segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Computadores das FARC guardam novas provas de que Chavez ajuda a guerrilha a ter armas e documentos falsos

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão

Enquanto sofre pressão popular depois que, discricionariamente, fechou 34 emissoras de rádio no último sábado, o presidente da Venezuela, Hugo Chavez, terá de fazer mais um malabarismo para esconder suas relações perigosas com grupos terroristas ou narcoguerrilheiros. Computadores apreendidos com as FARC confirmam que militares de alta patente e agentes de inteligência do governo venezuelano ajudam as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia a conseguir armas e até obter carteiras de identidade para que eles circulem livremente por todo o território da Venezuela.

O "New York Times" obteve uma cópia do material encontrado nos computadores da narcoguerrilha colombiana que conta com apoio (sempre negado publicamente) do Foro de São Paulo – balaio de gato das ditas “esquerdas” na América Latina e Caribe. As informações estão sob análise de agências de inteligência norte-americanas.

Enquanto isso, Chavez insiste que seu governo não se relaciona com as Farc – embora lança-mísseis suecos importados pela Venezuela tenham parado em poder dos narcoterroristas colombianos. Para disfarçar, Chavez tem a cara de pau de criticar o já planejado e previsível aumento de efetivos militares dos EUA na Colômbia.

Releia os artigos: Imbecis globalitários, “O que será do amanhã?” e Para onde nos conduzem?

Imprensa imprensada

Chávez aposta na aprovação pela Assembleia Nacional da Venezuela da "Lei especial sobre crimes mediáticos".

A regra prevê penas até quatro anos de prisão para jornalistas ou proprietários de órgãos de comunicação social que divulguem informações consideradas "falsas", "manipuladas" ou "deformadas", além de notícias que representem "um prejuízo para os interesses do Estado"

Ao tentar justificar o fechamento de 34 rádios, o governo venezuelano alegou que "27 famílias possuem de forma privilegiada mais de 32% do espectro radiofónico, o que demonstra a existência de uma oligarquia mediática".

Pérola

O radical ministro das Obras Públicas, Diosdado Cabello, usou um argumento stalinista para justificar o fechamento das emissoras:

"A liberdade de expressão não é a mais sagrada".

O próximo alvo de Chávez é o canal Globovisión que é alvo de cinco processos pendentes que podem resultar numa ordem de encerramento – em um destino semelhante ao da RCTV, em 2007.

O Cabrini vem aí...

Sílvio Santos aplicou, neste fim de semana, mais um duro golpe na programação dominical da Rede Record.

Contratou neste final de semana, a peso de ouro, o jornalista Roberto Cabrini, que nem pode apresentar ontem o Repórter Record.

Marcos Humell foi chamado às pressas, em seu domingo de folga, para gravar as cabeças do programa abandonado pelo novo contratado do SBT.

Leia mais no http://www.fiquealerta.net/

Riscos para o Chefão

Uma possível renúncia do presidente do Senado, José Sarney (PMDB), deixaria o presidente Luiz Inácio Lula da Silva com uma "crise de governabilidade na véspera das eleições gerais de 2010".

A previsão é do jornal britânico Financial Times - em reportagem publicada na sua edição online desta segunda-feira, assinada pelo correspondente do Financial Times em São Paulo, Jonathan Wheatley:

"O perigo para o governo é que a saída de Sarney desestabilizaria a sua maioria no Congresso. Lula - acostumado com uma maioria confortável e enorme apoio popular - lutou bastante para evitar esse tipo de eventualidade".

As águas tão rolando...

Se Sarney realmente sair, o jornalista inglês avalia que o governo de Lula "navegaria em águas incertas".

O Financial Times adverte que o governo Lula poderia enfrentar três perigos caso Sarney deixe o Senado:

A agenda do governo no Congresso estaria ameaçada, os governistas poderiam perder o controle da CPI da Petrobras e Dilma Rousseff poderia perder apoio do PMDB nas próximas eleições.

Mais denúncias

A Folha de S. Paulo informa que documentos do Ministério Público Estadual apontam suposto desvio de dinheiro do governo do Maranhão pela Fundação José Sarney em 2004, quando a entidade recebeu R$ 960 mil do Estado.

A suspeita recai sobre uma empresa de instalação elétrica chamada Quintec que, segundo o Ministério Público, recebeu R$ 48,5 mil da fundação, ou seja, parte do dinheiro repassado pelo governo.

O endereço da Quintec é o da casa da pedagoga Conceição de Maria Martins Pereira, vice-presidente da Abom (Associação dos Amigos do Bom Menino das Mercês), entidade que tem o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), como "presidente de honra e perpétuo".

Recorrer é preciso

O advogado do jornal "O Estado de S.Paulo", Manuel Alceu Afonso Ferreira, entra hoje com recurso no Tribunal de Justiça do Distrito Federal.

Tudo para cassar a liminar do desembargador Dácio Vieira, conhecido nas rodas sociais de Brasília como amigo da família Sarney, que proibiu a publicação de reportagens com informações da Operação Boi Barrica, da Polícia Federal.

A proibição, que colocou o "Estadão" sob censura prévia, foi pedida por Fernando Sarney, filho de José Sarney.

Efeito colateral

A censura prévia foi condenada por representantes de várias entidades e instituições, como a Associação Nacional de Jornais (ANJ), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e Associação Brasileira de Imprensa (ABI), entre outras.

O desembargador Dácio Vieira pode ser alvo de uma representação no Conselho Nacional de Justiça por ter concedido a liminar aos Sarney.

No fim de semana, os jornais publicaram fotos dele e da mulher em eventos do clã Sarney.

A porta da rua...

A direção do PMDB abriu as portas para os dissidentes saírem do partido sem risco de perder o mandato

Sem citar nomes, o comando do PMDB promete não recorrer à Justiça para recuperar o mandato dos descontentes, sob o argumento de infidelidade partidária.

Os senadores Pedro Simon e Jarbas Vasconcelos foram os alvos do recado.

Sarney a perigo

Pelo menos 37 dos 81 senadores já estariam dispostos a votar por um pedido de cassação do mandato de José Sarney.

São necessários pelo menos 41 votos para aprovar tal punição.

A família de Sarney pressiona para que ele renuncie, antes que a situação piore ainda mais.

Semana que promete

O Senado retoma hoje os trabalhos gerenciando a crise com o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP).

O Conselho de Ética se reúne amanhã para discutir as 11 representações a que Sarney responde.

Em meio à polêmica, os senadores ainda terão de analisar o projeto de reforma eleitoral, aprovado pela Câmara no semestre passado, que regulamenta campanhas pela internet e cria novas regras para doação e gastos de campanha.

Troca de tiros

A bancada do PSDB se reúne amanhã para decidir se vai entrar com representação no Conselho de Ética contra o líder peemedebista Renan Calheiros (AL).

Os tucanos acusam Renan de quebrar o decoro parlamentar ao tentar fazer com que o PSDB desistisse de encaminhar representação contra José Sarney para que, em troca, o PMDB não denunciasse o líder tucano, Arthur Virgílio (AM), ao Conselho.

Se o partido não bancar uma representação contra o líder do PMDB, Arthur Virgílio considera entrar no Conselho com uma representação pessoal contra ele.

O desafio é energia da nossa CPI

Na quinta-feira, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras deve fazer sua primeira reunião.

Senadores do PSDB e do DEM querem investigar se a demissão de Lina Vieira da Receita Federal tem alguma relação com a investigação da operação contábil feita pela Petrobras que rendeu mais de R$ 4 bilhões.

O senador Álvaro Dias também já pediu ao ministro da Cultura, Juca Ferreira, o envio de cópias de todas as prestações de contas da Fundação José Sarney que dizem respeito às ações financiadas pela estatal.

Tudo trancado

A Câmara dos Deputados retoma suas atividades legislativas hoje já com a pauta trancada por duas medidas provisórias: a MP 460, que reduz tributos da construção civil de imóveis do programa habitacional 'Minha Casa, Minha Vida' e a MP 462, que trata do repasse de recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de 2009.

A MP 460 já foi aprovada pelos deputados, mas na votação do Senado ela foi emendada e, por isso, depende de nova votação na Câmara.

Entre as emendas mais polêmicas a serem apreciadas pelos deputados estão a que institui o ressarcimento de créditos prêmio do IPI a empresas exportadoras e a que permite ao comércio cobrar preços diferenciados de acordo com a forma de pagamento escolhida pelo consumidor - dinheiro, cheque ou cartão.

Trem bão, $ô...

Às 10h de quarta-feira, a Comissão de Viação e Transportes realiza audiência pública para discutir a implementação do Trem de Alta Velocidade.

Para o evento foram convidados a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o secretário-executivo do Ministério dos Transportes, Paulo Sérgio de Oliveira Passos, e o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres, Bernardo Figueiredo.

O governo Lula em interesse prioritário na obra que já está avaliada em R$ 34 bilhões.

Botando na poupança

A Comissão de Defesa do Consumidor vai reunir na quarta-feira, às 14h 30min, para debater o direito dos poupadores em reaver as perdas ocasionadas pela aplicação que os bancos deram ao Plano Bresser e Verão.

Foram convidados para a audiência o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente da Confederação Nacional do Sistema Financeiro, Fábio Colletti Barbosa.

Se as ilustre figuras vão aparecer por lá, isso e outro problema.

Puro revanchismo

A terceira versão do Programa Nacional de Direitos Humanos do governo insiste em identificar e responsabilizar agentes do Estado que, durante a ditadura militar, torturaram, mataram e desapareceram com os opositores do regime.

O documento recomenda a revogação das leis – como a de Anistia - que impedem a apuração desses crimes.

O texto foi elaborado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos, vinculada à Presidência da República, comandada por Paulo Vannuchi.

Desculpa adianta?

Um banco católico alemão Pax Bank – que defendia investimentos éticos em sua publicidade - pediu desculpas por comprar ações de indústrias de armamentos, cigarro e pílulas anticoncepcionais.

O banco aplicou 580 mil euros (cerca de 1,5 milhões) em ações da BAE Systems, empresa britânica de armamentos.

Também investiu 160 mil euros (cerca de R$ 425 mil) na fabricante americana de anticoncepcionais Wyeth e 870 mil euros (R$ 2,3 milhões) em empresas de cigarro.

Sir Ney?

Um lorde britânico, integrante da Câmara dos Lordes pelo Partido Conservador, é acusado de receber mais de 70 mil libras (R$ 218 mil) de dinheiro público em auxílio-moradia por dizer que morava fora de Londres com sua mãe doente.

O problema é que a mãe de lorde John Taylor, de Warwick, já havia morrido e a casa onde ele declarava morar em Midlands, região central da Inglaterra, já havia sido vendida.

Os lordes que trabalham no Parlamento, em Londres, e moram oficialmente fora da capital têm direito a receber 174 libras (cerca de R$ 540) por noite como auxílio-moradia, para despesas com hotéis ou aluguel.

Como é duro viver em um país que tem políticos espertalhões... Coitados dos ingleses...

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente (analítico e provocador de novos valores humanos) com análise estratégica, conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 03 de Agosto de 2009.

3 comentários:

Anônimo disse...

Os serviços de inteligência norte americanos, sabem há muito tempo que o Sr. Zelaya, ex presidente deposto em Honduras, virou a casaca depois de um acordo com o Chavez e abriu o território hondurenho ao tráfico de drogas.
5 congressistas norte americanos estão perguntando oficialmente e em carta aberta, se o Obama "não sabia".
Os documentos da agência de inteligência norte americana citam Honduras, Nicaragua, México, Cuba e Venezuela, além claro, dos produtores colombianos das Farc, integrantes do Foro de São Paulo, defendidos pelo governo brasileiro, que negociam com o PCC e o CV... e o mais é mistério.

tio disse...

sarney....
renunciar??????
a essa altura, melhor seria jogar terra em cima........

Anônimo disse...

O Estado está sentindo na pele o que é ser censurado nos dias de hoje. É só uma amostra para sentirem o que está passando a imprensa livre na Venezuela. Espero que tomem conciência e não ignorem este fato. É tudo em plano arquitetado pela canalha comunista.