segunda-feira, 4 de julho de 2011

Um idiota no pedaço

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Valmir Fonseca

Na infância, recebemos diversos epítetos. A gozação, para os mais pessimistas, poderia ser no mínimo um projeto de bulling.

Mas, impávidos seguimos em frente. O tempo apagou na memória da maioria dos companheiros de infância e do colégio, os desanimadores e gozativos apelidos e deploráveis denominações como “tapado”, “imbecil”, “estrume” etc. Somente uns poucos ainda relembram e, sem nenhum senso, são capazes de chamar - nos como de antanho, na frente de filhos e netos. Aqueles são em geral, uns bostas.

Mas, continuamos em frente. Depois, os cabelos grisalhos, o olhar grave, a face enrugada retiram dos mais afoitos qualquer vontade de mimosear - nos com alguma denominação pejorativa. Quanto mais depreciativa ou ofensiva.

Contudo, com o passar do tempo amealhamos parentes, amigos e simpatizantes e, certamente, inimigos e desafetos, porém, mesmo estes, por respeito, podem no máximo, nomear – nos com a pecha de torturadores, de gorilas, de bando, de capitalistas, de neoliberais, de milicos enrustidos, de ditadores, de homofóbicos, de racistas.

Isto, até ontem.

No seu último discurso, o Ministro da Defesa enfatizou estar cercado de idiotas. Para boa parte da sociedade esclarecida o palavreado soou como uma retumbante reclamação e uma sonora constatação. Era dos seus companheiros que o corajoso Ministro se referia?

Desconfiaram diversos estudiosos que seu desabafo poderia ser, inclusive, para a cúpula do desgoverno.

Um mal estar geral percorreu a arquibancada.

Assim não dá. Ele vai ser chamado para explicar - se. Esta era a conclusão lógica e irrefutável.

Se foi ou não, só Deus sabe, mas que matreiramente realinhou a direção de seu letal palavrório, foi um fato e, esclareceu que ao citar sua desdita de estar cercado de idiotas, não se reportava ao magnífico governo ao qual está subordinado, nem havia a menor referência, seja ao ex –presidente ou à atual presidente ou a ambos.

Por certo, embora merecesse citações diárias, eventualmente, escrevemos textos que não podem ser aproveitados como enaltecedores do Senhor Ministro, useiro e vezeiro em atos e palavreados retumbantes e inócuos, por isso, por volta - e - meia apontamos senões, e por repassarmos contundentes e indefensáveis denúncias que azucrinam aos interessados, chegamos à brilhante conclusão que os idiotas somos nós.

Nós quem? Vocês sabem.

Poderíamos levantar a fronte ofendida pelo despautério, e bradar não somos idiotas, mas precavidos com a balança da nossa justiça, que vive com a venda dos olhos meio que arriada e, portanto, não é tão cega como pregam os seus admiradores, decidimos engolir em seco.

De fato, pensando bem, somos bastante idiotas para agüentar esta turma.

Valmir Fonseca Azevedo Pereira, presidente do Ternuma, é General de Brigada Reformado.

Nenhum comentário: