quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Rapidinhas Econômicas

Edição de Quinta-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

Liberando geral?

Ganha cada vez mais força nos meios empresariais e políticos a proposta de que o Mercosul deixe de ser uma união aduaneira e se transforme em uma zona de livre comércio.

Isso ocorrendo, cada país teria liberdade para assinar acordos bilaterais, sem restrições.

A pressão para que isso ocorra vem dos países ricos – que desejam negociar com o Brasil, sem que outros inexpressivos economicamente atrapalhem.

Botando na nossa poupança?

Brasília será sede hoje do encontro anual regional da América latina e Caribe do World Savings Banks Institute.

O evento do WSBI tratará de remessas internacionais, geração de negócios e inovações.

Por isso, não foi coincidência a apresentação, ontem, do tal projeto de isenção fiscal para repatriação de recursos de brasileiros no exterior – assinado pelo senador petista Delcídio Amaral.

Roubar banco dá nisso...

O delegado da Polícia Federal Antônio Celso, responsável pelo inquérito que investiga o roubo de R$ 164 milhões do Banco Central de Fortaleza, em 2005, divulgou em um balanço ontem informando que já foram presos até agora 122 acusados de envolvimento no crime.

No total, 36 pessoas teriam participado diretamente do assalto, dos quais 26 estão presos.

A PF também calcula que R$ 20 milhões espécies já foram recuperados da quadrilha que executou o roubo, além de outros R$ 30 milhões em bens, como carros, casas e fazendas.

Grande investidor...

A última prisão realizada no curso das investigações ocorreu na quinta-feira da semana passada.

O ex-prefeito de Boa Viagem (CE), Antonio Argeu Nunes Vieira (PMDB), foi detido no aeroporto de Fortaleza.

Ele é acusado de investir R$ 100 mil na construção do túnel que possibilitou a retirada do dinheiro do BC.

Argeu foi candidato à reeleição em outubro, mas terminou a disputa em terceiro e último lugar.

Novo golpe da CPMF

Após conseguir com a área econômica a liberação de R$ 1,6 bilhão para sua pasta, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, quer ressuscitar a votação do projeto que cria a Contribuição Social da Saúde (CSS), idealizada para compensar o fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

Temporão telefonou já nesta quarta para o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN) para agradecer a ajuda junto aos ministros da área econômica, e fazer um novo pedido: que se conclua a votação da criação da CSS, interrompida em junho.

A proposta havia sido aprovada, mas a oposição apresentou um destaque acabando com a contribuição.

Como a própria base governista estava dividida sobre o assunto, a votação foi "esquecida".

Crise onde?

Em Outubro, o governo federal arrecadou R$ 65.493 bilhões em impostos e contribuições.

Foi 12,36% a mais que em Outubro do ano passado.

Depois tem gente dizendo que este País é pobre! Só é pobre quem trabalha.

Para o desgoverno que controla Super Receita e calcula quanto quer receber no final, vai tudo bem, muito bem...

Arrecadação caindo

Pela primeira vez, os efeitos da crise começaram a ser sentidos na arrecadação de impostos federais.

Apesar de mais um recorda de arrecadação, caíram as receitas com Imposto de Renda sobre operações em Bolsa (-65,9%), sobre venda de bens duráveis (-27,25%) e com o IPI sobre automóveis (-8,17%).

A arrecadação com o Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF), que teve alíquotas elevadas no início do ano para compensar o fim da CPMF, de forma a garantir os recursos para a Saúde, também está em queda.

Remendo tributário

A Comissão Especial que avalia a reforma tributária aprovou ontem o texto base do projeto de lei com votos contrários do PSDB, DEM, PSOL e PPS.

Para agradar os estados do Nordeste, especialmente, o relator Sandro Mabel (PR-GO) inflou os recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional (FNDR), elevando-os de R$ 2,8 bilhões para R$ 3,5 bilhões e prometeu buscar mais verbas para chegar a R$ 8 bilhões até o final da votação da reforma no Senado.

O texto deverá seguir para o plenário da Câmara, mas não há a expectativa de que ele seja apreciado ainda este ano.

Grandes fortunas, fora

Mabel retirou do relatório a tributação sobre grandes fortunas.

Mas o PT, autor da proposta, promete apresentar destaque sobre o tema na comissão especial e no plenário da Câmara.

O relator acrescentou que o texto está equilibrado pelas contribuições de todos os segmentos da sociedade.

Dólar doido

Os preços industriais subiram 16,36% e 12 meses até a primeira prévia do IGP-M de novembro, mostra a Fundação Getúlio Vargas.

Para os responsáveis pelo estudo, a alta expressiva nos últimos dois meses se explica pela disparada do dólar.

Ontem, a moeda norte-americana subiu 2,58%, fechando em R$ 2,385, o maior valor verificado desde maio de 2006.

Capital se faz na Casa da mãe Joana

O governo avalia a possibilidade de sacar recursos da linha de contingência recém-criada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e parte dos US$ 30 bilhões levantados junto ao Federal Reserve (Fed), banco central americano, para reforçar o funding do BNDES em 2009.

A principal fonte de dinheiro barato para o BNDES, o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), está escasseando.

O BNDES tem para os próximos 12 meses uma carteira de R$ 120 bilhões em projetos aprovados e dispõe, segundo o ministro, de apenas R$ 58 bilhões em recursos garantidos.

Com a liberação de mais depósitos compulsórios para as instituições privadas de grande porte comprarem Certificados de Depósitos Interbancários (CDI) emitidos pelo BNDES espera-se levantar cerca de R$ 7,5 bilhões.

Rolando débitos

O governo vai publicar uma medida provisória com benefícios tributários para as empresas.

Uma norma autorizará o parcelamento especial das dívidas acumuladas durante as longas disputas judiciais sobre duas teses: a alíquota zero e o crédito-prêmio do Imposto sobre Produtos Industrializados.

Segundo o secretário-adjunto da Receita, Carlos Alberto Barreto, os passivos poderão ser pagos em até 120 meses.

No fim das contas, quem paga imposto corretamente termina penalizado erradamente, pela proteção que o desgoverno dá aos caloteiros...

Vida que segue...

Ave atque vale!

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Solicitamos uma notificação sobre a publicação para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 20 de Novembro de 2008.

Um comentário:

Anônimo disse...

O Ministério da Saude cumpre sua agenda social de proteção às minorias. Acaba de distribuir uma cartilha ensinando como USAR DROGAS COM SEGURANÇA... como fazer sexo mesmo sendo portador de doenças transmissíveis (dsts) E quem quiser trocar de sexo, o governo garante a operação gratuita, incluindo acompanhamento psicológico.
As minorias ganham. As maiorias contribuintes pagam. O povo trabalhador que se lixe. Maioria é prá pagar a conta!