domingo, 18 de novembro de 2012

Capimunismo na corda bamba terá novos marionetes

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alertawww.fiquealerta.net  
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Representantes britânicos, que comandam as maiores empresas patrolíferas do Planeta, deram ontem à Presidenta Dilma Rousseff um ultimato, no intervalo da Cúpula Ibero americana, em Cádiz, que reúne os presidentes da Espanha e da América Latina: “É preciso substituir Maria das Graças Foster na presidência da Petrobrás, ou ficará inviável fazer novos negócios com o Brasil”. Se Dilma vai seguir a ordem, são outros quinhentos...

A vida político-empresarial é muito engraçada. Graça foi colocada onde está por ter competência técnica comprovada, mas por ser amiga pessoal de Dilma e esposa de Colin Foster – empresário do setor petrolífero, mas que é o mais alto representante da Maçonaria da Inglaterra na América Latina. Certamente, os padrinhos agora querem a cabeça da Graça porque ela contraria o interesse deles nos negócios com a maior empresa capimunista do Brazil.

Além da Petrobrás, Dilma enfrentará maiores problemas ainda na Eletrobrás. E não será apenas pela desastrosa proposta do governo para a renovação das concessões do setor elétrico definida na capimunística Medida Provisória 579. Além do elevado prejuízo aos investidores – tal qual acontece na Petrobrás -, a Eletrobrás é prejudicada por arraigados esquemas de corrupção que agora prejudicam os grandes negócios globais.

A Oligarquia Financeira Transnacional odeia ter seus interesses contrariados. Por isso, troca seus apadrinhados no poder sempre que se torna conveniente. Agora, a grande bandeira de luta da propaganda globalitária é o “combate à corrupção”. OHHHH! Agora conseguimos entender por que o julgamento do Mensalão – e outros que estão por vir – teatralizam tanto rigor contra aqueles realmente corruptos ou escolhidos como bode expiatórios.

Notícia em O Globo deste domingo confirma tal tese. As empreiteiras e os políticos finaciados por elas no Brasil fazem um lobby pesado para impedir que o Congresso aprove uma proposta transnacional que prevê responsabilização administrativa e judicial das empresas que pratiquem corrupção. Atualmente, aqui no Brasil, a punição máxima prevista é uma mera declaração de inidoneidade acompanhada da suposta impossibilidade de firmar novos contratos com a União.

Reproduzamos o jornal: “O Brasil se tornou alvo de pressão internacional porque protela a aprovação de uma lei anticorrupção que puna até mesmo com a extinção empresas que pagam suborno para fechar negócios dentro e fora do país. O governo levou a proposta ao Congresso em 2010, mas a tramitação se arrasta em uma Comissão Especial da Câmara desde setembro do ano passado”.

Tem mais: “O Brasil se comprometeu em aprovar a lei contra a corrupção ao se tornar signatário da Convenção da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) contra o Suborno Transnacional, no ano 2000. A OCDE é um órgão de desenvolvimento formado por 34 países, a maioria ricos da Europa e da América do Norte”.

O problema é maior ainda: “Em 8 de outubro, durante reunião em Paris, o presidente do grupo de trabalho da convenção, Mark Pieth, afirmou que o Brasil corre sério risco por não cumprir integralmente os compromissos da convenção. E alertou que a OCDE poderia recomendar às empresas de países-membros que não façam negócios com empresas daqui. Além do Brasil, considerado parceiro-chave da OCDE, a Argentina é o único país signatário que não tem uma lei para punir empresas corruptas”.

Só quem não sabe – ou não quer ler – percebe que existe uma pressão transnacional não a favor da honestidade – como pode parecer à primeira vista -, mas sim contra tanta corrupção em negócios com o Brasil. Os controladores globais já perceberam que o Governo do Crime Organizado, por eles sempre sustentado, agora começa a lhes causas prejuízos. Toda vez que isto acontece, a Oligarquia Financeira Transnacional decreta uma “dança das cadeiras” para troca de seus marionetes.

A ruptura institucional no Brasil já foi decretada pelos poderes transnacionais que controlam o Brasil. O suposto combate à corrupção – patrocinado agora pelos poderes globaitários – agora é a grande bandeira de luta. E quem for escolhido para segurá-la vai ser o futuro marionete a presidir o Brasil na próxima eleição...

O espetáculo está apenas começando...



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 18 de Novembro de 2012.

7 comentários:

Paulo Figueiredo disse...

Serrão,
desde o inicio desconfiei que o desfecho do “Mensalão” fora encomenda externa; por terem os membros da quadrilha do mensalão contrariado interesses mais poderosos. O apoio incondicional da mídia ao processo foi sintomático. Esta mídia é alinhada a estes interesses dos poderosos maiores. E a coisa deve girar mesmo em torno dos negócios com a Petrobrás, que passava sempre por Dirceu, que se julgava um semi-deus. Um grande empresário brasileiro também deve enfrentar problemas devido esta proximidade e negócios comuns. No meio desta farofa deve ter até disputas onde o dinheiro e o poder chinês estejam envolvidos. Pode ser o “X” da questão. Identifico que o que menos pesou nestes interesses processuais foi a compra de parlamentares, afinal, sempre se fez isso sem sustos.
E ainda no campo das suposições, será que as viagens ao exterior do ministro JB foi mesmo para tratar só de sua coluna vertebral, ou também de outras “colunas”?
Como você disse: “O espetáculo está apenas começando”.
Abraço

Anônimo disse...

Claro que a cabeça da Maria das Graças Foster vai rolar mesmo, senão quem cai è a cabeça da dilma!
Duvida disso, Jorge?

Agora, quando escreve e bem:

"Só quem não sabe – ou não quer ler – percebe que existe uma pressão transnacional não a favor da honestidade – como pode parecer à primeira vista -, mas sim contra tanta corrupção em negócios com o Brasil. Os controladores globais já perceberam que o Governo do Crime Organizado, por eles sempre sustentado, agora começa a lhes causas prejuízos."

Pode ser que nós brasileiros possamos viver sem tanta corrupção já institucionalizada. Até seria bom!

Mas, Jorge, sou liminarmente da linha dura: ninguém è "Deus" de porra alguma, seja em que nação viver ou esteja comandando as outras, até mesmo aqui mesmo.

Qualquer membro da Oligarquia Financeira Transnacional ou da Nova Ordem Mundial, è em princípio humano, logo um potencial alvo a ser eliminado desde que queira phoder nosso Brasil. Repare Jorge, com isto não incluo a terrorista dilma, lulla ou qualquer outro fdp de petista, corrupto ou tridor relapso e contumaz, começando pelos generais. Falo da nossa soberania que nem a merd@ dos nossos generais a quer defender, preferindo buquinhas, bons empregos pós-refoma e whisky 12 anos. Tudo panacas no melhor estilo soviético!

È pena não termos serviços para limpesa.

Anônimo disse...

"AMEAÇA DE PERDA DA AMAZÔNIA BRASILEIRA

Prof. Marcos Coimbra

Há muito tempo, neste espaço, bem como em nosso livro Brasil Soberano, em especial no seu capítulo 19, temos denunciado o real perigo de perda de parte do território nacional, em especial da Amazônia. A criminosa e traiçoeira demarcação das áreas indígenas Ianomâmi e Raposa/Serra do Sol, a assinatura, em 13 de setembro de 2007, da Declaração Universal dos Direitos dos Indígenas, aprovada pela ONU, com o voto favorável da representação brasileira e a crescente ação e reconhecimento, por parte das autoridades brasileiras, dos pretensos direitos dos quilombolas”, não são casuais. Fazem parte de um maquiavélico plano oriundo do exterior e aplicado pelos sicários a seu soldo. A partir daí a demarcação de terras indígenas assume o estágio de reservas indígenas , representando a última posição para transformação em nações indígenas. Ainda mais considerando que existe, no caso dos Ianomâmis, uma vasta região para eles, na faixa de fronteira contígua entre Venezuela e Brasil.

É evidente que não vamos perder a Amazônia de uma vez, com a direta intervenção militar de um país ou de um grupo de nações interessadas nas incomensuráveis riquezas existentes na região. A ação será efetivada como está sendo feita, de forma solerte, aos poucos, progressivamente, através da quinta coluna instalada até em órgãos governamentais, com a cumplicidade de autoridades governamentais enquistadas nos três poderes da República. O exemplo da “balcanização” da Iugoslávia e o recente reconhecimento pela ONU da independência do Kosovo abrem os precedentes perigosos. Muitas lideranças mundiais não aceitam o fato de o Brasil possuir mais de 8.500.000 km², sendo ainda detentor de recursos naturais abundantes e vitais, cobiçados por outros países, da ordem de trilhões de dólares.

Uma maneira ardilosa de alcançar seus objetivos nefastos é proceder como estão fazendo. Criando conflitos étnicos, por intermédio da racialização, discriminando brasileiros, em função da cor da pele, gerando as sementes de conflitos nunca antes existentes no país, exemplo de democracia racial para o mundo. Jogando brancos contra negros, negros contra índios e estes contra os brancos, com a imposição de cotas e a aprovação de um estatuto da igualdade social, que é de fato gerador de desigualdades sociais, atingindo violentamente o branco pobre. Incentivam o choque de fiéis de diversas religiões. Glorificam o homossexualismo. Provocam idéias separatistas em um país como o nosso, que tem apenas uma língua, sem conflitos sérios até agora, de qualquer ordem, como os existentes nos demais componentes dos BRICs. Em suma, pretendem dividir, acabar com a Paz Social para obter a desintegração do Patrimônio Nacional.

(...)"

http://www.brasilsoberano.com.br/artigos/ameacade_perda_da_amazonia_brasileira.htm

Anônimo disse...

puxa, demorou pra voces sacarem isso, nao? Desde 1989 nao existem mais nacoes, paises ou soberania. Existem territorios e consumidores, que sobem e descem dependendo do interesse dos grandes grupos. Corrupcao sem limites nao e interessante pra essa turma - se mantida dentro de um limite nao maior que 10% das metas deles, ta beleza.

Anônimo disse...

Olá, Serrão!

Certa vez, ao tomar conhecimento da poesia de Cora Coralina, Drummond dissera que ela vivia em estado de graça com a dita-cuja. Lendo sua matéria, embora eu já tivesse algum conhecimento de causa, nos parece que a pupila de Dilma, a Graça... – fiquemos na graça –, não vive em nenhum estado de graça com a petrolífera. O certo é que, pela sua permanência ou não na chefia do ouro negro, a Presidente Dilma do Chefe já percebeu que nesse embate com os descendentes dos senhores feudais, mesmo com um pau ainda se leva fumo e outras especiarias no lombo. Agora, imagine quem nunca teve um.

Abraços e sucesso sempre!

Ass. O ainda bloqueado pelo Facebook. É vero.

Anônimo disse...

Se trair a Pátria ao tentar impôr uma ideologia adversa ao modo de ser brasileiro foi o objetivo frustrado dos comunistas em 1964, um crime maior está sendo cometido por esses mesmos, agora governantes, expondo o nosso território, fronteiras, economia, etc., à cobiça internacional, em nome daquela mesma ideologia virulenta que os domina. Cagliostro

Anônimo disse...

Devem estar querendo tirar a DesGraça Foster da Petrobrás porque ela está roubando demais, mesmo para os padrões dos grandes ladrões internacionais.

A refinaria Abreu e Lima custou R$ 35 bi (até agora). Isso é dez vezes mais que o valor do orçamento da mesma.
De cada 10 reais, 9 vão para o propinoduto. É roubo demais até para a grande quadrilha globalista internacional.

Que volte o Delfim Neto, ele só cobra 10%.