terça-feira, 4 de agosto de 2009

Por que eles defendem as drogas?

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

Os ideólogos e ideocratas comunistas, que se dizem “esquerdistas”, rótulo que para muitos mistifica os crimes dessa máfia internacional, aliviando a responsabilidade que lhes cabe, estão empenhados em guerra jurídica e armada contra o que resta de direitos democráticos, os mesmos direitos que utilizam para exercitar um poder mascarado, cínico, perverso.

A renovada guerra política e armada contra o que eles chamam de “estado burguês” ou “imperialismo”, é uma guerra que hoje se fundamenta e é financiada por recursos “lavados” do narcotráfico que atua em todas as áreas e mantém a população aterrorizada. Todas as políticas de Estado exercidas pelo partido líder das “esquerdas” abusam das instituições democráticas para extinguí-las.

Assaltos a bancos e empresas, seqüestros de toda sorte, assassinatos, roubos, furtos, tráfico de armas, foram as “formas de luta” implantadas neste país e praticadas durante anos, por muitos dos que hoje ocupam altos cargos em toda a estrutura dos três poderes. Acrescente-se na atualidade a prostituição infantil e de adultos, o subterrâneo tráfico de órgãos e o incremento do contrabando de minerais estratégicos, o controle da biodiversidade.

A disseminação das drogas no ocidente, sabe-se hoje, foi determinada pela União Soviética sob direção de Nikita Kruchiov e executada pelos serviços de inteligência da China e da URSS, com o objetivo de quebrantar a moral da civilização ocidental e destruí-la. Degradar a moral social das pessoas e instituições do ocidente, foi a estratégia elaborada na cadeia por Antonio Gramsci, fundador do Partido Comunista Italiano e teórico de cabeceira dos que governam o Brasil hoje, exceto claro, do Presidente que declara alto e bom som não gostar de leituras.

Em 1961, Raul Castro foi à Checoslováquia buscando ajuda e assistência militar. “Naquele tempo, Fidel Castro e os soviéticos pareciam manter desconfianças mútuas. O dirigente checo, Sejna, coordenou uma visita de Raul à União Soviética para encontrar Kruchiov. A ponte de amizade com a Checoslováquia, resultou em acordo militar com fornecimento de armas e treinamento do exército cubano.

A contrapartida foi a permissão para que os serviços de inteligência checos, infiltrado e dirigido pelos soviéticos, instalassem uma base de inteligência em Cuba, para organizar a distribuição e comércio de drogas nos EUA. O controle de Cuba pelos soviéticos, a ajuda “fraterna” e implantação do centro revolucionário comunista nas Américas, foi conseqüência da estratégia política centrada nas drogas.

Os narcotraficantes das Américas hoje são associados e controlados por governantes de Cuba, da Venezuela, do Equador, da Bolívia enquanto “empresários” deste comércio plantam papoula no Brasil para a produção de ópio. Somente a Abin e o Ministério da Justiça desconhecem isso, como ignoram as plantações de canabis em todo o nordeste e o quanto se “importa” do Paraguai, maior produtor regional dessa erva.

As apreensões de carregamentos de cocaína e maconha, não alcançam 15% do volume que chega às vítimas marcadas como alvo estratégico da inteligência comunista hoje associada à inteligência dos “capitalistas selvagens”, os socialistas fabianos, que ensaiam implantar a Nova Ordem Mundial.

Os alvos marcados são ditos “usuários” e as notificações da imprensa sobre eles são superficiais. Os argumentos jurídicos para as prisões jamais expõem as investigações, que sempre levam ao envolvimento de personalidades acima de qualquer suspeita, a políticos e decisões políticas que, em ultima instância, atentam contra a segurança nacional, saúde, educação e toda a estrutura institucional do agonizante estado de direito democrático.

Muitos dos atuais governantes obrigaram gente humilde do interior agrário, das periferias urbanas, estudantes e profissionais liberais, a encobrir seus passos durante o que chamam hoje de “resistência armada contra a ditadura”. Raros são os que reconhecem sua militância terrorista e a intenção de destruir os pilares da democracia de direito substituindo pela “ditadura de um só partido” depois de uma guerra civil prolongada.

Hoje eles induzem e financiam o MST, Via Campesina e outros grupos armados, fingindo ser idealistas e companheiros. É a mesmíssima guerra contra a democracia e as velhas oligarquias. E punem, impedem qualquer resistência, seja de fazendeiros, seja de intelectuais através dos veículos de mídia.

Vivemos num círculo vicioso que expõe a incapacidade da direção política a serviço da Nova Ordem Mundial. Uma “ordem” que destrói as mentes e as vontades através das drogas. O casamento entre capitalistas selvagens e ditadores sanguinários.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

7 comentários:

Anônimo disse...

Bravo, Arlindo.
Parabéns por sua coragem.
Que Deus o ilumine sempre.

Anônimo disse...

O "DECÁLOGO", ESCRITO POR LÊNIN EM 1913.





Em 1913, Lênin escreveu o "Decálogo" que apresentava ações táticas para a tomada do Poder.



a) Qualquer semelhança com os dias de hoje, não é mera coincidência

b) Tendo a História se encarregado de pôr fim à questão ideológica, a meditação dos ideais, então preconizada, poderá revelar assombrosas semelhanças nos dias de hoje, senão vejamos:



1.. Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual;
2.. Infiltre e depois controle todos os veículos de comunicação de massa;
3.. Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais;
4.. Destrua a confiança do povo em seus líderes;
5.. Fale sempre sobre Democracia e em Estado de Direito, mas, tão logo haja oportunidade, assuma o Poder sem nenhum escrúpulo;
6.. Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País, especialmente no exterior e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da inflação;
7.. Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;
8.. Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não as coíbam;
9.. Contribua para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não-comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa bsocialista;
10.. Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa...

Raphael Nascimento disse...

hUAHUAHAUHAUHAUHAU, nunca ri tanto de um artigo. Haja imaginação. Esquerda, direita, isso parece mais coisa de quartel. Esquerda volver, direita volver.

Pessoas, é só lerem um pouco sobre a história das drogas no mundo, só um pouco mesmo, pra desmoronar esse discurso fantasioso.

Anônimo disse...

Mas o que é isso Serrão? Canalhas por aqui censurando o artigo e fazendo pouco caso do assunto?
Tu é um moleque muito desinformado que vem aqui dar pitaco sem saber do assunto, vai tomar no olho do cú Raphael Nascimento!

Anônimo disse...

Mas o que é isso Serrão? Canalhas por aqui censurando o artigo e fazendo pouco caso do assunto?
Tu é um moleque muito desinformado que vem aqui dar pitaco sem saber do assunto, vai tomar no olho do cú Raphael Nascimento!

Marc disse...

É impressionante como a estratégia dessa camarilha assassina não muda.
Desde 1905 o papo é o mesmo.
Meu avô, russo, e meu tio, suiço organizaram o EIA, Entente Internationale Anticommuniste, que trabalhou até 1955 com afinco para denunciar e combater essa praga.
Esse organismo importante desmanchou-se devido à idade dos seus dirigentes e não apareceu ninguém para continuar a obra.
E hoje, é aquela conversinha pra embalar inocentes úteis, feito esse Raphael do comentário anterior.
O comunismo não acabou; está dormente e se armando para ressurgir com toda a força e aqui, na América Latina, com as bençãos do Barack.

Anônimo disse...

Mera coincidência que a produção e o consumo de drogas na América Latina tenham aumentado muito sob os governos socialistas, que jamais lhes dão efetivo combate...