segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Consciência e Sobrevivência: abra os olhos para frente



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

Aí está! Na Venezuela, os agentes do serviço secreto cubano montaram uma operação, em que mais de 20 mil milicianos por eles treinados, visita casa por casa anotando os dados dos eleitores e avisando que vão estar ativos até a hora da votação, conferindo quem votou ou deixou de votar. Chávez promete "transformar a Venezuela num paraíso cubano de felicidade revolucionária".

É o modelo que Lula e sua candidata prepararam para o Brasil, configurado no decreto do Projeto Nacional dos direitos humanos, que de direito afeta os mais elementares Direitos Humanos, impedindo a livre manifestação do pensamento, a propriedade privada, a liberdade religiosa, a independência da família sobre a educação dos filhos, a autoridade dos pais, além de promover o aborto e as escandalosas divisões étnicas e raciais.

Vários outros países da América Latina, como o Brasil, prestigiam e copiam Cuba e sua doutrina guerrilheira. Aí, vem o próprio senil e personalista Coma'ndante, declarando que o sistema comunista que ele mantem na ilha por meio século é um fracasso estrondoso! Não presta!

A estupidez que perpassa a nossa informação televisiva nem percebe o significado da notícia. Nem sabe das políticas que conduziram a nação cubana à miséria e ao desespero. Nem percebe que por lá, o modelo repressivo, anulou as liberdades políticas. A declaração percorreu o mundo, mas logo Fidel disse que "não disse", mudando a versão como fez sempre com os fatos de sua conturbada história de mentiras, violência, enriquecimento ilícito e dependência externa.

Que nos sirva de lição, antes de acusar os "impérios" pelos nossos próprios fracassos, é bom lembrar que em toda a vida republicana da nossa nação, todos os presidentes cometeram erros e acertos. O que nos conduziu ao século XXI, podendo documentar o mais clamoroso dos erros intencionais, na execução das políticas para a educação: na última geração o primado ideológico e as drogas foram impostas ao aprendizado, sem que o esforço de uns poucos acadêmicos pudesse fazer frente aos governantes que beijam a mão de Fidel Castro.

Estas políticas nos conduziram à baixa produção de cérebros. Nossos jovens ficam nos últimos lugares nas maratonas internacionais anuais de ciências e matemáticas. Países menores tem centros de educação superior e laboratórios de pesquisa tecnológica, que aparecem entre os melhores do mundo. Nossas universidades estão nos últimos lugares. Nenhuma aparece entre as 100 melhores! O registro de patentes então, perde para países asiáticos, para Israel, para a Coréia do Sul, que registra 80 mil patentes anuais. Aqui não chegamos a mil.


É o saber, é a aplicação disciplinada e um corpo docente excelente, que faz a diferença competitiva. E para que isto exista, as políticas educacionais necessitam de um planejamento estratégico de longo prazo, com fortes investimentos, diferente de investir em propaganda, compra de votos e corrupção de partidos e políticos profissionais reeleitos continuamente, para apoiar uma ideologia fracassada e que reduz o ser humano a mané gostoso, refém de pão, circo e paternalismo improdutivo.

Nenhum ser humano sabe o suficiente do outro para entendê-lo. Mas todos sabemos que é a família quem gera os filhos, quem os alimenta e supre todas as dificuldades. No trabalho diuturno sobra pouco tempo para digerir a massa de informação contraditória e propagandística, que diverte. Pese as omissões e intenções dos comunistas, a consciência está viva, as pessoas é que estão mal informadas, enganadas. Os que vendem armas e drogas, constroem hospitais. Outros produzem as doenças para vender vacinas e medicamentos.

Que abramos os olhos para a frente. Que deixemos de olhar para trás para alcançar um status competitivo adiante. Isto sim vai reduzir a pobreza e alimentar a todos com dignidade: que os presidentes contem menos lorotas e a nacionalidade exija melhor qualidade de educação. Exija que as ciências e tecnologia sejam ministradas como atrativa missão de cada jovem, com visão universal, sem os antolhos ideológicos.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

Um comentário:

priscilavelho disse...

Ótimo post! =)
Boa semana!