terça-feira, 25 de novembro de 2008

Meirelles opera milagre financeiro com dois bancos e salva US$ 6 bilhões que Brasil investia no Citi

Edição de Terça-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

Exclusivo - Vazou ontem que o Brasil tinha nada menos que US$ 6 bilhões das reservas cambiais que virariam pó em papéis aplicados do Citibank. Mas o genial presidente Henrique Meirelles conseguiu concluir uma complicada operação de socorro com um banco suíço e outro alemão para que houvesse uma garantia ao recurso aplicado. O chefão Lula da Silva foi avisado da milagrosa solução depois que tudo fora resolvido.

Eis o real motivo da visita, urgente, ao Brasil. na semana passada, do presidente do Citicorp, o sempre otimista e sorridente Vilkram Pandit. The Citi neves sleeps, mas Meirelles também não dorme no ponto... Com tal encalacramento resolvido, Meirelles acha que o Banco Central consegue segurar a onda de valorização abrupta do dólar frente ao Real. Ontem, a moeda norte-americana caiu 5,4% - cotada a R$ 2,325. Logo mais, os especuladores poderão testar o otimismo de Meirelles...

Tudo também se acalmou ontem com a ajudinha de US$ 20 bilhões do governo dos EUA para o Citigroup não quebrar. Certamente, não será o último socorro aos incompetentes gerenciais que dominam hoje o capimunismo global – em que o Estado intervém e a iniciativa privada ainda recebe compensações pela besteira que promove. O total de dinheiro público americano gasto ou comprometido na atual crise financeira já chega a US$ 5 trilhões.

No meio do furacão, o chefão Lula da Silva reuniu 36 de seus 37 ministros para unificar o discurso do governo na crise e elaborar uma campanha publicitária para mostrar que nem tudo está ruim por aqui. Será que a nova marketagem da marolinha vai covencer alguém que a crise já chegou aqui? Só se a tática propagandística de Lula mostrar a saúde de nossos grandes bancos...

Apesar da crise global dos bancos, no Brasil, graças à política econômica de FHC até agora, tudo está no melhor dos mundos para o setor financeiro. Ontem foi divulgado com alegria que, pela primeira vez desde o início do governo Lula, em 2003, o lucro líquido dos bancos superou o das empresas não financeiras. Então, três vivas à especulação!

O resultado de 15 instituições financeiras no terceiro trimestre deste ano foi maior (R$ 6,92 bilhões )que a soma de 201 empresas de outros setores (R$ 6,01 bilhões). O estudo da empresa de informação financeira Economática não considera os resultados da Petrobras, Eletrobrás e Vale.

O motivo para essa inversão nos resultados está na cotação do dólar. A alta do dólar no trimestre elevou a despesa financeira das companhias não financeiras de R$ 1,3 bilhão, em setembro de 2007, para R$ 19,5 bilhões este ano. Entre 30 de junho e 30 de setembro de 2008, a moeda norte-americana subiu 19%, de R$ 1,59 para R$ 1,90. Isso elevou de forma significativa os custos da dívida em dólar das empresas e corroeu o lucro líquido do período.

Cenário de perdas

Para o último trimestre, a expectativa é que o setor bancário continue liderando os lucros.

Isso porque, além do efeito do câmbio, as empresas também vão apresentar alguma piora na parte operacional.

As exportações devem começar a se arrefecer e o preço das commodities pode afetar as receitas das companhias.

Como ficaram os outros?

O levantamento da Economática mostrou que, depois dos bancos, o setor que mais lucrou foi o setor de energia elétrica.

O setor de siderurgia e mineração aparece em seguida, com lucro consolidado de R$ 1,82 bilhão.

As empresas são obrigadas a marcar a mercado suas dívidas em moeda estrangeira.

Portanto, todo fechamento de trimestre, precisam atualizar os dados conforme a cotação do dia.

Fim da insônia

As autoridades americanas vão fazer uma injeção direta de capital de US$ 20 bilhões e garantir contra perdas US$ 306 bilhões dos US$ 2 trilhões em ativos do gigante quase adormecido Citigroup.

Os ativos garantidos incluem principalmente créditos e títulos vinculados a financiamentos de imóveis residenciais e comerciais.

Anteriormente, o governo havia capitalizado o Citigroup em US$ 25 bilhões.

Leitura do socorro

Para o mercado, a ação do governo americano - materializada por meio do Federal Reserve (Fed, o banco central), pela agência garantidora de depósitos, a Federal Deposit Insurance Company (FDIC), e pelo Tesouro - sinaliza a intenção de ajudar a estabilizar o sistema financeiro como um todo.

Em troca do resgate, o Citi vai emitir ações preferenciais que darão ao governo participação ao redor de 8% no capital do banco.

Também vai limitar o pagamento dos executivos e implementar um programa destinado a tornar os créditos imobiliários mais acessíveis a tomadores em dificuldades.

Acredita-se, agora, que outros bancos poderão ter ajuda semelhante, em caso de problemas sérios.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 25 de Novembro de 2008.

7 comentários:

Anônimo disse...

Todo este cocô de crise tem semelhança com uma divisão de botim entre quadrilheiros. Tipo assim, uma disputa para decidir quem, onde, quando e como vão ser aplicados os montes de recursos gerados pelas nações e contabilizados nos lucros estelares dos bancos e negociatas com papéis. A famiglia mafiosa apenas aumentou de 8 pra 20 os participantes à mesa do banquete. Haja macarrão, vinho, mulheres e funk!

Anônimo disse...

24/11/2008 - 20h23
Ao retomar atividades, Protógenes é afastado da Diretoria de Inteligência da PF

Anônimo disse...

FRAUDE EM URNAS ELETRÔNICAS

http://www.cic.unb.br/docentes/pedro/trabs/azeredo.htm


ACORDA BRASIL!!!!!!!!

Anônimo disse...

FORA DO POST.
VALE A PENA LER.


Rússia: Novo Livro Revela Detalhes do Lado Escuro da Libertação que o Exército Vermelho(soviético) Deu para a Alemanha.

ACESSE:

http://juliosevero.blogspot.com/2006_10_01_archive.html

Anônimo disse...

ACAUTELAI-VOS!!!
Governo Lula adota medidas para fortalecer Programa Saúde da Família.
Brasileiros enfrentarão nos próximos anos sérios e crescentes riscos de invasão de privacidade.
A cubanização da dengue e a idiotização dos que confiam no governo.
Acessem:

http://juliosevero.blogspot.com/2007/09/governo-lula-adota-medidas-para.html

E

http://juliosevero.blogspot.com/2008/04/cubanizao-da-dengue-e-idiotizao-dos-que.html

Anônimo disse...

Em nome de Deus
25/11/2007
Getty Images
Philip Jenkins, um dos melhores estudiosos da religião nos EUA, afirma que quando os historiadores relembrarem este século, provavelmente vão ver a religião como sua principal vitalidade e sua principal força destrutiva.

Segundo ele, a religião guia desde a liberdade política aos conflitos e guerras. Um dos motivos do aparente aumento crescente do poder da religião é a globalização.

A proporção de pessoas que se ligou às quatro principais religiões do mundo - cristianismo, islamismo, budismo e hinduísmo - aumentou de 67% em 1900 para 73% em 2005 e pode chegar a 80% até 2050.

Anônimo disse...

Citigroup Inc. will have more than $300 billion of troubled mortgages and other assets guaranteed by the U.S. government under a federal plan to stabilize the lender after its stock fell 60 percent last week.

Citigroup also will get a $20 billion cash infusion from the Treasury Department, adding to the $25 billion the bank received last month under the Troubled Asset Relief Program. In return for the cash and guarantees, the government will get $27 billion of preferred shares paying an 8 percent dividend.