quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Esquizofrenia Generalizada

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Marcos Coimbra

Vivemos dias tempestuosos nos tempos atuais, nunca dantes imaginados. A esquizofrenia caracteriza-se quando comportamentos abertamente desviantes se manifestam em um sistema. O que é válido para qualquer conjunto, seja ele um indivíduo, um país ou o mundo.

Na área internacional, persistem episódios dantescos, abrindo sérios precedentes, capazes de ameaçar todos os países. Virou moda o ataque dos modernos corsários a países detentores de matérias primas, em especial petróleo ou outros recursos naturais escassos nas nações agressoras e até mesmo daqueles passíveis de abrigar portos ou dutos de interesse estratégico. Primeiro o Iraque, sob o pretexto de possuir armas de destruição em massa, até agora não encontrados. Simultaneamente, Afeganistão e Paquistão. A imprensa noticia que foi eliminado aquele que seria o líder da principal organização terrorista mundial e seu corpo é jogado no mar, sem transparência. Acredite quem quiser. É evidente que versões, as mais fantasiosas imaginadas, pululam na Internet. A verdade, como sempre, é a grande vítima.

Continua a agressão à Líbia, sob a desculpa de proteção à população civil, enquanto os bombardeios da OTAN massacram indiscriminadamente centenas de inocentes. De onde surgiram as “forças rebeldes”, com armamento e munição farta, em um regime dito tirânico? Foram fornecidas pela Internet? Os recursos de um país soberano aplicados nas nações mais ricas são confiscados e sua utilização transferida para os “rebeldes”. Hoje é a Líbia. Amanhã poderá ser qualquer outro país, inclusive o nosso Brasil.

A bola da vez parece ser a Síria. De novo, a estória de que um feroz ditador está atacando com armas de guerra a população civil. O Tribunal Penal Internacional entra em campo outra vez denunciando Khadafi, Assad e outros. Por outro lado, surge a denúncia contra o ex-presidente Bush, acusado também de crimes contra a humanidade. Virou moda. Quem sabe amanhã também será acusado até o detentor do Nobel da Paz Obama? Afinal, as guerras de “libertação” continuadas e/ou empreendidas por ele estão provocando centenas de mortes e milhares de feridos.

No campo econômico persiste o impensável. O rebaixamento da nota de crédito soberano dos EUA pela agência de risco Standard & Poors para AA+, agravada pela fraqueza de quem deveria ser o homem mais poderoso do mundo. Até quando o mundo aceitará o dólar como moeda padrão, sem qualquer lastro? É uma situação insustentável no médio prazo. Que venha o bancor de Keynes! Na zona do euro reina a desconfiança. Bilhões de euros e dólares são “doados” aos grandes e verdadeiros responsáveis pela crise mundial, em detrimento da classe trabalhadora de seus respectivos países.

A indignação se alastra por toda a Europa, pois direitos adquiridos estão sendo atingidos. Até aposentadorias e pensões, além, é óbvio, da eliminação de oportunidades de trabalho. As taxas de desemprego atingem valores absurdos principalmente nos mais jovens. Enquanto isto os “donos do mundo” e seus agentes permanecem acumulando riquezas imorais. Até o insuspeito bilionário Warren Buffett brada: “Parem de mimar os super-ricos.” Será que os detentores do poder político ainda não tiveram a sensibilidade de perceber que estão criando as condições para uma revolta sem precedentes em seus respectivos países?

Em Pindorama, este quadro é agravado. Não existem recursos para aplicação na infra-estrutura econômico-social (saúde, educação, segurança, energia, transportes, comunicações, ciência e tecnologia), mas aparecem milagrosamente em obras ou empreendimentos faraônicos como Olimpíadas, Copa do Mundo, “trem-bala” (no mínimo, 50 bilhões de reais) etc. Parece que as necessidades coletivas e básicas do povo brasileiro já foram atendidas e agora é hora do circo. A corrupção alcança patamares de pandemia. É difícil achar um órgão, nas três esferas de administração, capaz de passar incólume por uma devassa.

Políticos oportunistas propõem a criação de novos Estados. Ora, a experiência mostra o erro trágico de permitir o surgimento de milhares de municípios sem a menor condição de autonomia econômico-financeira. Vivem das transferências recebidas da União e dos Estados. Somente poderia ser estudada a possibilidade de criação de novos entes federativos com a condição de serem auto-suficientes, sem necessidade de recebimento de um centavo oriundo de transferências.

A União possui mais de 20.000 cargos de nomeação política para manter a “coalizão presidencialista”, fora os demais atrativos. Imaginem o número adicional de cargos de governadores, senadores, deputados federais e estaduais, conselheiros de contas e suas respectivas e inúmeras assessorias. Enquanto isto a presidente Dilma tem a coragem de vetar o aumento real já acertado para os aposentados com valores acima de um salário mínimo. É o paroxismo da crueldade e da prepotência.

A FIESP publica um anúncio monumental informando que se o governo leiloar todas as concessões que vencerão dentro de quatro anos, o preço médio da energia cobrada pelas hidrelétricas poderá cair dos atuais R$ 90,98 por megawatt-hora (MWh) para R$ 20,69 MWh. Isso porque os investimentos feitos para construir as usinas já foram amortizados, permitindo uma forte redução do preço da eletricidade produzida. Segundo a FIESP, as tarifas poderiam cair até 20% com os leilões. E agora?

Marcos Coimbra é Membro do Conselho Diretor do CEBRES, Titular da Academia Brasileira de Defesa e da Academia Nacional de Economia e Autor do livro Brasil Soberano. Correio eletrônico: mcoimbra@antares.com.br - Página: www.brasilsoberano.com.br

2 comentários:

José de Araújo Madeiro disse...

Marcos Coimbra,

Repassando este comentário feito em matéria do Reinaldo Azevedo, da Veja, também enviado ao Senador para o Senador Álvaro Dias:

Não se trata simplesmente de fazer oposição.

As ações do Lula são sempre maquiavélicas e como tais nos causam arrepios. Falta-lhe ética em tudo, particularmente para conduzir o dinheiro público e que deve ser revertido em benefícios do próprio povo e em respeito a todos outros que pagamos nossos impostos.

Que torna os poderes públicos na famosa ¨Casa de Noca¨.

Assim uma verdade se evidencia, cristalina e irrefutável para pessoas mais esclarecidas e que desejam o melhor para o país e para todos nós, como um povo, fruto da honestidade na gestão pública.

Lula tal como outros politiqueiros da era contemporânea não tem modéstia nas palavras, como um boquirroto locaz e no plágio do gramscismo, emitindo um palavrório enganador e mistificador, treinado entre áulicos de botequins e utupistas ultrapassados, simplesmente para enganar às massas pouco instruídas, mas sôfregas de conquistas fácies.

Então sempre agindo de má-fé e em busca de fortunas ilícitas, age sempre de forma desonesta, certamente sempre perniciosa à nação brasileira, sempre manutedora das suas orgias. Por onde passa, o Lula sempre obsceno, sempre revelado como um insulto à verdade e aos homens de bem deste país.

A sensatez nos indica que sendo um ente soberbamente desonesto e no seu propósito de sempre deformar à nação brasileira para o seu estilo de viver, sintonizada com seus ditames e sua arte de fazer política de baixo nível. E, assim sendo, é imprescindível que nós o façamos resistência, tendo firmeza na nossa oposição para que nossos impostos não continuem sendo evaporados pelos esgoto.

Att., Madeiro

Anônimo disse...

EU ACRESCENTARIA TB AI A ANOMIA SOCIAL ... ABS