sábado, 30 de junho de 2012

Empresas de alto crescimento e rentabilidade no Brasil atraem investidores

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Reginaldo Gonçalves

As empresas brasileiras e as que estão instaladas aqui, principalmente as que não possuem capital aberto, estão na mira de investidores internacionais, através das modalidade de Private Equity e Venture Capital. Embora estes modelos de investimentos tenham objetivos específicos, nada mais são do que recursos novos colocados na instituição, buscando a melhoria continua dos seus negócios e a oportunidade de gerar lucros consistentes.

O Private Equity tem como finalidade básica oportunizar a reestruturação da empresa para abertura do seu capital. No Venture Capital, a preocupação é estabelecer alicerces para pequenas e médias empresas que têm potencial para crescer e remunerar o capital para que possam ter sócios ou acionistas novos, que participam do empreendimento e cobram postura dos dirigentes contratados em nível de resultado. Outras formas existem no mercado, mas essas vêm chamando a atenção há algum tempo, em virtude da velocidade como os investidores estãoaportando esses fundos que buscam empresas emergentes.

Uma das situações que foi efetuada através do Private Equity foi o caso da Tok & Stok, na qual, há algum tempo, o Banco BTC Pactual arquitetava a venda para grupos brasileiros, como Casas Bahia, Magazines Luíza, Máquinas de Vendas etc, mas, sem sucesso. Recentemente, foi confirmado pelo Banco BTC Pactual a venda para a empresa multinacional Carlyle Group, por cerca de R$ 1 bilhão. No ano de 2011, o faturamento fechou em torno de R$ 750 milhões, mas a meta é atingir em 2012 o patamar de R$ 900 milhões, contando com dois mil colaboradores

Outra empresa com alto potencial de rentabilidade e controle familiar negociada recentemente é a Daneva, através de Joint Venture com a Legrand. No ano de 2011, o faturamento girou em torno de R$ 68,2 milhões aproximadamente. Ela conta com 500 colaboradores. A participação adquirida foi de 51%, com a perspectiva de compra da sua totalidade a partir de 2014. O preço da negociação não foi revelado.

Os principais motivos da formação desses fundos privados é buscar alternativas de investimentos em empresas que possuem como característica rentabilidade e oportunidades de crescimento, objetivando-se garantir aos investidores alternativas viáveis e seguras de negócio. Para as empresas adquiridas muda significativamente a postura e forma da gestão, deixando muitas delas de efetuar as transações de maneira doméstica e avançando para um padrão mais profissional. A exigência em busca dos resultados é fator preponderante, com necessidade de autoria interna e externa na condução da gestão empresarial. Em algumas delas é implantada a governança corporativa, para que os proprietários que fazem a gestão não se envolvam com a parte operacional e passem a ser agentes fiscalizadores das diretorias contratadas.

Para o Brasil, essas modalidades de investimento podem auxiliar o mercado como um todo a crescer de modo sustentável, permitindo vislumbrar estratégias futuras de expansão, a troca de sinergia e aprendizado, com melhoria dos produtos e/ou das estratégias de vendas. Trata-se de um processo de aporte de recursos em atividades produtivas que poderão agregar valores e melhorar a competitividade em diversos segmentos, tanto no mercado interno como também no externo.

Reginaldo Gonçalves é coordenador de Ciências Contábeis da FASM (Faculdade Santa Marcelina).

Nenhum comentário: