quarta-feira, 30 de junho de 2010

Investidores sinalizam retirada de apoio financeiro à campanha tucana, se Serra cair demais nas pesquisas

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net (atualizado nesta Quarta)

Por Jorge Serrão

“Investidores” davam ontem sinais de que podem não injetar mais recursos – ou o dinheiro prometido anteriormente – na campanha presidencial de José Serra. A informação, preocupante para os tucanos, circulava ontem nos bastidores do conflito de interesses entre DEM e PSDB. Pesquisas eleitorais internas, que não são divulgadas para o eleitorado profano, indicam tendência de queda na intenção de votos em Serra – que só tem força eleitoral segura em São Paulo. No resto do País, tende a perder para Dilma Rousseff.

O apoio a Serra, que será anunciado hoje na convenção nacional do DEM em Brasília, será para inglês ver. O casamento entre os dois partidos será apenas de fachada. Os Democratas vão insistir, até à morte política, na indicação do vice na chapa de Serra. Aproveitam a fragilidade política do PSDB, onde há caciques sofrendo pressão forte para rever a indicação do senador paranaense Álvaro Dias para o estratégico cargo. O próprio Serra, que gosta de manter seu verniz ideológico de “esquerda”, é um dos maiores defensores da chapa “puro sangue”, que ele prefere não ver manchada por um nome “direitista” do DEM.

O desgaste dos tucanos só não é maior porque, no momento, todas as atenções estão voltadas para a Copa do Mundo. No Nordeste, onde o partido carece de votos e o DEM mostra sinais de decadência, todos só pensam nas festas juninas e na desgraça gerada pela tsunâmica chuvarada não prevista pela nossa precária meteorologia. Depois que a jabulani e as águas revoltas parerem de rolar, Serra vai se defrontar com a dura realidade de uma prevista derrota eleitoral no arraial nordestino. A perda pode ser menor no Ceará, que está dividido. E deve também ocorrer em Minas Gerais, onde o ex-governador Aécio Neves – seguro na disputa por uma vaga ao Senado – dificilmente fará seu sucessor (Antônio Anastácia) contra o governista Hélio Costa.

Covardia eleitoral

O advogado Mário de Oliveira foi uma das maiores vítimas da covardia política da atual campanha presidencial.

Embora fosse o único dos candidatos nanicos a registrar algum percentual de intenção de voto nas pesquisas (0,1%), Mário foi traído e pretedido por seu partido.

O PT do B decidiu apostar na coligação com o PSDB, em torno da candidatura presidencial de José Serra.

Novo partido

Mário de Oliveira informou ao Alerta Total que já tem uma estratégia alternativa à aparente derrota interna em seu partido.

Seu projeto imediato será aproveitar a mobilização criada na pré-campanha para criar um partido de linha realmente conservadora, com propostas políticas concretas para o Brasil.

Mário defende que é preciso romper com a maldita tradição brasileira de que só se pode fazer campanha política “tendo outros interesses envolvidos”.

12 na corrida

A disputa pelo trono de $talinácio no Palácio do Planalto reformado terá 12 postulantes.

A mídia amestrada só propaga seus favoritos Dilma Rousseff (PT-PMDB), José Serra (PSDB-DEM), e Marina Silva (PV).

Mas também estarão na disputa Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), Rui Costa Pimenta (PCO), Zé Maria (PSTU), Levy Fidelix (PRTB), José Maria Eymael (PSDC), Oscar Silva (PHS), Ciro Moura (PTC), Américo de Souza (PSL) e Invan Pinheiro (PCB).

Multado sempre

A campanha presidencial deste ano é uma piada de mau gosto.

$talinácio tomou ontem sua sexta multa por propaganda eleitoral antecipada para sua candidata:

"Não me importo em ser simplesmente um cabo eleitoral para ela nessas eleições".

Em vez de multa, o TSE devia dar a Lula um diploma de "cara de pau"...

Baixa baiana

Antônio Carlos Magalhães Júnior não é candidato à reeleição ao Senado pela Bahia.

ACM Jr prefere dar um tempo na política explícita, apoiando a candidatura de José Carlos Aleluia.

O filho do lendário ACM prefere focar sua atenção no que sempre fez bem: dirigir as empresas do grupo Bahia.

Toy Story eleitoral

Antony Garotinho, mesmo sem chances eleitorais, pode ser candidato a governador do Rio de Janeiro.

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Marcelo Ribeiro concedeu liminar na noite de ontem e suspendeu decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) que considerou Garotinho inelegível.

A liminar concedida pelo ministro vale até o julgamento final do recurso de Garotinho, que fora condenado por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação durante a campanha para eleger sua mulher, Rosinha Garotinho, prefeita de Campos dos Goytacazes (RJ) no pleito de 2008.

Coisa hedionda

João Carlos Vasconcelos Carepa, de 52 anos, foi condenado ontem a 15 anos de reclusão em regime fechado por abusar de uma menina de 11 anos de idade, em 2006.

O condenado, que trabalhava como assistente administrativo do governo paraense, é irmão da governadora do Pará, Ana Julia Carepa (PT).

Quem bateu o martelo foi a juíza Maria das Graças Alfaia Fonseca, titular da Vara de Crimes Contra Crianças e Adolescentes de Belém, que considerou a culpabilidade do réu "gravíssima pois de forma consciente e perversa premeditou os crimes, razão pela qual tal circunstância não o favorece".

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 30 de Junho de 2010.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Covardia de Lula em não comparecer à reunião do G-20 joga Marina no colo da Cúpula Global e atrapalha Dilma

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net (atualizado nesta Terça)

Por Jorge Serrão


Assim que acabar a festança da Copa do Mundo, e começar, para valer, a campanha presidencial, a candidatura de Dilma Rousseff corre o risco de sofrer as conseqüências das recentes mancadas diplomáticas do chefão $talinácio da Silva. A previsão é de subida forte, nas pesquisas, da candidatura de Marina Silva, junto com a queda gradual de Dilma e a diminuição, mais brusca ainda, das intenções de voto em José Serra.

A candidata de Lula deve pagar caro pela sua recente covardia do chefão em não comparecer à reunião do G-20, em Toronto, no Canadá. A Oligarquia Financeira Transnacional não perdoa quem toma posições pessoais, ou tem a pretensão de mostrar pretensa independência política. Lula não foi ao encontro dos poderosos globalitários com medo de sofrer uma pressão forte por seu equivocado apoio ao programa nuclear do Irã. Pegou muito mal, o presidente inventar que ficaria no Brasil para coordenar as ações contra as enchentes no Nordeste, quando todo mundo e o mundo todo sabem que Lula nada coordena.

Os controladores globalitários perderam a confiança em Lula. O resultado disto será a retirada de apoio a uma continuidade do grupo dele no poder, via Dilma Rousseff. As apostas globalitárias, agora, são na “avatar” verde Marina Silva. A Oligarquia Financeira Transnacional já sinalizou a intenção de mudar o eixo de poder, com a promessa de injeção de recursos anglo-holandeses na campanha presidencial do Partido Verde. A petralhada e seus parceiros de negócios do PMDB que se cuidem.

Quem perde o apoio da cúpula globalitária pode até vencer a eleição. Mas terá dificuldades para governar depois, ainda mais se estourar a prevista crise econômica a partir de 2011/12 – conforme previsão de atentos analistas do mercado bancário e acionário mundial.

Armai-vos uns aos outros

A Suprema Corte dos Estados Unidos estendeu ontem os direitos de porte de armas para todos os estados e cidades do país.

Pelo apertado placar de 5 votos a 4, a mais alta corte dos EUA ampliou a Segunda Emenda da Constituição, para que os norte-americanos tenham o direito de portar armas em todas as cidades e estados.

Nos EUA, calcula-se que cerca de 90 milhões de pessoas portam aproximadamente 200 milhões de armas de fogo.

Cana da boa

O chefe de gabinete de $talinácio, Gilberto Carvalho, ganhou o bolão organizado por integrantes da coordenação de governo, acertando o placar do jogo Brasil x Chile.

Seu prêmio será uma garrafa da maravilhosa cachaça Maria da Cruz – que será ofertada pelo vice-presidente José Alencar.

Admirador da água que passarinho não bebe, Lula ficou sem o precioso líquido porque apostou que o Brasil ganharia do Chile por 4 a 1.

Inimigo do BC

Henrique Meirelles constatou, no fim de semana, que sai mais barato ter um super-inimigo do que ter “um amigo” como José Dirceu de Oliveira e Silva.

Meirelles não gostou nada do comentário do ex-ministro da Casa Civil, e que espera voltar ao poder se Dilma ganhar, no blog do Zé, no final de semana:

Na linha dura, fundamentalista, apenas para marcar posição e deixar claro que não permitirá a queda dos spreads bancários e a expansão do crédito, o Banco Central aumentou o depósito compulsório de 43% para 44% para compensar o aumento de crédito, que poderia vir com a queda de 30% para 29% na obrigação dos bancos aplicarem no crédito agrícola dos depósitos à vista que detém. Uma medida que todos que acompanham a atuação do BC sabem que não era necessária. Na pratica, a queda nos índices de aplicação do crédito rural versus depósitos à vista não necessariamente precisa de um aumento no compulsório. Se o BC o fez foi para diminuir o crédito e impulsionar o aumento dos juros, um tiro certo no coração do crescimento”.

Direito virtual

A partir de 1º de agosto todas as petições e peças processuais dirigidas ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) devem ser encaminhadas apenas pela Internet.

Para isso, tribunais, magistrados, advogados, as partes dos processos e demais interessados precisam estar cadastrados no Sistema de Processo Eletrônico do Conselho (E-CNJ).

O cadastramento é feito na Seção de Protocolo do CNJ, em Brasília, ou em um dos tribunais conveniados (clique aqui).

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 29 de Junho de 2010.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Capatazes e Vaqueiros

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

Atestando que cada pessoa é única, apenas um grupo pequeno dos humanos tem contribuído, em todos os tempos, para a evolução do conhecimento. Os estudiosos indicam que a evolução do conhecimento decorre da memória, física e mental, intimamente ligadas.

O cérebro, sede da memoria física, pode guardar um arquivo gigantesco de informações objetivas. As informações subjetivas, parecem ser fruto da mente, que atua em intimidade com o cérebro, cobrindo um espaço tempo imensurável e insondável.

Nasce a criança e os pais nutrem, passam princípio e valores que vão ser guias morais e éticos pela vida afora. Comprovaram-se que as experiências recolhidas até a segunda infância, estarão presentes nos comportamentos da vida adulta, para realizarmos todas as operações físicas e mentais, comportamentos, escolhas. No mundo dito civilizado, o estado tem absorvido todas as decisões sobre educação das crianças, desde a mais tenra idade.

Os pais ainda podem imprimir alguns valores, mas perderam a autoridade diante da escola e a televisão, que atuam destruindo valores conceituados há séculos. Os governantes, os políticos, controlam o modo de pensar e agir da sociedade. Os padrões naturais entram em choque. Subjetivo e objetivo se desencontram. A estruturação política da sociedade, “engenharia social”, substitui velhas crenças e “constrói” a manada.

Juan C. Sanahuja, editor do site argentino http://www.noticiasglobales.org/ comenta que “apesar dos atraentes “Objetivos do Milênio para o Desenvolvimento”, os reais propósitos da ONU se evidenciam como instrumento da reengenharia social anti cristã. Mais ainda: a imposição de pensamento, opinião e comportamentos planetários para a implantação anestésica da religião única e do governo totalitário desenhado pelos illuminati da nova ordem mundial.

O Secretario Ban Ki-moon, anunciou que o grupo promotor da reunião cume dos Objetivos do Milênio é co-presidido por Paul Kagame, presidente de Ruanda, processado na França e na Espanha por genocídio, crimes de guerra de lesa humanidade e terrorismo. O sujeito é responsável pela morte de mais de 3 milhões de pessoas, em Ruanda e na República Democrática do Congo.

Outros integrantes são: o Primeiro Ministro espanhol, Zapatero, promotor de minorias abortistas, homossexuais e anti cristão. Idealizador da Aliança das Civilizações, para estreitar os laços com o Islã, que reúne Federico Zaragoza “pai” da Comissão Cultura e Desenvolvimento, cujo primeiro presidente foi Javier Pérez de Cuellar, membro do Club de Roma (illuminati); Mayor Zaragoza, ferrenho opositor da igreja na Espanha; Karen Armstrong ex-freira que se declarou monoteísta free lancer e promove cultos sincréticos unindo cristianismo, judaísmo e islamismo.

Tem mais: Jeffrey Sachs, dos EUA, professor de Harvard, Diretor do Instituto da Terra, Presidente e co-fundador da “Millennium Promise Alliance”, financiada, entre outros, por Georges Soros. Ted Turner, fundador da “Iniciativa das Religiões Unidas” ligada à Carta da Terra, que propõe a religião universal única para a nova ordem mundial.

A democracia de verdade, está definida pelo poder limitado, fragmentado nas diversas instituições nos níveis de decisão nacional, estadual e municipal, propiciando aos cidadãos o acesso a instâncias de defesa dos direitos universais. Contra o poder totalitário. Caso contrário, as eleições de representantes, que são alardeadas como certificado único da prática democrática, perdem a credibilidade e a alternativa de substituição dos governantes, uma mentira.

Somente a descentralização do poder preserva o ambiente democrático e propicia a vida numa sociedade de homens livres. É bem o contrário do que ocorre no Brasil, do que se desenha nas Américas e no mundo, onde o Estado e um grupo cada vez menor, concentra todas as decisões, priorizando a seu critério a aplicação de todos os recursos.

Entre nós, todas as iniciativas promovidas pelo Foro de São Paulo e seguidas à risca pelos atuais governantes, estão alinhadas na execução obediente da estratégia de poder dos illuminati que atuam pela nova ordem mundial. Os Bilderberg e seus banqueiros liderados pelos Rothschild, dão as cartas.

Tudo está contido na ação da Onu, nos encontros dos “G8” que decide para o “G20” executar, seguindo o desenho das agências espalhadas pelo mundo e apoiadas pela imposição cultural do CFR. Tudo está delineado no subversivo Projeto Nacional dos Direitos Humanos, que o cínico e irresponsável truqueiro, capataz e papagaio dos poderosos do mundo, assinou “sem saber”.

Do mesmo modo que os “representantes” assinam pedidos de emendas constitucionais para incluir um litro de cachaça na cesta básica (Programa CQC-100, no YouTube). Quanto mais ignorância e irresponsabilidade política, tanto melhor para o controle totalitário global. Este é o nosso barco furado pelo cinismo populista comandado pela inteligência da nova ordem mundial.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

O mar se transformando em óleo

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Márcio Accioly


Responda depressa: quando essa festança (Copa Mundial de Futebol) que ora domina a atenção de boa parte do mundo terminar, os responsáveis pela administração mundial cuidarão de parar o vazamento de óleo no Golfo do México, ou arranjarão nova forma de entreter massas desinformadas e facilmente manipuláveis?

O problema é que pelicanos e outros pássaros marinhos, golfinhos, baleias, tubarões, tartarugas e peixes de todas as espécies estão morrendo às centenas de milhares e os países concentrados na Região já sentem os efeitos desastrosos no anúncio da perda de bilhões de dólares com o turismo. Vai ter muita fome, muita mesmo!

Desemprego, desespero, impotência diante de acontecimento que depende da aplicação de avançada tecnologia que agora se sabe ainda não existir. Outra pergunta que insiste em permanecer: por quantos meses mais ou anos serão jogados 60 mil barris diários de óleo dentro do Golfo, vindos do poço que vaza desde o último 20 de abril?

Para se ter idéia precisa, o Golfo do México está hoje com mais de dois por cento de óleo. Este óleo vai avançando por toda a Costa Leste dos EUA, na direção do Ártico, apodrecendo lá em baixo as praias de Cuba, Bahamas e outros países. Cada qual vai recebendo sua dose de veneno, pois não se dispõe de meios para estancar o desastre.

Nos EUA o drama é seriíssimo. A indústria pesqueira que abastece o país é quase toda concentrada no Sul. Os prejuízos são incalculáveis: contam-se aos bilhões de dólares! Já existe até registro de suicídio por conta do fato. A fedentina é insuportável e as pessoas têm consciência de que tudo piora a cada novo dia.

Como desgraça pouca é consolo, o presidente Barack Obama foi a Toronto, no Canadá, e anunciou na reunião do G-20 que os EUA vão ter de apertar o cinto para reduzirem seu déficit de mais de 13 trilhões de dólares.

O economista David Walker, que está à frente de um grupo que fiscaliza a política fiscal norte-americana (Fundação Peter G. Peterson), diz que seu país tem de se preparar para “apertar o cinto”. Ou se tomam providências agora, em sua opinião, ou “a bomba-relógio irá explodir em breve”.

Walker acredita que a única coisa que se tem de fazer é esclarecer o povo. Por isso, sua Fundação tem patrocinado palestras de Norte a Sul, enfocando a gravidade da questão do déficit e dizendo a todos que fiquem bonzinhos, deixem de gastar e aguardem a sua redução para voltarem então com o desperdício novamente.

Com relação ao vazamento do óleo, a possível solução não é nada animadora, mas grupo respeitável de cientistas entende que pode estar a caminho. Seria decretada pela própria Natureza, sendo, portanto, inevitável. O porta-voz desse grupo, Robert Felix, escreveu dois livros que começam a fazer sucesso, alcançando grande vendagem.

O primeiro deles, “Not By Fire But By Ice” (1995), afirma que a Terra já entrou numa mini-era glacial (fato que se registra a cada 11.500 anos), com a diminuição da atividade do Sol, maior incidência de terremotos, massivas erupções vulcânicas (inclusive submarinas), fortes chuvas e enchentes que devastam o planeta.

Tudo isso começou com a mudança da própria órbita da Terra, o que explica a alteração ambiental. Os vulcões iniciam a reversão magnética (mudança de pólo), fazendo com que correntes elétricas promovam espécie de natural “curetagem” ao livrarem o planeta de corpos estranhos, soldando falhas e fendas na limpeza geral.

O segundo livro, “Magnetic Reversals and Evolutionary Leaps”, põe Darwin no bolso ao formular teoria de mudança abrupta das espécies e extinções causadas pela reversão magnética. A natureza sabe cuidar de si mesma, e dispensa o auxílio humano em rituais que tentam honrar imaginários deuses. Só nos resta, com paciência, esperar.

Márcio Accioly é Jornalista.

O Brasil é uma piada

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por João Bosco Leal

A imprensa nacional tem divulgado, nos últimos anos, notícias que provocariam, em qualquer outro país do mundo, uma verdadeira revolução, ou, no mínimo, promoveriam uma operação “mãos limpas”, como a ocorrida na Itália anos atrás.

Diariamente a população toma conhecimento de tantas falcatruas que já está se tornando comum ver cenas de deputados com dinheiro em meias, cuecas, bolsas e outros lugares nem imaginados pelo cidadão trabalhador, que paga os impostos e, afinal, é o verdadeiro dono do dinheiro que está sendo roubado no país.

Graças a instituições que, ao que parece, além do Exército Brasileiro, são as únicas na qual o brasileiro ainda pode confiar, qual sejam, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal, ultimamente têm sido colocados na cadeia deputados, governadores, membros do Congresso Nacional, além de acusados, oficialmente, outros tantos, como o próprio Secretário Nacional de Justiça, que, apesar do cargo, era “mui amigo” daquele que é acusado de ser o chefe do contrabando chinês no país.

Deputados envolvidos com crimes políticos são cassados, ou renunciam para não sê-lo, mas continuam como elementos importantíssimos no governo federal e no comando nacional de seu partido, além de continuar falando em nome destes, tanto no Brasil como no exterior, fazendo lobby e ganhando fortunas na intermediação de negócios não muito claros, junto a ministérios e empresas públicas.

Acabo de ler mais uma notícia que me faz questionar se o General De Gaulle não tinha razão ao declarar que “O Brasil não é um país sério”. Uma empresa, canadense, a Colossus Minerals, declarou haver encontrado, em Serra Pelada, no Pará, dois depósitos com alta concentração de ouro e platina, aumentando ainda mais as expectativas de existência de muitas reservas minerais ainda não descobertas na região. No mesmo dia, as ações da empresa tiveram uma valorização de 8,8% na Bolsa de Toronto.

Esses depósitos foram encontrados a 150 metros ao norte e a 50 metros a oeste da zona central de Serra Pelada. Isso mesmo, a 150 e a 50 METROS do centro daquela tradicionalíssima região de mineração. Em 2007, a empresa fez uma parceria com a Cooperativa dos Garimpeiros de Serra Pelada para explorar 100 hectares de terra em Serra Pelada, mas, em março deste ano, a mesma empresa já adquiriu mais de 770 hectares de novos terrenos na região, para exploração futura.

Ao ler a notícia, como brasileiro, sem nenhum exagero, até meus batimentos cardíacos se alteraram. Isso realmente está ocorrendo? E sem que ninguém do governo investigue o que realmente ocorreu? O Ministério Público Federal precisa iniciar imediatamente uma profunda investigação sobre os fatos relatados na notícia a que me refiro, para sabermos quem é que ganhou com isso.

Sim, porque, como já ocorrido em situações parecidas, de estatais que foram trocadas por moedas e em meses passaram a valer milhões, as investigações indicam que ocorreu um enorme tráfico de influência para que isso ocorresse, e alguém ganhou fortunas, em prejuízo do país.

Acredito que estaria ocorrendo algo de muito irregular nessa situação. Ou, então, serei obrigado a acreditar que todos nós brasileiros somos tão inocentes, tão incapazes, que não conseguimos encontrar um depósito com um “grau muito alto” de ouro, como diz a matéria, a 50 ou a 150 metros ou, ainda que fosse, a quilômetros de distância do centro do local onde durante anos extraímos ouro, e para isso precisamos de uma empresa canadense, que agora terá todos os créditos dessa exploração, deixando no local os buracos vazios.

Creio, com todo esse meu coração brasileiro acelerado, que o Ministério Público Federal iniciará, imediatamente, investigações sobre o caso, ou, pior, terei que acreditar que o Brasil é uma piada.

João Bosco Leal é Produtor Rural. www.joaoboscoleal.com.br

domingo, 27 de junho de 2010

Banco codigato

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão

A rentabilidade elevada dos títulos do Tesouro Nacional, devido aos juros altíssimos no Brasil, é um dos atrativos para que investidores e especuladores estrangeiros aumentem seu apetite para ganhar em cima de nossos papéis. Em maio, foi batido o recorde de participação (8,95%) dos estrangeiros em nosso trilionário endividamento. Os “gringos” detêm R$ 133,4 bilhões do total de R$ 1,52 trilhão do estoque da dívida interna em títulos públicos.

Por que os fundos soberanos e outros investidores sentem segurança em ganhar dinheiro com os papéis do endividamento interno Brasileiro? Elementar, caro Watson. O Brasil é o paraíso da banqueiragem. Nosso modelo econômico – que alguns vendem como “um sucesso fenomenal” – funciona em simbiose com o sistema financeiro. Verdadeiras máquinas de moer gente, o Estado mau gastador e bancos são parceiros dependentes um do outro.

O Capimunismo tupiniquim é muito estranho. Tem uma lógica especulativa própria. Quem trabalha e produz não tem razão. Usar o dinheiro público, com eficiência, para melhoria e qualidade em infraestrutura parece pecado mortal. Controle de gastos desnecessários, nem pensar! Poupar para investir produtivamente, sai fora! O “bom negócio” é se endividar, sobreviver e, se possível, lucrar com o crédito que a banqueiragem nos disponibiliza.

Um caboclo amigo meu, especialista em banqueiragens, explica a situação com uma situação inusitada. Em um sitio na internet chamado Blog do Codigato há uma singela história de um gatinho, com um defeito na cauda. Por sorte, o bichano foi amparado por uma alma caridosa.

Assim, para entender a banqueiragem, podemos fazer uma analogia entre o pobre animalzinho e os bancos. Igual ao gatinho, os bancos tem um defeito de nascença. O governo permite que emprestem um dinheiro que não é deles (os depósitos à vista). Estranho privilégio.
Se uma pessoa tiver dois apartamentos, é lógico que poderá morar em um e alugar o outro. Pode ainda deixar o segundo vazio, ou emprestá-lo para parente ou amigo. Pode até vendê-lo. O seu vizinho não pode alugá-lo ou usá-lo porque isto seria usurpação de direito. Os bancos não seguem tal lógica.

Sob o eufenismo de “alavancagem,” o governo tolera de maneira criminosa esta prática totalmente ilegal, que gera inflação e lucros (juros) para os que emprestam o dinheiro alheio. Pior ainda quando um banco chega ao estado de insolvência, (por não poder restituir imediatamente os depósitos à vista aos seus verdadeiros donos), e pede “socorro” ao governo que o acode com o dinheiro do contribuinte, num cotubérnio indecoroso.

A atividade de emprestar dinheiro é perfeitamente lícita desde de que o banqueiro EMPRESTE O QUE É DELE ou o dinheiro que tomou a prazo (pagando juros ao depositante) para emprestá-lo a prazo igual ou menor, obviamente por um juro mais caro. O resto é empulhação para tentar tapar o sol com uma peneira.

Em resumo, Banco, no Brasil, precisa ser Banco. De verdade. Ao persistir tal “alavancagem”, com crescimento da dívida interna improdutiva, uma hora, vão acabar comendo o rabo do gatinho defeituoso. Aí a situação vai feder. Mais que cocô de gato.


Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 27 de Junho de 2010.

Os “donos” da manada

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

Há uma pesquisa científica afirmando, que os cérebros dos dependentes químicos e dos corruptos é semelhante. Dependentes químicos e corruptos aspiram mudar a realidade e para tanto, começam por agredir a própria natureza e a ordem das coisas. Na pátria do gigante adormecido, dizem os medidores de economia paralela e sociologia digestiva, “é assustadoramente” crescente o consumo de cocaína que vem das Farc e da Bolívia.

Uma empresa de pesquisa por telefone, Vigitel, acaba de anunciar que o consumo abusivo de bebidas alcoólicas é maior no Brasil, que nos Estados Unidos, Argentina ou Chile. E pior, este consumo é mais frequente entre os jovens de 18 aos 24 anos. Não mediram ainda sobre a maconha e o crack, nem as anfetaminas e outras drogas de laboratório.

As políticas governamentais voltadas para a educação, enquanto isso, distribuem cartilhas ensinando sexo dito “seguro”, distribuem preservativos nas escolas e ensinam aos juridicamente irresponsáveis, como utilizar drogas. Sem saber, os professores cumprem um programa estabelecido há séculos, aplicado e desenvolvido nas Américas, como parte dos projetos revolucionários comunistas.

Nas manchetes, estão as denúncias: os corruptos tomaram de assalto as instituições políticas e situaram seus militantes nos postos burocráticos. São remunerados para prestar serviços, mas cobram facilidades aos usuários, repassando a prática da corrupção. Sempre foi assim, dizem os conformados. Os que desconhecem as raízes históricas da marcha da humanidade.

Lidar com milhões de referenciais antagônicas e dissonantes, produto da desconstrução cultural é complicado até para intelectuais, isto é, analfabetos funcionais que atuam na mídia, nas escolas e nas igrejas, seguindo “o bonde”, para encontrar, fatalmente, a angustia do vazio existencial, sem referenciais, sem crenças, finalmente sem alimento espiritual.

A economia globalizada domina, executando o propósito que vem sendo elaborado por mentes doentias, a longo prazo. Este modelo econômico tem como requisito principal a manutenção do medo em seus diversos aspectos. A insegurança é sua ferramenta científica para o controle da fragilidade humana. O bem estar, oferecido pela propaganda, parece satisfazer necessidades fugazes, sucessivas, intermináveis.

A historia vem de longe, e compreendê-la facilitará lidar com os significados de fatos atuais no Brasil, nas Américas e no planeta. Como temos governantes comunistas fingindo ser democratas. Como todos os candidatos à sucessão são de esquerda, o que significa alinhados aos projetos do comunismo internacional, momentaneamente travestido de capitalismo de estado, vejamos a gênese do estado comunista.

Antes da Primeira Guerra Mundial, os reinos europeus estavam endividados com a Casa de Rothschild, que mandou seus emissários illuminati, com a tarefa de organizar, num congresso em Viena, a primeira “Liga das Nações” que seria o embrião de um governo mundial. “O czar da Rússia sentiu o fedor do plano e o torpedeou completamente. Nathan Rothschild, que era o cabeça da dinastia, jurou que algum dia ele, ou seus descendentes, destruiriam o czar e toda sua família. Isto se cumpriu com a revolução bolchevique, em 1917.

Naquele tempo, Vladimir Lenin vivia em Paris e quando se iniciou a Primeira Guerra refugiou-se no território neutro da Suiça. Trotsky morava em Nova Iorque, no bairro habitado por judeus e russos refugiados. Nenhum dos dois tinha uma profissão regular, nenhum meio de sustento, mas viviam bem e sempre com muito dinheiro, agitando de fora os proletários russos.

O mistério da fonte financeira foi solucionado em 1917. Desde o início da guerra, estranhos e misteriosos acontecimentos ocorriam em Nova York. Noite após noite, Trotsky entrava e saía furtivamente da mansão de Jacob Schiff, um banqueiro alemão enviado aos EUA por Rothschild, com tarefas específicas e bem relacionado com políticos e empresários dos EUA.

A notícia vazou: Schiff financiava as atividades de Trotsky, que treinava secretamente 300 refugiados russos. Logo, o mesmo Schiff fretou um navio em que Trotsky embarcou com seus homens rumo a Europa, para encontrar com Lenin, levando na carga 20 milhões de dólares em ouro, recursos para financiar a tomada do poder pelos bolcheviques na Rússia. Em seu refúgio na Suiça, Lenin preparou uma recepção para convidados seletos.

Entre os convidados estava o “o misterioso coronel Edward Mandell House, mentor e amigo íntimo do presidente Wilson, mensageiro especial e confidencial de Schiff. Outros convidados eram: Warburg, da Casa Bancária Warburg, da Alemanha, que financiava o Kaiser, os Rothschilds de Londres e de Paris, e Stalin que era então o líder de uma gangue que assaltava trens e bancos e era conhecido como Koba, o "Jesse James dos Urais".

Hoje, todos os países, cada empresa e cada portador de cartão de crédito, depende do império dos banqueiros chefiados pela família Rothschild. Todo o excedente de trabalho é apoderado na forma de juros sobre os empréstimos. Os trilionários recursos do comércio das diversas drogas e contrabando de armas são movimentados pela rede bancaria global, que financia os estados com dívidas impagáveis.

No próximo post vamos ver o papel dos corruptos e corruptores domésticos, como atuam, que regras cumprem, para associar a pátria, definitivamente, à nova ordem mundial capimunista.

Referências em audio no endereço: http://www.apfn.org/audio/fagan-three.mp3.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

Ao Procurador–Geral da República

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por João Vinhosa

Em 26 de junho de 2010, encaminhei formalmente a V. Exª. carta cuja íntegra encontra-se a seguir transcrita. Conforme pode ser visto no anexo artigo intitulado “Ao Embaixador dos Estados Unidos” (endereço eletrônico ao final), tornei pública a carta que encaminhei ao Embaixador Thomas Shannon em 29 de abril de 2010.

Pode ser visto, também, que solicitei ao embaixador norte-americano providências no sentido de fazer tal carta chegar ao Departamento de Justiça e à Comissão Federal de Comércio – autoridades de defesa da concorrência que representam aquela nação no Acordo firmado com o Brasil para combater cartéis (endereço eletrônico ao final).

Pode ser visto, ainda, que sugeri a referidas autoridades a elaboração de estudos com a finalidade de modificar o Acordo para torná-lo realmente capaz de atingir seu principal objetivo: a troca de informações entre as duas partes.

Nesta oportunidade, dirijo-me a V. Exª. – titular da Procuradoria Geral da República, órgão no qual foi discutido exaustivamente o aspecto do Acordo cuja modificação eu estou sugerindo – com o intuito de apresentar um breve arrazoado sobre os motivos que me levaram a fazer a sugestão de modificação em questão. É o que se segue.

Em novembro de 2004, a Procuradoria da República no Distrito Federal instaurou o Procedimento Administrativo n° 1.16.000.002028/2004-6 a partir de representação por mim formulada. Segundo tal representação, nossas autoridades estavam descumprindo o Acordo, pelo fato de não notificarem os Estados Unidos sobre as investigações aqui realizadas contra o “Cartel do Oxigênio”.

Passados quatro anos, em setembro de 2008, o relator do Procedimento Administrativo decidiu pelo seu arquivamento, afirmando que, segundo o Acordo, a notificação só seria cabível se fossem coletados – dentro da própria investigação do “Cartel do Oxigênio” – indícios que seus integrantes também praticavam o mesmo crime no território norte-americano.

Inconformado, em outubro de 2008, apresentei Recurso à Procuradoria Geral da República contra tal decisão de arquivamento.

Em abril de 2010, a 3ª Câmara de Coordenação e Revisão da Procuradoria Geral da República indeferiu meu Recurso, homologando o arquivamento.

Dessa maneira, passados mais de cinco anos de meu questionamento inicial, a decisão da Procuradoria Geral da República levou-me a duas dolorosas conclusões.

Primeira conclusão: minha ignorância jurídica não me permitiu ver (como viu a Procuradoria Geral da República) que – nas entrelinhas – estava previsto que “O tratado apenas obriga as partes soberanas a notificarem uma à outra a respeito de investigações que coletem indícios de que os cartéis apurados também atuam no território da contraparte”.

Segunda conclusão: minha prepotência intelectual fez-me pensar erradamente que o Acordo não deixaria brechas capazes de inviabilizar a troca de informações sobre cartéis tão danosos à economia popular dos dois países como o “Cartel do Oxigênio” – organização criminosa que explora os consumidores brasileiros (em especial nossos miseráveis hospitais públicos) e cujos integrantes dominam também o mercado norte-americano.

Nesta altura, Excelência, permito-me as reflexões a seguir sobre a incapacidade de nosso país combater cartéis, tomando como exemplo o caso do “Cartel do Oxigênio”.

Conforme se sabe, em qualquer lugar do mundo, é extremamente difícil comprovar o crime de formação de cartel, mesmo nas oportunidades nas quais tal prática salta à vista.

O caso do “Cartel do Oxigênio” só foi comprovado porque um anônimo muito bem informado deu o nome dos executivos que participavam das conversações como representantes das empresas integrantes do cartel.

Quebrado o sigilo telefônico de tais executivos, foram obtidas provas que justificaram uma Operação de Busca e Apreensão nas dependências das empresas investigadas.

A Operação de Busca e Apreensão, realizada em fevereiro de 2004, foi repleta de êxito. O material recolhido incluía um autêntico “estatuto do cartel” – que determinava, até mesmo, as penalidades às quais estariam sujeitas as integrantes que o transgredissem. Referido material possibilitou a Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça (SDE) instaurar um Processo Administrativo contra as empresas por formação de cartel, e o Ministério Público do Estado de São Paulo processar, por formação de quadrilha, os executivos que representavam as empresas nas negociações.

Como era de se esperar, as empresas integrantes do cartel, em vez de contestarem as acusações baseadas nas provas apreendidas na Operação de Busca e Apreensão, entraram na Justiça alegando que tais provas foram obtidas de maneira irregular. Como era de se esperar, tal estratégia provocou grande atraso no Processo Administrativo.

Somente em maio de 2008, após liberada pela Justiça, a SDE encaminhou seu Relatório final ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), propondo a punição máxima para as empresas acusadas. Fato raro: a existência do cartel ficou mais que comprovada.

O processo administrativo ainda aguarda o julgamento do CADE. É certo que, caso o CADE penalize as integrantes do “Cartel do Oxigênio”, as empresas recorrerão às varias instâncias da Justiça para anular a penalidade. Na realidade, elas poderão ser inocentadas sem nem mesmo entrar no mérito das acusações – incontestáveis, como se vê no Relatório da SDE. Em outras palavras, grande é a chance de tudo acabar em pizza.

É impossível negar, Excelência: mais uma vez, o país se encontra diante da dobradinha de procedimentos que o tornou o país da impunidade. Por um lado, os acusados usam das diversas brechas legais para permanecerem impunes e, por outro lado, nossas autoridades abrem mão das armas que dispõem para evitar as malícias protelatórias.

No caso, nossas autoridades abriram mão da mais eficiente arma para combater tal cartel: provocar investigações, nos EUA, de possíveis práticas de cartel levadas a efeito pelas matrizes dessas multinacionais, que – conforme comprovado pela SDE – fraudam o caráter competitivo das licitações para superfaturar contra nossos miseráveis hospitais públicos.

Ninguém pode ter qualquer dúvida, Senhor Procurador-Geral da República: caso nossas autoridades tivessem provocado uma investigação nos Estados Unidos, as matrizes das multinacionais envolvidas ordenariam a imediata moderação da rapinagem contra o consumidor nacional levada a efeito por seus braços brasileiros.

Acontece que, como, pelo Acordo, o Brasil “não está obrigado a informar”, nossas autoridades agiram como se o Brasil “estivesse obrigado a não informar” dados sobre o “modus operandi” do “Cartel do Oxigênio”. Daí, perderam a oportunidade de envolver a matriz das integrantes do “Cartel do Oxigênio” com as temíveis autoridades que combatem a prática de cartel nos Estados Unidos.

Diante do exposto acima, e convencido que organizações integradas por multinacionais tão capacitadas como as que integram o “Cartel do Oxigênio” nunca deixam pistas sobre sua atuação cartelizada em outro país, sugeri a modificação em questão.

Resumidamente, o objetivo da modificação sugerida é tornar, de fato, eficaz a cooperação entre as duas partes. Para tanto, é indispensável acabar com a exigência (para a troca de informações) de obtenção de indícios, na própria investigação, que as investigadas praticam o crime de formação de cartel também na outra parte.

Para seu conhecimento, Excelência, informo que, em decorrência do alto teor de interesse público da qual se acha impregnada, a presente carta será divulgada pelos meios a meu alcance.
Finalizando, apresento os endereços eletrônicos referidos. Eles permitirão que qualquer interessado possa tomar conhecimento dos fatos, e – caso também fique indignado com a gravidade da situação – possa sugerir algo que venha em defesa do consumidor brasileiro.

HTTP://www.alertatotal.net/2010/06/ao-embaixador-dos-estados-unidos.html

HTTP://www.cade.gov.br/internacional/acordo_brasil_estados_unidos.pdf

João Vinhosa é engenheiro. E-mail: joaovinhosa@hotmail.com

sábado, 26 de junho de 2010

A Manada Humana

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

Hoje é um belo dia para uns e um dia trágico para outros, na ordem natural das coisas, na ordem natural da vida, que é defendida por uns poucos desta manada-humana, agredida por outros poucos rebeldes, revolucionários que atentam contra a ordem natural, que atentam contra a vida como ela é.

Ainda hoje quando se fala em “illuminati”, “nova ordem mundial”, “comunismo” com suas práticas de tortura, sangue, violência exponencial e matança de milhões de seres humanos, há quem pense e refira: “teoria da conspiração!” Mesmo diante de evidências e provas concretas como a montagem do aquecimento antropogênico, os que perderam a fé em si mesmos, preferem venerar e seguir os poderosos controladores da manada-humana.

Há 250 anos a primeira organização bancária na história da humanidade, a “Casa de Rothschild”, contratou um tal de Adam Weishaupt, um padre herético, para desenvolver as bases da conspiração dos illuminati. Desde aquele tempo, está documentado, os illuminati-Rothschild, financiaram todas as guerras. Começando pela Revolução Francesa financiaram e e continuam financiando, até os dias atuais, sob vários nomes e disfarces.

No início dos anos 1850, os Illuminati promoveram uma reunião em Nova York. Entre os participantes estavam os editores dos principais jornais daquele tempo. Os Illuminati “estavam organizando a união internacional dos grupos niilistas, ateus e subversivos que seriam identificados como comunistas.” Nascia uma entidade - "comunista" - que viria aterrorizar o mundo, fomentar guerras e revoluções. E plantar a ideia de um governo mundial único, a paz mundial!

Naquela reunião foram criados os comitês para arrecadar fundos, que os Rothschild administraram para financiar Marx e Engels na Inglaterra, enquanto criavam o 'Manifesto Comunista' e 'O Capital'. Toda esta conspiração, que pode ser tomada como paranóia, foi descrita por Myron Fagan, que chegou à Brodway em 1907, com 19 anos, sendo editor de vários dos grandes jornais, dramaturgo e finalmente, um dos grandes nomes de Hollywood, onde dirigiu a Fox, Pathe e outros estúdios.

O audio original do depoimento de Fagon ao Congresso Norte Americano, pode ser ouvido no endereço da web, http://www.apfn.org/audio/fagan-three.mp3. “Em 1945, a pedido urgente de John T. Flynn o Sr.Fagan participou de uma reunião em Washington, onde lhe foi mostrada uma série de micro-filmes e gravações do encontro secreto em Yalta, entre Franklin Roosevelt, Alger Hess, Harry Hopkins, Stalin, Molotov,e Vishinsky, quando concordaram em entregar os Balcãs, Europa Oriental e Berlim a Stalin".

Então o Sr. Fagan escreveu duas peças: 'Red Rainbow', revelando a tramóia dos grandes líderes e 'Thieves Paradise', revelando a conspiração para criar as das Nações Unidas, para a "abrigar" o pacto de um governo mundial. E Fagan iniciou a cruzada contra os comunistas, que celebrizou o Senador Joseph Mc-Carthy na denúncia contra roteiristas, produtores e atores simpatizantes do comunismo. Tudo seria distorcido pelo CFR e a versão dominante é de “paranóia de Senador alcóolatra e violento que prejudicou inocentes”.

Quando Cuba, ainda esta semana, ganha assento como vice-presidente do organismo de “direitos humanos” da ONU, quando os russos, os governantes da Europa e até o Lula, secundando os potentados do planeta falam de “uma nova ordem mundial”, estão referindo o mesmo que era defendido políticamente como Internacional Comunista, agora visível em todas as cores, tomando a sociedade de economia capitalista.

Regionalmente é o que defendem os bolivarianos. Internacionalmente o que é materializado em primeira instância pelo governo comunitário da Europa. E hoje, 25 de Junho de 2010, os bolivarianos estão reunidos no Equador. Rafael Correa, Evo Morales, Hugo Chavez e o cubano Esteban Lazo, mais delegados convidados da Guatemala, vão decidir sobre “um diálogo intercultural e pluri-nacional”.

Alba, UnaSul, Movimento Bolivariano, são crias do Foro de São Paulo, filho legítimo do Diálogo Interamericano, este, primo dedicado do Conselho de Relações Exteriores e todos obedientes aos Bilderberg e seu tesoureiro Rothschild. Na linha do tempo tudo se encaixa direitinho. Nós somos a boiada humana, informada e conformada, completamente condicionada pela mídia, talk shows, noticiários terroristas repetidos em todos os canais de televisão, artistas de novelas, astros de Hollywood, intelectuais e professores universitários vermelhinhos da silva.

Por enquanto anote: o IBGE divulgou que 35% dos Brasileiros comem mal. Cadê o fome zero? O governo do Sr. Lula hospedou 230 “sem terra” no Hotel Golden Tulip, 5 estrelas, para um seminário sobre agricultura familiar. O MST denuncia a "peste do agro-negócio" e bloqueia uma estrada no Mato Grosso (BR-070, Cuiabá a Cáceres). A polícia protege a manifestação pacífica! As rodovias são construídas com o dinheiro público e asfaltadas com biscoito. Só funcionam depois de arrendadas e pedagiadas. Isto encarece a sobrevida de todos, custos altos, impostos mais altos, feijão mais caro.

Continuamos amanhã com esta gênese do comunismo.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

Sob as ordens do inimigo

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Olavo de Carvalho


Contei recentemente o caso de um de meus amigos mais inteligentes, anticomunista e católico fervoroso, líder de uma valente campanha antiaborto no Brasil, que me recomendou um livro William F. Engdahl, o qual, dizia ele, rastreava com muita exatidão a origem do movimento abortista no projeto global de controle da natalidade concebido e financiado pelos Rockefellers e outros banqueiros internacionais.

Lendo o livro, notei que Engdahl se aproveitava de uma denúncia verídica para jogar sobre a elite americana todas as culpas dos males do mundo, ocultando a ação dos comunistas e dos muçulmanos.

O que ele omitia era tão importante quanto o que mostrava, mas meu amigo, com toda a sua experiência de décadas na militância católica, não se dera conta de nada. Só começou a desconfiar de alguma coisa quando lhe mostrei os vídeos de propaganda antiamericana que Engdahl fizera para a televisão estatal russa.

Quase na mesma época, outro amigo meu, igualmente talentoso e brilhante, e tão anticomunista quanto o primeiro, apareceu defendendo com ardor a liberação das drogas, com base na concepção liberal de que o Estado não deve se meter na conduta privada dos cidadãos. Nem de longe lhe ocorria que a aplicação direta e rasa desse preceito abstrato nas condições históricas presentes da América Latina resultaria na imediata consagração das Farc como empresa capitalista normal e partido político legítimo, entregando-lhes de mão beijada tudo o que elas não haviam logrado obter pela violência.

Um terceiro amigo, americano, militante conservador, lutava pela destruição de todas as lideranças republicanas que se acomodassem, por motivos de mera tática eleitoral, a alianças mesmo temporárias com a elite esquerdista. Para ele, toda política que não seguisse literalmente os preceitos da moral bíblica era coisa do diabo. Em vão tentei mostrar-lhe que a implantação forçada do cristianismo como regra da política exigiria uma concentração formidável do poder estatal, estrangulando a democracia a pretexto de defendê-la e, em última instância, realizando por meios extraeconômicos a profecia enunciada por Friedrich Hayek em O Caminho da Servidão. Afinal, o primeiro regime totalitário da modernidade e a organização da massa militante requerida para implantá-lo não foram invenções –nem de comunistas nem de fascistas, mas de João Calvino na Suíça protestante.

Em Washington D.C. , o Hudson Institute, o mais prestigioso think tank americano, realizou uma sessão em homenagem à tradição espiritual sufi, enaltecendo-a como alternativa ao radicalismo islâmico. Não apareceu ali um único expert para lembrar à plateia que a ocupação cultural e física do Ocidente pelo Islã não surgiu com os atentados terroristas nem com a imigração em massa, mas é um antigo projeto das taríqas, as organizações esotéricas sufis.

Na Colômbia, o presidente Uribe combateu bravamente as guerrilhas, ao mesmo tempo que, no afã de levar às suas últimas consequências o princípio abstrato da igualdade democrática, não só apoia todas as iniciativas da revolução cultural esquerdista mas oferece cargos públicos e proteção militar aos amigos e cúmplices das Farc, ajudando-os a obter pela via pacífica da sedução e do engodo o que não puderam conquistar pelo terror.

Política análoga segue no Brasil o candidato presidencial José Serra: reprime eficazmente a criminalidade no Estado que governa, mas se recusa a falar ou agir contra a aliança PT-Farc que a fomenta e protege.

Em todos os países da Europa Ocidental, os entusiastas da democracia moderna tentam fechar as portas à invasão islâmica ao mesmo tempo que buscam destruir os últimos valores civilizacionais cristãos que poderiam protegê-los do invasor.

Em suma, do ponto de vista de liberais e conservadores, tudo parece constituir-se de processos isolados, de fatores inconexos, de elementos separados. As guerrilhas não têm nada a ver com a mídia internacional que as apoia; a mídia é totalmente isolada dos organismos internacionais cujo discurso ela repete ipsis litteris; as ONGs ativistas alimentadas por dinheiro do narcotráfico não têm nenhum envolvimento com o narcotráfico; o narcotráfico por sua vez não tem nenhuma conexão com os serviços secretos russos e chineses que já o controlam desde a década de 60; a política e o crime são entidades estanques; a invasão islâmica não tem nada a ver com o esquema globalista euroamericano que a protege descaradamente, os banqueiros internacionais que financiam movimentos subversivos não são jamais subversivos em si mesmos.

Nada tem nada a ver com nada, e a História, no fim das contas,se constitui da somatória fortuita de curiosas coincidências. Qualquer tentativa de juntar os pontos parece a essas delicadas criaturas um sinal de paranóia conspirativa e, sobretudo, uma tremenda falta de educação.

Em contrapartida, qualquer militante esquerdista, ainda que sem experiência, apreende intuitivamente a unidade por trás de todos esses processos, mesmo os mais heterogêneos em aparência, pelo simples fato de que diariamente os vê convergir com a harmonia de esquadrões bem disciplinados no ataque geral ao inimigo comum, a civilização do Ocidente.

À articulação mundial da esquerda corresponde a completa desarticulação e fragmentação das direitas, não só no plano da ação estratégica, mas da simples percepção dos fatos.

Os marxistas sempre acusaram seu inimigo burguês de ter uma visão abstratista e mecanizada das coisas, incapaz de apreender a unidade do processo histórico. Se no passado essa acusação foi injusta, hoje em dia ela é a correta e fidedigna expressão dos fatos.

Por preguiça mental, covardia e inépcia presunçosa, os liberais e conservadores tornaram-se aquilo que os marxistas queriam que eles fossem. Cedendo ao inimigo, permitiram que ele os moldasse conforme bem lhe convinha.

Olavo de Carvalho é ensaísta, jornalista e professor de Filosofia. Artigo originalmente publicado no Diário do Comércio de São Paulo de 22 de junho de 2010.

O Exército Colombiano mostra suas habilidades

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Mary O'Grady

Os colombianos se alegraram na semana passada, com a notícia do resgate feito pelo exército, de quatro reféns, incluindo um general da polícia, que permaneceu em cativeiro na selva, sequestrado pela Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).
O acontecimento, a uma semana do segundo turno das eleições presidenciais, foi positivo para o candidato do Partido da U, Juan Manuel Santos, ex-ministro da Defesa do presidente Alvaro Uribe. Durante a administração de Santos como ministro entre 2006 e 2009, o exército colombiano conquistou várias vitórias decisivas contra as FARC. Esses eventos foram cruciais para um país que, há apenas uma década atrás era considerado quase em estado de falência. As pesquisas já mostravam que Santos venceria o opositor Antanas Mockus, do Partido Verde.

O sucesso da Operação Camaleão, como foi apelidado o plano de resgate, tem um profundo significado além dos resultados eleitorais. Causa um grave prejuízo para a campanha de propaganda global das FARC contra o exército colombiano e revela a crueldade dos terroristas. O que é relatado nesta versão espectacular, também fere os líderes do Partido Democrata em Washington, que simpatizavam com a posição das FARC.

Quando os homens liberados apareceram diante das câmeras de televisão, ainda traziam as correntes que as FARC usavam para amarrá-los em árvores à noite, penduradas no pescoço. Estas correntes são um símbolo da crueldade contra os reféns. Em 2008, a presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, reuniu-se em seu escritório, nas dependências do Congresso dos EUA, com a maior aliada das FARC na política colombiana, a senadora Piedad Cordoba. Além de reunir-se com a política favorita dos terroristas, Pelosi demonstrou má vontade em relação ao governo da Colômbia, bloqueando a aprovação do livre comércio entre os dois países.

O discurso das FARC é forjado na afirmação de que o governo civil, que supervisiona o Exército, mostra um flagrante desrespeito aos direitos humanos. Os inúmeros assassinatos de sindicalistas nos últimos anos, supostamente provariam isso. Não importa que, tradicionalmente na Colômbia, os grandes sindicatos do setor público, compartilhem a ideologia revolucionária das FARC, o que os situa ao lado da violência política do país. Por outro lado, grupos de auto-defesa pegaram em armas. Os simpatizantes das FARC ignoram o fato que, com o fortalecimento e profissionalização do exército, sob o governo Uribe, com a ajuda EUA, o número de assassinatos de sindicalistas caiu drasticamente.

O resgate, no departamento de Guaviare no sudeste do país é um bom exemplo da capacidade do exército colombiano. Era necessário localizar a base onde os quatro reféns estavam presos, estudar detalhadamente a movimentação diária dos terroristas e implementar um plano com garantia do elemento surpresa. O comando de elite usou uma combinação de inteligência, estratégia militar e coragem para abrir caminho através da selva e dar o golpe no momento preciso. As testemunhas relatam que houve um tiroteio para cobrir os reféns que fugiam. Este não é um trabalho para bandidos.

Como em qualquer exército na Colômbia existiram casos de abuso, cometidos por soldados. Um escândalo em 2009 envolveu diversos oficiais subalternos que levavam jovens bandidos para a selva, onde os matavam e vestiam os corpos como guerrilheiros e apresentar aos superiores como mortos em combate, para ganhar prestígio na unidade militar. As autoridades colombianas denominaram aquelas mortes como "falsos positivos" e os meios de comunicação sensacionalista destacaram os casos fartamente. No entanto, não há provas da anuência de líderes do exército ou institucionalização do procedimento. Nem se sabe quantos foram os "falsos positivos".

A prática na Colômbia é pagar uma indenização máxima de 400 mil dólares para as famílias das vítimas dos abusos do Estado. Isto gerou um frenesi entre os advogados das ONGs de esquerda, porque na prática, não há conseqüências por mentir sob juramento sobre "falsos positivos". É difícil encontrar a verdade.

Em 2005, eu visitei o campo de treinamento militar Tolemaida. A experiência fez aumentar meu apreço pela disciplina e coragem militar. Meus anfitriões me me persuadiram a me atirar de cabeça de uma torre de 14 metros de altura utilizada para ensinar as forças especiais a saltar de um helicóptero sobre a floresta pendurados por uma corda.Gostaria de me dedicar a isso.

Visitei também a escola de formação de direitos humanos do exército.Alí conheci um americano que estava treinando com os colombianos.Ele mencionou os requisitos rigorosos que os militares aprendiam para proteger os civis no conflito."Senhora", disse ele, "os americanos não gastam uma noite rastejando através da selva para surpreender o inimigo na madrugada. Mas isso é isto que esses caras fazem", Formação na Colômbia, explicou "é um verdadeiro teste para meu estômago."

Mary O´Grady é editorialista do Wall Street Journal, especializada em América Latina. Tradução: A. Montenegro

A operação da semana passada exigiu profissionalismo, coragem e um maior respeito pela vida humana.E foi mais um exemplo do erro dos democratas em bloquear o acordo de livre comércio com a Colômbia.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Ficha Limpa e nossos desastres

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Márcio Accioly


A tragédia das enchentes no Nordeste brasileiro, com o “tsunami” que devastou inúmeras cidades de Pernambuco e Alagoas, mostrou novamente ao país Região esquecida e miserável que não dispõe de mínima infraestrutura, e na qual as relações sociais em pouco ou quase nada diferem das estabelecidas ao tempo da escravidão.

O que fica bem claro e assusta é a certeza de que o Brasil não deu certo. Trata-se de país do oba-oba, onde a televisão impõe pauta de discussões e determina seus rumos, numa ação orientada de fora para dentro em prática de visível domínio. No Brasil do século 21 (transformado em bordel), a ignomínia tornou-se normalidade.

Vivemos cheios de invencionices e mentiras. Massacrados por festas e arranjos que nada deixam de produtivo ou positivo. Carnaval, futebol, são João, novelas, BBBs e programas de auditório de baixíssimo nível, aparato que privilegia a malandragem e um jeitinho cujo resultado gritante é a falta de perspectiva. Festa permanente.

Há de se falar bem alto e em bom som: somos um país doente, dominado por ladrões e analfabetos (a maioria diplomada), pessoas sem qualquer compromisso com o futuro, até porque a desinformação e o despreparo as levam crer unicamente num imediatismo que só faz aprofundar nosso desespero.

Como solução para o alto grau de analfabetismo, cotas foram instituídas. Somos, talvez, o País onde mais existem pessoas diplomadas per capita no mundo! Mas tente-se fazer com que algumas delas redijam um ofício.

De vez em quando as coisas acontecem como uma onda: vêm e passam. Quem não se lembra do avião da TAM no aeroporto de Congonhas, no dia 17 de julho de 2007? À época, o ministro Nelson Jobim (Defesa), garantiu que todas as providências seriam tomadas, que novo aeroporto seria construído, etc. e tal.

Sua excelência, inclusive, compareceu a Congonhas vestido de bombeiro (ele, antes, já tinha vestido farda de general, segurado uma jibóia na Amazônia, com ações de impacto para impressionar incautos). E o que se fez desde então? Que providências concretas foram tomadas com o objetivo de se prevenirem outras tragédias?

Aqui estamos sempre à espera de novos desastres, quando atentas autoridades anunciarão providências indispensáveis só para aparecerem bem nas fotografias. Nada além. A memória humana é fraca e a televisão está aí para determinar o que é ou não importante. Num país onde não se estuda ou lê, discute-se o que as TVs apresentam.

Na nova onda, aprovou-se agora a lei que se convencionou chamar “Ficha Limpa”, jogada mal elaborada pelos principais atores (saiu pela culatra de boa parte da classe política), e que o Judiciário em boa hora resolveu adotar. Quem dos corruptos em são consciência pretendia vê-la colocada em prática nalgum ano?

Temos visto pessoas envolvidas nos mais escabrosos desmandos a participarem de postos importantes na administração pública, detendo mandatos eletivos. Fica difícil destituí-las dos cargos, pois são responsáveis pela elaboração das leis.

A nova desgraça que se abateu sobre o Nordeste deverá ser amontoada a tantas outras acontecidas e não resolvidas. Mas é preciso que se dê o primeiro passo em busca de justas saídas. Ou veremos o país explodir a médio ou curto prazo num cipoal de más decisões e desordenamento.

A propaganda oficial dos diversos governos que entram e saem não conseguem esconder o flagelo do Nordeste, o analfabetismo nacional, a ausência de transporte público, Saúde e falta de presídios. Quantos desastres serão ainda necessários?

Vamos torcer para que o Ficha Limpa funcione, impondo restrições à reincidência de abusos. E que eles não anulem tudo isso na primeira oportunidade.

Márcio Accioly é Jornalista.

Alma de Mulher

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Maria Lucia Barbosa

Duas mulheres estão disputando a presidência da República: Marina da Silva, aparentemente frágil, figura feminina doentia, voz fininha. Como ex-petista Marina terá sempre alma de PT em que pese estar por circunstâncias políticas no PV. Sem chances de vencer, num eventual segundo turno ela certamente dará apoio a Dilma Rousseff, candidata que há dois anos vem sendo conduzida em campanha por seu criador político, Lula da Silva. Na convenção festiva do PT que oficializou Rousseff, obedientes petistas cantaram a plenos pulmões: “Lula tá com ela, eu também to”.

Como pesquisas detectaram que Rousseff tem pior desempenho do que o candidato do PSDB, José Serra, no eleitorado feminino, o marqueteiro João Santana investiu na exaltação da mulher e na feminilização da candidata, que na convenção leu com sua voz rascante um longo e enfadonho discurso capaz de fazer dormir militante petista.

Santana se concentrou na esfera psicológica, elemento fundamental da propaganda enganosa capaz de convencer pessoas a comprarem produtos de má qualidade que não lhes são necessários.

Retoques físicos obtidos com primorosa plástica, aplicações de botox, penteados sofisticados, sobrancelhas arqueadas adequadamente, maquiagem de artista de novela operaram milagres na senhora sessentona de modos rudes. Mas, qual o truque para mudar uma personalidade? Isso é tarefa impossível. Entretanto, assim como o truculento ex-sindicalista foi momentaneamente transformado no “Lulinha paz e amor”, por que não confeccionar uma “Dilminha ternura” sob encomenda do chefe?

Na preparação para a entrada triunfal da “grande estadista” na convenção foram exibidos vídeos da Princesa Isabel, Anita Garibaldi, Chiquinha Gonzaga, Maria da Penha. Naturalmente, a intenção era passar a idéia de uma Rousseff superior a todas elas. Faltou a Santana a idéia de compará-la á Imaculada Conceição, já que o piedoso irmão leigo, Frei Betto, chamou Lula da Silva de “luz do mundo”, privilégio que antes pertencia a Jesus Cristo.

Estrategicamente não foram mencionadas, entre outras: a ministra Zélia Cardoso de Melo que detonou o governo Collor com a expropriação da poupança; a petista Benedita da Silva, expelida do ministério por conta de algumas, digamos, extravagâncias em gastos; a petista, braço direito de Rousseff, senhora Erenice, hoje ocupando o lugar da ex-ministra e que, junto com a chefa sofreu acusações que se desmancharam no ar, relativas à habitual tática dos “aloprados” do PT de confeccionar dossiês para difamar concorrentes políticos.

Na verdade, várias mulheres em cargos públicos são incompetentes ou se comportam de maneira nada edificante, exatamente como homens incompetentes e corruptos, o que prova que não basta ser mulher ou homem, branco ou negro, pobre ou rico para assumir o poder. Para governar, sobretudo um país, é necessário ter experiência que prove competência, biografia que demonstre honestidade, liderança confirmada, ideal voltado para o bem-comum. O resto é mistificação, populismo barato, empulhação de eleitor incauto.

Isso não quer dizer que a mulher não possa se sair bem na política. Grandes governantes entraram para a história como, por exemplo, a rainha Elisabeth da Inglaterra, Indira Gandhi na Índia, Golda Meir em Israel, Margareth Tatcher na Inglaterra, Violeta Chamorro na Nicarágua. Entretanto, como disse Indira Gandhi: “Não me considero uma mulher fazendo política, mas, sim, uma pessoa exercendo um ofício”.

No discurso da convenção Rousseff prometeu que fará um governo como o de Lula, mas “com alma e coração de mulher”. O que será que a colérica Rousseff entende por alma de mulher?

Numa idealização da “alma de mulher” direi que podemos, entre outras coisas, sermos generosas, compreensivas, pacientes, atributos, aliás, inerentes ao maravilhoso dom da maternidade. No comportamento muitas de nós somos graciosas, sedutoras, sensuais, encantadoras no jeito de andar e falar. No dia-a-dia de muitas mulheres se encontram heroínas que amparam, consolam, lutam pela existência, protegem a família.

Nem todas possuem tais características, é claro. Existem mães que matam os filhos, megeras que infernizam a vida alheia, ignorantes que danificam suas vidas e a de outros, mulheres nada graciosas que andam com passadas de guarda de campo de concentração, sempre dando ordens com vozes desagradáveis feitas para o comando.

Parece, porém, que essa coisa de alma virou moda. Até Michel Temer disse que o “PMDB vai entrar em campanha com sua alma, e não apenas com seu raciocínio”. Alguns eleitores mais atilados conhecem bem a “alma e o raciocínio” de José Sarney, Renan Calheiros...

De qualquer modo, se Rousseff ganhar não teremos uma mulher na presidência da República. Como inferior e submissa ao homem ela apenas esquentará o lugar para Lula da Silva que pretende voltar em 2014. Assim os homens do PT traçaram sua manutenção no poder. E se a herança maldita pesar foi a mulher que não soube fazer como a “luz do mundo”. Afinal, só Lula da Silva tem alma.

Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga. www.maluvibar.blogspot.com.br

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Patrulha financeira da Receita, BC do B e COAF fará devassa no consumo de 120 mil contribuintes mais ricos

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net (atualizado nesta Quinta)

Por Jorge Serrão

O esquema de implantação gradual do socialismo no Brasil começa a apertar o torniquete no bolso daqueles que os ideólogos coletivistas chamam de “alta burguesia”. Até 30 de junho, quem tem dinheiro no exterior, fica obrigado a entregar ao Banco Central do Brasil a “Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior”. A CBE é obrigatória para pessoas físicas, empresas ou instituições financeiras. Basta que tenham, fora do País, valores, bens ou direitos, a partir de US$ 100 mil, tendo como referência 31 de dezembro de 2009 até agora.

Na mesma linha de guerrilha psicológica contra os endinheirados, a Receita Federal vai criar, em Belo Horizonte, uma delegacia especial para vasculhar as contas dos 120 mil contribuintes mais ricos. Sessenta fiscais acompanharão, a partir de setembro, todas as operações patrimoniais e financeiras dos ricos. O Leão vai mirar os CPFs de suas “presas”, de olho em movimentos atípicos e nas compras com cartões de crédito. A operação especial será acompanhada, de perto, pelo Secretário da Receita, Otacílio Cartaxo. Tudo indica que a patrulha financeira contará com a “ajuda informal” do Banco Central e do COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras, do Ministério da Fazenda).

A turma do Leão vai usar uma evolução do software Harpia, desenvolvido por engenheiros do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) e da Unicamp. O sistema é usado desde 2005 no processamento de declarações do Imposto de Renda. Está instalado no T-Rex, um supercomputador comprado cinco anos atrás da norte-americana IBM, que opera no Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), em São Paulo, desde 12 de setembro de 2005. O Leão já teve a ajuda do “maior dinossauro” e da ave de rapina mais poderosa do País em investigações sobre o Caso Banestado – que até agora puniu quase ninguém por evasão de divisas.

Enquanto a parafernália pós-moderna, mas com apelido jurássico, não entra totalmente em cena, os grandes burgueses têm outro monstro a temer. É a regulamentação do Imposto sobre Grandes Fortunas – previsto na Constituição, mas que nunca foi cobrado. Assim que for conveniente, o governo arma para votação em plenário o projeto da deputada Luciana Genro (PSOL-RS), relatado por Régis de Oliveira (PSC-SP). A boa intenção é tributar “fortunas” acima de R$ 2 milhões. Um imposto progressivo incidiria a partir desse patrimônio com a alíquota variando de 1% a 5%.

Coincidência no ar?

Não é à toa que o governador de São Paulo, Alberto Goldman, pretende enviar ao Ministério da Defesa, nos próximos dias, a solicitação para a concessão de um terceiro aeroporto na Região Metropolitana de São Paulo.

A turma de Nelson Jobim não deve criar problemas para viabilizar a proposta, porque o negócio interessa às empreiteiras Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez.

As empresas só querem que Jobim lance um marco regulatório para a construção de aeroportos pela iniciativa privada.

A Aporte, subsidiária da Camargo, já tem uma área de 5,2 milhões de metros quadrados, na região de Caieiras, distante apenas 20 Km do centro de São Paulo, prontinha para receber o aeroporto.

A terra é deles?

Pelo menos um milhão de hectares de terras produtivas do Brasil já pertencem a estrangeiros ou seus laranjas.

A estimativa alarmante é do presidente da Associação dos Produtores de Seja, Glauber Silveira.

Até $talinácio andou reclamando que é preciso criar mecanismos que limitem a compra de terras brasileiras por estrangeiros.

Medinho

Um dos principais guros econômicos do chefão Lula manifestou ontem uma preocupação pública com a invasão estrangeira na Agricultura.

O czar econômico Antônio Delfim Netto aproveitou uma palestra na Federação do Comércio, em São Paulo, para alertar sobre o perigo chinês.

Segundo Delfim, é preciso tomar cuidado com um país que se expande adqurindo terras e negócios agropecuários e de mineração no Brasil e na África.

Super tiranos

A revista norte-americana "Foreign Policy". Publicada pelo CFR, aponta que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, e o cubano, Raúl Castro, figuram entre os 23 piores "tiranos" do planeta.

A "Foreign Policy" sustenta que Chavez, "o líder louco da "revolução" bolivariana, promove uma doutrina de democracia participativa na qual ele é o "único participante".

Sobre Raúl, a revista detona que o irmão de Fidel talvez "tenha algum defeito intelectual que não lhe permite perceber que a revolução que lidera é antiquada".

Em tempo: Na lista, o tirano campeão é é o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-il.

Rolo Battisti

O Estadão informa que o ex-ativista italiano Cesare Battisti deverá permanecer preso no Brasil pelo menos até o final do ano.

Até o momento, o governo da Itália não foi formalmente comunicado da decisão do STF de
anular o status de refugiado de Battisti e autorizar sua extradição.

Para que Battisti possa ser extraditado, cumprindo as exigências do Supremo, o governo italiano deve assumir o compromisso de converter a pena de prisão perpétua imposta a Battisti por uma pena máxima de 30 anos de reclusão - período máximo previsto na legislação brasileira.

Precisa também concordar em descontar desses 30 anos o tempo que o ex-ativista permaneceu preso no Brasil a espera da conclusão do processo. Sem a anuência da Itália, o Brasil não pode entregar Battisti

Cantou direitinho

Foi lindo ver ontem o germano-brasileiro Cacau cantando, a plenos pulmões o hino da Alemanha antes da vitória por 1 a 0 sobre Gana, no Soccer City, em Johannesburgo.

Nascido em Santo André, na região do ABC paulista, o atacante naturalizado começou no futebol alemão aos 18 anos.

Foi apenas mais um sinal simbólico de que, com o globalitarismo, o Brasil vai perdendo mais talentos a cada dia...

Nem Christo salva...

Ladrões visitaram, no último final de semana, a sede da Augusta e Respeitável Loja Maçônica Jesus Christo.

Fizeram uma limpa na casa 21 da Rua General Caldwell, 206, que fica dentro de uma vila fechada na região da Central do Brasil, no Rio de Janeiro.

A surpresa maior entre os maçons é que a Loja é formada, em maioria, por oficiais da ativa e da reserva da Polícia Militar.

Sinal de que a bandidagem carioca não tem medo de PM e de maçom...

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 24 de Junho de 2010.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Comparando Verdades

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro


Uma semana cheia de promessas contra o narcoterrorismo, uma cruzada essencial em nossos dias. O Exército Colombiano, numa operação profissional de alto nível, resgatou 3 dos seus soldados sequestrados pelas Farc há 12 anos. Eles foram devolvidos aos familiares enrolados nas correntes, com que eram presos às árvores durante a noite e de dia amarradas aos pés para as caminhadas. Humanidade das Farc.

Os colombianos souberam que o Mano Jojoy, ordenou que os 40 guerrilheiros que guardavam os sequestrados, fossem caçados e fuzilados. Era assim que os guerrilheiros brasileiros agiam contra todos que traiam a confiança do seu movimento internacionalista. Muitos deles são governantes no Brasil de hoje e perseguem o mesmo objetivo: governo coletivista internacional socialista.

É o fator ideológico que os guia. Por isto defendem as Farc, que abastecem de cocaína o crescente mercado de drogados brasileiros, que facilitam a existência do CV e do PCC, enquanto os governantes defendem a liberação do tráfico de drogas, em estreita associação com a vontade das Farc, Castro, Chávez, Evo Morales, banqueiros e políticos interessados no trilionário movimento financeiro associado ao tráfico de armas

Enquanto os colombianos elegiam a continuidade da política que quebrou as pernas das Farc e restabeleceu a segurança da vida e segurança nas cidades, o Presidente do México, declarava o inicio de uma política de estado contra as quadrilhas de narcotraficantes que "alteraram significativamente a paz dos cidadãos".

Denunciava a "falta de oportunidades de educação e trabalho que expõe os jovens, como presas fáceis de organizações criminosas" sendo essencial "fortalecer nos lares, nas escolas e nos meios de comunicação princípios e valores para enfrentar a situação...". Diz ainda o Presidente Calderón: "O nosso sistema judicial não atende o princípio constitucional de justiça rápida, nem permite castigar com eficácia... Permite assim a injustiça a impunidade e a corrupção".

Calderón assumiu a presidência em 2006. Desde então, o narcotráfico já matou 22.000 mexicanos. São dados oficiais que evidenciam a incapacidade do governo em investigar tantos milhares de assassinatos que ficam impunes. Somente 5% estão em processo de investigação. E vários estados já são dominados pelos chefes de quadrilhas de narcotraficantes, onde as Forças Armadas já perderam mais de 300 militares em operações repressivas.

Diz ainda o Presidente, censurando os que são contrários à repressão: "O que temos de fazer é enfrentar a delinquência. Se cruzamos os braços ficamos nas mãos do crime organizado, vivendo sempre com medo, nossos filhos sem futuro, a violência será maior até perdermos a liberdade". No Brasil convivemos com os patéticos políticos que defendem a liberação das drogas.


O Presidente do México, em seu comunicao, refere as políticas dos democratas norte americanos e a imprensa da Suiça destada a operação do Exército Colombiano, "heróica operação bem sucedida que suscitou forte desgosto nos “grupos humanitários” falsos, nos “irmãos socialistas” da guerrilha marxista na América Latina, notadamente em Caracas, Havana e Brasília, e nos adeptos da semi-falida Teologia da Libertação."

A agencia Swissinfo destaca ainda a declaração do comandante do Exército colombiano, general Oscar González, comentando que o chefe militar das FARC, Jorge Briceño, ordenou o fuzilamento de 40 guerrilheiros responsáveis pelo cativeiro dos prisioneiros. “É fato, disse o general, referem-se a eles em termos supremamente vulgares, obscenos e dão a ordem de assassiná-los. É com esta gente que grupos de “direitos humanos” civis e eclesiásticos acham que é possível um “diálogo” honesto e sincero!"

Em recente artigo, Mary O'Grady lembra que "a presidente da Câmara de Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, recebeu a maior aliada das Farc na política colombiana, a senadora Piedad Cordoba... a favorita dos terroristas. Pelosi demonstrou sua má vontade para com o governo colombiano, bloqueando o tratado de livre comércio entre os EUA e a Colombia."

Refere ao final, o encontro com um militar norteamericano que treinava os colombianos, no "Centro de Capacitação em Direitos Humanos" do exército, que destacou os requisitos estritamente exigidos aos soldados para proteger os civís no conflito: "Senhora, os norte americanos não perdemos toda uma noite rastejando na mata para surpreender o inimigo ao amanhecer. Mas estes rapazes fazem isto com coragem. Treinar na Colombia foi uma verdadeira prova para meu estômago."

Eis a nossa "Tropa de Elite":



Arlindo Montenegro é Apicultor.

O povo pensa que dossiê é um doce

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arnaldo Jabor

Não me esqueço de um ataque de riso, muitos anos atrás, quando ouvi a autocrítica de um alto dirigente do PC da China, durante a revolução cultural. Quem foi? Lin Piao? Não me lembro. A "autocrítica" era um dos velhos hábitos comunas, uma espécie de confissão católico-vermelha, só que aos berros diante das massas. E o dirigente se criticou: "Eu sou um cão imperialista, eu sou o verme dos arrozais da China, eu sou a vergonha do comandante Mao..."

Queria de volta as autocríticas do tempo de Mao. Queria ver o Marco Aurélio Garcia, por exemplo, bater no peito se confessando: "Eu sou a praga do cerrado, eu sou um bolchevista fingindo de democrata. Acabei com o prestígio de Lula lá fora, beijando o Armadinejad, isolei o Brasil e provavelmente perderemos mais de US$ 3 bilhões em benefícios que os Estados Unidos nos davam para exportações, além da sobretaxa do etanol, que será mantida!"

Depois que conseguiram entrar no Estado, através do Lula, os velhos esquerdistas perderam a aura mística, a beleza romântica que tinham na clandestinidade que os santificava. Eu conheci muitos heróis, sonhando realmente com a revolução, mesmo que utópica, mas honestos, sacrificando-se, morrendo. O comunista romântico não vemos mais.

Hoje, eles não se consideram eleitos por uma democracia, mas guerreiros políticos que "tomaram" o poder. Vemos isso nos milhares de insultos no twitter, emails e bloguinhos que espoucam na internet. Recebo centenas, como outros jornalistas. São apavorantes os bilhetes na web: ofensas e ameaças. Não há uma luta por ideais, mas uma resistência carregada de ódio e medo daqueles que podem, eventualmente, tirar seus privilégios: os "canalhas neoliberais"...
Esses quadrilheiros usurparam os melhores conceitos da verdadeira esquerda que pensa o Brasil no mundo atual, uma esquerda reformada pelas crises internas e externas, que se conscientizou dos erros da agenda clássica.

Eles injuriam e difamam o melhor pensamento de uma esquerda contemporânea, em nome de uma "verdade" deformada que teimam em manter. Esse crime abstrato muitos intelectuais e artistas não vêem, por temor ou ignorância. Falam de um lugar que seria da "esquerda", mas que é o lugar de baixos interesses pelegos, de boquinhas a defender ? uma versão de socialismo decaída em populismo. Se dizem de esquerda, mas são de direita, para usar seus termos.

Não só pilharam bilhões de reais de aparelhos do Estado, em chantagem com empresários, em fundos de pensão, contratos falsos, mas roubaram também nossos mais generosos sentimentos. E não é só a mentira que é vergonhosa. É a arrogância com que mentem, ao se apropriar do controle da inflação e de todas as reformas que o governo anterior lhes deixou, que eles chamam de "herança maldita".

Não há mais "autocrítica". Hoje temos o desmentido. O "desmentido" é o arrependimento do "se colar colou". Quando uma ação revolucionária dá "chabu", basta desmentir e ainda dizer que foi tudo invenção da vítima. Assim foi o caso Celso Daniel, o caso dos "aloprados" de São Paulo, das cuecas, tudo. "Nunca antes" um partido tomou o poder no Brasil e montou um esquema assim, um plano secreto de "desapropriação" do Estado, para fundar um "outro Estado" ou para ficar 20 anos no poder.

E agora no caso do "dossiê" contra o PSDB e Serra, mentem tranquilos: é a ''mentira revolucionária". Lembro-me do Lula rindo do dossiê dos "aloprados", dizendo: "Deixa pra lá... o povo nem entende o que é dossiê... pensa que é doce de batata... de abóbora..."

Como não têm um programa moderno para o Brasil, a não ser o imaginário sarapatel de ideologias que vão de um leninismo mal lido, passando por um getulismo tardio, uma recauchutagem de JK fora de época, eles escondem sua incompetência se dedicado à parte "espiritual" da velha ideologia: controle, fiscalização, tutela, espionagem e censura.

Agora, estamos assistindo ao início da "porrada revolucionária", com os "militantes" atacando os "inimigos" do povo. É o zelo dos peões, dos pés-de-poeira, que se acham os guerreiros de uma missão bélica para impedir que os burgueses do PSDB ganhem ? (se aliam ao Sarney e Collor e dizem que Serra e FHC, que passaram mais de uma década no exílio são "fascistas neo liberais"... Pode?)

Os brutamontes da militância se acham imbuídos de uma missão sagrada: "Eu taquei um pé nos cornos daquele tucano filho de uma égua, esfreguei a cara dele no chão até ele gritar "Viva a Dilma!" É isso que é golpe de esquerda, não é, companheiro?"

Outro feito dos bolchevo-pelegos no poder é a desmoralização do escândalo. As verdades e delitos aparecem, mas, por negaças, recursos políticos e protelações o escândalo definha, entra em agonia e morre. Quantos já houve? Stalin apagava das fotos os membros do partido que ele expurgava; portanto, nunca existiram. Tudo é absolvido pela "mentira revolucionária", porque ela vem por uma "boa causa".

Quase todos esses cacoetes derivam de um sentimento: "Somos superiores." Quando eu era estudante, um dirigente do PC dizia sempre: "Não estamos com a doutrina certa? Então... é só aplicá-la." Essa "certeza superior" é encontradiça em homens-bomba, em bispos vermelhos. O autoritarismo e a truculência não são privilégio de fascistas.

A única revolução no Brasil seria o enxugamento de um Estado que come a nação, com gastos crescentes e que só tem para investir 1,5% do PIB. A única revolução seria administrativa, apontada para a educação e para as reformas institucionais, já que, graças a Deus, a macroeconomia herdada foi mantida e a economia mundial se dirige a países emergentes.

O Brasil está pronto para decolar, se modernizar e essa gente quer segurar o avião em nome de interesses de um patrimonialismo de Estado e de um socialismo morto que, em seu delírio, acham que virá. Como recomendou Stedile a seus "sem-terra": "Tenham filhos; eles vão conhecer o socialismo..."

Arnaldo Jabor é crítico, cineasta e jornalista carioca. Artigo publicado originalmente nos jornais O Globo e Estado de S. Paulo de 22 junho 2010.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Lula ironiza que não sabe como o processo do mensalão teve continuidade na Justiça, apesar da falta de provas

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net (atualizado nesta Terça)

Por Jorge Serrão

O chefão $talinácio da Silva voltou a decretar ontem a máxima de que o mensalão nunca existiu. Mas o Presidente foi contraditório, na enrevista dada ao programa Cidadania, da TV Senado, que vai ao ar na próxima sexta-feira, às 21h 30min. Pregou que os responsáveis pelo esquema de compra de votos de congressistas "paguem o que tiverem de pagar".

Lula agiu eleitoreiramente. Suas palavras foram uma tentativa de cutucada no ex-deputado Roberto Jefferson, presidente do PTB, que fechou apoio à candidatura presidencial de José Serra. Lula alegou, na enrevista, que não entende como o processo do mensalão do PT teve continuidade na Justiça. O chefão reclamou que o processo é baseado em acusação de um deputado (que ele não citou o nome) que foi cassado porque não apresentou provas das denúncias que fez.

O processo do mensalão segue em alta velocidade de tartaruga no Supremo Tribunal Federal, com 39 réus, entre eles o ex-ministro da Casa Civil e agora famoso consultor de empresas José Dirceu de Oliveira e Silva. $talinácio saiu ileso do caso que quase derrubou seu governo. Os ministros do STF rejeitaram pedidos para tornar Lula réu no caso.

Motivo da bronca

O hábil $talinácio aproveitou sua entrevista à TV Senado para dar um troco em Roberto Jefferson pela entrevista que o ex-deputado deu ao Valor Econômico de ontem.

Jefferson meteu o pau na candidata petista ao Planalto, avisando que o PTB vai à oposição se ela vencer:

O projeto político dela vai nos levar o cerceamento da liberdade democrática. Olha os alinhamentos internacionais do País, com bandido, protetor de traficante, produtor de cocaína, com homem que humilha a mulher, com homem como Ahmadinejad. E o governo do Brasil diz que esses caras são bons? Vamos enfrentar isso”.

Por fora continua

Na entrevista ao Valor, Roberto Jefferson declarou que a prática do financiamento de campanha eleitoral, por fora, continua vigorando:

Estou afastado das eleições, não vou receber financiamentos. Por ouvir dizer... Por ouvir dizer que está havendo também (doações por fora). Não sei a quantidade...

Jefferson também comentou que o esquema do mensalão, tal como denunciou cinco anos atrás, na forma do toma lá dá cá, não existe mais no Congresso.

Paga quando puder

Na entrevista à TV Senado, $talinácio prometeu que pagará as multas por propaganda eleitoral antecipada, se perder os recursos judiciais.

Ele já levou cinco multas, que somam R$ 37,5 mil, por ter agido, indevidamente, em favor de sua candidata Dilma Rouseff.

$talinácio reclamou que as multas foram resultantes de brechas na Lei Eleitoral – que não regulamenta a pré-campanha.

Impostura

$talinácio voltou a defender a alta carga tributária do Brasil.

Repetiu que não conhece nenhum país desenvolvido que arrecade pouco imposto.

Para aliviar, veio com a estorinha de que gostaria de governar com taxas mais baixas, mas alegou que precisa administrar com responsabilidade e que, no momento, essa é a fórmula para conter a inflação.

Almoços Discretos

Toda sexta-feira, um grupo de poderosos advogados se junta para almoçar, sempre em um restaurante diferente de São Paulo.

Entre eles, o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos e Arnaldo Malheiros Filho - preferido para ocupar a vaga de Eros Grau no Supremo Tribunal Federal.

Também fazem parte da confraria os pesos pesados Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, Alceu Affonso Ferreira e Mário Sérgio Duarte Garcia.

Jura que foi balão?

Só um imbecil coletivo é capaz de acreditar, facilmente, na justificativa da Prefeitura do Rio de que o megaincêndio no matagal do Morro dos Cabritos foi provocado por balões.

A certeza é que o fogo começou pelas laterais do morro e se espalhou, com o vento forte.

Culpar o balão é fácil porque não há como provar que ele foi o causador do balão.

Mentirinha ecológica

Além de condenar o balão e chamar os baloeiros de criminosos, o prefeito Eduardo Paes fez a falsa promessa de que a área atingida no morro seria reflorestada imediatamente.

Ontem, a própria Secretaria de Meio Ambiente carioca desmentiu, oficialmente, o prefeito, com a informação de que a vegetação atingida foi pouca, composta de capim e pequena variedade e quantidade de plantas rasteiras.

A Secretaria informou que grande parte dos quatro hectares atingidos pelo incêndio no morro dos Cabritos é formada por um costão rochoso, o que dispensa um novo e caro reflorestamento, conforme anunciado pelo prefeito Paes, na véspera.

Poços do Visconde?

Petrobras promete investir R$ 224 bilhões de 2010 a 2014, valor R$ 4 bilhões acima do teto estimado originalmente para o seu plano de negócio relativo ao período e 28% superior aos US$ 174 bilhões previstos no programa anterior, de 2009 a 2013.

O problema é convencer o mercado de que tal promessa tem fundos de verdade – o que gerou uma queda das ações da empresa na Bovespa.

Hoje, uma Assembléia Geral Extraordinária da empresa, devidamente manipulada pelo governo (sócio controlador) vai definir os parâmetros da polêmica captação de US$ 58 bilhões que a Petrobras pretende fazer ainda este ano.

Direiros humanos na tela

Estão abertas até 2 de agosto as inscrições para a 5ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul – realização da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com produção da Cinemateca Brasileira e patrocínio da Petrobras.

Regulamentos e ficha de inscrição da mostra, que acontece de 8 de novembro a 15 de dezembro de 2010, podem ser acessados através do website http://www.cinedireitoshumanos.org.br/.

Cópias em DVD - acompanhadas de sinopse, foto, ficha técnica e contato - devem ser encaminhadas até 2 de agosto para o seguinte endereço:

5ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul
Cinemateca Brasileira - Largo Senador Raul Cardoso 207 / 04021-070 / São Paulo / SP

Festival de Paulínia

O filme "400contra1 - Uma história do crime organizado", de Caco Souza, com Daniel de Oliveira, sobre a origem do Comando Vermelho fechará a terceira edição do Paulínia Festival de Cinema - que acontece de 15 a 22 de julho.

Ao todo, o festival exibirá 27 filmes na Seleção Oficial, que concorrerão a R$ 650 mil em prêmios: 12 são longas-metragens (seis de ficção e seis documentários) e 13 curtas-metragens, sendo seis deles da região Metropolitana de Campinas.

Entre os destaques da seleção, estão os longas exibidos no Festival de Cannes deste ano "5XFavela, agora por nós mesmos", produzido por Cacá Diegues, e "Bróder", de Jeferson De, e o documentário "Lixo extraordinário", que participou dos festivais de Sundance e Berlim.

Para pensar na cama, com a Jabulani

Xingar técnico é ironia?

Xingar jornalista é crime contra a liberdade de imprensa?

Nunca os limites éticos da atividade jornalística estiveram tão em xeque quanto agora...

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 22 de Junho de 2010.