quarta-feira, 11 de maio de 2011

Petrobras: carta aberta à diretora Graças Foster

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Vinhosa

O fato de a matéria “Diretora da Petrobras confirma que Dilma sabia da denúncia de corrupção na Gemini”, publicada em 20 de dezembro de 2010 no www.alertatotal.net, não ter dado origem a uma interpelação judicial permite inferir que os termos nela contidos são a pura expressão da verdade.

Em referida matéria – que foi republicada por vários outros sites, e amplamente divulgada pela internet – encontra-se apresentada minha tréplica à resposta dada pela Senhora à carta que eu havia lhe encaminhado em 22 de novembro de 2010.

Sua resposta (carta DG&E n° 75/2010, de 2 de dezembro de 2010), Diretora Maria das Graças Foster, é impressionantemente tendenciosa e em muito se afasta da realidade.

Com o objetivo de provar que a Senhora passou muito longe da verdade ao afirmar que todos os esclarecimentos sobre o assunto já haviam sido a mim prestados, enumerei oito perguntas (inclusive a da mala de dinheiro que, para qualquer pessoa isenta, significa corrupção) diante das quais o silêncio da alta Administração da Petrobras é sintomático.

A propósito, juntarei a matéria acima citada, bem como minha carta e sua resposta, ao procedimento administrativo decorrente de denúncia por mim encaminhada ao Procurador-Geral da República Roberto Gurgel em 19 de outubro de 2010.

Esclareço que tal denúncia trata da prática de tráfico de influência na constituição da Gemini – sociedade por meio da qual o governo brasileiro entregou o cartório de produção e comercialização de gás natural liquefeito (GNL) a uma empresa privada pertencente a um grupo norte-americano.

Incontestavelmente, Senhora Diretora, ao formar a sociedade Gemini, o governo brasileiro colocou em prática o mais prejudicial tipo de privatização que se tem notícia no setor “petróleo e gás”. E tal ato, impressionantemente lesivo ao interesse nacional, seria impossível ser consumado sem um poderoso tráfico de influência.

Para o entendimento da denúncia, necessário se torna considerar que, à época em que foi arquitetada a Gemini, Dilma Rousseff acumulava as funções de Ministra de Minas e Energia e Presidenta do Conselho de Administração da Petrobras. Torna-se necessário considerar, também, que Dilma Rousseff passou a ocupar o cargo de Ministra-Chefe da Casa Civil da Presidência da República sem se afastar da presidência do Conselho de Administração da Petrobras.

Cumpre informar que, na esteira do escândalo de tráfico de influência na Casa Civil da Presidência da República (caso Erenice), encaminhei correspondência ao presidente Lula, solicitando providências para que eu fosse ouvido pela Polícia Federal sobre tráfico de influência na Gemini.

Esclareci ao presidente Lula que as cartas por mim encaminhadas à então Presidenta do Conselho de Administração da Petrobras Dilma Rousseff não mereceram qualquer resposta, apesar de recebidas em seu local de trabalho (Casa Civil).

Por isso, afirmei ao presidente Lula que uma das duas coisas havia acontecido: ou tais cartas chegaram às mãos de Dilma Rousseff, e ela se omitiu comprometedoramente a respeito das denúncias de gravíssimos atos lesivos ao interesse público cometidos em área sob seu comando; ou tais cartas foram intencionalmente extraviadas nas dependências da Casa Civil para evitar a apuração de minhas acusações, segundo as quais Dilma Rousseff era a principal avalista da Gemini.

Finalizando, Senhora Diretora, informo que – além de juntar a presente correspondência ao procedimento administrativo em tramitação na Procuradoria-Geral da República – providenciarei sua publicação e divulgação na Internet, e encaminharei, formalmente, cópia da mesma à Senhora, à presidente Dilma Rousseff, e à Polícia Federal.

João Vinhosa é engenheiro joaovinhosa@hotmail.com

Um comentário:

Anônimo disse...

O MSM reforça o alerta de Julio Severo: é urgente e imprescindível para a defesa da liberdade religiosa e de opinião no Brasil uma mobilização incisiva e abrangente, por parte de toda a sociedade, contra o avanço da agenda gayzista, que pretende calar a boca de qualquer cidadão que emita algum comentário contrário aos caprichos da militância gay e às práticas homossexuais.

Vídeo de Silas Malafaia que mostra como você pode fazer contato com os senadores para pedir a não aprovação do PLC 122. O vídeo está neste link: http://juliosevero.blogspot.com/2011/05/silas-malafaia-denuncia-plc-122.html

http://www.midiasemmascara.org/artigos/direito/12073-plc-122-sera-votado-nesta-quinta-feira-na-cdh-do-senado.html