo, maoismo, fujimorismo, esquerda, direita, nada disso, o que interessa é continuar no poder, disso elle entende. Não me refiro à sua (delle) ignorancia teórica, pois que esta é tão vasta que elle jamais lhe vislumbrará os limites e corresponde ao porte de sua esperteza (ou ausencia de escrúpulos), sinceridade duvidosa e apetite por tudo o que tiver direito. Não lhe interessam rótulos e ideologias, interessa isso sim unicamente o poder lulista. Não poderia ser diferente, sempre foi assim, mesmo quando estava no Sindicato, quem conhece sua trajetória sabe disso, porque seria diferente agora".

Foi o que escreveu João Ubaldo Ribeiro no seu artigo dominical do Estadão.

Propaganda Jornalística

A mídia amestrada e bem paga pelas verbas publicitárias das estatais presta hoje e amanhã relevantes serviços ao Palácio do Planalto.

O chefão Lula dá entrevistas ao vivo nesta terça para o Jornal da Band e para o Jornal da Record.

Tudo com as perguntinhas combinadas antes com o Bolcheviquepropagandaminister Franklin Martins.

Amanhã a entrevista amestrada será no SBT.

Renúncia prevista

O Palácio do Planalto já preparou o script da grande farsa legislativa.

No dia 4 de dezembro, terça-feira que vem,será votada a cassação ou não do presidente do Senado.

Mas já foi tudo acertado para que o senador Renan Calheiros renuncie ao cargo, e permita que o Senado eleja um novo presidente.

Com tudo “pacificado”, pode votar e aprovar a prorrogação da CPMF até 2011, na sessão do dia 14.

Sacrifício da consciência

A coerência política e cidadã vai para o ralo na hora de colocar na balança os interesses paroquiais dos políticos.

O senador Pedro Simon estaria disposto a se sacrificar pelo Rio Grande do Sul e votar pela CPMF como reconhecimento pela ajuda que o governo Lula resolveu dar ao governo Yeda Crusius (PSDB).

Não demora, muda de idéia, e acaba votando também a favor da salvação de Renan Calheiros.

Pelo telefone

O Chefão do Governo, pelo telefone, vem chantagear, que a CPMF, que dói no meu bolso, é para aprovar”.

Não é o novo samba de Almirante, mas a tática definida ontem pelo poderoso Lula, que resolveu entrar pessoalmente na articulação pra conseguir os 49 votos necessários para aprovar a CPMF no Senado.

Lula promete telefonar para governadores e senadores, bem como recebê-los no Palácio do Planalto, para mostrar a necessidade de prorrogação do imposto do cheque, que rende aos cofres públicos cerca de R$ 40 bilhões ao ano.

Na verdade, o governo ameaça rever acordos e até atrasar a liberação de recursos para estados e municípios de senadores que votarem contra a prorrogação da CPMF

Dane-se quem paga imposto

O presidente Lula não tem mesmo qualquer compromisso sério com a desoneração dos impostos no País que come 42% dos que é produzido com a fome sem fim dos impostos, taxas e contribuições.

O governo resolveu ontem adiar o envio da proposta de reforma tributária ao Congresso, prometida para o próximo dia 30, pelo temor de a matéria atrapalhar a prorrogação da CPMF no Senado.

Um dos itens da negociação para a manutenção do imposto do cheque até a 2011, a reforma tributária agora não tem data para ser apresentada.

Referendo chavista

A última pesquisa de intenção de voto sobre o referendo constitucional da Venezuela, divulgada pela empresa Hinterlaces, revela um empate técnico entre o sim e o não às reformas.

Os números indicam que 46% dos eleitores votariam contra a reforma e 45% votariam a favor.

Do total de pessoas entrevistadas, 9% ainda estão indecisos.

Varrendo a oposição

O presidente Hugo Chávez adverte que as pesquisas pretendem manipular a realidade e preparar o cenário para que a oposição possa reclamar fraude no próximo domingo.

No sábado, o Instituto Datanalisis divulgou uma pesquisa em que apontava uma vitória do não com 44,6 % da intenção de votos contra 30,8% dos que votariam pelo sim.

Chávez já avisou que "varrerá" a oposição se ela optar pelo caminho da violência:

"Aqui está o povo organizado para impedir desestabilizações. Se eles buscam o caminho da violência, tenham certeza de que saberemos enfrentá-los nas ruas e varrê-los como já fizemos em 13 de abril de 2002".

Bolívia separando

Governadores de cinco departamentos da região mais rica da Bolívia, a chamada Meia Lua, se reuniram em Santa Cruz de La Sierra para rechaçar a nova Constituição - aprovada em primeira instância no sábado, em um quartel, sem a participação da oposição.

Os governadores anunciaram uma Carta Autonômica Constitucional, uma espécie de Constituição paralela, imposta de forma unilateral e que põe a região a um passo de formalizar a independência.

O presidente do Comitê Cívico de Santa Cruz, Branko Marinkovic, já avisou:

Não vamos nos submeter a uma Carta feita de forma autoritária. A autonomia de Santa Cruz foi aprovada pela população numa consulta popular e a Constituição que apresentamos nesta segunda-feira é resultado disso. Vamos criar um novo Legislativo e novas formas de gestão”.

Idéia infeliz

O senador colombiano Juan Manuel Galán propôs ontem a mediação do presidente Lula na crise entre Colômbia e Venezuela.

Galán quer que Lula reúna, ainda esta semana, os presidentes colombiano,

Álvaro Uribe, e venezuelano, Hugo Chávez, que têm trocado acusações e ofensas pelos jornais.

Parceiro do terror

O presidente colombiano Álvaro Uribe voltou a acusar Chávez de querer instaurar na Colômbia um governo das Farc, dentro de seu propósito de "incendiar" o continente e "expandir-se" por ele:

"Suas palavras, suas atitudes, dão a impressão de que o senhor não está interessado na paz da Colômbia, mas que a Colômbia seja vítima de um governo terrorista das Farc. Precisamos de uma mediação contra o terrorismo e não legitimadores do terrorismo”.

Uribe tem razão na parceria bolivariana com a narcoguerrilha, pois Chávez é o coordenador militar do Foro de São Paulo, saco de gatos que junta partidos de esquerda com grupos narcoterroristas na América Latina.

Mensagem do terror-revolucionário

Confira alguns trechos do comunicado, em espanhol, liberado por Iván Márquez, Integrante do Secretariado de las FARC-EP, diretamente das “Montañas de Colômbia”:

MISERABLE, muy miserable la actitud de Uribe al suspender la mediación humanitaria del Presidente Hugo Chávez y la senadora Piedad Córdoba, cuando era la única esperanza para lograr el canje de prisioneros en Colômbia”.

Al apagar la luz que se había encendido dejó su alma pintada, la locura de su cerril intransigencia y su indolente desprecio por el canje humanitario. Todos debemos sentir vergüenza frente al grosero desaire de Uribe contra un Presidente amigo, que lleva a Colombia metida en su corazón y siente profundo afecto por nuestro pueblo”.

Cuando la batalla humanitaria de Chávez estaba a punto de arrojar los primeros resultados, un delirante Uribe la consideró amenaza para la soberanía de Colombia, para su política de seguridad inversionista, y un espacio para la diplomacia guerrillera, que al parecer mortifica hasta lo indecible su incontrovertible ego de führer tropical”.

Terror urbano na França

Pelo menos 64 policiais ficaram feridos em novos confrontos violentos entre cerca de 300 jovens e a polícia na noite de segunda-feira, no subúrbio de Villiers-le-Bel, ao norte de Paris.

Encapuzados, os jovens enfrentaram os policiais lançando coquetéis molotov, garrafas, pedras e pedaços de pau.

A polícia contra-atacou com balas de borracha e gás lacrimogêneo.

Ao menos 63 carros e inúmeros prédios públicos e lojas foram incendiados pelos terroristas urbanos.

O petróleo é vosso?

Manifestantes protestam hoje, no Rio de Janeiro, contra a realização do 9º leilão pela Agência Nacional do Petróleo.

A concentração é às 12h, na Candelária, para sair em passeata até a Cinelândia, engarrafando o centro do Rio.

O protesto ocorre no mesmo dia em que estará ocorrendo a licitação da ANP.

Recorde de interessados

Com o preço do barril de petróleo se aproximando de US$ 100 e a perspectiva da existência de significativas jazidas no Brasil, o 9º leilão ultrapassa todos os recordes anteriores em números inscritos.

No total, 67 empresas nacionais e estrangeiras anunciaram que vão participar do leilão de blocos mapeados e pesquisados pela Petrobrás.

O bônus mínimo mais alto exigido pelo governo é de R$ 19 milhões em Santos, e o mais barato, de R$ 8 mil, na Bacia do Rio do Peixe, em terra, na Paraíba.

Geraldo e os Irmãos

O ex-governador Geraldo Alckmin dará uma palestra a maçons sobre o tema ““Pensamento Estratégico Brasileiro”.

Será na quinta feira da semana que vem, 6 de dezembro, a partir das 19h 30min, no Templo Nobre do Palácio Maçônico do Grande Oriente de São Paulo, que fica na Rua São Joaquim, nº 457, no bairro paulistano da Liberdade.

O evento é organizado pelas Lojas Maçônicas Lealdade e Justiça n° 2299 e Francisco Montezuma n° 3122.

Nudez global será castigada?

Telespectadores reclamaram ao Departamento de Justiça e Classificação do Ministério da Justiça, em Brasília.

O órgão abriu na quinta-feira um processo administrativo para avaliar uma possível alteração na classificação indicativa da novela “Duas Caras”, que hoje é de 12 anos.

Tudo por causa da ousada nudez da personagem Alzira, vivida por Flávia Alessandra, que deu um pico de 43 pontos na audiência da novela global.

Problema para a Globo

A novela pode ser considerada com conteúdo impróprio para antes das 22h, aa fim de proteger as crianças e adolescentes “das fortes cenas”.

Se isso ocorrer, a novela não pode ser exibida antes das 21h.

Atualmente, Duas Caras entra no ar geralmente neste horário (20h55).

Só que não poderia ir ao ar no Norte e Nordeste do País onde o fuso-horário tem pelo menos uma hora de defasagem em relação a Brasília.

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

Como matar militares dormindo

Edição de Artigos de Terça-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Aluísio Madruga

Hoje, 27 de novembro de 2007, a Intentona Comunista de 1935 completa 72 anos. Tendo eclodido no dia 23 de novembro em Natal/RN e dia 24 em Recife/PE, só no dia 27 teve início no Rio de Janeiro, no quartel do 3º Regimento de Infantaria na Praia Vermelha e na Escola de Aviação no Campo dos Afonsos, então subordinada ao Exército.

Nos vários dicionários não vamos encontrar unanimidade nos sinônimos a respeito da palavra intentona, mas há nos significados. A seguir alguns exemplos: plano insensato, intento louco, conluio, rebelião, motim, conspiração, sedição, revolta, conjuração, insurreição ou intento insano. Porém, historicamente, Intentona Comunista é o nome oficial da insurreição militar que ocorreu no Brasil nas cidades acima citadas, cujo número real de mortos nunca foi oficialmente revelado pelo Governo da época, possivelmente para diminuir o episódio revolucionário marxista–leninista ou olhá-lo como insignificante, quando, na realidade não o foi, principalmente, pela maneira covarde e vil como os conspiradores, em prol de uma outra Nação, traíram seus companheiros de farda e a própria Pátria.

Antônio Carlos Otoni Soares, por ocasião das comemorações da Intentona Comunista em 1985, escreveu o livro Os 50 anos da primeira Intentona Comunista, no qual aborda com muita propriedade fatos negados com veemência pelos comunistas, ou seja, que assassinaram seus companheiros de maneira traiçoeira, covarde e vil, quando muitos deles dormiam.

Os comunistas e os setores da propaganda partidária esquerdista permanecem até hoje negando, afirmando que estas idéias são fruto da invenção e dos preconceitos anticomunistas, pois todos os que tombaram estavam lutando. “Não houve ninguém, oficial ou soldado, assassinado na cama pelos companheiros sublevados. Os que morreram, morreram lutando”.(Barbosa Lima Sobrinho – na orelha da contra capa do livro de Hélio Silva – 1935 – A Revolução Vermelha).

Ora, como afirma Otoni em seu livro, a versão de que houve morte de militares dormindo não surgiu anos ou décadas depois da Intentona. Esta versão é da própria época. Consta, por exemplo, do Jornal Correio da Manhã de 30 de novembro de 1935, sábado, página 4, num editorial intitulado “O Castigo” que afirma: “já estão reconstruídas algumas scenas da tragédia que culminou na verdadeira batalha da Praia Vermelha.....Contam-se entre os episódios tenebrosos daquelle dia impiedosas liquidações summarias, nas quais intervieram indivíduos despidos de todo o sentimento, até de simples humanidade....Um official friamente assassinado por mão de seu companheiro que trazia a arma envolvida num jornal: outro morto quando dormia e teria sido fácil prende-lo e desarmá-lo”.

Esclarecemos ao leitor que a rebelião no Rio de Janeiro ocorreu após um período no qual a tropa estava pelo menos a cinco dias de prontidão, portanto, exausta e que o movimento teve início após a meia-noite.

É interessante citar a opinião moderada de um oficial que participou dos referidos combates, o então tenente José Campos de Aragão, que se reformou como General de Divisão. Em seu livro sobre a Intentona, na página 75, o Gen. Aragão assim se manifesta: “ O capitão Armando de Souza Melo e o tenente Danilo Paladini, que repousavam no momento da insurreição, foram mortos pelos revoltosos ainda aturdidos quando se levantavam”. E sobre estas declarações comenta em seu livro Otoni Soares: “dizer que alguém foi morto quando estava atônito e aturdido, no exato momento em que se levantava do descanso, não quer dizer que estivesse dormindo, embora mais próximo do estado de sono do que de vigília. Contudo, passar de um extremo ao outro: os que morreram, morreram lutando, como afirmam os comunistas, também não tem sentido”.

Finalmente, é importante deixar claro que os comunistas atuais continuam enobrecendo a Intentona, planejada e determinada pelo governo comunista da Rússia e executada pela Aliança Nacional Libertadora sob a liderança de Luís Carlos Prestes, como se matar alguém, acordado e cara a cara, pelas costas ou que estivesse dormindo, buscando o objetivo de submeter a própria Pátria a uma nação estrangeira, com a intenção de destruir valores morais, sentimentais e cívicos de um povo, faça diferença. São uns cínicos.

Naquele momento histórico e qual era o pensamento da mídia? Os comunistas assassinaram militares seus companheiros de farda de maneira covarde ou não? O certo é que até hoje insistem em negar. Que o leitor tire as suas conclusões.

Vejamos então o que escreveram alguns jornais:

“Tropas se sublevaram no Norte”

“Natal em poder dos amotinados, tendo o governador do Rio Grande do Norte abandonado a capital”.

“Combates sangrentos em bairros do Recife. Afogados é o centro dos amotinados”.

“Foi decretado o estado de sítio em todo o País. No Rio e nesta capital as tropas estão de prontidão”.

“O movimento devia explodir em cinco pontos diferentes. Colunnas de civis combatem os extremistas”.(Esclarecimentos do autor: estes últimos fatos ocorreram no Rio Grande do Norte, onde os civis situacionistas retomaram a cidade de Panellas, fazendo mais de 90 presos.)
(Correio Paulistano, 26 de novembro de 1935).

“Dominados os levantes do 3º RI e da Escola de Aviação. O Movimento sedicioso do Nordeste tende a ser debellado de um instante para outro. As primeiras notícias do Movimento. Os rebeldes roubaram 3 mil contos da Agência do Banco do Brasil”.

“Os amotinados da Escola de Aviação renderam-se sob a pressão de cargas de baionetas. Commentários da imprensa Allemã sobre os acontecimentos em nosso País”.
(Correio Paulistano, 28 de novembro de 1935).

No que diz respeito aos comentários constantes da edição de Correio Paulistano, acima citado, destaco os seguintes trechos:

“o atual movimento sedicioso no Brasil é qualificado como uma das conseqüências da agitação systemática do Komintern russo”.

“o jornal (Correspondência Nacional Socialista) tratando dos movimentos communistas na América do Sul, publica: na América do Sul há terreno favorável ao desencadeamento de uma guerra civil de grande envergadura. É pela primeira vez que se verifica um effeito prático dos processos bolchevistas, principalmente na propaganda do credo de Moscou entre os militares”.

“Doze horas de Nutrido Fogo. Prisão dos rebeldes. Os feridos. Fuga e delação dos chefes do Movimento da Escola de Aviação. O capitão Agildo Barata na detenção. Destino dos prisioneiros. O estado de saúde do coronel Affonso Ferreira. A Central do Brasil está exigindo salvo-conducto. Outras notas: os Correios e Telegraphos homenageiam os mortos da revolução. 21 mortos e 63 feridos, só no Hospital Central do Exército no Rio de Janeiro”.
(Correio Paulistano, 29 de novembro de 1935)

“Violentas explosões num depósito clandestino de munição de guerra. O bairro do Grajahú em pânico.”
(Correio Paulistano, 24 de dezembro de 1935).

“ Foi assinado decreto prorrogando o Estado de Sítio. Eram de fabricação recente as bombas encontradas em virtude da explosão no bairro do Grajahú”.
(Correio Paulistano de 25 de dezembro de 1935)

“Os explosivos encontrados no Grajahú , destinavam-se a ataques contra Unidades Militares do Rio. As importantes declarações de Franco Romero sobre os planos terroristas”.
(Correio Paulistano de 27 de dezembro de 1935).

“Irrompe em Natal e Recife um movimento extremista. Cem mortos entre os revoltosos de Recife”.
(Correio da Manhã de 26 de novembro de 1935)

“Um tópico sobre Luiz Carlos Prestes. O Correio da Manhã escreve em tópico de hoje: o capitão Agildo Barata, logo depois de sua rendição, mostrou a um nosso redactor uma ordem de sublevação assignada por Luiz Carlos Prestes. Esta mesma ordem possivelmente foi recebida pelos que se revoltaram na Escola de Aviação e quem sabe quantos mais. A cidade e todo o Brasil estão hoje consternados com o que viu. Sangue de bravos brasileiros, derramado criminosamente em virtude de um simples bilhete.”
(Correio da Manhã de 30 de novembro de 1935).

No prosseguimento publicaremos o INTENTONA COMUNISTA III, quando abordaremos, transcrito do Correio da Manhã de 6 de dezembro de 1935, o Relatório de Dimitroff, apresentado no VII Congresso Mundial do Komintern. Dimitroff era dirigente búlgaro da Internacional Comunista, homenageado por Luiz Carlos Prestes em nome das delegações sul-americanas.

Aluisío Madruga de Moura e Souza é coronel da reserva do EB e autor dos livros: Guerrilha do Araguaia – Revanchismo – A Grande Verdade e do Documentário – Desfazendo Mitos da Luta Armada. Artigos originalmente publicados no site do grupo Terrorismo Nunca Mais (Ternuma)

A intentona e a censura do ministro

Edição de Artigos de Terça-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Boris Casoy

No próximo dia 27, não poucos estarão relembrando a Intentona Comunista de 1935. Essa evocação, banida dos quartéis pelo atual governo, certamente acontecerá no silêncio dos amordaçados. Por mais que se queira apagar esse episódio da História do Brasil, os acontecimentos que hoje envolvem países da América Latina ameaçados pelo totalitarismo trazem à baila algumas eloqüentes lições da História.

Nesse contexto, considero útil relatar novamente fato comigo ocorrido. O ex-ministro da Defesa Waldir Pires censurou artigo de minha autoria sobre a Intentona Comunista, na revista Informe Defesa, publicação do Ministério da Defesa. O pretexto usado foi o de evitar a reabertura de antigas feridas do passado, esquecendo-se que a censura nunca fechou feridas do passado. Nem as provocadas pela esquerda, nem pela direita.

A desculpa usada pelo então ministro fez parte do regrário utilizado por aqueles que cassaram seus direitos políticos em 1964. Ou seja, se a causa for "justa", tudo é válido... O ministro mandou às favas o fato de eu ter recebido, em 5 de outubro de 2006, convite do responsável pela revista, oferecendo-me espaço para que opinasse "de forma livre e transparente" sobre assunto de minha escolha. Em dezembro, recebi e-mail do responsável pela revista, informando a decisão do ministro.

Decidi, em face da atualidade do tema, republicar o artigo censurado, o que faço a seguir.

Em sua obra 1984, o notável escritor inglês George Orwell trilha os caminhos de um regime autoritário num futuro remoto. Nessa ditadura predomina a figura do "Grande Irmão", na verdade uma imagem crítica do ditador soviético Stálin. Num cenário sombrio, o autor faz desfilar os instrumentos utilizados pelo regime para sufocar as liberdades. Um deles é o Ministério da Verdade, cuja função, entre outras "nobres" tarefas, é apagar ou reescrever a História ao talante do regime.

Há fatos deste imenso país que nos remetem a Orwell; por exemplo, a tentativa de relegar ao esquecimento a Intentona Comunista. Sob os mais diversos pretextos, a História é reescrita. A evocação do episódio de novembro de 1935 é tida como meio de buscar a cizânia entre brasileiros. Ai de quem evoca as vítimas da fracassada tentativa comunista de tomada do poder!

Imediatamente sofre a censura e os ataques das "patrulhas", dispostas a levar adiante seus propósitos que, apesar dos fracassos, agora sob nova roupagem ainda motivam - por volúpia de poder ou ignorância - parcelas de nossa sociedade. E mais: há todo um movimento pela deificação do executor da Intentona, Luiz Carlos Prestes.

Com o desmantelamento do socialismo real, os documentos dos arquivos soviéticos gritaram a verdade: a tentativa de golpe foi urdida e coordenada pela 3ª Internacional, de cuja Comissão Executiva Prestes era membro.

No Brasil, preparando a revolução, estavam 22 estrangeiros pertencentes ao Serviço de Relações Internacionais do Komintern, como mostra o livro Camaradas, do jornalista William Waack, que pesquisou os arquivos do Komintern. E mais: o livro - que derrubou diversos mitos históricos - comprova que a ordem para a eclosão do movimento não partiu do Partido Comunista do Brasil ou de Prestes, mas sim foi mandada de Moscou, por telegrama, pelo Komintern.

A ação comunista produziu 33 vítimas, cujas famílias nunca reivindicaram nada do governo brasileiro!

A História é a grande mestra da política. A Intentona de novembro de 1935 não pode ser esquecida sob nenhum pretexto. É um exemplo.

Boris Casoy é Jornalista. Publicado originalmente no JB on line - 25 de novembro de 2007

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Relatório de inteligência dos EUA confirma ligações entre Foro de São Paulo, terroristas e narcoguerrilheiros

Edição de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Exclusivo - Transformou-se na mais recente dor de cabeça do presidente Lula da Silva um relatório reservado do Departamento de Estado norte-americano que revela as articulações da cúpula do Foro de São Paulo com organizações terroristas - que se aproveitam do dinheiro do tráfico internacional de drogas para financiar suas ações de terror. A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) teve acesso ao relatório em que a CIA e a coordenação de contraterrorismo do Departamento de Estado dos EUA informam, extra-oficialmente, sobre as ligações perigosas dos presidentes Hugo Chávez (Venezuela), Evo Moralles (Bolívia) e Daniel Ortega (Nicarágua) com narcotraficantes e guerrilheiros. Os três são da cúpula do Foro de São Paulo – balaio de gato que mistura partidos políticos de esquerda com ONGs e movimentos de esquerda armados (guerrilhas aliadas de narco-varejustas) na América Latina.

O Alto Comando do Exército sabe do teor do explosivo documento. O especialista de assuntos estratégicos de um grande jornal brasileiro, também – mas não pode divulgá-lo. Mas o Alerta Total apurou que o texto reservado tem o dedo de Joseph Cofer Black – que desde fevereiro deste ano é o presidente do The Black Group, que trabalha com “soluções totais em inteligência”. Antes deste empreendimento, por dois anos, Black foi vice-presidente da Blackwater USA – uma famosa empresa que funciona como um “exército privado". Antes disto, até 2005, Cofer Black foi coordenador de Contraterrorismo do Departamento de Estado norte-americano. Durante 28 anos, foi da diretoria de operações da CIA – a central de inteligência dos EUA. Informes de inteligência estimam que a Blackwater e o Black Group têm pelo menos 15 mil paramilitares de elite na América do Sul – grande parte nas regiões de fronteira do Brasil.

Uma das principais novidades do informe é sobre a origem da famosa droga sintética muito popular entre os jovens adeptos das festinhas de ravé. O documento reservado denuncia que o ecstazy que abastece a América Latina vem do Irã. O mais grave é que a droga chegaria ao continente através da Venezuela. O informe norte-americano revela que Hugo Chávez faz vista grossa para isto. Os EUA também têm indícios da colaboração direta de Chávez e Moralles com as FARCs colombianas. Também detectaram um foco de prováveis terroristas iranianos em Foz do Iguaçu. Os terroristas serviriam para apoiar as ações de guerrilha na expansão da revolução bolivariana. O relatório também indica o que todo mundo já sabe: Chávez usa o dinheiro do petróleo para expandir seu poder pessoal, em armamento, propaganda e treinamento de milícias para deflagrar sua revolução bolivariana.

Outro informe-velho é que os analistas de inteligência norte-americanos avaliam que o presidente Lula teme o poderio bélico de Hugo Chávez – que é o coordenador militar do Foro de São Paulo. Mas o relatório reservado dos norte-americanos aponta que a grande ameaça geopolítica para o Brasil é o presidente da Bolívia. O informe assegura que são fortes os indícios de que Evo Moralles tem intenções de tomar o Acre do Brasil. Para isso, o índio reforça sua fronteira de selva com um contingente de 23 mil homens. As tropas bolivianas teriam maior e melhor capacidade de armamento que o Exército Brasileiro.

Os norte-americanos advertem que Chávez e Moralles pretendem radicalizar na ocupação militar das regiões de fronteira. No entorno do Acre, os dois pretendem colocar 27 mil homens em mais de 20 quartéis a serem implantados. Na fronteira com o Amazonas, os planos bolivarianos de curto prazo são para construir outras dezenas de quartéis com 30 mil homens treinados mais bem armados que os brasileiros.

Recado ao operador brasileiro de Chávez

Os norte-americanos já identificaram quem é o operador do dinheiro de Hugo Chávez em múltiplos investimentos no Brasil.

O gestor do venezuelano virou alvo de observações pela fúria com que vem adquirindo o controle de empresas tradicionalmente norte-americanas, além dos grandes volumes de aquisições de terras nos estados de São Paulo e Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Os analistas de inteligência dos EUA também identificaram que a máfia russa e os iranianos participam desta parceria de negócios.

Como o gestor é um grande parceiro dos especuladores ingleses, os norte-americanos recomendam que ele ponha sua elegante barba de molho.

Em tempo: antes que alguém especule, o camarada não é o Zé Dirceu (que não tem barba), muito embora também faça negócios com os russos (vide o caso do Corinthians).

Parceria explosiva

Os analistas de inteligência dos EUA falam abertamente em parceria de Chávez com a Al Qaaeda.

As milícias da Venezuela são treinadas no Irã.

A mulher que invadiu recentemente um estúdio de tv para agredir o apresentador venezuelano foi identificada como uma miliciana, que já viajou 7 vezes para treinamentos no Irã.

Grande dúvida

Se os EUA sabem de tudo isso, por que não fazem nada, diretamente?

Os EUA agora não podem se preocupar diretamente com a América do Sul, por causa da frente aberta no Iraque.

Os analistas de inteligência avaliam que outra frente, principalmente para ações de guerra na selva, seria derrota certa.

Alternativa diplomática

Por isso e por enquanto, o Departamento de Estado dos EUA se limita a fazer pressões no Comitê Interamericano contra o Terrorismo (Cicte) da Organização dos Estados Americanos (OEA).

As metas principais do governo Bush no combate ao terrorismo são: derrotar as organizações terroristas atacando suas lideranças e seus sistemas de financiamento e comunicação;

E também cooperar com outros países para que eles se recusem a continuar patrocinando, apoiando ou abrigando terroristas

Bronca do desprestigiado

Os norte-americanos indicam que Lula está irritado e perdido porque ficou fora de todo este processo pela hegemonia do poder no Foro de São Paulo.

Os norte-americanos também revelam que o presidente de Cuba, Fidel Castro, deu uma “chamada” em Chávez para que o venezuelano tenha moderação na condução dos movimentos revolucionários.

Não é por coincidência (que não existe) que Lula fará uma viagem, nas próximas semanas, para um encontro com Fidel Castro, o comandante do Foro de São Paulo, que pedirá ao brasileiro uma ofensiva contra o companheiro bolivariano.

Em tempo: os EUA avaliam que, com a morte de Fidel, Chávez quer pegar Cuba antes dos EUA.

Velhas críticas ao Brasil

No final de abril de 2006, o Departamento de Estado americano fez críticas à política de combate ao terrorismo adotada pelo governo brasileiro.

O ataque foi em um relatório anual sobre o terror no mundo, no qual ficou escrito que o Brasil "não ofereceu o apoio político e material necessário para fortalecer as instituições antiterroristas".

O relatório reclamou que o Brasil "preferiu não estabelecer um regime de designação de organizações terroristas" similar à "lista negra" criada por Washington.

O documento destacou o problema do controle da Tríplice Fronteira (entre Brasil, Argentina e Paraguai), que foi apontada como cenário de "arrecadação de fundos" por parte do Hizbollah (grupo extremista islâmico libanês que recebe apoio sírio e iraniano) e do Hamas (grupo extremista islâmico).

Negócio de futuro

Os analistas de inteligência norte-americanos já sabem que os narcovarejistas brasileiros pretendem alcançar o controle da distribuição de drogas no atacado e conquistar a liberdade de comércio no varejo.

Por isso, os narcovarejistas brasileiros fazem parcerias com seus companheiros da Bolívia e da Colômbia.

Na Bolívia, de onde partem 80% da cocaína consumida no Rio de Janeiro, a produção da coca é independente, feita pelos lavradores.

O refino boliviano fica a cargo dos cartéis, que negociam com quadrilhas do Brasil e Paraguai.

Ajuda ao Brasil

Na Colômbia, o cartel poderoso é o do Valle.

O cartel produz, refina e vende direto para México, Estados Unidos e Europa.
Era controlado por Juan Carlos Abadía, preso em agosto, em São Paulo.

O bandido foi apanhado graças a informações levantadas e entregues de bandeja á Polícia Federal pelos “mercenários” dos exércitos privados e pelos agentes da DEA (Drug Enforcement Administration) norte-americana.

Outro identificado

Um dos principais homens a negociar drogas com quadrilhas brasileiras é Javier Chimenes Pavão.

Do Paraguai, onde construiu uma estância com mansões e haras, ele negocia carregamentos de maconha e cocaína com dois grandes grupos.

A quadrilha de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e Ubiratã Brescovith, o Cheiroso, homem do PCC.

Parceria criminosa

Associada à quadrilha de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), de São Paulo, vem tentando montar um cartel de distribuição de drogas e armas com os grupos de traficantes que controlam as favelas do Rio - sejam do Comando Vermelho (CV), ou do Terceiro Comando Puro (TCP) ou Amigos dos Amigos (ADA).

A revelação vazou na CPI do Tráfico de Armas da Câmara dos Deputados, feita pelo delegado Godofredo Bittencourt, diretor do Departamento de Investigações Sobre o Crime Organizado (Deic), da Polícia Civil de São Paulo.

O promotor Roberto Porto, do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de São Paulo, dispõe da gravação de grampos telefônicos autorizados pela Justiça que flagraram conversas de bandidos do PCC com a turma do CV.

Presidente Beira-Mar

O traficante Luiz Fernando da Costa utilizou "brechas" nas regras dos presídios de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná, e de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, para comandar os negócios de sua quadrilha da cadeia.

Fernandinho Beira-Mar cadastrou até seis diferentes advogados para visitá-lo num mesmo dia, em Campo Grande. Com isso podia passar ordens e ficar horas fora da cela.

Apesar dessa descoberta, o traficante continuará recebendo seus advogados e também continuará com o direito a ter visitas íntimas.

Pelo menos até que o juiz da Vara de Execuções Penais, de Mato Grosso do Sul, Odilon de Oliveira, receba um pedido de abertura de processo administrativo para que Sua excelência Beira Mar retorne ao Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), ficando pelo menos um mês isolado.

Pobre Justus

A autobiografia do publicitário e apresentador Roberto Justus “Construindo uma Vida - Trajetória Profissional, Negócios e O Aprendiz” é um dos muitos livros lidos por Sua Excelência Luiz Fernando da Costa.

Por semana, Fernandinho Beira-Mar lê pelo menos dois livros, assiste filme, joga futebol, damas e dominó.

A leitura, o esporte e a recreação fazem parte dos programas de ressocialização freqüentados pelo traficante, considerado pelo secretário nacional de Segurança Pública, Antônio Carlos Biscaia, como "irrecuperável".

Quebrar umas pedras, com a bolinha de ferro amarrada na perna, não seria um programa mais terapêutico para o Fernandinho?

Tempo para “trabalhar”

O traficante conversa com advogados às segundas, terças e quintas por uma hora e recebe parentes por três horas na sexta-feira.

São nestes momentos, segundo a PF, que Beira-Mar comandaria o crime.

As segundas e sextas-feiras, Beira-Mar costuma jogar futebol durante o banho de sol.

No banho de sol das terças-feiras, mata o tempo em partidas de damas ou dominó com os outros presos.

Em tempo: Curiosamente, Beira-Mar não joga xadrez. Apenas vive no xadrez.

Democracia desmorallezada

Violentos protestos na noite de sábado e durante todo o dia de ontem deixaram três mortos e cerca de 140 feridos na cidade boliviana de Sucre.

Os conflitos estouraram depois da aprovação da nova Constituição da Bolívia, feita dentro de um quartel da cidade por razões de segurança.

Numa manobra rápida, os deputados do Movimento ao Socialismo (MAS), do presidente Evo Morales, aprovaram o texto geral da nova Carta por aclamação, sem a presença dos parlamentares da oposição.

Eles se recusaram a participar da votação por discordarem da transferência dos trabalhos da Constituinte para as instalações militares.

Fácil, extremamente fácil

Nem houve leitura da Carta Magna boliviana que foi aprovada quase por unanimidade, numa academia militar.

Os constituintes tiveram apenas que erguer os braços em aprovação.

Dos 138 presentes, 136 deram seu voto favorável.

A Constituição boliviana passará agora por uma votação artigo a artigo e em seguida será submetida a um referendo popular.

Por que não o Lula?

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), promete vai conversar com o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, para saber as razões de ele não ter citado o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na denúncia sobre a existência do chamado mensalão petista.

Virgílio quer entender porque o procurador-geral poupou Lula, mas detonou o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) na denúncia sobre o valorioduto mineiro.

O tucano argumentou que, nos dois casos, as autoridades afirmaram que desconheciam as operações que foram apontadas como irregulares.

Mas o rigor seletivo do Procurador-Geral apresentou diferenças na hora de denunciar.

Feliz com o Lula

O senador Renan Calheiros ficava feliz como uma criança quando tomava café com o presidente Lula.

Essa é uma das revelações idiotas do livro que a jornalista Mônica Velloso (mãe da filha de Renan) lança nesta quarta-feira.

Nas páginas de "O Poder que Seduz", Mônica afirma que Renan chegou a emagrecer 9 quilos no começo do romance, para agradá-la.

Vai ou não vai?

Para ter todos os votos dos 20 senadores do PMDB na aprovação da CPMF, os governistas serão obrigados a favorecer mais uma vez o presidente licenciado, Renan Calheiros.

Na quarta-feira de manhã, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado se reúne para analisar o projeto de resolução que propõe a cassação do senador alagoano.

Caso seja aprovado, o pedido de degola vai à votação no plenário no dia 5 de dezembro.

Destranca tudo

Num sinal claro da prioridade dada pelos governistas para a prorrogação da CPMF, o presidente interino do Senado, Tião Viana (PT-AC), marcou para hoje a votação de duas medidas provisórias que estão trancando a pauta.

As duas MPs tratam de benefícios para empresas prejudicadas pela queda do dólar e da criação do Programa Nacional de Dragagem Portuária e Hidroviária.

Sessões deliberativas numa segunda-feira são raras na Câmara, onde ninguém gosta de trabalhar segunda-feira.

O clientelismo é a nossa energia

Funcionários de Furnas denunciam um grave esquema de "aparelhamento político".

O presidente de Furnas, Luiz Paulo Conde propôs a troca de diretores do Real Grandeza, o fundo de pensão da estatal.

Conde foi alçado ao cargo na cota dada ao PMDB – que deseja cada vez mais espaço no governo que, em breve, não será mais dos petistas – mas dos peemedebistas.

A ameaça é a nossa energia

O presidente da Petrobrás, Sérgio Gabrielli, adverte que a empresa cortará o fornecimento de gás do Rio caso as termelétricas necessitem do combustível.

A decisão se deu pelo fato de a CEG e o governo do Estado terem ido à Justiça para garantir o fornecimento, ao contrário do que houve em São Paulo.

Até porque a distribuidora paulista, a Congas, pertence á British Gás, que controla o gasoduto Bolívia-Brasil...

Crise do Gás

Nesta sexta-feira, dia 30, das 9h às 13 horas, a Câmara Municipal do Rio de Janeiro abrirá seu plenário para uma audiência pública sobre a crise do gás e as políticas energéticas

Estão convidadas as autoridades do setor, dstribuidores, varejistas e taxistas.

O evento é iniciativa do vereador Pedro Porfírio.

Cabral promete

Embora já não haja gás natural suficiente para toda a cadeia consumidora e o governo federal insista no desestímulo ao consumo de GNV, empresários do setor no Rio foram convencidos na sexta-feira pelo governador Sérgio Cabral Filho de que a política de incentivo ao uso do combustível está garantida.

Cabral prometeu aos representantes de postos e oficinas convertedoras que o estado manterá a política de incentivo.

Mas Cabral ressalvou que tudo depende de investimentos da Petrobras.

Entregando o ouro negro

A Agência Nacional de Petróleo (ANP) inicia amanhã em clima de incerteza a 9ª rodada de licitações de áreas para exploração de petróleo.

Cerca de 70 empresas vão disputar 271 lotes.

Para especialistas, a retirada de 41 blocos do pacote, após a descoberta do megacampo de Tupi, e os debates sobre mudanças na lei do petróleo transformaram o leilão no mais conturbado desde o fim do monopólio estatal, há 10 anos.

Eleição complicada

O quorum poderá decidir a reeleição do deputado Ricardo Beizoini à presidência nacional do PT ainda no primeiro turno da eleição petista no dia 2 de dezembro.

Se menos de 40% dos 855.922 filiados aptos a votar comparecerem, a disputa deverá levar Berzoini a enfrentar um dos dois deputados federais: Jilmar Tatto e José Eduardo Martins Cardozo.

Nesse caso, as dificuldades para Berzoini vencer no segundo turno seriam maiores do que o foram em 2005.

Pior hipótese

O pior resultado para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva será a escolha do deputado Jilmar Tatto (SP).

Como todos os petistas, Tatto defende a candidatura própria do PT à sucessão de Lula.

A diferença é que exclui outras possibilidades, como a desse candidato sair de um dos outros dez partidos da coalizão de governo.

O Bispo na telona?

Não será surpresa se virar um longa-metragem a biografia autorizada e revelada de Edir Macedo Bezerra, “O Bispo”.

A Record vai lançar, a exemplo do que já tem a Globo, sua empresa cinematográfica.

Já foi escalado para comandar a Record Filmes o ator Márcio Garcia – que é ator/apresentador do programa “O Melhor do Brasil”.

Vou não vou

O novelista Aguinaldo Silva, autor de "Duas caras", garante que não foi demitido da emissora, "com quem mantém laços muito mais profundos do que certas pessoas da baixa mídia imaginam: são 38 anos de parceria e muitos sucessos".

A idéia de me demitir não passou pela cabeça dos dirigentes da emissora. Pois eu pedi férias, apresentei minhas razões e eles, como pessoas generosas que são, entenderam o quanto elas eram fortes e aceitaram o meu pedido".

Agnaldo estaria sofrendo pressões e ameaças de políticos, por causa dos personagens que retrata em sua Duas Caras.

Somos nós que vamos

Em 2008, a meta do Mengão é vencer a Libertadores das Américas.

A torcida do Flamengo bateu ontem mais um recorde de público do Brasileirão, com 82.044 pagantes, na vitória de dois a zero sobre outro rubro-negro, o Atlético Paranaense.

Como o Cruzeiro ajudou, ao perder para o Sport por 1 a 0, o Flamengo conquistou, com uma rodada de antecedência, a sonhada vaga na Taça Libertadores do ano que vem.

Joel Nazareno Santana, Bento 16 vai te canonizar, com certeza, pelo milagre obtido...

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

Nem ordem nem progresso

Edição de Artigos de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

Acusada da prática de vários ilícitos, a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), deve ser considerada pessoa de muita sorte. Pelo menos, ainda não foi condenada a cumprir qualquer período de prisão numa das celas imundas de delegacias do estado que supostamente administra.

Ali, todos os dias surgem novas denúncias de que mulheres paraenses dividem celas prisionais com homens, sob os auspícios do Estado. A própria governadora admitiu o fato, em nota postada no site oficial do governo, afirmando ser “prática lamentável que, infelizmente, já acontece há algum tempo”.

Sua excelência também garantiu que “o sistema de segurança vai investigar com rigor todas as denúncias”, tranqüilizando cidadãs e cidadãos. Todos sabemos, depois de declaração desse porte, como os envolvidos serão presos e punidos na forma da lei.

Para quem não se lembra, diante da enxurrada de acusações, desvios e patifaria que engloba parte considerável de nossas autoridades, Ana Júlia Carepa é aquela mesma acusada de “improbidade administrativa e enriquecimento ilícito”, em ação ajuizada na Justiça Federal de Marabá, no Pará.

Além disso, sua excelência foi flagrada na CPI da Biopirataria num esquema abarcando o Ibama, em que filiados e parlamentares petistas ligados àquele órgão “facilitavam a extração de madeira ilegal do Pará, em troca de doações de madeireiros para campanhas de candidatos do PT”.

Descobriu-se, por exemplo, que uma assessora da senadora, Maria Joana da Rocha Pessoa, recebia parte da propina em depósitos nas suas contas bancárias. Por lá, passaram valores “dezesseis vezes mais alto do que a renda anual que Maria Joana declarou à Receita Federal”.

Os valores aumentavam à medida que as eleições se aproximavam. O fato é que a assessora de Ana Júlia movimentou, em duas contas bancárias, “uma quantia superior a dois milhões de reais”, quando possuía renda anual de 124 mil e 800 reais.

O chefe do “esquema de desmatamento ilegal no Pará”, segundo denúncia da revista Veja à época, era Marcílio Monteiro que foi casado com a hoje governadora e por ela indicado para a gerência executiva do Ibama no Estado. Tudo em casa!

Numa costura de bastidores efetuada dentro da CPI, impediu-se o indiciamento da então senadora e de seu ex-marido (apesar dos indícios), para que não fosse derrubado o relatório final.

Por tudo isso, espera-se que a governadora não utilize o mesmo “rigor” do relatório final da CPI da Biopirataria que excluiu seu nome. Nem adote procedimento posto em prática, depois que assumiu o governo, quando nomeou sete parentes em 70 dias, inclusive o ex-marido Marcílio Monteiro, embrulhado na citada CPI.

O fato é que não existe referência no comportamento de nossas “autoridades”, a maioria cometendo os mesmos delitos que deveria combater. São péssimos exemplos os oferecidos, transmitindo à população claros sinais de que a roubalheira está liberada e que tudo é permitido.

Se for verdade que estamos caminhando para confronto de graves proporções, em função desses desmandos, a explosão será sem precedentes, tendo em vista absoluto descompasso. Não se sabe mais o que é certo nem errado. Existe, sim, a certeza de que a impunidade entre os detentores do poder é absoluta e sem regras.

A criminalidade crescente nas ruas deveria servir de alerta aos que transgridem todas as regras, impondo as próprias vontades. Mas ninguém parece enxergar nada.

Márcio Accioly é Jornalista.

domingo, 25 de novembro de 2007

O inimigo bem ao lado

Edição de Artigos de Domingo do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Márcio Accioly

O que mais impressiona na implacável disputa pelo poder, empreendida por viciados e mal-acostumados políticos brasileiros, é a falta de sensibilidade com relação a alarmantes problemas que corroem nossas instituições.

Não se sabe, finalmente, qual a serventia dos representantes do poder público, grande parte envolvida com desvios de recursos financeiros e desenfreada corrupção, desmoralizando qualquer tentativa de imposição de autoridade.

Enquanto brigam por espaços, nossas “autoridades” demonstram desconhecer o que acontece no país, principalmente com relação à segurança pública. O índice de violência em Pernambuco, por exemplo, já extrapola todos os níveis, sem que se tomem medidas indispensáveis e inadiáveis. O que se está esperando?

Na última semana, o Pará foi alçado ao centro das discussões, ao se descobrir que ali as prisões tornaram-se mistas, com mulheres colocadas em celas masculinas e barbarizadas na cumplicidade do Estado.

A violência registrada em todo o país aterroriza a população e a faz refém da inação estatal. E voltemos mais uma vez a Pernambuco, onde autoridades municipais e estaduais se mostram incapazes de encaminhar qualquer proposta viável.

Recentemente, parlamentares federais da CPI do sistema carcerário percorreram as dependências do Presídio Professor Aníbal Bruno, no bairro do Sancho, descobrindo, em suas próprias palavras, tratar-se do “pior complexo prisional do país”.

O deputado Neucimar Fraga (PR-ES), presidente da CPI, sugeriu a demolição imediata do presídio, classificando-a ser “uma prisão exemplo do que não deve ser feito”.
De acordo com a página da internet (PE Bodycount) que faz a contagem diária de mortes em Pernambuco (média de 13 assassinatos por dia), o Aníbal Bruno abriga a maior população carcerária da América Latina com quase quatro mil presos.

Se fossem cumpridos todos os mandados de prisão expedidos pela Justiça, não existiria espaço suficiente para apenados amontoados em celas exíguas e superlotadas. Basta acessar http://www.pebodycount.com.br/home/index.php e comprovar o absurdo.
É quase impossível encontrar um morador do Recife que não tenha sido vítima ou testemunha de algum ato de violência. Em todos os bairros, ruas e avenidas, os assaltos são praticados a qualquer hora do dia, ou da noite.

Os prejuízos à economia são significativos, com o fechamento de restaurantes e casas noturnas. Nas portarias dos prédios residenciais, os condomínios contratam grupos de segurança particular que fazem ronda permanente, inclusive acompanhando os moradores na entrada e saída dos prédios.

Diante de situação tão inquietante, o PSDB realizou Convenção Nacional em Brasília (DF), na qual o ex-presidente FHC (1995-2003), poço de vaidade alheio aos interesses nacionais, afirmou que o país quer ser governado “por quem saiba falar corretamente a língua”.

O que o brasileiro gostaria mesmo seria de ter emprego, segurança e saúde. E, claro, educação. Mas, em troca, os mais pobres estão tendo bolsas-esmolas e programas que só irão agravar o quadro de miséria nos seus desdobramentos.

FHC foi quem pôs em prática o desmonte generalizado ao qual o presidente Dom Luiz Inácio (PT-SP) vai alegremente dando seqüência. As cidades brasileiras estão gritando por socorro há décadas, sem conseguirem chamar a atenção dos governantes. Infelizmente, nesse ritmo, não irá demorar muito para uma catástrofe.

Márcio Accioly é Jornalista.

É preciso chutar o pau da barraca

Edição de Artigos de Domingo do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Adriana Vandoni

Pra tudo nessa vida existe um limite. O amor e o ódio não são infinitos, um dia o sentimento acaba ou ao menos esmaece. A tolerância com os fatos corriqueiros da vida também é assim. Um belo dia você acorda e pensa: porque ainda não reagi? Porque aceito o que me incomoda sem iniciar uma mudança? Daí você começa a se questionar se merece ou não viver essa situação. E pode estar certo: a culpa é nossa. Nós sempre somos os responsáveis por cada coisa que nos acontece.

O que é preciso fazer para mudar? Infelizmente nada muda por si só. O processo de mudança é inerte, não acontece sem que antes tenhamos chutado o pau da barraca. É preciso iniciar uma revolução, desconstruir para construir algo novo. Não, não uma revolução ao molde dos fascistas, que utilizam a ignorância como massa de manobra, nem tanto, mas uma revolução de conceitos, uma revolução no modo de ver e sentir as coisas, construindo a coragem de defender a verdade dos fatos, sem se intimidar por fascistas travestidos de democratas defensores dos pobres. Sem essa coragem de revolucionar os conceitos, tudo permanecerá como está, e o Brasil, ah, o Brasil, continuará na mão desses neo-burgueses, os burgueses do dinheiro público.

Como é possível calar quando esses fascistas têm a coragem de defender a ideologia que já matou mais de 100 milhões de pessoas pelo mundo afora?, batendo no peito como orgulhosos defensores de genocidas. Como é possível ficar quieto ouvindo suas asneiras como se fossem verdades, intimidados para não sermos taxados de “reacionários” por esses fascistas. Como é possível aceitar declarações do tipo “desviei sim tal recurso, mas não foi para enriquecimento próprio, foi por uma causa”, como se a causa legalizasse o crime. Esses antes “guardiões da ética” agora se lambuzam no dinheiro público pela “causa”. Farsantes!

Não consigo me acomodar com isso. Não tenho dom para viver nem na ignorância, nem na mentira. Por isso, com muito orgulho, reajo contra essas atitudes e me lixo a essas pessoas que me chamam de golpista – não foram poucas. Esses que me chamam assim, estão incutindo na população que reagir é um ato golpista, querendo lembrar a ditadura militar, mas agora são defensores da ditadura militar na Venezuela. Daí a importância de uma revolução de conceitos, só ela será capaz de romper com essa mentira exaustivamente contada.

Sou parte daquelas que, como escreveu Reinaldo Azevedo, faz parte da mídia do contragolpe. Aliás, em seu texto ele mostrou bem que os verdadeiros golpistas são esses cínicos que estão fazendo do roubo uma ideologia, que estão usando a democracia para solapar a democracia e que separam o joio do trigo, mas escolhem o joio. Por fim ele acrescenta que “golpista é defender tiranias e ditaduras”.

Felizmente ainda tenho as minhas palavras para gritar e combater esses atos vis. Mas, e daí?, as vezes me perguntam! Isso não leva a nada! Onde é que você vai chegar com isso tudo, com as denúncias e as batalhas que trava? Onde vou chegar, não sei, mas travo cada uma dessas minhas batalhas com as armas que possuo com o dom que Deus me deu. E faço de tudo para que a inquietação não deixe de me impulsionar a ação. Travo minhas batalhas pelo que acredito, contra o que julgo estar errado. Brigo por uma vida verdadeira e faço isso por acreditar que sempre podemos melhorar, sempre podemos nos superar, ou simplesmente, podemos perseguir uma vida mais plena, feliz e menos hipócrita.

Estou errada? Não acho. Errado é aquele que se acomoda. Aquele que corrompe sua própria vontade por conformismo. É perverso burlar nossas vontades de nós mesmos. Isso quem faz são apenas os covardes, os que se satisfazem com uma vida alicerçada na hipocrisia e no conformismo. Não, isso não é digno. Conformar-se com a ilicitude e com a mentira é o mesmo que acomodar-se na mediocridade.

Medíocres!, digo aos que se conformam. Dos que não vêem ou não querem ver que o bem estar seu e de sua família dependem do seu inconformismo! É, realmente estou de saco cheio. Estou mesmo de saco cheio dos medrosos, daqueles que se conformam com o discurso do “são todos iguais”, e usam isso para justificar sua inércia e sua própria mediocridade. Estou de saco cheio desses que aceitam a mentira por preguiça de mudar, por medo de lutar.

Como começar uma mudança? Só há uma forma: chutando o pau da barraca, e isso quer dizer revolucionar os conceitos e se inconformar.

Adriana Vandoni é economista, especialista em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas/RJ. Site: www.prosaepolitica.com

sábado, 24 de novembro de 2007

Doença Nacional

Edição de Artigos de Sábado Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Por Maria Lucia Barbosa

Se você, caro leitor, não tem o hábito de ler jornais e sua informação deriva apenas do que é veiculado pelas redes de televisão, irá crer com fé inquebrantável que Deus é brasileiro porque nosso país é o próprio paraíso na terra depois que Lula da Silva ascendeu ao poder. A Saúde, disse o presidente, está perto da perfeição. O desemprego caiu. Os pobres comem três refeições por dia porque o programa Fome Zero deu certo. O mundo se curva para o Brasil, mesmo porque, ganhamos o jogo contra o Uruguai.

Portanto, essa coisa de caos aéreo, caos da Saúde, caos do gás, impostos escorchantes, entre eles a famigerada CPMF apresentada como salvação nacional, falta de infra-estrutura, fracasso de políticas públicas, violência urbana chegando a níveis insuportáveis, violência praticada pelos chamados movimentos sociais ligados a Via Campesina, como o MST e congêneres, não existem. São intriga da oposição, mentiras dos que não aceitam que o Brasil deu certo. Tão pouco existe corrupção no governo, apesar da queda constante de ministros ou de casos escabrosos onde petistas, diante de montanhas de provas e evidências se declaram inocentes, enquanto seu líder afirma que nada vê, de nada sabe. Afinal, ele é apenas um pobre presidente da República.

Assim, idiotizados pela propaganda, enlevados pelo mito do “pobre operário” cuidadosamente construído pelo PT, aceitamos com naturalidade a total inversão de valores que aos poucos vai erodindo o que resta de nossa civilidade. Temerosos de infringir o politicamente correto damos por certo que elite é um termo pejorativo ao invés de significar produto de qualidade.

Nos curvamos ao veneno destilado pelos seguidores dos novos donos do poder que, usando a velha tática de dividir para dominar, a qual por sua vez é indutora de simplismos maniqueístas, divide a sociedade entre maus (aqueles que não são do PT) e bons (os que são petistas); elites (ricos maus e exploradores, em que pesem as doações dos grandes empresários para as campanhas milionárias do mitológico pobre operário e do fato deste e de seus mandarins da cúpula petista terem chegado ao paraíso da burguesia) e pobres (classe majoritária que foi resgatada das garras do capitalismo selvagem por LILS, o iluminado salvador da pátria); brancos (transgressores dos direitos humanos e opressores dos negros) e negros (cujo direito de odiar brancos e agredi-los é algo natural, como disse uma ministra do bondoso pai Lula). E temos apenas dois partidos: PT e PSDB (quem não pertence ao Partido dos Trabalhadores fatalmente é tucano, ainda que não faça parte de nenhum partido).

Acentua-se no Brasil, portanto, o etnocentrismo, ou seja, o julgamento que tudo o que é de alguns é bom e de outros é mau. É o radicalismo do “meu” e do “seu”. Não temos meios termos. Não existem morenos, mulatos, cafusos. Ou se é negro ou se é branco. Ninguém se salva fora do PT e todos que pertencem ao PT são cidadãos acima de qualquer suspeita, façam o que fizerem.
A chamada base governista, ou adesistas de ocasião, capazes de se vender a qualquer preço, mesmo por um “chinelinho novo”, não possuem tanta imunidade. São usados e depois jogados fora.

Que o diga o PMDB, partido cujos integrantes, segundo uma amiga internauta, trazem na testa um código de barra, é só passar em qualquer maquininha que sai o preço. Aliás, os mais experientes políticos de diversos partidos nunca aprendem que o PT possui leis próprias, entre elas, esmagar os que não pertencem à casta dos companheiros, triturar os que ajudam o partido e ao seu líder máximo.

Caminhamos rumo ao atraso e a decadência, sob o comando do espaçoso Hugo Chávez, mas vamos felizes entre uma partida de futebol e outra. Afinal, não vamos sediar a Copa do Mundo? Querer mais o quê?

E enquanto o povo se alegra assistindo futebol, gesta-se nos bastidores do poder o terceiro mandato do amado avatar, Lula da Silva. Quem poderá impedi-lo? E que outro mito o PT possui para se perpetuar no poder? Como o próprio presidente afirma que seu comandante Hugo Chávez é um democrata, basta seguir seus passos, como, aliás, vem acontecendo de forma mais branda, conforme a marca registrada brasileira da dubiedade.

Calmamente, cuidadosamente o PT fabrica sua ditadura sob aplausos gerais e toques de tambores de guerra de seus estridentes e fanáticos militantes e simpatizantes. Alertas parecem soar inutilmente enquanto triunfa a ignorância, a truculência, a incompetência, a corrupção. A decadência da nossa sociedade já é uma doença que parece incurável, pois progrediu muito.

Perdemos nossa elite no sentido dos melhores, dos mais virtuosos e isso faz lembra o portentoso pensamento de José Ortega y Gasset em Espana Invertebrada: “quando a massa nacional chega a determinado ponto, são inúteis os argumentos racionais. Sua enfermidade consiste, então, no fato de que a maioria não se deixará influenciar, fechará freneticamente os ouvidos e pisoteará com mais força naqueles que queiram contrariá-la”. A partir daí se segue o triste espetáculo dos piores suplantando os melhores”.

Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Investigações da PF omitem ligações entre o presidente Beira-Mar e narco-guerrilheiros do Foro de São Paulo

Edição de Sexta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Breve, a Rádio Alerta Total no seu computador.

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

A Polícia Federal começa a chegar próxima das verdadeiras relações dos narco-varejistas brasileiros com seus pares, financiadores e sustentadores políticos na América Latina. A Coordenação Geral de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (CGPRE), da Polícia Federal de Brasília, apresentou ontem o traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, como o presidente do que os bandidos pés de chinelo das infectas cadeias brasileiras chamam de o "Partidão" do crime. Mas a PF prefere não apresentar, publicamente, as provas do relacionamento direto de Beira-Mar com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, as FARC, que são um dos 153 grupos narco-guerrilheiros que fazem parte do Foro de São Paulo, entidade que mistura o combate político legal com a prática de crimes (narcotráfico, seqüestros, homicídios e terrorismo) em nosso continente.

A grande imprensa amestrada é proibida, editorialmente, de se referir ao Foro de São Paulo – entidade criada em 1990 por Fidel Castro e o PT brasileiro. Ontem, a PF preferiu apenas relacionar Beira-Mar ao Partidão do Crime. A nova organização foi criada, há cerca de um ano, no Paraná. Seu objetivo é servir de uma espécie de cooperativa de bandidos que passou a gerir todos os negócios das principais facções criminosas do Rio, de São Paulo, do Paraná e Mato Grosso do Sul. Idealizado pelo “presidente” Beira-Mar, o consórcio de bandidos visa à obtenção de preços melhores na negociação de armas, drogas e munição. Para isso, as quadrilhas compram em conjunto diretamente de fornecedores na Bolívia e na Colômbia.

A hierarquia do "Partidão" conta com uma gestão profissionalizada - composta por diretores e conselheiros. Mensalmente, os criminosos fazem contribuições em dinheiro para manter a caixinha da organização criminosa. Os recursos retornam às famílias dos bandidos presos, numa espécie de mesada de até R$ 3 mil. O dinheiro também gera outras facilidades. Tanto em Catanduvas no Paraná, onde Beira-Mar já cumpriu pena, quanto agora na Penitenciária Federal de Campo Grande, os parentes têm casas e transporte de graça toda vez que vão fazer visitas. As visitas para trocas de informações fizeram com que Beira-Mar conseguisse unificar ações de criminosos em quatro estados. O Partidão une facções que atuam em São Paulo, no Rio, no Paraná e em Mato Grosso do Sul.

Segurança para quem?

Desde julho, o presidente Beira-Mar despacha de seu “gabinete” na Penitenciária Federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

A unidade prisional é considerada a mais segura do Brasil.

Imagine a penitenciária mais insegura – depois que a PF provou que Beira-Mar continua gerenciando seus negócios e de outras facções criminosas de dentro para fora da cadeia.

Poder do “presidente”

Durante cerca de um ano e meio de investigações, foi provado que, mesmo preso, Beira-Mar continuou controlando o tráfico de drogas e armas em favelas do Rio.

Segundo a investigação, ele estaria enviando ordens a seus advogados e parentes, que têm envolvimento em crimes de tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico, lavagem de dinheiro, homicídio e tráfico de armas, entre outros.

Fernandinho Beira-Mar é considerado um dos maiores traficantes de armas e drogas da América Latina. Nascido na favela Beira-Mar, em Duque de Caxias, ele começou a vender drogas antes dos vinte anos e rapidamente tornou-se um dos líderes de uma das principais facções criminosas do estado.

Enxugando gelo?

A Polícia Federal deflagrou uma operação em que prendeu 11 pessoas ligadas à quadrilha de Beira-Mar – incluindo a mulher oficial dele.

Jacqueline Alcântara de Morais, que é acusada de comandar os negócios do traficante, foi presa em casa, na Zona Oeste do Rio, com US$ 200 mil.

Segundo a polícia, há indícios de que a Jacqueline promova lavagem de dinheiro.

Dama de Ferro

Jaqueline Alcântara de Moraes ganhou destaque na quadrilha do marido com o desaparecimento do advogado João José de Vasconcelos Kolling.

João sumiu há seis meses, e a Polícia Federal acredita que tenha sido assassinado.

O primeiro crime no currículo de Jaqueline ocorreu em 2000, quando foi condenada a quatro meses de prisão por associação para o tráfico.

Casamento marcante

Em setembro deste ano, Jacqueline casou-se com Beira-Mar, com quem namorava há 15 anos e tem três filhos.

A cerimônia ocorreu no Presídio Federal de Campo Grande (MS) e foi cercada por um forte esquema de segurança.

O casal teve direito a uma breve lua-de-mel na cela íntima.

A responsável por providenciar a documentação do casamento foi a advogada Gersy Mary Menezes Evangelista, também presa ontem.

Mulheres da lista

Na Operação Fênix, foram presas ainda Marcela de Brito Barcadas e Jacqueline Kelly dos Santos Arantes, filha do traficante José Claudio Arantes, o Tio Arantes.

Desde 2001, Jacqueline é acusada de receptação, assalto à mão armada, formação de quadrilha e associação para o tráfico em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

Em 2000, Débora Cristina e Alessandra Costa, irmãs do traficante, foram presas sob acusação de participar do esquema de tráfico de drogas.

Débora (servia como testa-de-ferro para os negócios do irmão) e Alessandra foram condenadas a quatro anos e seis meses de prisão por associação ao tráfico de drogas.

Libertador desinteressado

O comandante de Estratégias e Ações Militares do Foro de São Paulo, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, lamentou muito a decisão do governo colombiano de dar por encerrada sua mediação com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em busca de um acordo humanitário para a libertação de reféns.

Chávez considerou soberana, mas reclamou da decisão do presidente da Colômbia, Álvaro Uribe:

Por uma razão não estou de acordo: o governo colombiano decidiu de maneira unilateral, sem consultar-nos, suspender o trabalho. Lamento muito, não por mim, porque não tenho nenhum interesse, mas sim pela Colômbia”.

Fala, Farc

O presidente venezuelano explicou que se estava abrindo um caminho que poderia levar a um acordo de paz na Colômbia.

Chávez indicou que, apesar da decisão de Uribe, não está descartada a possibilidade de que as Farc lhe enviem a prova de que a senadora franco-colombiana Ingrid Betancourt, uma das reféns, está viva.

Ainda estou esperando que as Farc me mandem a prova de vida. Manda-me Marulanda”.

Foi o apelo de Chávez, referindo-se ao principal comandante das Farc, Manuel Marulanda.

Decepção

A decisão do governo Uribe também abalou as esperanças dos parentes de 49 reféns que estão no poder das Farc, que acreditavam que a mediação de Chávez seria bem-sucedida nas negociações.

Entre os seqüestrados está a ex-candidata à Presidência colombiana, Ingrid Betancourt.

Também estão em poder das Farc três americanos, cinco ex-congressistas, um ex-governador e vários integrantes das Forças Armadas.

Rigor seletivo da ONU

A Organização das Nações Unidas quer que o Brasil crie um mecanismo para indenizar vítimas de torturas nas prisões.

Para a ONU, a impunidade dos autores desses crimes no País é regra, em meio a cadeias "imundas, desumanas e asfixiantes".

O diagnóstico está no relatório sigiloso elaborado pelo Comitê contra a Tortura.

A história da jovem que ficou 15 dias presa ao lado de 20 homens, em uma cela única do Pará, sendo humilhada e estuprada, só alimentou a campanha da ONU.

Perguntinha cínica e idiota: Por que a ONU não cria um comitê para defender as famílias das vítimas do crime organizado?

Bronca de FHC

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso levantou suspeitas sobre a existência de "ações concretas" em favor de um terceiro mandato para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Nós que lutamos contra o regime militar não podemos aceitar a idéia da continuidade. Não aceitamos alterações que levem à idéia do continuísmo. Não há razão para um enésimo mandato. Não estou acusando o presidente Lula disso. Se estivesse, estaria pedindo seu impeachment. O que estou dizendo é que existe esse risco, está no ar. Mais do que no ar, existem algumas ações concretas. Eu diria ao presidente Lula: `Menos legoleios para justificar o seu colega lá da Venezuela e diga com clareza: Eu sou contra`”.

Na avaliação do tucano, o governo petista "fez algumas coisas boas", mas retroagiu na democracia e no sentimento de moral, deixando o país "se amesquinhar".

O ataque de FHC foi no 3º Congresso Nacional do PSDB.

Queda programada

Só o chefão Lula e a velhinha de Taubaté se surpreenderam com a esperada queda do ministro das Relações Institucionais.

Walfrido dos Mares Guia, pediu hoje demissão, depois que foi denunciado hoje no Supremo Tribunal Federal por envolvimento no chamado mensalão mineiro.

O suposto esquema de arrecadação ilegal de recursos nas eleições de 1998 envolveu o ex-governador mineiro e atual senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), o empresário Marcos Valério e mais 12 pessoas.

A denúncia da Procuradoria Geral da República contra Walfrido, Azevedo e companhia tem cerca de 80 páginas e os acusados devem responder por peculato e lavagem de dinheiro, entre outros crimes. No Supremo, o relator do caso é o ministro Joaquim Barbosa.

Todos enrolados

Então vice-governador de Azeredo, Walfrido é suspeito de ter participado do comando financeiro da campanha.

Também teria quitado, por meio de Marcos Valério, dívida de R$ 700 mil de Azeredo com Cláudio Mourão, tesoureiro da campanha.

Na denúncia, o procurador pede que o advogado Rogério Tolentino, sócio de Valério na empresa 2S Participações, seja investigado separadamente.

Ele teria recebido dinheiro do valerioduto durante a campanha de 1998, quando o então governador Eduardo Azeredo tentou, sem êxito, a reeleição.

Leia o artigo de Márcio Accioly: Deixem o Tucano em Paz

Salvem o Cacciola

A defesa do ex-banqueiro Salvatore Cacciola conseguiu ontem adiar para o dia 6 de dezembro a decisão da Justiça de Mônaco sobre a sua extradição.

A audiência no Tribunal de Apelações já havia sido adiada por quase um mês.

O órgão julga se o pedido de extradição feito pelo governo brasileiro cumpre as exigências da legislação daquele principado.

Preso ilustre

O ex-banqueiro, que está preso em Mônaco, foi levado de camburão ao tribunal, mas voltou para a prisão em seguida.

Foragido desde 2000, Cacciola foi preso no dia 15 de setembro deste ano, em Mônaco, pela Interpol, por crimes contra o sistema financeiro.

O banco Marka, que chefiava no Brasil, quebrou com a desvalorização cambial de 1999.

Tadinha

A defesa de Suzane Von Richthofen pediu hoje a anulação do julgamento em primeira instância, em que, alegando falhas jurídicas no seu processamento junto ao júri. Mas

Três desembargadores da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo negaram o pedido anulação do julgamento em primeira instância de Suzane Von Richthofen.

Suzane foi condenada a 39 anos e 6 meses de prisão porque, junto com os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos, em 2001, participou da morte de seus pais Manfred e Marísia Von Richthofen.

Os irmãos Cravinhos também aguardam uma decisão da 5ª Câmara sobre o seu pedido de redução de pena: Daniel foi de 39 anos e Cristian, 38 anos e seis meses.

Deitar para quê?

O prefeito de Araçariguama (50 km de São Paulo), Carlos Aimar (PRB), iniciou uma campanha para mudar a letra do Hino Nacional.

A idéia do prefeito é trocar a palavra "deitado" --que inicia o verso "Deitado eternamente em berço esplêndido"-- por "abençoado".

Com a mudança, a redação do hino ficaria "Abençoado eternamente em berço esplêndido".

Haja orgasmo

A britânica Sarah Carmen, 24 anos, tem 200 orgasmos por dia, ou seja, um a cada sete minutos.

Em entrevista ao jornal “News of the World”, ela contou que qualquer coisa a faz chegar ao clímax, como o barulho do trem, ou o som do secador de cabelo.

Imagina o que essa inglesinha não sentiria, se vivesse aqui no Brasil, a cada atitude do nosso governo...

Vida que segue...

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.