quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Luz e Trevas

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net


Por Arlindo Montenegro

No projeto de construção do Governo Mundial, algumas coisas parecem tão evidentes que fogem à perspicácia dos "formadores de opinião", que adotam com naturalidade qualquer decreto governamental, mesmo que signifique mais um passo nas restrições às liberdades fundamentais. Um dos aspectos jamais citados, são as migrações e imigrações, que modificam a cultura, com a presença de ritos, credos costumes e comportamentos, que quase sempre provocam conflitos.

No caso de construção de grandes projetos é flagrante o que me indicou um estudioso de demografia, referindo a chegada ao interior de Santa Catarina de uma planta da Bunge que promete "acabar com a fome no mundo"... quando não haja mais o que eles chamam de "bocas inúteis", isto é os pobres condenados ao desemprego, às doenças, catar restos no lixo e à inanição, muitos deslocados dos seus locais de origem, buscando resistir onde são incapazes de competir.

A Europa rica, que recebia a mão de obra barata dos pobres africanos para executar os serviços mais pesados e "sujos", agora se ressente da marcante presença de islamitas, que já impõem leis de proteção específicas para suas comunicades organizadas, muitas em desacordo com os costumes culturais do ocidente. No programa de homogenização cultural do Governo Mundial em gestação, este movimento é positivo porque desperta as quezílias entre as diversas igrejas e modifica crenças e costumes.

A Europa, marcada em cada esquina pela presença do cristianismo vive uma onda de descristianização acelerada. Antes separou-se a igreja do estado laico. Agora suprime-se a memória cultural, facilitando as divagações da ONU, agente da nova religião. A ONU, que nada faz contra as ondas migratórias. A ONU que foi criada para ser o parlamento do mundo pacificado e é impotente para barrar os ditadores que prendem dissidentes ou os Kadafi, que bombardeiam sua propria capital, matando seu próprio povo.

Das revoltas organizadas no Médio Oriente, se vai conhecer uma nova onda de movimentos migratórios para a vizinha e "dizem que" democrática Europa. O Berlusconi já avisou que vai mandar todos os que aportarem à Italia, para a França e para a Inglaterra. Os franceses que já andam às turras com os ciganos e que ja conheceram a violência dos pobres africanos que constituem o lumpem de Paris, vão fazer o quê?

A Inglaterra, uma das mecas onde pontificam os sensíveis nobres pensadores de fórmulas para o Governo Mundial, vai ter que liderar a mobilização da Europa e mandar uma "Força de Paz". Como é estranho utilizar a Força para impor a Paz! Bem orwelliano! A paz imposta pela força, vai garantir a continuidade do abastecimento de energia e ao mesmo tempo vai garantir a segurança de Israel, único território da área alinhado integralmente com a civilização vigente e os modelos de civilização em gestação.

Neste momento evidencia-se também como esta coisa que rotularam de democracia, - cada dia mais castradora das liberdades individuais, cada dia mais amordaçada e distanciada do saber, da ética e da moralidade, - associando-se ao modelo de estado marxista, constituem um só motor para o projeto de globalização marxista/capitalista. Caso contrário os não marxistas adotariam o modelo nacionalista e aí, a idéia de um governo mundial iria pra cucuia.

Outros probleminhas evidentes: eliminar o cristianismo, eliminar o islamismo, eliminar o judaísmo. A instituição do catolicismo romano já foi infiltrada pelos marxistas, fica mais fácil proibir a exposição da fé e mandar os crentes para as catacumbas ou para a tumba. Com os islamitas que obedecem à risca o Alcoorão, a coisa vai ser mais feroz.

Agora para os judeus que esperam seu Messias, com muitos acreditando que a "terra prometida para o povo escolhido" era o Estado de Israel, existem consequências mais profundas, históricas e econômicas, culturais e de interpretação teológica. Há quem cogite de novas migrações para terras adquiridas na Argentina ou em algum lugar da Russia.

Imigrações exigem desmatamento, casas, supermercados, escolas, vias de abastecimento... "é pior que praga daninha" como diz meu amigo estudioso de soluções demográficas. Contava-se uma piada no Rio de Janeiro, referindo o Cristo do Corcovado com os braços abertos exclamando "Chega de nordestino!" A sabedoria popular já intuia o que os estudiosos nem desconfiavam.

Vamo viver muita migração, imigração, muita regressão educacional e cultural, muito estado totalitário, muita corrupção, muita invasão de áreas onde o equilíbrio demográfico mantinha o bem estar de pessoas ajustadas e quase felizes, espelhando uma possível convivência democrática – em termos de liberdade, respeito à individualidade, respeito às crenças e ausência de pobreza extrema.

O que se vê é cada religião avocando a si a representação de Deus para impor a unidade de pensamento aos homens e ao mundo. Todos os governantes aspirando o globalismo político, falando em construir um mundo "bem melhor", "justo"...Para isto utilizam o fuzil dos direitos humanos aterrorizantes, descartando todo o positivo experimentado pelas civilizações e tratando de esmagar a resistência dos que prezam as liberdades individuais, tratando de pulverizar todas as identidades pátrias e culturas específicas.

É alucinação prá ninguém botar defeito! É mesmo uma terrível batalha entre as forças satânicas e o espírito que mobiliza as pessoas, a semente da energia universal inteligente, o Deus do coração de cada um, a resistência divina que se materializa e se transmite nos sentimentos e atos de amor.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

Nenhum comentário: