domingo, 2 de outubro de 2011

Apocalipse, Nostradamus e Lavagem Cerebral

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Arlindo Montenegro

O significado etimológico da palavra teocracia é “governo de Deus”, a realização do reino dos céus entre os homens, para o que Jesus recomendou orações ao Pai. Seria o governo ideal – democracia organizada, em harmonia com os princípios amorosos do evangelho. Mas, historicamente, as experiências conhecidas revelaram a usurpação do governo por uma casta sacerdotal, no exercício do poder político temporal despótico e distante da população.

Esta é a teocracia dos aiatolás, mas também tem seus fundamentos objetivos na ordem jesuítica adotada pelos comunistas da Onu, uma quimera recheada de imoralidade e desprezo à vida, ódio aos homens comuns que constroem a riqueza e obedecem às leis universais da natureza, que oferece a reprodução do trigo, do feijão e dos frutos, homens hoje considerados “bocas inúteis”, para os que esquecem que suas panças são alimentadas pelas mãos e suor dos que lidam com a terra, amando-a e agradecendo por cada nova safra.

Sem grandes variações, o que encontramos na história encarnando ideologias, religiões e as corporações de propriedade das 300 famílias que decidem sobre a vida ou morte no planeta, são os nomes de conquistadores ferozes, mobilizando forças humanas, materiais e intelectuais, armadas com as mais avançadas tecnologias para matar.

Assim foi no tempo de Alexandre, no tempo de expansão do Império Romano, no tempo de Napoleão, depois com a revolução bolchevista sob Lênin e Stalin e mais recentemente com a imposição do modelo dito democrático, pelo império norte americano, secundado pelos europeus. O objetivo de todos tem sido o mesmo: submeter e unir todas as nações sob um só império. E nos laboratórios da Onu já inventaram a religião da nova ordem mundial.

Recentemente, na abertura dos trabalhos da pacífica organização, a presidente do Brasil convocou as nações para a participação ativa na solução da crise financeira criada pelos banqueiros, com o objetivo de acelerar a aceitação do fato consumado: o governo mundial. A formula já é conhecida: grandes blocos de nações obedecendo a legislação emanada pela Onu e do sistema financeiro que os Rotschild e Rockfeller manipulam, em nome das 300 famílias regentes.

Deste modo o Brasil declara oficialmente que o Estado milita no partido das mais obscuras paixões humanas, concentrando a energia do seu espírito político devotado às corporações que buscam o domínio global há milênios, utilizando várias máscaras – teocracias, socialismo, nazismo, ditaduras apoiadas em ideologias ou religiões, que cegam multidões e as transformam em exércitos auxiliares.

Em 1848, o editor londrino Victor Considerant, em prefácio a uma obra que denunciava o objetivo secreto da ordem jesuíta, dizia textualmente: “O cristianismo é imortal... o amor aos outros e a Deus sobre todas as coisas não pode morrer no gênero humano... mas o destino futuro da instituição católica que é um governo e de todos os governos é a reconciliação com o espírito do evangelho, que é o espírito da humanidade”.

Dizia mais: que a Igreja Católica tinha de escolher imediatamente um caminho. Ou a teocracia decrépita ou o cristianismo. Como o projeto dos jesuítas era muito similar ao das corporações da atualidade, como o Vaticano já referiu a necessidade de uma “nova ordem mundial”, como o cenário de violência, terrorismo, controle das populações já implantado é propício, estamos no limiar da declaração formal do governo mundial.

Muitas pistas indicam que a América do Sul, (Unasul) tendo à vanguarda o Brasil, será preservada dos maiores impactos da guerra que já começou, por ser um espaço do mapa mundial que guarda muitas riquezas inexploradas. O custo já estamos pagando nas filas dos hospitais, na disseminação de drogas, no investimento pesado para cumprir a agenda de espetáculos do circo internacional. Já estamos pagando com mortes, seqüestros e insegurança.

Os impérios norte americano e europeu, russo e chinês, continuam bem armados e os cérebros das ciências ocultas trabalham na consolidação da ambição suprema do governo mundial. Quem pensar em soberania e independência, será varrido do mapa pelas emissões do HAARP, arma capaz de criar ventos, tempestades, terremotos e tsunamis. Capaz de interferir no clima. Capaz de projetar holografias de invasão alienígena ou de um Deus enfurecido.

A lavagem cerebral da massa humana está concluída. Apocalipse now?

Arlindo Montenegro é Apicultor.

2 comentários:

Manoel Vigas disse...

Saudações.

Se a religião puder, ela toma conta e acaba a democracia.

A religião é por essência elitista:
o acesso ao Paraíso é restrito, e fica muito longe, só de avião e na primeira classe !!!

“Porque são muitos os chamados (nós os “cordeiros idiotas”) e poucos os escolhidos (apenas “elles”, os “condutores do rebanho”, “manipuladores obscurantiostas” )"
(Mateus, XXII: 1-14).

ESCOLHIDOS ?
( seria por acaso pelo painel do senado? )

Hummmmmm !!!

A Democracia ao contrario é um processo de inclusão social:

TODO MUNDO TEM DIREITO A VOTO.

RESUMINDO:

TEOCRACIA É IGUAL A SOFRIMENTO HUMANO COMPROVADO HISTORICAMENTE..

--- POIS RELIGIÃO IMISCUIDA NA POLÍTICA RESULTA EM DESGRAÇA OU NA MELHOR DAS HIPÓTESES EM “PARTIDO COMUNISTA” NO PODER !!!

QUER EXEMPLO DE UM PAÍS QUE “RESPIRA OS PRINCÍPIOS AMOROSOS DO EVANGELHO” ?

BRASIL.

É UM DOS PAÍSES MAIS RELIGIOSOS DO MUNDO !!!

( e não fui eu quem disse, foi a pesquisa Gallup feita entre 143 países. )


Atenciosamente.
Manoel Vigas

Russo disse...

Quanto ao governo mundial que se avizinha, não é o que a oligarquia mundial planeja, ou que que está em execução.
Muito diferente do "governo de homens", será o governo de Deus, este sim, destinado aos predestinados. A partir desse entendimento, dois terços da humanidade não entenderão as mudanças. O restante, um terço, usufruirão das mudanças.
Investiguem essas afirmações no site:
www.creciendoengracia.com
www.cegbrasil.com
Pode parecer uma loucura (é é )aos olhos humanos, mas uma realidade que deverá acontecer para implantação do verdadeiro cristianismo, desaparecendo assim, as demais religiões e conceitos filosóficos estritamente humanos, que aos longo dos séculos foram lixos para as mentes humanas.