sábado, 6 de setembro de 2008

Reconstruir o País

Edição de Artigos de Sábado do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Arlindo Montenegro

Mais uma noite depois de pesadelos em ambiente kafqueano esmagando baratas agressivas, desperto para o surrealismo do dito pelo não dito, desperto para o noticiário sobre crimes, acidentes e relatos coloridos sobre a fuga à responsabilidade dos que comandam a nação e “nada sabem”, que perpetram o genocídio cultural com máscara de democratas da nova ordem mundial.

Acordo para o ambiente em que, um Mao Tse Tung, estuprador de meninas camponesas, responsável pela morte de dezenas de milhões de chineses – segundo os biógrafos fundamentados em documentos históricos e depoimentos de sobreviventes – é considerado um grande líder e apontado como exemplo para a juventude, por políticos, por professores universitários, em textos escolares e até por seguidores da tal teologia da libertação, excomungados por Roma, coisa que os bispos da CNBB, os ativistas do Cimi e os padrecos de periferia ignoram olimpicamente.

Lembro o tempo do ensino básico que vivi, estudando latim para entender melhor o idioma português, aulas de geometria, música incluindo o canto gregoriano, teatro, redação, caligrafia e sinto as bofetadas da informação que diz: as escolas de ensino superior abriram espaço para reforçar as falhas (ignorância) dos alunos sobre conhecimentos básicos do idioma pátrio e matemática.

Ouço pelo rádio, vejo repórteres na tv e leio nos jornais grosseiros erros de concordância verbal. Vem à lembrança a discussão sobre textos escolares adotados pelo Ministério da Educação veiculando a desconstrução de textos históricos, exaltando e legitimando terrorismo e preconceitos: Guevara, Marighella, Lamarca, luta de classes, minorias, racismo. E sinto a inutilidade da velhice diante do quadro apavorante: balas perdidas, individualidade perdida, privacidade perdida, esperança (quase) perdida.

As novas leis são claras e vão de encontro à Constituição Cidadã, um documento que oferece detalhismo inédito em qualquer Carta Magna. Para os governantes obedientes ao Foro São Paulo é insuficiente. Por ser “democrática e burguesa”, inaceitável. Parece ter sido substituída pela enxurrada de decretos, portarias, medidas provisórias, instruções normativas, resoluções, dispositivos gerados por qualquer burocrata para fechar o cerco aos direitos e garantias individuais.

Estão cercados e no canto, sem defesa, os direitos de propriedade, de auto defesa, saúde, educação, direito à liberdade e privacidade, seja porque a Suprema Corte só age se acionada (e quando age, interpreta ou engaveta), seja por inexistir consciência, mobilização, recursos e vontade pátria para exigir, interpelar, responsabilizar os que “não sabem nada”, que têm o poder de estar acima das Leis que, pretensamente, deviam ser iguais para todos.

Paulo Brossard, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, diz que o grampo no telefone do ministro "é uma coisa inominável"! E completa: "Acho que o presidente não pode continuar dizendo que não sabia das coisas". O que acho é que todos os ministros sabem que ele, o presidente Lula sabe de tudo. E sendo assim, os ministros sabem que ele, o presidente Lula já passou da hora de pagar por sua pretensa ignorância.

O que concluo é que além dos ministros, assessores, puxa sacos, políticos, profissionais liberais, ativistas de instituições e ongs, professores, parte da nacionalidade informada e consciente, sabe. E cala enquanto mama nas tetas da República. E cala fazendo que não vê nada, fazendo que não há o que fazer. Contemporizando com o crime de lesa pátria.

Leis no Brasil só valem como aquela de Esperantina, um município com pouco mais que 30 mil habitantes no Piauí, onde, por decreto, é celebrado o Dia do Orgasmo. Ali vale a cultura do machismo patriarcal e o culto aos forrozeiros, bode e cerveja com agradecimentos ao “bolsa vadiagem”. Cultura das cavernas com direito ao pior das práticas ditas civilizadas: drogas, assaltos e o resto. As outras leis existem para serem dribladas, como ensinam muitas escolas de direito.

Alguns “últimos moicanos” acadêmicos ainda falam coisa com coisa, fundamentados em princípios, valores e documentação histórica. No geral a cultura foi descaracterizada pela base. Na literatura, na música, nos programas de “grande audiência” da tv, a baixaria e menosprezo à pessoa imperam.

Nas letras de músicas coisas como “Eu quero chá de cogumelos amarelos... Muito louco o mundo fica colorido...Vai a chuva i molhando a bosta da vaca... Alucina o coração de um maluco doidão...” Outro exemplo? Lá vai: “Zebu morreu, ele se fudeu, cogumelo é meu... Zebu morreu, ele se fudeu, cogumelo é nosso”. Me desculpem! Deixo de transcrever os “poemas líricos” que fazem apologia da maconha e cocaína ou aqueles que ofendem as mulheres, citam bundinhas, xoxotas, treisotão, teco na cara do meganha... e outras figuras exemplares.

Tudo ao alcance de qualquer menino ou menina das “melhores famílias”. E os pais não têm mais tempo para ocupar-se com a educação dos filhos. E os pais que ousam atribuir-se e assumir a educação dos filhos no lar são processados. A Lei só permite a deseducação oficial, o emburrecimento coletivo a partir da escola fundamental, com livros de texto feitos sob encomenda.

Estes Ministros – da Saúde, da Educação e outros grandolas – deste governo que privilegia o crime organizado e pune quem trabalha, cada um deles com a “ficha” mais suja que outro, tem de ser chamado “na chincha” e responsabilizado pelo genocídio cultural, além da matança, dos homicídios que superam em números as guerras localizadas em curso pelo mundo afora.

Acabaram-se os juristas, acabaram-se os patriotas, foi-se o tempo em que a Lei era cumprida e obedecida pela maioria. Foi-se o tempo em que a Pátria era uma entidade palpável, respeitada e dignificada pelo trabalho. Há quem espere de eleições! Francamente, se algo ainda pode ser feito para reconstruir esta nação desfigurada, reside na reeducação de cabo a rabo. Uma tarefa hercúlea que não interessa aos poderosos.

Pensar Brasil e reconstruir o Brasil. Estabelecer rumos, criar os mecanismos, juntar a inteligência que resta. Será que é vão querer viver num país soberano e democrático? Será melhor conformar-se com desejos pessoais como o do Ronaldo que só pensa em jogar no Flamengo? Ou alguma coisa do tipo visitar a Disneilândia, ganhar na loteria...

Arlindo Montenegro é Apicultor.

10 comentários:

Anônimo disse...

Existem programas federais, de entidades "filantrópicas", igrejas, ongs e por ai vai, para combater os efeitos de tudos os problemas que acontece de ruím em nosso país, como por ex.: violência, meninos de rua, a fome e etc... mais para combater a CAUSA desses problemas eu nunca vi nenhum. Combater a dor de dente, sem descobrir e combater a causa da dor, é a mesma coisa que aumentar o problema desse dente, arrancar mais dinheiro do paciente e condena-lo num futuro próximo à extração. Se voce montar em sua mente, por exemplo: um programa de combate a CAUSA da violência, chegara rapidamente aos poderosos (do estado e das igrejas), que fomentam a miséria e dela sobrevivem, fomentar a miséria é a mesma coisa que gerar violência e a violência gera muitas outras coisas mais que interessa a muita gente. Por isso a CAUSA nunca é combatida, porque o problema sera resolvido logo e definitivamente, não da dinheiro e tem se que enfrentar os poderosos. É esse o retrato do Brasil, infelismente é assim que tudo funciona em nosso país.

Anônimo disse...

Caro Arlindo, que belo texto é esse seu, hein!!!
Muito profundo, muito explícito, muito emblemático, muito real...
Mas, como fomos colonizados por portugueses e navegar é preciso, viver não, tenho que tocar a minha vidinha...
Falar sobre a educação no Brasil é piada, e de mal gosto. Falar sobre investimento em cultura, é outra gozação com a cultura dos tempos antigos. Mas, falar sobre a criação dos filhos é tema sempre urgente e contemporâneo.
Faltou, se me permites a audácia de tentar acrescentar algo ao seu belo texto, falar sobre a religião, principalmente as que se digladiam pelo fiel da hora. Estas, como é sabido por todos, se propagam pela ignorância institucionalizada. Ou seja, quanto mais ignorantes tiver, mais fácil será a pregação...mais serão arregimentados, maior será o dízimo, maior será a canastrisse...
Triste é o país em que seus filhos já nascem fadados ao insucesso. Triste é o pais que se constrói só com os homens, contudo sem os livros...Triste país é esse meu Brasil amado...
Abraços e parabéns!!!

Montenegro disse...

Pra viver tem de comer. Pra comer tem de encher a barriga. Pra encher a barriga tem que comprar. Pra ter o poder de compra tem que trabalhar. Pra trabalhar tem que ter emprego. Prá ter emprego tem que estudar. Pra estudar tem que ter um motivo. Aí a coisa pega! O motivo, fim, razão, sofre a influência da familia/escola/meio cultural/crenças/estrutura de ensino que o estado oferece.
Como é que a nação trata suas crianças e jovens?
Existe um objetivo nacional integrado à cultura - valores, tradições, orgulho pátrio, civismo...?
Que orientação têm as crianças para escolher missões de vida?
A nação garante a dignidade e a possibilidade da juventude para fazer escolhas e iniciar atividades produtivas na indústria, agricultura, serviços conforme a vocação individual?
O ambiente preponderante é orientado para a construção democrática - liberdade criativa e individualidade competitiva para que os melhores possam destacar-se e liderar?
Ou está configurado para o socialismo - o estado e o partido fingindo de paizão, maezona e TODOS obedecendo e recebendo a ração de sobrevivência mental e material sem discutir?
Que queremos? Trabalhar livremente ou sobreviver servís de modo irresponsável e cada vez mais agressivo e desrespeitoso?

Montenegro disse...

Pra viver tem de comer. Pra comer tem de encher a barriga. Pra encher a barriga tem que comprar. Pra ter o poder de compra tem que trabalhar. Pra trabalhar tem que ter emprego. Prá ter emprego tem que estudar. Pra estudar tem que ter um motivo. Aí a coisa pega! O motivo, fim, razão, sofre a influência da familia/escola/meio cultural/crenças/estrutura de ensino que o estado oferece.
Como é que a nação trata suas crianças e jovens?
Existe um objetivo nacional integrado à cultura - valores, tradições, orgulho pátrio, civismo...?
Que orientação têm as crianças para escolher missões de vida?
A nação garante a dignidade e a possibilidade da juventude para fazer escolhas e iniciar atividades produtivas na indústria, agricultura, serviços conforme a vocação individual?
O ambiente preponderante é orientado para a construção democrática - liberdade criativa e individualidade competitiva para que os melhores possam destacar-se e liderar?
Ou está configurado para o socialismo - o estado e o partido fingindo de paizão, maezona e TODOS obedecendo e recebendo a ração de sobrevivência mental e material sem discutir?
Que queremos? Trabalhar livremente ou sobreviver servís de modo irresponsável e cada vez mais agressivo e desrespeitoso?

Anônimo disse...

E a cada dia os favelados ganham mais espaço espalhando a miséria por todo lado. A violência tornou-se o fim, a razão de ser dos sem-educação. A sociedade do funk, do bolsa-esmola, do apedeuta que nada sabe e que engana a todos, ou a quase todos... Essa história do petróleo é impressionante. Do pré-sal vai brotar a educação!!?? Ou a socialização total?!... Depois da desconstrução será fácil reconstruir endurecendo bastante as regras do jogo... Vanucchi ou seja qual for seu nome, deixará os direitos humanos e passará às execuções sumárias... Espero que arda antes, como foi o inócuo Fausto Wolf, que gostava de aparecer nu na janela de seu apartamento em frente ao bar Garota de Ipanema, num delírio pasquinês... Nossos homens de bem se foram. Os que restaram estão acuados. Não restará pedra sobre pedra no caminho da favelização. Se puderem, bom fim-de-semana!

Anônimo disse...

É verdade! Mao Tse Tung além de ser um estuprador de meninas camponesas, também foi o maior genocida da História, matou muito mais que Hitler e Stalin juntos. Leiam o Livro Negro do comunismo, está tudo lá.
E ainda existem idiotas que idolatram esse monstro, como essa turminha de esqueda pró-comunista e socialista.

Anônimo disse...

Como já tinha feito esse alerta abaixo por aqui, estou novamente reforçando... e também concordo com a Socióloga, você tem toda a razão! A maioria das fontes confiáveis na internet só falam de grampos... e a principal ameaça de entreguismo no Brasil vai ficando em segundo plano, o (Des)Governo deve estar adorando.

Sinceramente, essas notícias de grampo... ninguém agüenta mais. Faço um apelo para que fiquem de olho na Reserva Raposa Serra do Sol e não deixem de falar sobre o caso, pois tenho a impressão que, as notícias e atenções estão sendo desviadas para fatos de menor importância.
4:50 AM

Anônimo disse...

Esse Arlindo Montenegro é fenomenal! Disse tudo aquilo que eu nem mesmo teria palavras para dizer.

Na verdade, boa parte da culpa se deve à infiltração comunista na Igreja católica. Augusto Comte já dizia que nenhuma sociedade subsiste sem um sacerdócio qualquer, pois é ao sacerdócio que compete o governo moral da sociedade. Quando o sacerdócio se degrada intelectual e moralmente, essa decadência repercute em toda sociedade. É como diz o povo: "quando o padre é santo, o povo é virtuoso; quando o padre é virtuoso, o povo é íntegro; quando o padre é íntegro, o povo é mais ou menos; quando o padre é mais ou menos..."

A hercúlea tarefa de reeducação do Brasil, de cabo a rabo, passa necessariamente pela regeneração intelectual e moral do clero católico.

Conheçam o sítio do Padre Paulo Ricardo (um padre que é contra os comunistas e as ONG's da Amazônia):
http://www.padrepauloricardo.org/#

eduardo f netto disse...

País convoca a classe mèdia, saiu o novo alistamento militar, voltado para o "Social", seráque e um meio de cooptar os jovens da classe média para o "Partido"?

http://odia.terra.com.br/economia/htm/pais_convoca_a_classe_media_197796.asp

Anônimo disse...

Está mais do que na hora de expulsarmos as ONGS e o Conselho Mundial das Igrejas Cristãs, lá na Amazônia. Até quando vamos tolerar entreguismo aqui no Brasil... fora já!