quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Chega de Governo do Crime no Brasil

"Comparo o meu Brasil a uma criança perdulária; que não tem um vintém, mas tem a mãe que é milionária".
(Do imortal poeta Noel Rosa, nos versos de uma canção pouco conhecida, cujo refrão é: "Viver alegre hoje é preciso/ Conserva sempre o teu sorriso/ Mesmo que a vida esteja feia/ E que vivas na pinimba/ Passando a pirão de areia")

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão

O Brasil é uma rica colônia de exploração moderna controlada e mantida artificialmente na miséria por um Poder Real externo, cujos interesses e sistemas manipulam uma ociosa oligarquia política interna que pratica o crime organizado nos três poderes do Estado contra os cidadãos. O Governo do Crime Organizado se legitima quando ocorre a perversa associação, para fins delitivos, entre a classe política, os membros dos três poderes da República, e os criminosos de toda espécie. O Governo do Crime precisa ser superado com urgência. A missão é possível.

Faxinas de fachada não bastam! A ação sistemática do crime rompeu com nossas instituições republicanas, que precisam ser restabelecidas, junto com o sistema democrático pela Segurança do Direito. Para que exista democracia, de verdade, são necessários mecanismos objetivos de controle social sobre os poderes públicos. Temos de restabelecer o principal patrimônio da sociedade, que é a manutenção da ordem pública. Só ela é capaz de garantir a segurança e a vida. Por isso, é um fundamento essencial da organização social.

Um Estado descontrolado - e não controlável socialmente - é facilmente governado pelas organizações criminosas. As quadrilhas influenciam as expressões do poder político, econômico, jurídico, cultural e psicosocial. Nem o poder militar fica imune. A corrupção, institucional e institucionalizada, é uma conseqüência da ação do crime – e não uma causa em si mesma, conforme o sistema dominante a faz parecer. A principal agente do crime é a classe política. Os delinqüentes políticos usurpam o poder estatal. Violentam as instituições. Agem, claramente, em causa própria, locupletando-se. Mas, no oculto submundo, trabalham obedecendo aos ditames de seus controladores maiores, aqui de dentro ou de fora do País.

Origem do problema

Os traços autoritários, a ausência de democracia e a ação do crime organizado são resultados históricos de um Estado que tem vício de origem. Nosso Estado não se originou da vontade da sociedade. A nossa sociedade é que foi “concebida” por um Estado. O Brasil é fruto um Estado que foi “inventado” por outro Estado (o império ibérico que nos concebeu e que se sucedeu a outros sistemas políticos-econômicos globalitários que hoje nos controlam). Por falta de educação e informação, nossa sociedade é omissa e até conivente com o crime organizado.

A questão desse crime politicamente organizado não é moral. Muito menos é politicamente moralista. Até porque o falso moralismo é a contravenção da moral. O problema não é de honestidade ou de ética do político. Tais virtudes, se existem ou não, dizem respeito aos seres humanos, presumivelmente cidadãos e, potencialmente, políticos. O perigo é quando bandidos resumem a política a uma mera fonte de poder egoísta, de prestígio pessoal ou de locupletação, apenas para satisfazer os complexos de inferioridade de egos vaidosos, conflituosos e problemáticos dos criminosos que nela atuam.

A ação criminosa dos políticos, com a qual a maioria da sociedade brasileira é conivente, se legitima no esquema eleitoreiro. O voto obrigatório é a negação da própria democracia. Aliás, ao contrário do que se apregoa, a eleição não é um sinônimo de democracia. Resume-se a um mero mecanismo de escolha. Em nosso sistema de escolha compulsória para representação, os cidadãos delegam a prática de sua soberania. O problema essencial é que a delegação não tem controle. A eleição funciona apenas como um “concurso público”. O candidato aprovado não tem obrigação, objetivamente, de prestar contas ao eleitorado que o escolheu como representante.

No Brasil, a Polícia e o Judiciário, muitas vezes, enxugam gelo. Fingem que combatem e punem meia-dúzia de “delinqüentes” escolhidos para “bodes expiatórios”. É o tal “rigor seletivo” contra os inimigos de ocasião. Por aqui, não ocorre um sistemático combate ao crime. Os verdadeiros inimigos da democracia, agentes de diferentes organizações criminosas, permanecem impunes. Livres e soltos, tomam de assalto a vida pública. Os cidadãos viram reféns de seus crimes. Castigo? Só para o povo. Os bandidos reinam como querem. Formam a “elite” do crime.

“O crime organizado está hoje nos Palácios – já não está mais nem nos porões dos palácios como antes – e o que está aí nas ruas é o crime desorganizado comandando a sociedade organizada”. Com esta constatação objetiva, o criminalista Cezar Roberto Bitencourt, em uma recente edição da revista Veja, fez uma autópsia do cadáver politicamente insepulto da Nação Brasil. A sociedade percebe, facilmente, os bandidos mais visíveis, que assaltam, matam, traficam ou exploram (drogas, armas, mulheres) e realizam as mais violentas badernas ou ações de terror. O que poucos enxergam é que tais “marginais” são meros instrumentos de “bandidos maiores”, com poder político e, sobretudo, econômico.

A quem interessa o crime organizado?

O papel criminoso da nossa “oligarquia marginal” é subjugar a sociedade brasileira, para continuar explorando-a, histórica, cultural e economicamente. Esta é a missão delegada aos nossos “marginais políticos” pelo sistema de poder mundial que controla, realmente, o Brasil. Tal sistema existe, objetivamente. Não é fruto de “teorias da conspiração”. O sistema é a própria conspiração em prática. Explora nossa rica nação, e nos mantém artificialmente na miséria. Tudo porque nós deixamos. É claro!

A oligarquia política brasileira (tenha o verniz ideológico de direita, centro, democrata-cristão, social-democrata ou de esquerda) cumpre a missão do poder controlador externo e ocupa o governo no Brasil representando os interesses globais e anti-nacionais. Por isso, “nossos” governantes mantêm o Brasil criminosamente na miséria e sempre pronto a ter seus recursos explorados. O papel de entreguista (ou de anti-nacional) é uma característica histórica dos nossos dirigentes políticos. Suas ideologias (oferecidas ao cidadão-eleitor-contribuinte como mercadoria político-eleitoral) são meros instrumentos de dominação daqueles que nos governam e controlam, de fato, mesmo sem direito.

Os Governadores Reais do Brasil têm pelo menos dois objetivos bem definidos, para justificar seu controle. O primeiro é a exploração econômica da nação e dos recursos naturais do seu território. O segundo é a contenção das potencialidades sócio-econômicas, políticas e militares da Nação, na medida exata de seus interesses transnacionais. Os controladores manipulam agentes conscientes e inconscientes na esfera político, econômica e social.

Neste esquema, o Estado funciona como uma máquina para a extração ilegal de renda da sociedade. A “classe ociosa” se locupleta. Os mecanismos jurídicos e institucionais – como a Lei de Licitações, por exemplo – cumprem este papel criminoso. Vejam o caso do impune “mensalão” (tecnicamente definido como a propina periódica paga a políticos ou aliados de um governo, resultante de participações de empresas que prestam serviços, consultorias ou vendem produtos para o poder Estatal).

No resumo da opereta, a regra é clara. O Presidente da República no Brasil desfruta de um aparente poder, que é o poder apenas formal do Estado brasileiro. A máquina do Estado, gerenciada pelo crime organizado, obedece a um Governo Real Mundial. Lembremos sempre, para não fazermos papel de idiotas. O presidente do Brasil aparece apenas, como um boneco do ventríloco, no nono escalão do poder. Não importa quem seja o presidente: Fulano, Beltrano, Al Capone ou a Faxineira. Dá no mesmo...

Frentes do Poder Globalitário

Os Governadores Reais do Brasil têm um modus operandi. Contam com uma imperceptível organização político-administrativa (OPA). O esquema controlador atua em quatro frentes aparentemente distintas, porém intimamente ligadas organizacionalmente. A ação não segue diretamente tal ordem – aqui descrita apenas para efeito didático e expositivo. Na prática, a ação dos controladores é concomitante sobre as Organizações Político-Administrativas.

A primeira frente de ação dos controladores consiste no investimento ideológico e econômico aos partidos políticos no poder. Tais partidos, subvencionados pelos controladores, são a força motriz do mecanismo de poder. Os políticos são os gerentes do processo.

A segunda frente de ação dos controladores é a institucional. Seus componentes funcionam como forças de sustentação da ação dos controladores. Trata-se do governo formal, composto pelos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Nesse caso, ocorre um sutil controle sobre o aparelho repressivo (policial e fiscal) do Estado.

Na terceira frente atuam os agentes de influência, formados pela mídia, o mundo acadêmico, as ONGs, os Sindicatos, as seitas religiosas e os Movimentos Populares. Eles colocam em prática os instrumentos de dominação: as ideologias; as diferenças regionais (sejam econômicas, sociais, religiosas e raciais); e ajudam a propagar o medo e a insegurança, por uma apologia da violência e do terror.

A quarta frente também é chamada de “quarto elemento”. Esta quarta frente de ação do poder controlador é essencial na chamada “guerra assimétrica”. Aqui atuam as Forças Subterrâneas ou atividades criminosas executadas pelas máfias de toda ordem, pelas milícias (grupos de policiais que fazem segurança informal), ou pela narco-guerrilha urbana e rural.

O Papel do Terror

O quarto elemento é o promotor das ações terroristas. Em resumo, Terrorismo é medo, para produzir três tipos de vítimas. A Vítima Tática (o morto, o ferido ou o seqüestrado), a Vítima Estratégica (aquela que sobrevive ao atentado, e está sob risco) e a Vítima Política (que são o Estado e a Democracia, aqui entendida como a Segurança do Direito). O objetivo estratégico do “terrorismo marginal”, que tem facetas ideológicas, é gerar medo e tensão, no primeiro momento, para justificar, em etapas posteriores, ações autoritárias ou as medidas de força de uma nova ordem estatal (Capitalista de Estado) que se planeja implantar no Brasil e na América Latina. O conflito na região está cada vez mais próximo.

O terror é essencial para os controladores. A nova ordem mundial por eles pretendida alimenta-se de guerras e sofrimentos, de caos financeiro sazonal e crises políticas constantes. Tudo para manter a expansão de seu movimento esmagador de controle. Os engenheiros sociais da nova ordem empregam as crises e o terror seus subordinados hegemonicamente em um desequilíbrio perpétuo. Em resumo, o Poder Real utiliza os novos e amplos poderes de coação e terror que a ditadura militar-industrial-global requer para acabar com a resistência e governar a parte do mundo que resiste às suas intenções.

Os controladores combatem os inimigos do Poder Real - que são aqueles que defendem nossa intimidade pessoal, nossa individualidade e nossos direitos individuais. Estes são os pressupostos da liberdade. Os controladores patrocinam o terror psicosocial, que mantém a maioria da população em um estado contínuo de ansiedade interior. O sistema mantém as pessoas demasiadamente ocupadas, lutando pela própria sobrevivência. A sociedade é submetida a uma violenta situação de insegurança, angústia e terror.

O terror e o medo, geradores de omissão, colaboram para o “Estado Cleptocrático sem Direito”. Em sua origem grega, a palavra Cleptocracia, significa, literalmente, "Estado governado por ladrões". O crime organizado utiliza a corrupção, a violência e as sutilezas ideológicas como instrumentos de dominação da sociedade. Na Cleptocracia, só existe Democracia de fachada – sujeita a faxinas de mentirinha.

O papel da Engenharia Social

O sistema do crime organizado utiliza a Engenharia Social contra nós. A todo momento, consciente ou inconscientemente, somos bombardeados pelo processo político-ideológico de construção psicossocial de regras padronizadas de conduta humana. A tradição é reinventada. Novas formas de comportamento são impostas. Quem não segue o “politicamente correto”, definido pelo esquema do crime organizado, fica constrangido.

Os ideólogos tentam regular nossa linguagem e nosso modo de agir, de duas formas. Ou através da adoção prática de termos e expressões politicamente corretos. Ou pela exposição da anti-estética, pelo medo ou terror. Assim, a Comunicação - o instrumento básico de construção do Poder Real – é usada para deformar mentes, construir, destruir e reconstruir conceitos que interessam ao sistema dominante.

A Engenharia Social usa a Comunicação, suas mídias e seus profissionais (agentes conscientes e inconscientes) para difundirem ideologias, “valores” e conceitos subjetivos, imprecisos ou sem base na verdade concreta e objetiva. Tudo para moldar a sociedade dentro do pensamento globalitário da Nova Ordem Mundial – sob comando da Oligarquia Financeira Transnacional.

Em uma sociedade com Educação precária, ou que não ensina o sujeito a pensar, o terreno fica escancarado para a midiotização em massa. Isto é, o uso da mídia para formar idiotas coletivos. Eis a socialização da Imbecilidade. O certo vira errado, e o errado vira certo. A confusão conceitual torna inviável a democracia.

Solução

Precisamos trabalhar pela verdadeira Democracia, sabendo que nem tudo o que se enfrenta pode ser modificado. Mas sabendo que nada pode ser modificado até que seja enfrentado. Este é o espírito do lema “Brasil Acima de Tudo”, forjado pelos pára-quedistas brasileiros, que acreditam e lutam pela vitória e pelo sucesso, em cada salto.

Temos de identificar e anular os verdadeiros adversários de nosso pleno desenvolvimento e progresso como nação livre, soberana e autodeterminada. Para isso, temos de romper com os esquemas do crime organizado.

Ter amor, fé e esperança no renascimento brasileiro é fundamental. O foco é na solução – não no problema.

O desafio só depende de cada um de nós, cidadãos de bem. Em quem tem amor ao Brasil e ocupa espaços no poder não tem direito de se omitir e ficar conivente com a máquina do crime.

Lembre-se: Quem não reage rasteja... E como bem cantava Noel Rosa, a araruta também tem seu dia de mingau...

Por isso, faxina de fachada não vale. Ou limpamos de verdade, ou vamos para o saco de lixo da História.

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


© Jorge Serrão 2006-2011. Edição do Blog Alerta Total de 11 de Agosto de 2011. A transcrição ou copia deste texto é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

14 comentários:

Ronald disse...

Boa tarde Jorge,

SENSACIONAL.
ESTE POST DEVERIA SER PUBLICADO EM TODOS OS GRANDES JORNAIS DO PAÍS, QUEM SABE ASSIM O POVO SERIA INFORMADO DA VERDADEIRA BANDALHEIRAQUE IMPERA NO GOVERNO IMUNDO PTRALHA.
PARABÉNS.
VOU REPASSAR PARA TODA MINHA LISTA DE CONTATO.
ABRAÇOS

Anônimo disse...

Este seu post è uma maravilha de patriotismo. Dá ânimo!

Para quando o dilma e a Veja fazem faxina nos ministerios que o PT domina? E nos ministérios da base aliada, a faxina terminou, por quê? Por que razão a PF levou um apertão da terrorista?

Anônimo disse...

De novo dilma na televisão tentando fazer lavagem cerebral com discurso profundamente demagogico!

Mas hoje voltou a ter seu tempo de antena, tal como o louco lulla fazia todos dias! Somos governados por outro doente. Até ao final do mandato vai continuar botando falatório inócuo diariamente na televisão? Não chegam os impostos?

Anônimo disse...

Sabemos que os EUA, aliás, a Nova Ordem Mundial vai deixar que o US$ dólar quebre para lançarem nova moeda mundial, talvez a moeda chinesa, talvez uma única moeda, desaparecendo também o Euro. Já tem fotos da nova moeda em um conceituado Blog investigativo.

Porém, hoje a terrorista de modo escabroso e incompetente, sorridente, afirmou que as nossas reservas cambiais eram de US$ 350 bilhões!! Loucura, sabendo que o dólar EUA está quebrando, desaparecendo em breve? Por que não investimos os US$ 350 bilhões em ouro e prata? Um bem sólido, como todo mundo está fazendo? Com que ficamos quando o dólar americano desaparecer? Ar?

Que leva a dilma ajudar uma economia americana em colapso, prejudicando seriamente por outro lado a nossa economia, quando a nossa divida interna está chegando aos R$ 2,5 trilhões de reais, comprometendo quase 50% do nosso PIB que se apóia praticamente nos royalties, ou seja, na matéria prima diversificada?

Nossas indústrias quebraram com a hiper supervalorização artificial do real, impedindo as nossas exportações, mas abrindo o nosso mercado à "economia de mercado" chinês como assinou o traidor lulla! Nossas matérias primas estão sendo saqueadas pela China e o Nióbio pelo London Metal Exchange sob supervisão dos Rothschild.

dilma não mexe uma palha para evitar o colapso da nossa economia, mas, no entanto sabe fazer diariamente discursos demagógicos nas televisões, dizendo que nossa economia voa em céu de brigadeiro e para consumirmos mais que isso salva a nossa economia!

Pode?

Já agora, se há tanto dinheiro para que os milicos (Braço Forte, Masturbação Amiga) e jobim fizessem os Jogos Militares Mundiais com custo superior de R$ 1,2 bilhões, se há dinheiro para Copas e Mundiais, para trem-bala e outros crimes contra o bem estar dos brasileiros, por que razão não há dinheiro para que o SUS pague as dividas que tem, não se recuperam hospitais, estradas, ferrovias, dragagem de portos marítimos e fluviais, rancho para os soldados, aumento salarial dos soldados, sargentos e capitães e se desçam os impostos exorbitantes que pagamos?

Anônimo disse...

1 Viva Zumbi! Viva Dilma e Che!Viva Hugo Chávez!
Conscientização!Justiça !Prosperidade! Solidariedade!
Fraternidade!Amor! Paz! Socialismo Quilombolivariano!
Ao Nosso Povo! Viva Brasil! Venceremos .
Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada à elite mundial, é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criaram-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo este afro-ameríndio descendente vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosas quantos as do 1º Mundo. É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc.

Anônimo disse...

2 Revolução
QuilombolivarianaManifesto em
Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direitos e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder Zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construídor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar as histórias dos nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Oswaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam. Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Argentina, Boliviana, Peruana, Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma, não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução
Quilombolivariana e bradaram Vivas! a Simon Bolívar Viva! Zumbi!Tupac Amaru!Benkos BiojoS!Negra Hipólita! Sepé Tiaraju Alicutan!Sabino! Elesbão!Luis Gama,Lima Barreto,Cosme Bento! José Leonardo Chirinos !Antônio Ruiz,El Falucho! João Grande e Pajeú ,João Candido! Almirante Negro!Patrice Lumumba!Viva Che! Viva Martin Luther King!Malcolm X!Viva Oswaldão Viva! Mandela Viva!Luiz I.Lula da Silva, Viva! Chávez, Vivas! a Evo Ayma!Rafael Correa! Fernando Lugo!José Mujica(El Pepe)! Viva! a União dos Povos Latinos afro-ameríndios,! 1º de maio,
Viva Dilma!Os Trabalhadores do Brasil e de todos os povos irmanados.
Movimento Revolucionário Socialista (Seja um,uma) QUILOMBOLIVARIANO
O maior blog de Chávez e Chavista das Américas
vivachavezviva.blogspot.com
quilombonnq@bol.com.br
Organização Negra Nacional Quilombo
O.N.N.Q. Brasil .Fundação 20/11/1970
Por Secretário Geral Antonio Jesus Silva

Anônimo disse...

Puxa vida! Este acordou agora e se julga na decada de 60! Tanto complexo de inferioridade e tanto rancor doentio!

"...resgatar as histórias dos nossos heróis mártires como Che Guevara.."??? Heroi esse assassino que liquidou inumeros cubanos com tiro na cabeça?

"Viva Zumbi! Viva Dilma e Che!Viva Hugo Chávez"! Tudo no mesmo saco? Essa gostei!

" o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano" Calma aí, vocês recebem todo o tipo de subsidios e não querem trabalhar com carteira assinada para não perderem esses subsidios, mas apenas querem fazer bicos descansarem à sombra de uma palmeira e beberem pinga.

"100 milhões de brasileiros sendo este afro-ameríndio descendente vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza"! Mas dilma afirmou duas vezes há menos de um mês que conseguiu tirar da pobreza 40 milhões de brasileiros e que o restantes 10 milhões sairiam brevemente também da pobreza. Agora vem este louco e racista dizer que são 100 milhões de brasileiros na pobreza? Em que ficamos?

Jorge, já tenho lido de tudo, mas o texto deste bolivariano internacionalista (pleonasmo), è obra de um desiquilibrado mental!

Concretamente o que pretende esse louco? Ele è brasileiro? Duvido! Pertençe à 5ª Coluna ou internacional cubana? Só pode! Sua escrita sem paragrafos cansa! Aprendeu a falar com lulla? Top -top garcia? Com dilma? è ódio demais. Deveria ir a um psiquiatra, pois fazer de che guevara, o "porco" um heroi, só pode estar demente!

Onde está a democracia deste cabra? Numa AK 47?

Anônimo disse...

Serrão,

Em princípio, aplaudo, de pé, o teu belo ensaio!!

À solução, que apontas ao final do mesmo, faço somar meu comentário, que intitulei "AS VACAS DO PRESÉPIO", cujo texto, dividido em duas postagens (por limitação de espaço), inicia-se a seguir:

AS VACAS DO PRESÉPIO

A permissividade do povo brasileiro já vem de longa data. Somos fruto de uma intensa miscigenação entre povos de diversa formação sócio-cultural. Na origem do Brasil o índio já habitava a nossa terra muito tempo antes da chegada dos portugueses. Estes, que a princípio pensavam que sozinhos poderiam explorar as terras descobertas, logo compreenderam que seria uma tarefa impossível. Então “importaram” os negros africanos, que aqui foram escravizados.

Ao mesmo tempo, com a divulgação da descoberta feita por Portugal, começaram a chegar outros europeus, que vieram movidos pela ambição de tirar partido das novas e ricas terras. Invadiram e, por longo tempo, exploraram, e fixaram a sua cultura nos locais onde se estabeleceram. Também aqui se miscigenaram e deixaram descendentes.

Em paralelo aos acontecimentos, vieram para o Brasil aqueles que cometiam crimes variados lá nos seus países e eram para cá deportados. Estes, tanto quanto os negros, também vieram contrariados. Mas sentiram que este lugar lhes oferecia “vida-mansa”, e “se deram bem”. E gostaram tanto que foram ficando, ficando, e resolveram ficar definitivamente aqui. Integraram-se na nova sociedade nascente. E nela influenciaram seus princípios.

Os portugueses, por sua vez, também observaram que aqui era mais fácil para “forrar o bolso”. Arrumaram mulheres negras escravas e índias, e geraram descendência.

Com esta origem qualquer sociedade fica permissiva, tolerante. E assim chegamos até hoje: permissivos, tolerantes e passivos. Somos um povo tão passivo que estamos “anestesiados” diante dos acontecimentos políticos delituosos, que nos deixam ridicularizados aos olhos do mundo, bem como a delinquência instalada exatamente no seio e na cúpula do “poder” que deveria coibir qualquer patifaria... o poder “judiciário”!! Nosso povo não esboça qualquer reação, como reagiriam outros povos.

Parece que os limites da decência e da falta de caráter não são existentes em nosso País. Mas nada se pode fazer, visto que a nossa formação sócio-cultural nos leva quase a compactuar com todos os fatos. Aqui até há um mote: “tudo acaba em pizza!”

Isto reflete bem a impassibilidade do brasileiro. E em cada nova eleição repetimos os mesmos erros. Até cultuamos aqueles que rotulamos de “rouba mas faz!”. Égua!!! É de “doer”!!!

CONTINUA NA PRÓXIMA POSTAGEM

Anônimo disse...

CONTINUAÇÃO DA PRIMEIRA POSTAGEM (AS VACAS DE PRESÉPIO)

Para mudarmos precisamos fazer uma reflexão honesta. Cada um de nós precisa aceitar que procedemos com uma indecente associação interativa entre os corruptos e as suas vítimas, em uma união singular, onde todos visam apenas vantagens pessoais. Na busca do poder, invertemos os valores e lutamos para conseguir os meios de obter poder, não nos importa a que preço, já que “tudo acaba em pizza”, mesmo.

Atitudes como tais acontecem tanto nos políticos da “situação” como nos de “oposição”, não há nenhuma diferença. São “farinha do mesmo saco”! Esta conduta nefanda foi ficando disseminada no País onde as polícias (às vezes!) prendem e a “justiça” solta. Principalmente se o preso for ligado a ela mesma. E neste caso ela solta logo, no mesmo dia!!!

A sociedade brasileira não cobra a apuração imparcial das safadezas que cometem os “figurões” de qualquer dos três “poderes da república”. Fica impassível e aceita até como normal o convívio com os delinquentes das “altas esferas”. E ainda os endeusam e os elegem, e reelegem!!! E assim, a pouco e pouco, ou melhor, a muito e muito o País vai sendo saqueado. O brasileiro esquece-se que o País é constituído de seus cidadãos, portanto, quem vai sendo saqueada é a própria sociedade brasileira.

Somos vítimas de nós mesmos, pois no Brasil aprendemos desde a mais tenra idade a procurar “tirar vantagem” sobre os outros em tudo. Vamos disseminando a cultura da falta de ética, da falta de cidadania. Como tudo tem um preço, também pagamos o preço deste nosso procedimento. Uma das facetas do preço que pagamos é vermos uma enorme quantidade de nossos concidadãos receber com avidez, em enormes filas, a “bolsa-esmola”....ops!!! digo, a “bolsa-família”. Ainda há os que recebem pelo prazer de julgar estar recebendo uma “vantagem”. E como paga do “favor” todos depositam os votos da forma que lhes for orientada. Criamos um círculo vicioso de difícil equação. Nos transformamos em “vacas de presépio”, atrelados ao que transformamos o nosso País, onde a ética há muito se acabou.

A nossa mídia também tem a sua parcela de culpa. Afinal, ela costuma trabalhar para quem melhor lhe paga e beneficia os seus interesses. Tudo funciona como uma máquina bem azeitada, onde o óleo é o dinheiro. Além de a verdade ser escamoteada, segundo o que for “conveniente” aos patrocinadores — e a mídia tem meios de chegar à verdade —, também não temos programas que agreguem cultura aos brasileiros. A mídia parece que tem o interessante prazer de nos idiotizar cada vez mais, os “realty-shows” que o digam! E os eleitores vão caminhando como “burros no cabresto”, muitos deles ainda analfabetos decidem pelo que vêem na TV.

A inversão de valores nos faz distanciarmo-nos do nosso próprio “eu” interior e agredir nossos códigos morais. Como dizia o filósofo Sócrates com muita propriedade: “Devemos buscar em nós mesmos a manifestação da nossa vontade de mudança.”, porém, antes, devemos vivenciar plenamente os nossos princípios éticos, sem condescender.

Acooordaaa Braaasiiilll!!!

Com um fraterno abraço deste teu amigo amazônida,

Roberto Santiago

Anônimo disse...

dilma ordenou à PF que a informe de qualquer operação antes de ser efetuada!

Como pode? Temos aí a DITADURA dos corruptos!

Coronel Humberto Pinto disse...

Ilustre Jornalista
JORGE SERRÃO

O Estado Brasileiro está se desmilinguindo...

Marilda Oliveira disse...

Serrão, o ex-presidente Lula entregou o Brasil nas mãos dos sionistas para fazer parte do plano da Nova Ordem Mundial e conseguir seus privilégios pelo mundo.
O Brasil saiu do buraco rápido... David Rockfeller com total interesse no Brasil comprou fazendas no Mato Grosso, sua filha fazendo trabalhos filantrópicos nas favelas do RJ? Lula com isso está obtendo mais destaque em todo o mundo do que mesmo o presidente americano Barack Obama. Lula conseguiu ter fotos entre os maiores líderes mundiais e inclusive ao lado da rainha Elisabeth. Lula traiu o seu povo mostrando que é satânico e impatriota.
Veja no link abaixo maiores detalhes:
http://youtu.be/ITjo-ohTnXg
http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-o-poder-executivo-mundial-mega-post
Saudações,

euclides disse...

Já disse que os canalhas do pt. não perde por esperar êle lula dilma vão receber um castigo que o povo não vai ter nojo de ouvir falar o nomes dele.

Anônimo disse...

quem não sabe que este pt é inimigo do brasil é a turma que recebe bolsa votos,ficam na miséria e acha bom.são maiorias vagabundos que não querem trabalhar.