sábado, 31 de outubro de 2009

Estatístico entende de amostra

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Alberto Carlos de Almeida

Estatístico sabe fazer amostra, mas não necessariamente sabe fazer pesquisa. Aliás, além de amostra, os estatísticos sabem fazer com maestria a modelagem estatística da análise de dados. Assim, eles entram no início e no fim de uma pesquisa, mas não foram treinados para fazer o que está no meio da pesquisa: a elaboração do questionário, a condução e o controle do trabalho de campo, a metodologia da coleta de dados e outras coisas tão relevantes, ou mais, como a amostra.

Digo isso porque acabo de lançar novo livro, "Erros nas Pesquisas Eleitorais e de Opinião" (Record). Alto lá para aqueles que esperam encontrar nas suas 190 páginas denúncias acerca de pesquisas erradas. Nada disso. O livro trata do erro "não amostral". Esse tipo de erro está longe de ser estudado e debatido no Brasil. O mundo das pesquisas do Brasil de hoje, em particular das pesquisas eleitorais, está sob o primado dos estatísticos.

Curioso o nosso querido Brasil. Trata-se, ainda e infelizmente, do país dos cartórios. Anos atrás, foi criada uma legislação que passou a obrigar os institutos e as empresas que fazem pesquisas em ano eleitoral a registrá-las nos Tribunais Eleitorais pertinentes. No início, o registro era extremamente simples. Era preciso informar a amostra, o questionário, a data de realização da pesquisa e mais algumas informações básicas e relevantes. Ademais, esse registro era obrigatório a partir de uma determinada época do ano que, se não me falha a memória, coincidia com o início oficial da campanha eleitoral.

A mentalidade do cartório é acima de tudo a mentalidade da desconfiança combinada com a incapacidade de punir aqueles que burlam a lei. Reconhece-se firma porque se desconfia que a firma não é de quem assina. Eis a desconfiança. Se não houvesse o reconhecimento de firma, qualquer um poderia falsificar uma assinatura. Se isso fosse feito, não haveria punição. O resultado é que precisamos de cartório. Dizem alguns que só existe cartório em dois países, Brasil e Portugal. O registro da pesquisa, que era obrigatório a partir de aproximadamente o meio do ano, tornou-se obrigatório a partir de 1º de janeiro do ano eleitoral. Estendido o período de desconfiança.

Mais recentemente, qualquer um que deseje registrar uma pesquisa eleitoral precisa de um estatístico com registro no Conre, que é o órgão que regula a profissão. Ops, profissão regulada, eis mais uma instituição de espírito francamente cartorial. Ainda bem que acabou a obrigatoriedade de diploma para jornalista. Quem dera isso servisse de exemplo para todas as profissões. Quem regula as profissões em um mundo livre, aberto e competitivo não são as leis, mas o mercado. Quem regula as pesquisas não são os legisladores, mas o mercado de institutos.

É curioso que a nossa regulação tenha admitido recentemente que o estatístico (devidamente regulado) exerce o primado sobre as pesquisas. Essa decisão de nossos legisladores está baseada em um conhecimento muito parcial e uma ignorância muito geral: a de que as pesquisas sofrem apenas de um tipo de erro, o erro "amostral".

O erro "amostral" é aquele com o qual todos estamos familiarizados. Toda pesquisa eleitoral divulgada apresenta os tais pontos porcentuais para cima e para baixo. Diz-se, por exemplo, que o erro da pesquisa é de mais ou menos três pontos porcentuais. Isso significa que ao porcentual de cada candidato deve ser acrescido mais três e menos três. É nessa faixa que o candidato realmente está.

O livro "Erros nas Pesquisas Eleitorais e de Opinião" trata apenas de erros que não são "amostrais". Erro "não amostral" é um termo técnico que significa erros de medição que não dependem dos tais três, quatro ou cinco pontos porcentuais para cima e para baixo. Um exemplo concreto extraído do livro (capítulo 4) diz respeito a uma medição que frequentemente é realizada no Brasil, baseada na seguinte pergunta: você se considera uma pessoa de esquerda ou de direita? Há inúmeras teses de mestrado e doutorado que utilizam a escala esquerda-direita para explicar o voto em Luiz Inácio Lula da Silva e em seus opositores. Eu mesmo já participei da banca de algumas de tais teses. Essa medição é problemática. Sem dúvida que sim.

Trata-se de uma medição problemática não por causa do chavão contemporâneo, aquele que diz que esquerda e direita não importam mais, que esquerda e direita acabaram. Nada disso. A medição e a utilização desse conceito no Brasil são equivocadas porque aqueles que o fizeram não se perguntaram, em nenhum momento, o que o nosso eleitorado acha que é ser de esquerda ou ser de direita. Eu mostro no livro que isso depende da escolaridade do eleitor.

Aqueles mais escolarizados acham que ser de esquerda é querer uma presença maior do Estado na economia e ser de direita é o inverso disso. Porém, o eleitorado menos escolarizado considera que ser de direita é ser do governo e ser de esquerda é ser de oposição. Pergunto: é possível misturar essas duas concepções em uma medição só? O livro mostra que não. Justamente por causa deste erro "não amostral" é que a medição de esquerda e direita não funciona corretamente no Brasil. Trata-se de um assunto extremamente relevante em uma pesquisa eleitoral que foge completamente da alçada dos estatísticos.

Um dos erros de pesquisa mais conhecidos mundialmente ocorreu nas eleições britânicas de 1992. Em 1º de abril daquele ano a bolsa de valores se esvaiu em 6 bilhões de libras em valores da época. Isso aconteceu porque todos os institutos de pesquisa previram a vitória dos trabalhistas. Para a felicidade do mercado, os conservadores acabaram vencendo, com John Major. Eles foram para seu quarto mandato consecutivo, depois de três mandatos de Mrs. Thatcher.

A Market Research Society realizou um estudo sobre aquele fenômeno e concluiu que todas as fontes de erro foram "não amostrais": desenho da amostra (apesar do nome é um erro "não amostral"), recusa dos entrevistados em responder às pesquisas, comparecimento eleitoral diferenciado por região do país, etc.

Um fator de grande peso foi a recusa em responder às pesquisas. Aqueles que mais fizeram isso foram as pessoas mais velhas com perfil conservador. Os mais jovens e trabalhistas tendiam a responder com entusiasmo. Além disso, o comparecimento eleitoral, que as pesquisas também têm que estimar, foi maior entre os conservadores do que entre os trabalhistas. O resultado final desse somatório de erros foi que as pesquisas erraram feio. Se fosse no Brasil, nem mesmo os registros de pesquisas devidamente assinados por estatísticos regulamentados teriam levado ao acerto.

Não há profissão ou atividade isenta de erro. No caso das pesquisas, isso é inerente à sua realização. Pesquisa erra e ponto final. Aliás, falo aqui somente das pesquisas bem feitas (não discuto má-fé, pois isso não é um assunto científico, mas jurídico). Não por acaso existe uma enorme literatura em língua inglesa que trata dos mais diversos tipos de erros "não amostrais". A primeira medida para diminuir e controlar os erros é reconhecendo-os. É justamente por isso que existe essa enorme literatura especializada.

O mais interessante é que o nosso subdesenvolvimento, do qual lentamente estamos saindo, é um fenômeno sistêmico. Ele está em praticamente todas as áreas de nossa sociedade, inclusive de sua mentalidade. A importância que é dada ao erro das pesquisas no Brasil assume proporções inimagináveis se comparado com os Estados Unidos ou a Europa. Excetuando-se o caso mencionado da Grã-Bretanha de 1992, não chegam notícias ao Brasil de erros de pesquisas nos Estados Unidos ou na Europa. Por que será?

Certamente não é porque as pesquisas não errem. Só aqui no Brasil alguns ainda acreditam que isso ocorra. É porque lá ninguém realmente acredita que a pesquisa induza o voto. Portanto, elas podem errar à vontade. No Brasil há uma guerra ferrenha por cada ponto porcentual que um candidato sobe ou desce, como se isso fosse definir seu destino, ganhar ou perder. Esse fenômeno tem, do outro lado da moeda, estatísticos especializados não só na margem de erro, mas também em afirmar que as pesquisas não erram jamais, que quem erra é o eleitor que sempre muda de voto na última hora. Com sempre, coitado do eleitor.

Alberto Carlos Almeida, sociólogo e professor universitário, é autor de "A Cabeça do Brasileiro" (Record). E-mail: Alberto.almeida@institutoanalise.com - www.twitter.com/albertocalmeida Artigo originalmente publicado no caderno Eu & Fim de Semana do jornal Valor Econômico, edição de 30 de outubro de 2009.

Terrorismo em Honduras

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Ernesto Caruso

As ameaças se concretizam? Do palanque de Zelaya montado na Embaixada do Brasil, apoiado acintosamente pelo governo Lula/Dilma/Amorim, se ouviu uma sucessão de discursos com imposição de prazos e bravatas. O hóspede não respeita a casa que o acolhe como ditam as normas de boa educação, nem cumpre as regras internacionais do asilado político que demonstra ser com todas as letras, a despeito de já estar no exterior, retornar e ganhar o rótulo de perseguido político pela artimanha lulopetista e esquerda afim.

Zelaya abusa da “hospitalidade” incitando protestos, insurgência com prejuízos na ordem pública, danos ao patrimônio e falta de segurança. Eis que o pequeno país, com o respaldo dos Poderes lá constituídos, denunciou o Brasil na Corte Internacional de Haia por ingerência em seus assuntos internos, mais do que sobejamente comprovados pelas imagens nem sempre acompanhadas de comentários isentos da mídia amestrada.

Em contrapartida os comentários de integrantes do governo Lula afrontam o povo hondurenho e não propriamente ao governo de Micheletti como se fosse terra de ninguém, sem símbolo, pátria, bandeira e soberania. Nítido descumprimento do princípio da não intervenção. Tratamento bem diferente diante da invasão das forças bélicas de Evo Morales nas dependências da Petrobrás em território boliviano.

Os efeitos já se fazem presentes. O sobrinho do presidente Micheletti, Enzo Micheletti, e o coronel Concepción Jiménez, chefe da Indústria Militar do país, foram assassinados, o primeiro juntamente com outro jovem no norte de Honduras e o segundo em Tegucigalpa, atacado a tiros em frente à sua casa. Notícia que muito levemente perambulou pela mídia.

De início, a incitação, seguida de distúrbios civis, ajudou a retumbância pretendida, reforçada com os mártires produzidos, típicos dos movimentos revolucionários comunistas no mundo e também no Brasil.

Nesses dias o governador José Serra, em entrevista pela TV, abordando a questão das invasões do MST, em resposta ao jornalista, lembrou dos mártires que o movimento visa a produzir. Claro, que o governador conhece bem o assunto, pois os vários contendores de hoje, estudaram na mesma cartilha. Vale lembrar que os protetores das crianças e dos adolescentes não dão muita importância quando crianças de colo são levadas para o enfrentamento com a polícia nas ações de reintegração de posse, nem os responsáveis por tais fatos são presos. Querem a aplicação do ECA só para filhos que ajudam os pais em atividades primárias na luta pela sobrevivência.

O governo Lula que estava em fase de observação sobre a questão Zelaya, recuando estrategicamente e gerando outras evidências midiáticas para camuflar o hóspede irrequieto, agora retorna ao cenário mundial provocado pela nação que teima em manter a alternância no poder como dogma da democracia. Cobra do Brasil responsabilidades sobre os malefícios advindos das nefastas ações do trio Lula, Amorim e MAG.

Além da pressão interna — distúrbios civis, mártires, assassinatos de chefias militares e parentes de Micheletti — o mecanismo internacional, só aceita um acordo, desde que Zelaya volte à presidência.

Com o reforço norte-americano, e, desqualificando a decisão da corte suprema de Honduras que afastara o presidente infrator, impõe uma nova afronta ao Judiciário, ao administrar uma composição com as partes envolvidas, de modo que uma votação no parlamento seja o fiel da balança para a reassunção de Zelaya.

Pobre Davi a enfrentar os vários Golias vermelhos.

Ernesto Caruso é Coronel da Reserva do EB.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Pinguços, uni-vos! Lula deve sancionar lei instituindo que 13 de setembro será o Dia Nacional da Cachaça

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net

Por Jorge Serrão

Enfim, uma lei que o chefão Lula da Silva sancionará com o maior prazer. A Comissão de Educação da Câmara aprovou, quarta-feira passada, a importante criação do Dia Nacional da Cachaça. A data para celebrar a água que passarinho não bebe, mas que o presimente adora, será dia 13 de setembro. Assim que for aprovado no plenário da Câmara e depois no Senado, Lula toma todas as providências para colocar tudo em vigor em regime de urgência urgentíssima.

Cachaceiros do Mundo, uni-vos! O autor do projeto que institui o Dia da Pinga é o ruralista Valdir Colatto (PMDB-SC). O relator do projeto, Reginaldo Lopes (PT-MG), deu parecer favorável, alegando que a cachaça já foi incorporada ao cotidiano de milhares de brasileiros, além de conquistar consumidores na Europa, EUA e até Austrália e Nova Zelândia.

O argumento em defesa de um marketing para a nossa caninha é econômico. Depois de muita briga diplomática, a cachaça foi reconhecida internacionalmente como bebida exclusivamente brasileira. O Brasil produz hoje quase 1 bilhão de litros da branquinha. No entanto, por incompetência comercial, exporta apenas 1% da produção.

O dia 13 de setembro tem um significado histórico. Nesta data, em 1661, o Brasil Colônia vivenciou a “Revolta da Cachaça”. Produtores de cana-de-açúcar da região de São Gonçalo, no atual Estado do Rio de Janeiro, promoveram uma rebelião contra a Corte Portuguesa. Os lusitanos queriam proibir a fabricação e a comercialização da aguardente. Sem a revolta, o Brasil não teria cachaça.

Belo emprego

Um cachaceiro militante já tem uma ideia de emprego para Lula, assim que ele deixar o poder a partir de janeiro de 2011.

Ele seria o Embaixador da Cachaça Brasileira.

Assim, poderá tomar todas, com todo respaldo popular e institucional, até o seu retorno triunfal ao Planalto, a partir de 2015 - conforme previsão de seus estrategistas.

Presença na Realeza

Um sinal evidente de que o Bradesco está bem na fita com a Oligarquia Financeira Transnacional.

O banco marcará sua presença na festança em que Stalinácio receberá o prestigiado Chathan House Prize, no próximo dia 5 de novembro, em Londres.

Na sexta-feira, dia 6, acontece, na capital do Império Britânico, o “Bradesco Day” – uma super reunião com analistas e investidores internacionais, comandada por Luiz Carlos Teabuco Cappi e Antonio Bornia.

Little Delay

O Superior Tribunal de Justiça resolveu adiar, por mais três sessões, o julgamento do processo que se arrasta há mais de sete anos do Bradesco contra o Cade.

O STJ decidirá se cabe ou não ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica julgar operações de fusões e aquisições no setor financeiro.

O Bradesco move a ação porque, em 2001, o Cade mandou desfazer a operação de compra do BCN, ocorrida em 1997, por quase R$ 1 bilhão.

Há quem diga que o pequeno atraso no julgamento, previsto inicialmente para anteontem, seja para não atrapalhar a semana londrina do Bradesco...

Súditos do Poder Real

O Grande Filho do Brazil, Lula da Silva, receberá o prêmio Chathan House Prize (por sua trajetória política e seu trabalho na redução das desigualdades).

O Itamaraty articula mais um encontro de nosso “rei” com a rainha Elizabeth II, no Palácio de Buckingham, além de um cafézinho com o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown.

Será a segunda visita de Lula ao Reino Unido este ano, já que em abril, ele participou da reunião do G-20 (grupo de países ricos e emergentes) – quando também foi “beijar a mão” da sua querida patroa-rainha e seu primeiro-ministro.

Viajando sem parar

Até o fim de dezembro, Lula passará mais 13 dias fora do país, totalizando 81 dias no exterior em 2009.

Neste ano, terá ido a 30 países - quatro a mais que no ano passado, quando passou 70 dias longe do Brasil.

Nesta sexta-feira, Lula está na Venezuela, onde se encontra com Hugo Chávez.

Acompanham o presidente nesta visita, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o ministro de Comunicação Hélio Costa, e o Assessor Especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia.

Mais viagens

Nos dias 15 e 16 de novembro, Lula deve ir a Roma, para o encontro do Programa das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Em dezembro, a programação segue por Estoril, em Portugal, para a Cúpula Ibero-americana, além de visitas à Ucrânia e à Alemanha.

Antes do fim do ano, Lula tem programado encontro com o presidente Alan García, no Peru, e reunião do Mercosul, no Uruguai.

Sua agenda reserva dois dias para a cúpula sobre clima em Copenhague, na Dinamarca.

Governo madrasta

Em entrevista publicada no jornal venezuelano "El Universal", Lula comparou seu governo ao de Hugo Chavez.

Destacou que ambos causam desconforto às elites por governar para os mais pobres.

Ao exaltar os programas sociais do próprio governo, Lula se comparou a uma mãe que cuida de todos os filhos com carinho, mas dá mais atenção aos mais carentes:

Desde que assumi o mandato, procurei governar para todos, mas especialmente para os mais pobres. Costumo comparar essa atitude com a de uma mãe, que cuida com carinho de todos os filhos, mas dedica mais atenção aos que mais precisam dela. Ao fazer isso, sofri muitos ataques, mas os fatos mostraram que os programas sociais tiveram um efeito multiplicador extraordinário”.

Entra tudo

Lula comentou ontem que os senadores brasileiros "amadureceram" ao aprovarem, na Comissão de Relações Exteriores do Senado, o ingresso da Venezuela no Mercosul. Agora, a decisão deve ainda passar pelo plenário do Senado.

"Ainda falta uma etapa que é a votação no plenário, mas estou convencido que os senadores brasileiros, depois de tanto tempo de debate interno, amadureceram e hoje eu acho que a grande maioria tem consciência da importância desta parceria".

Foram palavras do chefão durante discurso na cerimônia de inauguração do Consulado Geral do Brasil e do escritório da Caixa Econômica Federal em Caracas.

Dureza

A adesão da Venezuela ao bloco foi aprovada depois de meses de discussões e polêmica entre parlamentares governistas e de oposição.

O substitutivo favorável à entrada da Venezuela no Mercosul, apresentado pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), foi aprovado por 12 votos contra cinco.

O relator, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), havia apresentado parecer contrário ao ingresso do país no bloco, que foi rejeitado por 11 votos contra seis.

Parceria$

Na sexta-feira, Lula e Chávez viajam ao município de El Tigre, no Estado de Anzoátegui.

Eles participam da colheita da soja produzida em cooperação com a Embrapa.

No encontro, as estatais petroleiras PDVSA e Petrobras aproveitam para assinar o enrolado o acordo de associação para a criação da empresa mista que deverá operar na refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Niponizados

Outro acordo previsto é a adesão da Venezuela ao padrão nipo-brasileiro de TV digital.

Além da Venezuela, Argentina, Chile e Peru já adotaram esse padrão.

O ministro Hélio Costa está rindo de orelha a orelha.

Paguem antes

Bem Self, marketeiro do Obama, cobrou a merreca de US$ 10 milhões de dólares para montar um sistema de campanha presidencial para o PT, na Internet.

Como não é otário, o norte-americano exige o pagamento de 50% adiantados.

Tudo indica que os petistas devem fechar com ele mas por um precinho bem menor (que será anunciado oficialmente pra não assustar o TSE).

O resto da grana que o marketeiro deseja, como de costume, será bem pago por fora...

Legiões no Judiciário

O General de Exército Augusto Heleno tem palestra agendada na Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro no próximo dia 9 de novembro, às 16 horas.

O Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército Brasileiro falará sobre o tema “Geopolítica da Amazônia – uma visão sumária”.

Heleno foi convidado pela Presidente do Fórum Permanente de Direito do Ambiente, Desembargadora Maria Collares Felipe da Conceição.

O evento acontece no Auditório Nelson Ribeiro Alves - EMERJ, na Av. Erasmo Braga, 115 – 4º andar.

É brincadeira não

O Sindicato dos Servidores de São José dos Campos e vereadores da oposição pega, no pé do prefeito Eduardo Cury (PSDB).

Tudo porque ele aceitou pagar um cachê de R$ 8.000 para que a apresentadora infantil Maisa, do SBT, comparecesse na quarta-feira pasada a um evento em homenagem ao Dia do Servidor Público.

É mais uma prova de como se brinca com o dinheiro público no Brasil.

Promessa é dívida

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, promete para o ano que vem um sistema eletrônico de acompanhamento em tempo real dos gastos do Poder Judiciário em todo o País.

O sistema funcionará nos moldes do Siafi, que compila as despesas do poder público federal.

Gilmar constata que a forma como os tribunais gastam dinheiro público passou a ser uma preocupação maior a partir de inspeções realizadas nos estados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão que também preside.

Viva a maconha

O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) defende a legalização da maconha e o uso e o porte de pequenas quantidades para consumo pessoal.

O parlamentar petista também é a favor do plantio da maconha para consumo pessoal, desde que com acompanhamento médico:

O nosso país também precisa regular o autoplantio, com licenças concedidas pelo Ministério da Saúde e acompanhamento médico, para permitir que, as pessoas que queiram, possam consumir maconha sem ter de recorrer a criminosos para adquiri-la”.

O parlamentar foi escolhido pelo Ministério da Justiça o interlocutor do governo para revisão da lei sobre drogas.

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 30 de Outubro de 2009.

"Favor não jogar seu filho no lixo!”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

É a chamada que aparece em 10 mil cartazes espalhados em escolas, postos de saúde e comunidades de baixa renda. São parte de uma campanha recém lançada pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, promovida pela Comissão Estadual Judiciária de Adoção.
Nos bastidores da iniciativa, está a desembargadora Conceição Mousnier, dedicada a orientar mulheres de baixa renda contra a velha prática do abandono de menores. A campanha orienta para a adoção, que as Leis facilitam em alguns casos e a desembargadora ainda trabalha por uma Lei que reconheça o “abandono de recém nascidos em lixões em crime hediondo”.

Fico pensando se não é hediondo e como ficam centenas de milhares de menores enjeitados pelo Brasil inteiro, alguns cooptados pelos traficantes de drogas, outros espalhados pelas ruas do vicio e nos pontos de prostituição. E nas centenas de menores que algumas dezenas de etnias aborígenes enterram vivas, abandonam nas matas, matam por sufocamento ou afogamento, com a complacência dos poderes públicos e ONGs caridosas.

Sávio Bittencourt, Promotor de Justiça é pai adotivo e co-fundador do “Quintal da Casa de Ana”, um grupo de adoção em Niterói. Durante o evento, ele afirmou: "Só sabe o que é ter um filho jogado no lixo quem é pai adotivo de alguém que foi jogado no lixo. Nem todos os beijos que a gente possa dar talvez compensem aqueles momentos de aflição de uma criança que passou por isso, e só foi salva por milagre de Deus.”

A notícia do site “Ultima Instância” diz que as casas de adoção abrigam 80 mil crianças enjeitadas no Brasil e que “a maioria tem mais de seis anos de idade e está em abrigos em virtude da pobreza extrema de seus familiares, seguida dos maus-tratos e até mesmo de abuso sexual.” E o Bolsa Família, Bolsa Escola, Primeiro Emprego, Educação para Todos... onde entra a ação do governo revolucionário, que chegou para salvar os desesperados?

A resposta seria que “não se pode fazer tudo num dia”. E em 16 anos, pode? Estamos vendo que não! Eles, os comunistas, precisam de infinitos anos para fazer cumprir o monte de leis descumpridas, que faz com que a turma de criminosos sórdidos adore as posturas governamentais, em cumprimento às diretrizes do Foro de São Paulo, a internacional do crime, uma organização que merece ser condenada pela delinqüência hedionda dos que a integram.

A sanha radical dos comunistas no poder preocupa-se com estratégias e práticas que direcionam jovens e adolescentes para o crime. O proselitismo marxista está presente em todas as escolas brasileiras, ampliando as áreas de conflito e brutalidade entre professores, alunos e pais desinformados. No campo o MST espalha centros de doutrinação com ajuda de ONGs estrangeiras, para formar militantes que vão destruir empresas privadas. E com instrutores das farc e conhecimento do Palácio do Planalto e suas agências de inteligência.

Nossos filhos estão enjeitados, estão sendo jogados no lixo, com o silêncio dos profissionais cuja visão intelectual e missão de vida seria fundamentar, na formação e nas atividades culturais, o desenvolvimento da civilização, no respeito à sociedade democrática de direito. Calam e apóiam o partido mais corrupto da história do Brasil. Somos todos cúmplices indiferentes à corrupção política e a subserviência econômica diante da rapinagem bancária internacional.

Somos cúmplices do crime engendrado pelos maus políticos que elegemos. Somos cúmplices dos legisladores e juízes que interpretam as Leis desmoralizando o Direito. Que dizer diante dos sucessivos escândalos arquivados contra a letra da mesma Constituição. Somente para lembrar alguns:

Celso Daniel, Toninho do PT, Grampos Telefônicos, Banestado, Ligação do PT com as FARC, Propinoduto, Desvios do Fome Zero, Diárias e gastos públicos de Ministros, Corrupção na compra de Alimentos para escolas, Cachaça na cesta básica do MST, Escândalo da ONG Ágora, Ministro recebendo diárias do Comitê Olímpico Brasileiro durante os Jogos Panamericanos, Dinheiro do Ministério dos Esportes para a festinha de aniversário do Ministro, Operação Anaconda, Licitações da Presidência da República para comprar artigos de luxo, Escândalo do Waldomiro Diniz, Ministros usando assessores em campanha eleitoral de 2004, PT oferecendo cargos, material de campanha e 150 mil para comprar apoio de deputados do PTB, Irregularidades no Bolsa Escola e no Bolsa Família, Escândalos da Novadata, de Furnas, de Itaipu, do Mensalão, Brasil Telecom, Corrupção no Diretório Nacional do PT, Okamoto do SEBRAE pagando contas do Presidente da República, Dólares na cueca do irmão do Dep. Genoino, Bando de Santos, Daniel Dantas, Dólares de Cuba, Dólares das Farc, Game Corp-Telemar, Doleiro Toninho Barcelona, o caseiro Francenildo, Cartilhas do PT, Proer, Mensalinho, Ministério do Meio ambiente envolvido em venda de madeira ilegal na Amazônia, Combustível dos Deputados, Escândalo dos Sanguessugas, Tráfico de Armas, Ligação PT-PCC-MLST, Operação Confraria, Operação Dominó, Operação Saúva, Funcionários Federais que não trabalhavam, Grampos no TSE, Dossiê feito no gabinete de dona Dilma, Cartões Corporativos, Superfaturamento em obras da Petrobrás, Proteção a terroristas internacionais, Ministros com currículos falseados...

Basta? Falta muito ainda, está por baixo do pano. Mas, que importa? Brasília fede e o fedor contaminou toda a nação. Este é o comunismo do Foro de São Paulo: uma nação jogada no lixo!

Arlindo Montenegro é Apicultor.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

“Aparelhamento”: Legiões criticam a mais profunda intervenção política na área militar já vista no Brasil

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net

Por Jorge Serrão

O espectro de uma crise militar ronda o governo do Stalinácio. Não existe risco de golpe, intervenção radical ou insubordinação. As legiões resolveram apostar na tática do silêncio direto e obsequioso. A estratégia é fazer Política e se comunicar através de “porta-vozes” pouco previsíveis, usando espaços privilegiados na mídia pouco afeita a discutir, seriamente, a Questão Militar no Brasil.

Um recado direto dos militares à cúpula do governo foi transmitido ontem na página 3, de Opinião, do jornal Folha de S. Paulo. O transmissor foi o historiador Sérgio Paulo Muniz da Costa – que atuou como delegado do Brasil na Junta Interamericana de Defesa, órgão que assessora a Organização dos Estados Americanos (OEA) em assuntos de segurança hemisférica. Em seu artigo, o “pesquisador”, que é Coronel de Artilharia da reserva do Exército Brasileiro e autor do livro “Os Pilares da Discórdia – Fundamentos de uma Incerteza” (Editora Bibliex, 1995), criticou o “aparelhamento” das Forças Armadas.

Não se trata do aparelhamento em termos materiais. Mas do “aparelhamento” no pior sentido político. Como se falasse em nome das “Legiões”, Sérgio Paulo Muniz da Costa denuncia que “intenta-se hoje a mais profunda intervenção política na área militar já vista na tão decantada história republicana do Brasil”. O historiador lança novas baterias contra a END: “É fácil verificar na leitura da Estratégia Nacional de Defesa que ela foi redigida à revelia e mesmo em contraposição a ponderações de comandos das Forças Armadas”.

No artigo, Sérgio Paulo Muniz da Costa denuncia uma nova escalada de confrontação com as Forças Armadas, em particular com o Exército. E o historiador joga na artilharia, ao condenar “as medidas caudatárias de uma Estratégia Nacional de Defesa que não se coadunam com a Política Nacional de Defesa, alteram as condições de cumprimento da missão constitucional das Forças Armadas e dão ao poder político condições de intervir partidariamente na estrutura militar, um pesadelo erradicado da vida pública brasileira há mais de 40 anos”.

O Alerta Total reproduz, abaixo o artigo completo de Sérgio Paulo Muniz da Costa: Aparelhamento das Forças Armadas, qual?

Infanticídio

Um outro assunto explosivo merece a atenção das Legiões – que são contra a criação de “Nações Indígenas” dentro do território brasileiro.

Raymond de Souza, cidadão australiano, nascido no Brasil e residente nos EUA, escreveu um explosivo livro eletrônico – “Infanticídio indígena no Brasil, a tragédia silenciada”.

O sempre atento Arlindo Montenegro revela detalhes da obra que denuncia fatos macabros e desumanos que atentam contra a Lei e a Ordem no Brasil.

Leia, abaixo: Infanticídio e outros crimes

Guerra assimétrica

Ecos contra as Legiões na reunião do Grupo de Trabalho sobre Forças Armadas, Estado e Sociedade, no primeiro dia do encontro anual da Anpocs (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais), em Caxambu (MG).

Ao comentar o trabalho de José Pimenta, da UnB, sobre as relações dos indígenas ashaninka com as autoridades e militares no Acre, o especialista Celso Castro, da FGV do Rio, analisou que o simbolismo da Amazônia substituiu, para o Exército, a estratégia de segurança nacional da Guerra Fria.

Castro contou que várias vezes, em conversas com oficiais baseados nos Estados do Norte, ouviu menção ao fato de que as forças militares americanas "já estão na Amazônia", uma referência ao Plano Colômbia de combate ao narcotráfico e à guerrilha, iniciado em 2002 e que passa agora a uma nova fase, com o acordo a ser firmado para o uso, pelos EUA, de bases colombianas.

Segundo Castro, a "estratégia de resistência" montada pelos militares para o caso de ameaça à região, exemplificou Castro, cita líderes militares antípodas na época do anticomunismo, como o vietnamita Ho Chi Min, mentor da derrota dos colonialistas franceses, nos anos 50.

Fardamento

A Diretoria-Geral do Pessoal da Marinha observou desvios no cumprimento das normas e regulamentos vigentes sobre o comportamento Social de Militares da Ativa Uniformizados.

As críticas se dirigem, especialmente, às mulheres militares, e a DGPM baixou uma ordem unida:

Recomenda-se o conhecimento e a ampla divulgação das normas e regulamentos em vigor, em especial a Portaria nº 286/2007, do Comandante da Marinha e a DGPM-319 - Normas para a Conduta Ético-Militar e Atividades Sociais no Âmbito Militar, bem como a disseminação enfática sobre as saudações e cumprimentos admitidos entre militares uniformizados, a fim de evitar que venham a ocorrer exageros que deponham contra os bons costumes e o decoro militar”.

Probleminhas

Os problemas de comportamento e vestimenta foram relacionados em um ofício interno:

1) saudações entre militares fardadas por meio de beijos na face ou com intimidade incompatível com a situação militar e não por continência ou aperto de mão;

2) apresentação pessoal sem o devido apuro e utilização de uniformes em desalinho ou em desacordo com as normas em vigor, contribuindo para a descompostura social, a saber:

a) uniformes amarrotados e desbotados;
b) uso de adereços inapropriados como brincos, colares, pulseiras e óculos extravagantes;
c) calças e saias em comprimento aquém do regulamentar;
d) gravatas verticais não regulamentares;
e) camisas sociais com colarinhos abertos e mal ajustados;
f) cabelos femininos soltos além do comprimento permitido ou com enfeites externos;
g) cabelos femininos presos de forma inadequada, quando trajando uniformes externos ou em cerimônias e formaturas, quando no uniforme interno; e
h) barbas mal escanhoadas.

Academia neles...

Comentário irônico, na Internet, de um militar da reserva da Armada sobre a recomendação da Marinha:

Falta agora uma circular da DGPM condenando as enormes panças que vêm sendo ostentadas por oficiais e praças, principalmente os mais antigos. As camisas nem fecham mais! Antigamente, os militares exibiam biceps; agora, exibem panceps, em total desprezo à higidez militar”.

Ou seja, seria de bom tom os militares cuidarem melhor da forma física, também...

Vidente Stalinácio

Na cerimônia de inauguração da quadra esportiva da Mangueira, ontem, no Rio de Janeiro, o chefão Lula deu uma de vidente eleitoral.

Lula aconselhou que prefeitos e governadores devem se reunir com a Dilma Rousseff, em 2011, para apresentar projetos para o novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Pela data que recomendou a reunião, Lula já dá como certa a eleição de sua sucessora, como se nem houvesse disputa eleitoral em 2010.

Dilma em Campanha

"Achamos que dar continuidade é uma questão estratégica. Dar continuidade, para nós, vai ser avançar".

Foi o recado da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), em reunião com líderes do Partido Progressista para tratar da sua pré-candidatura à Presidência da República.

Preferida do chefão Lula para a sua sucessão, a ministra já teve encontros com representantes do PMDB, PR, PDT, PCdoB e PRB para tratar da eleição de 2010.

Até agora, o único partido que já fechou um pré-acordo com a ministra foi o PMDB.

Palocci e o pré-sal

O Instituto Ethos realiza nesta sexta-feira, das 9h às 12h, o debate “Pré-sal e desenvolvimento sustentável: riscos e oportunidades para os brasileiros”.

Será no Buffet Rosa Rosarum - Rua Francisco Leitão, 416 – Pinheiros, São Paulo (SP).

Confirmaram presença o físico nuclear José Goldemberg, da Universidade de São Paulo (USP), o economista Ignacy Sachs, da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais (França), e o deputado federal Antônio Palocci, relator, na Comissão Especial da Câmara, do Fundo Social do pré-sal.

A participação no evento é gratuita e aberta a qualquer interessado, mas é preciso inscrever-se pelo site www.ethos.org.br

Poder chinês

Quem tiver uns US$ 5.280,00 (cinco mil e duzentos e oitenta dólares) para investir pode participar do programa de intercâmbio, em 2010, da Câmara Brasil-China de Desenvolvimento Econômico (CBCDE).

Em uma imersão na cultura chinesa, durante quatro semanas (de 5 de janeiro a 2 de fevereiro de 2010), os participantes terão aulas de mandarim diariamente, divididas em aulas coletivas e aulas de conversação individuais.

Serão ministradas também aulas de Economia e Política chinesa e de Artes Marciais.

Inscrições até 16 de novembro com Marina Schwartzman, pelo telefone (11) 3082-2636 ou pelo e-mail: marina.s@cbcde.org.br

Sai logo

Por sete votos a um, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou ontem que o senador Expedito Júnior (PSDB-RO) deixe o cargo imediatamente.

Ele teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TER-RO) em 2008 por compra de votos e abuso de poder econômico nas eleições de 2006.

A decisão foi confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em junho deste ano, mas a Mesa do Senado se recusava a cumprir a regra, pois aguardava uma decisão final do Supremo.

Abusou, dói no bolso

A RedeTV! foi condenada a pagar R$ 20 mil de indenização por danos morais à estudante Rafaela Almeida pelo uso da imagem dela sem autorização no programa "Pânico na TV".

A jovem foi abordada por dois apresentadores quando estava na praia de Ipanema, na zona sul do Rio, para participar do quadro "Vô, num Vô", no qual uma dupla de humoristas fazia piadas com mulheres na praia.

O desembargador Ademir Pimentel, da 13ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, condenou os integrantes do programa por terem feito comentários negativos sobre o físico da estudante e ainda exibiram a figura de um dragão no momento da entrevista, com a música "Lua de São Jorge" como trilha sonora:

"Mesmo os programas humorísticos não podem causar ofensas às pessoas, mormente quando não autorizadas por elas a divulgar a imagem captada, ainda que em espaço público. (...) É o locupletamento à custa de humilhação de pessoa que, em momento algum, anuiu ou se beneficiou com esse tipo de exposição".

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 29 de Outubro de 2009.

Aparelhamento das Forças Armadas, qual?

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Sérgio Paulo Muniz Costa

Enquanto usa sua maioria parlamentar para defletir uma miríade de polêmicas, o governo federal vai fazendo avançar sem resistências um assunto que trará consequências duradouras à vida política no país: a missão, o emprego e a estruturação das Forças Armadas.

Sob a justificativa de seu aparelhamento e o guarda-chuva pseudopolítico da subordinação dos "militares ao poder civil", intenta-se a mais profunda intervenção política na área militar já vista na tão decantada história republicana do Brasil.

A moldura desse quadro estava pronta havia tempos. Os ressentimentos de toda sorte em relação ao regime militar, a ânsia dos poderosos de cada momento em exibir obediência castrense e os interesses estrangeiros em formatar nossa estrutura de defesa segundo suas conveniências ambientaram o mal disfarçado projeto hegemônico de longo prazo que agora se estende às Forças Armadas.

Um simples acompanhamento do planejamento e da execução orçamentários permite verificar que o Ministério da Defesa extrapolou em muito, há tempos, as atribuições previstas na lei de sua criação.

Mas foi no início do segundo mandato presidencial que se inaugurou uma nova escalada de confrontação com as Forças Armadas, em particular com o Exército.
Alguns ministros depois -novos titulares de pastas criadas e inventadas-, foram enviesadamente apresentadas medidas caudatárias de uma Estratégia Nacional de Defesa que não se coadunam com a Política Nacional de Defesa, alteram as condições de cumprimento da missão constitucional das Forças Armadas e dão ao poder político condições de intervir partidariamente na estrutura militar, um pesadelo erradicado da vida pública brasileira há mais de 40 anos.

A inauguração da atual República em 1985 foi a única na história do Brasil que não se deu por um golpe de Estado, e isso se deveu, em boa parte, ao apartidarismo das Forças Armadas.
Ao contrário do que a maioria dos analistas costuma apontar, foi durante o regime militar que elas se afastaram da política partidária e se profissionalizaram definitivamente.
Deixar para trás o salvacionismo das primeiras décadas do século 20, as correrias de 1920 e 1930, o golpe de 1937 e a intervenção pela retomada democrática em 1946, deteriorada com a instabilidade dos anos 1950, que culminou na ruptura de 1964, foi uma consistente evolução.

É compreensível que governos atuem ideologicamente, explorando oportunidades de aperfeiçoamentos sociais, políticos e econômicos. Mas não é razoável implementar modificações na estrutura do Estado que colidam com a evolução histórica do país e tenham o potencial de trazer instabilidade. Muito menos sensato é introduzir os objetivos de grupos de pressão hospedados no governo como variáveis da complexa equação da Defesa nacional.

A alguns causará estranheza isso estar acontecendo, acomodados na percepção de que a questão é afeta aos militares.

Além de não se tratar de uma exclusividade, é fácil verificar na leitura da Estratégia Nacional de Defesa que ela foi redigida à revelia e mesmo em contraposição a ponderações de comandos das Forças Armadas.

Alegações de tomada de modelos estrangeiros não resistem à mais elementar comparação, considerada a irrelevância político-estratégica de uns e a política do "faça o que eu digo, mas não o que eu faço" de outros.

De fato, o emprego das Forças Armadas como elemento vital para a preservação da soberania e da democracia no Brasil está sendo alterado pelo governo em exercício, e não cabe aos militares questioná-lo.

Àqueles que não podem evitar um sorriso de satisfação diante dessa situação, porque comemoram a subordinação do "poder militar ao civil" ou porque se comprazem nos seus sentimentos de revanche, cabe lembrar que o estamento militar se subordina ao poder político em qualquer regime, situação ou direção.

Se evoluímos como democracia responsável e consolidada, além dos arautos do governo, cabe à classe política se pronunciar quanto ao aparelhamento das Forças Armadas que realmente interessa ao Brasil.

Sérgio Paulo Muniz Costa é historiador. Foi delegado do Brasil na Junta Interamericana de Defesa, órgão de assessoria da OEA (Organização dos Estados Americanos) para assuntos de segurança hemisférica. Originalmente publicado na Folha de São Paulo de 28 de outubro.

Infanticídio e outros crimes

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

Raymond de Souza, cidadão australiano, nascido no Brasil e residente nos EUA, é o autor de um livro eletrônico – “Infanticídio indígena no Brasil, a tragédia silenciada”. Silenciada pelas caridosas ONGs, silenciada pelos governantes brasileiros, silenciada pela mídia, silenciada pela FUNAI, silenciada pelo Conselho Indigenista Missionário, que representa os interesses da rainha da Inglaterra e seu filho futuro rei, menos o interesse missionário de privilegiar a vida.

No bojo do livro há o link para um vídeo. É um documento comovente, daqueles que provocam pavor, tristeza e um sonoro palavrão. Eis o recurso da impotência, ao constatar uma faceta do desprezo dos governantes brasileiros e dos poderosos nobres europeus para com a vida. As cenas, gravadas numa aldeia Ianomâmi, mostram com detalhes o enterramento de duas crianças vivas. Uma que aparenta cerca de 5 anos e outra, talvez com um ano de idade.
http://www.youtube.com/watch?v=PmgpInARaTE&NR=1

O livro reúne depoimentos de pesquisadores e cientistas sociais sobre esta aberração e comenta a situação similar de crianças não índias, nas cidades: “A violência contra crianças constitui um aspecto triste em quase todos os níveis da sociedade brasileria”. A Lei prevê punição severa para o crime de infanticídio. Será que os índios não são brasileiros?

Edson Barak responde: “Somos índios, cidadãos brasileiros, na cidade ou na aldeia... Chega de sermos manipulados por organizações do governo ou não governamentais”. Edson é um líder indígena sobrevivente do infanticídio. Formou-se em História e fez pos graduação em Antropologia.

Os índios estão se mobilizando contra o que o Conselho Indigenista Missionário, outras ONGs e a FUNAI denominam “tradições”, “diversidade cultural”. O Secretário Adjunto do Conselho Indigenista Missionário, Saulo F. Feitosa, declara que “o infanticídio, enquanto prática cultural e moralmente aceita, não pode ser combatido de maneira intervencionista”. “Aceita” por quem seu Saulo? E a Lei não pode intervir contra o crime?

A posição da FUNAI, revelada por um de seus ex-presidentes, Mercio Pereira, que ostenta um título de antropologia, é que “o infanticídio não é desumanidade, porque culturamente a criança não é um ser completo”. No entender deste senhor isto é “antropologia cultural”. Puta merda! Pode ser antropologia petista.

Para o PT, a Constituição não vale para os índios. A declaração é do deputado petista Francisco Praciano, do Amazonas e pode ser vista no endereço:
http://www.youtube.com/watch?v=Y3YUO98f000&feature=related

Os crimes relatados somam 68 em 2004, 98 em 2005 e é de pasmar: 665 em 2006! São dezenas de aldeias onde esta tradição é preservada e os crimes são cometidos com a complacência da FUNAI e do Conselho Indigenista Missionário, (CIMI) da CNBB aquele mesmo que é financiado pelo Conselho Mundial de Igrejas, através do Departamento do Desenvolvimento Internacional da Inglaterra.

As ações do Conselho Mundial de Igrejas, mobilizando o Conselho Indigenista Missionário da CNBB e ONGs, foram elaboradas durante o "I Simpósio Mundial sobre Divergências Interétnicas na América do Sul" e reuniões posteriores. Algumas diretrizes constantes dos documentos:

“É nosso dever: garantir a preservação do território da Amazônia e de seus habitantes aborígenes, para o seu desfrute pelas grandes civilizações européias, cujas áreas naturais estejam reduzidas a um limite crítico”.

“É preciso infiltrar missionários e contratados, inclusive não religiosos, em todas as nações indígenas, para aplicar o Plano Base destas Diretrizes, infiltrando-os também em todos os setores da atividade pública, a fim de viabilizarem a boa execução desse plano".

“É nosso dever: manter a floresta amazônica e os seres que nela vivem, como os índios, os animais silvestres e os elementos ecológicos, no estado em que a natureza os deixou antes da chegada dos europeus”.

O professor de Filosofia da UFRGS, Denis L. Rosnfield, acrescentou que em suas publicações, o Cimi reconhece a aliança estratégica com o MST e a participação operacional na depredação da Aracruz, bem como apoio logístico em manifestações, campanhas e abaixo assinados.
No site internacional www.guarani-campaign.eu, cujo conteúdo é elaborado pelo Cimi é explicita a interferência em assuntos brasileiros, “começando por uma apresentação gráfica da América Latina sem fronteiras, sob o nome de Ameríndia”.

Juntando tudo temos dona Elizabeth coroada, as ONGs e Fundações financiadas pelos controladores financeiros do planeta, o PT e seus asseclas, os bispos e padres comunistas teologistas da libertação, todos juntos e coniventes com crimes de infanticídio. Todos juntos para mudar o mapa do Brasil e do mundo. Todos juntos para fundar o Governo Totalitário Mundial.

Leia também o artigo: O MST, a CNBB e a Rainha da Inglaterra

Arlindo Montenegro é Apicultor.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

STJ decide hoje se Cade tem ou não competência para julgar fusões e aquisições de bancos, e Lula critica usura

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net

Por Jorge Serrão


O Bradesco saberá hoje se é bem vista ou não sua “presença” na briga pela hegemonia do mercado financeiro. Tudo depende do placar da decisão do Superior Tribunal de Justiça em um processo que se arrasta há mais de sete anos. O STJ vai resolver se cabe ou não ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica julgar operações de fusões e aquisições no setor financeiro.

O Bradesco move a ação porque, em 2001, o Cade mandou desfazer a operação de compra do BCN, ocorrida em 1997, por quase R$ 1 bilhão. O banco se baseia em um documento da Advocagia Geral da União, devidamente assinado pelo ex-presidente FHC, em 2001, que atribuía apenas ao Banco Central o papel de decidir sobre operações de fusões e aquisições no setor financeiro. A relatora do caso, ministra Eliana Calmon, já votou a favor do Parecer da AGU que beneficia o Bradesco.

Tudo indica que os demais ministros do STJ acompanhem o voto dela. Mas o Bradesco sabe que tudo pode acontecer na votação. Até porque setores do governo Lula dão sinais constantes de que pretendem fortalecer seu poder político, influindo cada vez mais na decisão dos órgãos reguladores onde seus militantes atuam. Eis o motivo pelo qual até o Bradesco corre completo risco. Se o banco, por algum motivo, não estiver nas graças do poder dominante – e há indícios de que não esteja -, pode sofrer ataques inesperados da turma do Stalinácio.

Sinal de perigo

O próprio presimente Lula partiu ontem para um subido ataque contra o sistema financeiro.
Stalinácio pegou carona na pesquisa do Banco Central, revelando que a taxa do cheque especial voltou a subir em setembro (atingindo 162,7% ao ano).

E aproveitou para reclamar dos juros e das altas taxas do cartão de crédito:

A primeira vez em que ganhei um cheque especial eu achei que eu era gente fina. Eu achei que estava sendo tratado com uma certa deferência porque me deram cheque especial. No primeiro mês em que não pude pagar o que eu comprei na data correta, eu percebi que não era cliente preferencial coisa nenhuma. Eu estava sendo quase que assaltado pela quantidade de juros que se pagava”.

Cautela

Lula também recomendou à classe média cautela no uso do cartão de crédito:

Quem tem cartão de crédito é o setor médio da sociedade, que precisa aprender que a gente só vai moralizar o cartão de crédito no dia em que a gente for mais exigente conosco mesmo na utilização do cartão de crédito. Os juros do cartão são muito altos. E do cheque especial também”.

O recado de Lula ao setor financeiro é evidente: o governo pode intervir se qualquer problema econômico ou uma postura dos bancos atrapalhar sua popularidade.

CPI do MST

Os parlamentares que compõem a Comissão que investigará o mais famoso Movimento Social Terrorista do País devem dar uma olhada no artigo de Arlindo Montenegro, publicado abaixo, neste Alerta Total.

O texto conta a verdadeira história por trás do MST e de seus financiadores transnacionais.

Leia o artigo: O MST, a CNBB e a Rainha da Inglaterra

Veja também o artigo de Maria Lucia Barbosa sobre Lula: A idade do cinismo

Quem manda

Stalinácio mostrou mesmo que manda de verdade e influi nos assuntos que lhe interessam economicamente.

O deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), relator do projeto que cria o modelo de partilha de produção no pré-sal, foi pressionado pessoalmente por Lula e aumentou a participação da União na nova divisão de royalties do petróleo.

Contrariando até os interesses de governadores amigos do Planalto, como Serginho Cabral, o relator reduziu a parte destinada aos estados e municípios produtores na futura partilha de dividendos da produção petrolífera.

O relatório de Alves foi lido ontem à noite no Congresso, e será discutido, acaloradamente, na próxima semana.

Muita negociação

O relator Henrique Eduardo Alves passou o dia negociando com a turma do Stalinácio, que queria a redução da alíquota de royalties propostas de 15% para 12%.

Quase afônico, Alves explicou que manteve sua proposta de aumento da alíquota dos atuais 10% para 15%, mas redefiniu a divisão dos recursos para atender ao governo.

O governo da União levou a melhor porque, dos 20% que inicialmente seriam destinados ao Comando da Marinha, Ministério da Ciência e Tecnologia e ao meio ambiente, o relator elevou o percentual para 30%.

O que mudou

Pela nova divisão, do total de royalties, a participação para os estados produtores cai para 18%, enquanto a ideia original era manter 22%.

A participação dos municípios produtores será de 6% do total - antes Alves queria 10%.

O relator só manteve o percentual de 2% de recursos destinados aos municípios onde existem instalações petrolíferas.

Rio afetado

A mudança na divisão vai afetar a perspectiva futura de arrecadação do Rio de Janeiro, estado que mais recebe recursos de royalties atualmente.

O deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) pedirá uma reunião da bancada e com o governador Sérgio Cabral, que ficará em maus lençóis:

O Rio perde muito percentualmente. A participação do estado será menor e temos de tomar todas as medidas democráticas disponíveis para rever isso. É preciso que o governador também participe dessa luta”.

Propaganda

O PT lançou ontem à noite o novo sistema de comunicação do partido na Internet: um portal que integra o site, uma TV web e uma rádio web, com equipamentos de última geração a um custo inicial de R$ 600 mil.

O portal do PT, com custo mensal de manutenção estimado em R$ 60 mil, terá uma programação dirigida à militância petista.

A ideia do partido é fazer debates e encontros com dirigentes do partido e ministros, inclusive a pré-candidata Dilma Rousseff, nos limites da lei eleitoral.

Assombração?

A Primeira-Secretaria do Senado decidiu bloquear nesta os salários não só dos 88 potenciais servidores fantasmas - 23 efetivos e 65 comissionados - que não participaram do recadastramento, como também dos 415 que não concluíram o processo, totalizando 503.

O bloqueio do salário poderá ser suspenso para os que conseguirem provar que trabalham.

Ainda será definido um prazo, possivelmente de cinco dias, para que esses servidores apareçam e concluam o processo de recadastramento.

O Senado tem 3.500 servidores efetivos e 2.200 comissionados.

Armas para pronta entrega

O motoboy paulista Ivaldo Gomes da Silva Filho, de 30 anos, foi preso segunda-feira à noite pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), durante blitz em um ônibus interestadual, em Vitória da Conquista, a 509 km de Salvador.

Motivo: ele transportava uma metralhadora antiaérea de calibre ponto 50 – que fora embarcada no Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo.

A arma tem poder de destruição maior que a ponto 30, usada para derrubar um helicóptero da Polícia Militar do Rio de Janeiro no último dia 17, quando sobrevoava os morros da Matriz e do Sampaio.

Mais armamento

Na mesma bagagem foram encontradas uma escopeta de calibre 12, uma pistola 9 milímetros, de uso exclusivo das Forças Armadas e uma semi-automática de 380 milímetros.

Também havia nove munições ponto 50, 60 para pistolas 9 milímetros e 380, 12 para a escopeta, trouxas de cocaína e maconha.

A encomenda seria entregue em Natal, no Rio Grande do Norte, na madrugada de terça-feira, a um homem que teve a identidade preservada.

O motoboy faturaria R$ 3 mil pelo serviço de entrega.

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 28 de Outubro de 2009.

O MST, a CNBB e a Rainha da Inglaterra

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro


Ontem, o Alerta Total disponibilizou uma página do site Cavaleiro do Templo, com o vídeo em que o Sr. Gordon Brown defende com unhas e dentes a “nova ordem mundial” sob ataque cerrado dos opositores. Nos EUA o Sr. Obama defende o mesmo e os norte americanos que prezam os princípios legados por seus fundadores, também já se estão mobilizando contra o poder global. Aqui o Stalinácio e sua amada dona Dilma Stalinista trabalham na mesma direção.

Gordon Brown defende com todas as letras a liderança mundial da Grã Bretanha. Os americanos que prezam sua constituição dizem que é o momento de parar com esta conspiração, que visa a destruir a República. Adiantam que a liberdade no planeta depende da reação daquele povo, que obediente ao estado democrático de direito, construiu seu país garantindo as mais amplas liberdades conhecidas na história da civilização.

Agora o mundo está sob ameaça dos banqueiros e controladores dos recursos mundiais. Começam a surgir as primeiras reações à submissão total dos Estados e das populações aos bancos e grandes corporações. Esta introdução é apenas para ressaltar o grande interesse da monarquia britânica sobre a Amazônia e como as ONGs e Fundações alimentadas pela coroa inglesa disfarçam bem a intervenção em terras e políticas brasileiras.

O livro “Máfia Verde”, escrito em 2001 por uma equipe de investigadores da Executive Intelligence Review (EIR), documenta a fundação do MST pela Comissão Pastoral da Terra, e a intimidade da coroa britânica com o Conselho Mundial de Igrejas, (CIMI) da CNBB através do Departamento do Desenvolvimento Internacional, que em 1997 era dirigido por Lady Linda Chalker, a mulher que coordenou pessoalmente o apoio aos genocidas africanos: Kabila do Congo, Museveni de Uganda e Kagame de Ruanda.

A Gazeta Mercantil de 21 de Outubro de 1997 informava que Delwek Matheus, membro da Direção Estadual do MST de São Paulo, foi recebido em Londres pelo Vice-ministro de Desenvolvimento Internacional, George Fowles. Logo em Agosto do mesmo ano, Diolinda Alves de Souza, com patrocínio da Christian AID da Igreja Anglicana, cujo chefe superior é a própria rainha Elizabeth II, viajou à Europa para evitar a prisão de seu marido José Rainha - considerado o líder militar maoísta do MST, condenado a 26 anos de prisão por sua participação em dois assassinatos cometidos em Pedro Canário (ES).

A Cristian AID, que integra a estrutura do Conselho Mundial de Igrejas, tem assento na Fundação dos Agentes da Coroa, um anexo do Departamento do Desenvolvimento Internacional. É este anexo que financia o MST desde 1986, mobilizando a propaganda e apoio político. Em abril de 1996, quando o MST enfrentou a Polícia Militar do Pará, em Carajás, o Sr. Domingos Armani, então diretor do Projeto Brasil da Cristian AID, afirmou de público que “o sangrento massacre era resultado direto da falta de reforma agrária”.

Além da Cristian AID, é o mesmo governo brasileiro que disponibiliza recursos para que os ingleses atinjam seus objetivos no Brasil. Recursos que saem para diversas ONGs sem prestação de contas. Entre essas estão “Os Amigos da Terra” e a Oxfam que se mobilizaram internacionalmente para a criação da reserva indígena Ianomâmi.

E também a Right Livelihood Foundation, que patrocina João Pedro Stédile, a Anti-Slavery International, criada por famílias oligárquicas inglesas. Um dos descendentes dos fundadores é o Lord Buxton, também vice-presidente do Fundo Mundial para a Natureza (WWF) do príncipe Philip, herdeiro do trono inglês.

Uma relação para encerrar: Em 1989, Paulo Freire, o pedagogo comunista tão apreciado pelos acadêmicos que formam os professores das nossas crianças e um dos idealizadores do MST, foi agraciado com o Premio Internacional Rei Balduíno, da casa real da Bélgica. Em 1997, foi o MST quem recebeu o prêmio.

Estes reis são muito caridosos, ninando uma organização que não existe de direito. Estes nossos governantes, idem, ajudando financeiramente e deixando as portas abertas para a invasão e controle de terras e grupos ativistas radicais comunistas. Estes bispos da CNBB, que fingem falar em nome da Igreja, fazem o mesmo.

É a “Nova Ordem Mundial” em ação! É o propósito dos Reis, do Obama, do Lula, da dona Dilma, do Putin: controle total capimunista, empresas e bancos sem fronteiras, terror de todo tipo para manter o poder do império invisível.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

A idade do cinismo

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Maria Lucia Barbosa

Muito já se falou sobre a idade da razão. Conforme opiniões ela pode chegar aos sete, aos 18, aos 21 anos. Talvez, nunca chegue plenamente, já que o ser humano não é feito só de razão, mas também de emoção. Nunca ouvi falar, porém, na idade do cinismo. No entanto, ao ver o presidente da República soprando alegremente as velinhas de seus 64 anos tentei imaginar em que época de sua vida ele atingiu a idade do cinismo.

Lula da Silva era um animador de greves. Desse trampolim pulou para a política, o palco mais visível do cinismo humano, mas, claro, não o único. Hoje o endeusado Lula, se comparado com suas pregações anteriores, se tornou irreconhecível.

Alguns disseram que Lula, um dos artífices do impeachment de Fernando Collor para se vingar da peça que este lhe pregou ao levar na TV Globo, na sua primeira campanha, a mãe de Lurian, é hoje “amicíssimo” do senador, assim como de José Sarney, de Renan Calheiros, de Paulo Maluf, de tantos outros que outrora o ex-partido da ética abominava. Mas o presidente justifica qualquer amoralismo falando em nome de Cristo, pois afirmou que no Brasil Jesus se aliaria a Judas. O gracejo desrespeitoso deve ter lhe rendido muitas palmas e risos cínicos de seus correligionários e bajuladores.

Lula também apela para o célebre “o que tem demais se todo mundo faz”. Isso foi dito em uma entrevista em Paris quando perguntado sobre o caixa dois de seu partido. Já o prestativo Delúbio Soares rebatizou cinicamente a prática de “recursos não contabilizados”.

Altas doses de cinismo presidencial também vêm a público quando ele diz que não vê nada, não sabe nada sobre as “travessuras” de seus companheiros “aloprados”. No “mensalão” ou compra da base aliada foi assim e assim tem sido quando convém. E sua candidata Dilma deve ter chegado à idade do cinismo, pois repete exemplarmente as lições do chefe. Ela nega o “mensalão”, o encontro com Lina Vieira, o dossiê sobre o casal FHC, etc. Por isso dizem que, se Dilma ganhar teremos o terceiro mandato de Lula da Silva, pois é impressionante o mimetismo dos dois. Alegremente eles seguem em acelerada campanha dizendo que não é campanha.

Os extremados e ardorosos petistas dirão que não citei outros políticos. Arrolar todos aqui seria impossível, precisaria escrever um “Tratado sobre o Cinismo” que englobasse a postura de muitos governadores, deputados federais e estaduais, senadores, membros do Judiciário e demais instituições, políticos nacionais e estrangeiros, figuras eminentes do mundo dos negócios, gente não comum e comum.

Porém, se os grandes cínicos da política fazem tanto sucesso, sendo eleitos e reeleitos, é de se perguntar se a sociedade brasileira já nasceu cínica ou se em algum nebuloso momento atingiu a idade do cinismo. Em todo caso, diante da exacerbação da violência no Rio de Janeiro resta a triste constatação de que padecemos de um cinismo brutal que agrega incompetência galopante, indiferença à dor alheia, banalização da morte, vulgarização da vida, irrelevância da ordem, aceitação do tráfico de drogas, tanto da parte das autoridades quanto dos próprios cariocas e dos brasileiros em geral.

O prefeito Eduardo Paes, ex-ardoroso tucano e hoje conveniente peemedebista, afirmou de volta da Europa, na Folha de S. Paulo de 25/12/09, que: “2014 e 2016 é fácil de resolver; enche de polícia na rua e fica tudo certo”. Para não ficar o dito muito cínico o prefeito carioca acrescentou: “Estou preocupado é com a população que vive agora este dia a dia”. Será que alguém está mesmo preocupado?

Ricardo Noblat mostrou no seu site dados interessantes que vale a pena repetir: “1 - O número de favelas no Rio cresceu de 750, em 2004, para 1.020 neste ano. Cerca de 500 são controladas pelo tráfico. A venda de cocaína rende algo como R$ 300 milhões por ano aos bandidos. 2 – Compete a Polícia Federal combater o tráfico. Quantas vezes este ano ela foi vista escalando morros? 3 – Compete ao governo federal vigiar as fronteiras do país. É ridículo o número de militares ocupados com a tarefa. Faltam equipamentos e gente para fiscalizar o desembarque de cargas nos portos. 4 – Até agosto, para modernizar sua polícia o Rio só havia recebido R$ 12 milhões dos quase R$ 100 milhões prometidos pelo governo federal – 5 Em três anos de governo Sérgio Cabral, o total de investimentos em segurança está orçado em R$ 804.818,00. De fato não mais do que 40% desse dinheiro já foram aplicados”.

No dia 21 deste uma foto macabra estampada em jornais simbolizava a barbárie do tráfico de drogas. Num carrinho de supermercado atirado na calçada jazia o corpo de um homem com marcas de tiros, de tortura, sem um dos olhos. Uma aglomeração composta na maioria por jovens olhava com curiosidade para o que restara do trucidado. Alguns exibiam sorrisos de cínica indiferença. Deviam estar mentalmente culpando a polícia. Sempre se culpa a polícia. Mas, se na polícia como em qualquer instituição há corrupção, existem também policiais dignos, capazes de gestos heróicos.

Deixo, então, aqui uma homenagem aos três policiais que morreram no helicóptero atingido por bandidos, e aos seus colegas de farda que também perderam a vida na guerra do tráfico cinicamente ignorada pelas autoridades.

Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga. www.maluvibar.blogspot.com

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Proteção oficial para obras do PACo no Complexo do Alemão esconde célula de narcoguerrilha das FARC

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alertawww.fiquealerta.net (atualizado nesta terça)

Por Jorge Serrão


O governo Lula tem culpa direta pela onda de terror que torna o Rio de Janeiro refém da narcoguerrilha urbana. Partiu do Palácio do Planalto uma ordem direta para que não ocorressem incursões policiais de peso no Complexo do Alemão. A “orientação” foi prontamente obedecida pelo goverrnador aliado Sérgio Cabral Filho. Agora, é uma das razões ocultas da crise verbal entre o Secretário de Segurança do Rio e a equipe de Stalinácio.

O motivo alegado oficialmente para a “trégua policial” seria não atrapalhar as obras do Programa de Aceleração do Crescimento – o PACo, que prevê investimentos de R$ 495 milhões nas 11 favelas em que vivem de 97 mil (segundo o IBGE) a 150 mil pessoas (segundo estimativas locais). Mas a razão real para que a Polícia não pegue pesado no Alemão é que lá está instalada uma “célula” de narcoterroristas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

A informação sobre a presença das FARC no Alemão, que os governos Lula e Cabral só conseguem abafar por milagre, é conhecida dos serviços de inteligência da Polícia Fluminense e das Forças Armadas. As FARC são parceiras dos narcovendedores cariocas na compra e venda ilegal de armas e drogas. Também são parceiras de um segmento radical do petismo no Foro de São Paulo que as classifica como “grupos revolucionários”

O impedimento de combater as FARC no Alemão é o motivo verdadeiro pelo qual o Secretário de Segurança Pública do RJ, delegado federal José Mariano Beltrame, vociferou que o governo federal e a Polícia Federal são omissos no combate ao tráfico no Rio de Janeiro. Beltrame chegou até a pedir que fosse decretado o Estado de Emergência, previsto na Constituição, para que se possa agir contra o narcotráfico no Rio.

Mas a orientação política urgente é acabar com a falação ou detonar o Beltrame do cargo. Hoje, a pedido do presidente Stalinácio, o ministro da Justiça Tarso terá um encontro de emergência com o governador Sérgio Cabral. Na alegação oficial, a reunião servirá para fazer um balanço das medidas adotadas pelos dois governos na segurança pública do Rio. O ministro pretende ouvir os pleitos do estado e redefinir novas linhas de atuação.

Coincidência?

As obras do PAC no Alemão constroem até um teleférico de quase três quilômetros, nos moldes do feito em favelas de Medellín, na Colômbia.

Será que é para o pessoas das FARC se sentir mais bem ambientado no Rio de Janeiro?

Esta só pode ser piada de Alemão...

Palestra quase secreta

Alguns maçons governistas e petistas já agem, nos bastidores, para esvaziar uma palestra que o empresário Fernando Antoniazzi fará na Loja Maçônica Independência 131 – uma das mais antigas do País, do Grande Oriente do Brasil.

O assunto-tabu "Foro São Paulo" será abordado na “sessão magna fechada” da Maçonaria que celebra Proclamação da República.

Apesar das pressões, o evento está confirmado para o próximo dia 13 de novembro, a partir das 20 horas, em Campinas (SP).

Foro de São Paulo

É o nome genérico de um encontro bianual de 48 partidos de esquerda, organizações sociais e até grupos armados revolucionários (como as FARC colombianas) de toda a América Latina e Caribe.

Para saber o que realmente representa tal organização, vale a pena conhecer o site do Foro do Brasil – http://www.forodobrasil.info/

Quem quiser conhecer a revista do Foro de São Paulo, “America Libre”, basta acessar o link: http://www.nodo50.org/americalibre/consejo.htm

Susto grande

Movido pela ação da mídia, a equipe de Lula ficou alarmada com o que saiu na revista Veja de 24/10/09, e expalhado pela Internet pelo Ex-blog do ex-prefeito carioca Cesar Maia:

“O GOVERNO FEDERAL ESTÁ SE LIXANDO. Como o crime no Rio não afeta a popularidade do presidente, a questão não é prioritária. Dos 96 milhões de reais previstos para modernizar a polícia em 2009, somente 12 milhões de reais chegaram aos cofres do estado”.

“AS FAVELAS NÃO PRODUZEM DROGAS NEM ARMAS. Nunca se fala ou se age decisivamente contra a estrutura profissional e internacional de fornecimento de cocaína e armas aos traficantes cariocas. Inexiste a fiscalização de estradas, portos e aeroportos”.

“OS PORTOS BRASILEIROS SÃO UMA PENEIRA. Somente 1% dos contêineres que passam pelos portos é escaneado para a fiscalização do contrabando de armas e drogas. É uma omissão criminosa, pois 60% do tráfico de drogas se dá por via marítima”.

Só elogios

O Governador Serginho Cabral voltou a descartar ontem a possibilidade de pedir ajuda das Forças Armadas contra a criminalidade na cidade escolhida para ser sede das Olimpíadas de 2016:

As Forças Armadas já deixaram bem claro que não aceitam esse papel de presença física nas ruas”.

Fiel aliado de Lula, Cabral é só elogios à ajuda que o governo federal dá à segurança pública do Rio.

Só ataques

O ex-blog do Cesar Maia reproduziu, no fim de semana, as polêmicas declarações do delegado José Mariano Beltrame durante uma palestra no 21º encontro do OsteRio – uma iniciativa conjunta do Instituto de Estudos do Trabalho e da Sociedade (IETS), da Light e da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), no restaurante Osteria dell’Angolo, em Ipanema:

a) “Só no Rio existe fuzil e rifle. Só no Rio existe metralhadora antiaérea. Então o país todo precisa saber que, para enfrentar fuzis 762, 556, e .30, precisa haver um nivelamento das forças de combate. Precisa haver uma paridade. Precisamos redimensionar o armamento e os recursos das forças da ordem. Precisa entrar grana. Mas, de que adianta me darem R$ 10 milhões ou R$ 100 milhões se não posso gerenciar essa verba? É para gerenciar as prateleiras com armas não letais? Só posso equipar meus policiais com spray de pimenta?”

b) “Eu quis comprar carros blindados de Israel e da África do Sul. Fiz o pedido. Ah, não pode, porque esses veículos têm características de guerra. E isso que vivemos no Rio é o quê? O governo federal precisa assumir sua responsabilidade, seu compromisso. Não adianta nada, um dia depois de bandidos derrubarem um helicóptero e matarem três PMs, nos telefonarem de Brasília oferecendo mais um helicóptero blindado. Nós recusamos. O que vai resolver mais um helicóptero blindado?”

c) “O combate ao narcotráfico é competência do governo federal. Em nenhum lugar do mundo polícia estadual é encarregada de combater narcotraficantes. Ainda mais traficantes com fuzis importados que entram por nossas fronteiras e nossos portos. O que a população não entende é que o governo federal não tem de ‘ajudar o Rio’ a combater o narcotráfico armado. É o estado do Rio que está ajudando o governo federal em algo que é compromisso de Brasília”.

d) “Os senhores acham que é fácil deixar um policial de noite no Complexo do Alemão ganhando 970 reais por mês e proibir que ele faça bico? Quando, ao fazer segurança para a elite, ele ganha um terço disso numa noite? Não serei eu que tirarei o bico do PM.”

e) “Na Colômbia, expulsaram 15 mil policiais da corporação acusados de corrupção quando decidiram fazer a limpeza nas forças de segurança. Eu perguntei como eles conseguiram fazer isso em tão pouco tempo. ‘Lei de exceção’, me respondeu e. A Secretaria de Segurança tinha o poder discricionário. Suspeitava, acusava, julgava…, e rua.”

f) “O governo federal é sócio deste problema. O Rio de Janeiro ficou febril por causa da queda desse helicóptero, mas esse é um episódio de todo um processo, iniciado há décadas e que começou a piorar nos anos 80. Não me venham com a oferta de mais um helicóptero blindado. Porque não existe meia solução. Não estou dizendo que o Exército tenha de cuidar da segurança pública. O Exército precisa cuidar das fronteiras. O que adianta trazer tropas para o Rio? Se nós todos não nos unirmos e nos mexermos, se não tivermos o apoio do Legislativo e do Ministério Público para que o país enxergue o Rio como é, realmente, esse pessoal virá aqui na janela com o fuzil na nossa cara. Sugiro que a gente faça da queda deste helicóptero nosso 11 de setembro da segurança pública no Rio. Antes e depois.”

Crack in Rio

Já foram apreendidas cerca de 200 mil pedras de crack no Rio, desde o início do ano até o fim setembro.

Um levantamento da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) revela que a maior parte da droga é vendida nas favelas do Jacarezinho e de Manguinhos.

A Polícia sabe que pelo menos 50% do faturamento mensal do tráfico nessas duas comunidades vêm das pedras.

Antes vendido apenas por uma facção criminosa, o crack hoje também pode ser encontrado em bocas de fumo de outras quadrilhas.

Ontem, agentes da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) apreenderam cinco mil pedras na Favela 77, em Realengo.

Varejão no Paraná

A polícia do Paraná prendeu ontem 279 pessoas acusadas de tráfico de drogas, na operação Paraná Contra as Drogas.

Apreendeu 1.283 quilos de maconha, 3,5 quilos de cocaína, 3,7 quilos de crack, 52 armas, além de veículos e celulares.

Foram necessários 1.180 policiais para cumprir 566 mandados de busca e apreensão e de prisão em Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina, Maringá, Telêmaco Borba, Ponta Grossa, Umuarama e Guarapuava.

O trabalho foi coordenado pela Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), com o apoio da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal.

Que droga

A Câmara Municipal de Raposos, em Minas Gerais, afastou ontem do cargo o prefeito petista João Carlos da Aparecida, de 45 anos.

Ele foi preso doidão, com três pedras de crack, além de um cachimbo usado para fumar a droga.

Aparecida revelou à Polícia ter passado a noite com um travesti usando drogas.

Sobre drogas, leia o artigo da advogada Sylvia Romano: Liberdade para os pequenos traficantes

Globalitarismo

Vale a pena conferir o discurso do primeiro-ministro britânico Gordon Brown, no Parlamento Europeu, explicitando quais as reais intenções do Poder Real Mundial com a Globalização.
Brown, ex-ministro das Finanças da Inglaterra, é um dos porta-vozes da Oligarquia Financeira Transnacional que comanda os negócios do mundo.

Ele propôs que os europeus assumam o papel de liderança que já foi definido no chamado Consenso de Washington.

No mesmo encontro, outros líderes europeus repetem as fórmulas globalitárias da acabar com a soberania dos Estados Nacionais.

Confira o vídeo no excelente blog do Cavaleiro do Templo, através do link: http://cavaleirodotemplo.blogspot.com/2009/10/gordon-brown-no-parlamento-europeu-os.html

Leia também o artigo de Arlindo Montenegro: “Desfolhando a Margarida”

Que sujeira...

O blog Máfia do Lixo denuncia que em Mandirituba (PR), a empresa do prefeito Antonio Machado (PDT), denominada Montema Montagem Eletromecanica Ltda (CNPJ 95369039000197), durante as Eleições de 2008 financiou as campanhas eleitorais de quatro vereadores.

Hoje, os quatro bem financiados pretendem votar favoravelmente ao Projeto de Lei no. 004/2009 de iniciativa do Executivo Municipal que permite o ingresso do lixo de outros municípios na cidade.

Mandirituba poderá ser o destino final do lixo de Curitiba e de outros quinze municípios do Paraná.

Serão nada menos que 2.400 toneladas diárias de lixo, ou ainda, mais de 62.400 toneladas de resíduos sólidos urbanos por mês.

Detalhes da denúncia no Portal: http://www.mafiadolixo.com/

Demagogia do diploma

Na véspera do ano (re)eleitoral, os deputados querem fazer uma média com a mídia.

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara deve aprovar, nesta quarta-feira, uma Emenda Constitucional que reativa a exigência do diploma de Jornalismo para o exercício da profissão.

Os deputados insistem na proposta depois que o Supremo Tribunal Federal derrubou, em junho, julgou que afronta o princípio da liberdade de expressão restringir o exercício do jornalismo a quem tem diploma.

Luz caríssima

Mesmo tendo a tarifa de energia elétrica entre as vinte mais caras do mundo, os brasileiros, em especial os paulistanos, convivem com um defeito a cada 500 metros nas redes de distribuição de energia e um problema grave a cada dois quilômetros – em média.

Enquanto os problemas se acumulam, a apuração dos fatos da CPI da Aneel, proposta pelo deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) vai se arrastando há mais de três meses.

Seguramente os interesses das empresas estão se sobrepondo aos interesses da população e isso não pode continuar”.

Quem alerta é Eduardo Annunciato, o Chicão, presidente da Fenatema – Federação Nacional dos Trabalhadores em Energia, Água e Meio Ambiente.

Motivos do caos

O Dieese elaborou um estudo comparativo entre a inflação e os reajustes das tarifas de energia elétrica, antes e depois da privatização:

Os dados demonstrados nesse estudo revelam que a mudança no formato de definição das tarifas de energia elétrica no Brasil ainda não alcançou a modicidade tarifária, que era um dos seus objetivos. Ao longo dos últimos dez anos a tarifa aumentou bem acima dos patamares inflacionários e, por consequência, da renda da população assalariada. Esses aumentos foram diferenciados por empresas e por regiões, produzindo altas mais elevadas em regiões menos desenvolvidas do País”.

Bem que a CPI da Aneel podia investigar o esquema de formação de preços das concessionárias e o motivo de reajustes tão absurdamente acima da inflação, além da ausência da manutenção preventiva.

Seminars

É o nome da nova empresa criada pelo Grupo Doria Associados, comandado por João Doria Jr., junto com a Maior Entretenimento, presidida por Paulo A. Zottolo, e que faz parte do Grupo ABC.

O primeiro evento da SEMINARS contará com o ex-secretário-geral da ONU e prêmio Nobel da Paz, Kofi Annan, que falará sobre paz mundial e sustentabilidade.

O seminário acontece dia 24 de novembro, em São Paulo, com patrocínio do Santander.

Demorou um pouquinho...

Finalmente, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) inaugura nesta terça-feira, a partir das 19 horas, seu escritório em...

São Paulo – mais precisamente na Rua Olimpíadas, 242, 10º andar, na Vila Olímpia.

Fundada em 12 de agosto de 1938, a CNI informa que a unidade paulista foi criada para aproximar a instituição da maior base industrial do país e estreitar as relações com as associações que compõem o Fórum Nacional da Indústria, o Movimento Brasil Competitivo (MBC) e a Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI).

No primeiro dia de atividades do escritório, o presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, concederá uma entrevista coletiva as 11 horas, para falar sobre a presença da CNI na capital paulista e sobre as mudanças do Seguro de Acidente do Trabalho (SAT) que entrarão em vigor a partir de janeiro de 2010.

Baianidade

O Movimento BAIANIDADE CARIOCA promete uma nova edição, em breve, do FESTIVAL DO ACARAJÉ DO RIO DE JANEIRO, com a Baiana Ciça.

Ela comemorou 10 anos de Cidade Maravilhosa com essa deliciosa festa junto de seus amigos.

Confira video/fotos do I FESTIVAL DO ACARAJÉ: http://www.youtube.com/watch?v=uAllkdbdHLo

Veja mais eventos no Fique Alerta – www,fiquealerta.net

Golão do Verdadeiro Garotinho

José Carlos Araújo, o verdadeiro Garotinho, campeoníssimo do Ibope nas transmissões de futebol, lançou ontem sua biografia "Paixão pelo Rádio", na Livraria da Travessa, do Shopping Leblon.

Escrito pelo jornalista Rodrigo Taves, o livro comemora os 45 anos de carreira do Garotinho que nem aparenta seus 69 anos de idade muito bem vividos.

Garotinho acumula três mil jogos e cerca de seis mil gols narrados ao longo da carreira nas rádios Globo e Nacional.

Como diria o saudoso Waldir Amaral, “indíviduo competente” este Garotinho...

Dia de Chacrinha

Chacretes, Byafra, Fafá de Belém e Agnaldo Timoteo são presenças confirmadas, hoje de noite, no Bar Biroska, que fica na região central de São Paulo, para comemorar mais um pré-lançamento do documentário de Nelson Hoineff sobre o Chacrinha.

O filme “Alô, Alô Terezinha!” é uma das atrações da 33ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, com exibição marcada para às 21 horas no Reserva Cultural da Avenida Paulista.

O filme será lançado nos cinemas de todo o Brasil a partir de sexta-feira, dia 30.

Sobre o filme, leia nosso artigo: Muito Além do Chacrinha

Lula no “campo” teatral

O chefão Lula pode aparecer de surpresa no Teatro João Caetano, em São Paulo, para assistir à peça “Nos Campos de Piratininga” – que conta a história da cidade e do futebol de São Paulo.

A comédia musical – texto de Renata Pallottini e Graça Berman, com direção geral de Imara Reis – fica em cartaz até 1º de novembro.

Sábado passado, o chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho, assistiu ao espetáculo e avisou aos artistas que o corinthiano Lula também pode baixar por lá qualquer hora dessas.

Lula devia mesmo ir, porque o espetáculo é de alta qualidade.

Bebemoração

Aviso oficial aos puxa-sacos sempre de plantão:

Luiz Inácio Lula da Silva completa hoje 64 primaveras.

Seus companheiros de copo desejam que ele tome todas para comemorar.

Seus adversários desejam que ele aprecie com moderação.

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 27 de Outubro de 2009.

“Desfolhando a Margarida”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

Enquanto leio a notícia do Financial Times sobre a entrada do Meirelles na política, os feirantes preparam as barracas da feira semanal na madrugada fria e chuvosa de verão. É de lascar! Milhões de feirantes, camelôs, agricultores, motoristas – trabalhadores produtivos com a mão na massa – fazendo das tripas coração, para sobreviver, cercados pela cambada de banqueiros que corrompem os que fazem as Leis, que não são respeitadas pelo governo.

O sujeito já é político, está acima dos políticos, manda nos políticos. Inscrever-se como membro de um partido que prima por ser descarado entre os descarados é mais um passo estratégico, para somar mais poder entre os que controlam impostos, taxas, educação e saúde nos mais baixos níveis, segurança zero como política de instrumentação do terror de um governo complacente com o crime organizado. Um governo integrado por terroristas de carteirinha.

Por falar em segurança, o governo está muito preocupado com a violência da guerra entre facções criminosas que já matou mais de 30 pessoas na Somália! Mas no Rio onde morreram quase 50 numa semana ou no resto do Brasil onde se podem somar centenas de mortos a cada semana, vitimados pelas políticas governamentais, nem falar.

No nordeste um prefeito petista é preso com crack. No congresso um deputado petista, Eduardo Valverde, de Roraima, retira um projeto de lei inspirado em resolução da ONU, em defesa da sociedade urbana e para inibir ações terroristas. A justificativa é que “o partido, PT, não quer “criminalizar o MST”. Ora, o MST já é uma organização criminosa, terrorista, e “braço armado” dos comunistas mais radicais, que nem o Sr. Stédile, dona Dilma, esta que o Financial Times dos amigos do Sr. Meireles aponta como provável sucessora do Lula.

É um joguinho sórdido de gato e rato, de engana trouxa! É só anotar a informação da “Contas abertas” e comparar os investimentos em segurança com os de propaganda. Os investimentos em educação e saúde, com o inchaço da máquina governamental com militantes petistas. É só informar-se como os políticos controlam empresas públicas e desviam recursos para os partidos, empresas e contas pessoais. Depois de controlar a Petrobrás, estão de olho na Vale do Rio Doce. Os méritos são dos banqueiros internacionais amigos do Meirelles: investem, corrompem e controlam.

Aqueles feirantes ali, armando suas barracas na madrugada, como os agricultores que coletaram seus produtos para levar às empresas Ceasa, logísticas do abastecimento de frutas e verduras das cidades, produtores privados e pequenos empresários, estão todos – sem exceção – controlados por esses banqueiros. São todos, com suas famílias, sem exceção, vitimados pelos deficientes serviços de educação, saúde, segurança que o Estado tem o dever de proporcionar aos cidadãos.

Mas o governo está preocupado com a violência na Somália, com as deficiências dos EUA obamista, com ferrar a democracia hondurenha, com aproximar-se do Irã, dispensando até passaporte para os viajantes de lá pra cá e daqui pra lá. O governo está preocupado em negociar com a China, com a Rússia e bagunçar o coreto interno no Brasil, com as piadinhas infames do “cara”, com as mentiras sucessivas, com o conto do PACo! Com muita propaganda descarada.

Tudo com as bênçãos da CNBB que finge ser autoridade eclesiástica como o Banco Central finge cuidar dos interesses do Brasil e dos brasileiros. São organizações que deviam sumir do cenário político. A CNBB por sua prepotência, falsidade dos bispos comunistas, militância no “teologismo da libertação” pregando a substituição da fé pela foice, fuzil e depredações. Pela complacência com o infanticídio, com os crimes do MST e enganação dos fiéis difundindo a materialização do abstrato que nem dando nó em fumaça.

A incerteza que marca os nossos dias, atinge também todos os países americanos. Os senhores da Inglaterra e dos EUA, da Rússia e da China, no afã de ficar por cima da carne seca, liderar no cenário da economia e política capimunista globalizada, criaram uma crise, sumiram com os recursos financeiros do mundo. Na briga de foice que travam entre si, espalham o terrorismo, limitam as liberdades e invertem os valores.

As lições, os exemplos, os fatos gerados pelo estado totalitário, de economia capitalista ou marxista, estão relatados, documentados e devidamente engavetados, escondidos, mas não esquecidos. A saída proposta pela globalização e pela “nova ordem mundial” somente acrescenta em morticínio, dor, fome, miséria, sofrimento, ignorância e brutalidade.

Milton Friedman, Mises e outros geniais pensadores e líderes apontam outras alternativas há decênios. Uma delas é de economia doméstica: gaste economizando sem endividar-se, que os bancos são vorazes e vão comer seu fígado! A outra é: Estado mínimo: controles e decisões municipais sobrepondo-se aos controles estatais e Estados podendo decidir suas prioridades sem o controle do voraz poder centralizado, este aí do Stalinácio, da dona Dilma, do banqueiro Meirelles, que tem dado as cartas, para as decisões econômicas e políticas que afetam irremediavelmente todos os brasileiros.

Arlindo Montenegro é Apicultor.