segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Conto do Vigário

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Arlindo Montenegro

Um sujeito chega e conta uma mentira a uma pessoa desavisada convencendo-a a fornecer dinheiro em troca de uma vantagem que não existe. Diz a pesquisadora Denise Lotufo, que a origem do termo "conto do vigário" foi a disputa de dois vigários por uma imagem, na cidade de Ouro Preto, no século XVIII.

Um dos vigários propôs que a imagem fosse amarrada no lombo de um burro e ficaria na igreja para onde o burro se dirigisse. A igreja do Pilar, ganhou a imagem. O burro era do vigário daquela igreja e o outro foi enganado. As variações conhecidas são "conto do paco". Juridicamente, "estelionato".

É cada vez mais comum o "conto do vigário" ser apresentado à opinião pública como verdade absoluta. No caso das chuvas e desbarrancamentos os políticos aparecem na televisão cuspindo vigarices: "choveu demais", "a culpa é de quem construiu na encosta", "estamos fazendo tudo para minimizar a tragédia".

Tragédia uma ova! É crime contra a pessoa! Um crime continuado dos governantes há varias gerações, das agências técnicas, dos planejadores, do poder público que diz gastar somas fabulosas do dinheiro dos contribuintes, para "acabar com as enchentes", "ajudar os mais pobres a ter moradia digna". Inda outro dia a caixa d'água de um conjunto destes edifícios populares caiu em cima de um dos prédios, antes mesmo de serem ocupados pelos felizes condôminos.

O que foi que o conto do PACo fez com o tal programa "minha casa, minha vida nos últimos oito anos? Perguntem aos que morreram em Petrópolis, Teresópolis ou aos que – mais uma vez – perderam móveis e utensílios cujas prestações vão continuar pagando, roupas e documentos que vão pagar para obter tudo, "começar de novo". Perguntem aos alagados de Atibaia, de São Paulo e tantas outras cidades. Perguntem no Brasil inteiro!

Estes governantes que arremetem agora contra os cristãos, com seu projeto PNDH3 que rola no Congresso para legalizar "casamento" de homem com homem. que o vulgo diz "dá lobisomem" e mulher com mulher, "que dá jacaré", que impõe a retirada de todos os simbolos religiosos dos lugares públicos, como já fez a presidente em seu gabinete, que arremete contra a propriedade privada e propõe a matança dos inocentes, desconhece o conceito de caridade.

Sabe aquilo que a gente está fazendo ao doar roupas e alimentos para os vitimados pelos crimes continuados dos governantes? É caridade. Ninguém vai chegar depois para dizer: "Mandei um quilo de arroz e uma roupa velha quando você estava na merda, agora quero seu voto". A coisa é feita porque cada um sabe que está dando a mão a um semelhante. Isto é caridade. Um conceito cristão. Um conceito desconhecido por socialistas coletivistas que não ligam para o indivíduo.

São muitos os contos do vigário a que estamos todos expostos: o da dívida externa que "já pagamos", quando na realidade pagamos juros absurdos aos bancos internacionais que "assumiram" as dívidas interna e externa, hoje somando quase 2 trilhões de de Reais! O governo vai tomar mais dinheiro emprestado aos bancos para pagar os juros, a módica quantia de R$ 359,7 bilhões, ou seja pendurar 12% do Produto Interno Bruto. E dever mais!

Depois você fica pensando por que este país não vai prá diante. Resposta: porque está enrolado no conto do vigário! Como este de que estamos construindo uma sociedade democrática. Qualé meu!?

Esta conversa mole pode ser desmascarada com o conto do vigário da reforma agrária. Isto significa dar titularidade aos assentados. E como esta gente não gosta de propriedade privada, nenhum dos assentados tem titularidade sobre a terra: ela pertence ao estado. Os assentados têm uma concessão e não podem, se quiserem, vender sua posse. Como não têm grana prá comprar trator nem sementes, ganham cesta básica e bolsa família. Continuam ferrados!

Mas os estrangeiros sim, podem comprar grandes extensões. Chineses, americanos, europeus, árabes, russos são donos de vastas fazendas, agro indústrias, plantações de soja e a economia brasileira está, quase na totalidade, desnacionalizada, nas mãos de investidores estrangeiros e mega empresas. Os lucros são enviados para os investidores.

Quer ver outro conto do vigário? Na educação em geral. Seguindo as diretrizes de um ministério da educação, cujo titular só entende de marxismo, implantanto os programas criados pela Onu para acabar com as culturas nacionais, faltam técnicos especializados em todos os setores.

Na agricultura então a carência é lascada! Faltam eletricistas, mecânicos, motoristas operadores de máquinas, agrônomos, profissionais de informática. Pra onde você olhe, a escola responde com baixa qualidade de formação profissional. E o analfabetismo no campo continua elevado.

Estamos vivendo no Brasil dos vigaristas! Vigarice salarial, vigarice na aposentadoria, vigarice institucional, vigarice na saúde, em suma vigarice progressiva do coletivismo que nos subordina e despreza como nação, povo, gente, pessoa. O rol das vigarices é grande, quilométrico.

Prá encerrar o bolodório de hoje, lembro o caso da soja, que veio da China. Os asiáticos que comem até grilo e escorpião, inventaram ha mais de mil anos o tofu, o shoyo e o missô. Dá pra encarar? Comendo com carne ou peixe, sim. Mas as deficiências orgânicas continuam. Os cientistas descobriram que a soja está carregada de "antinutrientes" (tripsina) que afetam o fígado e atrapalham a digestão. Os inibidores da tripsina na soja não são neutralizados pelo cozimento, como acontece com outros grãos.

"A alimentação, assim como a saúde, é um grande negócio. Dois terços de todos os alimentos processados industrialmente, contêm algum derivado da soja em sua composição. É só conferir os rótulos. A lecitina de soja atua como emulsificante. A farinha de soja aumenta a “vida de prateleira” de uma série de produtos. O óleo de soja é usado amplamente pela indústria de alimentos. A indústria da soja é enorme e poderosa." O conto do vigário continua.

Ref: "Um modelo para investigação dos problemas nutricionais modernos" Alan R. Liss Inc., 1987.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

3 comentários:

silvano disse...

A soja, também, tem um poderoso fitoestrogeno que é usado para reposição hormonal em mulheres na menopausa. Qual o efeito do seu consumo em mulheres jovens? E para os homens, seria um "sossega leão" uma emasculação química programada ?

Montenegro disse...

Silvano,
Mulheres na menopausa, devem ser informadas que a "geléia real" apícola faz a reposição natural além de inúmeras vantagens para a saúde. Sobre a soja o que tenho informação é que a inibição de absorção dos aminoácidos dos alimentos, afeta os neurotransmissores provocando enxaqueca, vários tipos de dor de cabeça, depressão, ansiedade e fibromialgia. A hemaglutina da soja tende a aumentar a viscosidade do sangue prejudicando a coagulação. O ácido fítico, qua na soja não é eliminado no cozimento (como acontece com outros grãos) bloqueia a absorção do calcio (osteoporose), ferro (anemia), magnésio (dor crônica) e zinco (inteligência).


O processo comercial do leite de soja começa numa solução alcalina, para neutralizar ao máximo (mas não totalmente) os inibidores da tripsina. Depois, a pasta passa por um aquecimento a mais de 100 graus, sob pressão. Esse processo neutraliza grande parte (mas não a totalidade) dos antinutrientes, mas em troca, danifica a estrutura das proteínas, tornando-as desnaturadas, de difícil digestão. (Wallace GM: Studies on the Processing and Properties of Soymilk. J Sci Fd Agric volume 22, páginas 526-535).
Os fitatos remanescentes impedem a absorção de nutrientes essenciais. A solução alcalina onde a soja fica de molho é a base de n-hexano, um cancerígeno, que também reduz a concentração de um aminoácido importante, a cistina. (Berk Z: Technology of production of edible flours and protein products from soybeans. FAO Agricultural Services Bulletin 97, Organização de Agricultura e Alimentos das Nações Unidas, página 85, 1992).

Marc disse...

Essa coisa de ingerir quilos de soja, de arroz integral, de suco de graviola, de chás disso ou daquilo porque leva a uma "qualidade de vida" melhor, são sandices.
Uma alimentação equilibrada, que pode e deve incluir soja, graviola, arroz integral, proteina animal, frutas e legumes e verduras cruas é a base de uma vida saudável.
Sem exageros, más em quantidades adequadas.
E mais: enfermidades se resolvem com assistencia médica e não com mézinhas.