sábado, 25 de setembro de 2010

No que se transformaram os socialistas e marxistas que alçaram o poder

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Bosco Leal

O partido político do atual presidente da República até no nome sempre se denominou como defensor dos trabalhadores, motivo pelo qual, dizem seus dirigentes originais, quando de sua fundação, em 1980, deveriam seguir a cartilha socialista marxista

Com essa bandeira, e outras de igual cunho socialista, como a reforma agrária, o Partido dos Trabalhadores buscou o apoio político da massa trabalhadora rural e urbana do país em diversas campanhas políticas que disputou, para cargos nas mais diversas esferas de governo, tanto no Poder Executivo, como no Legislativo e Judiciário.

Durante esses trinta anos, desde sua fundação, em 10 de fevereiro de 1980, conseguiu crescer muito em todos esses poderes, chegando a eleger o atual presidente da República ,Luis Inácio Lula da Silva, muitos senadores, deputados federais, estaduais, prefeitos e vereadores espalhados por todo o país, além de muitos pertencentes ao Poder Judiciário, que declaram ser eleitores do partido.

O que me confunde nessa história é que, de todos os petistas que conseguiram sucesso, jamais vi um só deles não alterar seus pensamentos e atitudes em relação a usufruir, ele próprio, de todas as mordomias que o capitalismo oferece a quem tem sucesso, tanto no meio político como empresarial.

Alguns casos mais conhecidos podem ser lembrados com facilidade, como as bolsas utilizadas atualmente pela candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff, sempre de grifes caríssimas, que chegam a custar o que um trabalhador que ganha salário mínimo leva um ano para ganhar.

O senador Eduardo Matarazzo Suplicy, homem reconhecidamente nascido de família muito abastada, quando convidado pelo lider regional do MST para conhecer um acampamento no Pontal do Paranapanema, resolveu, talvez pensando em ganhar mais votos, dormir no tal acampamento. A imprensa divulgou na época que, para dormir nesse acampamento por uma única noite, numa barraca de lona, Suplicy usou um pijama de seda pura.

As adaptações feitas no novo avião presidencial comprado pelo presidente Lula tem tanto luxo que só encontra similares nos dos reis, príncipes e sheiks árabes, donos dos maiores poços de petróleo do mundo. Os ternos que o presidente usa atualmente custam milhares de reais, de uso jamais sonhado por um trabalhador filiado a seu partido, assim como os charutos cubanos consumidos pelo presidente, presentes constantemente enviados pelo "companheiro" Fidel Castro.

O próprio José Dirceu, tido como o "cabeça pensante" do partido, mesmo dizendo-se fora do governo, viaja constantemente pelo país e para o exterior em jatinhos particulares, usando roupas e perfumes caríssimos, além, é claro, dos retoques estéticos realizados, como o recente implante de cabelos.

A imprensa frequentemente tem publicado dados e fotos sobre o padrão de vida levado por diversos desses petistas que alcançaram algum tipo de poder público. São casas, carros, hotéis, roupas, bebidas, viagens, gastos com cartões, etc., que nada condizem com a mesma pessoa antes de alçada ao cargo que hoje ocupa.

É uma afronta à razão dizer que alguém levando esse padrão de vida seja realmente um socialista, comunista ou marxista, que luta pela igualdade social. Continuam com o discurso de divisão de bens, mas jamais aceitarão dividir seu atual conforto nas mansões com carros de luxo nas garagens. Coisas do capitalismo.

João Bosco Leal é Produtor Rural - www.joaoboscoleal.com.br

Nenhum comentário: