terça-feira, 16 de agosto de 2011

Lula Transnacional

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão

Parece ser mesmo verdade aquele papo de consultor de marketing que usa e abusa do I Ching para afirmar que crise (wei-ji) é uma palavrinha que carrega em si os significados de “perigo” e “oportunidade”. Quem pode tirar uma onda com tal palavrório, hoje, é a Petrobrás. Graças à alta de 44% no preço do barril de petróleo e à valorização irreal do Real frente ao dólar, no primeiro semestre deste ano, nossa estatal (de economia-mista) viu seu lucro líquido chegar R$ 21 bilhões 928 milhões.

Enquanto a Petrobrás fatura alto, nós, os consumidores otários, pagamos caríssimo pela gasolina de péssima qualidade por ela distribuída. Azar nosso! Bom para os acionistas, principalmente o governo, que é o maior deles. Maravilha para os produtores culturais brasileiros, já que a Petrobrás, via leis de incentivo à cultura, é uma das empresas que mais investe em nosso modelinho estado-dependente de custeio da atividade cultural que a iniciativa privada não tem coragem e competência de empreender com recursos próprios.

Só o ganho financeiro da Petrobrás, em seis meses, foi de R$ 4,9 bilhões. Houve um aumento do lucro líquido de 37% na comparação com o primeiro semestre de 2010. A produção total de petróleo e gás subiu 2% em relação ao semestre do ano passado, alcançando a média de 2 milhões e 613 mil boed. De janeiro a julho deste ano, também ocorreu um crescimento de 9% no volume de vendas de derivados no mercado interno.

O bom desempenho permitiu a Divulgação do novo Plano de Negócios 2011-2015, com investimentos totalizando US$ 224,7 bilhões (R$ 389 bilhões). A Agência de classificação de risco Moody´s elevou a nota (rating) da Petrobrás de BAA1 para A3. O cenário de lucratividade deixa tudo prontinho para a Presidenta Dilma Rousseff ter a chance de emplacar sua amiga Maria das Graças Foster na presidência da Petrobrás.

Já que o mundo entra em crise, mas a Petrobrás parece que vai muito bem, vale destacar outra notícia maravilhosa. A petralhada acaba de montar sua nova “empresa” transnacional. Ela vai “levar o acúmulo de experiência que adquirimos para ajudar outros lugares”. Palavras do criador do novo negócio, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao formalizar ontem criação do Instituto Lula. A entidade tem como objetivo desenvolver projetos de cooperação e desenvolvimento com países da África e da América Latina.

Conhece-se uma empresa pela qualidade de seus sócios. O Instituto Lula nasce com 38 associados. Além do chefão, estão dois atuais ministros de Dilma: Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia) e Celso Amorim (Defesa). No time, outros sete ex-ministros da Era Extalinácio: Franklin Martins, Luiz Dulci, Marcio Thomaz Bastos, Miguel Jorge, Nilcéia Freire, Paulo Vannuchi e Walfrido Mares Guia. Outros associados são a mulher de Lula, Marisa Letícia, a assessora, Clara Ant, o presidente do PT, Rui Falcão, o presidente da CUT, Artur Henrique, o senador Lindbergh Farias, e as intelectuais Maria Victória Benevides e Marilena Chauí.

O presidente do Instituto Lula será o bom e velho Paulo Okamoto. Também será colaborador da entidade o advogado Roberto Teixeira, amigo de Lula. Estranhamente, o tesoureiro do PT, João Vaccari, participou ontem da reunião que formalizou o Instituto Lula, mas negou fazer parte do negócio. Outros desfalques na escalação inicial são de dois prósperos consultores empresariais: José Dirceu e Antônio Palocci. Quem sabe eles não entram no meio do jogo, para ajudar o companheiro Lula na captação de recursos privados...

Sim, porque a mais linda promessa sobre a criação do Instituto Lula é que a entidade NÃO vai usar recursos públicos em seu custeio. Paulo Okamotto anunciou ontem, para quem quiser acreditar: “A entidade irá se manter com contribuições de empresas que tenham sinergia com nossas propostas. Serão apenas recursos privados. Optamos por não formar Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) para deixar isso claro”.

Maravilha! A senha já está dada. Aquelas empresas que faturaram alto durante a gestão Extalinácio têm a obrigação quase moral de colaborar, a partir de agora, com a empreitada de Lula. Aliás, os sempre generosos empresários, muito gratos a Lula, já andam contratando ele para palestras com cachês de até R$ 300 mil reais, para justificar as andanças pelo Brasil ou pelo mundo afora. Bela maneira de retribuir favores. Preparem o bolso, senhores, porque o Instituto Lula vai precisar de muito dinheiro para cumprir sua nobre missão.

Realmente, a criação de mais uma transnacional tupiniquim é uma notícia maravilhosa em um mundo que entrar em perigosa crise. Vitória do craque Lula, um campeão em aproveitar boas oportunidades, desde os velhos tempos de sindicalista. Um sujeito com tamanha comPTência merece voltar à Presidência da República – de onde nem deveria ter saído, não fossem os invejosos que não lhe permitiram um terceiro mandato ou mais.

Pena que agora, com esta poderosa transnacional, a presidência parecerá peixe pequeno para ele, e corremos o risco de que não queira mais voltar ao trono planaltino.

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


© Jorge Serrão 2006-2011. Edição do Blog Alerta Total de 16 de Agosto de 2011. A transcrição ou copia deste texto é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

3 comentários:

Anônimo disse...

"e as intelectuais Maria Victória Benevides e Marilena Chauí"

Devem ser as intelectuais do analfabetismo...

Anônimo disse...

"Enquanto a Petrobrás fatura alto, nós, os consumidores otários, pagamos caríssimo pela gasolina de péssima qualidade por ela distribuída. Azar nosso!"

Espera aí! A PTrobras segue fielmente um lema usado por vigaristas: do petroleo, aliás, do grude, também se faz gasolina, mas não necessariamente!

O que nós consumidores pagamos como otários à força, è um sub-sub-sub-subproduto da gasolina, ao qual ainda è aditivada um ethanol de origem extremamente duvidosa, pois as usinas estão mais viradas para a produção e exportação do açucar!

Anônimo disse...

A Petrobrás está indo tão bem, realiza tanto lucro, mas suas ações desvalorisaram 37% nos últimos 36 meses. Mistério.