sábado, 4 de dezembro de 2010

Poeira estelar e forças de paz da guerra

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Arlindo Montenegro

É muito comum que um assunto indigesto para os governantes seja logo arquivado e substituído por notícias espetaculares, "científicas" na maioria das vezes, de interesse vital para congregar todas as atenções, locais ou mundiais. Diante de dificuldades internas intransponíveis, o governo de Mr. Obama mobilizou a Nasa, para lançar a notícia que chegou ao mundo como "descoberta de vida extraterrestre"!

Erro de interpretação? Ou interpretação deliberada para criar o sensacionalismo? A metodologia da propaganda já é conhecida há muito tempo para formar a opinião pública. Isto é, manobrar, meter uma opinião na cabeça da gente, associando informações "científicas" com ilusões, que nem aconteceu com o aquecimento antropogênico do Al Gore.

A Royal Society acaba de quebrar a bola de cristal e dar uma marcha à ré: não dá para saber como nem quando o clima vai mudar... no futuro. Isto um ano depois do fracasso da Conferência sobre o Clima em Copenhague, provocado pelas denúncias da fraude, feitas por centenas de cientistas sérios do mundo inteiro, como o brasileiro Dr. Molión.

As verdades emergem nas ainda existem "formadores de opinião", ingênuos ou sacripantas, defendendo as mentiras da Onu-Al Gore espalhadas pelas escolas do mundo inteiro com filminho que parecia "verdade". Hoje, graças à liberdade que a internet proporciona, as informações históricas são revistas. E as "verdades" se tornam incovenientes para os governantes de estados cada vez mais poderosos.

Verdadeira é a guerra que desmonta vidas e cérebros, que desmonta culturas e persegue religiões, impõe mudanças comportamentais e ridiculariza crenças, valores e atitudes, que nos conduziram positivamente, para resistir e subsistir no campo minado pelas armadilhas da velha-"nova ordem mundial".

O "telefone" direto entre a Casa Branca e o Kremlin, os botões que acionariam os dispositivos nucleares para destruir o mundo, foram descartados e a guerra se fragmentou, deixando de ser um evento distante, para ameaçar e matar em qualquer cidade, bairro, favela ou povoado interior, com a venda ilegal de armas e drogas.

Os exércitos antes mobilizados para defender as instituições "democráticas" ou "comunistas", para defender a "democracia" contra as ameaças à liberdade, mudaram o foco objetivo: agora, os velhos "instrumentos" preparados para a guerra e para a defesa da soberania, para a conquista ou defesa territorial, são mobilizados como "forças de paz" contra narco-traficantes locais.

Força de paz para fazer a guerra! Bem orwelliano! É o ambiente dos "conflitos gerenciados", pelos que implantam a nova ordem mundial. Com a vantagem do controle que têm sobre a informação que confunde e estimula a opinião de cabresto. Já tramam incriminar quem denuncia e adverte com provas materiais, os propósitos "secretos" e a desfiguração da história.

Ontem mesmo, no Congresso Nacional, um deputado denunciava o Código Florestal, fundamentado nas crenças implantadas pela fraude do aquecimento antropogênico e semeadas por ativistas de ongs internacionais, em defesa de interesses externos. O tal código impõe "multas exorbitantes e interdições arbitrárias" desmontando a agricultura num país que poderia estar produzindo o dobro do que produz.

Naquele instante, o Congresso homenageava o líder e ativistas do MST, movimento marginal, obediente às orientações revolucionárias do Foro de São Paulo, intimamente ligado ás Farc, que abastecem o mercado brasileiro com o pó, que infecta as narinas e os cérebros de muitos homens que decidem e outros associados ao comércio infame, aqueles que o Prof. Olavo de Carvalho define como os barões da droga.(http://www.olavodecarvalho.org/semana/101201dc.html).

O Congresso Nacional então acredita que a co-responsabilidade do MST com o contrabando de armas e drogas das Farc, do Perú, da Bolívia, como já sabem os serviços de segurança, representa "um serviço de relevância para a sociedade", merecendo então a Medalha do Mérito Legislativo!!!

Que o diga a ONU, orientando seus servidores para a desmobilização de serviços prestados às "comunidades" cariocas, mobilizando os planos de emergência - "calling tree e o Standard Operating Procedures" - para a segurança nas mobilizações, no terreno onde a guerra assimétrica continua. Ainda não foi preso nenhum grandola do tráfico. Muito menos algum "barão". O que há por baixo do pano, se intui, mas não se sabe ao certo, reside nos foros econômicos secretos.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro Arlindo, por ser um homem esclarecido, pesquisador e bem-intencionado, essa situação te incomoda e você procura fazer a tua parte tentando esclarecer a patuléia. Louvável, nobre, respeitável, mas, sinto dizer: perda de tempo. O mundo será sim (ou já é)governado por uma elite "esclarecida" e tirana como, aliás, sempre foi. A humanidade é um enxame burro e dirigível por faraós, taicuns, césares, napoleões, stalins, hitleres, lulas, chavezes, ufa!... Assim sendo: chip na tigrada, pão e circo, controle populacional para os estômagos inúteis e se preciso, descarga elétrica via satélite para por nos eixos ou mesmo eliminar os recalcitrantes. É inexorável, meu caro.

Montenegro disse...

Ô meu caro anônimo! ânimo! este negócio de se render e botar o rabo entre as pernas parece o oposto de quem quiser afirmar a iniciativa individual, o espaço para uma civilização que evolua humanamente. Não obstante o que vc. diz "inexorável", agora sabemos quem é quem, coisa que antes não sabíamos. Que sejam mil, dez mil ou um milhão...Sutton e outros que não são iletrados que nem eu, acreditam que a vida em liberdade é sim inexorável. Deixa que eu e outros sonhadores de boa vontade vamos continuar buscando e expondo verdades inconvenientes, de fato. Inconvenientes para os poderosos.