domingo, 3 de junho de 2012

O “X” do Problema

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net
Por Carlos Brickmann

A CPI do Cachoeira ameaça terminar em patadas, o senador em risco articula faltas em massa à votação que decidirá o destino de seu mandato (com isso, fica muito mais difícil conseguir os 41 votos pela cassação), e se arrisca, no excelente achado de Joelmir Beting, a ser chamado de Debóchenes.

Mas todos esses são problemas policiais, cuja solução não muda o destino do país. O problema mais sério que o Brasil enfrenta não é Debóchenes, nem a Turma do Guardanapo: é o comportamento da economia. Os juros baixaram, o crédito cresceu, houve incentivos à indústria automobilística, o ministro Mantega determinou que o país se desenvolvesse, mas no primeiro trimestre o crescimento total foi de 0,8% - menos que Rússia, Índia, China e África do Sul, os outros Brics. Nem pensemos na China: a Índia, mais parecida conosco, cresceu 5,3%. O Chile, com muito menos recursos naturais e pertinho do Brasil, cresceu 1,4%.

E os números se referem à economia inteira do Brasil, agricultura e mineração incluídas. A indústria se comportou muito pior: caiu 2,8% de janeiro a abril, apesar dos incentivos, apesar da queda dos juros, apesar do aumento do crédito, apesar das ordens que Mantega, sempre duplicando os "erres", deu ao PIB. A produção de bens de capital, aqueles que erguem a infraestrutura do país, caiu 9,8% em um ano. Criação de empregos, geração de renda? Talvez mais tarde.

O caro leitor que gosta de política deve lembrar-se da notável frase do marqueteiro James Carville: "É a economia, estúpido". A economia decide eleições.

Queda para cima

Sabe os juros que baixaram? Uma assídua leitora mostrou sua conta de cartão de crédito, recebida nesta semana: juros de 14,5% ao mês, 419,36% ao ano.

Sabe esses carros sem IPI e com preços mais baixos? Antes deste benefício, gastava-se determinada quantia na troca. Com este benefício, caiu o preço do carro novo - e também o dos carros usados. Paga-se bem mais na hora da troca.

Carlos Brickmann é Jornalista. Parte de sua coluna publicada neste domingo, 3 de junho de 2012, em vários jornais do País.

Um comentário:

Anônimo disse...

Sr Jorge Serrão,
A coluna semanal de Carlos Brickmann, publicada na quinta-feira no site (www.brickmann.com.br) e Observatório da Imprensa , é igualmente imperdível.
Seus comentários sobre a construção de algumas "manchetes--chamadas" dos principais portais e jornais expõem a verdadeira dimensão da "involução" do ensino no "Brazil".