domingo, 23 de janeiro de 2011

Quem pode... Paga...

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net/


Por Jorge Serrão

Com todo respeito ao magnata Silvio Berluscomi (com M, royalties para o sábio Macaco José Simão), roda pelo mundinho sacana da Internet a piadinha curta, grosseira e sem graça. Pergunta: “Qual a diferença entre o governo do Brasil e o da Itália?” Resposta, na lata: “O daqui nos f... de graça; o de lá pelo menos paga bem pelo serviço...”.

A MãeZona Dilma Rousseff, que botou para f... em cima do Serginho Cabralzinho por causa da enxurrada mortal de incompetência na Região Serrana, levou uma de forte intensidade. Sorte dela que a mídia abestada e amestrada pelas verbas do Boncheviquepropagandaminister, como de costume, minimizou a carcada.

Ao pedir exoneração do governo, o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa do Ministério da Ciência e Tecnologia botou para f... – como se diz lá na salinha do Marco Aurélio Garcia. Luiz Antônio Barreto de Castro foi claro em atribuir responsabilidades à gestão Lula-Dilma pelo tamanho da agora maior desgraça climática do Brasil. E denunciou: “O governo falou muito e não fez nada. Se tivesse feito, não teria havido a tragédia da região serrana”.

Sem ser desmentido por qualquer autoridade, Luiz Antônio Barreto de Castro depôs no Congresso Nacional: “Tentei incluir no PAC, investimentos de R$ 115 milhões para implantar um sistema de alerta com radares, não consegui. Vim aqui para confessar que não fizemos nada para evitar essa tragédia”.

Em português claro: Luiz Inácio Lula da Silva e sua mãe do PAC, Dilma Roussef, merecem ser responsabilizados pela extensão da tragédia de prováveis mil mortos na região serrana do RJ. Aliás, Lula sequer deixou suas férias para prestar solidariedade às vítimas de sua inação em 8 anos de governo. Uma prova de covardia e insensibilidade imperdoáveis para alguém apontado pela marketagem como um “líder com mais de 80% de grande popularidade”.

Irresponsável (como Lula e Dilma) foi Serginho Cabralzinho. O governador fluminense ainda teve a cara de pau de tentar jogar a culpa em governos anteriores pelo problema. Claro que, além de levar uma bronca privada da Dilma, se deu mal. Afinal, Cabralzinho “é governo” no RJ desde a gestão Marcello Alencar. Manda no pedaço de 1994 até agora.

Alguns políticos brasileiros ainda conseguem se superar nas besteiras que fazem ou propõem. Caso do antecessor de Extalinácio. O ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso vai liderar nesta segunda-feira, em Genebra, na Suíça, a Comissão Global Sobre Políticas de Drogas. A meta de FHC é a descriminalização da maconha, com o objetivo de coibir o tráfico de drogas.

O grupo internacional que FHC vai liderar terá médicos, especialistas e juristas. Eles prometem recomendações concretas para uma reforma da política de drogas no mundo. O grupo não tratará apenas da produção, mas de seus canais de comércio, consumo e impacto político e econômico.

Curiosamente, muitos idiotas embarcarão na proposta de FHC e seus coleguinhas do Diálogo Interamericano. No mínimo, é irresponsável facilitar a vida dos maconheiros. Todo mundo sabe que a maconha, droga mais barata, é a porta de entrada para drogas mais pesadas. Portanto, FHC só pode estar de sacanagem ao defender tal proposta bem no estilo libertino da Nova Ordem Mundial.

Nossos políticos, no governo ou fora dele, são mesmo umas drogas. Violentam o bom senso. Estupram a verdade. Seduzem com desinformação. Vaidosos, os mitomaníacos acabam escravos das próprias ideias fora do lugar que defendem – ou são patrocinados para defender.

Por isso, talvez tenha razão o sacana que difunde a piadinha sobre o voraz premiê italiano. “É melhor ser tratado pelo Berluscomi. Pelo menos ele paga pelo serviço...”

E a gente vai levando... Até quando?

Vermelha e Preta

Piadinha rubro-negra sobre o ilustre primeiro-ministro da Itália, que também é presidente-controlador do mais rico clube italiano.

- Sabe por que Berluscomi liberou, correndo, o Ronaldinho Gaúcho para jogar no Flamengo?

- O dono do Milan não admite concorrência fora do campo...

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 23 de Janeiro de 2011.

2 comentários:

Anônimo disse...

Após o acidente com o helicoptero que o transportava, o chefe da Cruz Vermelha, afastou-se da região serrana com graves denúncias contra o prefeito do Petrópolis e anunciando que "ninguém tem idéia da tragédia na serra..." Ele calcula que existem mais de 6.000 mortos soterrados e que na sequência muitas doenças vão acometer os moradores da região e vizinhanças que utilizam a água dos rios contaminados por corpos em decomposição.

KamiKaze disse...

Prezado Serrão,
sou admirador do seu trabalho. Em breve, pretendo passar também a contribuir com a sustentabilidade do blog. Mas a questão que me traz aqui é outra.
Considerando que a marijuana não é produto sintético refinado em laboratórios, além de estar presente no cotidiano da humanidade há centenas e centenas de anos, eu lhe pergunto : ela é considerada porta de entrada para quais substâncias ? Por favor, dê nome aos bois. Interessa-me manter esse diálogo civilizado com uma pessoa do seu calibre. Caso queira mantê-lo por email, tanto melhor. Eu faço questão de movimentar este tema em alto nível. E desde já agradeço pela sua preciosa atenção.
O Alerta Total está entre os meus preferidos. Força e um grande abraço. Aguardo pelo seu retorno.