sábado, 28 de maio de 2011

Corrupção no Futebol

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Mtnos Calil

Creio que a corrupção no futebol brasileiro não é mais novidade para ninguém. Que tal a Folha levantar o patrimônio dos dirigentes da CBF como fez no caso do Palocci?

A corrupção é sistêmica e está instalada em todos os órgãos públicos e em todas as empresas que prestam serviço ao governo. Há exceções? Se existirem, ninguém pode saber quais são, pois obviamente as empresas que não dão propina deixariam de ser fornecedoras do Estado. A propina é uma instituição nacional.

Quanto às informações "secretas" que o Estadão acaba de conseguir na Suiça, é bom lembrar que os bancos deste pais são os primeiros a promover a corrupção. Basta a um brasileiro ter conta na Suiça para ser suspeito de corrupção. Suspeito??? E no Brasil, os bancos cobram a taxa de juros que o ex-vice presidente de Lula, Alencar, declarou publicamente se tratar de um roubo.

O Havelange teria recebido apenas um milhão de dólares... ? Isso é uma insignificância, uma corrupção de "varejo", como diria o meu amigo Adriano Benayon, doutor em economia e ex-diplomata do Itamarati (esse sim é exceção - um camarada que chegou a ocupar um cargo de Embaixador do Brasil estar preocupado com a mega-corrupção internacional só pode ser mesmo uma baita exceção).

Existe, é claro corrupção em todas as dimensões. A propina que os barraqueiros de rua dão para os fiscais da prefeitura, por exemplo, deve ser minúscula. imagino que seja algo como 100 reais por mês para os donos de pequenas barracas individuais. Já os barraqueiros que têm "redes de barracas" quanto estariam dando para os fiscais da prefeitura? Mil ou dez mil reais por mês? Enfim, onde circula dinheiro a chance de haver corrupção é grande. Será que foi o dinheiro que transformou o ser humano em corrupto, ou ele já era corrupto antes de inventar o dinheiro? É possível vivermos numa sociedade como a nossa sem ter que apelar, pelo menos de vez em quando à corrupção? E porque então resolveram queimar o Palocci? Por três razões:

a) Uma fogueira deste tamanho chama a atenção de todo o mundo para o jornal Folha de São Paulo. E quando a Globo anuncia o escândalo, ela diz "segundo o Jornal Folha de São Paulo....". - Quanto a Folha teria que pagar para a Globo para aparecer deste modo espetacular??? E daqui para a frente, os grandes jornais que ainda circulam nas bancas vão ter que queimar uma boa penca de corruptos. Com a internet para que alguém precisa comprar jornal na banca? Até quando a Folha, o Estadão e o New York Times vão continuar imprimindo jornais com aquela tinta que suja as nossas mãos?

b) Para dar a impressão que ainda existe justiça no Brasil nada melhor que a estratégia do "bode expiatório". Segundo essa estratégia, de cada 100 mil políticos corruptos, devem ser penalizado uns dois ou três e, logicamente, com as penas mais brandas do mundo. Quanto aos nossos juizes, eles não podem fazer nada porque são fiéis zeladores das leis feitas pelos legisladores corruptos. E quanto ao "sentimento de justiça"? Bem, parece que a função do juiz não é sentir nada e só aplicar a lei friamente. Afinal se a lei foi feita pelos corruptos, que culpa ele teria no cartório?

Mas e o tal "espírito da lei", o que foi feito dele? Continua vivo? Sim, claro e com uma função pragmática bem definida: permitir aos bons advogados que interpretem a lei da forma que for mais conveniente para a defesa de seus clientes. Certa ocasião um advogado da outra parte me propôs que eu também contratasse um advogado. Eu respondi dizendo que isso não era necessário, já que a lógica é o fundamento do direito e que ele próprio faria o papel de meu advogado, pois minha intenção era fazer um acordo com o cliente dele, para o que bastaria a gente usar um pouco de lógica temperada com bom senso. É o que foi feito: este sensato advogado concordou com a proposta.

c) Como a política é a continuação da guerra por outros meios, ( a reciproca também é verdadeira : a política é a continuação da guerra por outros meios - Clausewitz), os políticos vivem guerreando entre si e se valem da mesma arma: atacar a corrupção da outra turma. Hoje é o alvo é um governista e amanhã será um oposicionista.

Mtnos Calil é Coordenador Nacional do IMLB - Instituto Mãos Limpas Brasil- www.maoslimpasbrasil.com.br

Nenhum comentário: