terça-feira, 7 de setembro de 2010

Ética em pane!

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Nelson Valente


Depois das denúncias de corrupção é um erro levantar a bandeira da ética e da moralidade. A impressão que fica é de uma quadrilha desorganizada e atrapalhada: - "Estão verdes, dizia a raposa, sobre as uvas que não podia alcançar...".

O Brasil é o país da corrupção e dos indignados. É indignado que não acaba mais! Desconfiemos dos indignados; são pessoas habitualmente mais preocupadas consigo mesma, uma vez que o indignado, ao dizê-lo, afirma que é digno e o outro, uma porcaria.

Indignados existem em todo lugar, na educação, na política, no empresariado, na sociedade, na imprensa narcisista. Nesse sentido, a queda de um partido que se comportou o tempo todo como um termômetro moral, uma bússola moral, foi atacado exatamente nesse ponto e se transformou em biruta ao sabor das negociatas, coloca o País frente a duas possibilidades: quando o ex-ministro da Justiça Tarso Genro assumiu interinamente a presidência do partido e seu primeiro discurso é sobre a faxina moral, é evidente que a sociedade espera que os corruptos, enganadores, manipuladores, que são muitos, sejam apenados conforme a lei.

No entanto, ideologizar isso e novamente propor à Nação um projeto de pureza moral, é novamente criar ilusão. É do tipo "não aprendi nada", que diz à população: vocês tinham razão de esperar muito do PT porque nós somos a reserva moral da Nação. Houve um "probleminha” entre nós, mas continuamos sendo a reserva moral da Nação.

Essa "cegueira pessoal" pode ser solução imediata para o partido, mas a médio e longo prazo não funciona. Não descarta a possibilidade de o grupo de petista que assumiu a condução do partido nos últimos anos tenha chegado ao poder já com más intenções (mas exclui dessa turma o presidente da República), não sendo apenas resultado da corrupção do poder.

O poder corrompe os fracos. O remendo do poder é a corrupção. O povo brasileiro foi enganado. O Brasil encontra-se frente a um desafio maior do que fazer uma faxina moral como propunha Tarso Genro e de novo um gaúcho se apresentava como bastião da moralidade. Antes era um ex-guerrilheiro e até mesmo o presidente da República, que construiu recentemente uma frase questionável lógica.

Lula havia dito, e sempre repete, que é filho de analfabetos, sofreu muito na infância, percorreu uma trajetória socialmente baixa até alcançar a Presidência da República, "logo" não há no Brasil pessoa mais ética do que ele. Esse "logo" não liga nada a nada, a frase de Lula foi de "uma infelicidade absoluta".

Não adianta o PT se refazer. É preciso encontrar a "síndrome" causadora de atos de corrupção e de outras mazelas individualizadas, que não adianta tratar isoladamente. Não é tarefa para uma só pessoa, mas para a sociedade e especialmente a comunidade científica. Estamos perdendo uma imensa chance de colaborar com o Brasil e com o mundo.

Erros e falhas todas as pessoas cometem. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem um legado a ser defendido. A ética está em pane no ninho tucano, como também dentro do Partido dos Trabalhadores, mas seria ignorância, arrogância, falta de cultura e refinamento, considerar que foram 8 (oito) anos sem aspectos positivos no governo. Mas pelo menos as virtudes da sua gestão deveriam ter sido defendidas.

Luis Inácio Lula da Silva é sem dúvida nenhuma o melhor presidente da República, no período republicano e foi graças ao legado de Fernando Henrique Cardoso. Não se pode esperar que um presidente da República, da estirpe e competência de Fernando Henrique Cardoso, vá para os livros, numa nota de rodapé.

O que de uma vaca não se pergunta sobre a própria ação; ela é garantida biologicamente. Uma vaca é sempre uma vaca. Mas o homem nunca é o mesmo homem.

Nelson Valente é professor universitário, jornalista e escritor.

3 comentários:

Anônimo disse...

O PT fez coisas boas e novas: as novas não eram boas e as boas não eram novas!

Anônimo disse...

, "Luis Inácio Lula da Silva é sem dúvida nenhuma o melhor presidente da República, no período republicano."

Uma estultíca desse porte eu só ouvi até hoje de petista convicto e empedernido! Para mim, Luis Inácio Lula da Silva é, sem dúvida nenhuma, o PIOR presidente da República, no período republicano. Nada fez além de usufruir daquilo que combateu a vida toda nos governos anteriores. Aí estão as reformas por fazer e a infraestrutura do país em cacos, que não me deixam mentir. A política externa? Um lixo! E como se tudo isso não bastasse, o seu desgoverno rebaixou como nunca a política, institucionalizou a corrupção e vai legar uma herança verdadeiramente maldita, que é a desinstitucionalização do país!

Anônimo disse...

O curioso que o artigo foi publicado antes do escândalo da ministra da Casa Civil, do governo federal. Afinal de contas, perguntar, não ofende: o autor tem bola de cristal? Primeiro, destaca a ausência do FHC. Segundo os escândalos. O que é isso, comanheiro, Lula?