sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

A Pobre Gente

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Arlindo Montenegro

“Te esconjuro!”, diria minha mãe diante de uma notícia destas. A FAO, agencia da ONU que há mais de meio século, gasta dinheiro pago pelos países integrantes para a eficientíssima multinacional de vigaristas, para solucionar os problemas da fome no mundo, acaba de dizer que não tem jeito!

Disseram que tem muita boca e pouco mingau. A solução é comer minhoca, grilo, barata, larvas de pau podre, lacraia, rato... Gafanhoto, dizem que era a alimentação de João Batista, mas era com mel! Ainda existiam abelhas... Mas agora está difícil. Com os venenos espalhados nas lavouras pela Monsanto, vão faltar todos estes bichinhos.

Falam os verdosos da FAO, teóricos protetores da preservação da natureza para o usofruto das gerações futuras da Europa que nos “descobriu”, colonizou e continua mandando no pedaço, que a culpa é da gente que faz muito nheco-nheco e gera muito filho.

Daí partem para o raciocínio brilhante de incentivar o sexo não reprodutivo de todo jeito: vendendo pílulas, vendendo preservativos, vendendo comidas industrializadas com brochantes diversos, promovendo a sacanagem entre pessoas do mesmo sexo, vendendo músicas, shows e roupa colorida, vendendo putaria pela internet, revistas, filmes...

É pra pensar mesmo que estamos nas mãos de psicopatas que ganham muito dinheiro para percorrer o mundo e enganar os trouxas. É pra dizer mesmo que estes organismos, estas autoridades, estes governantes, são todos uns estelionatários de marca maior. Enganam na maior cara de pau!

Sabe-se que tem gente que gosta de comer cobra, tomar cachaça com cobra curtida dentro da garrafa... só de farra! No nordeste deste Brasil que um dia acreditamos ser nosso, a molecada adorava a brincadeira de correr e catar as formigas voadoras de, as tanajuras, pra comer a bunda frita com farinha. Nem isto vai sobrar para a farra da pobreza: veneno mata as formigas.

Um amigo disse há alguns dias atrás, por que os verdes não falavam da preservação dos mares com tanta intensidade como defendem as florestas. Já vi foto de peixe e gaivota morta com as entranhas recheadas de dejetos plásticos ou simplesmente meladas de óleo da Petrobrás, da Standard Oil... caranguejo com gosto de gasolina, logo caranguejo que vive nos manguezais, maternidades de toda a vida marinha.

Responsáveis? As políticas geradas pelos controladores da economia e do “pensamento” mundial, os mesmos sujeitos que criam as “crises financeiras” da noite para o dia e continuam dando as cartas nos EUA e na Europa. Promoveram nos últimos 60 anos e êxodo rural para dispor de mão de obra barata nas grandes concentrações urbanas-fabrís. Resultado: periferias miseráveis arrancadas do seu hatitat, privadas de seus costumes e da liberdade de evoluir em liberdade e independência criativa. Exilados na mesma Pátria.

Isto sim, criou o ambiente de fortalecimento das oligarquias agrárias que hoje vendem as melhores terras produtivas para as mega empresas agro-industriais globalistas. Impediu-se a titularidade da terra para os “comuns”, a “pobre gente”, sempre utilizada como contingente de reserva para manobras políticas. Diferente da Europa e EUA onde a titularidade da terra foi feita no início da colonização.

Estas políticas, criaram o ambiente para as guerras, as fomes, as endemias e garantiram a fome, mortalidade infantil, exploração do trabalho infantil, mau aproveitamento escolar em mas escolas com professores mau pagos e para que se disseminassem os “sábios” conselhos das nações civilizadas, as “ajudas”, as “pressões”, as guerrilhas e guerras. Eles manda, nóis obedeçe!

Ora dona ONU, dona FAO, dona UNICEF, peguem seus acadêmicos, pesquisadores, professores, “cientistas”, sociólogos e mande todos para o trabalho voluntário em Cuba. Lá a fome está que dói. É uma ilha paradisíaca, onde o ditador democrata os receberá de braços abertos pra ensinar como mudar o mundo e gerar o “homem novo”num excelente laboratório.

De cara podem eleger como dirigente do grupo o sujeitinho holandês que inventou que a bicharada vivente nos esgotos e dejetos da natureza pode constituir “uma dieta saudável, barata e ecológica..” e que isto “ajuda a reduzir o aquecimento global”. Insistem na mentira! Inda dizem que homem é bicho racional! O que se vê mesmo é que banqueiro, “cientista da onu”, presidentes, sábios com todas as soluções, são traiçoeiros, cínicos e só pensam naquilo: dinheiro! Poder! Controle!

Individualmente citada como tabaréu, capiau, peão, cabeça chata, zé mané, zé ninguém... e coletivamente designada como povo, a gente precisa conhecer líderes com grandeza de espírito, para orientar, conduzir ao conhecimento, proporcionar o encontro de cada um com sua natureza essencial. A pobre gente subsiste como refém dos enganadores, dos moralmente mais fracos, dos egoístas, dos assassinos e predadores.

Milênios de civilização para selecionar alimentos e banir os insetos, entendidos como fonte de proteínas em casos extremos e úteis nos exercícios de sobrevivência na selva. Agora vem um arauto da nova ordem que quer o governo mundial, atacar a agropecuária. Eles fazem experiências genéticas que interessam a esta nova ordem controladora de todo o planeta. “Criminalizam” em sua lógica idiota até peido de vaca e dizem que comer insetos vai evitar uma mudança climática. Vai mudar a mecânica do Universo!

Como dizem os que fazem o site http://ecologia-clima-aquecimento.blogspot.com/ “A proposta da FAO é reveladora do fundo do falso ambientalismo catastrofista: degradar os povos civilizados e precipitá-los nos horroes do primitivismo e do socialismo.” O mundo do governo global da ONU. Uma grande China!

Arlindo Montenegro é Apicultor.

Um comentário:

Mario disse...

Em verdade, essa recomendação da FAO é a prova provada de que o CRIMINOSO VAGABUNDO CACHACHEIRO é um canalha porque, no brasil, ninguém está habituado a comer tais iguarias. Não é segredo de que os chineses aprenderam a comer insetos por causa da fome. Há, também, os casos de povos e tribos que os consomem por motivos religiosos ou crenças.