domingo, 28 de outubro de 2012

Conversa de Eleitor

Poesia no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Mundim do Vale

Nos pequenos versos meus
Eu tenho sempre frisado
Que político é filho de Deus
E eleitor só enteado.
Tão vendo aquela mansão?
Ali mora um cidadão
Que se elegeu deputado.
Mas depois que foi eleito,
Não ficou do mesmo jeito
Mudou feito um condenado.

Vivia na nossa rua
Comia nosso feijão
Hoje se esconde na sua
Morando nessa mansão.
A gente passa é por tolo
Porque aperta um bidolo
E ouve uma voz dizer:
- O doutor tá em Miame
E por favor não me chame
Que eu tenho o que fazer.

Não tinha medo do sol
E andava apenas num jipe
Assistia o futebol
Torcendo por nossa equipe.
Deu pra nós onze chuteiras,
Mais um par de joelheira
E uma bola oficial.
Trouxe um moço pra filmar
E levou nós pra jogar
Na cidade de Chaval.

Deu pras filhas de Bené
Umas fotos com molduras
Na vila de Josué
Distribuiu dentaduras.
Registro de nascimento,
Certidão de casamento
Deu até pra quem já tinha.
Na casa de Soledade
Tinha tanta liberdade
Que comia na cozinha.

Todos são do mesmo jeito
Sempre aconteceu comigo
Qualquer candidato eleito
Fica da gente escondido.
Depois que assume o mandato
Só se ouve o candidato
Em rádio e televisão.
Se mete com cambalacho,
Fica pra cima e pra baixo
Passeando de avião.

Já se aproxima a campanha
Ele não tarda a chegar
Mas ninguém aqui se acanha
De mandar ele voltar.
Tá fazendo quatro anos
Que ele veio com seus planos
Se elegeu, ninguém mais viu.
Agora vá pedir voto,
Dando dentadura e foto
Lá na puta que o pariu.

Um comentário:

Mujahdin Cucaracha disse...

É de enojar, já no início do vídeo, ver a atitude solene da presidanta ante a execução do hino da "internacional comunista". Principalmente ao se comparar que ela não demonstra a mesma atitude solene em ocasiões de execução do Hino Nacional Brasileiro.