domingo, 23 de outubro de 2011

O Dinheirismo

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão

Ideologia é ferramenta de otário, e também instrumento de espertalhões. No Brasil, os “puderosos” de plantão descobriram a fórmula perfeita para usar e abusar das ideias fora do lugar, enquanto tiram proveito da ignorância, comodismo ou omissão da maioria.

Assim, assistimos a um dilema que se revolve por si mesmo. Ou os oportunistas conquistam poder para arrumar muito dinheiro, ou arranjam mais grana para se tornarem cada vez mais poderosos. A politicagem se torna o princípio, o meio e o fim. O ruim ganha ares de excelência.

Aqui vigora e avança uma cínica ideologia: o Dinheirismo. Trata-se de uma simbiose entre o que existe de ruim no Capitalismo e no Comunismo, para compor um tosco Capitalismo de Estado que se sustenta e prospera no sistema do Governo do Crime Organizado.

No regime Dinheirista, a cada vez mais aparelhada e gigantesca máquina estatal se serve do crime. Ao mesmo tempo em que também presta serviço estrutural aos criminosos que se locupletam de poder e dinheiro.

O Dinheirismo vai além do Capimunismo. Por isso, se mostra extremamente eficiente para conquistar a preferência da maioria. Flexibiliza os valores humanos, submetendo-os à vontade coletiva. É perfeito para montar pretensas democracias com todo o jeitinho de uma disfarçada ditadura. Seu cínico princípio parte de uma questão simplória: “Quem quer se dar bem”?

A resposta imediata dos ignorantes, egoístas e oportunistas é: “Eu!”. O imenso conjunto de egos, praticamente formado por analfabetos políticos, acaba facilmente convencido a agir no campo individualista para usufruir de um benefício supostamente coletivista que lhe é dado pelo poder estatal, graças à boa vontade de um poderoso-endinheirado (ou um endinheirado-poderoso) de plantão.

Já deu para entender por que políticos - como Luiz Inácio Lula da Silva ou José Sarney - se tornam poderosos e ricos no Brasil? Já percebeu por que o sonho de estabilidade de grande parte da mão de obra brasileira é se tornar “funcionário público”? Já descobriu por que programas de renda mínima, como os bolsas da vida, conseguem tanto apelo social?

Compreendeu por que a lógica dos juros altos está de acordo com a maioria que prefere ganhar dinheiro facilmente, trabalhando o mínimo possível? Manjou por que a maioria defende um “Estado forte”, sem se importar com o custo (via impostos cada vez mais altos) para viabilizar tal distorção? Observou o motivo pelo qual, num sistema assim estruturado, Educação jamais merecerá prioridade da maioria?

O regime Dinheirista chega ao seu ponto alto no dantesco dilema do atual desgoverno. Apesar de todas as evidências de irregularidades e corrupção, a presidenta Dilma Dynamite não consegue detonar de sua equipe a turma do PCdoB que aparelhou o Ministério dos Esportes.

Nada custa lembrar que o PT, o PMDB e outros partidos da base aliada tomaram de assalto outros espaços estatais, onde continuam reinando impunes entre picaretagens que não vêm à tona porque não interessa ao esquema dinheirista.

O chefão Extalinácio ordenou, e a obediente Dilma “resolveu” manter, ao menos por enquanto, o emprego de Orlando Silva. Aliás, o camarada é um dos emblemas máximos da prosperidade pessoal no regime dinheirista.

A subchefona da nação não tirou Orlando de imediato, porque trocá-lo daria no mesmo. O posto iria para um outro dinheirista. Seja petralha, comunalha ou de estirpe dinheirista mais sofisticada – liderada, por exemplo, pelos Henriques Meirelles da vida.

Na onda dinheirista, vamos seguindo a Primeira Lei de Zeca Pagodinho: “Deixa a vida me levar... Vida leva eu...”. Enquanto a grande crise econômica não chega de verdade, tudo pode acontecer que nada muda. Fiquem tranqüilos...

A regra do jogo é clara. O dinheirismo só vai para o saco com as crises. Aí, seu princípio capimunista de “cada um por si, Deus por todos” se transforma em um arriscado “salve-se quem puder” que pode redundar em muitas cabeças rolando.

Quem sobreviver vai participar desse nada agradável jogo de futebol. Tomara que não seja no papel da bola...

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


© Jorge Serrão 2006-2011. Edição do Blog Alerta Total de 23 de Outubro de 2011. A transcrição ou copia deste texto é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

3 comentários:

Diego Schaun disse...

Olá! Você me seguia no blog de poesias "DIEGO SCHAUN". Mudei de endereço. www.diegoschaun.com.br Agora reuni poemas, crônicas, videos, e músicas em um lugar só! Te convido a me seguir novamente. Já estou seguindo teu blog!

Um ótimo domingo!!!!

Abs
Diego

Anônimo disse...

Ideologia é canga para otário, ao serviço de espertalhões, malandros, safados, vigaristas e corruptos profissionais, parasitas da sociedade que não gostam nem querem trabalhar!

E esses otários são aqueles que querem tirar alguma vantagem, já que não possuem as qualificações dos espertalhões, malandros, safados, vigaristas e corruptos profissionais, parasitas da sociedade que não gostam nem querem trabalhar!

Kika disse...

Simplesmente fantástico!!!!!!!!!!!!!Texto perfeito!