quinta-feira, 22 de novembro de 2012

"Não me engana, que eu não gosto"

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Mtnos Calil

"Conivência" significa apoio, colaboração, conluio.

Inocente útil é o cidadão (ã) que ingenuamente colabora com uma causa ou interesse aos quais não está vinculado (a).

Podemos então afirmar que O INOCENTE ÚTIL É CONIVENTE COM CAUSAS OU INTERESSES AOS QUAIS NÃO ESTÁ VINCULADO.

Vejamos 6 atitudes de útil inocência em relação ao histórico julgamento do mensalão.

I - Condenação do STF

1. Condenar o supremo tribunal federal e o ministério público federal pela falha de julgar apenas os corruptos do PT e seus aliados.

2. Condenar o supremo por estar dando um "golpe" contra a democracia

3. Condenar o Ministro Joaquim Barboza por estar sendo autoritário.

Quem tem essas atitudes está defendendo "indiretamente" os corruptos do PT.

Se for uma pessoa inocente útil e portanto ingênua, faz isso sem perceber que está colaborando com a corrupção da outra turma.

II - Apologia do STF

4. Fazer a apologia do STF sem saber que atitude ele vai tomar em relação à corrupção do PSDB e seus aliados.

5. Transformar o ministro Joaquim Barboza no "mito" da ética ou do combate à corrupção sem saber que atitude ele vai tomar em relação à corrupção da outra turma.

6. Pensar que a corrupção no Brasil sofreu um golpe arrasador devido ao julgamento do mensalão

Embora não tenhamos à mão uma pesquisa com amostra estatística, estamos convencidos de que a MAIORIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA está sendo inocente útil, repetindo padrões de comportamento tipicos da "psicologia das massas" manipuladas pela mídia. Então existe a grande chance de você, prazado leitor estar sendo um inocente útil. Para que você deixe IMEDIATAMENTE de ser inocente útil ou de vir a sê-lo, aí vai uma sugestão.

UMA ATITUDE ESTRATÉGICA EM RELAÇÃO AO JULGAMENTO DO MENSALÃO:

A melhor forma de você não ser manipulado pelo "Sistema" é manter uma "distância estratégica" em relação aos acontecimentos e ao mesmo tempo assumir uma clara posição ANTI-CORRUPÇÃO. Este menu pode ajudá-lo a deixar de ser inocente útil.

1. Não criticar o STF por nenhum dos erros cometido, apoiando o seu desempenho no julgamento do mensalão, tendo em mente que é muito melhor para o combate à corrupção no Brasil termos este julgamento apesar de todas falhas cometidas.

2. Não fazer a apologia do STF e do Ministro Joaquim Barboza. Este é um dos objetivos principais de todas as campanhas de manipulação das massas: criar idolos e mitos e promover o seu endeusamento. Apoiar não é o mesmo que idolatrar. A diferença é que o apoio pode ser parcial e até provisório. A idolatria é cega e absoluta. Quem for vitima da idolatria se transforma num seguidor fundamentalista de entidades, pessoas, ideologias, religiões, etc. Alguns idólatras se arrependem de suas apologias caindo na descrença total, quando seus idolos não correspondem às suas expectativas.

3. Pressionar o STF, o MPF, o poder legislativo e o poder executivo para implantarem no país um PROGRAMA DE COMBATE A CORRUPÇÃO EFICAZ ( pra valer e não para iludir as massas - prefiro a palavra "massas" do que "povo", porque massa tem o caráter AMORFO do povo, sendo portanto um termo menos metafisico. Mas se você prefirir a palavra "povo", isso em nada vai alterar a nossa sugestão estratégica.

Mtnos Calil, Psicanalista, é Presidente do Instituto Mãos Limpas Brasil.

2 comentários:

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Senhor Mitnos Calil, um ESTRONDOSO PARABÉNS por suas sábias palavras, que refletem seu bom senso.

Amaro de Souza disse...

Colocações corretíssimas, afinal os magistrados são empossados, para obedecerem as leis vigentes no país, são regiamente pagos e têm vantagens que a maioria dos brasileiros nem sonham; portanto, aplicar corretamente as punições devidas, é parte inerente a sua funções; o oba oba, só avilta e desmerece...
Abraço,
Amaro