sábado, 19 de novembro de 2011

A ONU e a Lei de Anistia


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Mara Montezuma Assaf

A intervenção da ONU em certos assuntos internos dos países constitui uma interferência indevida e indesejável por não respeitar as diferenças culturais e políticas de cada nação ao tentar impingir a mesma receita a todos.

Que direito tem a ONU de exigir que anulemos a Lei da Anistia, na época assinada igualmente por políticos representantes de várias bandeiras e que possibilitou que o Brasil voltasse a um governo civil e democrático sem ter alimentado sentimentos de ódio e vingança entre as partes interessadas?

Mortes ocorreram de ambos os lados...e a Lei da Anistia perdoou a todos... E agora a Sra.Navi Pilai, da ONU, considera que deva haver punições por aqui? Por que a anistia só valeu na Africa do Sul, o próprio país dela?

Por que ela está a pretender uma vendetta parcial como se só um grupo fosse merecedor de ser ressarcido pelos "ditos" direitos humanos feridos, o que fatalmente trará distúrbios entre os brasileiros?

Por que a vida de um cidadão brasileiro, para esta senhora, vale mais que a do outro?

A ONU está atuando de forma despótica e parcial... O que não me surpreende visto que após a queda do Muro de Berlim representantes da esquerda desorientada - qual barata tonta - acabou por se arranchar todinha dentro desta instituição. Virou o que virou.

Mara Montezuma Assaf é Professora Aposentada.

Um comentário:

Rhay disse...

crimes contra a humanidade são questões internas?