domingo, 4 de julho de 2010

Freud explica... A TV explica... Pavlov explica....


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Ernesto Caruso


Os cem milhões de aparelhos de TV, os cinquenta e oito milhões de domicílios com TV, fora os que se espalham por todos os becos, fundamentam a popularidade do presidente Lula e pesquisas eleitorais, ainda que não totalmente confiáveis os resultados. Produtos manufaturados e propagados por editores e apresentadores.

Dia desses, em programa da Band focado na Copa do Mundo da África do Sul, um dos comentaristas discorre sobre a aprovação pelo presidente do aumento para os aposentados de acordo com o índice estipulado pelo Congresso Nacional, concluindo com um enfático: “Valeu, Lula!”

O tal índice ultrapassava o definido pelo governo e aos quatro ventos foi dito que seria vetado. Não foi vetado, mas efusivamente exaltado. No entanto, o fim do fator previdenciário, contrário ao interesse do trabalhador, foi como previsto, vetado, mas omitido no comentário dirigido ao grande público que acompanhava com avidez os resultados da Copa.

Em outra oportunidade, no telejornal da mesma emissora, várias “chamadas” antecedentes da reportagem anunciavam que Lula não iria à reunião do G20 em Toronto devido às enchentes em Alagoas. Ora, parece uma boa desculpa para não se encontrar com as autoridades mundiais que lhe deram uma reprovação de 12 a 2 no Conselho de Segurança da ONU, na questão nuclear do Irã e no “acordo” sem validade, sem autoridade, sem delegação, pretensamente em nome do Mundo, entre Brasil, Irã e Turquia.

Ainda em nome das enchentes, em telejornal subsequente, repetiram-se notas com destaque de antecipação pelo presidente Lula de benefícios previdenciários e do bolsa família. Qual o significado de dois meses pagos adiantados para aquela gente que perdeu tudo?

Mais adiante, em outro dia, o entusiasmo do primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, afiançando que Lula tem todo o direito de retornar daqui a quatro anos, motivando uma resposta plena de modéstia, de que seria o mesmo cabo eleitoral da candidata do PT no pleito para a reeleição.

Palanque! Palanque! Orquestração.

São alguns poucos exemplos. Diariamente, borbulham outros tantos.

A vultosa propaganda paga colabora em muito para a sustentação da TV privada. Não se pode desprezar o lado comercial do empreendimento, mas se deve refletir até que ponto os gastos nessa rubrica devem existir ao invés de serem canalizados para os benefícios diretos em atendimento à população na saúde, educação e infra-estrutura.

Propaganda de governo deveria se restringir à obra feita, pronta e inaugurada. Hospitais sem pacientes sofrendo em macas espalhadas pelos corredores, segurança pública e qualidade de vida é que dão aval a governos.

Mas, o aparato do governo em termos de comunicação cresce assustadoramente.

Como publicado em maio do corrente, deu inicio a transmissão da Rede Nacional de Comunicação Pública, formada por 4 canais próprios da EBC (TV Nacional, Brasília, TVE/RJ/MA, mais São Paulo), 7 emissoras universitárias e 15 emissoras públicas estaduais, com a programação da TV Brasil para 100 milhões de pessoas, em 23 estados.

Algumas parceiras possuem redes particulares, atingindo a 765 o número de emissoras, além de que a TV Brasil pode ser acessada pelos planos de assinatura e parabólica. Nada a desprezar, pois segundo pesquisa realizada pelo Datafolha, dos 10% que assistem a TV Brasil, 42% usam antena parabólica, 36%, TV aberta e 22%, TV por assinatura. Em nítido crescimento o conteúdo proporcionado pela TV Brasil: dezembro de 2007, 32%, em média; já alcançando mais de 70%.

Vale ressaltar que as operadoras de TV por assinatura são obrigadas a manter a programação dos canais da EBC, com expressivos 8,2 milhões de assinantes, 27 milhões de assistentes.

Muitos dos tele-espectadores estão “desarmados” quando recebem uma informação repetida, como aquela acima mencionada da reunião do G20. A mensagem não tem a inocência de manter a expectativa para a notícia de relevante significado que virá a seguir, mas de construir uma imagem perfeita do presidente. A consciência crítica é neutralizada pela frequente repetição de valores positivos.

As crianças são os alvos prediletos desse tipo de propaganda, porquanto não questionam. O “produto” é bem acabado e embalado, com rótulo simplista e fácil de assimilar.

Segundo a imprensa escrita, o governo federal dobrou os gastos com publicidade na corrida eleitoral de 2010, considerando a média do primeiro semestre deste ano e a dos três anteriores. A TV vai divulgar? Criticas vão surgir? A legislação vai ser obedecida? A sociedade vai reagir, ou o desvio de conduta deixou de ser importante?

O inexplicável é o conceito de “pé frio” do presidente que gira pela boca do povo. Ao receber a seleção brasileira antes do embarque para a Copa, Lula disse que faria a cambalhota do Vampeta na rampa do Palácio se o Brasil fosse campeão. Será? Cambalhotas petistas já ocorreram muitas, mas essa não foi possível. E com a Dilma? Fica a pergunta.

Ernesto Caruso é Coronel da Reserva do EB.

Um comentário:

Anônimo disse...

Coronel, na propaganda oficial da candidata do governo há uma lacuna: Fotos dela lutando pela democracia e não pelo comunismo. Queria fotos dela pelo Brasil usando argumento, na voz e não em armas.
Sempre vemos fotos de outros candidatos em palanques históricos. Portanto tem que existir algo da Dilma assim!!!!!
Chega se sempre mostrar somente as fotos dela nas fichas do DOPS. Ela deve ter feito algo bonito pelo Brasil para merecer ser presidente da nação.
Por exemplo:
· Uma foto da Dilma nas Diretas Já!
· Uma foto da Dilma em uma passeata pela Anistia Ampla, Geral e Irrestrita!
· Uma foto da Dilma em algum evento pela Constituinte Livre e Soberana!
· Uma foto no Impeachment do Collor – se tiver com a cara pintada de verde e amarelo vale dois pontos!
· Uma foto ou vídeo, que mostre ela indignada com o Mensalão ou com a história do dinheiro nas cuecas, nas malas, nas meias, etc.
· Uma foto ou vídeo de algum trabalho social do qual ela já tenha participado.
· Uma foto com uma criancinha no colo (clássica de todo candidato de respeito)...

Deve haver!!!
Preciso convocar a maioria com quem me correspondo na internet e, para isso, preciso de ajuda Pedi isto para a assessoria do PT e não tive resposta ainda. Eles também devem estar procurando estas fotos, se é que existem...
Não podemos ter uma Presidente sobre a qual não sabemos absolutamente nada, a não ser da boca para fora.
Chega de boatos, de "disse-me-disse".
Queremos fotos!
Notícias de jornal!
Documentos históricos!
Isto é importante. Divulgue esta campanha e ajude a acabar com o Apagão Biográfico da Dilma.
O Brasil quer saber mais!