domingo, 21 de setembro de 2008

Abaixo a dita-dura do Governo do Crime



Edição de Artigos de Domingo do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com


Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.


Por Jorge Serrão

A União Soviética ressurge no modelo bolchevique tupiniquim. A dita-dura ou democradura petista, no melhor estilo comuno-socialista pregado pelos radicalóides do Foro de São Paulo, está mais que implantada no Brasil. O chefão Lula da Silva, cada dia mais poderoso e popular, promove amanhã seu maior Ato Institucional contra a Liberdade de Informação.

O chefão comete o crime de enviar ao Congresso projeto de lei do Executivo que prevê a possibilidade de punição criminal ao veículo de imprensa ou jornalista que divulgar escutas telefônicas, legais ou ilegais, sob segredo de Justiça. Lula não tem o direito de cercear a liberdade de informação. Ao fazer isso, rasga a Constituição em vigor. Lula dá um golpe institucional. E fica tudo por isto mesmo?

Tal comportamento anti-democrático e contra a segurança do Direito é digno de um legítimo “filhote da ditadura” (termo que o falecido Leonel Brizola usou para designar o “sapo barbudo” em diversas ocasiões). O mais grave é que a iniciativa de Lula conta com o apoio de ninguém menos que o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, que é muito bem pago e tem emprego público vitalício para zelar pelo respeito à Constituição.

A proposta de Lula autoriza um juiz a condenar um veículo de comunicação, jornalista ou fonte caso entenda que a ação teve objetivo ilegal como chantagem, calúnia, injúria e difamação. Passa a ser crime "produzir, fabricar, comercializar, oferecer, emprestar, adquirir, possuir, manter sob sua guarda ou ter em depósito, sem autorização, equipamentos destinados à interceptação telefônica".

O texto feito nas cochas pelos bolcheviques da Casa Civil e do Ministério da Justiça dá nova redação ao artigo 151 do Código Penal. Seu objetivo consagra o Estado Policial e patrulheiro da liberdade de informação. Prevê penas aos servidores públicos que transmitirem à imprensa dados (considerados “segredos de Justiça”). Com o projeto, os segredinhos vão colaborar ainda mais para as injustiças e impunidades que facilitam a vida do Governo Ideológico do Crime Organizado (estude o organograma acima).

A polêmica proposta do ditador Lula da Silva estipula pena de reclusão de dois a quatro anos e multa para quem "diretamente ou por meio de terceiros" realizar "interceptação de qualquer natureza" - ou seja, grampo - "sem autorização judicial ou com objetivos não autorizados em lei". A pena pode ser aumentada de um terço até metade, se o crime previsto for praticado por funcionário público no exercício de suas funções.

Em relação ao grampo legal, o projeto determina punição para quem violar o sigilo ou segredo de Justiça em seu inciso 1 do parágrafo 1º. No inciso 2, o projeto diz que será penalizado aquele que usar qualquer tipo de grampo "para fins diversos dos previstos em lei". Tudo que for conveniente aos poderosos encobrirem será protegido pelo questionável “segredo de Justiça”.

Não dá para conceber segredo contra crimes praticados contra a administração (cujo próprio nome define ser) pública. Tal expediente é usado para encobrir e dificultar a transparência de investigações de escândalos, como o mensalão e os diversos “propinodutos” – que envolvem políticos, poderosas transnacionais, famosos empresários, peixes grandes do Judiciário ou os amigos do poder de plantão.
Para piorar o quadro institucional, a oposição de mentirinha ainda dá trela para valorizar o Lula. Ontem, durante um comício em favor de Marta Suplicy na Zona Norte de São Paulo, Lula desmoralizou seus opositores de mentirinha, por utilizarem sua imagem na campanha eleitoral.: “De dia me xingam na Câmara e me xingam no Senado. De noite, distribuem santinho do Lula nas cidades onde eles moram. Vocês vejam onde chega a hipocrisia. Eles não têm lado porque são oportunistas e nós temos lado. Temos cara. Na campanha presidencial (de 2006) esses mesmos que copiam todas as propostas eram aqueles que iam para a televisão para me achincalhar, me ofender, dizer que o governo não fazia nada. Hoje até eles dizem 'Ah, com o Lula tudo bom, mas o PT é que não sei das quantas”.

A sociedade brasileira precisa dar um basta à ditadura institucional que opera sob o disfarce de uma falsa democracia de representatividade absolutamente questionável. Mesmo disfarçadas, as ditaduras não são eternas como os diamantes que os corruptos compram para suas amantes ou namorados.

Resta ver como a imprensa amestrada pelas verbas oficiais e abestada pelas ideologias fora do lugar vai reagir ao verdadeiro atentado terrorista contra a Constituição e a Liberdade de Informação praticado pelo chefão Lula. Ou será que não haverá reação da mídia? A hora de combater a ditadura é agora. Lula não teme a opinião pública porque a manipula. Mas morre de medo da opinião publicada quando ela o coloca nu perante a realidade objetiva dos fatos.


Jorge Serrão, jornalista radialista e publicitário, é Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. http://www.alertatotal.blogspot.com e http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 21 de Setembro de 2008.

21 comentários:

Anônimo disse...

A diferença do LULA pro CHAVES, é que: O CHAVES, disse que ia fazer o que esta fazendo antes de ser eleito, o LULA disse totalmente ao contrário.

Anônimo disse...

Serrão, voc poderia ampliar mais o organograma?

Anônimo disse...

Sinceramente, eu acredito que as pesquisas sobre o presidente sejam todas manipuladas, e para provar isso, garanto que nas próximas, ele subira mais ainda, mesmo diante da mostra mais explicita de ditadura, nossos poderes estão dominados de cabo a rabo.
Lembro o que dizia minha avó: Meu netinho, DINHEIRO não é TUDO, é só 100%

Anônimo disse...

O mal feito é da conta de todo mundo, ainda mais quando é com o BEM PÚBLICO, e nesse caso, de mais uma amostra de ditadura explicita, só nos resta parte da mídia que não se vendeu, nos salvar, ou que sabe o Protógenes. E seria bom que isso acontecesse logo, antes que acabem com nossas duas últimas esperanças.

Anônimo disse...

ESSA E NÃO PODERIA DEIXAR DE POSTAR, ME DESCULPEM.

Escalada indigenista: fecha-se o cerco em MT [5]
25 July, 2007 12:00:00 editor
Tamanho da fonte:

5. Quem é quem no aparato indigenista

Conselho Indigenista Missionário (CIMI)
O CIMI foi fundado em 1972, como braço militante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para a questão indígena. Dois anos depois, iniciou uma série de "assembléias indígenas" para conscientizá-los de seus direitos. Em 1980, um grupo de indígenas organizados pelo CIMI fundou a União das Nações Indígenas (UNI) para promover a autonomia e a autodeterminação dos indígenas brasileiros.

Desde a sua criação, o CIMI tem estado profundamente envolvido em praticamente todas as iniciativas do Establishment oligárquico para fomentar o "indigenismo" no Brasil. Nos primeiros meses de 2000, o CIMI foi abertamente acusado por entidades indígenas de Roraima de fomentar dissenções e violência entre as comunidades indígenas do Estado.

É difícil determinar as fontes patrocinadoras do CIMI. Sabe-se que várias ONGs vinculadas ao Conselho Mundial de Igrejas e que atuam no Brasil prestam "ajuda" a algumas operações do CIMI. Dentre estas ONGs destacam-se a Christian Aid e a ICCO. Entre 1992 e 1994, o CIMI recebeu 85.000 dólares da Fundação Nacional para a Democracia (NED) dos EUA, para "ajudar a fortalecer organizações independentes e assistir comunidades indígenas para defender seus direitos em meio a uma atmosfera violenta e discriminatória" (a NED é uma organização mantida pelo Governo dos EUA e dirigida pelo Congresso deste país, cujo objetivo é fomentar a agenda neoliberal em todo o mundo; sua existência veio à luz por ocasião do escândalo Irã-Contras, operações triangulares que envolveram trocas de armamentos por drogas com os rebeldes anti-sandinistas "Contras" da Nicarágua).


Instituto Socioambiental (ISA)
O Instituto Socioambiental (ISA) é o sucessor do Centro Ecumênico de Documentação e Informação (CEDI), desmembrado em 1994. Atualmente, é uma das mais ativas ONGs brasileiras, destacando-se em ações envolvendo questões indígenas, especialmente a manipulação de tais temas para obstaculizar os projetos hidroviários em curso no País.

Os vínculos do ISA com o aparato ambientalista internacional podem ser constatados na lista dos seus membros fundadores, que inclui:


- Barbara Bramble: diretora de Projetos Internacionais da National Wildlife Federation (NWF), ativa participante da campanha contra o Projeto Polonoroeste e do "Projeto Chico Mendes", na década de 80.

- Stephen Schwartzman: ativista do Environmental Defense Fund (EDF) nos anos 80, integrante da mesma rede. Trabalhou concomitantemente no INESC, no desenvolvimento de laços entre ONGs estadunidenses e brasileiras. Foi também o elo de ligação entre o CEDI e o EDF.

- Willem Pieter Groeneveld: holandês radicado em Rondônia, organizou os seringueiros de Rondônia em nome do capítulo canadense da Cultural Survival (CS). Fundou, com o suporte financeiro do Friends of the Earth da Suécia, o Instituto para a Pré-História, Antropologia e Ecologia (IPHAE), sediado em Porto Velho. Recebeu ajuda financeira da Canadian International Development Agency (CIDA) para atuar na conferência Rio-92 e atuou como consultor da embaixada do Canadá no Brasil para selecionar ONGs brasileiras que pudessem receber auxílio financeiro da CIDA.

- Tony Gross: agente da Oxfam no Brasil, trabalhou junto ao CEDI.

- Jason Clay: diretor da Cultural Survival (CS). Defende o "nacionalismo étnico" contra o Estado nacional. Também foi consultor da CIDA no Brasil.

A figura-chave para a "decolagem" do ISA foi Márcio Santilli, egresso do CEDI e também fundador do NDI. Santilli, que é formado em filosofia, foi deputado federal por São Paulo (1982-86) e presidente da Funai. Durante o seu mandato parlamentar, presidiu a Comissão do Índio na Câmara dos Deputados e foi o responsável pela coordenação da ação do aparato indigenista na tentativa de influenciar a Assembléia Constituinte de 1987-88 para implementar o conceito de "plurinacionalidade" no Brasil. Santilli é ex-treinando do programa de lideranças ambientais da agência estadunidense USAID.

Os projetos do ISA têm recebido o apoio de diversas entidades internacionais. Entre elas, destacam-se: ICCO (Organização Intereclesiástica para a Cooperação ao Desenvolvimento - Holanda); Fafo (Programa Norueguês para Povos Indígenas); Comunidade Européia; Fundação Ford; RFN (Rainforest International Norway - Noruega); Rainforest Foundation International; e IIZ (Instituto para a Cooperação Internacional /Campanha Aliança pelo Clima - Áustria).


Conselho Mundial de Igrejas (CMI)
Atualmente sediado na Suíça, o CMI foi fundado em 1937, em um seminário realizado na Universidade de Oxford, Inglaterra, do qual participaram representantes da nata do Establishment anglo-americano. Um deles foi lorde Lothian, que deu o tom da entidade ao palestrar sobre a "Influência Demoníaca da Soberania Nacional". O CMI é integrado pela Igreja Anglicana, cujo chefe é o monarca da Grã-Bretanha, e outras igrejas protestantes. A Igreja Católica, apesar de não integrá-lo, envia representantes às suas reuniões.

O CMI e sua rede de ONGs associadas têm financiado ativamente o aparato internacional de "direitos humanos" e, igualmente, tem apoiado ativamente levantamentos separatistas, como o do Exército Zapatista de Libertação Nacional, em Chiapas, México.

Uma das funções do CMI é coordenar mundialmente as ações dos seguidores da Teologia da Libertação, que propõe igrejas autóctones indígenas (pagãs). Em junho de 1997, o papel desestabilizador do CMI foi denunciado pelo cardeal Joseph Ratzinger, presidente da Congregação para a Doutrina da Fé do Vaticano, ao afirmar que "grande parte dos bispos católicos da América Latina se lamentam comigo do fato de que o Conselho Ecumênico de Igrejas (outra denominação do CMI - n.a.) tem dado uma grande ajuda aos movimentos de subversão, uma ajuda que talvez tivesse boas intenções, mas que acabou sendo bastante danosa para o Evangelho".

Mais recentemente, o CMI tem sido um dos mentores da campanha internacional de desarmamento civil, tendo sido um dos fundadores da Rede de Ação Internacional de Armas Pequenas (IANSA), entidade criada em Haia, Holanda, em maio de 1999, para coordenar a campanha em âmbito mundial.

No Brasil, o CMI tem participado ativamente do movimento indigenista, por intermédio de seu apoio à criação do CEDI e do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) (ver referência). Na campanha pró-desarmamento, seu principal parceiro é o Movimento Viva Rio.

As seguintes organizações atuam na órbita do CMI:


- Organização Intereclesiástica para a Cooperação ao Desenvolvimento (ICCO):
Sediada na Holanda e mantida por igrejas protestantes européias. Em 1994, seu orçamento anual era de 86,5 milhões de dólares, dos quais 8,1 milhões de dólares foram repassados a ONGs brasileiras. Seus temas prioritários são desenvolvimento rural sustentável, direitos humanos e ambientalismo.

- Brot für die Welt (Pão para o Mundo):
Pertencente à Igreja Evangélica na Alemanha. Em 1994, tinha uma receita anual de 100 milhões de dólares, tendo feito doações de 4 milhões de dólares a ONGs brasileiras. Atua basicamente junto a ONGs ligadas a pequenos produtores rurais, povos indígenas, o MST e o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). Uma de suas atividades no Brasil inclui o que denomina "Diálogo Grande Carajás".

- Christian Aid: Baseada em Londres, é mantida por igrejas protestantes européias. Em 1994, seu orçamento anual era de 75 milhões de dólares, tendo feito doações de 2,2 milhões de dólares a organizações brasileiras.



Survival International
A Survival International (SI) funciona como uma seção de "assuntos humanos" do Fundo Mundial para a Natureza (WWF). Foi fundada em 1969, com o patrocínio de sir Peter Scott, então presidente da WWF, para oferecer financiamento para "ajudar os povos indígenas a proteger suas terras, seu meio ambiente e seu modo de vida", eufemismo para a criação de enclaves onde habitam os indígenas com autonomia sobre o solo e subsolo de seus "territórios" sobre os quais as nações onde se localizam exerceriam o que denominam "soberania limitada".A SI foi fundada visando a criação da gigantesca reserva ianomâmi no Brasil e na Venezuela.

Em 1971, o antropólogo britânico Robin Hanbury-Tenison, então presidente da SI, empreendeu viagens exploratórias à América do Sul, cujos roteiros coincidiram com os eixos naturais de integração do subcontinente. Em seu livro Worlds Apart, o próprio Hanbury-Tenison apresenta um mapa onde demonstra esta preocupação e revela que a importância estratégica de seus roteiros lhe fora indicada pessoalmente pelo príncipe Philip.

Em 1976, a equipe da SI, encabeçada por Kenneth Taylor e pelo antropólogo Bruce Albert, foi expulsa do Brasil. Em 1980, Marcus Colchester, antropólogo britânico e colaborador da SI, publicou uma proposta para criar um parque em território venezuelano fronteiriço com o Brasil. Em 1985, a Organização dos Estados Americanos (OEA) instou o governo brasileiro a criar um parque ianomâmi para preservar seus costumes e sua "cultura".

Em 1989, a SI levou o líder ianomâmi Davi Kopenawa em uma turnê pela Europa, durante a qual recebeu uma enorme cobertura da imprensa internacional. [voltar para a parte 1]

veja essa historia da turnê se repete do caso D ARESERVA RSS

Anônimo disse...

Anônimo das 7:02

Contribuindo : basta levar o mouse até o organograma e clicar para ampliar.

Anônimo disse...

FORA ONGs


CIMI e Survival International deveriam ser espulsas do país?
A ong Survival International (inglesa) e o CIMI (Conselho Indigenista Missionário - Suíça) criaram um ambiente propício a uma guerra etnica na região amazônica, especialmente em Roraima. Desde a contituinte de 1988 que elas tentam a todo custo transformar as comunidades indígenas brasileiras em NAÇÔES INDÍGENAS, COM GOVERNO PRÓPRIO, SEPARADAS DO PAÍS. Esta constante ingerência em, assuntos nacionais, com a conivência da corja PETISTA, transformou o Brasil em um lugar em que guerras de caráter étnico é apenas uma questão de tempo. O CIR (Conselho indígena de Roraima) e a SODIUR (sociedade dos indíos unidos do norte) estão a ponto de guerrearem entre si, devido à proposta de demarcação da Raposa/Serra do Sol, de forma contínua. Os indíos do CIR vem a décadas praticando atos terroristas, tais como queimar pontes, destruir redes elétricas além de serem responsabilizados por assassinatos. Esta Ong é a preferida do CIMI e da Survival International, devido à sua agressividade e desrespeito com os demais indíos da SODIUR - que não os toleram de vido à sua arrogância. - e com seus desafetos brancos e mestiços do estado. Outra coisa que é bom lembrar também é que o CIR e o CIMI receberam dos americanos uma bolada de 270 milhôes de dólares na década de 90, para que promovessem suas atividades subversivas tão conhecidas no Brasil. Devido a estas constantes intervenções em assuntos nacionais e devido ao clima de guerra criado por estas duas Ongs européias, o governo não deveria espulsá-las imediatamente? Até quando veremos organizações estrangeiras deitarem e rolarem em nosso território, debaixo do bigode do LULA sem que se faça nada. Antes, o governo brasileiro até ajuda esta picaretagem destas ongs estrangeiras. Ao conrário de demonstrar que no Brasil brasileiro é que manda nosso caridoso presidente faz é dar uma mãozinha aos malandros estrangeiros.


Enquanto na Europa tratam os brasileiros como se fossem bandidos, prostitutas, nosso querido LULA abre os braços para os picaretas europeus, que só vem aqui caçar confusão e desrespeitar a soberania basileira.


Enquanto somos impedidos de entrar na Espanha, os índios de Roraima que foram lá pedir apoio são recebidos de braços abertos, pois são índios que querem separar-se do Brasil, viver em uma nova nação, então os malandros espanhóis os recebem de braços abertos.

E os brasileiros? “Prostitutas e bandidos imigrantes, aqui não entra” É assim que são tratados pela imigração.

Este é um manifesto pela espulsão imediata das Ongs Survival International e CIMI .


Link:
http://vivavida.clickforuns.net

Anônimo disse...

Até quando os brasileiros permitirão que duas entidades terroristas, de fundo anti-patriótico e financiadas por países estrangeiros continuem a dividir o país?


O relator para assuntos indígenas da ONU, James Anaya estava em visita ao Brasil, para interferir diretamente no processo judicial em que está envolvida a região de Raposa/Serra do SOl. Em sua agenda, visitas a entidades, políticos e liderancas indígenas da região.


Até aí tudo bem, se fingirmos não ver o brutal desrespeito com a soberania brasileira sobre o caso em questão. O dito relator, que disse vir acompanhar de perto a questão indígena começa sua peregrinação. Visitas a este e aquele, conversas com este e aquele: agora, pasmem - a única instuição envolvida no processo de Raposa/Serra do Sol que o digno relator ouviu em sua peregrinação foi o CIR (Conselho Indígena de Roraima) que é totalmente contra a nação brasileira. O CIR é uma instituição ligada à ONG CIMI (Conselho Indigenista Missionário) com sede na Suíça. Segundo o relator ele não ouviria as outras entidades indígenas por quê não tinha tempo para tal. O que nos deixa estarrecidos é que as outras entidades que o relator não ouviu são totalmente brasileiras, nacionalistas, de cunho patriótico. Os indíos ligados a estas entidades já declararam seu patriotismo e sua intenção de serem eles integrados ao convívio da sociedade brasileira, o que o CIR é totalmente contra.

O CIR é comandado por um padre italiano, que nunca deu mostras de querer a cidadania brasileira. O fato do Relator da ONU não ouvir as partes interessadas no processo (SODIUR) mas apenas a única instituição (CIR) totalmente influenciada por agentes estrangeiros já deixa os avisados de sobreaviso. Se o STF trair a pátria brasileira, como fêz o Digníssimo ministro Ayres Brito, votando a favor destas instituiçôes estrangeiras, o Brasil nunca mais será respeitado. Respeita-se neste mundo naçôes que sabem dar valor no que tem. E o Brasil nunca fêz isto.


Deixar que instituiçôes como o CIMI, Survival e CIR comandem a nação brasileira a seu bel-prazer é impensável. Está na hora de parar esta picaretagem indigenista internacional que prolifera na amazônia "brasileira" (ou inglesa, já que a survival international, greenpeace e WWf, mais o CIMI é quem manda lá)
__________________

Anônimo disse...

Caro Jorge,

Embora seja esta a realidade na qual vivemos, esse artigo não deixou de me assustar.
Mesmo já tendo percebido o avanço galopante que esse desgoverno se encaminha para o totalitarismo, fico no receio de que já não tenha mais como evita-lo.
O deixaram solto demais, acima da lei.. como se a popularidade o autorizasse a isso..
O único projeto desse desgoverno é o do poder.
Tem que ter um jeito de darmos um basta nisso.
Não temos oposição e a voz de parte da população, que não é cúmplice com esse estado de coisas, não encontra eco, ressonância.
Infelizmente, brasileiro é piadista, leva tudo na brincadeira. Num país onde o povo fosse mais consciente de sua opinião esse desgoverno não estaria assim roendo a democracia aos poucos e impunemente.
Afinal de contas, quem somos nós, brasileiros ?
Não quero crer que a tendência seja a da acomodação.

Anônimo disse...

Serrão, você se lembra da música do Chico Buarque que falava que a “porca” já está tão gorda que não se agüenta mais (uma clara alusão ao ex-ministro Delfim Neto)???
Pois é, o grande Chico calou-se e talvez perdeu o seu dinamismo. E outros bastiões da liberdade terão que surgir para defender o que foi tão arduamente conquistado.
Você Serrão, com sua pena contumaz de sabedoria e perspicácia, terá de ser um destes bastiões hodiernos, pois uma "nova porca" se cria no chiqueiro central da República.
E pela sua figura deformada e escamoteada, quer reinar sozinha em meio a emudecidos fantoches...
Então, Serrão, lute por nós e nos defenda feito um São Jorge, contra estes dragões novos e inflamados de valores deturpados pela ciranda do poder.
Parabéns Serrão, suas palavras são as minhas...

Marcelo disse...

Serrão,

excelente exposição, porém, o poder da mídia é subestimado. Senão vejamos:

A mídia é aquele instrumento que forma a opinião de todos os "Agentes de influência". Ela também "faz a cabeça" da maioria das "Forças subterrâneas", "Força Motriz" e "Forças de sustentação".

A mídia aqui seria todo e qualquer tipo de transmissão de informação, podendo ser através de

livros
rádio
televisão
tradição oral (influenciada outrora pela mesma mídia...)

Tudo que sabemos proveio de alguma fonte de informação e aqui é vital ouvir sempre as várias abordagens sobre o tema em questão. O contraditório deve prevalecer e dai, no sonfronto das idéias antagônicas, resulta a síntese da nova idéia, da compreensão.

Portanto, acho que jutamente com o grande capital, a mídia exerce um papel descomunal na manipulação da opinião de qualquer ser humano.

A internet está quebrando este monopólio de "formatação mental". Pelo menos por enquanto...

Anônimo disse...

Em 2010, PROTÓGENES PARA PRESIDENTE!!! Pelo menos ele sabe (e muito!!) o que acontece!!!

Anônimo disse...

Caro Serrão, há de se indignar contra a pretensão (já consolidada) do aprendiz de déspota em cercear as atividades jornalísticas. Porém, não nos esqueçamos de que uma ditadura só consegue se estabelecer se contar com o apoio e beneplácito da grande mídia. E isso já está garantido no Brasil. Aqui não há jornalismo; há um abjeto comércio de notícias. Desisti de cursar jornalismo para não me violentar. O verdadeiro jornalista é um marginal neste subterrâneo de negócios envolvendo o poder e os donos dos meios de comunicações.
Porque da “grande” aceitação de Lula e suas presepadas mitomaníacas? É claro que é a superexposição!!! A mídia mostra o Lula o dia inteirinho, dos primeiros telejornais aos da madrugada; como o povo tem a “cabeça fraca” a coisa é aceita por exaustão de raciocínio. Para um povo idiota, a massificação é a melhor forma de propaganda. Quanto você acha que o Planalto está pagando à grande mídia pela superexposição?? Isso dá ao Lula o direito de fazer o que bem entende. Até violentar a pseudo dignidade jornalística. É como aquela personagem de um programa cômico da TV que é uma perfeita baixaria, mas tem dinheiro para comprar e fazer o que bem entende. E, como a personagem, Lula, se interpelado, só responderia: - “O QUE É?? TÔ PAGAAANDO”!!!!

Anônimo disse...

Nós brasileiros acomodados que sabemos reclamar de tudo e nada fazer já estamos vivendo parte do Comunismo que o Regime do PT quer implantar no Brasil.





Primeiro o maior esquema de Roubo e Corrupção realizado na face da terra e em um regime de governo, conhecido por MENSALÃO Idealizado pela cupula do PT era apenas a sequencia das propinas arrecadadas em Santo André e agora realizadas em Plano Nacional bem administradas pelos Fiéis fundadores do PT e todo o seu Comando Central.





O MENSALÃO era a fonte que o PT usava como mola propulsora de apoio ao governo Central para comprar apoio de politicos Corruptos em apoio ao plano de governo do PT.





Como todos sabem caiu toda a equipe de governo mergulhada no mar de escrementos gerado neste governo pela admin istração Petista. Por sua vez o mandatário maior Senhor presidente para escapar de um impedimento Negou Negou Negou que sabia de alguma coisa e diariamente na televisão defendia seus pares de Partido mas a justiça afastou tudo provando que o Sr. presidente foi apenas uma mal advogado dos MENSALEIROS ou abandonou a todos para livrar-se da Mala de escrementos que é a Cupula do PT. Se fossemos aqui relatar a lista de Roubos e escandalos do Governo Petista seguramente faltaria tempo e o artigo se tornaria um livro completo tal a quantidade de escandalos gerado por este governo, falso e que tem em seu plano central o terceiro mandato e a instalação do Comunismo.





Chego a esta conclusão após analisar a conduta de dois outros retrógradas, cavernalicos presidentes apoiados pelo governo Central brasileiro. O Indio ladrão do Patrimonio brasileiro que deixou o governo Central de Joelho quando Invadiu e Expropriou a Petrobras, Leia-se Roubou a Petrobrás dos Brasileiros incrivelmente teve o Apoio do Governo Petista, e o outro o fanfarrão e mentiroso Hugo Chaves, tramaram o retorno do Socialismo, Leia-se Comunismo, para a América Latina, tudo isso apoiado pelo Governo central brasileiro. Na Bolivia o povo reagiu contra o retorno do Comunismo e muitas pessoas morreram e muitas vão morrer pois não é possivel voltar a viver como animais em cavernas, desejo0 este dos tres retrogradas, presidentes da Bolivia do Brasil e da Venezuela. Aqui no Brasil já estamos vivendo aos poucos o Comunismo, o governo Central do PT proibe e criminaliza brasileiros, que tenham uma arma para se defender seu patrimonio, é permitido ao Ladrão roubar, matar estrupar e aterrorizar as familias brasileiras, mas não é permitido defender seu patrimonio construido com trabalho e dedicação e honestidade. Em contrapartida ainda o governo central arrecada 40% de impostos e nunca devolveu em segurança ou saúde e o conselho que da o Governo do PT é para não reagir aos assaltos e deixar que nos levem nosso patrimonio destruam a vida de nossas familias, assim é que o governo do PT orienta os brasileiros. Então esta é uma lei autoritária pois quem decide sobre sua vida é o cidadão e não o governo é então uma lei comunista.





Os ladrões apoiados que pertencem a cupula de governo ou fizeram parte dela ou são ligados a ela jamais serão condenado algum mensaleiro esta na cadeia? Isso é uma proteção comunista dos Kamarradas ou seja Kamarradas são Kamarradas não podem ir para a cadeia. Mas aquele que se apropriar indevidamente mesmo que seja um tablete de manteiga ira para a cadeia pois existe no regime comunista a lei para os Kamarradas e a lei para o resto, o resto aqui é o povo.





Tudo isso acontece sobre a proteção fiel de todos os Kamarradas no caso aqui o governo que esta governando. A imprensa será monitorada já é e poderá ser cerceada ou seja terá que ter limites e não falar muito dos Kamarradas Petistas e do governo Central, isso já acontece e isso já é comunismo. Juizes, Tribunais, Senadores, Deputados, Prefeitos, desembargadores, todos grampeados, para o governo Central ter o controle absoluto isso já acontece no governo dos Kamarradas Petistas é verdade é realidade, e é também uma lei Comunista ja vigorando no governo dos Vermelhinhos Kamarradas Petistas, logo então é mais uma lei Comunista.





Ministros do Supremo Tribunal grampeados Dossies Fabricados nos arquivos do Governo Central para Chantagear adversários politicos, isso são atitudes Comunistas que os Kamarradas já executam para controlar o estado e as pessoas. Já vivemos o Comunismo e estamos quietos por que será porque somos covardes ou porque aceitamos.
Postado por

BRAGA disse...

Caro Serrão.
Essa corja de filhos da PuTa, que desgovernam para esse povo de merda, sabem muito bem o que estão fazendo.
São arrivistas e oportunistas da pior espécie.
Estão se "fazendo"! Infelizmente, utilizaram todo um ideário que era até bom, para enganarem babacas como eu, que me indispus até com amigos por votar no "digníssimo" dom Luiz Inácio.
Em nível sindical, participei de muitos movimentos grevistas.
As famosas liderenças do nosso sindicato eram na maioria petistas, seguindo de uma ala brizolistas (minoritária).
No início dos anos 1980, nos usaram como massa de manobra, colocando a população contra nós, pois eles nunca mostravam a "cara".
Tempos depois a maioria
dos "companheiros" dirigentes, que candidatou a cargos políticos. Um deles é ou foi prefeito de Niterói. Os menos audazes e "vaselinas" se conformaram com cargos de vereadores e deputados estaduais.
Minha "ficha" só caiu em 2002.
Me arrisquei desde meados dos anos 1970, não por ser baderneiro, como me arrisco hoje com essa corja de vagabundos que infestam a nossa Pátria (será que ainda existe isso?).
Hoje sim vivemos uma ditadura solerte, sutil e prepadadora!
Quem não "reza" pela cartilha oficial, fica sem propaganda e "quebra".
Verbas oficiais, só para quem louvar os ditadores de Brasília.
Para a patuléia, "acidentes" acontecem. Ou então, fazem o que estão arrumando com os servidores públicos ("a morte lenta" = desesperança, etc.).
Por falar nisso, no Estado do Rio de Janeiro, já existe um dispositivo "legal" que impede qualquer Professor estadual de prestar ou dar entrevistas, sob pena de pesadas punições. Somente os chefões da secretaria de educação podem fazê-lo.
Estamos levando porrada de todos os lados e temos que ficar calados.
Espero que o limite de sofrimento desse povo de merda chegue logo ao limite e, que haja a explosão.
Lembram-se da Resistência Italiana, durante a 2ª Guerra?
Quem não sabe, dá uma lida num bom livro de História!
Um grande abraço,
Braga

BRAGA disse...

Caro Serrão.
Essa corja de filhos da PuTa, que desgovernam para esse povo de merda, sabem muito bem o que estão fazendo.
São arrivistas e oportunistas da pior espécie.
Estão se "fazendo"! Infelizmente, utilizaram todo um ideário que era até bom, para enganarem babacas como eu, que me indispus até com amigos por votar no "digníssimo" dom Luiz Inácio.
Em nível sindical, participei de muitos movimentos grevistas.
As famosas liderenças do nosso sindicato eram na maioria petistas, seguindo de uma ala brizolistas (minoritária).
No início dos anos 1980, nos usaram como massa de manobra, colocando a população contra nós, pois eles nunca mostravam a "cara".
Tempos depois a maioria
dos "companheiros" dirigentes, que candidatou a cargos políticos. Um deles é ou foi prefeito de Niterói. Os menos audazes e "vaselinas" se conformaram com cargos de vereadores e deputados estaduais.
Minha "ficha" só caiu em 2002.
Me arrisquei desde meados dos anos 1970, não por ser baderneiro, como me arrisco hoje com essa corja de vagabundos que infestam a nossa Pátria (será que ainda existe isso?).
Hoje sim vivemos uma ditadura solerte, sutil e prepadadora!
Quem não "reza" pela cartilha oficial, fica sem propaganda e "quebra".
Verbas oficiais, só para quem louvar os ditadores de Brasília.
Para a patuléia, "acidentes" acontecem. Ou então, fazem o que estão arrumando com os servidores públicos ("a morte lenta" = desesperança, etc.).
Por falar nisso, no Estado do Rio de Janeiro, já existe um dispositivo "legal" que impede qualquer Professor estadual de prestar ou dar entrevistas, sob pena de pesadas punições. Somente os chefões da secretaria de educação podem fazê-lo.
Estamos levando porrada de todos os lados e temos que ficar calados.
Espero que o limite de sofrimento desse povo de merda chegue logo ao limite e, que haja a explosão.
Lembram-se da Resistência Italiana, durante a 2ª Guerra?
Quem não sabe, dá uma lida num bom livro de História!
Um grande abraço,
Braga

Mario disse...

Onde está a surpresa? A quadrilha está tentando amordaçar a pequena parcela da imprensa, que não está comprada, desde o início do primeiro mandato. Um dia vão acabar conseguindo, e nós, que já não temos uma oposição descente para nos defender estaremos rendidos. Não me surpreenderei se o próximo passo for o confisco de passaportes.

Anônimo disse...

A punição que os bons sofrem.
quando se recusam a tomar parte do governo. É viver sob o governo dos maus. Platão

Anônimo disse...

O mundo é um lugar perigodo de se vive. Não por causa daqules que fazem o mal. Mas sim, por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer. Albert Einstein

Anônimo disse...

Tudo ira melhorar, quando a maioria das pessoas de bem, forem mais ousadas que as canalhas. Arnaldo Jabor

Maria Cecilia disse...

após enviar diariamente seus artigos, Serrão, após enviar os dois primeiros de hoje, mandei o seguinte (juntamente com seus dois artigos iniciais do blog) para minha lista:


Ando me perguntando se não gasto meu tempo direcionando alertas do perigo e risco que corremos a aliados do desgoverno. Fora três ou quatro pessoas, ninguém parece estar se incomodando com o que aí está, ninguém está sendo atingido com o que se passa, então só posso concluir que estou fazendo papel de idiota. Porra! Ninguém se toca? Então é porque está tudo bem com o monte de piadas idiotas (a maioria) que recebo, ao invés de comentários sobre o que está acontecendo e sugestões para colocarmos um fim nessa banda toda podre, sim, é possível.
Maria Cecilia