segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Combate à corrupção: Ministério dos Transportes, Câmara de Gestão e Petrobras

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Vinhosa

É impossível negar que – no que se refere ao combate à corrupção – a soma dos dois fatos a seguir mencionados passou a interligar umbilicalmente o Ministério dos Transportes, a Câmara de Gestão e a Petrobras.

O primeiro fato é a anunciada atuação, no Ministério dos Transportes, da Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade – entidade criada pela presidente Dilma Rousseff para, entre outras coisas, propor a modernização dos métodos de licitação e do processo de transparência como forma de combater a corrupção.

O segundo fato refere-se às duas funções acumuladas pelo empresário Jorge Gerdau Johannpeter: presidente da Câmara de Gestão e conselheiro do Conselho de Administração da Petrobras (onde representa os Acionistas Detentores de Ações Preferenciais).

Na matéria “Câmara de Gestão vai focar em transparência nos Transportes”, publicada no jornal O Globo de 20 de agosto de 2011, o presidente da Câmara de Gestão afirmou que, tanto no Ministério dos Transportes, como no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), deverão ser modernizados os métodos de licitação e o processo de transparência como forma de combater a corrupção.

Ao salientar que a transparência e a melhoria da gestão reduzem as possibilidades de desvios, Gerdau foi enfático: “Nossa função é trabalhar metodologia e desenho de processos que dão transparência e informações tais que as possibilidades de coisas erradas diminuem enormemente ,,, Com a sistemática de transparência e de forma absolutamente pública, a possibilidade de corrupção se reduz enormemente”.

Considerando o grande valor dado pelo presidente da Câmara de Gestão à transparência no combate à corrupção, vejamos a seguir as ações (ou falta de) do mesmo Gerdau, conselheiro do Conselho de Administração da Petrobras, no caso da empresa Gemini – espúria sociedade por meio da qual a Petrobras entregou o cartório de gás natural liquefeito (GNL) a uma empresa privada.

Devo declarar que, pelo fato de nunca ter visto uma manifestação de Gerdau sobre a Gemini, não sei o quanto ele conhece do assunto.

Devo declarar, também, que não sei qual das duas situações é mais preocupante: 1 – Gerdau encontra-se a par do caso Gemini, e evita se manifestar a respeito, agredindo a tão decantada transparência; 2 – Gerdau não tem conhecimento do autêntico crime de lesa-pátria cometido ao ser constituída a sociedade Gemini, e do risco que continua correndo os cofres da Petrobras, no dia a dia, por causa das operações da mesma sociedade.

É de se destacar, no entanto, que os termos da carta DG&E n° 75/2010, a mim encaminhada pela diretora de Gás&Energia da Petrobras, Maria das Graças Foster, permitem inferir que o conselheiro Gerdau, assim como os outros integrantes do Conselho de Administração, sabe muito a respeito da Gemini.

Em sua carta, datada de 2 de dezembro de 2010, a diretora Foster informou-me que o contido na carta que eu encaminhei ao conselheiro Gabrielli em 26 de fevereiro de 2010 era mera repetição de fatos relatados desde 2004, fatos esses já esclarecidos.

Além disso, afastando-se muito da verdade, citada diretora declarou-me categoricamente que “todos os esclarecimentos sobre o assunto lhe foram exaustivamente prestados, não restando mais nada a ser acrescentado”. Isso é uma afirmativa absolutamente falsa, o que torna ainda mais evidente a existência de forte tráfico de influência para blindar os atos lesivos ao interesse público nas operações da Gemini.

A propósito, da citada carta por mim encaminhada ao conselheiro Gabrielli (e a diversos outros conselheiros), transcrevo os seguintes trechos:

“Por meio de cartas protocoladas na Presidência da República e na sede da Petrobras, em diversas oportunidades, denunciei à presidente desse Conselho, ministra Dilma Rousseff, o autêntico crime de lesa-pátria praticado pela Petrobras, ao se associar a um grupo norte-americano constituindo a empresa Gemini...não sei se a ministra Dilma deu ciência aos integrantes do Conselho do teor das acusações a ela formalmente encaminhadas contra a sociedade; o que sei, Excelência, é que o silêncio de referido Conselho diante das acusações contra a Gemini o torna co-responsável pelos atos lesivos ao interesse nacional relativos à sociedade... Ressalto que anexei à presente carta três documentos: os dois artigos cujos endereços eletrônicos estão indicados ao final (“Dilma, ó Dilma, onde estás que não respondes?” e “E o dinheiro público, para onde vai?”) e a cópia do documento “Dossiê Gemini: Maio de 2009”.

A constatação da preocupante realidade acima descrita sugere as seguintes perguntas: 1 – dá para acreditar em transparência ao mesmo tempo em que se forma uma inexpugnável rede de cumplicidade para blindar a Gemini? 2 – o conselheiro Gerdau, defensor intransigente da transparência, quer que eu mostre onde está o ralo (deixado no Acordo de Quotistas da Gemini) que permite superfaturar contra a Petrobras de maneira contratualmente correta? 3 – Gerdau sabe por que Dilma é chamada “Mãe da Gemini”?

Por fim, uma analogia para alertar alguns incautos adeptos da faxina que não inclui a Petrobras (especificamente, a Gemini). Todos se lembram do apoio inicial dado por favelados a milicianos que faziam uma faxina no tráfico de drogas na comunidade. Todos se lembram, também, que, pouco tempo depois, esses milicianos “faxineiros” se tornaram mais danosos para a comunidade que os próprios traficantes por eles expulsos.

João Vinhosa é Engenheiro.

7 comentários:

Anônimo disse...

Solução de emergência
para a presente Crise de Colapso Global

A seguinte declaração foi divulgada por Lyndon LaRouche, Helga Zepp-LaRouche e Jacques Cheminade o 8 de agosto de 2011.

O sistema financeiro mundial já entrou em colapso, e enquanto o centro do colapso está na região trans-Atlântica, não há nenhuma região do mundo que esteja imune à desintegração em curso.
Uma mudança política radical é a única forma de evitar um colapso total da civilização, colapso iniciado na região trans-atlântica, que irá conduzir a uma redução da população mundial para menos de dois bilhões de pessoas num espaço de tempo muito curto.

Não há mais qualquer distinção entre a desintegração do sistema financeiro e monetário europeu e a falência total dos bancos "grandes demais para falir" de Wall Street. Uma estimativa modesta indica que os Seis Grandes Bancos de Wall Street estão expostos a US $ 1,5 trilhões só em dívida espanhola e italiana , boa parte sem valor. Na semana passada, quando os empréstimos interbancários europeus congelaram, foi o Federal Reserve dos EUA, que abriu uma janela de emergência. O Presidente Obama comprometeu-se com a chanceler alemã, Angela Merkel, que os Estados Unidos será o fiador de última instância para a União Europeia Monetária.

Esta promessa do presidente Obama não só é inconstitucional e um ato de traição virtual contra o povo dos Estados Unidos. É uma promessa para uma hiperinflação ao estilo de Weimar, mas desta vez, em uma escala global. Tais esquemas de resgate hiperinflacionário poderão talvez prolongar a vida do atual sistema falido por mais algumas semanas, mas o preço será um desastre muito mais dramático para o caos social geral e consequente ditadura.

Há soluções, mesmo neste momento final. Estas soluções têm sido repetidamente enunciadas pelo economista norte-americano de renome, Lyndon LaRouche, durante anos. No entanto, nenhuma dessas soluções, que deveriam começar nos Estados Unidos, pode ser possivelmente implementada a tempo, a menos que o Presidente Barack Obama seja imediatamente afastado do cargo por meios constitucionais.

O Presidente Obama tem rasgado a Constituição, repetidamente. Mais recentemente, a guerra da Líbia foi lançada sem autorização do Congresso, uma flagrante violação do artigo I, secção 8 da Constituição dos EUA. A sua negociata do "Super-Congresso” é uma violação ainda mais flagrante da Constituição, que dá autoridade exclusiva para iniciar política fiscal e de dívida para a Câmara dos Representantes.
Os abusos inconstitucionais do Presidente são bem conhecidos. Pelo menos dois candidatos presidenciais - Jon Huntsman e Ron Paul - têm claramente definido seus crimes que implicam um impeachment. Dezenas de membros do Congresso e demócratas progressistas fizeram declarações semelhantes, inclusive membros proeminentes da comunidade afro-americana. É transparente que o presidente tenha se envolvido em crimes de alta traição contra a Constituição, que exigem a sua imediata remoção do cargo - antes que seja tarde demais.

Anônimo disse...

cont.

Os líderes da União Europeia da mesma forma violam as suas próprias Constituições nacionais na promoção do resgate ilegal dos grandes bancos, enquanto o Banco Central Europeu viola seus princípios fundadores ao comprar a dívida dos Estados soberanos aos bancos e às companhias de seguros em falencia tecnica, que são proprietários desta dívida. O Fundo Europeu de Estabilidade Financeira, que agora realiza os empréstimos para os estados também em falência técnica vai ser autorizado a também comprar títulos do Estado no mercado secundário. Este dinheiro de confetti não é somente contra a lei, mas ao agir como os falsificadores, os Chefes de Estado Europeus conduzem a Europa a uma hiperinflação estilo Weimar. Tal como Barack Obama, agora merecem ser afastados do cargo por alta traição de acordo com os princípios e procedimentos relativos a seus respectivos Estados. A infame troika constituida pela Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional, está impondo uma austeridade sem precedentes sobre os Estados soberanos com a cumplicidade ativa do Presidente francês e da Chanceler alemã.
Todos devem ser imediatamente impedidos de destruir as economias e os povos da Europa.


Em poucas horas depois da remoção do presidente Obama do cargo —por meio de impeachment ou renúncia, ou através da invocação da Emenda 25, Secção 4, proporcionando os procedimentos para a remoção de um presidente do cargo, se ele não está mais fisicamente ou mentalmente competente para servir— o Congresso poderia reunir para aprovar uma legislação restabelecendo a separação Glass-Steagall dos bancos comerciais dos setores de corretagem e seguros.
Tal projeto de lei já foi introduzida no Congresso por Marcy Kaptur na forma da "H.R. 1489" e já tem um apoio significativo a nível bipartidário. Um mínimo de US $ 17 trilhões em dívidas de jogo de Wall Street, impingida aos contribuintes norteamericanos, seria, portanto, cobrada de volta. Com as dívidas de jogo removida do livros do governo federal, o Congresso poderia imediatamente proceder ao envio de crédito para projetos de infraestrutura Federal vitalmente necessários, como a Aliança Norteamericana para Água e Energia (NAWAPA), que imediatamente criará milhões de empregos produtivos.
A América pode iniciar um processo de recuperação da economia física, estabelecendo um padrão de ação semelhante na Europa Ocidental.

A região trans-atlântica pode reverter o colapso de outro modo irreversível para uma nova idade das trevas, mas apenas se tomar essas medidas. O primeiro passo inevitável é a remoção do presidente Obama do cargo, nos dias imediatos à frente. A esmagadora maioria dos cidadãos norte-americanos estão exigindo essa ação, já.

A vasta maioria dos cidadãos das nações da Europa Ocidental estão exigindo as mesmas coisas, e estão pedindo uma mudança na liderança.

Agora é a hora de agir.


http://www.larouchepac.com/

Rinaldo disse...

O Jorge Gerdau, ao contrário do que podem pensar, sabe de tudo e com certeza vai ter a sua "participação". Esse senhor é fundador do cartel do aço; nunca produziu um único prego sem dinheiro público envolvido. Tem interesse em tudo que tiver dineiro público investido; por fim, não passa de um criminoso.

Anônimo disse...

O caso da Gemini foi um crime lesa Patria, crime de alta traição, enfim, um ato terrorista contra o Brasil feito pela dilma.

Terrorista é sempre terrorista, ainda mais quando ela trabalha a favor da Nova ordem Mundial, da Oligarquia Financeira Transnacional e da 5ª coluna internacional, desarmando cada vez mais as nossas FA repleta de parasitas melancias.

Basta vez a cupula do ministerio da defesa: amorim e genoino!!!

Anônimo disse...

Por quê dilma está protegendo a corrupta ideli salvatti e esta por sua vez protegendo um notório corrupto o engenheiro joão josé dos santos, desde 2003 superintendente do DNIT de Santa Catarina?

http://brasilacimadetudo.lpchat.com/index.php?option=com_content&task=view&id=11126&Itemid=141

Anônimo disse...

Sr. Rinaldo.

Bem lembrado a questão do uso do $$$ público na produção de aço. Tomo a liberdade de acrescentar que, além disso, esse é um empresário "acima da média", pois, paga muito pouco imposto...

Não é de admirar que as empresas dele possuem lucros exorbitatantes...

Anônimo disse...

O município de Colombo, região metropolitana de Curitiba, recebe, durante o próximo sábado, das 8h30 às 17h, um curso de formação política do movimento “O Sul é Meu País”. O encontro acontece na rua Orlando Ceccon, no bairro São João. O movimento prega a criação de uma federação independente contanto apenas com os estados sulistas: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Segundo o presidente da entidade, Celso Duecher, o movimento não é apenas separatista. “O que queremos é criar uma federação na qual os estados do Sul sejam independentes, não com o poder centralizado em Brasília. Um passo final seria a separação, mas o mais importante é fazer um debate político para que ajude no desenvolvimento da região, é isso que queremos”, destacou em entrevista à Banda B, na tarde desta segunda-feira (22).


http://www.patria-sulista.org. Já para se inscrever no evento, basta entrar em contato no email gesul@live.com