segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Chefão Lula exige o fim das discussões públicas sobre a anistia, mas apóia os revanchistas no desgoverno

Edição de Segunda-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

O chefão Lula ordenou que seus ministros parem de alimentar o debate sobre a aplicação da Lei da Anistia pela imprensa. Lula quer evitar que seja aberta uma nova frente de criticas ao Brasil no exterior. Lula avisou que reunirá o secretário especial de Direitos Humanos, Paulo Vannucchi, e o advogado-geral da União, José Antônio Dias Toffoli, para que cheguem a um acordo sobre o assunto.

Os ministros da AGU e da Defesa, Nelson Jobim, defendem a tese da anistia ampla, geral e irrestrita – garantindo que não cabem novas discussões. Mas Paulo Vannucchi e o ministro da Justiça, Tarso Genro, na linha revanchista, defendem que os crimes de tortura não foram beneficiados pela lei. A ministra-chefe da Casa Civil, a guerrilheira aposentada Dilma Rousseff, se juntou aos dois ao pregar que "os crimes de tortura são imprescritíveis".

Na semana passada houve uma audiência pública em que o presidente da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, Paulo Abrão Pires, relatou as ações do Brasil na área de direitos humanos e citou três das ações que tramitam no Supremo Tribunal Federal, cujo julgamento ditará a interpretação definitiva sobre a abrangência da lei de Anistia. Como a posição definitiva do governo só poderá ser fixada após a decisão do STF, Lula quer que os ministros parem de alimentar a discussão em público, a fim de não lhe gerar desgaste desnecessário, sobretudo com o meio militar.

Alimentando o revanchismo

Entre 17 e 19 de novembro ocorrerá, no Rio de Janeiro, o Seminário Latino-Americano de Justiça de Transição, que debaterá o assunto.

O encontro tem o apoio institucional dos revanchistas na Presidência da República.

Mais uma prova de que o chefão Lula pensa uma coisa, manda outra e seus chefiados executam uma terceira versão conveniente ao seu radicalismo ideológico.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 3 de Novembro de 2008.

17 comentários:

Anônimo disse...

Ô Serrão! A notícia precisa de esclarecimento técnico: "Justiça de Transição..." é um seminário para estabelecer padrões da "justiça" socialista?

Anônimo disse...

Ô Serrão! A notícia precisa de esclarecimento técnico: "Justiça de Transição..." é um seminário para estabelecer padrões da "justiça" socialista?

Anônimo disse...

A tortura não era crime quando dizem que houve; terrorismo também não prescreve... E o cofre do Ademar de Barros, foi crime comum ou terrorismo? O que fazer com os terroristas?

Anônimo disse...

Continuo dizendo que os militares fizeram uma assepsia mal concluída.

Anônimo disse...

Será que nunca vão ter indenizações para as pessoas vítimas desses terroristas hoje no poder?

Anônimo disse...

De Forum em Forum o Brasil vai se FOURENDO

Anônimo disse...

Só existe uma maneira de acabar com isso: Tirando essas "VÍTIMAS" TERRORISTAS de araque do PODER.

Anônimo disse...

É comum ouvir dizer que no Brasil direitos humanos é só pra bandidos, e o que eu acho estranho é que ninguém faz nada contra issa "industria" do mal.

Anônimo disse...

E o celso Daniel não foi turtudado e morto? Quantos bandidos sequestram, torturam e matam se mirando nesse mal exemplo de robalheira e impunidade que vem desse "governo"?!
Eu me lembro da lei da física que diz: Pra toda ação existe uma reação de força e intensidade igual, porém em sentido contrário, estou esperando pra ver.

Anônimo disse...

Essa gentalha que sobreviveu não diz pq faziam terrorismo na época da ditadura. Não explicam que praticavam atos de terrorismo, não para defender a democracia, mas pq tinham o objetivo de implantar uma outra ditadura, a do proletariado.

Anônimo disse...

Mais uma catarrada na cara dos militares, que se resumirão a limpar o escarro de suas bochechas rosadas e baixar a cabeça servilmente. Se bobear, os funcionários públicos de farda ainda agradecerão a escatológica atenção.

Anônimo disse...

Ministra,

Pela CF:
1) A tortura é crime inafiançável e insuscetível de graça ou anistia.
2) Inafiançável e imprescritível é a ação de grupos armados contra a ordem constitucional.

Pela Lei da Anistia:
- Excetuam-se dos benefícios da anistia os que foram condenados pela prática de crimes de terrorismo, assalto, seqüestro e atentado pessoal. A senhora e o Vanucci foram condenados ?

Vocês querem, por que querem, atropelar as leis para justificar, perante a população, os crimes que cometeram no passado. Depois, é só passar no caixa, pegar a grana e aguardar as estátuas de salvadores da pátria.

Paulo Figueiredo disse...

Revanchismo????

Enquanto se insistir em analises superficiais sobre o tal “revanchismo”, fica difícil decifrar as intenções. Este movimento não foi idéia surgida no núcleo do desgoverno ou de nenhum caramutanje esquerdopata componente do poder nacional. Não é sequer revanchismo, pois nenhum dos componentes deste desgoverno foi perseguido pela ditadura, ao contrário, a maioria absoluta só diz que foi perseguida para poder receber as indenizações milionárias. Os que foram perseguidos, de verdade, já morreram ou querem esquecer tudo. Estes falsos esquerdistas foram criados e tutelados pela ditadura para ajudar formar falsos combatentes e diluir as verdadeiras lutas democráticas.

Em resumo: Este movimento foi encomendado pelos governantes invisíveis do mundo. Está surgindo em todos os países que tiveram sob domínio de ditaduras militares a fim de perseguir e punir alguns dos membros daquele regime para desviar atenções e desmoralizar as forças armadas, único núcleo de reações contra a entrega da Amazônia.

Estes esquerdomíticos estão, de novo, servindo aos interesses do governo mundial.

Anônimo disse...

Se tivesse realmente existido no Brasil uma Ditadura Militar, não teria sobrado nem o DNA desses fantoches de terroristas.
Porém já esta passando da hora dessa gente que esta saquendo os cofres públicos pararem de bater nos nossos militares afim de desviar a atenção, extorquir mais dinheiro do contribuinte ou se reelegerem, será que esta faltando inteligência para por fim nisso tudo ou vai perdurar ainda por muito tempo?

Anônimo disse...

Na realidade o tal a que chamam de chefão, e que responde por um apelido ligado a moluscos, não manda nada no governo em que é presidente. Por trás dele é que está o verdadeiro poder, que está difícil de identificar.

Zé do Coco

BRAGA disse...

Complementando os comentários acima quero dar a minha "palhetada".
Saibam que existem 22 mil (isso mesmo) pessoas, supostas "vítimas" dos anos de chumbo da chamada ditadura, pleiteando "nutridas" indenizações junto ao Governo. Advinha quem paga a conta!
Corresponde quase a uma divisão de uma força armada, suponho, pois não sou nem nunca fui militar (só o serviço militar obrigatório).
O que observo é que muita gente quer viver de "mamata". Os valores que norteiam o exercício da cidadania foram "pro cacete" há muito tempo. Sou um velho (idoso, como somos chamados), que mantem vivo os valores de cidadania, ética, amor à Pátria, mesmo que pareça "demodée".
Esse é meu patrimônio, límpido e honrado.
Que esses revanchistas e os vigaristas que vêm à reboque, que se mudem para Cuba e similares e façam lá o que estão fazendo aqui!
Será que mostrarão a mesma "coragem"?

Anônimo disse...

E esse comunista do Tarso Genro, nao nos engana. Nao resolve o problema da segurança publica e que colocar na cadeia pai de familia que lutou pela patria...
Ah assim é demais, e aguardem seus revanchistas nos tomaremos o poder de novo e dessa vez é pra fuder...