terça-feira, 15 de novembro de 2011

Imprensa Livre

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por José Carlos Leite Filho

O programa “Fantástico”, da TV Globo, mostrou em sua edição de seis do corrente mês, um dos maus exemplos do que ocorre na gestão de municípios brasileiros, citando um caso alagoano onde o prefeito, no exercício do seu terceiro mandato, se encontra foragido da polícia, em lugar incerto e não sabido.

Foram evidenciados abundantes atos de má administração e de corrupção, tais como apropriação de verbas públicas; abandono das escolas municipais, onde em lugar do papel higiênico os alunos, por orientação da professora, usam folhas do caderno escolar, apesar de elevada despesa dada como paga na compra do item faltoso; existência de funcionários fantasmas e de outros que recebem com a curiosa observação na folha de pagamento de que “não trabalham”.

Tudo isso e muito mais tornando a população da pequena cidade interiorana altamente dependente das verbas orçamentárias da prefeitura, provável razão da repetida eleição de alguém que deveria estar na cadeia. Enquanto isso, a Câmara de Vereadores parece não conhecer o papel fiscalizador que a lei lhe dá!

Diz o ditado popular que “cada povo tem o governo que merece”, fazendo pensar que a população brasileira está anestesiada já que o município alagoano enfocado é apenas um dos mais de cinco mil existentes e o mal que lá existe é semelhante ao também detectado em cinco ou seis ministérios do governo federal sem que se saiba da condenação de um só agente público e nem se escute o clamor inconformado do eleitor! É o caso de perguntar onde estão e o que fazem os que deveriam fiscalizar, em todos os níveis, o trato da coisa pública? Por que só a imprensa livre é capaz de investigar, detectar e denunciar tantos descalabros? Por que a população insiste em apoiar os maus governantes em lugar de repudiá-los?

Será que as esmolas das bolsas isso e bolsas aquilo são mais importantes do que melhores escolas, novas e melhores estradas, novos e bem equipados hospitais, mais segurança pública, mais e melhor iluminação pública, mobilidade urbana e saneamento básico, alguns dos fatores essenciais ao bem comum e à melhor qualidade de vida? E se não são, por que a falsa imagem de crescimento e desenvolvimento, abundante no noticiário pago, não se torna alvo de represálias e da indignação e revolta popular?

Sem imprensa livre a cidadania tropeça, o povo emudece e o enriquecimento sem honra floresce!

José Carlos Leite Filho é General de Exército na Reserva.

Um comentário:

Anônimo disse...

O assunto deste post se refere ao prefeito afastado de Traipu, no sertão alagoano, distante 178 quilômetros de Maceió. Ele e mulher, juliana kummer fugiram de barco, atravessando o Rio São Francisco, procurando refugio em Sergipe. Curiosamennte, hoje, a "Gazeta de Alagoas", (www.gazetaweb.com), propriedade de collor de melo, págs. 1 e 5, publica a noticia que esse perfeiro ganhou "Habeas corpus" do Tribunal Regional Federal concedido pelo desembargador federal josé maria lucena da 5ª região do Recife (PE)e está livre da ordem de prisão.

Segundo o procurador da República José Godoy Barbosa de Souza, além do afastamento do prefeito, o Ministério Público Federal conseguiu a indisponibilidade dos bens de marcos santos, considerado o chefe da quadrilha.

Entre os bens bloqueados estão 26 veículos, duas casas, quatro fazendas e 658 cabeças de gado. Durante a operação, foram apreendidas 19 armas nas casas e fazendas dos acusados. Segundo o delegado Amaro Vieira, "80% dessas armas são de grosso calibre, o que demonstra o poder de fogo dessa quadrilha".

http://www.dgabc.com.br/News/5914659/prefeito-de-traipu-em-alagoas-foge-para-nao-ser-preso.aspx