quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Dilma aposta em desgaste das Forças Armadas policiando áreas do narcovarejo por longo tempo

Edição do Alerta Total – http://www.alertatotal.net/


Por Jorge Serrão

Desgaste para imagem das Forças Armadas, sobretudo o Exército, fazendo o policiamento ostensivo em ações de enxugamento de gelo contra narcotraficantes. Eis a fórmula perfeita encontrada pela futura Presidenta Dilma Rousseff para praticar seu revanchismo pessoal contra os militares. A chefona-em-comando das FFAA vai submeter as tropas a um papel que não é o delas, mantendo-as sob o regime de pão (que o Diabo amassou) e água (estagnada) dos últimos anos.

É consenso entre especialistas que os militares não estão preparados para realizar as atividades de policiamento requeridas pela missão. Soldados são preparados para a guerra, e não para cumprir a função da Polícia Militar. Para piorar a situação, falta amparo legal para atuação das Forças Armadas contra o tráfico, sem a decretação de um Estado de Emergência. Dilma e seus revanchistas apostam que o Exército sairá desgastado desta “missão”.

Ouvido pela Reuters, o coordenador do Núcleo de Estudos de Instituições Coercitivas da Universidade Federal de Pernambuco (Ufpe), Jorge Zaverucha, adverte que há chances de que as tropas sejam corrompidas pelo tráfico, como ocorreu no morro da Providência, em 2008. Na ocasião, 11 militares que cuidavam da segurança de uma obra do governo federal detiveram e entregaram três jovens pertencentes a uma facção criminosa a um grupo rival - os jovens foram mortos, e os soldados acabaram presos.

Os bandidos sabem muito bem como desgastar as Forças Armadas. Resta saber se os militares cairão facilmente na cilada, ou se saberão sair, à francesa, de mais essa armadilha político-ideológica.

Deprimido

Observadores do chefão Lula da Silva sentem que ele anda meio deprimido nos últimos dias.

Lula já começa a sentir os efeitos de ficar sem poder, a partir de janeiro.

A transição de governo já dá sinais de que não fará bem para o fígado presidencial...

Quem procura acha

A Corregedoria de Polícia do Rio de Janeiro tem uma missão quase impossível.

Tenta descobrir onde foram parar US$ 250 mil dólares que estariam em poder de narcovendedores do Complexo do Alemão.

Bandidos presos denunciaram que a grana sumiu em meio a operação, e agora o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, espera que quem achou a sacolinha com os dólares faça o favor de devolver...

Fim prematuro do casamento?

Será que realmente azedou a relação da Dilma com o governador do Rio, Sérginho Cabral (PMDB)?

A desautorização da nomeação de Sérgio Côrtes para o Ministério da Saúde não é suficiente para gerar briga.

Mas se Dilma e Lula não vetarem os prejuízos que o RJ terá com o rearranjo dos royalties do petróleo, aí o pirão vai mesmo desandar...

Prejuízo grande

Cabral queria manter seus domínios sobre a pasta da saúde.

O atual ministro José Gomes Temporão fora indicação pessoal do governador para Lula.

Se a perda for muito significativa para Cabral, pode ocorrer um abrupto rompimento político entre ele a turma do Planalto.

Eu acho que vi um gatinho...

A indicação do ex-governador Moreira Franco para o Ministério das Cidades está quase indo para o espaço.

Moreira é indicação pessoal do vice-presidente eleito Michel Temer, mas a ex-brizolista Dilma Rousseff não vê com bons olhos o velho “Gato Angorá”.

O ex-governador do Rio queria ser presidente da Caixa, mas já se dava satisfeito com o ministério das Cidades, no qual podia fazer o que mais sabe em política: o meio campo entre o poder público e as empreiteiras.

Ingleses sempre na parada

A Odebrecht Óleo e Gás (OOG), em parceria com a inglesa Acergy, assinou contrato com a Petrobras para construção e instalação de um trecho de 150 quilômetros de gasoduto marítimo.

O contrato no valor de US$ 240 milhões prevê a construção de um dos trechos do gasoduto da Petrobras Sul /Norte que transportará gás natural do campo de Camarupim ao complexo do Parque das Baleias, na costa do Espírito Santo.

Mais uma prova de que a Odebrecht e os ingleses estão em todas nos governos do PT...

Vida que segue...


Ave atque Vale!


Fiquem com Deus.


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 2 de Dezembro de 2010.

Um comentário:

Anônimo disse...

Ponta do novelo – A operação de retomada da Vila Cruzeiro e do Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio de Janeiro, tem feito a alegria de políticos oportunistas, como é o caso do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB), mas há detalhes nessa fábula que a imprensa parece não se interessar. De acordo com pesquisa realizada pelo Ibope, as ações das forças de segurança contam com 88% de aprovação popular. Nos 12% restantes estão inclusas as 500 mil pessoas que trabalham direta ou indiretamente no narcotráfico.

Enquanto Luiz Inácio da Silva e Cabral Filho comemoram o êxito da operação, ninguém se preocupou em explicar detalhes de um quebra-cabeça que não se encaixa. A primeira incoerência está quantidade de drogas apreendida, pois nem mesmo os traficantes sabiam da existência de 42 toneladas de maconha, cocaína e crack nos dois complexos de favelas. O que se comenta é que para render dividendos extras, políticos principalmente, pacotes de maconha apreendidos em outras incursões policiais foram usados para engrandecer a operação. Deixando de lado tal possibilidade, é preciso que as autoridades esclareçam como tamanha quantidade de droga entrou no País.

Ainda no quesito drogas, inicialmente as autoridades policiais anunciaram a apreensão de 30 quilos de cocaína, mas, horas depois, a quantidade passou para 300 quilos. Quando as drogas seguiram para a Companhia Siderúrgica Nacional, em Volta Redonda, onde foram incineradas, a quantidade cocaína encontrada na Vila Cruzeiro e no Alemão caiu para 235 quilos. O que mostra que a história tem capítulos muito mal contados.

Em relação às armas apreendidas, muitas delas são de uso exclusivo das Forças Armadas, como as três bazucas encontradas pelos policiais nos últimos dias. Pelo que se sabe, bazuca é um armamento de uso exclusivo do Exército. E alguém do Ministério da Defesa precisa explicar como esse material acabou nas mãos dos traficantes.

O pior ficou por conta da notícia que muitos tentam emplacar a força. De que muitos traficantes conseguiram vencer o cerco policial fugindo por galerias de esgoto e águas pluviais. A forma como parte da imprensa vem noticiando o fato dá a sensação que se trata de missa encomendada para minimizar a fracassada captura dos barões das drogas do Rio de Janeiro. Com a palavra, o incompetente governador Sérgio Cabral Filho.