sábado, 1 de novembro de 2008

As aparências enganam mesmo

Edição de Artigos de Sábado do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com
Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos

Por Arlindo Montenegro

Um recente relatório da Cepal diz textualmente que os jovens do nosso continente não são apáticos: "são inovadores em formas de participação; cresceram com o imaginário da democracia e dos direitos humanos e são a geração mais sensível à questão ambiental e aos reclames históricos de minorias de diferentes tipos. Mas não confiam muito nas instituições políticas".

O documento diz ainda que a juventude não tem escolha clara quanto às estruturas políticas e que: (sei lá como chegaram a esse número!) 42% declaram que “em algumas circunstâncias estariam de acordo com um governo autoritário”.

Diz ainda que “são menos interessados” em eleições e os que atuam em sindicatos e organizações políticas não chegam a 10%. A quase totalidade prefere ligar-se a grupos – ecologia, esportes radicais, música, fóruns de discussão, iniciativas comunitárias, trabalho voluntário, tribos urbanas que nem as “manchas” futebolísticas.

Embora simpatizem com esta ou aquela corrente política, estão redefinindo a participação, adotando novas formas de ação e distanciando-se dos conceitos conservadores de sociedade, como pátria, ideologia política e religião. O relatório diz que no Brasil, Equador, Paraguai e Peru, ”mais de 80% se sentem insatisfeitos com a democracia”. Ou seja, com isto que ensinam nas escolas como sendo democracia.

O fato é que vendem espetinho de gato como sendo peixe ou frango! A propaganda sistemática engabelou a juventude fazendo acreditar que esta coisa é democracia! Só se for a “democracia socialista”, incongruência tão repetitiva quanto confusiva, que remete à alienação da cultura clássica, da pesquisa comparativa, da informação e formação para a responsabilidade inerente à desejável sociedade livre e verdadeiramente democrática.

A formação tem sofrido com a descarga exclusiva da interpretação material da realidade segundo os teóricos marxistas. Mentem e omitem que toda a estrutura econômica arquitetada há séculos por seitas e sociedades secretas, chegando aos Rotschild, tem construído currais mais próximos do controle totalitário que do ambiente democrático.

Mentem quando omitem que as cruéis experiências dos países ditos “socialistas ou comunistas”, foram todas apoiadas e financiadas pela economia financeira dos controladores capitalistas. Mentem quando omitem o conteúdo das atas do Foro São Paulo, as intenções de Chavez, Lula, Evo, Correa e todos quantos aparentemente podem sair perdedores com a crise financeira do capimunismo.

A tal crise pode sim servir para limitar mais ainda as liberdades e afastar-nos das reformas políticas e econômicas que possam conduzir à sociedade em construção democrática. O Brasil classificado como “economia emergente” já está começando a pagar o pato.

E vai pagar bem caro! O sistema capitalista híbrido, o capimunismo aqui praticado, que já tem sinal verde dos congressistas para estatizar bancos e empresas como propriedades das estatais Banco do Brasil e Caixa Econômica é auxiliar doscontroladores mundiais, que buscam apenas o lucro pessoal, a mais gananciosa concentração de riquezas.

Percebendo, até mesmo intuitivamente, os movimentos e práticas no dia a dia, a juventude busca novos caminhos. O improdutivo está na visão caolha que é imposta pela propaganda dos controladores do mundo, os mesmos que financiam acadêmicos e os induzem a ditar os discursos enganosos, distanciados da pluralidade de visões baseadas em experiências nada “humanas”, nada generosas, nada democráticas.

Desinformados, os jovens estão longe de perceber a impostura do tal socialismo que é apenas um capitalismo de estado concentrando toda a riqueza e restringindo as liberdades fundamentais. Desinformados os jovens estão ainda mais longe de perceber que isto que chamam aqui de estado democrático é um estado interventor, controlador, que utiliza massiva e insinuante propaganda aparentando ser o que não é. É o ensaio do socialismo da nova ordem mundial.

O fracasso da utilização e distribuição das riquezas do sistema capitalista de produção é confundido com o fracasso do mesmo sistema de produção. Em ambiente democrático, o sistema capitalista de produção já provou que pode ampliar ao infinito a criatividade e competitividade para que toda a sociedade seja beneficiada. A ação de governantes, já ficou provada, destrói o processo criativo e as liberdades que aperfeiçoam o ser humano.

Resta que esta juventude que a Cepal constata ser alienada possa ser capaz de perceber que o sistema capitalista tem progredido aprendendo dos erros. Aperfeiçoando-se não obstante o grande atoleiro em que, a ambição desmedida dos controladores financeiros e seus agentes, nos meteu.

Perceber que a ação legítima de governantes para os dias atuais, deve assegurar a criatividade e restabelecer a confiança dos povos em sua própria força e não na possibilidade de créditos fáceis, carnês de pagamento, que escravizam quem trabalha com juros pagos aos usurários do sistema financeiro global.

É hora de avançar do estado de “alienação” para a ação responsável. É pedir muito?

Arlindo Montenegro é Apicultor.

Um comentário:

Gustavo disse...

"É hora de avançar do estado de “alienação” para a ação responsável. É pedir muito?"

fale isto para meus pais que só de ouvir falar que eu quero fazer parte de algum movimento político ja me proíbem de sair para passeatas e reunioes que tratam de coisas do tipo.