quinta-feira, 30 de setembro de 2010

O purgatório em vida



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Arlindo Montenegro

Brasileiros e outros latino americanos, estamos vivendo uma espécie de purgatório, enquanto os governos comunistas, que se dizem defensores da democracia, perseguem e conseguem inverter as leis, ou ignorar as Constituições, para normatizar a vida de todos na jaula coletivista.

Seguem as diretrizes dos controladores da ONU, para implantar a "nova ordem mundial", a ditadura totalitária num ambiente em que as nações, culturas diversas e religiões sejam esmagadas pelo direito do estado. No Brasil, já conseguiram avançar bastante. Nas escolas principalmente. No aparelho do estado onde pontificam os ativistas de um so partido dos mais corruptos que já conhecemos nesta nação.

E muito mais por utilizar a metodologia de propaganda que Stalin e Hitler utilizaram, começando por desarmar a população para que não possa no futuro defender-se, como acontece, hoje, na China e em tantos sítios do planeta, resultando em massacre e genocídio dos indefesos.

Tudo que nos espera, preparado pelo PT sob direção do Foro de São Paulo que orienta a banda de governos marxistas das Américas, está didaticamente narrado numa sequência de quatro vídeos, que estão no endereço:

http://www.youtube.com/watchv=zngZ4RgNQzE&feature=player_embedded .

Enquanto a cúpula desvia recursos, rouba e deixa roubar, negando o conhecimento do presidente que "não sabe" de nada, sacrificam-se alguns poucos integrantes do bando, com aposentadorias ou funções discretas. No plano internacional, são firmados contratos de cooperação militar e outros, principalmente aqueles que acenam com a
grandeza futura do pré sal, para cuja exploração ainda nem existe tecnologia suficiente.

Cumprem-se as metas da propaganda para a galera sonhar. E se cumprem as metas dos comunistas que passaram pelo comando das Minas e Energia, Petrobrás e ministérios loteados na ação entre amigos. A engenharia do estado totalitário enriquece uns poucos empreendedores amigos e garante a liberdade financeira de políticos.

Acumulando cargos públicos, existem sinecuras como o Conselho Administrativo da Petrobrás. Na ata quese encontra no endereço:
http://www2. petrobras. com.br/ri/ port/Informacoes Acionistas/ pdf/ATA_AGO_ 08abr09_port. pdf estão os nomes da candidata do PT/Lula, o italiano Guido Mantega, o Gabrielli, Silas Rondeau, o General Albuquerque e Luciano Coutinho.

Estas seis pessoas foram agraciados para a dura tarefa de reunir-se por um dia, durante um ano, como Membros do Conselho Administrativo da estatal, cada um com uma remuneração mensal superior a 100 mil reais! Num debate público o comunista Plinio Arruda perguntou à moça do Lula, se ela viveria com um salário mínimo. Não houve resposta. Todos sabem que os impostos vão para os juros bancários da dívida pública, para manter o estado inchado de petistas e para a corrupção.

Afinal somos um dos BRIC (Brasil, Russia, India, China), escalados para produzir a baixo custo, a serviço da nova ordem mundial. Na China, a revista alemã Der Spiegel (citada pelo blog Pesadelo Chinês) noticiou as " as dezenas de milhares de revoltas populares pontuais" duramente reprimidas. Quem se contesta o governo é preso ou morto. Os cristãos são duramente perseguidos.

Justifica-se assim o presidente cabo eleitoral em tempo integral. Para executar o plano global encomendado, o PT lança todos os dados, vale tudo! Vale escarnecer, mentir, ameaçar, enganar e mais. O escritor mexicano Jorge Castañeda, ex amigo de Fidel Castro refere o perigo que ronda as nações conhecidas como BRIC, destinadas a constituir um neo império capitalista selvagem dirigido pelo estado comunista mais selvagem ainda.

Diz Castañeda: "seus valores a respeito da vida e dignidade humana, são inferiores aos que são vigentes na maioria das democracias, onde existe um grande sentido crítico dos indivíduos diante do governo... inclusive o aclamado brasileiro Lula da Silva demonstra sensibilidade nula, negando-se a defender as vítimas de tiranias como as do Irã, Cuba e Coréia do Norte."

Por hoje, basta. Abaixo está aberto o primeiro dos quatro vídeos didáticos, que todo pai, aluno, professor, profissional liberal, cristão, trabalhador da industria e agricultura, deveria conhecer e discutir. Isto não apareceu, nem foi insinuado nos debates dos presidenciáveis! Isto é o que nos espera na moita, enquanto vivemos no purgatório.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Engenheiro cobra de ministro da Justiça que PF o intime a falar do escândalo Geminigate

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net (atualizado nesta Quarta)


Por Jorge Serrão

Diante do recente escândalo envolvendo a Casa Civil, o presidente Lula ordenou a imediata apuração de qualquer denúncia relativa a tráfico de influência “independente de qual seja o órgão, venha de quem vier”. Aproveitando-se desta ordem de Lula, o engenheiro João Vinhosa resolveu enviar hoje ao Ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, um pedido oficial para que seja apurado o caso da empresa Gemini – sociedade por meio da qual a Petrobras entregou um autêntico cartório de produção e comercialização de gás natural liquefeito (GNL) a uma empresa privada.

No texto ao ministro, João Vinhosa deixa claro: “Inegavelmente, somente a existência de um fortíssimo tráfico de influência seria capaz de proporcionar as impressionantes vantagens obtidas pela empresa escolhida para ser a sócia da Petrobras na Gemini. Além de citadas vantagens, outro fato aumenta ainda mais as evidências de tráfico de influência no caso Gemini. Trata-se da incrível omissão dos agentes públicos nas oportunidades em que foram colocados a par das graves denúncias de favorecimento da sócia da Petrobras em detrimento do interesse nacional”.

Vinhosa adverte ao ministro da Justiça que “é inadmissível a omissão das autoridades públicas diante das denúncias de corrupção explícita feitas pelo sindicato dos petroleiros (Sindipetro). Tais denúncias de corrupção, veiculadas no jornal do Sindipetro, são tão categóricas que uma das matérias apresenta até mesmo uma charge na qual aparece uma mala recheada de dinheiro contendo o nome da sócia da Petrobras”.

João Vinhosa ressalta que a situação se torna ainda mais inadmissível ao se considerar que, enquanto as autoridades governamentais se omitem diante das denúncias de corrupção feitas pelo Sindipetro, o presidente Lula acusa a imprensa de usar de má-fé ao denunciar o tráfico de influência na Casa Civil de um governo, que, segundo ele, apura todas as denúncias que toma conhecimento. João detona: “A evidência de uso de tráfico de influência foi reforçada pelo inexplicável silêncio do Sindipetro, entidade que havia denunciado corrupção no caso. Fica a pergunta: que forças ocultas influenciaram o poderoso sindicato a parar de denunciar os benefícios concedidos à sócia da Petrobras na Gemini?”.

Vinhosa também mandará uma cópia da carta ao presidente Lula e ao procurador-geral da República Roberto Gurgel: Informo, também, que ela será divulgada na internet com o objetivo de compelir as autoridades a apurarem o gritante crime de lesa-pátria nela tratado. Vinhosa também envia uma cópia do artigo Lula, tráfico de influência e Gemini, publicado no Alerta Total, no qual sugeriu que fosse intimado a falar sobre o caso Gemini em uma audiência formal, preferencialmente na Polícia Federal.

Voo cego

O pobre PT fretou sete aviões, com mais de 250 lugares, vindos de um paraíso fiscal, para transportar militantes profissionais nesta reta final de campanha.

Torrou, na operação, uns US$ 4 milhões, que nem devem passar pela contabilidade da campanha.

As aeronaves serão muito usadas no momento de desespero, em que Dilma cai nas pesquisas e o risco de segundo turno é cada vez maior para a petralhada.

Suprema embromação

O Supremo Tribunal Federal retoma hoje o julgamento do recurso em que Joaquim Roriz contesta o TSE por enquadrá-lo na Lei da Ficha Limpa.

Como Roriz renunciou à candidatura ao governo do Distrito Federal, em tese, o julgamento do recurso fica prejudicado.

O STF tem tudo para empurrar pra frente, depois da eleição de domingo, a decisão sobre a validade da Lei.

Eleição sem morte

Domingo passado, a Agência Brasileira de Inteligência recebeu a informação segura de que a candidata petista Dilma Rousseff corria o risco de sofrer um atentado no Rio de Janeiro na terça-feira.

Como nada aconteceu ontem, para felicidade da Abin, ficou mais uma vez provado que os terroristas, pelo menos, têm ética e consideração.

Não fazem maldade contra velhos companheiros com relevantes serviços prestados à causa no passado.

Morte da eleição

Circulava ontem na “comunidade” a informação de que é irreversível o quadro de saúde do senador Romeu Tuma – um dos melhores amigos do presidente Lula, desde os tempos em que um era delegado do setor de inteligência da repressão à ordem política e o outro era sindicalista, na tal da dita-dura.

A mesma informação especulava que ele já estaria “tecnicamente sem chances de sobreviver” desde sexta-feira passada, sendo mantido vivo por aparelhos, no Hospital Sírio e Libanês – que não liberea informações sobre o ilustre paciente.

Qualquer notícia ruim só deve ser dada depois de domingo, quando passar a eleição, na qual Tuma concorre a uma difcílima reeleição pelo PTB-SP.

Numa eleição em que já concorrem palhaços e ladrões, só faltava mesmo disputar quem já teria ido desta para outra melhor.

Preocupação

Quem esta na reta final de campanha muito tenso é o senador Aloísio Mercadante.

Não pela disputa praticamente perdida para Geraldo Alckmin.

É grave o estado de saúde de seu pai, o General de Exército reformado Oswaldo Muniz Oliva.

Embora Mercadante não use na política o sobrenome do ex-comandante da Escola Superior de Guerra nos tempos da dita-dura, pai é sempre pai...

Crime sem castigo?

Por falar no General Oliva, mais uma ilegalidade é cometida no bairro Parque dos Príncipes, em Osasco, onde ele e o prefeito petista da cidade, por coincidência, moram.

Foi ampliada uma porteira na entrada do bairro, que ilegalmente querem transformar em condomínio de luxo, alegando-se “razões de segurança”.

Se houver um incêndio por lá, nem o carro do bombeiro conseguirá passar para prestar socorro.

O caso da porteira ilegal do Parque dos Príncipes, onde uma associação também tenta cobrar condomínio ilegalmente em um espaço que é bairro de uma cidade, é alvo de investigação que se arrasta no Ministério Público...

Guerra na Maçonaria

Pegará fogo a sessão desta sexta-feira do Excelso Supremo Tribunal Federal Maçônico.

A partir das 14 horas, será julgado o escândalo que envolve o nome do Soberano Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil, Marcos José da Silva.

Ele registrou, em seu nome pessoal, na Biblioteca Nacional, o título e conteúdo de 21 livros secretos (rituais) da irmandade.
Defesa complicada

Os defensores de Silva sustentam que ele registrou os livros para evitar que outra pessoa com interesses escusos o fizesse.

Mas seus acusadores alegam que Marcos passa a ter o direito de embolsar a comissão de 5% sobre o preço de capa de eventuais livros baseados no conteúdo registrado por ele.

A tese é reforçada pelo raciocínio de que o Grão-Mestre poderia ter feito o registro em nome do GOB e não no dele próprio.

O Grande Oriente do Brasil foi fundado no Brasil em 1822, tem 60 mil membros e nunca antes na história da maçonaria algo similar havia acontecido.

Por trás do Plano

Com o video do endereço abaixo, começa uma aula em 4 partes, de compreensão simples, didática, para que a população conheça o que está por trás do poder do PT, por que o Lula quer dona Dilma no poder.

Muito do que ainda querem transformar em lei, já está sendo posto em prática nas escolas.

Estes vídeos servirão aos pais, alunos e professores, a todos que prezam a liberdade e as tradições culturais brasileiras.
http://www.youtube.com/watch?v=zngZ4RgNQzE&feature=PlayList&p=AE53FA1183DFB19E&index=0&playnext=1

Homicídio involuntário

O Tribunal de Grande Instância de Var, no Sul da França, reconheceu anteontem a "existência de um crime" no desastre fatal com o voo 447 da Air France, desaparecido no Atlântico em 31 de maio de 2009 na rota Rio-Paris

O caso foi definido como "homicídio involuntário" pela Justiça - o equivalente no Brasil ao homicídio culposo (quando não há intenção de matar).

A decisão é inédita na França e pela primeira vez se fala em crime envolvendo um acidente aéreo.

As famílias das 228 vítimas não precisam mais esperar pelo fim das investigações para buscar indenizações.

Vida que segue...


Ave atque Vale!


Fiquem com Deus.


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 29 de Setembro de 2010.

O Planalto quer Serra, mas Marina avança

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Marcio Accioly

O que é o que é? Quando os escândalos aparecem, quando a roubalheira fica difícil de explicar, quando sigilos fiscais e bancários são violados impunemente, o governo joga um produto oleoso, viscoso e preto em cima dos brasileiros, tentando abafar sua malandragem e pouca vergonha?

Trata-se do petróleo (pré-sal), a mais de oito mil metros de profundidade, proclamada auto-suficiência no campo dessa fonte energética, embora paguemos a gasolina mais cara do mundo. Espertos e imbecis repetem que “nossa economia vai muito bem”, igualzinho ao que ouvem dia e noite nos principais canais de televisão.

O petróleo que jorra das declarações governamentais diariamente, no nosso caminho, seria suficiente para oferecer a tão sonhada independência, acabando de vez com o déficit comercial nesse setor.

Mas como vivemos num país de faz-de-conta, com leis elaboradas por cambada de bandidos que deveria estar na cadeia (aliás, presídios inexistem), eis que engolimos a pantomima com cachaça e pagode, na falta de educação explícita a corroer todas as estruturas.

Qual a diferença entre o PSDB de José Serra e o PT de Dom Luiz Inácio? Será a quantidade de dinheiro gasta nos célebres cartões corporativos? Alguns dos quais considerados de segurança nacional, pois falam direto a saques monumentais na conta da Presidência da República? Bom lembrar que tais cartões foram criados por FHC.

Qual a diferença entre a candidata presidencial Dilma Roussef e o ex-presidente Collor de Mello, que a apoia sem reservas, inclusive colando seu nome ao dela na disputa governamental que empreende (mais uma vez), no estado de Alagoas?

A Dilma, quem se dispuser a pesquisar na internet (e é muito fácil), é capaz de ilustrar relatos aterradores, tais como humilhar de forma inaceitável os seus semelhantes, humildes servidores e até graduados, se cometerem algum deslize ou deixarem de cumprir de maneira subserviente suas ordens e caprichos.

Coisa assim como o exemplar vice-presidente da República, José de Alencar. Flagrado numa ação judicial em que se recusa a assumir a paternidade da filha (tida com pobre mulher do Interior), saiu por aí a dizer que a mãe da hoje senhora é prostituta, que certamente não está à altura de merecer o respeito de tão elogiável lorde!

O jornal Estado de S. Paulo, perto das eleições que levaram Collor de Mello ao poder, noticiou que sua excelência, certa feita, jogou em cima da empregada doméstica de sua residência uma tigela cheia de macarrão, sujando a moça da cabeça aos pés. Era sua forma de reclamar porque detestava massa e não queria se servir “daquela porcaria”.

Por todos os relatos que aí circulam a Dilma não está distante desse comportamento. Agora está calminha, sorrindo, depois de ter construído o Brasil com Dom Luiz Inácio (diz isso na TV com grande cara-de-pau), e depois de inventar possuir títulos sem fim, como se amálgama vivo de Kepler, Isaac Newton e Albert Einstein.

No livro “Viagens com o presidente”, escrito pelos jornalistas Eduardo Scolese (Folha de S. Paulo) e Leonencio Nossa (Estado de S. Paulo), o tratamento dispensado por Dom Luiz Inácio a seus subalternos não são menos humilhantes. Se o país prestasse atenção em muita coisa que aí é publicada, a máscara de sua excelência já teria caído.

Agora, o Planalto está em polvorosa, atrás de mágica fórmula para derrubar Marina, a presidencial do PV. Não vai conseguir, pois o segundo turno se tornou inevitável. A questão é saber se a população descobriu que Marina é a mínima possibilidade de mudança ou se vai insistir numa dualidade sem futuro, entre Dilma e Serra.

Márcio Accioly é Jornalista.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

As boquinhas fechadas



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Arnaldo Jabor

Estamos vivendo um momento grave de nossa história política em que aparecem dois tumores gêmeos de nossa doença: a união da direita do atraso com a esquerda do atraso.

O Brasil está entregue à manipulação pelo governo das denúncias, provas cabais, evidências solares, tudo diante dos olhos impotentes da opinião pública, tapando a verdade de qualquer jeito para uma espécie de "tomada do poder". Isso; porque não se trata de um nome por outro - a ideia é mudar o Estado por dentro.

Tudo bem: muitos intelectuais têm todo o direito de acreditar nisso. Podem votar em quem quiserem. Democracia é assim.
Mas, e os intelectuais que discordam e estão calados? Muitos que sempre idealizaram o PT e se decepcionaram estão quietinhos com vergonha de falar. Há o medo de serem chamados de reacionários ou caretas.

Há também a inércia dos "latifúndios intelectuais". Muitos acadêmicos se agarram em feudos teóricos e não ousam mudá-los. Uns são benjaminianos, outros hegelianos, mestres que justificam seus salários e status e, por isso, não podem "esquecer um pouco do que escreveram" para agir. Mudar é trair... Também não há coragem de admitirem o óbvio: o socialismo real fracassou. Seria uma heresia, seriam chamados de "revisionistas", como se tocassem na virgindade de Nossa Senhora.

O mito da revolução sagrada é muito grande entre nós, com o voluntarismo e o populismo antidemocrático. E não abrem mão de utopias - o presente é chato, preferem o futuro imaginário. Diante de Lula, o símbolo do "povo que subiu na vida", eles capitulam. Fácil era esculhambar FHC. Mas, como espinafrar um ex-operário? É tabu.

Tragicamente, nossos pobres são fracos, doentes, ignorantes e não são a força da natureza, como eles acham. Precisam de ajuda, educação, crescimento para empregos, para além do Bolsa-Família. Quem tem peito de admitir isso?

É certo que já houve um manifesto de homens sérios outro dia; mas faltam muitos que sabem (mas não dizem) que reformas políticas e econômicas seriam muito mais progressistas que velhas ideias generalistas, sobre o "todo, a luta de classes, a História". Mas eles não abrem mão dessa elegância ridícula e antiga. Não conseguem substituir um discurso épico por um mais realista. Preferem a paz de suas apostilas encardidas.

Não conseguem pensar em Weber em vez de Marx, em Sérgio Buarque em vez de Florestan Fernandes, em Tocqueville em vez de Gramsci.

A explicação desta afasia e desta fixação num marxismo-leninismo tardio é muito bem analisada em dois livros recentemente publicados: Passado Imperfeito, do Tony Judt (que acaba de morrer), e o livro de Jorge Caldeira História do Brasil com Empreendedores (Editora Companhia da Letras e Mameluco).

Ali, vemos como a base de uma ideologia que persiste até hoje vem de ecos do "Front Populaire" da França nos anos 30, pautando as ideias de Caio Prado Jr. e deflagrando o marxismo obrigatório na Europa de 45 até 56. Os dois livros dialogam e mostram como persiste entre nós este sarapatel de teses: leninismo, getulismo desenvolvimentista - e agora, possível "chavismo cordial".

A agenda óbvia para melhorar o Brasil é consenso entre grandes cientistas sociais. Vários "prêmios Nobel" concordam com os pontos essenciais das reformas políticas e econômicas que fariam o Brasil decolar.
Mas, não; se o PT prevalecer com seu programa não-declarado (o aparente engana...), não teremos nada do que a cultura moderna preconiza.

O que vai acontecer com esse populismo-voluntarista-estatizante é previsível, é bê-á-bá em ciência política. O PT, que usou os bons resultados da economia do governo FHC para fingir que governou, ousa dizer que "estabilizou" a economia, quando o PT tudo fez para acabar com o Real, com a Lei de Responsabilidade Fiscal, contra tudo que agora apregoa como atos "seus". Fingem de democratas para apodrecer a democracia por dentro.

Lula topa tudo para eleger seu clone que guardará a cadeira até 2014. Se eleito, as chamadas "forças populares", que ocupam mais de 100 mil postos no Estado aparelhado, vão permanecer nas "boquinhas", através de providências burocráticas de legitimação.

Os sinais estão claros.

As Agências Reguladoras serão assassinadas.

O Banco Central poderá perder a mínima autonomia se dirigentes petistas (que já rosnam) conseguirem anular Antonio Palocci, um dos poucos homens cultos e sensatos do partido.
Qualquer privatização essencial, como a do IRB, por exemplo, ou dos Correios (a gruta da eterna depravação) , será esquecida.

A reforma da Previdência "não é necessária" - já dizem eles -, pois os "neoliberais exageram muito sobre sua crise", não havendo nenhum "rombo" no orçamento.

A Lei de Responsabilidade Fiscal será desmoralizada.

Os gastos públicos aumentarão pois, como afirmam, "as despesas de custeio não diminuirão para não prejudicar o funcionamento da máquina pública".

Portanto, nossa maior doença - o Estado canceroso - será ignorada.

Voltará a obsessão do "Controle" sobre a mídia e a cultura, como já anunciam, nos obrigando a uma profecia autorrealizável.

Leis "chatas" serão ignoradas, como Lula já fez com seus desmandos de cabo eleitoral da Dilma ou com a Lei que proíbe reforma agrária em terras invadidas ilegalmente, "esquecendo-a" de propósito.

Lula sempre se disse "igual" a nós ou ao "povo", mas sempre do alto de uma "superioridade" mágica, como se ele estivesse "fora da política", como se a origem e a ignorância lhe concedessem uma sabedoria maior. Em um debate com Alckmin (lembram?), quando o tucano perguntou a Lula ao vivo de onde vinha o dinheiro dos aloprados, ouviu-se um "ohhhh!...." escandalizado entre eleitores, como se fosse um sacrilégio contra a santidade do operário "puro".

Vou guardar este artigo como um registro em cartório. Não é uma profecia; é o óbvio. Um dia, tirá-lo-ei do bolso e sofrerei a torta vingança de declarar: "Agora não adianta chorar sobre o chopinho derramado!"...

Arnaldo Jabor é Cineasta e Jornalista. Artigo originalmente publicado no Estado de São Paulo de 28 de setembro de 2010.

Subida de Marina preocupa quadrilheiros

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Márcio Accioly

Na reta final de mais uma insossa eleição presidencial, fica bem claro o seguinte: nem José Serra (PSDB-SP) consegue adocicar o pouco exigente paladar da grande maioria, nem a candidata dos aloprados (guerrilheiros fracassados e combatentes desmoralizados), consegue se firmar como alternativa a que não se torça o nariz.

No meio desse imprensado quem cresce é Marina Silva (PV). E os mais atentos já conseguem enxergá-la no segundo turno. Mesmo sabendo ser daquelas contadas nos dedos, fiel seguidora do vigarista ex-vice-presidente norteamericano Al Gore e sua fajuta teoria de aquecimento global. Prova de que todos querem mesmo mudar.

Para quem não acompanha a questão ambiental (Marina se entende das mais credenciadas na abordagem), deve-se dizer que a Terra está esfriando. Os próximos invernos mundo afora vão ser de rachar o cano.

Nova York, por exemplo, poderá alcançar 57 graus negativos neste inverno ou no outro. Arriscado afirmar tal coisa? Só nos resta aguardar e viver o suficiente para comprovar. Pois Marina é de santa ingenuidade a acreditar em tudo. Se o sujeito não domina o assunto em que diz ser batuta, imagine o que ainda está por vir.

Como é que se acredita ser possível mudar o clima, assim como quem regula a chama no fogão? Quer baixar para 18 graus? Bota a população mundial a soprar na superfície do planeta. Quer aumentar o calor um pouquinho? Corta umas árvores na periferia e põe mais dez mil automóveis a circularem. Isso é Copenhague 51.

Uma simples explosão de um vulcão coloca dióxido de carbono na atmosfera que corresponde a todos os veículos do mundo juntos, funcionando por milhares de anos. As pessoas têm mania de Deus e crêem ter descoberto como tudo deve ser feito. A cada avanço da ciência eles vão se adequando e ajustando o mundo a bel-prazer.

Mas o que ocorre com Zé Serra? Não convence a mais ninguém! E não se culpe o fato de ter assinado documento assegurando que não iria renunciar à Prefeitura de São Paulo para logo desmentir. Nem se credite à recente entrevista do ex-presidente FHC (1995-2003), atestando a vitória de Dilma e se achando o supra-sumo.

Ele já nem deve mais lembrar o ex-sócio (depois ministro, Sérgio Mota), que falou em “masturbação” sociológica em aparente irritação com as cercanias do então presidente. FHC é aquele que o Criador mandou para este planetazinho insignificante, somente para remendar falhas por Ele admitidas.

A Dilma, já se tem apontado, possui vácuo enorme no juízo. Ex-proprietária de loja de variedades, de R$ 1,99, faliu! Aí, foi se arrumar no Estado, pois lá dentro não há perigo. Dom Luiz Inácio a carregou pelo país e somente a Justiça Eleitoral não viu.

No inegável bordel Brasil, produto da estrutura televisiva, Dilma cresceu e pontificou, saiu a falar de gestão em que se mostrou planejadora e executora, até que seu braço direito, Erenice, recebeu a Grã-Cruz da Ordem do Rio Branco e prosseguiu desandada a cometer delitos.

Mais tarde, foram descobertos tantos parentes de Erenice alojados no grosso e no varejo pelo Estado, que o genial Millôr Fernandes constatou ser a ex-ministra a própria bolsa-família!

Dom Luiz Inácio é pura preocupação. Não quer entregar o ouro ao bandido (sem trocadilho), colocado fora dos arranjos. Os rombos existentes na sua administração são de alto teor explosivo. Nada se junta com nada. É impensável não sintonia.

À população só resta esperar que alguém finalmente faça alguma coisa e promova ajustes indispensáveis sem tanta sede que esgote a água do pote. É assim como esperar a materialização de bem-sucedido conto de fadas.

Márcio Accioly é Jornalista.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Contribuição sem sentido de Lula

Edição de Imagens com senttido no Alerta Total - http://www.alertatotal.net/

Sem saída: Todo poder aos comunistas

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Arlindo Montenegro

Os rostos familiares, em seus assentos preferidos, contemplam hipnotizados as tragédias do dia a dia. Os mais velhos ainda se espantam. Os mais jovens apenas ouvem a narração dos fatos rotineiros. O sangue, as imagens mais cruentas não espantam mais. Os velhos viram a cabeça com um resmungo “não gosto de ver isto”.

Ninguém associa o que vê e ouve às políticas publicas. Os costumes, os comportamentos extremados que agridem velhos valores, podem revoltar os velhos que pra nada valem. Mas para os jovens, como foi ensinado na escola é “diversidade” que deve ser tolerada e até aplaudida. São os “direitos humanos”.

Tudo visto e ouvido em silencioso transe, entre enlaces de propaganda sobre novas obras, criação de uma carrada de empregos, a gaiatice de uma fala política, estatísticas favoráveis à saúde, pagamento de dívidas e a construção de milhões de casas, novas escolas e cursos e finalmente as dicas de saúde, beleza e o futebol, que finalmente arranca comentários da família em defesa do “time do coração”.

A propaganda aberta e subliminar enaltece o "tudo pelo social" e as virtudes da esquerda. O mesmo discurso é repetido à exaustão pelos que deveriam escarafunchar o desprezo às leis as ações criminosas e impunes do “Chefe”, seus auxiliares radicais, amigos sindicalistas e serviçais sem nenhum caráter, todas pessoas que exercem a crueldade sorrindo, sem censura.

Os ilustres do poder econômico externo e interno “convenceram” os ilustres do PT, que por sua vez instalaram seus ilustres sindicalistas nos postos chave de decisão, todos empenhados em implantar o projeto socialista, tal como está descrito nas leis que esperam aprovação legislativa sob o nome de PNDH-3, elaborado pelos radicais do Foro de São Paulo.

O pior de tudo, a desconstrução do sistema educacional, já estava implantada, abrindo as portas de escolas superiores aos analfabetos funcionais oriundos de uma educação básica fundada na ideologia marxista leninista. Estamos prestes a conhecer na própria carne, o que os Venezuelanos já estão sofrendo.

Nossos recursos minerais e partes do território já estão loteados entre grupos estrangeiros, notadamente os obedientes à realeza inglesa. Os nacionais negociam as sobras futuras. A dívida interna e externa já ultrapassa R$ 1.5 TRILHÕES! Cresce a cada dia na medida em que crescem os gastos perdulários do estado.

O governo paga mais de 12% anuais de juros, quando outras nações pagam apenas 2%. Os valores que o estado “bonzinho” paga, somam quantias quatro ou mais vezes superiores aos orçamentos para a saúde, ou para a educação.

Domingo, na Venezuela, eleições. Os opositores do socialismo bolivariano cometeram o erro de não apresentar candidatos nas eleições passadas, abrindo caminho para o PSVU, partido de Chávez, correspondente ao PT de Lula e Dilma, José Dirceu, Genoíno e outros “acima das Leis”, que tem o mesmo significado de “fora da Lei”.

Na Venezuela o partido filiado ao Foro de São Paulo aprovou mais de 150 leis, incluindo a expropriação de empresas, propriedades urbanas e agrícolas, apoio e parceria com as guerrilhas da Colômbia, tratados com os cubanos, que hoje estão presentes no controle dos serviços secretos e segurança do próprio Chávez, “consultores das Forças Armadas” e treinando milícias que aterrorizam os venezuelanos.

Caracas tornou-se a cidade mais perigosa e insegura do mundo! Chávez controla as prefeituras e suas milícias armadas controlam os bairros, do mesmo modo como nossos traficantes de drogas e armas, controlam e aterrorizam as “comunidades”. Tudo sob o rótulo de “direitos humanos”. Lá e aqui.

Chavez governa por decreto, com plenos poderes. Lula governa por decreto, “comprando” poderes estratégicos. Varreu da cena a liberdade de expressão e prendeu juizes, políticos e opositores expressivos. A oposição se organizou para voltar à cena legislativa, para barrar as pretensões do socialismo bolivariano.

No próximo domingo, nós vamos às urnas, como oposição (?) ... companheira e esquálida, carente de uma mobilização de massas, carente de convicção, carente de apoio da mídia! Contra a multimilionária propaganda governamental. Contra a real possibilidade de fraude eletrônica que não deixa rastros. Os que prezam as liberdades democráticas, a liberdade política, contrariados, “correndo atrás do prejuízo” e vitimados pelo rolo compressor dos psicopatas no poder.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

As consequências da implantação do socialismo pretendida pelo Foro de São Paulo para o Brasil

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Bosco Leal

O Foro de São Paulo, criado em 1990 na cidade de São Paulo pelo Partido dos Trabalhadores a partir de uma ideia ocorrida durante uma visita realizada por Fidel Castro a Lula em São Bernardo do Campo, contou, já em sua formalização, com a presença de 48 organizações, partidos e frentes de esquerda da América Latina e Caribe.

Dele participaram desde Fidel Castro, Hugo Chávez e Evo Morales aos nossos José Dirceu, Lula, José Genoíno e todo o resto dessa turma, literalmente falando. Em 1991, o Foro foi realizado na Cidade do México, com a participação de 68 organizações e partidos políticos de 22 países, ocasião em que foi consagrado o nome de "Foro de São Paulo".

Depois disso, o Foro vem ocorrendo a cada um ou dois anos em diferentes cidades. Manágua em 1992, Havana em 1993, Montevidéu em 1995, San Salvador em 1996, Porto Alegre em 1997, México em 1998, Manágua em 2000, Havana em 2001, Antígua em 2002, Quito em 2003, São Paulo em 2005, San Salvador em 2007, Montevidéu em 2008, México em 2009 e Buenos Aires em 2010.

Esse Foro nada mais é que a tentativa de transformação de toda essa região em um domínio político de ideologia socialista marxista. No projeto inicial, essa implantação total ocorreria em cinquenta anos, mas da fundação do Foro até agora, só se passaram vinte anos e já conseguiram realizar praticamente todo esse plano, como pode ser facilmente notado pelos governos dos "companheiros", que hoje dominam nossos países vizinhos.

Como o socialismo marxista ditatorial falhou em todo lugar onde foi implantado, já era de se esperar que também falhasse em nosso continente. Entretanto, não aceitando admitir o fracasso, o atual governo brasileiro passou a ser o "pai rico" dos vizinhos que estão falindo nesse regime.

Durante o encontro do Foro de São Paulo ocorrido em Montevidéu em 2008, o presidente paraguaio Fernando Lugo reivindicou a renegociação de valores do tratado de criação da Usina Hidrelétrica de Itaipú Binacional, de 1973. Foi o início das atitudes tomadas por Lula como "pai rico". Somente nessa revisão assinada por Lula em julho de 2009, o Brasil passou de US$ 120 para US$ 360 milhões de dólares por ano o pagamento realizado ao Paraguai pela energia por nós consumida de Itaipu. Um aumento de US$ 20 milhões de dólares por mês de "doação", realizada por quem possuía contrato assinado há mais de trinta anos, com essas condições predeterminadas, exatamente por haver o Brasil construído Itaipu sozinho, sem ajuda alguma do Paraguai.

As "doações" que o país tem feito continuaram por diversos lugares por onde passou o nosso presidente, além dos altíssimos financiamentos concedidos pelo governo brasileiro, principalmente através do BNDES, aos países governados pelos "companheiros", como aqueles para a construção de aeroportos em Cuba, linha de transmissão de energia e estradas no Paraguai, a construção de seis usinas hidrelétricas no Peru, a construção de estradas e a "entrega" de patrimônio da Petrobrás na Bolívia, e tantos outros crimes que nem ficamos sabendo.

Digo crimes porque em nosso país faltam aeroportos, linhas de transmissão, novas usinas hidrelétricas, novas estradas e reformas das já existentes, portos com capacidade de escoamento de nossa produção, além, é claro, de saúde, educação e habitação decentes para os brasileiros.

São milhões de brasileiros morando em barracos, muitas vezes soterrados nos temporais, retirando sua subsistência de lixões, morrendo nas portas dos hospitais, analfabetos e comprados pelos diversos projetos do tipo "bolsas e vales".

Esse é o socialismo pelo qual muitos hoje no poder ou candidatos a ele pegaram em armas e mataram irmãos para sua implantação. É sobre isso que precisamos pensar nas próximas eleições.

João Bosco Leal é Produtor Rural. www.joaoboscoleal.com.br

domingo, 26 de setembro de 2010

Oscar para Lula no governo pornográfico

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão

Pornografia combina com a politicagem tupiniquim. Já pensou se alguém filmasse, secretamente, algo abominável? O homem mais poderoso do País em um quarto de motel alagoano. O cenário repleto de garrafas cheias e vazias de champagne francês e whisky 18 anos.

O Rei está nu. Completamente bêbado. Aos pés dele, uma jovem, do povo. Pratica felação. Tudo observado por um assessor puxa-saco. O cafetão oficial se diverte com a cena boquética. O gozo pouco importa. É completamente efêmero. Igual ao exercício de poder. Vale tudo!

Imagine que alguma empresa de espionagem, dirigida por russos egressos da boa e velha KGB soviética, produzisse uma “obra” assim? O que aconteceria se um filminho com tal enredo pornográfico fosse parar no YouTube? Um anti-espetáculo dantesco como este produziria algum efeito explosivo na reta final de uma campanha eleitoral? Valeria um Oscar? Talvez...

Ainda bem que um filme assim não seria possível nem no mundo da ficção política. Garanto que até Lula, com seu fígado de titânio, detestaria ver um espetáculo assim. Ninguém, em sã consciência, aprovaria uma invasão tão hedionda de privacidade. Nem aceitaria o registro, no pior estilo BBB, de tamanha pornografia para fins de extorsão política. O mundo chauvisnista da politicagem tem que morrer. Problema é que parece mais vivo que nunca...

Pornografias de lado, Lula merece um Oscar. É um legítimo filho... Da Dona Lindu. Mas, sobretudo, do Brasil! Lula é sempre um ator perfeito na representação de si mesmo. Não foi à toa que a máquina do Bolcheviquepropagandaminister teve facilidade de vender a boa imagem dele no exterior. O cara (de pau) virou até personagem-título de obra cinematográfica da renomada família Barreto. Agora, Lula vai concorrer, de verdade, ao Oscar.

O mundo cinéfilo brasileiro se divide. Muitos correram para criticar a decisão do conselho de notáveis do Ministério da Cultura que indicou “Lula, o filho do Brasil” como representante nacional na disputa de “Melhor Filme Estrangeiro” em Hollywood. Existem duas explicações para a indicação. A justificativa técnica argumenta que o filme é o mais palatável esteticamente para o modelo da academia norte-americana. A hipótese política sugere que a indicação obedece ao bem executado esquema de globalizar a marca “Lula”.

Independemente de qualquer motivação, técnica ou política, Lula merece um Oscar de Efeitos Especiais. Os gênios hollywodianos tinham a obrigação de dar um prêmio máximo a um personagem que consegue a mágica se desvincular de todos os escândalos protagonizados por políticos ou por maus administradores que com ele convivem. Como é que nada atinge Lula, mesmo que Marco Antônio de Oliveira, ex-diretor dos Correios, tenha revelado à revista Veja: “A Casa Civil virou uma roubalheira”?

O governo do crime organizado é pornográfico. A corrupção sistêmica é vergonhosa. A impunidade é indecente. Mas nada consegue ser tão nojenta quanto a leniência dos brasileiros ignorantes com tanta sujeira que se reproduz a cada eleição. Se o tal do Oscar vem ou não, ainda não dá para saber.

O filme do governo pornô está queimado. O de Lula ainda não. Até quando, só Deus sabe. Embora não pareça, seu governo está acabando. A partir de janeiro de 2011, muita coisa vai acontecer. Quem for ao cinema verá... Afinal, além de fenônemo religioso (segundo Arnaldo Jabor), Lula é algo cinematográfico. Tomara que não acabe em um cinema pornô. Oxalá que os senadores não deixem isto acontecer.

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

Ilustração acima: genial capa do Diário do Comércio de São Paulo de 18 de setembro de 2010.

Abandonados e desfavorecidos

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Márcio Accioly

De repente, sem que ninguém vislumbrasse o porquê, o presidente Dom Luiz Inácio mudou completamente o discurso e passou a afagar a imprensa. A mesma que ele enxovalhava 24 horas antes. Não vivemos no melhor dos mundos, é verdade.

Mas neste país dominado basicamente por analfabetos e ladrões, ainda existe parte formal do Estado a funcionar e uma imprensa investigativa a exibir sua melhor performance. Nem queiramos imaginar a imprensa e o Ministério Público amordaçados, como muitas vezes Dom Luiz Inácio e acobertados têm defendido.

O problema, como está mais do que claro e explícito, nos esquemas e ladroagem no Palácio do Planalto (leia-se Casa Civil), é que o presidente “traído” e que jamais sabe de coisa alguma parece ter receio de que sejam descobertos todos os rolos que ali jazem debaixo de tapetes e escondidos em tapeçarias, caso haja mudança de guarda.

Num pequeno espaço de dias e horas, depois que sua excelência deu meia volta volver, eis que a Folha de S. Paulo (em matéria assinada por Rubens Valente, Fernanda Odilla e Andreza Matais), revelou até mesmo contas no exterior, em Hong Kong, para onde seriam destinados valores extorsivos cobrados por quadrilha palaciana.

Publicada na Folha de S. Paulo do domingo (26), a reportagem seria capaz de causar a prisão e o impeachment do presidente, se a oposição brasileira não fosse tão comprometida e acanalhada. Uma oposição que se pretende firmar no discurso de FHC, o qual desmoralizou o país por oito anos (1995-2003), não tem como ser levada a sério!

Dom Luiz Inácio já deveria ter caído há séculos sem fim. No escândalo do mensalão, no dos cartões corporativos (criados por FHC), e nos desmandos sem fim. Como não cairá, afunda-se o Brasil de desesperançados a servir de referência mundial a indizíveis descalabros.

Quem não se lembra da CPI dos cartões corporativos, quando se levantou a farra monumental que até hoje persiste, jogando no domínio de “autoridades” sem pudor os recursos financeiros destinados à Saúde, Educação e Segurança? E o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), convenientemente esquecido? Tenham dó!

A frustração causada pelo STF, numa prova de incompetência monumental, jogando por terra as ilusões dos que ainda tentam acreditar na possibilidade de Brasil melhor, coloca as instituições em alarmante sintonia: num ritmo de ineficiência que com clareza se detecta em todos os órgãos.

O que mais assusta é perceber que o próximo Congresso Nacional deverá ser muito pior do que o atual. Como se isso ainda fosse possível! E nem adianta procurar culpa em gatos pingados e isolados, porque nossa derrocada é fruto de trabalho organizado e coletivo.

Ruína alicerçada em modelo permanentemente condenado e combatido, mas fortalecido na insensatez dos que se locupletam nas arcas públicas há séculos sem fim! Como não existe punição a culpados, desde que estejam acima de cinco salários, o desmonte é geral e a gatunagem estimulada, pois permitida.

Depois de tudo isso, é hipocrisia pretender a remoção de quadros de Gil Vicente (29ª Bienal de São Paulo), por conta de série que apresenta sob o título de “inimigos”. Até porque o artista não se prende tão somente aos que identifica como carrascos nacionais. Sua abordagem é mais ampla e contempla, inclusive, a figura do papa!

Vivemos num mundo de loucos, em que “nada é sólido e tudo se dissolve no ar”, planejando elaboradas maldades com o fito de tornar mais cruel a vida de nosso semelhante. Que pelo menos encontremos meios de rir de nossas próprias desgraças, os sem sorte (como nós), nascidos num país onde o desrespeito é a maior característica.

Márcio Accioly é Jornalista.

O fim da liberdade de expressão é o início do fim de todas as liberdades individuais

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Marco Valente Giacaglia

Otávio Cabral escreve que a implantação do comunismo sem uma revolução que utiliza a violência como meio, do italiano Antonio Gramsci (1891-1937), pode ser feita desde que se suprimam as vozes discordantes até que os militantes obtenham a “hegemonia cultural” da nação.

Segundo ele a estratégia para obtenção da “hegemonia cultural” se dá em três frentes:

A primeira frente da estratégia consiste em criticar a imprensa livre em toda oportunidade. Tais críticas deverão ser feitas havendo ou não motivo para isso, de modo que aos poucos vá se disseminando a descrença em tudo que é publicado, salvo aquilo que possui a chancela oficial do governo ou do partido.

A segunda frente é focada em fazer e apoiar leis que tornem cada vez mais inviável o exercício livre da imprensa. São leis que objetivam submeter os jornalistas às organizações de controle dominadas por agentes partidários e governamentais – e as de origem econômica que visam a minar gradativamente as fontes de financiamento da imprensa pela iniciativa privada na forma de anúncios.

O terceiro mandamento gramsciano determina que, na busca da “hegemonia cultural”, o comunista deve criar e apoiar jornais, revistas e redes de televisão controlados pelo partido, para que eles concorram com a imprensa livre na busca da atenção de leitores e telespectadores. Dessa maneira o militante comunista pode fazer seu partidarismo fingindo que está defendendo interesses gerais da população ou lutando para elevar o nível do jornalismo praticado no país.

Entre as evidências do início desta revolução e da implantação da primeira frente para obtenção da hegemonia cultural, destacam-se as inúmeras ações do governo para desqualificar reportagens investigativas apresentadas por comunicadores como aquelas que têm sido feitas pelo: “O Estado de São Paulo”, “Folha de São Paulo”, “Veja”, entre outros. Além disso, verifica-se uma forte pressão governamental para a aprovação pelo Congresso Nacional de lei que obriga os meios de comunicação a informar suas fontes.

Segundo reportagem da Veja, de 25 de agosto de 2010, o presidente Lula encarregou uma comissão de transformar, em projeto de lei, as recomendações saídas da Conferência Nacional de Comunicação - CONFECOM.

As mais de 60 propostas aprovadas na Plenária Final da CONFECOM têm nitidamente os objetivos de implantar o controle do Estado sobre as programações e de dificultar a obtenção de financiamentos das emissoras de rádio, televisão e internet que criticarem o governo. Essas ações visam claramente tornar inviável o exercício livre da imprensa e fazem parte da segunda frente para obtenção da hegemonia cultural.

Conforme reportagem da Veja, de 1º de setembro de 2010, desde 2007, Franklin Martins, Ministro da Comunicação Social, que na minha opinião atua no governo Lula de forma semelhante a que Goebbels atuou no governo de Hitler, passou a investir dezenas de milhões de reais em cerca de 3.000 pequenas emissoras de rádio localizadas no interior do Brasil. Cada uma delas recebe de 5.000 a 10.000 reais por mês, dinheiro público, que está sendo utilizado para divulgar apenas notícias de interesse do partido e do governo.

Nessa reportagem um deputado da base aliada, dono de uma emissora de rádio em um estado do norte, dá o seguinte depoimento:

“Nós, por convicção ou necessidade, já tendemos a ser governistas. Ainda mais agora, recebendo verbas para financiar nosso funcionamento, a adesão ao governo Lula é total. Não há rádio ou TV no interior do país que fale mal do governo”.

Citando a própria experiência, ele acrescenta:

“Hoje, mais de 50% do orçamento da minha emissora vem de verbas federais. Os locutores e apresentadores estão orientados a dizer que tudo o que o governo faz é sempre bom”.

A estratégia teve semanas atrás mais um avanço em sua vertente número 3. Evidência disso foi o comparecimento do presidente Lula à inauguração da TV dos Trabalhadores (TVT), uma concessão do Governo Federal ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, que investiu 15 milhões de reais. Destaca-se que esse canal, mantido com o dinheiro oriundo da contribuição compulsória descontada do salário dos próprios trabalhadores, terá parte de sua programação produzida pelo governo.

Na inauguração também lá estava Franklin Martins, elogiando o modelo: “Isso é uma revolução, é irreversível e está apenas começando”, disse o ministro, orgulhoso.

Como claramente demonstrado estamos sofrendo uma lenta revolução, conforme preconizada por Gramsci, que tem por objetivo final obter uma hegemonia cultural dentro dos padrões estabelecidos pelo Foro de São Paulo, ou seja, a dominação ideológica do povo brasileiro e a implantação do socialismo bolivariano no Brasil.

Todos devemos nos lembrar da frase: “No pleno gozo de vossos direitos, podeis também ver, de um momento para outro, um usurpador declarar a sua vontade, única lei. A nação, hoje livre, pode amanhã estar escravizada.”

O objetivo da presente exposição não é a de defender determinado candidato ou partido, mas sim esclarecer a todos para que não permitamos que se instaure, mais uma vez, um regime de exceção, o qual sempre persegue os Homens Livres e de Bons Costumes.

Para motivar, trago a inspiradora frase tida como sendo de autoria dos Cavaleiros Templários:

“Não demonstre medo diante de seus inimigos. Seja bravo e justo e Deus o amará. Diga sempre a verdade, mesmo que isto o leve à morte. Assim, você estará em paz com Deus e com você mesmo.”

Termino como comecei:

O fim da liberdade de expressão é o início do fim de todas as liberdades individuais.

Biografia:

1. Revista Veja – Edição 2179 – Ano 43 – nº 34 – 25 de agosto de 2010

2. Revista Veja – Edição 2180 – Ano 43 – nº 35 – 1º de setembro de 2010

3. Caderno da 1ª Conferência Nacional de Comunicação – Publicação do Ministério das Comunicações – Edição: Secretaria da Comunicação Social da Presidência da República – 10 de junho de 2010

4. Instituto Gutemberg – Boletim nº 31 - Série EletrÃ?nica – março-abril de 2000

5. Wikipédia – A Enciclopédia Livre

6. Blog Cavaleiro do Templo

Marco Valente Giacaglia é Livre Pensador.

Democracia, sim! A farsa acabou!

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Humberto Pinto

O que vinga em desacordo com a Constituição? A redação do Art. 42 da Lei 9605 de 12 de fevereiro de 1998, capitulado "DOS CRIMES CONTRA A FLORA".

"Fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas ou qualquer tipo de assentamento urbano.

Pena - Detenção de 1 (hum) a 3 (três) anos, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente."

Doze anos da vigência desse artifício legislativo falso e injusto, inspirado no gramscismo, inserido na Lei Ambiental e sem poder esconder a real intenção de cercear a liberdade: provocar confusão, gerar violência, inibir a arte, o folclore das Festas Juninas e a cultura dos brasileiros, e verifica-se que essa aberração, de fato, não vingou.

Este embuste não pegou porque foi presumido por hipóteses inverossímeis e sem comprovação científica. As queimadas pelo Brasil, anualmente, e mais nesse ano de 2010, são a prova insofismável de que o balão – balão junino - não pode ser visto como agente incendiário de florestas e o baloeiro não pode ser transmudado de artista a criminoso comum nocivo à sociedade.

Tampouco a afirmação de que o balão é perigoso para os aviões deve ser fator impeditivo da prática pela inexistência de ocorrências nas estatísticas e porque balão é estático, flutua no ar ao sabor dos ventos, não tem força motriz e sua estrutura é de papel.

Hoje, o povo brasileiro, mais atento aos seus direitos e deveres, soma suas energias e reage com vigor inaudito às insinuações de mudança. Hoje, o povo brasileiro diz NÃO aos embusteiros e faz profissão de fé na Democracia:

“Em uma democracia, nenhum dos Poderes é soberano. Soberana é a Constituição, pois é ela quem dá corpo e alma à soberania do povo. Acima dos políticos estão as instituições, pilares do regime democrático. Hoje, no Brasil, os inconformados com a democracia representativa se organizam no governo para solapar o regime democrático".

Participe: http://www.defesadademocracia.com.br/categorias/assinaturas/

Assim, o que se exige é que a norma, principalmente a norma penal, respeite os Direitos Humanos, esteja ajustada aos princípios do Direito Penal e permaneça subordinada aos preceitos da Constituição.

Sim à Constituição!

Sim aos valores da Democracia!

Humberto Pinto é Coronel da Reserva da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.

sábado, 25 de setembro de 2010

Outro vídeo que irrita da petralhada

Vídeos no Alerta Total – www.alertatotal.net


Depoimento do pastor Paschoal Pirajine Jr, da Primeira Igreja Batista de Curitiba, deixa a petralhada irada. A verdade dói a quem está acostumado a sobreviver sob a mentira político-ideológica.

TSE decide: vídeo continua no ar



O ministro Joelson Dias, do TSE, negou o pedido da coligação que apoia a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, para que fosse retirado do ar este vídeo: "O Brasil não é do PT; é dos brasileiros". Pelo menos, uma demonstração da Justiça de que a Censura não deve vigorar no Brasil. Viva e Liberdade de Expressão.

Consciência política na hora do jantar

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Edson Garcia Gabriel

"A política é como a esfinge da fábula: devora a todos que não lhe decifram os enigmas" Essa frase, do escritor francês Antoine Rivarol, sintetiza o motivo maior da preocupação em educar politicamente os jovens. Com a conquista da democracia, a responsabilidade de zelar pelos rumos do país saiu exclusivamente das mãos dos governantes e chegou até nós, cidadãos que vão à urna exercer o direito de votar. Só que precisamos aprender que, além disso, temos o dever de fiscalizar.

O assunto não parece um dos melhores para se discutir, ao redor da mesa, com a família, depois de mais um dia de trabalho. Se pressupõe que será uma conversa longa com muita discussão e diálogo além de exigir participação de todos na negociação de posturas. Mas o fato é que em um país onde não se formam cidadãos conscientemente políticos, o futuro da sociedade fica a mercê dos poucos que entendem do assunto. E isso não é, no mínimo, confortável para a nação.

Por isso chamar a atenção para algo tão delicado se faz urgente, principalmente em época de eleição onde os olhos se voltam para a decisão eleitoral do mês de outubro. Penso que a política é a essência do relacionamento humano. Quanto mais nossa sociedade – e nossas vidas – se tornam mais complexas, mais nos metemos de cabeça na política.

Entender a dinâmica da vida, nossos relacionamentos, nossos caminhos, sonhos, projetos, nossa identidade, tudo isso se vincula à atividade política, aqui entendida como a arte suprema da busca do bem estar coletivo. Fazer política, nesse sentido será sempre pensar na nossa relação com os outros, no bem estar da maioria. Isso deve estar presente e orientar o currículo escolar e a vida social de toda família.

É preciso vencer o tabu do medo ideológico incutido nos educadores que política não combina com escola. Pois a verdade é totalmente o contrário. As duas vertentes estão diretamente ligadas à vida em sociedade e precisa ser tratada com transparência e clareza para que se formem cidadãos mais esclarecidos sobre o poder que exercem na democracia.

A maioria das escolas e dos educadores nesse momento são vítimas de um certo descaso e falta de investimentos públicos na educação pública. Vivemos a consequência dos últimos governos, da mordaça, da fraqueza da nossa jovem democracia e da tibieza da maioria dos líderes políticos. Tudo isso refletiu e ainda reflete na organização, na competência e no desempenho das escolas. Ao redefinir o seu papel na sociedade é preciso que a escola encontre o espaço necessário para a educação política.

Nesse sentido, os pais precisam ter a noção de que não se podem transferir para as instituições de ensino a total responsabilidade da formação política dos jovens, pois dessa forma abrirão uma lacuna no diálogo domiciliar tão importante quanto os debates escolares.

Ao longo e médio prazo a intervenção da escola e da família no sentido de formar pessoas com uma visão da política como a busca pelo bem estar coletivo, certamente contribuirá para formar líderes políticos mais conscientes do seu papel e mais responsáveis com uma sociedade socialmente mais justa. Da mesma forma que o regime político ditatorial que se instalou no país a partir de 1964 abolindo, entre outras coisas, a discussão política e filosófica na escola, contribuiu para deixar um enorme vácuo na formação de novos líderes nessa perspectiva.

Mesmo que as mudanças em uma sociedade não passem apenas por crianças e jovens, é importante salientar que com essa base política elas mudarão o foco do seu olhar e do seu comportamento, lidando com mais atenção e sabedoria com as coisas da vida. E, cá entre nós, isso já é bastante.

Se discutirem nas escolas um pouco mais sobre política, no mínimo, votarão com mais sabedoria e aprenderão a controlar e cobrar os nossos políticos partidários. Educação é a base de todas as sociedades mais evoluídas socialmente. E educação pela política é a semente do “em se plantando dá”.

Edson Garcia Gomes é autor do livro De Olhos Bem Abertos – A política presente em nosso cotidiano, da editora FTD.

Pesquisa e pão quentinho

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Valmir Fonseca

Um dos mistérios que cercam a atual conjuntura pré - eleitoral é o surgimento inesperado, como um passe de mágica, de pesquisas de toda ordem, cujos resultados enaltecem o desgoverno e projetam a camaleônica candidata do “Supremo e Acima das Leis”.

A rapidez com que elas surgem espanta mesmo os mais céticos, e os resultados, nem se fala. E no momento adequado.

Basta uma derrapada da Dilma, uma brecha por menor que seja na trôpega campanha do POSTE, para no momento seguinte, zás - traz, sai do forno um resultado cada vez mais desmoralizante para os seus adversários.

A dama é fogo. A cada escândalo, a cada descoberta desabonadora, a cada falseada nas entrevistas, pimba, milagre. Ela sobe e os outros descem.

A invasão na privacidade dos parentes do candidato da oposição (?), escabrosos escândalos sem - fim no seu antigo gabinete e mais importante instrumento de gestão putrefata do executivo, podridão explícita da sua companheira e indicada para substituí-la, nada, absolutamente, nada, roça a trajetória gloriosa do POSTE, pelo contrário, a cada demérito, as pesquisas apontam que o céu é o seu limite.

Agora, a menção de que teria ou teve ligações afetuosas pouco ortodoxas, a simples referência, verdadeira ou falsa, como o brasileiro é chegado a uma sacanagem, poderá, definitivamente, colocá – la acima dos 60% de preferência do eleitorado.

Incrível. Extraordinário.

Não é a toa que a humilde dama, recentemente, chegou à conclusão de que nem Cristo seria capaz de retirar - lhe o cetro.

Concluiu o óbvio, pois de há muito foi abençoada pelo seu representante no Brasil.

E um clima do “já ganhou” irrompe na sede do PT.

Quanto maior a besteira, quanto mais oca a candidata Dilma, mais pesquisas mais pão quentinho, e maior a sua aceitação popular, maiores adesões aos seus programas, às suas promessas, e, principalmente, a de que vai continuar ou até melhorar tudo o que está acontecendo.

Na verdade, o povinho está pouco se lixando para o que realmente está acontecendo. Interessa-lhe o brilho que resplandece do fétido estrume, e comodamente despreocupa - se com a verdade por detrás do muro.

Incauta, mas conscientemente a trêfega galera entra no mundo do faz – de – conta, rumo à riqueza para todos, à cornucópia das benesses, dos direitos sem fim e sem limites, entregando seu destino para um estado policialesco, que em troca de benefícios extraídos da pequena parte da sociedade que trabalha e produz, cria uma massa submissa e incapaz, porém que vota, e como vota.

Assim, convenientemente, para gáudio dos fãs do irascível metamorfose (o Divino Gajo, apesar das pesquisas favoráveis, anda possesso, a cada dia mais violento e virulento. Ai tem coisa), o forno da padaria estabelecida para levantar o moral e a alegria do povo e balançar a cabecinha dos indecisos, produz mais um pão quentinho.

Aqui, em nossa caverna, decidimos não escrever uma linha sequer contra a candidata, e juramos que as linhas acima, não são de denúncias, nem de reclamações, nem de acusações, elas traduzem apenas uma formidável ou miraculosa constatação.

Não importa o quanto a candidata patine, vacile, enrole ou emita um sonoro arroto, tudo serve para inflar seus índices de popularidade. Não importam as derrapadas de seus marqueteiros e os deslizes dos mentores de sua campanha, a cada denúncia, temos veementes negativas, o que basta para turbinar a sua campanha.

Portanto, o macete é elogiar. E ai vai - ela é uma “gracinha”.

Valmir Fonseca Azevedo Pereira é General de Brigada Reformado.

No que se transformaram os socialistas e marxistas que alçaram o poder

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Bosco Leal

O partido político do atual presidente da República até no nome sempre se denominou como defensor dos trabalhadores, motivo pelo qual, dizem seus dirigentes originais, quando de sua fundação, em 1980, deveriam seguir a cartilha socialista marxista

Com essa bandeira, e outras de igual cunho socialista, como a reforma agrária, o Partido dos Trabalhadores buscou o apoio político da massa trabalhadora rural e urbana do país em diversas campanhas políticas que disputou, para cargos nas mais diversas esferas de governo, tanto no Poder Executivo, como no Legislativo e Judiciário.

Durante esses trinta anos, desde sua fundação, em 10 de fevereiro de 1980, conseguiu crescer muito em todos esses poderes, chegando a eleger o atual presidente da República ,Luis Inácio Lula da Silva, muitos senadores, deputados federais, estaduais, prefeitos e vereadores espalhados por todo o país, além de muitos pertencentes ao Poder Judiciário, que declaram ser eleitores do partido.

O que me confunde nessa história é que, de todos os petistas que conseguiram sucesso, jamais vi um só deles não alterar seus pensamentos e atitudes em relação a usufruir, ele próprio, de todas as mordomias que o capitalismo oferece a quem tem sucesso, tanto no meio político como empresarial.

Alguns casos mais conhecidos podem ser lembrados com facilidade, como as bolsas utilizadas atualmente pela candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff, sempre de grifes caríssimas, que chegam a custar o que um trabalhador que ganha salário mínimo leva um ano para ganhar.

O senador Eduardo Matarazzo Suplicy, homem reconhecidamente nascido de família muito abastada, quando convidado pelo lider regional do MST para conhecer um acampamento no Pontal do Paranapanema, resolveu, talvez pensando em ganhar mais votos, dormir no tal acampamento. A imprensa divulgou na época que, para dormir nesse acampamento por uma única noite, numa barraca de lona, Suplicy usou um pijama de seda pura.

As adaptações feitas no novo avião presidencial comprado pelo presidente Lula tem tanto luxo que só encontra similares nos dos reis, príncipes e sheiks árabes, donos dos maiores poços de petróleo do mundo. Os ternos que o presidente usa atualmente custam milhares de reais, de uso jamais sonhado por um trabalhador filiado a seu partido, assim como os charutos cubanos consumidos pelo presidente, presentes constantemente enviados pelo "companheiro" Fidel Castro.

O próprio José Dirceu, tido como o "cabeça pensante" do partido, mesmo dizendo-se fora do governo, viaja constantemente pelo país e para o exterior em jatinhos particulares, usando roupas e perfumes caríssimos, além, é claro, dos retoques estéticos realizados, como o recente implante de cabelos.

A imprensa frequentemente tem publicado dados e fotos sobre o padrão de vida levado por diversos desses petistas que alcançaram algum tipo de poder público. São casas, carros, hotéis, roupas, bebidas, viagens, gastos com cartões, etc., que nada condizem com a mesma pessoa antes de alçada ao cargo que hoje ocupa.

É uma afronta à razão dizer que alguém levando esse padrão de vida seja realmente um socialista, comunista ou marxista, que luta pela igualdade social. Continuam com o discurso de divisão de bens, mas jamais aceitarão dividir seu atual conforto nas mansões com carros de luxo nas garagens. Coisas do capitalismo.

João Bosco Leal é Produtor Rural - www.joaoboscoleal.com.br

Silogismo Eleitoral

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Cesar Maia

“Aurélio” ensina que silogismo é a “dedução formal em que, postas duas premissas, delas se tira uma terceira, a conclusão”. O escandaloso caso da ministra Erenice é uma dessas premissas. E não há necessidade de detalhá-lo aqui: o noticiário é farto.

A segunda premissa é o fato que Erenice foi, por muitos anos, auxiliar pessoal e direta da ministra Dilma, chegando à vice-ministra que, no Brasil, se conhece como secretária executiva do ministério. Por essa relação de total confiança, Dilma elevou Erenice à condição de ministra quando se desincompatibilizou para concorrer às eleições presidenciais. Partindo-se dessas duas premissas, deve-se ir à dedução formal, que será a conclusão.

Uma hipótese é que a ministra Dilma – pela proximidade com Erenice - teria responsabilidades pessoais e comuns no caso. Ou seja, que daria aval e encobriria as operações familiares. Quem conhece a ministra Dilma Rousseff sabe de sua correção pessoal e que, portanto, essa hipótese deve ser abandonada.

Então, cabe apenas uma segunda hipótese. A ministra Dilma Rousseff não tem capacidade administrativa para desenvolver um sistema de controle, nem sobre seu entorno próximo. Sabe-se que dois atributos preliminares se exigem dos executivos: construir equipe e desenvolver um sistema de controle que o permita ter informações para decidir.

Os fatos mostram que Dilma não soube formar sua equipe, nem mesmo a equipe de seu entorno direto. Os fatos mostram, também, que Dilma não soube desenvolver um sistema de controle, nem sobre seu gabinete, nem sobre sua principal assessoria.

A dedução formal que se tira das duas premissas, descartada a hipótese ética, é que a ministra Dilma não acumulou a experiência e o conhecimento administrativos que a propaganda oficial e sua postura e imagem sublinhavam nas aparições nos meios de comunicação.

Sendo assim, não resta outra hipótese que concluir que era falsa a imagem de uma executiva competente. Sua ascensão se deu duas vezes por contingências. A primeira foi a proximidade do ex-governador Olívio Dutra, que a teve como secretária de minas e energia do Rio Grande do Sul, função nem tão importante naquele Estado.

A segunda foi o mensalão, com o afastamento de seu antecessor, ministro José Dirceu. O presidente Lula precisava de uma decisão rápida para substituí-lo. A imagem de durona da ministra e a condição feminina que, para o imaginário político, inibe as críticas, veio como solução.

Faltou lembrar que em seu ministério já haviam ocorrido problemas graves em Furnas e em outros pontos do sistema Eletrobrás, aliás, simultâneos ao mensalão e identificados naquele momento. Ficam as dúvidas sobre a propalada capacidade administrativa.

Cesar Maia, Economista, é candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro.

O outro gume cambial

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Eduardo Pocetti

Ciência não exata que toma emprestados os números exatos da matemática para se expressar, a Economia deve ser sempre tratada com muito cuidado, já que pequenos deslizes podem causar grandes e desagradáveis consequências. Vejamos que o câmbio é, no momento, o principal destaque econômico em todo o mundo.

Após o choque global de 2008/2009, o valor das moedas tem sido um dos principais trunfos dos países para equalizar suas economias. Podemos destacar o Japão, cujo governo promoveu há pouco a primeira intervenção em seis anos para segurar a valorização do iene frente ao dólar.

As autoridades japoneses já sinalizaram que, apesar das demonstrações de desaprovação vindas da Europa e América do Norte, podem voltar a intervir no câmbio para evitar que seu país veja a cotação do iene disparar, prejudicando suas vendas externas.

No Brasil, vivemos um cenário delicado. Além da desvalorização global do dólar, a entrada de recursos externos em nosso país tem provocado sobrevalorização do real em relação ao dólar. Um fator em especial tem mexido com os ânimos do mercado cambial: a perspectiva de que cerca de US$ 20 bilhões entrem no país até o final do mês em razão da oferta pública de ações promovida pela Petrobras. Também as taxas de juros (as mais altas do mundo, com uma Selic a 10,75% ao ano) têm estimulado o ingresso de investimentos externos.

Vivemos um momento de excesso de oferta de dólares no mercado, o que, naturalmente, é um fator que eleva a cotação da moeda local. O Ministério da Fazenda tem indicado que atuará decisivamente no mercado para enxugar a liquidez da divisa norte-americana. No entanto, agentes deste mercado têm sido céticos em relação ao sucesso a ser obtido pelas autoridades nacionais em segurar a flutuação do real.

Isso faz lembrar com certa preocupação um episódio de 1992, quando o investidor George Soros demonstrou o poder de que dispunha às mãos ao especular contra a libra esterlina, quase provocando a quebra do Banco da Inglaterra (o banco central britânico). O poder de ação dos bancos centrais e dos tesouros nacionais é muitas vezes limitado contra a ação de grandes investidores, de poderosos fundos de investimentos ou mesmo de um mercado em marcha de efeito manada.

Percebemos que o governo brasileiro quer evitar que a cotação do dólar fique abaixo do patamar psicológico do R$ 1,70, em uma defesa das exportações brasileiras - e, até, das vendas internas de produtos nacionais diante do estímulo às importações representado pelo recuo da divisa norte-americana - passíveis de serem fortemente afetadas devido à valorização excessiva do real.

No entanto, é preciso ter muita cautela ao atuar no mercado, para evitar movimentos que pareçam desequilibrados e provoquem reações indesejadas e enfrentamentos. É curioso perceber que o poder dos cerca de US$ 270 bilhões em reservas internacionais recordes em poder do Tesouro Nacional é pouco representativo no esforço do governo em segurar a cotação do real. A alternativa atual que resta ao BC é engordar ainda mais estas reservas, atuando para retirar dólares do mercado.

Não há dúvidas de que o mercado está muito atento aos movimentos do Banco Central neste momento delicado dos negócios cambiais. É claro também que o câmbio no Brasil é livre, e até por isso é natural o governo atuar para que a variação da moeda nacional venha a convergir para que os resultados da política econômica alinhem-se ao planejamento traçado pelo governo.

Cabe às autoridades nacionais dosar adequadamente o uso dos instrumentos de que dispõem (compra de dólares no mercado à vista, uso dos contratos de swap, emissão de títulos, etc.) para atuar de forma equilibrada no mercado de câmbio, provocando o mínimo de perturbações possível.


Eduardo Pocetti é CEO da BDO, quinta maior rede do mundo em auditoria, tributos e advisory services.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Merece Oscar: Lula usa metáfora futebolística e culpa Erenice por tráfico de influência

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net (atualizado nesta Sexta)


Por Jorge Serrão

Especialista em sempre tirar o dele da reta quando necessário, o chefão $talinácio jogou ontem toda a culpa na ex-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, pelo tráfico de influência no governo. Referindo-se a Erenice, Lula comentou que a pessoa pode enganá-lo um dia, mas não vai "enganar todo mundo todo dia". Lula agiu assim depois de saber que o empresário Fábio Bacarat apresentou à Polícia Federal os recibos que comprovam seu elo com os negócios dos filhos de Erenice.

Bacarat confirmou que Israel Guerra o ajudou a obter a licença na Agência Nacional de Aviação Civil para a empresa Master TOP Linhas Aéreas. Os serviços teriam sido prestados por meio da Capital, empresa de Israel e Vinícius de Castro, também ex-assessor da Casa Civil. O documento ajudou na renovação contrato da empresa com os Correios. Bacarat só alegou que seus encontros com Erenice – agora em desgraça política definitiva – foram apenas sociais. Até Lula viu que a coisa não deve ter sido bem assim.

Tanto que para variar, o presimente usou a boa e velha metáfora futebolística para detonar Erenice: “Tem gente que poderia ser um baita de um jogador de futebol. Eu conheci 300 que eram um novo Pelé. Nenhum foi. Eu conheci 300 que iam ser grandes políticos. Nenhum foi. Então, as pessoas, na medida em que têm oportunidade, estão aqui para prestar serviço à sociedade. Se alguém acha que pode chegar aqui e se servir, cai do cavalo, porque a pessoa pode me enganar um dia, mas a pessoa não engana todo mundo todo dia. O que aconteceu com a Erenice é que ela jogou fora uma chance extraordinária de ser uma grande funcionária pública deste País”.

Fala sério: Lula merece mesmo ganhar um Oscar de Efeitos Especiais...

Se o governo quiser mais problemas deve ler, abaixo, o artigo de João Vinhosa: Lula, tráfico de influência e Gemini

Filho d...

O mundo cinematográfico tupiniquim cometeu uma injustiça ao criticar a indicação feita pelo Ministério da Cultura para que o épico “Lula, o Filho do Brasil” represente o Brasil na disputa do Oscar.

A obra de Luiz Carlos Barreto pode até não ganhar o prêmio de melhor filme estrangeiro.

Pelo menos, já garantimos o Oscar hours concours de “Efeitos Políticos Especiais”.

Dono do Brasil

Na estreia do Festival do Rio, na noite de ontem, Daniel Filho, diretor de filmes recordes de público como "Se eu fosse você" e "Chico Xavier", detonou a indicação do filme sobre Lula:

"O que vocês acharam da indicação? Meu problema é a política, que não pode comandar o cinema. Foi uma escolha política? Isso é que me preocupa. Acho que tantos outros filmes representariam melhor o Brasil, não o meu obviamente. Mas minha torcida foi para '5x favela', 'Proibido fumar' e 'A suprema felicidade'".

Daniel Filho ironizou o nome do filme eleito:

"Como é mesmo o nome do filme? 'Lula, o dono do Brasil'?".

Democradura

Lula reclamou ontem, em entrevista ao Portal Terra (que pertence ao grupo Telefônica) que imprensa brasileira deveria assumir que tem um candidato e um partido:

O que não dá é para as pessoas ficarem vendendo uma neutralidade disfarçada, quando, muitas vezes, fica explícito no comportamento que eles têm candidato e gostariam que o candidato fosse outro. Estiveram assim em outros momentos, e eu acho que seria mais lógico, mais explícito”.

Lula repetiu a tese surrada de que as denúncias contra seu governo "são manipuladas eleitoralmente"...

Quem está acima de Deus?

Lula protestou que há setores da imprensa que agem como se estivessem acima de Deus:

Muitas vezes, uma crítica que você recebe é tida como democrática. Uma crítica que você faz é tida como antidemocrática, como se determinados setores da imprensa fossem acima de Deus, e que ninguém pudesse ser criticado, ou seja, escreveu, está dito, acabou”.

Bela visão de Lula, que tem uma popularidade sequer desfrutada pelo Supremo Criador dos Mundos e se acha acima de Deus em suas decisões...

Vale ou não vale

O Supremo Tribunal Federal não tem previsão de quando volta a decidir sobre a possibilidade de a Justiça Eleitoral aplicar a Lei da Ficha Limpa ainda nas eleições de 2010.

Hoje de madrugada, terminou empatado o julgamento do caso.

Cinco ministros, favoráveis à aplicação da lei, votaram contra as intenções do ex-governador e ex-senador Joaquim Roriz de ser candidato ao governo do Distrito Federal.

Mas outros cinco alinharam-se no time oposto.

Vale tudo, por enquanto

Roriz e os outros candidatos enquadrados na lei poderão disputar a eleição e até ser diplomados.

Só perderão o mandato se o STF decidir que a lei é válida este ano.

E a culpa do empate de ontem racaiu sobre o chefão Lula – que protela a indicação de um ministro para a 11ª vaga aberta no tribunal desde agosto, quando Eros Grau se aposentou.

Lula vira piada

O ministro Marco Aurélio aproveitou ontem o empate do STF sobre a Ficha Limpa para dar uma leve estocada no chefão Lula da Silva:

Deveríamos convocar para desempatar o responsável por termos até agora uma cadeira vaga”.

Lula é quem nomeia os ministros do STF, mas preferiu indicar o substituto de Eros Grau só depois da eleição.

Estrangeiros salvadores

Fundos soberanos de países na Ásia e no Oriente Médio ajudaram a Petrobras a arrecadar R$ 120,36 bilhões de reais em sua mega oferta de ações, a maior já realizada no mundo.

A companhia ainda pode colocar um lote suplementar de ações.

Os papéis da oferta começam a ser negociados hoje na Bolsa de Nova York e, segunda-feira, na BM&FBovespa, que hoje deve divulgar o rateio de ações para os investidores de varejo.

Mas o sucesso da operação so será confirmado na próxima terça-feira, quando as corretoras informarão aos investidores que fizeram revervas de ações terão suas compras efetivadas ou não.

Bem sucedida

A operação da Petrobras totaliza, até o momento, R$ 120,360 bilhões, com a emissão de 2.402.611.655 ações ordinárias e 1.867.808.535 preferenciais.

É maior emissão de ações da história no mundo. O valor de US$ 70 bilhões supera a oferta de US$ 36,8 bilhões feita pela Nippon Telegraph and Telephone (NTT) em 1987.

Também ganha fácil da abertura de capital do Agricultural Bank of China, que levantou US$ 22,1 bilhões, na maior oferta realizada neste ano.

Sobra grana

Os recursos levantados serão usados no pagamento à União dos direitos para exploração de até 5 bilhões de barris de petróleo em áreas do pré-sal.

Também vão custear parte dos investimentos de US$ 224 bilhões previstos pela estatal até 2014.

É com estes números que o chefão Lula fará sua festa, a partir das 9h da manhã, na abertura do pregão da Bolsa de Valores de São Paulo.

Tem de dar certo

Um leitor do Alerta Total, conhecedor do mercado financeiro, pergunta e responde:

O que irá acontecer daqui para a frente com às ações da Petrobras? Só existe uma possibilidade. Terá que dar certo, pois caso contrário, devido ao grande volume financeiro da operação (estimado em mais de R$ 130 bilhões de reais) levaria todo o mercado brasileiro para baixo e causando um grande estrago e um grande aumento na aversão ao risco no mercado de renda variável".

O leitor lembra que a Petrobras também possui recibos – ADR's – negociados no mercado norte-americano.

Passa tudo

O conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) concedeu ontem a anuência prévia que autoriza a compra da participação acionária da Portugal Telecom (PT) na Vivo pelo grupo Telefónica.

Em contrapartida, a empresa fez um monte de promessas:

Atendimento a 35 municípios sem acesso ao serviço celular, sendo 16 deles até março de 2011 e outros 19 atendidos até dezembro de 2011; promoção de cobertura de telefonia móvel com tecnologia 3G, até dezembro de 2012, na área urbana de 83 municípios, além dos 2.832 municípios já previstos pela prestadora; e disponibilização de infraestrutura para contribuir com a interiorização da rede de educação e pesquisa avançada no país.

Telecomunicações à deriva

As empresas que prestam serviços na área de telecomunicação estão navegando sem rumo.

O diagnóstico é de Vivien Suruagy, presidente do Sinstal (Sindicato das Empresas Prestadoras de Serviços em Telecomunicações), que emprega mais de 300 mil trabalhadores:

“Nunca fomos chamados para discutir nada. Necessitamos de planejamento para formar nossa mão de obra; a migração para outros setores está muito acentuada. Vivemos de planos que se sucedem e nada detalham, só assistindo a brigas entre o governo e a teles”.

Vivien Suruagy reclama que “apenas 250 dos mais de 5.500 municípios brasileiros são hoje atendidos por serviços como TV por assinatura”.

Cadê os recursos?

Vivien Suruagy lembra que o governo acaba também de lançar uma terceira versão de Plano Geral de Metas de Universalização de telefonia, onde entre outros deverão ser ampliadas as redes de banda larga das operadoras fixas.

A presidente do Sinstal lamenta que o governo faça isso “sem definir de onde virão os recursos”.

Vivien ressalta que, enquanto nos EUA a iniciativa privada recebe subsídios de até US$ 8 bilhões por ano para levar telefonia e internet às populações de renda mais baixa, aqui no Brasil o setor recolhe 43% de impostos, o que, em 10 anos, soma mais de R$ 300 bilhões.

Petralha inglês?

Neil Weiner, de 40 anos, que fazia serviços gerais para a escola Swanlea, no leste de Londres, foi condenado à prisão.

Motivo: em 2006, colocou 177 fotografias de pornografia infantil no computador do seu chefe, o zelador Eddie Thompson, e o denunciou de forma anônima à Polícia.

Tudo tentar fazer com que ele fosse demitido, e pudesse tomar o seu lugar.

Um cara desses daria um integrante perfeito do time de intrigantes petralhas que atua no desgoverno do Brasil...

Vida que segue...


Ave atque Vale!


Fiquem com Deus.


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 24 de Setembro de 2010.

Lula, tráfico de influência e Gemini

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por João Vinhosa

Segundo notícias amplamente divulgadas na mídia, o recente escândalo envolvendo a Casa Civil provocou forte reação do governo. O próprio presidente Lula ordenou a imediata apuração de qualquer denúncia relativa a tráfico de influência, “independente de qual seja o órgão, venha de quem vier”.

A propósito, com o objetivo de colaborar com as apurações ordenadas pelo presidente Lula, o presente artigo – que será formalmente encaminhado ao Ministro da Justiça Luiz Paulo Barreto, autoridade designada para centralizar referidas apurações – traz à discussão um ato extremamente lesivo ao interesse nacional, impossível de ser concretizado sem a ajuda de altas autoridades do governo. Trata-se do caso Gemini.

A Gemini – sociedade formada pela Petrobras com uma empresa privada para produzir e comercializar gás natural liquefeito (GNL) – já deu origem, inclusive, a duas séries de graves artigos (o “Dossiê Gemini” e “O caso Geminigate”), que serão colocadas à disposição das autoridades encarregadas das apurações.

Como se sabe, o tráfico de influência é um ilícito de difícil comprovação, mesmo nas ocasiões nas quais as evidências de sua prática são gritantes. O caso dos familiares da ex- ministra Erenice, por exemplo, só veio à tona em conseqüência de um desentendimento entre as duas partes (o traficante de influência e a parte que seria beneficiada com tal tráfico).

Com relação à Gemini, não ocorreu semelhante conflito de interesses.

Neste caso, é o acúmulo de evidências que permite afirmar: deixar de apurar os fatos denunciados no caso Gemini corresponde a descumprir – de maneira clara, patente e absoluta – a determinação do presidente Lula para apurar qualquer denúncia de tráfico de influência.

Caso alguém tenha dúvidas sobre a gravidade da situação, basta ver as explícitas denúncias de corrupção divulgadas em matérias do jornal do sindicato dos trabalhadores na indústria de petróleo (Sindipetro). Uma das matérias chega até a apresentar a inequívoca charge representativa de corrupção: um indivíduo com uma mala recheada de dinheiro na qual está gravado o nome da sócia da Petrobras.

Para não correr o risco de minimizar a importância de algum dos diversos aspectos que transformaram a Gemini num autêntico crime de lesa-pátria, o presente artigo fará apenas um breve resumo sobre o assunto.

Maiores detalhes se encontram nos inúmeros documentos já escritos a respeito da Gemini, ou poderão ser obtidos ouvindo o autor deste artigo em uma audiência formal, preferencialmente na Polícia Federal.

O caso Gemini

Desde o início de 2004, quando começaram a ser divulgadas as notícias sobre a constituição da Gemini, tal sociedade se tornou alvo das mais graves denúncias.

Em decorrência do poder de mercado que a sociedade teria, foi necessária, para sua constituição, a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Tal aprovação se deu em meados de 2006.

Cartas dirigidas às autoridades, denúncias encaminhadas aos órgãos competentes e matérias divulgadas na mídia questionaram, entre outros, os aspectos a seguir enumerados:

1- a idoneidade da sócia escolhida pela Petrobras;

2- a pressão governamental para a aprovação da sociedade pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE);

3- a divisão acionária: a Petrobras ficou com apenas 40% das quotas, permitindo que sua sócia, pertencente a um grupo norte-americano, se tornasse majoritária com 60% da Gemini;

4- as conseqüências da desastrada divisão acionária que, inclusive, tornou a Gemini uma autêntica caixa-preta para os órgãos fiscalizadores;

5- a contratação, pela Gemini, de sua sócia majoritária para a prestação de todos os serviços necessários a produzir e transportar o GNL até os clientes, que se espalham num raio de cerca de mil quilômetros;

6- o fato de o possível “passeio” do GNL ser altamente lucrativo para a sócia majoritária, que também é a prestadora do serviço de transporte à Gemini;

7- o sigilo dos valores envolvidos no relacionamento comercial da Petrobras com a Gemini.

8- as brechas deixadas no Acordo de Quotistas, que facilitam eventuais superfaturamentos da sócia majoritária contra a Gemini.

Pressão no CADE

De acordo com a legislação vigente, um processo na área de defesa econômica tramita primeiramente pela Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça (SDE) para depois ser julgado pelo CADE.

De interesse para a análise do caso em questão, existem dois processos que, coincidentemente, começaram a tramitar na SDE no início de 2004: o processo de constituição da Gemini e o tumultuado processo no qual a futura sócia majoritária da Gemini era acusada de formação de cartel, o mais grave crime passível de ser cometido contra a ordem econômica.

É de se destacar que o processo de formação de cartel foi instaurado após uma exitosa operação de busca e apreensão realizada em fevereiro de 2004 nas dependências da empresa escolhida pela Petrobras para ser sua sócia.

É de se destacar, também, que a futura sócia da Petrobras já havia sido condenada por infração à ordem econômica (a decisão final de condenação foi proferida em 26 de junho de 2002).

Contrariando as expectativas, apesar da condenação anterior e das fortes provas da prática de crimes contra a ordem econômica coletadas no processo do cartel, a SDE manifestou-se favoravelmente à constituição da Gemini junto ao CADE.

Em meados de 2006, o CADE aprovou a sociedade que – ao juntar o monopolista da matéria prima ao dominador do mercado de Gases Industriais do país – aniquilou com eventual concorrência no mercado de GNL, e reforçou ainda mais o domínio da sócia da Petrobras no mercado de gases industriais.

No entanto, torna-se importante relembrar em que condições o órgão responsável por zelar pela livre concorrência de mercado aprovou a constituição da Gemini.

O CADE – órgão rigoroso ao evitar concentração de mercado a ponto de proibir a compra da Garoto pela Nestlé, e a ponto de exigir a retirada da marca Kolynos do mercado – foi, praticamente, obrigado a participar de uma farsa: julgou a aprovação de uma sociedade dada como fato consumado pelo Governo. Matérias publicitárias haviam sido fartamente divulgadas pela mídia, como se a sociedade fosse irreversível. Diante de tamanha “malandragem”, teria o CADE – atropelado pelo próprio Governo Federal – a ousadia de negar a autorização necessária à constituição da Gemini?

Nada mais perfeito para se avaliar a má-fé da qual estava impregnada referida campanha publicitária tendenciosa e enganosa que a matéria publicitária divulgada no jornal O GLOBO de 27/07/05 – época em que o processo ainda estava sendo analisado pelo CADE. Em tal matéria, que continha os logotipos da Petrobras, do Ministério de Minas e Energia e do Governo Federal, lê-se:

“Agora, os benefícios do gás natural vão estar por toda parte (...) em sintonia com o Programa de Massificação do Uso do Gás Natural do Governo Federal, já iniciaram a construção da primeira planta para a produção de gás natural liquefeito da América Latina (...) tornará possível o uso do gás natural em lugares onde o gasoduto não chega e que vai levar mais longe a evolução, o conforto, o progresso e o desenvolvimento. O gás natural liquefeito produzido em Paulínia será transportado em carretas especiais até clientes do interior de São Paulo e estados vizinhos. Indústrias, postos de abastecimento e muitos outros estabelecimentos passarão a contar com todos os benefícios do gás natural”.

Relativamente ao processo de formação de cartel, a sócia escolhida pela Petrobras para ser a majoritária da Gemini acabou recebendo a maior multa já aplicada a uma empresa no país, R$2,2 bilhões. É de se ressaltar que entre os crimes cometidos pelo cartel, um é especialmente hediondo: fraudar licitação pública para superfaturar contra nossos miseráveis hospitais públicos.

Denúncias do Sindipetro

Ninguém pode ter qualquer dúvida sobre as categóricas e contundentes acusações feitas pelo Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Petróleo do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) contra a Gemini. A seguir, um breve resumo de tais acusações.

Em 23 de março de 2004, dois anos antes da criação da Gemini ter sido aprovada, o Sindipetro encaminhou ao então presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, a Carta Sindipetro-RJ n°090/2004, com questionamentos sobre a idoneidade da empresa escolhida pela Petrobras para ser sua sócia no empreendimento. Em resposta, a Petrobras informou que os procedimentos judiciais contra a empresa que ela havia escolhido para sócia estavam “todos eles sub judice, não havendo, ainda, em qualquer deles, sentença condenatória contra essa empresa”.

O Sindipetro-RJ não fez por menos: acusou explicitamente a prática de corrupção no “caso Gemini”. Referidas acusações de corrupção foram divulgadas em diversas matérias publicadas no jornal do sindicato.

Numa das matérias, datada de 23/03/06, encontra-se uma charge bastante sugestiva: um homem com uma mala recheada de dinheiro com o nome da sócia da Petrobras. Em outra, publicada em 03/08/07, sob o título “Petrobrás entrega mercado de GNL aos EUA”, uma charge mostra a mão do Tio Sam acionando um cilindro de gás de onde jorra dinheiro. Uma terceira matéria, de página inteira, publicada em 29/05/08, além de uma charge bastante sugestiva, tem um título esclarecedor: “Soberania Nacional Ameaçada – Mercado de GNL brasileiro está nas mãos de multinacional”.

É de se destacar, também, a entrevista dada em 16/05/08 ao jornal do sindicato dos previdenciários pelo secretário-geral do Sindipetro, Emanuel Cancela. Entre as graves palavras do líder petroleiro, se destacam: “O que nos perguntamos é o que moveu o governo a referendar um negócio como este. O que está por trás disto? Tem alguma coisa suja no meio desta história. Vamos insistir junto ao Ministério Público e incluir esta questão na Campanha pela Nacionalização do Petróleo e Gás.”

Estranhamente, de uma hora para outra, o Sindipetro parou de fazer críticas à Gemini, apesar de intensificar a campanha intitulada “O petróleo tem que ser nosso”.

Por que tanta mudança? Quem influenciou o Sindipetro para que o poderoso sindicato se calasse?

Conclusão

Diante de todo o exposto, válido torna-se concluir: a não apuração da presente denúncia contra a Gemini será a prova definitiva de interferência política no caso, e, conseqüentemente, a prova do não cumprimento da ordem do presidente Lula referente a tráfico de influência.

João Vinhosa é ex-conselheiro do extinto Conselho Nacional do Petróleo. joaovinhosa@hotmail.com