sábado, 3 de novembro de 2012

Gurgel pedirá que Polícia Federal vigie e proteja Marcos Valério para que ele não acabe como Celso Daniel

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alertawww.fiquealerta.net  
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

O publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza terá mesmo coragem de revelar qual foi o banco (não arrolado no processo do Mensalão) utilizado por um amigo pessoal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para acertar as contas da chantagem feita pelo empresário Ronam Maria Pinto contra Lula e Gilberto Carvalho, para não envolvê-los no até hoje não resolvido sequestro, tortura e assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, bárbaro crime ocorrido em janeiro de 2002?

Será que Marcos Valério tem elementos comprobatórios para assegurar que não colaborou pessoalmente com a operação de arranjar dinheiro para supostamente financiar o “silêncio” do empresário Ronan Pinto – que era dono de empresas de ônibus e de uma empresa de coleta de lixo suspeitas de envolvimento em esquemas de corrupção, para arrecadação ilegal de dinheiro para campanha eleitoral, que acabaram redundando na morte do prefeito petista de Santo André?

Caso Marcos Valério faça tais revelações, ele realmente terá provas objetivas do que supostamente revelará à Procuradoria Geral da República, em troca de ingressar em no Sistema Nacional de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas, podendo mudar de cidade e trocar de nome? Será que Valério tem mesmo detalhes para narrar uma reunião entre Ronan Maria Pinto e Silvio Pereira, ex-homem forte do partido e que se livrou do processo do Mensalão pela via da delação premiada?

Será que o Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, atenderá ao pedido da defesa de Marcos Valéreio – um arquivo-vivo que ainda responde a mais responde a pelo menos outras dez ações criminais, além da Ação Penal 470 do STF (que mexe com a cúpula petista) e do chamado “Mensalão Mineiro” (que envolve dirigentes do PSDB, como o ex-governador Eduardo Azeredo)?

Diantes de tantas perguntas com respostas complexas, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, já declarou ontem que está na hora de o operador do mensalão "desembuchar, não falar em doses homeopáticas". Marco Aurélio defendeu que Estado "proporcione aparato de segurança" a quem "se mostrar disposto a colaborar". O ministro detonou: "Depois da porta arrombada, não adianta colocar cadeado. Na área da delinquência, falo de forma geral, o jogo é pesado."

Diante da repercussão midiática de que Valério corre risco de vida – e já teria sofrido ameaças concretas, como a de semana passada, em Belo Horizonte, revelada ontem nesta Alerta Total -, o mais provável é que, de imediato, o Procurador-Geral da República solicite uma proteção especial para Valério. A missão de vigiar e resguardar o “arquivo-vivo” seria da Polícia Federal. Mas pode acabar nas mãos da Agência Brasileirade Inteligência ou, em último caso, de oficiais experientes da área de inteligência do Exército.

Fato objetivo é que, ao meter o caso Celso Daniel no meio, Valério mexeu com o único escândalo que realmente apavora a cúpula petista. Celso Daniel é um cadáver politicamente insepulto. Até hoje, está impune o empresário Sérgio Sombra, “amigo” dele e principal suspeito de comandar o crime. Fora da esfera judicial, o escândalo também envolve outro amigo de Daniel, o atual secretário Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, que saberia de todo o esquema de corrupção em Santo André – de acordo com versão do irmão da vítima, Bruno Daniel.

Marcos Valério voltou a desenterrar o cadáver politicamente insepulto do PT. Resta aguardar para ver se ele vai mesmo ter condições de falar, ou se o caso, como de costume, será providencialmente abafado. Os petistas sempre defendem a absurda tese de que a morte de Daniel foi um crime comum. O Ministério Público sustenta que o crime, além de incomum, envolve corrupção. Daniel teria sido morto pelo grupo que beneficiava-se dum esquema irregular de propina na prefeitura.

O problema é sempre chegar ao verdadeiro chefe da máfia...

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 3 de Novembro de 2012.

4 comentários:

Anônimo disse...

A POLÍCIA FEDERAL???????


No caso dos ALOPRADOS, com os quase R$ 2 mi em espécie e sem origem timha PF envolvido.

Resta saber quantos PF estão a serviço deles.

Anônimo disse...

Se um assassinato veio a tona, quantos mais que nao viraram noticiario devem existir? Ou ameacas? Sequestros? Outros crimes? Sera que a lideranca da oposicao vem sofrendo essas ameacas nos ultimos 10 anos? De repente isso explica a falta de tonus da oposicao.
A proposito, alguem tem informacoes sobre contas de Lula e familia no exterior? Dona Marisa tem cidadania italiana, pode abrir conta em varios paises da Europa, Lembrem? Lula deve ter essa cidadania tambem….

Anônimo disse...

Leia comentário postado no RA

Assustador- O país nas mãos de criminosos perigosos, capazes de qualquer coisa.


"Por alguma conspiração do inconsciente coletivo ou sincronicidade deparei-me com relatos assustadoramente correlatos com referência ao assassinato do prefeito Celso Daniel.
1. Eu era professor numa faculdade cujo coordenador do curso era ex-assessor e ex-aluno de Celso Daniel. Seis meses depois do assassinato, nos encontramos por acaso no estcionamento da faculdade. Surgiu o assunto e ele me relevou que a morte tinha correlação com oito (8) milhões de euros doados pela comunidade européia para serem usados na recuperação de áreas carentes em Santo André. Segundo o relato, Daniel usou três (3) milhões na comunidade e guardou os outros 5 para serem usados na “ compra “ de vereadores, como moeda de troca, em votações de interesse do PT. Daí chegaram as eleições e Dirceu queria o dinheiro, o que foi negado pelo prefeito. Dirceu teria planejado o seqüestro que acabou no assassinato.
2. Um dos colegas professores tornou-se meu amigo e, posteriormente, advogado. Em troca de um favor jurídico, prontifiquei-me de presenteá-lo com uma rede wireless para o seu escritório. Marcamos um dia para a instalação. Neste exato dia, ele, o advogado foi procurado por um sujeito muito mau encarado sobre um processo criminal. O filho do advogado, também muito amigo e colega, se encarrega da parte dos processos criminais. Como estava na hora do almoço, fizemos um intervalo de 1h30, quando o amigo me revelou que o tal sujeito, futuro cliente, tinha assassinado a esposa e os pais da esposa. Assustador. Quando retornamos ao escritório o sujeito estava aguardando. No ínterim do advogado se ausentar por um motivo qualquer, fiquei sozinho com o sujeito na sala pois estava instalando a rede. Evitava, ao máximo, olhar para o sujeito mas algo me chamou a atenção — ele falava com alguém ao celular e disse em alto e bom tom: “eu ando agora com a turma que matou o prefeito Celso Daniel “. Até aí a imprensa falava de crime comum.
3. Um ano mais depois, minha esposa e eu fomos convidados para uma festa de bodas de casamento. Ao chegarmos ao buffet procuramos uma mesa para nos instalar que acabamos na mesma mesa de um investigador forense. Durante a conversa surgiu o assunto de Santo André. De imediato ele afirmou: “ foi crime politico “.
4. Por muita coincidência, o amigo, filho do advogado, teve aulas na faculdade com o doutor que fez a autópsia em Celso Daniel que revelou ter havido tortura, e que apareceu morto em seu apartamento. Muito estranha morte, pois, segundo o amigo, o professor doutor legista era super vaidoso, boa pinta, popular, namorava as alunas, enfim um cara prá lá de bem com a vida. Mas apareceu suicidado.
5. Outro amigo confidenciou-me que um conhecido seu, ligado à area de comunicação e TV, estava interessado em fazer um documentário sobre a trajédia do prefeito. Esta pessoa tem certa visibilidade na “mídia”. Mas abortou a idéia depois de receber um telefonema intimidando-o a desistir do projeto, “para o seu próprio bem”.
O MV que se cuide!!!"

Anônimo disse...

Serrão,

Diante dos "argumentos" dos comentários (três, até agora!), este seu velho amigo amazônida lhe dá um, digamos, conselho: " (Muita)Cautela e caldo de galinha não faz(ou fazem, pois um não inviabiliza o outro) mal a ninguém". E, ainda, outro: "Se falar é de prata, o silêncio é de ouro!".

Meu amigo, não esqueça que o "mar" ainda não está para "peixe", mesmo que pareça! Portanto...

Com um fraterno abraço deste seu amigo amazônida,

Roberto Santiago