sábado, 26 de fevereiro de 2011

Jogadas de mestres diabólicos

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Arlindo Montenegro

Na semana passada o Brasil encenou em Nova Iorque um encontro empresarial, com a organização da Wall Street e da Revista Valor Econômico. Lá estava o Eike Batista, entusiasmado, fascinando a platéia com seus projetos petrolíferos, construção naval e portos, falando muito bem da associação dos empresários com o governo nas associações público-privadas que têm (isto Eike não disse) fomentado as velhas práticas corporativistas. Grana! Muita grana com os maiores juros para os investidores. E aumento da carga tributária (maior que na China, duas vezes e meia comparando com Chile e México)

Isto pode indicar que o socialismo do século XX está sendo escanteado. Olhando bem, a coisa tende mais para o exemplo de Cuba onde o segundo ditador Castro indica o rumo da vietnamização capitalista, desde que sejam sócios e beneficiários dos investimentos estrangeiros (Brasil, Chile, Espanha, França, Portugal... E que o estado, socio, dite todas as leis. Pra que 3 poderes? Basta um, O Partido! Isto facilita as negociações com as mega empresas.

Na contra mão, Hugo Chávez já provocou a saída de um milhão de venezuelanos do país, prendeu a oposição, fechou a metade do parque industrial, gastou quase l trilhão de dólares em armas e ajudas aos amigos e conseguiu transformar Caracas na cidade mais corrupta e violenta deste continente, enquanto dá livre trânsito às drogas e abriga terroristas das Farc e de grupos islâmicos.

O aiatolado Evo Morales enfrenta uma oposição que se organiza cada dia mais e começa a ter dificuldades de pagar as contas. O outro bolivariano sinistro, no Equador, não tolera capitais estrangeiros e os capitalistas locais amedrontados enviam suas economias para o exterior, onde ficarão em segurança contra o poder totalitário.

Os políticos estão esfregando as mãos e preparando o fósforo (ou isqueiros Dupont) para queimar dinheiro das propinas dos lobistas para o voto unânime e aprovação das leis impositivas ditadas pelo governo mundial. E leis para a redução da natalidade, privilégios exclusivos para homossexuais, que não geram filhos como estes obstinados pais de família que não querem usar preservativos e descristianização, que esta coisa de moral atrapalha.

Estamos sem referências ideológicas? Há um meio termo entre capitalismo e comunismo? Claro que não! Aumenta a nossa carga tributária, a burocracia engole as pequenas empresas, o salário mínimo para quem trabalha é menor que o salário que o estado paga aos presos prá não fazer nada. O povo que se divirta! O estado manda e a galera faz, sem tugir nem mugir. Vem aí o carnaval.

A ideologia vem do Norte, vem da Onu, vem do ideal marxista de um governo mundial. A resistência maior seria dos controvertidos terroristas islâmicos. Mas já começaram a dar um jeitinho, sangrento, com futuros lances mais perigosos ainda na disputa do modelo que terá supremacia no comando político deste governo mundial.

Os pequenos e médios empresários estão sufocados no campo e na cidade. Daqui a pouco será impossível competir com a informalidade de chineses, coreanos e todos os produtos made in Paraguai que infestam lojas, bancas de rua, estações rodoviárias, aeroportos e estão presentes nos milhões de computadores e celulares, indispensáveis para a celeridade dos negócios... ou para as mobilizações populares! Mas vai ser cada vez mais difícil fugir do super computaor da Receita Federal, que em breve enviará aos contribuintes a "declaração" já pronta.

Mas sempre há uma notícia boa, para ex presidentes, para a ONU, para os políticos e trágica para os servos do podeer: a DEA, Agencia de Repressão às drogas dos EUA, está considerando as petições que recebeu das indústrias farmacêuticas, para liberar a maconha, classificando a erva do diabo, acondicionada em cápsulas de gelatina dura do mesmo modo que as cápsulas da droga sintética que já fabricam.

Isto é ótimo para os produtores de maconha! O Paraguai, o Mato Grosso e o Pernambuco, já estão pensando como exportar, como fazer para lidar com a legalização, quanto imposto vão pagar. O ex presidente sociólogo, grande defensor da liberação, o pessoal dos direitos humanos criadores do texto do PNDH, os banqueiros, os políticos, todos estão fazendo as contas do que vão faturar em dinheiro e prestígio, com a desgraça da nação.

A notícia está no endereço: http://www.deadiversion.usdoj.gov/f..., onde se lê: "O DEA, recebeu quatro pedidos de empresas que tem produtos atualmente relacionados pela AND (Aplicação de Novas Drogas), controlados pela FDA (Admnistração de Alimentos e Drogas)... Os peticionários argumentam que os seus produtos genéricos são equivalentes ao Marinol" e reivindicam que uma troca de classificação que transferir (a maconha) para a definição de produto genêrico (que nem a maconha sintética) aprovado pela FDA.

A maconha sintética aprovada pela FDA tem o rótulo de Marinol e naturalmente contém o tetracanabinol com as mesmas propriedades do THC encontrado na planta natural. Certamente os custos dos laboratórios vão baixar e eles vão "ajudar" os pobres produtores, importando. Um amigo que trabalhou numa multinacional do tabaco, revelou que a empresa já tem licença para produzir cigarros de maconha, assim que a droga for liberada. Mais um produto de primeira linha!

Não é uma beleza! Quanto menos neurônios, melhor... e vida mais curta para os consumidores.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

Um comentário:

Anônimo disse...

já vivemos no país dos imbecis, mais nerônios menos neurônios pouco importa